24/08/2015 - No “Bom Dia Ministro”, Gilberto Kassab falou sobre entregas do Minha Casa, Minha Vida no estado de São Paulo

O Bom Dia Ministro dessa segunda-feira (24) recebeu o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, para falar sobre a entrega de 2.555 unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) nas cidades paulistas de Araras, Araraquara, Catanduva e Mauá. A entrevista é produzida e coordenada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República e transmitida ao vivo, das 8h às 8h30, pela TV NBR e via satélite de rádio para todo o país (pelo mesmo canal de A Voz do Brasil).

audio/mpeg 24-08-15-bom-dia-ministro-gilberto-kassab.mp3 — 28297 KB




Transcrição

APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Olá, bom dia para você em todo o país. Hoje nós vamos falar de Minha Casa, Minha Vida. Nesta semana, o governo entrega mais duas mil e quinhentas unidades no estado de São Paulo. São famílias de Araras, Araraquara, Catanduva e Mauá que vão receber a sua casa própria em todo o país o programa já entregou mais de 2 milhões e 300 mil casas. E é sobre isso que nós vamos conversar hoje com o ministro das cidades, Gilberto Kassab. Seja muito bem-vindo, ministro. MINISTRO GILBERTO KASSAB: Obrigado, bom dia Heleno, bom dia Hellen, bom dia ouvintes, muito bom estar conversando com você, com os ouvintes sobre um tema tão importante e um assunto que diz respeito a todas as famílias do Brasil. Principalmente, aquelas que ainda não têm a sua casa. Algumas já estão tendo, o programa Minha Casa, Minha Vida, e outras, pela credibilidade do programa, sabem que terão em breve. Porque é um programa muito amplo, Hellen, é um dos maiores programas do Governo. E na história da habitação, nós não tivemos, no mundo, nunca, um programa com essa amplitude. Você sabe, Hellen, quantas casas já estão contratadas no programa Minha Casa, Minha Vida?APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Quantas casas, ministro? MINISTRO GILBERTO KASSAB: No Brasil, 4 milhões, quantas foram entregues? 2 milhões e 300 mil. E o restante, a diferença entre as contratadas e as entregues em construção, 1 milhão e 700 mil, que nós temos a expectativa de entregar todas até o final do ano que vem. Portanto, até o final do ano que vem, até o final do ano de 2016, nós estaremos concluindo a primeira fase do programa, de entregar 4 milhões de casas, é bacana, não é?APRESENTADORA HELEN BERNARDES: E a entrega está sendo toda semana, toda semana tem uma entrega de casa diferente. Agora em São Paulo nessa semana, mais de duas mil e quinhentas casas como eu já disse, e o ministro vai conversar com emissoras de rádio que vão perguntar, tirar suas dúvidas com relação ao programa, e você que está ligadinho com a gente, pode acompanhar aqui e também no nosso Youtube. Www.youtuibe.com/tvnbr. Vamos pra primeira rádio, vamos conversar com São José do Rio Preto, quem conversa conosco é CBN Grandes Lagos, de São José e a pergunta é de Fabricio. Bom dia Fabricio.REPÓRTER FABRICIO (Rádio CBN Grandes Lagos - São José do Rio Preto/SP): Bom dia ministro. MINISTRO GILBERTO KASSAB: Bom dia Fabrício, bom dia queridos amigos, ouvintes de Rio Preto, uma alegria muito grande estar conversando com vocês. REPÓRTER FABRICIO (Rádio CBN Grandes Lagos - São José do Rio Preto/SP): Ministro, amanhã a presidente Dilma vai estar em Catanduva para a inauguração do Nova Catanduva, né? Quanto que foi investido pelo governo federal nesse programa? MINISTRO GILBERTO KASSAB: No programa em Catanduva ou no Brasil inteiro?! REPÓRTER FABRICIO (Rádio CBN Grandes Lagos - São José do Rio Preto/SP): Em Catanduva. MINISTRO GILBERTO KASSAB: Catanduva são já 5 mil 504 unidades contratadas, Fabrício. Dessas unidades contratadas, se você fizer uma avaliação global do custo de todas, serão 325 milhões e, amanhã, dessas unidades contratadas, estão sendo entregues 1237 unidades. É um número bastante expressivo. Já foram entregues algumas e até o final do ano que vem, essas 5 mil e 500 unidades terão todas elas sido entregues. Vale ressaltar, é importante porque às vezes as pessoas não entendem como funciona o programa, Fabrício. Então, que os ouvintes saibam. Dessas 5500 em Catanduva, por exemplo, nós temos 2586 na faixa 1, o que é a faixa 1? A faixa 1 é o subsídio quase que total, 95% das unidades o governo que paga. A faixa 2 e a faixa 3, nós temos uma diminuição no subsídio, mas, mesmo assim, o subsídio é muito expressivo. E assim. Está sendo em todas as cidades do Brasil. Amanhã, a Hellen disse, toda a semana tem inauguração, não é toda a semana não, Hellen, é todo dia. É que algumas vezes por mês, com a nossa presença, a presença da presidente, a presença dos ministros, de alguma autoridade do Governo Federal. Mas, é quase que uma entrega diária. É um programa muito amplo, é o maior programa de inclusão social no campo da habitação que se tem história, na humanidade. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Fabrício, você tem outra pergunta? REPÓRTER FABRICIO (Rádio CBN Grandes Lagos - São José do Rio Preto/SP): Eu tenho sim. Ministro, o prefeito Valdomiro já disse, a semana passada, que vai aproveitar essa visita da presidente Dilma para fazer mais solicitações do Minha Casa, presidente Dilma já teve duas vezes aqui em são José do Rio Preto para fazer a inauguração desse programa. Tem algum plano para uma nova expansão do Minha Casa aqui em são José do Rio Preto? MINISTRO GILBERTO KASSAB: Temos uma boa notícia pro Valdomiro e para toda a população de Rio Preto e toda a região, Fabrício, no dia 10 de setembro nós estaremos lançando a fase 3 do programa Minha Casa, Minha Vida. Nessa primeira etapa, nós contratamos 4 milhões de unidades, como eu disse agora há pouco. Agora, no dia 10 de setembro, nós vamos lançar uma nova fase do programa, a fase 3, aonde nós iremos contratar 3 milhões de unidades. E é evidente que dentre dessas três milhões de unidades a nossa querida Rio Preto será sim beneficiada com o número bastante expressivo de unidades como foi na fase 1 e na fase 2. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Obrigada, então, Fabrício, da rádio CBN Grandes Lagos, pela sua participação aqui com a gente no Bom Dia Ministro que hoje recebe o ministro das cidades, Gilberto Kassab. Vamos então conversar com Santo André, ministro. É a rádio AM 1570, de Santo André, São Paulo. E a pergunta é de Anderson Afonso. Bom dia, Anderson.REPÓRTER ANDERSON AFONSO (Rádio AM 1570 - Santo André/SP): Bom dia a todos que acompanham o Bom Dia Ministro, bom dia ao ministro Gilberto Kassab. São 8h05, nós estamos ao vivo aqui pelo Jornal ABC, conversando com Brasília. Ministro Gilberto Kassab me ouve, ministro? Bom dia. A minha pergunta é sobre... APRESENTADORA HELEN BERNARDES: São Paulo, Capital, a rádio Capital AM de São Paulo, Sid Barbosa, bom dia, Sid.REPÓRTER SID BARBOSA (Rádio Capital AM - São Paulo/SP): Bom dia, bom dia ministro Gilberto Kassab. Ministro, o senhor foi prefeito aqui da cidade de São Paulo e o seu sucessor, Fernando Haddad fala em entregar, durante a gestão dele, 55 mil unidades habitacionais. O que é possível dizer disso dentro do âmbito da Minha Casa, Minha Vida? MINISTRO GILBERTO KASSAB: Bom, Sid. Bom dia, ouvintes da nossa querida capital. Capital presente em tantos momentos importante da história da cidade de São Paulo. É uma alegria muito grande, aqui de Brasília, estar conversando com vocês. Eu quero dizer para vocês que a cidade de São Paulo, qualquer que seja o prefeito, tem que ter no seu plano de governo uma prioridade grande para a questão habitacional. É muito importante que seja dada essa prioridade. Na nossa gestão, ao longo dos 7 anos que eu fui prefeito em São Paulo, nós pudemos beneficiar 360 mil famílias com intervenções. Seja com novas unidades, seja com reformas, com reurbanização. E está certo o prefeito em dar também uma prioridade à sua gestão. Eu quero dizer para você que, numa grande cidade, o programa Minha Casa, Minha Vida, ele sempre é mais difícil ser implantado por conta da dificuldade de ser encontradas áreas e pelo custo das áreas. Mesmo assim, o Governo Federal está ao lado do prefeito para que ele possa atingir a sua meta. Parte expressiva dessas unidades habitacionais que ele quer entregar serão com o programa Minha Casa, Minha Vida. E eu espero, sinceramente, como paulistano, como uma pessoa que já fui vereador, fui prefeito de São Paulo, reeleito prefeito de São Paulo, que ele consiga atingir os seus objetivos. São Paulo merece que a sua população mais desfavorecida possa ter a sua casa própria. No estado de São Paulo, Sid, veja só o número. Eu disse, agora há pouco, que nós estaremos contratando, que já contratamos 4 milhões de casas em todo o Brasil. Pois bem, só no estado de São Paulo são quase 720 mil unidades do programa Minha Casa, Minha Vida. E amanhã, no estado de São Paulo, nas cidades que estarão sendo, tendo inauguradas as suas unidades, são aproximadamente 2 mil e 500 unidades dessas 720 mil.APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Sid Barbosa, você tem outra pergunta? REPÓRTER SID BARBOSA (Rádio Capital AM - São Paulo/SP): Ministro, há alguma influência dos movimentos sociais por moradia na gestão no programa Minha Casa, Minha Vida. Está havendo algum tipo de intercâmbio, algum tipo de diálogo?MINISTRO GILBERTO KASSAB: Total. Os movimentos participam da gestão. Eles têm uma parcela expressiva das unidades, são construídas por eles em contratos que são estabelecidos com os movimentos sociais. A nossa expectativa é que essa participação possa ser ampliada porque o trabalho que eles têm desenvolvido tem sido um trabalho de muita qualidade. E isso é muito positivo porque na medida em que o governo e os movimentos sociais trabalham juntos, nós conseguimos entender melhor a demanda, nós conseguimos errar menos e essa tem sido a linha, essa tem sido a prioridade do programa Minha Casa, Minha Vida.APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Obrigada, então, Sid Barbosa, pela sua participação. Ele que é da rádio Capital AM, de São Paulo, Capital. Muito obrigada pela sua participação. Neste programa que é coordenado e produzido pela Secretaria De Comunicação Da Presidência da República. Hoje, o nosso assunto é o programa Minha Casa, Minha Vida. E o nosso convidado é o ministro das cidades, Gilberto Kassab. Você, ao final dessa entrevista, você pode acompanhar toda a transcrição e o áudio, fazer download do áudio desta entrevista no nosso site. Olha aí o endereço: www.ebcservicos.com.br. Vamos ministro, para Araraquara, local onde vão ser entregues unidades amanhã, na rádio Brasil 104,9 FM e a pergunta é de Vagner Luís. Bom dia, Vagner. REPÓRTER WAGNER LUIZ (Rádio Brasil 104,9 FM/Araraquara - SP): Utilizam uma técnica minimamente invasiva. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Bom dia, Wagner. Está me escutando? Acho que nós também tivemos um problema técnico, o Wagner deve estar ao vivo com a gente, né?! Vamos então continuar o nosso programa, Ministro. Primeiro eu queria saber, já existe uma quantidade de casas definidas para entregar até 2018. Eu queria saber qual é essa quantidade para que as pessoas que estão em casa possam entender que quem ainda não teve a casa própria pode ter. MINISTRO GILBERTO KASSAB: É importante que as pessoas que ainda não tiveram entregue a sua casa tenham confiança no programa, porque, Helen, um programa que já entregou 2 milhões e 300 mil casas, é evidente que vai entregar o que falta. Agora, é interessante fazer uma continha aqui para o ouvinte, para ele perceber o tamanho desse programa, o impacto desse programa no Brasil. Nós temos uma média de 4 pessoas por unidade, 4 pessoas por família morando em cada unidade, sejam aquelas que já receberam a unidade ou que vão receber. Vamos partir do princípio que até 2018 nós vamos já ter contratado as 3 milhões de unidades que estamos propondo na fase 3, que será lançada agora no dia 10 de setembro. Então, serão 7 milhões de unidades. Pois bem, 7 milhões de unidades, 4 pessoas por unidade, 28 milhões de pessoas terão sido atendidas nesse programa. A população do Brasil é, aproximadamente hoje, 203 milhões de pessoas. Essas 28 milhões de pessoas significam quase 15% da população brasileira, pois bem, 15% da população brasileira até 2018 terá sido beneficiada com a contratação de uma unidade para morar. É algo que não existe na história do Brasil e eu acho que em nenhum país do mundo. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Verdade. Ministro, vamos então para Araraquara, agora sim. Wagner Luiz, da rádio Brasil 104,9 FM conversa conosco. Bom dia, Wagner. REPÓRTER WAGNER LUIZ (Rádio Brasil 104,9 FM/Araraquara - SP): Oi, bom dia! Alô?! APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Bom dia, estamos ouvindo, pode fazer a sua pergunta. REPÓRTER WAGNER LUIZ (Rádio Brasil 104,9 FM/Araraquara - SP): Bom, eu queria saber do Ministro se é uma grande satisfação pessoal, ele que é do estado de São Paulo, foi prefeito do estado de São Paulo, poder fazer essa entrega de casas aqui na nossa região, na cidade de Araras! MINISTRO GILBERTO KASSAB: Araras ou Araraquara? REPÓRTER WAGNER LUIZ (Rádio Brasil 104,9 FM/Araraquara - SP): Não, de Araras, o senhor vai para Araras, não é?!MINISTRO GILBERTO KASSAB: Amanhã eu estarei em Araras. É uma satisfação muito grande, Wagner, estar falando com você, com os ouvintes e amigos de Araras. Uma cidade tão querida, tão próspera e é efetivamente uma alegria muito grande sim. Eu sendo de São Paulo, não que eu não sinta a mesma alegria em qualquer canto do Brasil quando eu estou entregando uma casa, mas, na nossa casa sempre é diferente, né?! Sempre é um sentimento diferente, numa cidade que a gente já conhece, que a gente acompanha os seus problemas há tanto tempo. Quando eu fui deputado estadual, deputado federal por duas vezes. E eu estou muito feliz, nós estaremos entregando em Araras 448 casas, o que é um número muito expressivo. A cidade foi beneficiada até agora com a contratação, no município, do programa Minha Casa Minha Vida, de 3815 unidades. Então, amanhã estaremos aí fazendo uma grande festa, porque a cidade de Araras merece, a sua população, em especial aquela que tinha como o seu grande sonho, o sonho da vida, né?! Porque, Helen, não há família que não tenha como prioridade a educação dos seus filhos, uma saúde, um atendimento de saúde digno e a casa própria, não é?! Qual é a família que não sonha com a casa própria? Às vezes, a família sonha uma vida, não é?! Eu, outro dia, tive a alegria de entregar a chave de uma unidade lá na cidade de Boa Vista, em Roraima, para uma senhora de mais de 75 anos, que era a primeira casa da sua vida. Você imagina a emoção, né, dessa senhora? Como ela chorava de alegria num sonho que ela tinha dúvidas já se um dia ia atingir, se um dia ia conseguir concretizar. Então, Araras amanhã terá a oportunidade de ver 448 famílias receber as chaves da sua casa. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Agora, bom lembrar para o Wagner que vai ter entrega simultânea em Araraquara também, né?! MINISTRO GILBERTO KASSAB: Não só em Araraquara, mas em Catanduva e Mauá, amanhã serão 2.500 unidades sendo entregues num trabalho coordenado pela presidente da república. Aliás, a Presidenta Dilma, Helen, sempre deixou claro que a sua prioridade, nesse governo, era o social. Todos sabem que o Brasil, como vários países do mundo, tem hoje uma dificuldade muito grande no campo da economia. Os ajustes precisam ser feitos para que a gente tenha uma estabilidade em nossa economia, mas, qualquer que seja o ajuste, sempre tem sido preservado os programas sociais. Programa Minha Casa Minha Vida continua, o bolsa-família continua, a presidenta Dilma, em todos os momentos deixou isso claro. E essa é a razão dos programas estarem andando, do Minha Casa Minha Vida, estar sendo tocado e as obras sendo entregues. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Wagner Luiz, você tem outra pergunta?REPÓRTER WAGNER LUIZ (Rádio Brasil 104,9 FM/Araraquara - SP): Olha eu tenho sim. Deixa eu conversar com ele direto? APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Fique à vontade. REPÓRTER WAGNER LUIZ (Rádio Brasil 104,9 FM/Araraquara - SP): Então, está certo. Ministro, vamos dar um bom dia agora direitinho, porque eu falei que o senhor ia para Araras, o senhor vai para Araras, nós teremos o Ministro Edinho aqui em Araraquara fazendo a entrega de mais 700 unidades também. E é por isso, né, nós teremos mais de 2.500 residências sendo entregues efetivamente nas próximas horas, né?! Amanhã, portanto. E eu queria saber do senhor, por exemplo, são mais de 13 mil e 700 pessoas beneficiadas, em média, né, com a entrega, principalmente, dessas casas. A estrutura de saúde, de transporte, creches, escolas é... como é que vai ficar essa situação que aqui em Araraquara a gente ainda enfrenta problemas com isso, viu, Ministro?! MINISTRO GILBERTO KASSAB: Olha, é importante, Wagner, você saber que esse programa, ele é uma parceria com as prefeituras, aonde o Governo dá os recursos, quem seleciona a área é a prefeitura e existem critérios que precisam ser obedecidos pelas prefeituras. Em relação aos equipamentos públicos, ao acesso ao transporte público, a presença de creches nas proximidades, de escolas. Então, é evidente que tudo isso tem sido obedecido, quem fiscaliza o programa é a Caixa Econômica, e que fiscaliza com muito rigor o atendimento desses critérios. Então, você pode ter certeza absoluta que todos eles, para estarem sendo inaugurados, é porque os critérios foram obedecidos. Tem escola nas proximidades, tem acesso ao transporte público, tem creches nas proximidades e, com isso, a inauguração vai, não apenas entregar uma casa à família, mas uma casa com a proximidade desses equipamentos e desses serviços públicos. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Obrigada, então, Wagner Luiz, pela sua participação aqui com a gente neste programa que é coordenado e produzido pela secretaria de comunicação da Presidência da república e o programa de hoje fala sobre o Minha Casa Minha Vida e recebe o Ministro das cidades, Gilberto Kassab. Ministro, o senhor falou de toda a infraestrutura que tem ao redor dessas casas que são construídas. Há também uma preocupação ambiental, não é isso? MINISTRO GILBERTO KASSAB: Sim. A preocupação é de toda a natureza em relação aos critérios de qualidade de vida e à questão ambiental, a sustentabilidade, cada vez mais os projetos, eles são construídos com critérios de sustentabilidade. Na fase 3, que será lançada no dia 10 de setembro, nós iremos avançar mais ainda nos critérios de sustentabilidade quanto à construção em si. E do ponto de vista ambiental, a presença de parques é... próximos às unidades, a construção de pequenas praças dentro das unidades, todas essas questões são analisadas com muito cuidado, mas, e também com muito rigor. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Vamos então para Santo André. Agora sim, Ministro, vamos conversar com a Rádio AM, 1570, de Santo André e a pergunta é de Leandro Amaral. Bom dia, Leandro. REPÓRTER LEANDRO AMARAL (Rádio AM 1570/Santo André - SP): Muito bom dia. Bom dia, Ministro. Ministro, em Mauá, 115 famílias serão beneficiadas com os imóveis do residencial Cerqueira Leite. A pergunta é: Se há previsão também de novas entregas especificamente para Mauá e para os outros municípios do abc? MINISTRO GILBERTO KASSAB: Bom dia, Leandro! Bom dia, ouvintes do ABC! Nossa querida região de São Paulo que tanto fez e tanto faz pelo Brasil com a geração de empregos, com as suas indústrias, os seus serviços. É verdade, amanhã estaremos em Mauá entregando 116 unidades, mas, eu volto aqui a alertar, muito mais unidades ainda serão entregues, porque só no município de Mauá, Anderson, são 5426 unidades contratadas. E nas cidades vizinhas, em todas elas temos um volume grande de contratação semelhante a esse de Mauá proporcional, evidentemente, à demanda existente nas cidades. E a notícia boa, que além dessas unidades contratadas, o ABC também vai contar, na fase 3 do programa Minha Casa Minha Vida, com um número muito expressivo de novas unidades que serão contratadas dentro dessas 3 milhões de novas unidades. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Leandro, você tem outra pergunta? REPÓRTER LEANDRO AMARAL (Rádio AM 1570/Santo André - SP): Isso, pois não. Ministro, há cerca de um ano foi assinado o contrato para a implantação da linha 18 - Bronze, que passa diretamente ou vai passar em 3 cidades do abc: Santo André, São Bernardo e São Caetano, e a última declaração do governador Geraldo Alckmin, justifica que as obras ainda não começaram por falta de repasse do Governo Federal. Existe alguma perspectiva nesse sentido?MINISTRO GILBERTO KASSAB: Olha, é importante registrar, Anderson, que apenas no estado de São Paulo, no campo da mobilidade, o Ministério das Cidades está investindo, nesses anos, R$ 160 bilhões. O ajuste econômico, no Ministério das Cidades, no campo da mobilidade, ele não vai cortar nenhum investimento. Essa é uma boa notícia. Porque são investimentos de prazo. São investimentos de 6, 7, 8 anos, alguns até de 10 anos, principalmente os de mobilidade como esse. Então, o ajuste econômico faz com que a gente tenha apenas um alongamento no cronograma da obra ou, às vezes, até nem alteração no prazo de entrega teremos porque o que. Você retém hoje de recursos, diminuindo um pouco o fluxo, você pode compensar amanhã caso a gente tenha, e todos nós esperamos que tenha, uma melhora na nossa economia. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Obrigada, então, Leandro Amaral, de Santo André, rádio ABC AM, 17570 pela sua participação aqui com a gente no programa Bom Dia, Ministro. Ministro, o senhor falava da faixa 1 do programa, onde as famílias têm a menor renda. Como é que o Minha Casa, Minha Vida, repercute financeiramente sobre a renda dessas famílias? Sobre a vida, na verdade?MINISTRO GILBERTO KASSAB: Olha, é uma pergunta importante essa porque diz respeito a qualquer família no Brasil, na fase 1 e na fase 2 do programa Minha Casa, Minha Vida, que tenha a sua inscrição feita e que já recebeu ou que vá receber a sua casa. Nesse programa, nós temos 95% dos recursos subsidiados pelo Governo Federal, pelo governo da Presidente Dilma. Então, veja só, vamos dar um exemplo aqui, imagine que você tenha uma unidade que custe R$ 60 mil. Pois bem, R$ 60 mil nós teremos 95% dos recursos subsidiados. Os 5% restantes, a família vai pagar em 10 anos. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Subsidiados, que o senhor diz, é o governo que paga? MINISTRO GILBERTO KASSAB: O governo que paga. A família não precisa pagar nada. E o restante a família paga em 10 anos. Tem famílias que pagam uma prestação de 25 reais. Eu estava outro dia em São Paulo, entregando uma unidade habitacional, conversando com a família, nem entregando, conversando com a família que tinha, que estava já morando na sua casa da faixa 1 do programa. Essa família, ela morava numa favela. Uma família até de pessoas muito próximas a mim, uma delas, inclusive, trabalha na empresa de um amigo meu. E ela pagava para morar nessa favela R$ 780,00 por mês. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: De aluguel? MINISTRO GILBERTO KASSAB: Aluguel! De aluguel, numa favela, com condições. Muito ruins. Todos sabem que uma favela não tem as condições adequadas de moradia. Ela já estava morando no imóvel. Na favela era um quartinho com um banheirinho jogado lá que, na beira do córrego. Ela estava... mudou já para uma unidade, está morando, 50 metros quadrados, pagando uma prestação de R$ 32,00. Para um imóvel que é seu. Então, veja a diferença, não é? Veja a importância desse programa. Então, a família estava morando melhor e estava sobrando, por mês, mais de R$ 700,00 para que ela pudesse comprar uma alimentação melhor, a família, não é, dar um pouco mais de dignidade para os seus filhos, não é, melhorar as condições de consumo, não é? E isso. Esse é o programa Minha Casa, Minha Vida. Além da geração de empregos. Imagina o que significa, na construção civil, a geração de empregos num programa que está construindo 4 milhões de casas e vai construir agora mais 3 milhões de casas?APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Isso que eu ia falar. Nós teremos aí uma nova, uma nova etapa do Minha Casa, Minha Vida, num Brasil hoje com a situação econômica que está. Esse programa, além de levar, de dar casa própria para quem, muitas vezes, não teria nenhuma possibilidade de acesso vai ajudar aí a alavancar a economia do Brasil nesse segundo semestre? MINISTRO GILBERTO KASSAB: Muito. Às vezes quem não conhece um pouco o funcionamento das coisas critica o programa. Eu vejo, às vezes, uns desavisados falando: Puxa vida, o governo vai cair o Minha Casa, Minha Vida, está gastando menos dinheiro! Vai construir menos . Calma lá! Era um volume muito grande de recursos. O que a gente está dizendo é que agora não será um volume tão grande assim, vai diminuir um pouco. Todos sabem disso, o governo fala a verdade, não faz segredo. Mesmo com essa diminuição, nós vamos atingir esse objetivo de entregar essas 4 milhões contratadas, contratar até 2018 mais 3 milhões e, com certeza, entregar essas 3 milhões. Não será no mesmo ritmo, na mesma velocidade, mas, numa velocidade bastante grande e, mesmo essa nova velocidade, um pouquinho mais baixa, ela não tem semelhança com nada que foi feito no mundo. Nada, não existe em lugar nenhum do mundo que tenha feito algo igual. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Atende inclusive o setor da construção civil, né? MINISTRO GILBERTO KASSAB: Muito, Helen! Muito! Gerando muitos empregos. Movimentando toda a cadeia da construção civil. E isso faz com que a gente consiga dar uma resposta, uma contribuição da construção civil para a crise que o Brasil vive na nossa economia. Para o difícil momento que o Brasil vive. É uma contribuição importante do Governo Federal, do governo da Presidenta Dilma comparecer com esse programa, fazer com que este programa não tenha é... Não desapareça, que ele não diminua numa intensidade muito grande, porque essa contribuição muito importante para geração de empregos principalmente. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Agora, bom a gente falar que não é uma questão só de pessoas que não têm acesso, retiram também muitas famílias de situação de risco. Eu me lembro que os senhores foram ao Acre, cidade muito atingida por alagamentos, né, ali. MINISTRO GILBERTO KASSAB: Sim. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: E muitas pessoas que estavam ali morando em situações degradantes saíram e puderam receber a casa própria, né?MINISTRO GILBERTO KASSAB: Esse é o objetivo do programa Minha Casa, Minha Vida. Ele retira as famílias que moram em condições de alta vulnerabilidade. Se aquelas que não têm, moram em condições. Em locais que não têm tratamento de esgoto, seja aquelas que moram em área de risco, seja aquelas que moram com pouca dignidade porque moram de favor, às vezes no fundo de quintal, no fundo de uma oficina. Então, ela atende todas as famílias que vivem em uma situação de grande vulnerabilidade social.APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Na etapa 3, já existe uma... Vocês já estão pensando como vai ser essa distribuição e 3 milhões de casas pelo país?MINISTRO GILBERTO KASSAB: Sim, será muito semelhante aos critérios da fase 1 e 2. São baseados em dados técnicos fornecidos pelas Prefeituras, mas compatibilizados com os dados do IBGE para que a gente possa praticar justiça social. Nós não podemos levar mais casas aonde menos precisa. Então, as casas serão levadas, serão construídas aonde há, efetivamente, mais necessidade. Existe uma hierarquização na definição das prioridades.APRESENTADORA HELEN BERNARDES: E quem não tem casa faz o que para participar do programa, ministro?MINISTRO GILBERTO KASSAB: Procura as Prefeituras, os seus assistentes sociais, a Secretarias de Habitação para que possam fazer as suas inscrições, para que possam ter os seus dados examinados e, com isso, estar habilitados a ter a sua casa própria no programa Minha Casa, Minha Vida. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Isso em todo o lugar? Qualquer lugar você pode procurar os locais de assistência social? Existe uma inscrição, né, ministro? MINISTRO GILBERTO KASSAB: Em qualquer lugar do Brasil, seja uma área rural, porque existe o Minha Casa, Minha Vida Rural. Seja uma área urbana. As pessoas procuram a Prefeitura. A Prefeitura, ela dá a orientação adequada. Quem tiver uma unidade da Caixa Econômica Federal, pode procurar também a Caixa, que a Caixa sabe orientar a quem as pessoas procurarem nas prefeituras. E dessa maneira, nós podemos habilitar a todos que, efetivamente, precisam ter a sua casa própria. APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Bem, ministro, infelizmente, o nosso tempo acabou. Muito obrigada pela participação, obrigada por tirar todas as nossas dúvidas com relação a esse programa. E vamos esperar aí mais 3 milhões de casas para os próximos anos. MINISTRO GILBERTO KASSAB: É um assunto tão importante, né, Helen? Que passa rápido o programa, não é? A gente nem percebe já acabou porque a gente se envolve muito com o tema, é um tema muito emocionante. A gente vê pelas milhares de participações das pessoas, contribuições com ideias em todo o Brasil que, semanalmente, nos procuram querendo informações, querendo contribuir com apontamentos. E isso mostra a importância desse programa para o nosso Brasil.APRESENTADORA HELEN BERNARDES: E amanhã o estado de São Paulo todo ligado recebendo casas simultaneamente aí. MINISTRO GILBERTO KASSAB: Amanhã 2.500 famílias em festa. Concretizando o grande sonho da sua vida que é a conquista da sua casa própria.APRESENTADORA HELEN BERNARDES: Obrigada então ministro, você pode ouvir o áudio e a transcrição dessa entrevista logo após o programa no nosso site. Anote aí: www.ebcservicos.com.br. A NBR também apresenta a gravação desta entrevista em horários alternativos na sua programação. Agora você também pode acompanhar e assistir todo o programa no nosso canal no Youtube, www.youtube.com/tvnbr. Nós agradecemos a participação do ministro Gilberto Kassab aqui conosco e a todos que nos acompanham pelas rádios, a vocês, ouvintes, e a quem nos acompanhou em nossas redes sociais. Muito obrigada! E até o próximo programa.