16/07/2015 - No Bom Dia Ministro, Henrique Eduardo Alves detalhou ações para o setor turístico do país

O Bom Dia Ministro, que foi ao ar nesta quinta-feira (16), às 9h, recebeu o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, para detalhar ações para o setor turístico do país, como a isenção de vistos de turistas norte-americanos e a nacionalização das Olimpíadas. A entrevista é produzida e coordenada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República e transmitida ao vivo, das 9h às 9h30, pela NBR TV e via satélite.

audio/mpeg 16-07-15-bom-dia-ministro-henrique-eduardo-alves-turismo.mp3 — 28628 KB




Transcrição

APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Olá, amigos de todo o Brasil, começa agora mais uma edição de Bom Dia, Ministro. O programa que tem a realização de Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Eu sou Roberto Camargo, e recebo hoje aqui no estúdio o ministro de Turismo, Henrique Eduardo Alves. Bom dia, Ministro? MINISTRO HENRIQUE EDUARDO ALVES: Bom dia, Roberto, bom dia telespectador de EBC, com muita alegria estamos aqui hoje.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: E na pauta deste programa, ações para o setor turístico do país, como a isenção de visto para turistas norte-americanos e a nacionalização das Olimpíadas. O ministro Henrique Eduardo Alves vai conversar com radialistas de todo o país nesse programa que vai ao ar via satélite pelo mesmo canal de a voz de Brasil e que também é transmitido ao vivo pela TV NBR. Você pode participar conosco neste programa enviando sua pergunta pelas redes sociais, anote aí o nosso endereço no Facebook: é facebook.com/tvnbr. E tem também a opção de enviar a sua pergunta pelo Twitter. O endereço é twitter.com/tvnbr. Ministro, já está na linha para falar conosco a rádio inconfidência de Belo Horizonte. Quem vai fazer a pergunta é Verônica Pimenta. Olá, Verônica, bom dia a você.REPÓRTER VERÔNICA PIMENTA (Rádio Inconfidência/Belo Horizonte - MG): Olá, Roberto, muito bom dia, bom dia, ministro a todos que nos acompanham. Gostaria começar com a perguntar sobre o panorama do turismo no país. Num ano de economia fraca, como está sendo 2015, qual a projeção para o turismo em relação ao PIB? Em relação as Olimpíadas, ministro, gostaria de saber qual o estágio aí do processo de limpeza, despoluição de Baía de Guanabara, onde vão acontecer as principiais competições náuticas das Olimpíadas? MINISTRO HENRIQUE EDUARDO ALVES: Verônica, com muita alegria que eu recebo a sua pergunta, e poder falar os ouvintes da rádio Inconfidência, desse estado maravilhoso para o turismo, que é Minas Gerais, e toda a sua região, principalmente. Em relação a crise que o Brasil atravessa e o Congresso Nacional tem discutido e votado um ajuste fiscal muito rigoroso para tentar minimizar os seus efeitos, é nesta hora que eu acho que o turismo tem tudo para crescer. Por uma razão muito simples. É a atividade dentro de todas econômicas do país, que geram emprego e a renda de maneira mais rápida e com menor custo benefício. Além disso a imensa capilaridade que tem um turismo por todos os cantos e recantos desse país. Ele emprega todos os segmentos da cadeia social. É o balconista, é a camareira, é o garçom, é o dono de botequim, é um proprietário de uma média pousada, até os grandes hotéis. Toda essa escola social, ela é atingida pelo turismo que permeia, Verônica, 52 atividades empresariais de serviços e de comércios. Então, na hora da crise, do dinheiro curto, o turismo faz muito, pode fazer muito mais gastando muito menos. Então eu acho que essa é hora do governo, que nós somos, ter a sensibilidade de fazer um investimento através do turismo para chegar, repito, a todos os cantos a recantos do país. Em relação as Olimpíadas no Rio de Janeiro, problemas na Bahia Guanabara, dificuldades que nós temos com a Segurança Pública, que no Rio é um item muito preocupante, eu lhe informo, Verônica, que o prefeito Eduardo Paes nos convidou, na semana passada, ao Rio de Janeiro, para conhecer todo o projeto olímpico, e é um dado tão importante que eu quero, Roberto, fazer aqui no dia 25 e 26 de agosto um evento para todo o Brasil conhecer o projeto das Olimpíadas que o Rio de Janeiro, em nome do Brasil, está realizando. Primeiro, uma coisa fundamental, tendo em vista as lições que aprendemos na Copa do Mundo, na Olimpíada 70% dos recursos virão através de PPP, ou seja, iniciativa privada, e mais, por ser assim as obras estão num prazo até adiantadas, com uma imensa complexidade, e envolvendo todos os segmentos econômicos sociais do Rio de Janeiro, então, tem tudo para ser uma mais bonitas Olimpíadas que o mundo já conheceu. Tanto é verdade que volto a dizer, no dia 26 de agosto eu quero reunir aqui em Brasília o Brasil todo, os secretários municipais do turismo, pessoas e [...] da comunicação no país inteiro, governadores, autoridades, agentes privados para que conheçam em profundidade num detalhe tudo isso que você está perguntando, a questão da poluição na Baía de Guanabara, os recursos como estão sendo aplicados, conhecer o projeto olímpico que tem que interagir com todo o país. Eu tenho certeza que o Brasil vai se orgulhar muito da Olimpíada que irá fazer.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado Verônica Pimenta, da rádio Inconfidência, de Belo Horizonte, pela participação aqui no programa Bom Dia, Ministro, que hoje recebe o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves. E de Belo Horizonte, ministro, nós voltamos agora aqui para Brasília para a participação da rádio Bandnews FM. Nós vamos ouvir Talita Almeida que tem um pergunta ao senhor. Olá, Talita, bom dia.REPÓRTER TALITA ALMEIDA (Rádio Bandnews FM/Brasília - DF): Bom dia, bom dia, ministro. Bom, falando um pouquinho sobre os jogos olímpicos, né, a gente tem uma expectativa bem positiva aqui no país, de crescimento, enfim, da economia, mas eu queria também, ministro, saber quais são as ações que podem ser feitas aqui mesmo no Brasil para incentivar o turismo por aqui mesmo, né, para incentivar o turismo que gere economia, enfim, que gere receita para nossa economia local. Como fazer para investir e incentivar esse tipo de turismo aqui dentro do país? MINISTRO HENRIQUE EDUARDO ALVES: Olha Talita, rádio Bandnews, aqui de Brasília, vocês estão tendo agora um exemplo aqui em Brasil, uma praia que Brasília tá inovando e realizando, o que está atraindo de turistas em torno de Brasília e fora também desse entorno, para conhecer a novidade que a Brasília está tendo, que é praia com todos os esportes náuticos, prática, ou seja, criatividade, ou seja, talento e oferecer coisas novas as pessoas para que elas possam conhecer, usufruir melhor do seu país. Para você ter uma ideia da importância, esse ano, sobretudo, até o próximo ano do turismo em nosso país, a Copa do Mundo trouxe ao nosso Brasil 30 países que vieram disputar a Copa do Mundo, a Olimpíada e a Paraolimpíada, os dois juntos vão trazer mais 205 países para conhecer, portanto, o Brasil, na prática desses esportes e dessa iniciativa. Na Copa do Mundo, foram 14 mil jornalistas que vieram do mundo inteiro, nas Olimpíadas serão mais de 25 mil homens da comunicação que virão ao Brasil. Então, é uma grande oportunidade e aí uma parceria que tem que ser perfeita, republicana, ética, estimulante com a iniciativa privada. Há muito preconceito que eu tenho a observar nesses três meses de Ministério, eu assumi por convite da presidente Dilma, em relação a prática do turismo. As pessoas pensam que e só aquela coisa de 'oba oba', da alegria, das férias, da festa, mas não é não, atrás, e por atrás permeando o turismo, há uma intensa cadeia produtiva que, volto a dizer, que envolve 52 atividades empresariais, comerciais e de serviços. Então, essa parceria... você tem a privada com o estímulo de governo, que tem que cumprir o seu papel qualificando as pessoas, para termos excelente serviço na prestação de serviço ao turista que vem aqui, a questão da Segurança Pública, uma maior intenção, um maior investimento que é o item número que o turista(F) logo leva em conta para escolher o seu destino, as cidades tem que contribuir por limpeza pública, com a iluminação pública, que o turista tudo observa e ele está aqui, se ele não pode mais sair, ele pode não voltar, mas se ele chega, encontra uma cidade acolhedora, qualificação de mão de obra, uma , uma cidade bem ilumina, tudo isso leva nessa complexidade a valorizar o nosso turismo. E acho que esta é uma grande oportunidade que em Brasília e que o país tem a oferecer a todo mundo. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Talita Almeida, você gostaria de fazer mais alguma pergunta ao ministro?REPÓRTER TALITA ALMEIDA (Rádio Bandnews FM/Brasília - DF): Não, não, muito obrigada. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Nós é que agradecemos pela sua participação aqui no Bom Dia, Ministro. O programa que tem a realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Ministro, nós temos agora uma pergunta em vídeo que foi enviada pelo Ivaldo Moraes. Ele enviou pelo Twitter, ele é nosso seguidor no Twitter. Ivaldo é de Recife, Pernambuco. Vamos acompanhar a pergunta do Ivaldo.SR. IVALDO MORAES: Olá, sou Ivaldo Moraes, falo do Recife, Pernambuco. Ministro Henrique Alves, tudo bem? Eu gostaria de saber do senhor, ministro, quando teremos informações sobre pacotes de viagem e hospedagem para as Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016? Muito obrigado.MINISTRO HENRIQUE EDUARDO ALVES: Olha, Ivaldo Moraes, nosso Nordeste, nossa querida cidade do Recife, até eu estive lá há poucos dias atrás lançado em um patrocínio também do Ministério do Turismo, da rota 101. Nós [...] uma BR toda duplicada, e nós estamos lançando um pacote de incentivos para que o turista que vá à Alagoas, ele vá também... a Pernambuco que é tão próxima e pela duplicada é BR?101, ele vá também a Paraíba, vá também ao nosso Rio Grande do Norte, numa inteiração que nós temos que estimular esse turismo, interagindo cidades e regiões. E o que você pergunta de pacotes, essa é uma atribuição, um dever e uma obrigação da iniciativa privada, que já, lógico, começa a preparar os seus programas a oferecer ao turismo do Brasil e do mundo. Nós estamos ajudando, colaborando, dando toda a informação necessária, nos preparando para uma comunicação mais ampla ainda, para mostrar a todo o mundo e também ao Brasil inteiro o que nós temos a oferecer. Que muitas vezes a pessoa pega um turismo, aquele de eventos, de negócios, que são mais divulgados, mais festivos, mas nós temos [...], o turismo gastronômico, o religioso tem tudo para crescer, uma nação religiosa como no nosso país, então tudo isso vai ser um pacote a ser oferecido pelas agências um grande atrativo para que o mundo venha, nas Olimpíadas, sobretudo, nesse grande momento do país, ele possa conhecer as belezas naturais que nós temos, mas também a cultura, a gastronomia, tudo aquilo que vem fazendo do turismo um grande instrumento econômico e social desse país.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Nós agradecemos a participação de Ivaldo Moraes, e lembramos a você que nos acompanha, pela rádio ou pela TV, que você também pode enviar a sua pergunta aqui ao programa pelas redes sociais. O nosso endereço no Facebook é facebook.com/tvnbr. Se preferir, mande a sua pergunta pelo Twitter, é o twitter.com/tvnbr. Esse é programa Bom Dia, Ministro, que hoje recebe o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves. Ministro, agora nós vamos para o Rio de Janeiro. Vamos ouvir a pergunta de Marcelo José, da rádio Rio de Janeiro 1400 AM. Olá, Marcelo José, bom dia a você.REPÓRTER MARCELO JOSÉ (Rádio Rio de Janeiro 1400 AM/ Rio de Janeiro - RJ): Olá, Roberto, olá ministro, muito bom dia. Ministro as obras para as Olimpíadas aqui no Rio de Janeiro estão em pleno vapor, né, principalmente na Zona Oeste onde vão se concentrar as principais modalidades. É claro que isso é benéfico, né, para o turismo, principalmente na época das Olimpíadas. Mas essa aceleração nas obras e o desconforto que elas causam, principalmente na mobilidade das pessoas, podem prejudicar o aumento do número de turistas este ano ministro? MINISTRO HENRIQUE EDUARDO ALVES: Olha Marcelo, eu já tinha dito e repito aqui, eu estive no Rio na semana passada a convite do prefeito Eduardo Paes, para conhecer de perto todo o projeto olímpico, e não pode deixar de reconhecer que há, momentaneamente, essa dificuldade. Porque são muitas obras, como disse você, a Zona Oeste e todo o Rio de Janeiro, também, ali a Praça Mauá, toda aquela revitalização daqueles antigos armazéns, tudo isso está gerando momentaneamente um desconforto pela intensidade das obras que estão sendo realizadas. Mas é um benefício tão grande pós realização de Olimpíadas, será é um legado tão grande em tantas vertentes de obras que estão sendo realizadas, que logo logo o Rio vai verificar que valeu muito a pena. O Rio de Janeiro não é apenas a cidade mais brasileira do Brasil, que todos nós temos um pouco de Rio de Janeiro, porque ela abrange tantas qualidades, tanto sentimento que é muito própria do brasileiro, que nós queremos nacionalizar esse evento das Olimpíadas, torná?lo um evento nacional e, até mais, eu quero convidar os ministros de toda a América Latina para que eles venham também interagir conosco, para que o turista que venha do mundo inteiro, ele possa compartilhar também com a Argentina, com Chile, enfim, uma grande oportunidade de mostrarmos a nossa região o que nós temos a oferecer à Europa, à Ásia, ao Estados Unidos. Essa é interação ajudará muito esse intercâmbio de turistas internacionais em nosso país. E como o foco essa cidade maravilhosa, que é o Rio de Janeiro. E volto a destacar duas preocupações básicas, Segurança Pública, que tem que haver como houve na Copa do Mundo um cuidado muito especial, porque é o primeiro item na observação turística, quem vai escolher o seu destino é a questão da segurança, sobretudo com o noticiário que o mundo cobre todos os dias. E a questão da qualificação da mão de obra. Nós na Copa do Mundo, demos essa qualificação pelo Pronatec a mais de 100 mil brasileiros. Nós tivemos que ampliar e muito agora para as Olimpíadas, para que a pessoas que venha aqui se sinta bem atendida, carinhosamente atendida, de maneira ética também, atendida, então tudo isso comporta uma imagino imagem de conceito, de caráter de formação, já é natural do povo brasileiro.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado Marcelo José, da rádio Rio de Janeiro, pela participação aqui no programa Bom Dia, Ministro. E lembramos a você que o áudio dessa entrevista vai seu disponibilizado ainda hoje pela internet. O nosso site é www.servico.ebc.com.br. Ministro, agora nós vamos para Bahia, a rádio Educadora FM, de Salvador, capital baiana. É de lá que fala o Lise Lobo. Olá Lise, Bom dia.? REPÓRTER LISE LOBO (Rádio Educadora/Salvador - BA) Olá, Alberto[sic], Bom dia, olá seu ministro Henrique Eduardo. Olha só, eu tenho dados aqui da Associação Brasileira da Indústria de hotéis da Bahia, que desde o final do ano passado dez hotéis aqui em Salvador foram fechados. Muitos empresários da área vêm definindo aí o cenário atual da economia turística na Bahia como ruim. Qual a opinião do senhor, ministro, sobre esses números e de que forma o senhor acredita que essa situação pode ser resolvida, já que estamos falando aí de um estado, né, que tem no turismo uma das suas atividades principais? O senhor acredita que as Olimpíadas podem melhorar esse cenário?MINISTRO HENRIQUE EDUARDO ALVES: É verdade nós sabemos a dificuldades que Brasil está vivendo desde o final do ano passado, e muito agora em 2015, mas o governo toma a suas providências amargas eu sei, um ajuste fiscal que está sendo votado pelo Congresso Nacional, mas diante dessa crise eu acho que o turismo, volto ao dizer, que ele pode ser uma vertente de saída para gerar emprego e a renda. Nós que somos do Nordeste, nordestinos, nós sabemos a importância do turismo em toda aquela região e olhe que eu parlamentar, 44 anos de vida pública, onze mandatos, frequentando aquela Casa, diversas Comissões técnicas, vendo e ouvindo todo dia debates, sobre o diversos aspectos da economia brasileira, viajando o país inteiro como parlamentar e em Comissões, viajando estados, municípios, eu achei que atendia mais ou menos um pouco de cada coisa, mas quando fui ser ministro do turismo por três meses eu estou vendo agora a profundidade, a complexidade de turismo em relação ao Brasil do presente e ao Brasil do futuro. O turismo emprega três milhões e meio de pessoas de forma direta, o Brasil gera 7 bilhões de dólares, portanto, aplicação de recursos que chegam para o país através de turismo. E então, nós temos tudo para desenvolver e muito mais a parte de turismo, eu digo sempre e vou repetir aqui: Não há duas atividades no Brasil que tem qualquer município brasileiro, é o esporte e o turismo. A agricultura, zona rural a industrialização nos centros urbanos, sem a tecnologia nas áreas acadêmica das universidades. Agora o esporte tem em tudo que é lugar, é um campinho, terreno se joga futebol, se pratica o esporte. O turismo todo o canto desse país se pratica o turismo ou na sua cidade por trilhas, pela cultura, pela gastronomia, pelos eventos ou você querendo estar a cidade vizinha. Então o turismo está presente na vida de todas as pessoas e de todas as cidades do Brasil. Então, tem que ser nessa hora um grande instrumento para Brasil crescer, se desenvolver, ampliar a capacidade turística que temos a fazer e se Deus quiser eu posso convencer o governo de que o turismo tem que ser e tem que fazer parte da agenda política, econômica e social deste país. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Lise Lobo, você gostaria de fazer mais uma pergunta ao ministro Henrique Eduardo Alves?REPÓRTER LISE LOBO (Rádio Educadora/Salvador - BA): Sim, por favor, Roberto, Ministro, os baianos têm uma queixa também da falta de um consolado dos Estados Unidos aqui na Bahia, já que o lugar mais próximo que a gente tem para realizar procedimentos, como tirar o visto, seria em Recife, existe algum projeto para descentralizar, abrir algum consolado aqui, ou alguma forma para facilitar esse processo aos baianos? MINISTRO HENRIQUE EDUARDO ALVES: Olha Lise, não me chegou ainda esse pleito, esse linfoma direto de um consolado na Bahia, mas pela força da Bahia, pela presença de Bahia na história de Brasil, e o seu conhecimento e sua repercussão no mundo inteiro eu acho que é uma ideia que nós viríamos com muita alegria, com muito respeito, mas não chegou ainda esse pleito dessa envergadura e dessa importância. Mas estamos abertos a recebê?lo a encaminhar, porque sem sombra de dúvida a Bahia é uma grande bandeira do Brasil no mundo a fora.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado pela Lise Lobo pela participação aqui no programa Bom Dia, Ministro, que hoje recebe o ministro do turismo, Henrique Eduardo Alves e da Bahia nós vamos para o Amazonas, de lá fala conosco Patrick Mota da rádio Amazonas, alô Patrick, bom dia a você.REPÓRTER PATRICK MOTTA (Rádio Amazonas FM/Manaus - AM):Olá Roberto bom dia para você, para o ouvinte também e bom dia senhor ministro. Ministro, entendemos ser importante demais essa série de atitudes do governo para aquecer o turismo, principalmente visando as Olimpíadas 2016. Mas onde é que se enquadra, ministro, a Amazônia brasileira desse contexto tendo em vista que durante a copa de mundo aqui no Brasil, Manaus foi a cidade sede mais bem aliviada pelas turistas? MINISTRO HENRIQUE EDUARDO ALVES: Olha Patrick, eu quero dizer que é verdade, Manaus foi a cidade mais bem avaliada, Natal, minha cidade também, eu acho que em termos gerais a avaliação foi muito positiva na copa do mundo, todos que vieram saíram elogiando o Brasil a sua organização, a sua maneira de receber os turistas, eu acho que foi um tento que nós marcamos, apenas da dificuldade que conhecemos também que marcara a copa de mundo, só que agora em relação as olimpíadas nós temos muito mais a fazer, como disse, na copa do mundo foram 30 países, agora serão 205 países, mas em relação a Amazônia que é um grande patrimônio de humanidade e é privilégio nosso temos a Amazônia aqui no território brasileiro, nós estamos pretendendo propor ao Congresso Nacional a criação de áreas específicas de interesse turístico, o que é isso? São áreas que seriam delimitadas, planejadas, profissionalmente escolhidas onde nós teríamos uma legislação tributária e fiscal diferenciada uma simplificação de processo de licença ambiental, e investimentos, portanto, também de maneira diferenciada para atrair o investidor e lhe dar segurança jurídica, a Segurança Pública também de forma destinada a ter mais cuidado e mais observação em relação ao dia a dia dessas áreas, a exemplo de Cancun. Cancun pra você ter uma ideia, Patrick, é uma área que tem 22 quilômetros de praia, Cancun, há 40 anos não existiria Cancun, praticamente era uma área abandona, muito largada, hoje Cancun com o 22 quilômetros de praia preste atenção nesse dado, arrecadou pelo turismo 11 bilhões de dólares para o México no ano passado. O Brasil esse continente, que nós temos, arrecadando quilômetro o todo país 7 bilhões de dólares, olha o descompasso do que é produzido lá através do turismo em Cancun, 22 quilômetros de praia e o que se produz aqui em relação ao turismo 7 bilhões de dólares. Então, nós podemos ter aqui no Brasil muitos Cancuns, imensos Cancuns, qualificados Cancuns espalhados pelo país e a Amazônia, se nós conseguimos criar essas áreas especiais, sem sombra de dúvida, serão as primeiras por tudo que tem a oferecer a natureza, a qualificação, o Meio Ambiente, essa beleza natural e fantástica que vocês oferecem ao mundo inteiro. Então, essas áreas específicas de interesse turístico eu acho que seria?me grande ponto para que pudéssemos mostrar ao Brasil de maneira organizada, disciplinada, diferenciada, tudo que nós temos a fazer no turismo religioso, no turismo de trilhas, gastronômico, de eventos, de negócio, a Amazônia sem sombra de dúvida, seria uma das primeiras áreas especiais de interesse turístico a deflagrar-se no Brasil. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado Patrick Motta, da rádio Amazonas pela participação no programa Bom Dia, Ministro. Lembrando a você que a TV NBR reapresenta essa entrevista em horários alternativos da programação, se você preferir você pode também acessar ainda hoje pela internet esse programa, ele vai estar disponível no nosso canal no youtube, youtube.com/TVNBR, ministro, agora nós vamos ao seu estado natal, Rio Grande do Norte. Nós vamos conversar com o Jornalista Jota nobre, ele, inclusive está ao vivo com o seu programa, né? E ele vai então fazer a pergunta e o senhor vai conversar com ele também e com os ouvintes da rádio Difusora de Mossoró no Rio Grande do Norte, olá, Jota Nobre, bom dia para você.REPÓRTER JOTA NOBRE (Rádio Difusora/Mossoró - RN): Olá, bom dia, bom dia para o ministro, é verdade sim, estamos aqui ao vivo no programa Jota Nobre, do comando geral da rádio Difusora e falando em relação ao nosso estado, a nossa região, por exemplo, nós temos aqui o aeroporto de São Rosado que é um incremento ao turismo, porém, o aeroporto está sem voos há bastante tempo. A possibilidade também da construção de uma ponte envolvendo Grossos Areia Branca, iria realmente encurtar a distância justamente num polo em o que ministro conhece muito, o Polo Costa Branca, essa ponte daria, realmente, um incremento muito grande no turismo. Temos também o teleférico de Martins, podemos falar do... que entrou no calendário nacional, mas eu pergunto ao ministro em relação ao nosso estado, o que está se planejando, e dentro do que eu coloquei agora, do que nós colocamos o que realmente está em pauta ministro? Bom dia.MINISTRO HENRIQUE EDUARDO ALVES: Bom dia, prazer em falar a você, a rádio Difusora de Mossoró, a todos os mossoroenses, todos os norte rio-grandenses, muita alegria estar compartilhando com vocês desse momento e você abordou aspecto importante de Mossoró e da região oeste, a questão de aeroporto, inclusive, desde o ano passado, quando o ministro da aviação civil era Moreira Franco, quando o governo catalogou mais de 200 aeroportos regionais a serem construídos no espaço de dois, três anos nós lutamos para a incluir Mossoró e incluímos Mossoró a incluímos, entre esses aeroportos regionais a serem construídos. Pela importância, Roberto, Mossoró é uma das cidades interioranas no país das mais importantes pelo aspecto de Petróleo, do sal, de fruticultura, tem tudo para ser um polo regional dos mais importante do país, mas lhe falta a infraestrutura básica como a questão do aeroporto, por exemplo, que nós queremos nesse projeto do Governo Federal que agora mais encurtado na sua urgência em razão da crise econômica financeira, mas está na pauta, elencado a construção desse aeroporto e me parece que uma reforma no atual estaria sendo providenciada. Então que se faça a reforma agora enquanto nós estamos buscando o recurso para esse aeroporto novo ser construído porque não pode ser onde se localizada hoje o Rosado pela questão de sua interação com a cidade, já não comporta mais para o aeroporto que queremos, ser dentro da cidade como é o hoje o aeroporto de Mossoró, você abordou a questão da ponte, ligando Areia Branca a Grossos, é um projeto que está sendo finalizado do ponto de vista técnico, é uma obra importante, de vulto que exige, portanto, recursos bastante quantificados, digamos assim, mas é um projeto que realmente em relação a Costa Branca seria um ponto fundamental para nosso desenvolvimento e é um das obras que está no radar, portanto, de todos nós, do Governo do Estado e aqui também do Governo Federal. E é uma das esperanças que nós temos, conseguir ao longo do tempo viabilizar esse projeto. E em relação, para finalizar, o turismo no Rio Grande do Norte, nós queremos fazer nas próximas semanas, eu vou organizar, encontros regionais, Jota Nobre, para que a gente possa fazer um projeto turístico do Rio Grande do Norte, buscar vocações das nossas regiões, volto a dizer, no religioso, cultural, no gastronômico, no evento, no negócio, para que a gente possa ter um quadro mais definido de um projeto turístico de nosso estado, as nossas potencialidades e não apenas o Rio Grande do Norte, mas em vários estados do Brasil nós queremos provocar que cada estado é apresente o seu projeto turístico e que possa por etapas ir atendendo e realizando, um grande abraço a você, mossoroenses APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Obrigado Jota Nobre da rádio Difusora de Mossoró, e do Rio Grande do Norte nós vamos a São Paulo, ministro, com a pergunta de Pedro Campos da Rádio Bandeirantes. Bom dia Pedro.REPÓRTER PEDRO CAMPOS (Rádio Bandeirantes/São Paulo - SP): Bom dia a todos, bom dia ministro. Ministro, a gente, queria primeiro abordar com o senhor essa questão do pan-americano, o Brasil tem atletas em destaque, conseguindo chegar aí a terceira colocação no quadro de medalhas, esse movimento dos atletas causa algum tipo de preocupação, algum tipo de ânimo maior no governo para a olimpíada do ano que vem? Eu queria que o senhor falasse um pouco sobre essa expectativa, porque os brasileiros estão em destaque aí, é claro que haverá uma grande procura das pessoas para acompanhar essas competições, mas com esses destaques dos brasileiros, o movimento aqui dentro do Brasil também deve crescer além daquele que vem de fora do país?MINISTRO HENRIQUE EDUARDO ALVES: Olha, eu acho o que Brasil está tendo uma posição exitosa agora no pan-americano, se destacando, portanto, em várias modalidades diferentes e até surpreendentes, isso é bom sinal, uma boa sinalização do que poderemos fazer nas Olimpíadas, onde o Brasil nunca conseguiu alcançar posição de destaque, mas vale a pena esse exemplo para mostrar perseverança, como devemos estimular através de patrocínio, de presença, o esporte do Brasil em toda sua qualificação e diversidade. Eu acho que o pan-americano é um grande estímulo ao que poderemos fazer se continuarmos cuidando bem de todas suas modalidades para termos um grande desempenho nas olimpíadas.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado Pedro Campos da Rádio Bandeirantes em São Paulo pela sua participação, e com essa emissora nós encerramos a edição de hoje, agradecendo a todos que participaram, e lembramos que o áudio dessa entrevista vai ser disponibilizado ainda hoje na internet, anote aí o endereço, www.servicos.EBC.com.br, a TV NBR reapresenta a entrevista em horários alternativos da programação e você vê a opção de acompanhar o programa pela internet, ainda hoje vamos disponibilizar esse programa em nosso canal do youtube, basta acessar youtube.com/TVNBR. Ministro Henrique Eduardo Alves, muito obrigado pela participação aqui no programa. MINISTRO HENRIQUE EDUARDO ALVES: Muito obrigado Roberto, a nossa finalidade e missão maior, eu volto a dizer aqui, é colocar o turismo na agenda econômica, política e social desse país, não pode o turismo com essa amplitude toda, com essa imensa complexidade e capilaridade, ter na contrapartida o orçamento, uma participação tão de minuta, nós temos que virar esse jogo e mostrar o Brasil e ao mundo, o Brasil turístico, generoso, de intensa capacidade de atrair pessoas, a conhecer melhor o Brasil que nós somos. Muito obrigado ao telespectador pelo seu respeito, pela sua atenção e pelo seu carinho.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Nós agradecemos então aos telespectadores e aos ouvintes também que estiveram conosco, a vocês que nos seguem nas redes sociais, e até o próximo programa Bom Dia, Ministro.