22/10/2015 - No Bom Dia Ministro, George Hilton falou sobre a 1ª edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas

O Bom Dia Ministro dessa quinta-feira (22) recebeu o ministro do Esporte, George Hilton. O Ministro falou sobre a 1a edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que acontece de 23 a 31 de outubro em Palmas (TO). A entrevista é produzida e coordenada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República e transmitida ao vivo, das 9h às 9h30 (horário de Brasília), pela TV NBR e via satélite de rádio para todo o país (pelo mesmo canal de A Voz do Brasil).

audio/mpeg 22-10-15-bom-dia-ministro-george-hilton-esporte.mp3 — 29633 KB




Transcrição

APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Olá, amigos de todo o Brasil. Começa agora mais uma edição do bom dia ministro, programa que tem a realização com a Secretaria de Comunicação Social Presidência da República. Eu sou Roberto Camargo e recebo hoje aqui no estúdio o ministro do Esporte, George. Bom dia, ministro. Seja bem-vindo ao programa mais uma vez.MINISTRO GEORGE HILTON: Obrigado.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: E na pauta desta edição a primeira edição dos jogos mundiais dos povos indígenas que SERÃO realizados entre 23 e 31 de outubro. Na cidade de Palmas, Tocantins. O ministro vai falar com radialistas de todo o país neste programa que ao ar via satélite pelo mesmo canal de a Voz do Brasil e que também é transmitido ao vivo pela TV NBR. Você pode participar do nosso programa enviando a sua pergunta pelas redes sociais, anote aí os nossos endereços: facebook.com/tvnbr ou se preferir, twitter.com/tvnbr. E ministro, já está na linha aqui para falar com a gente, o Marcelo Cavalcante da rádio 105 FM do Rio de Janeiro. Olá, Marcelo, bom dia a você.REPÓRTER MARCELO CAVALCANTI (Rádio 105 FM/Rio de Janeiro - RJ): Bom dia, bom dia ministro. George Hilton. Os Jogos Olímpicos de verão sempre deixar legado para a cidade e esses jogos mundiais indígenas vai deixar algum legado para esses povos, já que teremos a oca da sabedoria, teremos fórum para discutir questões ligadas aos povos indígenas, qual o profissional ligados que o senhor acha que esses jogos Mundiais Indígenas vão deixar para os povos indígenas depois dessa competição?MINISTRO GEORGE HILTON Obrigado Marcelo pela pergunta. É interessante, nós temos dois legados aí que ficarão de forma muito especial para o povo de Tocantins, na cidade de Palmas, obra de infraestrutura, de mobilidade urbana que foram preparadas para receber esse evento. E com relação às comunidades indígenas é um momento, eu diria, impar, nós estamos num período em que o Brasil sedia grandes eventos mundiais do esporte. Nós tivemos a copa das confederações, Copa do Mundo, tivemos jogos mundial militares que reuniram aqui militares de vários países e teremos Jogos Olímpicos no próximo ano, então esse ano será um divisor de águas porque a gente entendeu que nesse ciclo virtuoso de eventos nós teríamos que prestigiar as comunidades indígenas, então haverá durante esses dias em Tocantins, lá em Palmas, uma discussão que vai envolver não somente questões de interesse da comunidade indígena, mas levantar alguns temas de reivindicações que vem sendo feitas não só por índios brasileiros, mas como também por etnias do mundo inteiro. Basta lembrar que esse evento está sendo organizado pelo Ministério do Esporte com o apoio do Pnud, que é o órgão da ONU que trata de forma muito clara também as questões e as reivindicações indígenas no mundo todo, o Brasil, portanto, será um fórum permanente para discussão da temática que envolve a comunidade indígena.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Marcelo, mais alguma pergunta ao ministro George Hilton?REPÓRTER MARCELO CAVALCANTI (Rádio 105 FM/Rio de Janeiro - RJ): Tenho mais uma pergunta sim. Ministro, teremos povos indígenas de várias etnias, vários hábitos e costumes diferentes, como é que vai ser para organizar toda essa diferença cultural que existe entre os povos indígenas no Brasil durante uma competição, durante esses dias de competição dos jogos mundiais indígenas?MINISTRO GEORGE HILTON: Essa pergunta é interessante, porque o Brasil não é a primeira, embora é a primeira edição de um evento mundial que vai envolver etnias do mundo inteiro, mas o Brasil já tem expertise em fazer esses eventos, foram seis eventos nacionais que foram realizados pelo ITC que é o Comitê Intertribal, memórias e ciência indígena, que é muito bem organizado pelos irmãos Terenas. A ideia com esses países que vão vir aqui e para isso a gente colocou um estrutura que vai permitir não só a integração dessas várias etnias, a troca de informações, mas nós vamos ter a oportunidade de aprender com as comunidades indígenas de outros países e levar também a nossa experiência, já o que Brasil tem uma atividade muito intensa no campo indígena, então eu vejo como um grande passo e a ideia é que a gente crie a partir desses jogos mundiais aqui no Brasil, uma espécie de FIFA dos jogos indígenas, aqui será sede, será uma sede mundial e nós iremos ter a cada três ou quatro anos esse evento em outros países também, é, portanto, o começo de, eu diria, de ações que vão envolver os índios no que diz à prática esportiva e outras conquistas também.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito bem, Marcelo, da rádio 105 FM do Rio de Janeiro, pela participação aqui no programa. Do Rio, ministro, nós vamos para Amazonas, a rádio Amazonas FM, é de lá que fala Patrick Motta. Olá, Patrick, bom dia a você.REPÓRTER PATRICK MOTTA (Rádio Amazonas FM/Manaus - AM): Bom dia, Roberto, senhoras e senhores ouvintes, e bom dia, ministro George Hilton. Ministro, a gente vive numa região onde temos o orgulho de afirmar para todo o Brasil que temos a maior população indígena do nosso país. Enquanto muito países dizimaram suas populações indígenas, o Estados Unidos é um deles, acabaram com os índios lá, fizeram até filme no passado com o brancos destruindo os índios, aqui não, aqui a gente preserva ao máximo esses brasileiros, índios brasileiros, e a gente sabe que esses mesmos índios brasileiros eles participam de muitas competições em suas aldeias, alguns levantando tocos, pedaços muitos fortes, pedaços pesados de tronco de árvore, outros fazem competição de arco e flecha e aí o senhor nos dá essa oportunidade para perguntar ao senhor, além dessa importante edição dos jogos mundiais dos povos indígenas, eu pergunto, o senhor acredita que os nossos índios tem capacidade de participar de uma Olimpíada que muitos devem participar?MINISTRO GEORGE HILTON: Com certeza. Eu vejo como uma grande evolução o que já era uma prática muito cultural entre eles, agora caminha para ter um suporte muito mais profissional. Basta dizer que nós estamos a cada ano investindo muito e isso faz parte até de um projeto estratégico. Nós percebemos que a experiência do esporte com outras pessoas, com outros grupos como é o caso dos militares, foi muito importante nos último anos, com resultados significativos, os militares ficaram agora em segundo lugar lá na Coreia, a ideia nossa é que também as comunidades indígenas tenham não só nesse esporte profissional, no esporte de rendimento, mas a ideia nossa é levar também a formação esportiva para todas as aldeias e para isso será feito um trabalho muito interessante com a FUNAI, como também objetivando a saúde dos povos indígenas, levando essas criança naturalmente a terem acesso à prática esportiva como a forma de prevenção também. Eu tenho certeza que vocês vão poder acompanhar agora esses dias lá em Palmas como nós temos muitos índios que são craques na bola, são craques, como você disse, na corrida de tora, no futebol de cabeça, na natação, ou seja, nós iremos ter certamente aí nas futuras Olimpíadas muitos desses índios competindo de igual para igual e trazendo muitas medalhas também.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Patrick Motta, mais uma alguma pergunta ao ministro George Hilton?REPÓRTER PATRICK MOTTA (Rádio Amazonas FM/Manaus - AM): Mais um questionamento. O ministro falou de que os índios são bons de bola também, né, ministro e a gente aproveita e pergunta, há algum projeto do Ministério do Esporte voltado para campeonato, usando a população indígena que existe no Brasil, ministro?MINISTRO GEORGE HILTON: Sim, nós temos sim, nós já temos isso em alguns estados, na Bahia, por exemplo, a gente faz muito um trabalho desse e a sua região é uma região eu diria, que terá um protagonismo muito importante a partir desses jogos que acontecerão no Tocantins. Penso que uma das ações que teremos que implantar, já que temos uma secretaria nacional de futebol, é os campeonatos regionais envolvendo todas essas etnias. Acho que é um momento importante para a gente inclusive ter isso como um calendário dentro do Ministério do Esporte, já que fazemos isso, como eu disse, com outros grupos também.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado Patrick Motta pela participação aqui no programa Bom Dia Ministro, que hoje recebe o ministro do Esporte George Hilton. E agora, ministro, nada mais justo de falaram com as pessoas que vão estar mais diretamente envolvidas com a realizações dos jogos, o pessoal do Tocantins, nós vamos conversar com Marciley Dias, da rádio 96,1 FM. Bom dia, Marciley.REPÓRTER MARCILEY DIAS (Rádio 96,1 FM/Palmas - TO): Bom dia, Roberto. Bom dia o ministro, bom dia todos os ouvintes. Então, ministro, daqui da parte de Palmas onde nós sediamos aqui os jogos mundiais dos povos indígenas, estamos orgulhosos, felizes de termos sido os escolhidos para sediar os jogos mundiais, o Brasil vive, é um momento histórico que também um importante para nós do Tocantins, para nós tocantinenses, um estado povoado por diversas etnias, com a realização dos jogos mundiais dos povos indígenas que está reunindo povos do mundo todo num evento esportivo. Qual a importância deste evento para o cenário de grandes eventos no país, já que ele é considerado o segundo maior depois da copa e antes das Olimpíadas de 2016?MINISTRO GEORGE HILTON: É um ciclo muito virtuoso, eu diria, do esporte no Brasil. Nós já vemos aí há dez anos sediando, desde 2007, já estamos sediando grandes eventos mundiais, e acho que trazer as comunidades indígenas para participar desse ciclo é um reconhecimento do governo brasileiro de que as comunidades indígenas têm muito mais a contribuir conosco do que nós para com eles. E durante esse dias não só teremos a prática esportiva entre eles, nós iremos discutir sobre as necessidade que se tem de dar a todas essas comunidades mais condições de saúde, de educação, haverá fórum técnicos que vão debater sobre a questão das demarcações de terras, já que é uma proposta hoje no congresso que visa fazer algumas alterações nessas questões, nós estamos criando a oca digital, esses dias todos os participantes, todos os atletas vão poder fazer, utilizar de toda a tecnologia, da informática, vão poder aprender. A ideia é integrar a comunidade indígena a partir de agora em todos esses grandes eventos do esporte e é claro, o Brasil sediara, será sede, portanto, de uma entidade de que vai responder pelo desporto indígena, já podemos ter essa expressão, no mundo. Teremos, portanto, agora de maneira perene, uma espécie de Copa do Mundo das comunidades indígenas e o Brasil será, portanto, a sede dessa organização que vai dentre outros temas, sempre discutir aspectos fundamentais para que a gente possa atender de forma digna todas esses etnias no mundo inteiro.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Marciley, o que vai mais você gostaria de perguntar ao ministro George Hilton?REPÓRTER MARCILEY DIAS (Rádio 96,1 FM/Palmas - TO): Olha só, Roberto, ministro George Hilton, a gente sabe que os povos indígenas do Brasil tem uma história importante no cenário brasileiro e esse grande evento marca aí também o incentivo na preservação e promoção cultural do país, mas eu gostaria de saber também como foi citado anteriormente, no Rio de Janeiro, é possível desses jogos mundiais dos povos indígenas, descobrir novos talentos aí e claro dentro de suas provas, suas particularidades das provas em comum, nos outros eventos desportivos do Brasil, ficar aí algum atleta apto, ou seja, descobrir talentos aí para participar de outros eventos grandes eventos esportivos do país.MINISTRO GEORGE HILTON: Não tenha dúvida, essa edição mundial vai revelar aí muitos talentos, e como é uma política nossa, do Ministério do Esporte em apoiar e estimular que haja formação de novos atletas, para nós o fato de ser a comunidade indígena não muda o nosso entusiasmo, acho que até que aumenta, porque imagine você se a cada ano a gente começar a revelar aí nas aldeias, nas comunidades indígenas muitos atletas que servirão de inspiradores para as futuras gerações indígenas. É importante utilizar o esporte como um grande indutor de desenvolvimento social, econômico, de inclusão social. Você vê, há hoje uma expectativa em Tocantins, aí em Palmas de que se vai utilizar esse evento para disseminar as culturas indígenas brasileiras, mostrar o nosso artesanato, mostrar a nossa culinária indígena, mostrar os costumes, tudo isso para mim é algo até maior do que um evento esportivo, é um grande avanço na valorização dessa cultura que é milenar e que todos nós brasileiros herdamos muitos dessa cultura. Nós somos gratos por todas as comunidades indígenas por tudo que nos ofereceram durante todos esses anos e agora é a hora de nós devolver para eles realmente o que há de mais moderno em competições, em acesso à saúde, educação, à informática, portanto, eu vejo aí um grande casamento e uma demonstração clara do Governo Federal de que é o momento da gente apoiar mais e mais todas as comunidades indígenas.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado, Marciley Dias, pela participação aqui no nosso programa Bom Dia Ministro. E nós temos a participação do público também pelas redes sociais, ministro e neste momento nós vamos ouvir uma pergunta enviada em vídeo pelo Marcos Vinícius Nascimento, daqui de Brasília mesmo, ele enviou a pergunto ao senhor pelo Whatsapp. Vamos acompanhar.SR. MARCOS VINICIUS NASCIMENTO: Bom dia, ministro. Além das competições dos Jogos Mundiais Indígenas, haverá outras atividades para ver ou participar durante o evento em Tocantins?MINISTRO GEORGE HILTON: Sim, sim, exatamente. Nós vamos ter uma feira de artesanato, mostrando toda a riqueza do artesanato indígena, nós vamos estabelecer um feira de agricultura familiar indígena, a presidenta Dilma inclusive visitará essa feira, ela estará nesta sexta-feira, portanto, em Palmas, e nós vamos ter a oportunidade de mostrar muito disso, dessa riqueza que vem dos povos indígenas, agricultura familiar, que é praticada entre eles, uma feira de artesanato, nós vamos disseminar também outras experiências importantes, como eu disse anteriormente, que os povos indígenas trazem para todos nós, não só as nossas etnias brasileiras que são em torno de 22 que estarão presentes, mas outras de várias partes do mundo que já estão, inclusive, em Palmas, não é, muitos deles chegaram até mesmo no início da semana para fazer a climatização, todos nós sabemos que a temperatura em Palmas, ela realmente é muito quente, e já há um clima de festa, nós temos agora vários técnicos do Ministério do Esporte lá, nos transmitindo as informações e mostrando que há um 'congressamento' entre eles, né, a união de vários países, me parece que foi uma coisa acertada nesse momento em que a ONU discute cada vez mais a necessidade da gente valorizar e dar muito mais dignidade às comunidades indígenas.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Nós agradecemos ao Marcos Vinícius Nascimento, que enviou a pergunta ao Ministro, e você também pode participar neste programa pelas redes sociais, basta enviar a sua pergunta pelo Facebook, por exemplo, no endereço fabebook.com/tvnbr, e tem também a alternativa do twitter.com/tvnbr, estamos aguardando aí a participação do público. E agora, Ministro, vamos conversar com a Rádio Comunitária Alternativa, de Várzea Grande no Mato Grosso. Quem faz a pergunta é Elisângela Nepomuceno. Olá, Elisângela, bom dia.REPÓRTER ELISÂNGELA NEPOMUCENO (Rádio Comunitária Alternativa FM/Várzea Grande - MT): Bom dia, Roberto. Bom dia, Ministro. Eu vou aproveitar já para fazer duas perguntas aí para o Ministro. Ministro, quantas edições dos Jogos Indígenas já foram realizadas no Brasil e quais os critérios para escolha das etnias que vão participar dos Jogos?MINISTRO GEORGE HILTON: É uma pergunta interessante. De um evento mundial é a primeira edição, mas o Brasil já sediou eventos nacionais, foram seis edições que nós já tivemos, uma em Goiânia, outra em Guairá, outra em Marabá, Campo Grande, aliás, foram mais, foram uma, duas, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove, dez, onze, doze eventos já nacionais. O último foi em Cuiabá, no Mato Grosso, e a ideia nossa é a cada ano a gente visitar um estado brasileiro, ampliar. Embora os critérios não são os mesmos de uma Olimpíada, de um Pan-americano, como é o Comitê Intertribal que faz essa escolha das cidades, eles levam em conta aspectos como os biomas nacionais. Então, por exemplo, um ano vai ser na caatinga, aonde você tem a caatinga, o serrado, mata atlântica, a escolha de Palmas, leva muito em relação à questão do pantanal brasileiro, a proximidade de Palmas com todas essas regiões do Norte foi, portanto, o critério que o ITC escolheu e nós respeitamos, por entender que quanto mais a gente descentralizar esses eventos no país, a gente vai poder conhecer também etnias de todo o estado brasileiro, vamos poder aproximá-los, eu acho que é um momento, é fórum até, inclusive, de fazer com que a gente tenha aí no ITC um grande elo de todas essas etnias, algumas inclusive se recusaram a participar porque entendem que há outras demandas que não foram atendidas, mas até nisso os Jogos Mundial Indígenas tem importância e os jogos nacionais terão, porque ele vai aproveitar o esporte para ser o momento de discussão de todas as temáticas que envolvem os índios.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado, Elisângela Nepomuceno, da Rádio Comunitária Alternativa, de Várzea Grande, pela participação aqui no programa. E do Mato Grosso, Ministro, nós vamos para Minas Gerais. Nós vamos conversar com o Alexandre Silva da Rádio Inconfidência AM de Belo Horizonte. Bom dia, Alexandre.REPÓRTER ALEXANDRE SILVA (Rádio Inconfidência AM/Belo Horizonte - MG): Bom dia, Roberto. Bom dia, Ministro, o pessoal de Palmas, né, já falava da importância da cidade receber esses jogos e eu gostaria de saber do Ministro, né, a gente terá os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, qual a importante de Palmas, né, uma cidade do interior do Brasil, uma capital, de Tocantins, receber um evento desse porte, os Jogos Mundiais Indígenas, qual você acha, Ministro, que será o impacto na economia de Palmas, qual será a importância de receber esses jogos para a capital do Tocantins.MINISTRO GEORGE HILTON: Interessante essa pergunta, porque desde que assumi o ministério, eu tenho conversado muito com a Presidenta Dilma e com os Ministros, porque um evento desse é um evento que envolve vários ministérios, tem toda uma equipe interministerial trabalhando na organização desses eventos. É descentralizá-los, ou seja, não ficar apenas no eixo Rio- São Paulo, que tem hoje uma infraestrutura muito boa para organizar esses eventos. A ideia nossa, por exemplo, Palmas, no Tocantins, vai ter a grande oportunidade de demonstrar com os jogos mundiais dos povos indígenas, que tem condição de sediar eventos nacionais, internacionais, sul-americanos, pan-americanos, ou seja, o legado que ficará em Palmas vai ser um laboratório para nós. E aí ideia é levar esses eventos também para o nordeste, para o extremo sul do país, mostrar que o Brasil tem condições e já provou isso, de organizar eventos de porte mundial, e eu fico feliz, porque Palmas é uma cidade linda, ela está muito bem urbanizada, tem uma infraestrutura urbana muito boa, a população ganha com isso, vai ganhar o turismo, os hotéis estão todos lotados, não há um leito disponível hoje, se alguém quiser não tem, nós tivemos uma informação ontem que as passagens foram todas esgotadas também, já não há mais assento. O que demonstra, de forma muito clara, que esse Brasil é muito rico e explorar essas belezas é uma grande oportunidade de fomentar o turismo, de fomentar a economia local, de fazer com que todo trade do turismo seja beneficiado. Eu acho que ações como essa e deverão se implementar em outras regiões do Brasil, vai mostrar um país belo, um país que está pronto para sediar grandes eventos e, mais importante, mostrar o que a gente tem de melhor que é o carinho, que é a alegria do povo brasileiro.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado, Alexandre Silva, da Rádio Inconfidência AM de Belo Horizonte pela sua participação aqui no programa. Programa que vai estar disponível em áudio ainda hoje, você pode acessá-lo pelo nosso site, anote aí o endereço: ebc.servicos.com.br, repetindo www.ebc.servicos.com. Br. Ministro, agora nós vamos até São Paulo, na verdade vamos conversar, né, com a Rádio Bandeirantes de São Paulo, quem vai fazer a pergunta ao senhor é o Yuri Cavalieri. Olá, Yuri, Bom dia.REPÓRTER YURI CAVALIERI (Rádio Bandeirantes/São Paulo - SP): Olá, bom dia. Bom dia, Ministro.MINISTRO GEORGE HILTON: Bom dia, Yuri.REPÓRTER YURI CAVALIERI (Rádio Bandeirantes/São Paulo - SP): Ministro, de que forma o senhor está enfrentando as restrições no orçamento, programas importantes do Ministério do Esporte foram ou serão atingidos?MINISTRO GEORGE HILTON: Olha, nós tivemos que fazer um esforço enorme para não comprometer o que já estava sendo executado, e nós estamos cumprindo à risca com os programas que já existiam. Houve uma inibição, naturalmente, de que a gente pudesse ampliar esses programas em função desse contingenciamento, o mais importante é que, por exemplo, todo o planejamento para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos foi mantido, mantivemos também todas as ações que diz respeito ao Bolsa Atleta, que é um programa fundamental para nós, do Ministério do Esporte, para a preparação dos atletas, para que eles tenham todas as condições de chegarem a esses eventos esportivos e terem uma boa performance. Teremos esse ano o lançamento da Vila do Esporte, que ficará para o próximo ano como um grande legado para o interior do Brasil. É uma vila pequena, você vai ter uma quadra pequena, um campo de futebol society, uma academia ao ar livre e a ideia nossa é interiorizar o país com a entrega desses equipamentos. Vai ficar para o próximo ano, em função do aperto, mas o Ministério foi, de certa forma, preservado em função desse grande momento que a gente tem de preparação dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Yuri Cavalieri, mais alguma pergunta você gostaria de fazer ao Ministro George Hilton?REPÓRTER YURI CAVALIERI (Rádio Bandeirantes/São Paulo - SP): Sim. Ministro, como o senhor está vendo a movimentação de clubes importantes do Brasil para a criação de uma liga, a Sul-Minas?MINISTRO GEORGE HILTON: Eu acho importante, e defendi isso já quando cheguei no Ministério, da necessidade de a gente ter um liga nacional. A liga Sul-americana não é ainda o que a gente pensa e defende, a gente quer uma liga nacional, mas é um passo importante, eu sempre disse que a CBF tem valor importante para a Seleção Brasileira, para a seleção de base, os países devolvidos já é assim, a Confederação Nacional, ela cuida apenas da seleção do local e são as ligas que organizam os campeonatos. Isso dá mais protagonismo, isso faz com que os clubes se interessem mais, se empenhem mais na realização de cada campeonato, portanto, tenho defendido e sou favorável sim que a gente tenha uma liga nacional. E com relação à Sul-minas, tenho conversado com as pessoas que estão organizando isso e acredito que a expectativa é de que ela avance realmente.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado, Yuri Cavalieri, da Rádio Bandeirantes de São Paulo pela participação aqui no programa Bom Dia, Ministro, que é uma realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. E agora vamos para Belém do Pará, Ministro, nós vamos conversar com Antônio Carlos da rádio Belém FM. Bom dia, Antônio Carlos.REPÓRTER ANTÔNIO CARLOS (Rádio Belém FM/Belém - PA): Bom dia a todos, bom dia, Ministro. MINISTRO GEORGE HILTON: Bom dia Antônio.REPÓRTER ANTÔNIO CARLOS (Rádio Belém FM/Belém - PA): Rádio Belém FM, Antônio Carlos falando, sobre a situação da participação dos índios daqui da região Norte aqui no Pará, você tem, Ministro, quantas etnias e quantos tribos ou então relação de participação de índios aqui do Pará nesse campeonato, nesse mundial?MINISTRO GEORGE HILTON: Olha, eu tenho uma lista aqui de mais de... são 18 etnias brasileiras que estarão presentes, já estão presentes em Palmas, e não saberia te dizer exatamente quais essas etnias que estão ligados ao estado de Belém, mas eu acredito sim que várias etnias aí da região estarão presentes, posso citar, por exemplo, os índios Assurini, Bororo, os Guaraní-Kaiowá, Kaiapó, Carajá, Canela, Kaingang, Kamayurá, os Paresi, Xerente, Xavantes, Wai Wai, Terena, Tapirapé, Pataxó, ou seja, as principais etnias hoje do Brasil, todas elas, na sua quase totalidade, algumas que não foram, estarão em Palmas e certamente que o meu querido estado de Pará será, portanto, prestigiado com essas riquezas culturais que virão e que vão nos ofertar certamente durante esses dias lá em Palmas.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado, Antônio Carlos, da Rádio Belém pela participação aqui no programa. E do Pará, Ministro, nós vamos para a Bahia. Nós vamos conversar com o Armando Mariani da Rádio Sociedade de Salvador. Olá, Armando, bom dia a você. Perdemos o contato com o Armando, então eu vou lhe fazer uma pergunta, Ministro, em relação à Vila dos Jogos. É, na verdade, uma estrutura, um complexo esportivo que foi adaptado para as necessidades desses Jogos Mundiais dos Povos Indígenas?MINISTRO GEORGE HILTON: Com certeza. Nós temos já há um bom tempo feito um trabalho em parceria com a prefeitura de Palmas, prefeito Amastha, com os irmãos Terena, acho que eles são do Comitê Intertribal, e toda... aspectos importantes foram levados em conta na formulação da arena, e nós iremos inaugurá-la, portanto, amanhã com a presença do Presidenta Dilma e será aí uma semana de atividades intensas, algumas já iniciaram, já tivemos algumas partidas de futebol, desde terça-feira, quando houve o início do evento, mas que vai ter abertura oficial amanhã, com a Presidenta Dilma. Nós, portanto, tivemos oportunidade de preparar essa vila, dentro das especificidades. Você sabe que existem algumas modalidades esportivas indígenas, que não são, elas não são praticadas nos eventos, em outros eventos esportivos, então até nisso aí a gente teve que levar em conta que a vila precisava ser adaptada para alguns esportes, que não terá competição, será apenas para exibição. Então, você vai ter índios americanos, russos, canadenses, e alguns deles irão trazer algumas modalidades que a gente nem conhece, então não será nem disputa, será, na verdade, uma grande exibição. E aí eu digo, que o mais importante nesse evento não é a disputa entre os índios, mas a celebração que é o ponto chave desses dias que teremos lá em Palmas.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: E tudo mais que os jogos vão propiciar, como o senhor lembrou aqui no programa, né, essa integração, esse despertar para outras questões que dizem respeito aos povos indígenas.MINISTRO GEORGE HILTON: Sem dúvida. Nós teremos várias programações, nós vamos ter várias, vários fóruns de discussão, que vai envolver, por exemplo, como eu disse, a questão ligada a agricultura familiar que eles têm, que é um programa do Governo Federal espetacular, sabemos que o índio têm essa familiaridade com a terra e apoiar, incentivar a agricultura familiar entre eles é também um grande indutor para desenvolver de maneira econômica essas regiões.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito bom, Ministro. E com isso nós encerramos o programa de hoje, agradecendo a todos que participaram, os nossos companheiros das emissoras e também o público que, os telespectadores, os ouvintes que enviaram perguntas aqui pelas redes sociais. E nós lembramos que o áudio dessa entrevista vai estar disponível ainda hoje na internet, basta acessar www.servicos.ebr.com.br. E a TV NBR reapresenta o Bom Dia, Ministro em horários alternativos durante a programação. Você pode ainda rever este programa pelo nosso canal no YouTube, youtube.com/tv nbr. E as perguntas que foram enviadas para o programa e que não puderam ser respondidas vão ser encaminhadas para a assessoria de comunicação do Ministério do Esporte. Ministro George Hilton, muito obrigado pela participação aqui no programa.MINISTRO GEORGE HILTON: Eu que agradeço e sempre à disposição. Estamos muito felizes, porque o Brasil vive aí um ciclo maravilhoso de apoio ao esporte, me sinto um privilegiado de poder estar, principalmente, na abertura desse evento indígena que teremos em Palmas, mas já preparando também o país para o próximo ano, lá no Rio de Janeiro, com os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, o maior evento esportivo do mundo e pela primeira vez na América do Sul, portanto, agradeço muito e me coloco à disposição aqui todas as vezes que for necessário.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Obrigado, Ministro. E obrigado a você que nos acompanhou em mais uma edição do bom Dia, Ministro. Até o próximo.