24/04/2014 - Ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto fala sobre a segunda fase do PAC

O Bom dia, Ministro, que foi ao ar na quinta-feira, dia 24, entrevistou o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto. No programa, o ministro fala sobre a segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento que vai levar 18 mil máquinas e veículos para municípios brasileiros com até 50 mil habitantes ou em situação de emergência.

audio/mpeg 24-04-14-bom-dia-ministro-miguel-rosseto-desenvolvimento-agrario.mp3 — 55650 KB




Transcrição

APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Olá, amigos em todo o Brasil, eu sou Katia Sartório e começa agora mais uma edição do programa Bom Dia, Ministro. O programa que tem a coordenação e a produção da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, em parceria com a EBC Serviços. Hoje, aqui com a gente, no estúdio do Bom Dia, Ministro, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto. Bom dia, Ministro, seja bem-vindo.MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Bom dia, Katia, é um prazer estar aqui conversando contigo, e todos aqueles que nos acompanham nesta rede, essa enorme rede de comunicação. APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Na pauta do programa de hoje a segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento, que vai levar 18 milmáquinas e veículos para municípios brasileiros com até 50 mil habitantes ou emsituação de emergência. O ministro Miguel Rossetto já está aqui no estúdio e começa agora a conversar com âncoras de emissoras de rádio de todo o país. Quem já está na linha, ministro, é o Marcos Cardozo, da Rádio Marano FM, de Garanhuns, Pernambuco. Olá, Marcos, bom dia para você. REPÓRTER MARCOS CARDOZO (Rádio Marano FM / Garanhuns - PE): Ok. Bom dia aos nossos amigos, bom dia, ministro José (sic) Rossetto, vamos à nossa primeira pergunta, ministro. São municípios com até 50 mil habitantes que vão receber kits e, também, em situação de emergência, que, além dos kits, vão também receber outros equipamentos como pá-carregadeira e um caminhão-pipa. Na realidade, ministro, qual é o objetivo do governo ao lançar esse programa, esse PAC para atender, aí, os municípios com 50 mil habitantes, até 50 mil habitantes, e também em situação de emergência? MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Bom dia, Marcos. É um prazer falar contigo. Viu, Marcos, meu nome é Miguel Rossetto. Tá, Marcos?REPÓRTER MARCOS CARDOZO (Rádio Marano FM / Garanhuns - PE): Miguel Rossetto. Ok!MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: É um prazer estar aí conversando contigo e todos aqueles que nos acompanham, viu? Marcos, o objetivo desse programa é apoiar os municípios. Esses municípios com até 50 mil habitantes, grande partes deles são municípios que tem a sua renda baseada na agropecuária. E esses municípios, por conta dessa natureza, dependem muito das estradas vicinais, são essas estradas vicinais que escoam a produção. E são nessas estradas vicinais também que passam nossa comunidade rural, são elas que ligam os nossos distritos, as nossas comunidades rurais, são nessas estradas que passam os ônibus escolares, passam as ambulâncias, enfim, passam os caminhões, ônibus, carros, motos que a nossa comunidade se integra. O objetivo da presidente Dilma, quando lança esse programa, é melhorar estas estradas, criar condições para que prefeitos, as prefeitas desses municípios possam ter melhores condições de realizar o seu trabalho, que a construção e manutenção dessas estradas vicinais, e com isso estimular a produção agropecuária, especialmente a produção dos pequenos produtores, dos agricultores familiares, portanto esse é o objetivo do programa, melhorar a infraestrutura dos nosso municípios, melhorar a qualidade das estradas para estimular a produção e garantir, obviamente, mais qualidade de vida para o nosso povo. No Nordeste, Katia, o semiárido da um diferencial importante. Por conta de uma determinação da Presidente Dilma nós incorporamos ao programa todos os municípios do semiárido, da região da Sudene, por conta da seca mais equipamentos desses municípios, eles recebem uma pá carregadeira e recebem também um equipamento que é o carro pipa. Por que isso? Para evidentemente ajudar os prefeitos a melhorar aquelas obras, Katia, que são importantes de açudagem para criar melhores condições para os nossos municípios resistirem à seca. O carro pipa, obviamente, reduz, abastece de água e reduz o custo desse serviço tão importante. Esse é um dos objetivos do programa, viu Marcos, e nós estamos muito felizes com ritmo de entrega desse equipamento e com retorno que nós estamos recebendo. Só para encerrar aqui, Katia, eu quero dizer da minha imensa alegria, nessa terça, viu Marcos e ouvintes, eu estive em Pernambuco, lá em Petrolina e foi muito bacana, nós entregamos equipamentos, máquinas com a equipe do prefeito Júlio, lá de Petrolina, e um dado para Pernambuco, são 170 municípios em Pernambuco, 95% dos municípios de Pernambuco estão sendo apoiados por esse programa. APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Marcos Cardoso da Rádio de Marano FM, de Garanhuns, você tem outra pergunta para o Ministro? REPÓRTER MARCOS CARDOSO (Rádio Marano FM / Garanhuns - PE): Ok, ministro Miguel Rossetto, alguns prefeitos tem dado a sugestão que fosse feita uma pesquisa antes para saber, para cada município, o que seria realmente necessário, porque às vezes eles já têm uma retroescavadeira seminova, recebem outra, quando na realidade um outro equipamento seria mais necessário e útil para aquele município, então eles reclamam que poderia ter sido feito uma pesquisa antes com cada município e não entregar um kit igual para todos, porque nem todos teriam a mesma necessidade. Como é que o senhor avalia essa sugestão dos prefeitos? MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Marcos, quando nós fizemos esse programa, nós fizemos essa pesquisa, viu? Evidente que nós estamos falando de um programa nacional, um programa que envolve todos os municípios do Brasil, todos os municípios, obviamente, da região do semiárido que recebem outras máquinas e a imensa maioria dos prefeitos, reivindicou, conversou conosco, conversou com a Presidente Dilma, nos diversos encontros dos prefeitos no Brasil, e eles reivindicaram exatamente essas máquinas, a imensa maioria. É evidente que sempre uma escuta mais fina nos ajuda, nós estamos agora, viu Marcos e ouvintes, preparando o PAC 3, estamos mais uma vez escutando os prefeitos, as prefeitas de tal forma que nós possamos atender da melhor forma possível os nossos municípios, que significa atender o povo que mora nesses municípios. Então, informar que o fato dessas máquinas estarem sendo entregues, uma retroescavadeira, caminhões-caçamba, motoniveladoras, as patrol ou patrolas, e no Nordeste caminhão-pipa e pá-carregadeira, elas fazem parte de um grande consulta que nós fizemos, que bom que na medida em que as prefeituras dispõe desses equipamentos, nós podemos avançar com outros equipamentos no PAC 3. APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Agradecemos a participação do Marcos Cardoso, da rádio Marano FM, de Garanhuns, Pernambuco, aqui com a gente no Bom dia, Ministro. O programa recebe hoje o ministro Miguel Rossetto, do Desenvolvimento Agrário. E, de Pernambuco, vamos agora a Belém, lá no Pará, ministro, conversar com Antônio Carlos, da Rádio Belém FM. Olá Antônio Carlos, bom dia.REPÓRTER ANTÔNIO CARLOS (Rádio Belém FM / Belém - PA): Bom dia a todos. Bom dia, ministro Miguel Rossetto.MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Bom dia, Antônio Carlos.REPÓRTER ANTÔNIO CARLOS (Rádio Belém FM / Belém - PA): Belém FM quer estar sabendo de você, ministro, sobre a fiscalização desses kits que vai ser entregue nas prefeituras em todo o Brasil. MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Antônio Carlos, é um prazer falar contigo. Sabe que nós vamos estar na sexta, viu, Antônio Carlos. A presidente Dilma Rousseff estará aí no Pará, em Belém, amanhã, eu estarei acompanhando com vários outros ministros, na sexta-feira nós estaremos lá. E uma coisa bacana é que nós vamos entregar 30, 32 máquinas, aí no estado do Pará, e com isso, viu Antônio Carlos, nós estaremos encerrando, concluindo as entregas de máquinas em 103 municípios do Pará. São 315 máquinas que estarão sendo entregues e, portanto, 100% de máquinas entregues, agora, ainda no mês de abril. Estamos muito satisfeitos com isso. Você traz um tema muito importante, viu Katia. O Antônio Carlos fala da fiscalização. Essas máquinas, elas são doadas aos municípios. Portanto, é um patrimônio da União que está sendo doado aos municípios e a responsabilidade a partir desse momento passa a ser dos municípios, dos prefeitos e das prefeitas. Nós acompanhamos, através das nossas equipes estaduais, acompanhamos a boa utilização dessas máquinas, há um compromisso quanto da doação dessas máquinas para que elas sejam utilizadas em programas de beneficiamento das comunidades rurais, dos agricultores familiares, a todo um conjunto de obrigações dos prefeitos e das prefeitas na boa utilização dessas máquinas. É evidente que são equipamentos públicos, eles tem que ser utilizados para o bem público e não para o bem privado e devem obedecer todas as boas regras daquilo que o patrimônio público, não é? A fiscalização, ela é intensa, as comunidades têm nos ajudado, eu estou publicando uma portaria, Katia, que sairá amanhã no Diário Oficial onde estimulo, mais ainda, através dessa portaria, com orientações mais claras a ideia de uma divulgação da utilização dessas máquinas, que essas informações, todo esse mapa de utilizações seja divulgado na Câmara de vereadores, seja dado publicidade nos municípios, seja informados aos sindicatos rurais, sindicatos dos trabalhadores rurais, cooperativas, enfim, que haja uma ampla divulgação do planejamento do uso dessas máquinas e nós temos estimulado, viu, Antônio Carlos, que os prefeitos e as prefeitas planejem com seu município o bom uso das máquinas. Portanto, há uma fiscalização no limite, obviamente nós não temos nenhum interesse disso, mas no limite frente ao mau uso reiterado, nós temos capacidade da retirar essas máquinas dos municípios, obviamente não temos interesse nisso. Nós queremos que as máquinas fiquem nos municípios e sejam bem utilizadas para benefício da comunidade.APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Antônio Carlos, da Rádio Belém FM, você tem outra pergunta? REPÓRTER ANTÔNIO CARLOS (Rádio Belém FM / Belém - PA): Sim. Ministro, muito obrigado pela resposta. Ministro, a também comunidade pode denunciar, se caso essa máquina não for usada para fins comuns ou pegar o telefone de contato para fazer denúncias, caso o prefeito queira usar, mas para uso próprio, ministro?MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Todas as comunidades faz parte desse bom tempo que nós estamos vendo no Brasil, de Democracia, de República, de valorizar as coisas públicas. A comunidade pode denunciar e deve acompanhar todas as estruturas do MDA, os seus sindicatos, enfim, quer dizer, é uma estrutura grande, Antônio Carlos, que nós estimulamos obviamente o bom acompanhamento desses equipamentos que são públicos e devem ser utilizados para o interesse público. Não só fiscalizar, como sugerir a boa utilização. É uma coisa muito importante todos os relatos que eu tenho quando viajo, que a minha equipe... são relatos basicamente positivos. Muitas coisas boas, Katia, estão sendo feitas, é uma boa utilização e é evidente que aquilo que infelizmente nós, eventualmente tivemos a conviver, nós que temos que coibir. Quer dizer, são equipamentos públicos, Antônio Carlos e aqueles que nos escutam, esse é um programa para todo o Brasil. São R$ 5 bilhões, Katia, que estão sendo investidos nesse programa, são recursos do povo brasileiro para o povo brasileiro, e, portanto, tem a obrigação de serem bem utilizados, como estão sendo bem utilizados na sua imensa maioria pelos prefeitos e prefeitas. APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Obrigado, Antônio Carlos, da Rádio Belém FM, pela participação com a gente no Bom dia, Ministro. Ministro, vamos agora ao Amazonas conversar com a Rádio Tiradentes FM. Samara Souza, bom dia para você.REPÓRTER SAMARA SOUZA (Rádio Tiradentes FM / Manaus - AM): Bom dia, Katia, bom dia ao Ministro, Miguel Rossetto. Bem, ministro, aqui a situação é a gente saber do projeto, do programa PAC 2, do Governo Federal, muitas obras do Governo Federal feitas no Amazonas, mas aqui há uma peculiaridade, principalmente nessa época do ano, o Amazonas dos 62 municípios, 14 estão em estado de emergência, calamidade pública, enfim, por conta das cheias dos rios. Tem uma programação especial para a liberação desses equipamentos, dessas máquinas e de investimento na agricultura, observando essa situação que acontece sempre no início do ano, por conta das cheias dos rios?MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Samara, nós... São dois temas que tu traz, não é? Nós estamos fazendo um grande esforço, de tal forma que até o final do mês de maio, todas as máquinas estejam entregues no estado do Amazonas. Então, há um esforço muito grande para que haja, empresas contratadas possam cumprir rigorosamente o contratado, que é assegurar que no final do mês de maio, até o final do mês de maio, todas essas máquinas estejam entregues e obviamente entregues no estado Amazonas para permitir que aquilo que estamos acompanhando, que é uma diminuição do nível das águas, os prefeitos possam imediatamente fazer as obras de manutenção que são muitas, frente a essa situação. Então nós estamos trabalhando para assegurar com prioridade a entrega dessas máquinas no estado do Amazonas, também em Rondônia, que tem vivido esse problema, a população de Rondônia, para permitir essa melhoria. E em paralelo a isso, deste cenário, nós estamos discutindo alguns programas de natureza emergencial, especialmente para produtores, que perderam a sua produção e tem dificuldades de ou pagar os créditos adquiridos ou contratar novos créditos produtivos. Estamos atentos a isso, estamos trabalhando, dialogando com as lideranças do Estado, de tal forma que possamos em um curto prazo implantar medidas emergências que respondam a essa situação emergencial do estado do Amazonas. APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Samara Souza, da Rádio Tiradentes FM, do Amazonas, você tem outra pergunta? REPÓRTER SAMARA SOUZA (Rádio Tiradentes FM / Manaus - AM): Não, Katia. Obrigada. Agradecer a participação e resposta do Ministro. A gente sabe que o Governo Federal tem realmente trabalhado para ajudar o povo do Amazonas, mas a gente ainda sente aqui que chega... que demora a chegar as coisas, que demora, a gente demora a ser visto no mundo e a Copa do Mundo está vindo para cá e essas coisas vão ficar mais evidentes. A gente só pede um pouco mais de atenção para esse povo que sofre tanto por conta das cheias e logo em seguida por conta da seca. Obrigada pela participação.MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Um abraço Samara. Toda nossa solidariedade ao povo de Amazonas, de Rondônia, que passa essa situação difícil. Felizmente, as informações que eu disponho, é que as águas estão baixando ao ambiente de retomar a normalidade e é nesse momento que nós temos que estar ao lado desse nosso povo. Um abraço para ti, viu?APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Agradecemos a participação de Samara Souza, da rádio Tiradentes FM, do Amazonas aqui no Bom dia, Ministro, o programa que tem a coordenação e a produção da Secretaria de Comunicação Social, da Presidência da República em parceria com a EBC Serviços. Ministro Miguel Rossetto, vamos agora a Fortaleza, no Ceará, conversar com Carlos Frederico. Ele está lá no comando da Rádio Cidade AM, de Fortaleza. Olá Carlos Frederico, bom dia.REPÓRTER CARLOS FREDERICO (Rádio Cidade AM / Fortaleza - CE): Bom dia. Bom dia, Katia... lá de Brasília, e ela está com o ministro Miguel Rossetto. Eu queria fazer uma pergunta ao Ministro em relação ao Nordeste brasileiro. E a primeira é o seguinte: Ministro, o Programa de Desenvolvimento de Aceleração do Crescimento feito em todo o país, aqui no Ceará, nós vivemos um momento terrível de seca, e eu pergunto ao senhor porque a perfuração de poços não foi incluída no programa de aceleração do crescimento, já que a gente necessita muito mais de poço profundo do que muitas coisas boas que o senhor tem levado, como essa questão de máquinas no interior. Mas o poço profundo é fundamental para abastecer [ininteligível], dessa população tão carente aqui, do Nordeste brasileiro. MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Carlos, um bom dia para ti. Evidentemente que temos vários programas, o Governo Federal tem vários programas em operação no semiárido e no Brasil inteiro. O programa que estamos falando de dialogar nesse momento, é o programa máquinas, estava sim respondendo a uma reivindicação dos prefeitos, das lideranças do estado do Ceará. E uma reivindicação forte, de tal forma que nós estamos felizes em atender essas reivindicações, são 181 municípios no estado do Ceará, são quase 900 máquinas entregues no estado do [ininteligível], para melhorar as estradas vicinais no estado do Ceará. Que dizer, é sempre importante a gente ter como referência, é muito bom para o Brasil, as grandes obras de infraestrutura, as rodovias, os aeroportos, os portos, tão importante, as grande obras as estradas vicinais, que são elas que o nosso povo circula, que são elas que as atividades econômicas acontecessem nos nossos municípios. E, portanto, nós estamos felizes, estamos cumprindo rigorosamente os prazos e atendendo essa reivindicação dos prefeitos do Ceará e de todo o nosso país. Em paralelo, o Ministério da Integração vem desenvolvendo iniciativas em relação à perfuração de poços, como outras iniciativas e faz parte, viu Carlos Frederico, da nossa reflexão para o futuro ampliar os investimentos em equipamentos para perfuração de poços. Nós estudando isso para o PAC 3, eu chamo atenção que vários outros programas estão em operação no Ceará, e no Nordeste, os programas de apoio como o Garantia Safra, mais um milhão de famílias de agricultores estão recebendo esse apoio emergencial por conta da estiagem, o bolsa estiagem, beneficiando centena de milhares de produtores e agricultores. Há toda uma rede de proteção social em execução para transferir e assegurar renda nesse momento de dificuldade. Que bom que em vários estados a chuva volta, a estiagem, a seca mais pesada está indo embora, eu tenho visitado praticamente todos os estados, e que bom que as chuvas começam a voltar, e que essa seca mais difícil dos últimos anos começa a se afastar. Nós estamos atentos às novas demandas, as novas reivindicações, e estamos concentrados nesse momento em assegurar a execução e a entrega no prazo adequado de todas essas máquinas. APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Carlos Frederico, da Rádio Cidade AM, de Fortaleza, você tem outra pergunta? REPÓRTER CARLOS FREDERICO (Rádio Cidade AM / Fortaleza - CE): Tenho. Só para terminar, Katia. Eu queria primeiro...MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Um pouquinho mais alto faz favor, Carlos.REPÓRTER CARLOS FREDERICO (Rádio Cidade AM / Fortaleza - CE): Pois não?MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Um pouquinho mais alto, Carlos.REPÓRTER CARLOS FREDERICO (Rádio Cidade AM / Fortaleza - CE): Pois não. Primeiro, Ministro, eu queria testemunhar a importância do seguro safra, aqui no Ceará não houve nenhum caso de invasão a cidade, apesar desses três anos de seca, concordando com a importância desse programa. Tanto do Bolsa Estiagem, como do Seguro Safra. Eu queria lhe perguntar, ministro, a compra... insistindo nessa pergunta, que eu sei que tem em vário regiões do Ceará, não choveu, não caiu um pingo d'água para renovar o nosso reservatório. Eu queria saber do senhor o seguinte, é possível que o seu Ministério, junto com o Ministério da Integração Nacional, coloque essa prioridade de compras de perfuratrizes, para ajudar o nosso homem do campo a partir desse ano? MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Nós estamos analisando assim. Veja bem, quando estamos entregando pá-carregadeira, quando nós entregando as retroescavadeiras, tudo isso são equipamentos para, obviamente, a açudagem, para cacimbas, barragens, melhorar as condições de obras para preservação, reserva de águas desses municípios. Nós estamos sim analisando, escutando os prefeitos, escutando as lideranças regionais, de tal forma que na montagem do PAC 3, que queremos para o semestre que vem, venhamos a definir os equipamentos. E saiba, viu, Carlos Frederico, que uma das pautas que está em avaliação, exatamente a aquisição de máquinas que possam ampliar a capacidade da perfuração de poços. O que é importante, nós estamos atento a todas as obras, todos os investimentos das cisternas às barragens, passando pelos poços, as cacimbas, todos os equipamentos que possam melhorar, a mitigar e diminuir o sofrimento por conta de estiagem, que ao mesmo tempo possam melhorar a capacidade de oferta, de acúmulo e oferta de água na região do semiárido. APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Ok, então. Obrigada a participação do Carlos Frederico, da rádio Cidade AM, de Fortaleza, com a gente no Bom dia, Ministro. Lembrando a vocês todos que a integra dessa entrevista está na nossa página da internet, em www.ebcservicos.ebc.com.br. Ministro, vamos agora a Curitiba, no Paraná, conversar com Rádio Difusora 590 AM, de Curitiba. Anderson Aires, bom dia. REPÓRTER ANDERSON AIRES (Rádio Difusora / Curitiba - PR): Bom dia, Katia. Bom dia, ministro. Ministro, quantos municípios do Paraná serão beneficiados por esse PAC, e como o Governo Federal pretende fiscalizar a correta utilização dos maquinários, ministro?MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Bom dia, Anderson. Anderson, eu estive, inclusive, em Maringá, recentemente, era uma atividade muito bonita, vários prefeitos, lideranças, e discutimos muito, inclusive, esse tema com várias lideranças, do acompanhamento do programa. No Paraná, para te responder, viu, Anderson, deixa eu só checar o numero aqui, são 367 municípios do Paraná que estão recebendo essas máquinas. E nós já entregamos 842 máquinas, são muitas, entregues no Paraná, 842 máquinas para 367 municípios. Basicamente nós comentávamos durante o programa, Anderson, há uma orientação muito clara das prioridades da utilização dessas máquinas, nós acompanhamos especialmente nos primeiros três anos do programa, a fiscalização é feita por todos os órgãos de fiscalização, nós estamos falando de um equipamento público, de um bem público, que obviamente deve ser usado com as melhores práticas republicanas e públicas, a serviço do bem público, do bem comum. As lideranças, os vereadores, as lideranças sindicais, o cidadão, a cidadã, todos devem fiscalizar e auxiliar, se tu me permite, que as prefeituras façam o melhor uso, mais eficiente dessas máquinas, priorizando as comunidades que mais necessitam. Então é muito importante esse acompanhamento, é muito importante essa fiscalização, e volto a insistir, o retorno que temos recebido é muito positivo, a um esforço muito grande de prefeitos nesse sentido. E por que isso acontece, viu, Anderson? Nós temos conversado, recebido testemunhos importantes. Muitos municípios, os prefeitos, as prefeitas, gastavam muito com a manutenção das suas estradas, contratos caros, ou então dispunham de máquinas muito antigas, máquinas com 20, 30 anos, custo de manutenção altíssimo, Katia, dessas máquinas, tempo parado enorme dessas máquinas. As máquinas, Anderson, que o Paraná está recebendo, como o Brasil inteiro, são máquinas novas, são máquinas com as melhores tecnologias, todas essas máquinas são produzidas no Brasil, e são as máquinas de top de linha, são as máquinas de melhor tecnologia que estão sendo entregue. Então, na medida em que elas são bem utilizadas e utilizadas corretamente, nós temos um bom equipamento que vai ajudar por muito tempo a comunidade. APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Anderson Aires, da rádio Difusora 590 AM, de Curitiba, no Paraná, você tem outra pergunta? REPÓRTER ANDERSON AIRES (Rádio Difusora / Curitiba - PR): Tenho sim, Katia. Ministro, o Governo Federal deve lançar algum novo programa para fomentar a agricultura familiar no Brasil, que de maneira especial aqui no Paraná, Ministro? MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Sim, tu sabe, Anderson, que todo ano buscamos nós buscamos atualizar o nosso Plano Safra. Safra no Brasil, a safra agrícola, ela se localiza no período junho/julho. Nós estamos preparando, iniciamos, estamos em plena execução da safra 13 e 14, e estamos preparando já o Plano Safra 14 e 15, que deverá ser lançado no final de maio, e o Paraná com sua força da sua produção agropecuária, do seu cooperativismo, da sua agricultura familiar, todos os dados que eu tenho são dados muito motivo. Nós estamos batendo recordes de investimentos na agricultura, nos custeio, na aquisição de máquinas agrícolas. Nós um temos um programa muito importante chamado Mais Alimentos, que estimula os investimentos na mecanização da nossa produção, isso tem permitido aumento de produtividade, renda para nosso produtor. Nós estimulamos esse ano, como uma marca forte, estamos executando o estímulo à produção agroecológica e já estamos pensando, a partir das experiências do aprendizado para as novidades que teremos no Plano Safra 14/15. Nesse momento, portanto, trabalhando muito na boa execução das políticas atuais e ao mesmo tempo, já planejando as novidades para 14/15. APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Agradecemos a participação do Anderson Aires, da Rádio Difusora 590 AM, de Curitiba no Paraná, no programa Bom dia, Ministro, que recebe hoje o Ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto. Ministro, vamos agora a Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, conversar com a Rádio Bandeirantes AM, de Porto Alegre. Luciano Nageo, bom dia. REPÓRTER LUCIANO NAGEO (Rádio Bandeirantes AM / Porto Alegre - RS): Oi, bom dia, Katia, Bom dia, ministro. Ministro, eu gostaria de saber quais são municípios aqui no Rio Grande do Sul que vão ser beneficiados com esses maquinários e quando efetivamente essas máquinas vão ser entregues aqui para a comunidade gaúcha? MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Luciano, bom dia, meu conterrâneo. Tudo bem contigo?REPÓRTER LUCIANO NAGEO (Rádio Bandeirantes AM / Porto Alegre - RS): Bom dia, tudo bem.MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Que bom Luciano. Luciano, nós... São 455 municípios no Rio Grande do Sul. Portanto é uma parcela muito importante dos municípios do nosso estado que estão recebendo essas máquinas, que já receberam essas máquinas, 906 máquinas já foram entregues, portanto um volume muito grande de máquinas já estão trabalhando, a exemplo de outro estados, no estado do Rio Grande do Sul, e já estão beneficiando as nós comunidades aí no estado. Eu estarei agora, viu, Luciano, nesse sábado, lá em Santa Rosa, lá Fenasoja, nós estaremos lá, a gente conversando com os nossos agricultores, produtores, com as lideranças regionais, e vamos entregar mais máquinas. Nós temos uma previsão, lá em Santo Rosa, agora nesse sábado pela manhã, lá nos pavilhões da Fensoja, são quase 170 máquinas, portanto um volume importante de máquinas dando sequência a esse ritmo bom de entrega que estamos realizando no Brasil inteiro, e também, no Rio Grande do Sul. APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Luciano Nageo, da Rádio Bandeirante AM, de Porto Alegre, no Rio grande do Sul, você tem outra pergunta? REPÓRTER LUCIANO NAGEO (Rádio Bandeirantes AM / Porto Alegre - RS): Tenho mais uma pergunta. Na questão do assentamento aqui no Rio Grande do Sul, Ministro, qual é a meta de assentamento até o final de 2014, aqui para o estado gaúcho, e se há essa prioridade em assentar novas famílias ou melhorar a qualidade dos assentamentos? MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: São dois temas, não é, Luciano? Quando nós falamos no programa de reforma agrária, qualidade e quantidade caminham juntos. A reforma agrária no Brasil inteiro e Rio Grande do Sul representa uma terra que não produz e que pode produzir, e que vai receber homens e mulheres que querem produzir. É um programa bom para o nosso país, um programa que gera trabalho e emprego, que aumenta a produção de alimentos e estamos trabalhando no limite da nossa capacidade. Nós estamos buscando no Rio Grande do Sul investir e qualificar os nossos assentamentos, Nós temos uma meta nacional e queremos trabalhar até o final de ano com mais 30m mil família. Nós... Eu acho que esse é um dado muito importante, aproveitando a sua pergunta, viu, Luciano, quando nós olhamos o governo da Presidente Dilma, hoje, ontem do Presidente Lula, nesse período nós estamos falando em 770 mil famílias de brasileiros sem terra que tiveram acesso a terra. Nós estamos falando em mais de 35 milhões de hectares que foram disponibilizadas e hoje estão produzindo e que não produziam antigamente. É um programa importante, estamos trabalhando nele e queremos cada vez mais qualificar essas áreas reformadas para que produzam e produzam bem.APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Agradecemos a participação do Luciano Nageo, da rádio Bandeirantes, de Porto Alegre, do Rio Grande do Sul, aqui no Bom dia, Ministro. E de lá, de Porto Alegre, vamos a Colinas de Tocantins, conversar com Marcondes Ribeiro, da Rádio Boas Novas FM. Olá Marcondes, bom dia para você.REPÓRTER MARCONDES RIBEIRO (Rádio Boas Novas FM / Colinas - TO): Bom dia, Katia. Bom dia, ministro Miguel Rossetto. MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Bom dia, Marcondes.REPÓRTER MARCONDES RIBEIRO (Rádio Boas Novas FM / Colinas - TO): Tudo bom? Ministro, eu vou fazer um [ininteligível], de alguns comentários e depois eu te faço a pergunta. Vou fazer só uma e vai ser bem breve. Eu queria parabenizar o senhor primeiro, pela iniciativa de beneficiar os municípios de até 50 mil habitantes, com os equipamentos para todos. [ininteligível]. O que o senhor tem feito é de muita valia e de muito crescimento no município de pequena população. Os recursos de crédito rural para custeio e investimento, em sua maioria, estão se concentrando na região Sul do Brasil, e nas categorias melhor posicionada do âmbito da agricultura familiar. O que nos revela a dificuldade dos agricultores das categorias A e B do Pronaf, justamente com os mais numerosos, o crédito rural oficial também é escasso e burocratizado, ele não tem acesso a grande maioria dos agricultores e muito menos as agriculturas que também estão inseridas nesse procedimento. Qual é o plano do governo para desburocratizar e descentralizar o crédito rural? MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Marcondes, o tema que tu traz, é um tema que tem nos preocupado e nós estamos trabalhando para enfrenta-lo. Qual é o tema que tu traz? Para os ouvintes acompanhar. Nós temos regiões muito diferenciadas no Brasil, nós temos histórias diferentes, realidades de produção muito diferenciadas, se nós pegarmos a região Sul e Sudeste do Brasil, nós temos uma agricultura historicamente mais organizada, mais produtiva, com cooperativas fortes, com uma rede de agricultura familiar, de produtores médios e grandes historicamente mais organizados, e são essas regiões que tem ocupado grande parte dos recursos, dos créditos agrícolas, tanto o Pronaf, como o crédito agrícola empresarial. O que eu quero dialogar contigo, para aqueles que nos escutam? Nos últimos dez anos, especialmente, nós fizemos um movimento muito grande, a Presidente Dilma hoje, ontem e o Presidente Lula, no sentido de expandir o volume de crédito disponível para apoiar os produtores e os agricultores. Para ter uma ideia, Marcondes, quando em 2003, eu tive oportunidade de assumir o Ministério em 2003, Katia, com o Presidente Lula, nós executamos do Pronaf, que é o grande problema de crédito para agricultura, para os agricultores familiares, R$ 2,3 bilhões, em todo o Brasil, Marcondes. No ano passado, foram R$ 20 bilhões. Portanto, há uma expansão enorme da oferta de crédito. O que é que isso permitiu nesses anos? Primeiro: que o crédito que dez anos atrás era localizado no Sul do país, hoje pode se nacionalizar todos os estados do país, hoje acessam as políticas de crédito agrícola. Mas é verdade, que tu traz para nós, ainda hoje há muita concentração desse crédito nas regiões Sul e Sudeste, nós temos que expandir, e é o que eu tenho dito, tenho trabalhado com a ideia da universalização desse crédito. A região Centro?Oeste, por exemplo, Tocantins, Goiás, Mato Grosso, mesmo Mato Grosso do Sul, são regiões que tem uma boa base econômica de agricultores e produtores e assentados que ainda não conseguem acessar como poderiam o crédito agrícola. Nós estamos atentos a isso. Pará é um outro estado que eu penso que podemos avançar muito mais, mas Tocantins, nós estamos atentos, dialogando com as lideranças, e querendo já ainda esse ano aumentarmos a liberação de recursos, mas já preparando para o ano que vem formas mais ágeis, mais eficientes de liberação. Muitas vezes não se trata de desburocratizar ou não, trata?se inclusive, de informar, de fazer com que essas políticas, esses programas, cheguem ao conhecimento do agricultor, que nós tenhamos uma boa assistência técnica que oriente o agricultor, o produtor, o assentado, a como ter acesso a esses créditos. Há todo um esforço da rede do Banco do Brasil, especialmente dos bancos públicos, para que possamos ampliar o acesso ao crédito. Portanto, Marcondes, o tema que tu traz é um tema correto, nós estamos atentos a isso, e nós estamos determinados a melhorar a oferta do crédito, aí em Tocantins e nas regiões que ainda nós achamos que podemos estender. APRESENTADORA KATIA SARTÓRIO: Marcondes Ribeiro, da Rádio Boas Novas FM, de Colinas, no Tocantins, você tem outra pergunta? REPÓRTER MARCONDES RIBEIRO (Rádio Boas Novas FM / Colinas - TO): Não, muito obrigado. Eu queria agradecer a Katia pela oportunidade e ao ministro Miguel Rossetto pela oportunidade que nós estamos tendo de se expressar e representar o povo, aqui, da cidade de Colinas. Muito obrigado. MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Deixa eu só aproveitar, Marcondes, aqui, porque isso é uma homenagem ao teu estado, ao teu povo, e a nossa equipe. Tu sabe que 305 máquinas já foram entregues ao estado do Tocantins, 136 municípios. Então quando os falamos do crédito, por que esse programa apareceu, viu, Marcondes? Porque, por um lado, nós começamos a estimular mais produção, e os agricultores, as cooperativas e os produtores diziam para nós, pois muito bem, nós produzimos e nós temos dificuldade de escoar a nossa produção. E assim que a gente vai construindo os programas, escutando o nosso povo, aprendendo com a experiência, com a nossa vida. Então, no Tocantins, nós temos essas máquinas já entregues, já estão trabalhando em 136 municípios, e nós queremos agora melhorar as estradas, permitir que as prefeituras melhorem as estradas, tenham melhor condições de trabalhar e vamos aumentar a produção, sim, para aumentar renda desse povo trabalhador aí de Tocantins.APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Obrigada, Marcondes Ribeiro, da Rádio Boas Novas FM de Colinas, no Tocantins, pela participação com a gente no Bom Dia, Ministro. Ministro, vamos agora Salvador, na Bahia, conversar com a Rádio Educadora 107,5 FM. Marina Teixeira, bom dia. REPÓRTER MARINA TEIXEIRA (Rádio Educadora / Salvador - BA): Bom dia Katia. Bom dia, ministro Rossetto. Bom dia, ouvintes. Nós estamos vendo aqui que até o momento o Ministério já entregou mais de 14 mil máquinas, 75% do total nessa fase do Programa de Aceleração do Crescimento. Como foi a entrega das máquinas nos municípios baianos, em especial aos municípios localizados na região do semiárido? MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Nós temos procurado, viste Marina, procurado ao máximo estar presente pessoalmente nessas entregas, as entregas são feitas em atos formais, onde prefeitos, prefeitas assinam toda uma documentação formal de doação desses equipamentos, eu fiz referência aqui Marina, já no nosso diálogo, essas máquinas são doadas aos nosso prefeitos, aos nossos municípios, através de prefeitos e prefeitas, portanto, há toda uma responsabilidade muito importante, trata?se, portanto, de patrimônio público. E há toda uma orientação que o programa estabelece para boa, ou melhor, utilização dessas máquinas, eu não sei se eu fiz referência, Marina, mas também junto com as máquinas o programa financia, paga todo um curso de treinamento dos operadores, são máquinas que quando bem operadas elas duram muito mais. Gratuitamente, nós fornecemos o treinamento desses operadores e também apoiamos as prefeituras com uma série de materiais para manutenção dessas máquinas, filtros, óleos, etc. Portanto, assim nós entregamos com este cuidado estas máquinas são entregues, isso é um patrimônio público, é dinheiro público e nós queremos obviamente que elas sejam entregues bem utilizadas na Bahia como em todos os estados. Na Bahia, viu, Marina, são 397 municípios da Bahia, que estão recebendo, que já receberam máquinas, nós estaremos, a presidente Dilma estará na semana que vem, na terça?feira que vem aí em Feira de Santana, a minha equipe está me informando aqui, que na terça-feira da semana que vem a presidente Dilma estará em Feira de Santana juntamente com o governador Jacques Wagner, enfim, nossos colegas da Bahia e com várias atividades, entregas, enfim, de vários programas, e um dos programas serão as máquinas agrícolas, nós estaremos entregando mais 228 máquinas para apoiar os municípios da Bahia. Quer dizer, esses dados que nós estamos falando aqui dão conta que esse é um programa que está rodando, rodando bem, viu, Katia, muito eficiente na entrega, nos prazos, todas as indústrias estão contratadas, já contratadas para até final de maio entregar esses equipamentos. Nós estamos fazendo um esforço muito grande junto a essas empresas para que elas possam assegurar a entrega dessas máquinas. O que é bom, viu? Me permita aqui, tá, Marina? Que esta máquina que traz benefício para os municípios que estimula emprego, a renda, ela também gera o emprego na indústria de máquinas, lá nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, essas máquinas estão sendo construídas, gerando emprego, bom emprego industrial, para o nosso país, essas máquinas estão trabalhando a mil, estão trabalhando com carga plena, nós estamos lá muito firmes, viu, Katia, para fazer com que essas máquinas sejam entregues agora até final de maio. APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Marina Teixeira da Rádio Educadora FM de Salvador, você tem outra pergunta? REPÓRTER MARINA TEIXEIRA (Rádio Educadora / Salvador - BA): Não, não, muito obrigada, ministro, obrigada, Katia, e um bom dia a todos. APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Bom dia Marina Teixeira e a todos da rádio Educadora de Salvador, Bahia. Ministro, de Salvador, vamos a Aracaju conversar ao vivo com Gabriel Damásio da Rádio Liberdade 930 AM, em Aracaju, Sergipe. Olá, Gabriel, bom dia. REPÓRTER GABRIEL DAMÁSIO (Rádio Liberdade / Aracaju - SE): Bom dia, Katia, bom dia ao Ministro Miguel Rossetto e bom dia a todos da EBC, da NBR. Aqui, em Sergipe, já há um saldo de entrega de 19 municípios que foram contemplados com essas máquinas que são financiadas pelo PAC e são cidades que são atingidas pela seca. E há algumas previsões da meteorologia que apontam que há uma, algumas chuvas que vem acontecendo aqui na região de Sergipe que vem amenizando a situação, mas ainda há cidades em situação de emergência, eu queria que o ministro falasse sobre qual o impacto prático desses equipamentos na recuperação desses terrenos da agricultura familiar e como que as famílias são beneficiadas e gostaria que o Ministro também falasse sobre se há previsão de outras cidades a serem contempladas ou mais máquinas que venham aqui para o estado, enfim, que o ministro fizesse um balanço sobre esse programa aqui em Sergipe.MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Gabriel, bom dia pra ti, Gabriel. Pás-carregadeiras, retroescavadeiras, especialmente, são máquinas que têm sido muito utilizadas para manutenção dos açudes, das cisternas, das aguadas, tem sido muito utilizadas, portanto, para realização de obras de retenção de água, barragens, portanto, já estamos trabalhando no Sergipe e em outros estados com essas máquinas na realização dessas obras de retenção de águas e, portanto, apoiando as nossas propriedades, os nossos produtores. Que bom, e nós temos, o governo acompanha diariamente as condições de clima, de chuva em toda região semiárido, que bom que a chuva começou a chegar, que bom que a seca dura, difícil, vai embora, e que bom que nós estamos retomando uma situação de normalidade, nós estamos acompanhando todo dia de tal forma que possamos acompanhar, estar ao lado do nosso povo, ajudando nessa situação de maior dificuldade, como estamos fazendo, já falamos sobre isso aqui neste programa. Mas eu quero lembrar, viu Gabriel, que são 70 municípios em Sergipe, 70 municípios em Sergipe já recebendo equipamentos, são 284 máquinas entregues, máquinas novas, entregues já no estado de Sergipe. Sergipe é um dos estados que já foi 100% coberto, todo o programa foi concluído com essas 70 máquinas no estado de Sergipe e são máquinas, portanto, que já estão trabalhando e ajudando os nosso municípios, o nosso povo de Sergipe. APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Gabriel Damásio da Rádio Liberdade AM de Aracaju, você tem outra pergunta? Gabriel? Você pode falar um pouquinho mais alto? REPÓRTER GABRIEL DAMÁSIO (Rádio Liberdade / Aracaju - SE): Pois não Katia. APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Obrigada.REPÓRTER GABRIEL DAMÁSIO (Rádio Liberdade / Aracaju - SE): Bom, com relação à situação dos as chamadas ocupações de terra, as invasões de terra que vem acontecendo, aconteciam com uma certa frequência em anos anteriores, diminuiu-se um pouco mas ainda há o problema das famílias que reclamam do assentamento da reforma agrária, notadamente houve protestos ligados ao Movimento dos Sem Terra que chamam atenção para a questão da famílias que ainda estão em assentamentos rurais e reclamam que uma certa na situação da reforma agrária e recentemente aconteceu um protesto na frente do Incra, em Aracaju. Eu queria que o Ministro fizesse um balanço sobre como que está essa situação dos assentamentos rurais de se há uma possibilidade de agilização nessas questões relativas à reforma agrária. MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Sim Gabriel, nós temos uma, estamos trabalhando e há uma determinação muito clara de toda nossa equipe de ampliar o ritmo de trabalho, nossa equipe tem trabalhado muito e já fez muito. Eu fiz referências, são nesses últimos anos, são mais de 700 mil famílias, em Sergipe nós fizemos avanços importantes, são muitas áreas reformadas, nós temos que acompanhar, quer dizer, nós temos que trabalhar juntos, com qualidade, com quantidade. Nós reconhecemos a necessidade de ampliarmos o nosso trabalho, interessa para o país que áreas que possam produzir, recebam homens e mulheres que querem produzir, isso significa maior produção de alimentos, alimentos com mais qualidade, mais emprego, mais trabalho, mais qualidade de vida para brasileiros e brasileiras, e é por isso que nós continuamos com programas de reforma agrária, agora, temos avanços muito importantes, temos crescido muito em termos de assistência técnica este ano são mais de 300 mil famílias que terão assistência técnica, é um recorde histórico no nosso país, os programas de habitação rural, as casas estão chegando, eletrificação rural, melhoramento na oferta da educação, portanto, é um esforço muito grande para que nossas áreas reformadas sejam áreas com qualidade, há uma determinação de trabalharmos no limite, para, por um lado, melhorarmos a qualidade dos assentamentos, as máquinas que falamos recentemente são máquinas que prioritariamente devem ser utilizadas para essas comunidade, melhorando as estradas, melhorando a infraestrutura, estimulando mais produção, sabemos que temos um bom trabalho pela frente, mas há uma determinação clara de agilizarmos, de buscarmos eficiência ao máximo no trabalho das nossas equipes.APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Obrigada, Gabriel Damásio, da Rádio Liberdade AM de Aracaju, Sergipe, pela participação com a gente no Bom Dia, Ministro. Ministro Miguel Rossetto, vamos agora a São Paulo, capital, conversar com Davi Nascimento, ele é da Rádio Capital AM de São Paulo. Olá, Davi, bom dia.REPÓRTER DAVI NASCIMENTO (Rádio Capital AM / São Paulo - SP): Bom dia Katia, bom dia Ministro Miguel Rossetto e a todos. Ministro, tendo em vista também os inúmeros assentamentos com tantas famílias e comunidades rurais, que existem no estado de São Paulo, quantas pessoas serão beneficiadas com o Programa Aceleração do Crescimento, especificamente no estado de São Paulo? MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Olha, Davi, o estado de São Paulo é um grande estado do nosso país, são mais de 500 municípios que estão recebendo estas máquinas, são 521 municípios pra ser mais exato, nós já entregamos em São Paulo, estados como São Paulo, Minas Gerais e Bahia são estados grandes com muitos municípios, Rio Grande do Sul, Paraná, são mais de mil máquinas entregues, 1006 máquinas entregues no estado de São Paulo. Eu não tenho agora o número exato da população beneficiada, mas obviamente uma população enorme que está sendo beneficiada pela dimensão que o programa atinge no estado de São Paulo. Portanto, 1100 máquinas entregues, 525 municípios de São Paulo é um volume muito importante. O retorno que eu tenho é muito positivo em São Paulo. Eu estive, um mês atrás, em Araraquara, [ininteligível] o retorno muito importante, a presença nossa, diretamente com os conhecidos, ela permite avaliar o programa, permite escutar os prefeitos, as lideranças, permite aperfeiçoar os planos, tudo que nós queremos é que esse programa funcione, rode, opere e bem. E lá em Araraquara. Viste, Davi, foi muito bonito porque foram muitos prefeitos, Araçatuba, desculpe, é Araçatuba, Araraquara eu vou, Araçatuba que eu fui, e foi muito bonita a nossa atividade podemos conversar muito com os prefeitos da região, e os resultados tem sido muito importantes, muito positivos. Uma redução, se me permite, o que nós mais escutamos dos prefeitos, das prefeitas, das lideranças, é uma redução muito grande do custo, das despesas das prefeituras. Prefeituras que gastavam 300, R$ 400 mil, contratando máquinas, hoje não gastam isso e podem usar esse dinheiro para outras coisas boas nos seus municípios. Esse gasto hoje é o gasto do salário dos operadores, o gasto com a compra do diesel, mas há uma redução muito grande das despesas dos municípios e esse recurso público hoje pode ser utilizado em outras coisas.APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Davi Nascimento da Rádio Capital AM de São Paulo, você tem outra pergunta para o Ministro Miguel Rossetto?REPÓRTER DAVI NASCIMENTO (Rádio Capital AM / São Paulo - SP): Sim, Katia. Ministro o programa está entregando equipamentos para mais de cinco mil municípios, também pensando nas estradas rurais. Em quanto tempo é possível que o Brasil tenha uma ramificação, uma malha viária coesa, como um todo, interligando bem todos os municípios, principalmente os rurais que ainda não tem essa estrutura, ministro? MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Isso é um grande e permanente processo de qualificar nossa estrutura. Difícil dizer um prazo, o Brasil é enorme, com diferenças regionais muito grandes, então, eu fiz referência aqui, quer dizer, o Brasil investe muito no melhoramento da sua infraestrutura, em toda a sua infraestrutura. O que a Presidente Dilma tem orientado com muita clareza o seu governo, os seus ministérios é ter um visão geral global do país, tão importante quanto à ampliação de um aeroporto quanto Guarulhos, por exemplo, em São Paulo, é importante a boa estrada vicinal do município do interior do estado de São Paulo. O Brasil tem que ser olhado como um todo e toda população brasileira deve ter acesso a uma boa infraestrutura, a uma boa rodovia, uma boa estrada vicinal, um bom aeroporto, que os portos funcionem bem para escoamento da nossa produção. O que nós estamos fazendo, Davi, e por isso pensamos esse programa, por isso a determinação da presidente Dilma em investir R$ 5 bilhões em todos os municípios do país, nos pequenos municípios do nosso país, são exatamente aqueles municípios que muitas vezes não tem recurso, não tem dinheiro para este investimento, viste, Davi, nós estamos falando em máquinas, aqueles que nos escutam, que custam R$ 500 mil, R$ 400 mil, Katia, um kit de máquinas desse é R$ 1 milhão, a maioria dos nossos municípios não teria condições de adquirir essas máquinas, e quando adquire essas máquinas, melhora as estradas, viu, Davi, interliga isso que tu falaste conosco aqui, quer dizer, nós estamos caminhando na direção da agenda que tu traz para nós. E esses pequenos municípios que tem máquinas, que pode realizar o seu trabalho, podem usar o dinheiro que poupam nesta atividade em outros benefícios para a sua comunidade. Eu quero te dizer, Davi, que nós estamos avançando nisso, os esforços do Governo Federal, os esforços dos estados, os esforços dos municípios vão dotando, sem dúvida nenhuma, o nosso país de uma rede de infraestrutura cada vez melhor. APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Davi Nascimento da Rádio Capital AM de São Paulo, obrigada pela participação com a gente no Bom Dia, Ministro. Lembrando a todos que a íntegra dessa entrevista está na nossa página na internet em www.ebcservicos.ebc.com.br. Ministro Rossetto, vamos agora a Florianópolis, Santa Catarina, conversar com a Rádio Guarujá. Valter Souza, bom dia.REPÓRTER VALTER SOUZA (Rádio Guarujá / Santa Catarina - SC): Bom dia Ministro, obrigado pela oportunidade. Ministro o senhor sabe que Santa Catarina tem, apenas, geograficamente falando 1.3 da geografia nacional, mas nós somos o 5º exportador de alimentos, nós somos o 6° produtor de alimentos no país, mesmo com esse tamanho bem pequeno. Em matéria de PAC aqui, tanto o um, como o dois, nada está em dia, pouquíssima coisa foi concluída, e o nosso agricultor, o senhor sabe que nós dependemos muito do nosso agricultor, agricultor não planta, a cidade não janta, mas o nosso agricultor não tem tratamento padrão Fifa. Por que, ministro? MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Valter. Bom dia, Valter. Santa Catarina é um grande estado, grande produção, e eu tenho oportunidade de conviver muito com produtores, agricultores de Santa Catarina tem crescido muito, tem sido uma referência no nosso país, um grande produtor de aves, suínos, enfim, tem nos entusiasmado muito, é um estado referência pro nosso país, e várias obras, sim, do PAC estão sendo realizadas, obras de infraestrutura no estado de Santa Catarina, estradas e que tem melhorado muito e contribuído, sim, com o estado de Santa Catarina, esse é um exemplo de um padrão muito importante que nós temos realizado no estado de Santa Catarina. Santa Catarina, os campeões na utilização do Pronaf, os créditos agrícolas, um dos campeões nacionais do apoiamento na infraestrutura viária, este programa, Valter, que nós estamos falando aqui, ele está sendo realizado com muita eficiência em Santa Catarina, 269 municípios receberam esses equipamentos, são 581 máquinas já entregues e já estão trabalhando, melhorando os municípios, portanto, são conquistas importantes que já fazem parte da vida do povo do estado de Santa Catarina, sim. APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Obrigada, Valter Souza, da Rádio Guarujá de Florianópolis, Santa Catarina, pela participação com a gente no Bom dia, Ministro, que recebe hoje o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto. Ministro, vamos a Mato Grosso falar com a Rádio Floresta 810 AM de Alta Floresta, quem está lá é o Oliveira Dias. Olá, Oliveira, bom dia. REPÓRTER OLIVEIRA DIAS (Rádio Floresta / Alta Floresta - MT): Bom dia, bom dia ao ministro Miguel Rossetto. Primeira pergunta que gostaria de fazer ao ministro é o seguinte: Aqui, diz que o Governo Federal vai investir 5 bilhões na aquisição dessas máquinas. Esse dinheiro, ele é oriundo de onde, de onde vem esse recurso, se ele vai ser estabelecido como recurso anual para ser repassado aos municípios? MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Com quem que estou falando? Me desculpa.REPÓRTER OLIVEIRA DIAS (Rádio Floresta / Alta Floresta - MT): Oliveira.MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Oi Oliveira, tudo bem? Oliveira, me atrapalhei aqui. Oliveira, tudo bem contigo? REPÓRTER OLIVEIRA DIAS (Rádio Floresta / Alta Floresta - MT): Tudo ótimo. MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Oliveira, são recursos do orçamento federal, são recursos dos impostos que o povo brasileiro paga e recolhe e, portanto, são bem utilizados porque eles são devolvidos ao povo brasileiro através de programas como esse, esse é o conjunto do programa, 5 bilhões fazem parte de todos recursos do programa, financiam esse programa, este programa foi definido em 2011, nós estamos executando esse programa 2012, 13 e 14, portanto, R$ 5 bilhões, eles são os recursos que pagam estas 18.070 máquinas que fazem parte de todo esse programa. Mato Grosso, por exemplo, viu, Oliveira, são 132 municípios do estado do Mato Grosso que já receberam máquinas, eu estive em Cuiabá, aí recentemente, são 316 máquinas entregues. Se me permite também, estive aí em Marcelândia e Alta Floresta, município de Alta Floresta também foi beneficiada com um programa importante que foram aquelas glebas, aquelas grandes glebas lá do Cristalino da Divisa que foram repassados para o estado, a exemplo da gleba Maiká, nós estamos falando aqui, para aqueles que nos acompanham, de áreas superiores a 1,5 milhão, 1,5 milhão de hectares, que foram repassados para primeiro estado de Mato Grosso e que vão permitir que municípios como Alta Floresta, Marcelândia possam ter sua regularização fundiária, criando um ambiente muito positivo para o desenvolvimento dessas regiões. Então nós estamos muito felizes, viu, Oliveira, de estarmos juntos aí ao estado do Mato Grosso, apoiando os municípios e do governo do estado, de tal forma a criar um ambiente que estimule cada vez mais produção e qualidade da vida. APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Agradecemos a participação do Oliveira Dias, da Rádio Floresta AM de Mato Grosso, de Alta Floresta, em Mato Grosso, aqui, com a gente, no Bom Dia, Ministro. E, ministro, infelizmente nosso tempo acabou e eu gostaria muito de agradecer a sua participação mais uma vez aqui no Bom Dia, Ministro. MINISTRO MIGUEL ROSSETTO: Eu queria agradecer, Katia, essa oportunidade de encontrar, de dialogar com o nosso povo através desta rede tão bonita, dessa rede nacional, cumprimentar todos aqueles que participaram conosco, mais uma vez registrar toda a nossa satisfação, do Governo Federal, da presidente Dilma, em poder apoiar os nossos municípios, os pequenos municípios, apoiar prefeitos, prefeitas que enfrentam dificuldades, sim, mas que tem trabalhado muito para melhorar a qualidade de vida dos nossos municípios, estimular a produção agropecuária, estimular a produção dos agricultores familiares, a boa produção dos alimentos sadios para o povo brasileiro e tudo que nós queremos com esse programa é isso, essas máquinas são instrumentos de desenvolvimento, e o que nós queremos é que elas sejam capazes da levar felicidade e prosperidade para os nossos municípios e para o nosso povo. Obrigado. APRESENTADORA KÁTIA SARTÓRIO: Obrigada, ministro Miguel Rossetto. E a todos que participaram conosco dessa rede de emissoras, meu muito obrigada e até o próximo programa.