31/07/2015 - No Bom Dia Ministro, George Hilton fez balanço da participação brasileira nos Jogos Pan-Americanos

O Bom Dia, Ministro dessa sexta-feira (31) recebeu o ministro do Esporte, George Hilton, para fazer um balanço da participação do Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, encerrados no último domingo. O ministro também falou sobre as políticas públicas de incentivo ao esporte em andamento no país. A entrevista é produzida e coordenada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República e transmitida ao vivo, das 8h às 8h30, pela TV NBR e via satélite de rádio para todo o país.

audio/mpeg 31-07-15-bom-dia-ministro-george-hilton-esportes.mp3 — 29214 KB




Transcrição

APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Olá amigos de todo o Brasil, começa agora mais uma edição do Bom dia, Ministro. Programa que tem a realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Eu sou Roberto Camargo e recebo hoje o ministro do Esporte, George Hilton. Bom dia ministro.MINISTRO GEORGE HILTON: Bom dia Roberto. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Seja bem-vindo ao programa. MINISTRO GEORGE HILTON: Muito obrigado. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Na pauta desse programa, um balanço da participação brasileira nos jogos pan-americanos de Toronto, no Canadá, que terminaram no último domingo. E ainda, as políticas públicas de incentivo ao esporte em andamento no Brasil. O ministro vai conversar com radialistas de todo o país nesse programa que vai ao ar via satélite pelo mesmo canal de a Voz do Brasil e que também é transmitido ao vivo pela TV NBR, a TV do Governo Federal. Você pode participar desse programa enviando suas perguntas pelas redes sociais. Anote aí os nossos endereços: facebook.com/tvnbr ou se preferir twitter.com/tvnbr. Ministro, já está na linha para conversar com o senhor a rádio Rede Brasil, de Recife, Pernambuco. Quem vai fazer a pergunta é Jô Araújo. Olá Jô, bom dia a você.REPÓRTER JÔ ARAÚJO (Rede Brasil/Recife - PE): Muito bom dia ministro, muito bom dia a todos. Ministro, o Brasil aí terminou os jogos pan-americanos de Toronto, no Canadá, em terceiro lugar no quadro de medalhas, qual o balanço, então, a avaliação com relação à posição do Brasil nesses jogos pan-americanos de Toronto? MINISTRO GEORGE HILTON: Olha, nós consideramos que foi excelente. O nível de satisfação, tanto nós do governo como também do Comitê Olímpico Brasileiro, das Confederações, os próprios treinadores, eles fizeram balanço de que foi extremamente positivo, principalmente, porque a gente conseguiu consagrar algumas modalidades que têm tudo para chegar aqui no Rio de Janeiro e ganharem medalhas de ouro, como os esportes náuticos, a natação, que aliás teve no Thiago mais um trunfo importante colocando ele como um dos maiores medalhistas de todos os tempos, o judô teve um desempenho espetacular e, além disso, outras modalidades que até então não se tinha tantos resultados, começam a surgir aí como uma grande promessa, como o handebol que surpreendeu tanto a equipe masculina e feminina, outras modalidades que até então eram desconhecidas e começam a ganhar força, o badminton, a canoagem teve um desempenho acima do esperado. Portanto, a gente acredita que a evolução desses atletas é um indicativo de que nós teremos uma Olimpíada bem competitiva e a expectativa do Brasil é ficar entre os dez do Olímpico e entre os cinco do Paraolímpico. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO Jô Araújo, você tem mais alguma pergunta ao ministro George Hilton? REPÓRTER JÔ ARAÚJO (Rede Brasil/Recife - PE): Uma outra pergunta, ministro, é com relação a que muitos desses atletas que estiveram, inclusive, no pódio do lá no pan-americano, eles são bolsistas do Ministério do Esporte e também recebem bolsa atleta, e com relação às políticas de pública de incentivo ao esporte, é esse então o caminho para que o Brasil possa conseguir destaque internacional no esporte?MINISTRO GEORGE HILTON: Não tenha dúvida. A receita é essa, essa é fórmula e nós entendemos que foi importante o investimento feito. Foram 500 milhões nos últimos quatro anos investidos na preparação desses atletas, alguns deles contam com uma equipe multidisciplinar, são várias pessoas envolvidas nisso, fisioterapeutas, nutricionistas preparadores físicos, alguns, inclusive, com experiência internacional, nós trouxemos de fora. Esses atletas, alguns deles treinam fora do país, todos eles bancados pelo Ministério do Esporte e o que nós percebemos aí, é que a partir desses investimento a performance desses atletas começou a subir, eles passaram a ter desempenho melhor, e não só num evento como esse do Pan, nós estamos tendo campeonatos mundiais agora e que esse também será para nós um diagnóstico até muito mais apurado, porque num evento regional você não tem tantas forças internacionais competindo, mas acabamos de ter agora resultados importantes em alguns campeonatos que estão acontecendo lá fora e que vai nos dar aí uma ideia da importância, não só dos investimentos, mas que a gente continue aplicando essas políticas de apoio ao alto rendimento e que depois das Olimpíadas do Rio, eles vão se voltar também para base. Nós temos um plano muito estratégico de fazer grandes investimentos também no esporte de base, para que torne o país nas próximas Olimpíadas, um país competitivo e uma potência esportiva.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado Jô Araújo, de Recife, pela participação aqui no programa. E de Recife, ministro, nós vamos para o Rio de Janeiro, que se prepara para sediar os Jogos Olímpicos e para Paraolímpicos de 2016. É a rádio Tupi e a pergunta quem faz é Cristiano Santos. Olá Cristiano, muito bom dia. REPÓRTER CRISTIANO SANTOS (Rádio Tupi/Rio de Janeiro - RJ): Bom dia, Ministro. Prazer falar com o senhor aí e todos do programa. Já que o Rio se prepara para receber, para sediar aqui os Jogos Olímpicos do ano que vem, 2016, ministro, a gente queria saber: há uma política voltada para investimento nos atletas aqui do Rio de Janeiro? Porque o que a gente percebe aqui, que são muitos atletas e que dependem, exatamente, de investimento, exatamente de incentivo para que eles possam até mesmo alavancar nas suas modalidades e tudo mais. Eu queria saber se há um projeto para Rio de Janeiro, já que o Rio de Janeiro vai sediar as Olimpíadas do ano que vem, ministro?MINISTRO GEORGE HILTON: Olha, o Ministério do Esporte trabalha com três estruturas nacionais que a gente chama de Sistema Nacional de Esporte, que compreende o Comitê Olímpico Brasileiro, cuja sede é no Rio de Janeiro, o Comitê Paraolímpico Brasileiro, que também tem uma atuação muito importante no Rio de Janeiro e a CBC que é a Confederação Brasileira de Clubes. Aliás, o Rio de Janeiro tem clubes que têm uma atuação muito importante na formação de atletas e que recebe recursos perenemente do Ministério do Esporte. É importante que o atleta hoje esteja, ele trabalhando junto à sua federação, a sua confederação e ela faça parte desse sistema nacional. Quando o clube é ligado a CBC ou quando ele faz parte do Comitê Olímpico Brasileiro e do Comitê Paraolímpico Brasileiro, automaticamente, ele está credenciado a receber recursos da Lei Agnelo Piva, que é um recurso importante que vai para essas três esferas, além dos convênios direto com o Ministério do Esporte. Isso nos proporcionou ao longo dos anos ter um desempenho muito grande no alto rendimento e a tendência nossa, mesmo depois das Olimpíadas, é manter todas essas fontes, nós prorrogamos agora a lei de incentivo ao esporte que é outro mecanismo também que sai até dessa confira do CPB do COB e do CBC. Hoje se um clube entidade, se uma entidade esportiva, ela apresentar um projeto no Ministério do Esporte através do apoio de empresa privada, essa empresa pode do ar até 1% do seu lucro real, e esse recurso vai para uma conta específica e ele fomenta projetos esportivos, construção de equipamentos de locais para prática esportiva, além de atletas que podem ser beneficiados também com a lei de incentivo ao esporte. Portanto, nós temos a Lei Agnelo Piva, nós temos o convênio direto do Ministério do Esporte e, ainda temos a lei de incentivo que pode ser feito em parceria com qualquer entidade privada.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Cristiano Santos, mais alguma pergunta ao ministro George Hilton? REPÓRTER CRISTIANO SANTOS (Rádio Tupi/Rio de Janeiro - RJ): Não, não, somente essa pergunta, obrigado ao ministro, obrigada à produção do programa.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Nós que agradecemos a participação do Cristiano Santos, da rádio Tupi do Rio de Janeiro. Você está acompanhando o programa Bom dia, Ministro, que é realização da Secretaria da Comunicação Social da Presidência da República. Nós recebemos hoje o ministro do Esporte, George Hilton. E nós temos pergunta em vídeo que foi enviada pelo Twitter por Fernando Cotrim(F), aqui mesmo de Brasília. Vamos acompanhar a pergunta do Fernando. SR. FERNANDO COTRIM(F): Olá ministro, tudo bem? Meu nome é Fernando e eu quero saber do senhor como que as políticas de incentivo ao esporte vão incentivar e vão criar medalhas para as Olimpíadas de 2016? Abraço e até mais. MINISTRO GEORGE HILTON: Pois é, esse recurso que nós temos aplicado na preparação dos atletas, como eu disse, alguns deles que já têm uma performance muito maior e chances, nós criamos um programa chamado Brasil Medalhas, que é um programa arrojado, ele prevê, inclusive, recursos através de bolsa para alguns, que a gente colocou bolsa pódio. Bolsa pódio, ele chega a dar para cada atleta desse por mês algo em torno de R$ 15.000,00, que permite a esse atleta ter toda uma estrutura. Nós investimos ao longo desses quatro anos, Roberto, 4 bilhões em todo o Brasil, a partir do Rio de Janeiro, da Barra De Deodoro e nós estamos entregando também centros de formação olímpica e paraolímpica em todo o país. Fizemos 12 centros de excelência para várias modalidades, esses centros, alguns, já estão em pleno funcionamento, como o centro pan-americano de judô, lá na Bahia, lá em Lauro de Freitas. Estamos para concluir em Fortaleza um centro de formação olímpica com muita excelência. No Rio de Janeiro, nós temos o centro de tiros que é o que que há de mais moderno hoje para os atletas, São Paulo nós temos o centro de formação de handball e também de atletismo em São Bernardo do Campo, estamos entregando em outras capital do Brasil vários centros desse, além dos centros de iniciação que estão sendo criados, são mais de 260 que serão entregues também em várias cidades do Brasil formando assim uma rede nacional de treinamento muitos desses garotos tinham que sair até dos seus estados para vir para São Paulo, Rio, Minas, para treinar, eles vão ter agora equipamentos modernos, só em universidades nós iremos entregar mais de 40 pistas de atletismo, todas elas certificadas com material importado e que credencia esses meninos a se preparar e ter um desemprenho muito importante aqui. Então, todo esse conjunto de ações que vai da construção de equipamentos, de centros de treinamento e também a preparação dos atletas, eu tenho certeza que o Brasil vai ter um desempenho muito importante no Rio de Janeiro. E insisto. A nossa meta é chegar entre os dez no olímpico e entre os cinco no paraolímpico é uma meta ousada, mas acredito que os resultados que a gente vem tendo ao longo dos anos e desses eventos que temos participado, mostra que estamos no caminho. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Então não somente os investimentos são importantes, ministro, mas a colocação de forma que todos tenham acesso nas diferentes região do país.MINISTRO GEORGE HILTON: Exatamente, a gente quer interiorizar isso. E olha que a experiência tem sido tão boa que temos atletas do Norte, do Nordeste que estão tendo desempenhos importante não só agora no Pan, mas também nos campeonatos mundiais que estão acontecendo em várias partes do mundo.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Nós agradecemos ao Fernando Kutrin, de Brasília por ter enviado essa pergunta ao ministro George Hilton, e voltamos a falar com as rádios, ministro, agora é a vez da rádio Estadão ESPN, de São Paulo, nós vamos ouvir Gustavo Lopes. Bom dia Gustavo.REPÓRTER GUSTAVO LOPES (Rádio Estadão ESPN/São Paulo - SP): Bom dia, Bom dia, Ministro. Ministro, uma análise da qualidade de água encomendada pela Associated Press encontrou nível perigoso, alto, de vírus e também de bactérias de esgoto humano ali na baia de Guanabara e alguns atletas que treinam por lá já apresentaram estados febris, vômitos e diarreias, eu gostaria de saber se essa é situação que preocupa o Ministério do Esporte.MINISTRO GEORGE HILTON: As autoridades do Rio de Janeiro já vieram a informar, nós vimos várias declarações de autoridades do estado dizendo que não corresponde essas informações. O próprio técnico da seleção brasileira de remo disse estar surpreso, porque ele desconhece, já que nós temos ali vários atletas brasileiros que fazem uso constante da baia de Guanabara, eu tenho certeza que nós vamos ter à medida que vai se aproximando os eventos testes, o governo do estado do Rio de Janeiro, as autoridades têm demonstrado uma preocupação muito grande no sentido de atender todas as exigências e eu acredito nisso, o trabalho que tem sido feito entre Ministério do Esporte, estado do Rio de Janeiro e prefeitura, nós temos proporcionado todas as condições que são necessárias para que tenhamos aí os eventos testes e também as provas que acontecerão no próximo ano dentro da normalidade. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Nós agradecemos ao Gustavo Lopes da rádio Estadão de São Paulo pela participação aqui no programa Bom dia, Ministro. E de São Paulo, nós voltamos aqui para o Distrito Federal. A rádio Nova Aliança de Brasília, tem uma pergunta ao senhor com a Priscila Roque. Olá Priscila, bom dia. REPÓRTER PRISCILA ROQUE (Rádio Nova Aliança/Brasília - DF): Bom dia, bom dia a todos. Ministro, o senhor esteve em Toronto no Canadá, visitou instalações, pôde ver de perto e acompanhar os atletas se preparando, treinando para as disputas. Pois bem, falou sobre investimento, falou também a respeito da preocupação com relação à contaminação da água no Rio, na baia de Guanabara, ministro, o senhor acredita que no ano que vem, já que somos os anfitriões dessa vez, o senhor acredita que temos condições de oferecer a mesma estrutura para esses atletas com relação à recepção, organização e não só os atletas, mas também ao público que vai conferir os jogos olímpicos? MINISTRO GEORGE HILTON: Com certeza. O Brasil provou isso na Copa do Mundo. Havia muitas incertezas. Haviam algumas preocupações até de segmentos do esporte no Brasil e no mundo e nós provamos, até porque, um evento como esse, ele reúne toda a equipe de profissionais da mais alta competência de vários ministérios. É importante, apesar do protagonismo do evento das Olimpíadas ser do Ministério do Esporte, mas ele envolve grupo que tem técnicos de vários ministérios, ministério da defesa, ministério da justiça, do turismo, nós temos pessoas atuando também no ministério de Minas e Energia, temos a Casa Civil participando ativamente, nós temos autoridade pública olímpica que é órgão que está no Rio de Janeiro o tempo todo monitorando as obras, monitorando a atuação dos vários entes, do estado, da prefeitura, existe hoje uma parceria com as forças armadas que tem nos ajudado, alguns eventos testes, inclusive, estão sendo feitos para a questão da segurança, equipamos centros de monitoramento que não perdem nada para os países que já fazem esses eventos, temos toda uma cronologia de ações e de segurança que vão permitir que o turista esteja no Brasil, e olha que a Copa do Mundo envolveu várias cidades. As olimpíadas acontecem apenas no Rio de Janeiro e as partidas do futebol em mais cinco capitais do Brasil, portanto, está integrada, é uma força que une as Forças Armadas, une a Polícia Federal, une também a Polícia estadual do Rio de Janeiro. A guarda municipal, nós temos um grupo de trabalho que discute todas essas questões, que envolvem mobilidade, que envolve segurança, que envolve a recepção aos turistas e vocês podem ter certeza que a exemplo da Copa do Mundo, nós vamos fazer um belo espetáculo, o turista vai chegar e vai se apaixonar como aconteceu na Copa e nós vamos ter, como bem tem dito a nossa presidenta Dilma, uma Olimpíada monumental, que certamente vai incrementar o turismo, isso é bom para a economia local, é bom para a relação também entre os povos e mostrar que o país está preparado para sediar um evento como esse, aliás, o maior de todos. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Sem dúvida. Priscila Roque, o que mais gostaria de perguntar ao ministro George Hilton?REPÓRTER PRISCILA ROQUE (Rádio Nova Aliança/Brasília - DF): Diante disso, o que ainda precisa ser melhorado até as olimpíadas? O que o ministro ainda considera que ainda deve ser prioridade até as olimpíadas? MINISTRO GEORGE HILTON: Olha você... É importante essa pergunta, porque a partir dos eventos testes que a gente vai ter agora no Rio de Janeiro, eles funcionam para isso. Para mostrar exatamente onde a gente tem que melhorar. Onde temos que avançar e eu espero que apareçam agora. Que essas deficiências surjam agora durante eventos testes para que a gente possa ter o cuidado de no evento, sim, no próximo ano, a gente ter corrigido todas essas eventuais imperfeições. Nós temos trabalhado muito na área de credenciamento, eu observei que que lá em Toronto teve muito problema com questão de credenciamento, questão de transporte dos atletas. Havia reclamação muito grande e nós temos equipes de observadores de vários ministérios, da APO, que estão agora não só em Toronto mas também acompanhando outros eventos mundiais que estão acontecendo, justamente para que a gente possa trazer o máximo possível de informações que nos permitam cuidar de todos esses detalhes, que vai desde a recepção ao turista, às autoridades, aos atletas, o conforto e transporte, e a área de credenciamento para que a gente possa não ter surpresa. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado Priscila Roque pela participação aqui no programa. E ministro, o Tiago de Oliveira Xavier que mora em Guarulhos, São Paulo. Enviou uma pergunta ao senhor pelo Facebook. Ele quer saber qual a perspectiva que o ministro tem quanto à realização de olimpíadas do Rio de Janeiro daqui um ano? MINISTRO GEORGE HILTON: A perspectiva é a melhor possível. Eu tenho observado e visitado as Confederações, eu tenho visitado os atletas, fiz questão de ir lá em Toronto, fui na vila dos atletas, pude apertar a mão de vários deles, olhar nos olhos e dizer que nós temos grande expectativa, sem causar nesses atletas uma espécie de pressão. Uma coisa que nós observamos na Copa do Mundo é que cuidamos de todos os detalhes, equipamos as capitais com corredores de transporte rápido, fizemos investimento em mobilidade, infraestrutura urbana, construímos as grandes arenas com todo conforto, mas nossos atletas quando chegaram em campo tiveram uma pressão psicológica tão grande e a gente viu que muitos deles, e de forma até natural, compreensivo, imagina você estar disputando uma Copa do Mundo no seu país e tendo ali a responsabilidade de ter que ganhar já que o Brasil é um país pentacampeão. Nós temos trabalhado também com os atletas, mostrando para eles que a gente acredita neles, sem pressão, sem obrigar o atleta a ter que fazer algo, que a gente sabe que ele vai se esforçar, que ele tem todas as condições, esse vai ser o trabalho também que quero fazer já a partir de agora, preparação através de profissionais, de psicólogos, para que nossos atletas entrem confiantes e eu tenho certeza que a gente vai surpreender.APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Nós agradecemos ao Tiago Xavier(F) de Guarulhos pela pergunta enviada pelo Facebook aqui ao programa. E você que está nos acompanhando pode também participar do Bom Dia, Ministro pelas redes sociais, você pode acessar, por exemplo, o nosso Facebook: facebook.com/tvnbr, ou se preferir ainda, pelo Twitter: twitter.com/tvnbr. É só enviar sua pergunta que nós vamos procurar inserir aqui durante o programa e se não for possível, nós encaminharemos à assessoria de comunicação do Ministério. E agora, Ministro, nós vamos ao Ceará, vamos conversar com a rádio FM Dom Bosco de Fortaleza, a pergunta quem faz é Jocasta Pimentel. Bom dia, Jocasta.REPÓRTER JOCASTA PIMENTEL (Rádio FM Dom Bosco/Fortaleza - CE): Bom dia, bom dia, Ministro. MINISTRO GEORGE HILTON: Bom dia, Jocasta.REPÓRTER JOCASTA PIMENTEL (Rádio FM Dom Bosco/Fortaleza - CE): Em um ano de dificuldades econômicas um programa como o bolsa atleta ficará comprometido? Deve haver alguma redução nesse incentivo? MINISTRO GEORGE HILTON: Não, não. Não haverá porque nós tivemos que contingenciar programas novos que nós iríamos iniciar e justamente para que o bolsa atleta não pudesse sofrer nenhum tipo de contingenciamento. Entendemos que é fundamental agora já nessa reta final que esses investimentos continuem objetivando que os atletas não sofram nenhuma descontinuidade nos treinamentos, na preparação que eles vêm tendo, o Ministério também, através desse recurso, tem bancado as viagens, tem bancado toda a alimentação. Nós temos a preocupação de que os locais aonde estão acontecendo os treinamentos sejam providos de todo o equipamento de alta tecnologia, de alta... modernos, portanto esta é uma situação que você pode ter certeza, Jocasta, e todos os brasileiros, que os recursos do bolsa atleta vão continuar. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Jocasta Pimentel, mais alguma pergunta ao ministro George Hilton? REPÓRTER JOCASTA PIMENTEL (Rádio FM Dom Bosco/Fortaleza - CE): Bem, Ministro, eu queria que o senhor um pouco mais o funcionamento do projeto Vilas do Esporte, já que ele vai integrar parcerias aí também com os municípios? MINISTRO GEORGE HILTON: O Vilas do Esporte é justamente um programa que, assim que eu assumi o ministério aqui, eu determinei que ele pudesse acontecer. Nossa equipe de engenharia cuidou muito bem disso. Você sabe que nós preparamos durante... desde que o rio foi anunciado como a cidade que sediaria os Jogos Olímpicos, o Governo preparou um plano de legado que vai da construção de centros de formação olímpica e paraolímpica, aos centros de iniciação, que são ginásios equipados com todo tipo de equipamentos para várias modalidades, podendo ser praticados até 20 modalidades nesses centros de iniciação, sendo 13 olímpica, seis paraolímpica e uma não olímpica. Ótimo, isso está sendo preparado as prefeituras estão em fase de licitação e nós queremos entregar, até o início do próximo ano esses centros de iniciação. Mas uma coisa que observei viajando esse país, é que as cidades pequenas, os municípios até 50 mil habitantes, eles ficaram de fora desse legado, eles não foram beneficiados com nenhum tipo de investimento que pudesse também ser a iniciação nessa cidade, então com o objetivo de interiorizar e fazer com que a gente pudesse massificar a prática esportiva, eu entreguei um diagnóstico agora recentemente que mostra uma realidade que preocupa, 45,9% dos brasileiros são sedentários, não praticam nenhum tipo de atividade física ou de pratica esportiva, de atividade esportiva. Então, qual a minha preocupação? Não deixar que passe esse período tão importante, esse ciclo virtuoso de grandes eventos, sem ter uma política transversal que chegue lá na cidade pequena, cidade de até 50 mil habitantes. Então, a Vila do Esporte é um legado, só que estendendo ele ao Brasil inteiro. E uma coisa importante na Vila do Esporte é que é um equipamento que do ponto de vista da gestão dele é mais barato. Um CE, por exemplo, que é Centro de Iniciação, ele custa hoje algo em torno de 3.700 a 4 milhões, enquanto que a Vila do Esporte, com 1 milhão e 200 você faz ela, e é um módulo que compreende uma quadra coberta, um campo de futebol society, uma academia ao ar livre e uma pista de cooper para a caminhada. O município terá que entregar essa área, a única contrapartida que a gente vai querer deles, é justamente que eles nos entregue uma área que tem que ter no mínimo 3 mil e 500 metros quadrados, nós vamos colocar esses equipamentos nas cidades menores, a partir delas as escolas, o gestor municipal, poderá utilizar desses equipamentos para o Segundo Tempo, para o PELC, para o Vida Saudável. Ele poderá ter outros programas que vão permitir a partir desse espaço, que atividade física e esportiva seja praticada. Então, sem tirar nenhum mérito do Centro de Iniciação ao Esporte, do Centro de Formação Olímpica e Paraolímpica, o grande legado que vamos entregar para o povo brasileiro sem dúvida vai ser a Vila do Esporte, porque ela chega às cidades e locais distantes, que talvez nunca tiveram nenhum local nunca, tiveram nenhum equipamento, muitas cidades dessas têm lá um pedaço de chão batido, onde as crianças jogam futebol, a Vila do Esporte é uma revolução, ela faz uma revolução no país e a gente quer que a partir do próximo ano, com esforços não só do orçamento público, mas parcerias que eu estou buscando agora com vários setores privados, nós vamos levar esses equipamentos para todo o país. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Obrigado Jocasta Pimentel da rádio Dom Bosco de Fortaleza, Ceará, pela participação. Nós estamos entrevistando hoje o Ministro do Esporte, George Hilton, nosso convidado aqui no Bom dia, Ministro. Lembrando que o áudio dessa entrevista vai ser disponibilizado ainda hoje na internet o endereço é www.servicos.ebc.com.br. E nesta nova fase do programa, Ministro, nós estamos abrindo mais espaços para as rádios comunitárias do Brasil. MINISTRO GEORGE HILTON: Excelente. Parabéns. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: E hoje participa conosco a rádio comunitária A Voz das Comunidades de Manaus, a pergunta quem vai fazer é o Erleilson Brito. Olá, Erleilson, bom dia a você. REPÓRTER ERLEILSON BRITO (Rádio Comunitária A Voz Das Comunidades 87,9 FM/Manaus - AM): Bom dia, bom dia ao Ministro gestor George Hilton.MINISTRO GEORGE HILTON: Bom dia.REPÓRTER ERLEILSON BRITO (Rádio Comunitária A Voz Das Comunidades 87,9 FM/Manaus - AM): Nós falamos aqui direto de Manaus e a gente está sabendo, as informações vieram à tona, que no Rio 2016 terá um centro anti-terrorismo e uma mega aí, um plano... um mega plano de operação de segurança para o Rio de Janeiro, mas nós sabemos que muitas outras capitais serão sedes também desses jogos. Como fica a segurança nessas outras capitais, inclusive aqui na capital manauara. MINISTRO GEORGE HILTON: Ela segue o mesmo plano, a mesma estratégia, como fizemos na copa do mundo. Todas as cidades que foram sedes, elas contaram com todo uma central de monitoramento, contaram com... foram aplicadas algumas estratégias muito utilizadas também na política de combate ao terrorismo, atentados, e para isso existe hoje um grupo de trabalho que envolve as forças armadas através do Ministério da Defesa, Ministério da Justiça, com a Polícia Federal, e as políticas dos estados aonde acontecerão esses eventos. No caso aí, nós teremos as partidas de futebol, e esse trabalho já está sendo feito através de várias reuniões que envolvem aí todos esses entes e você pode ter certeza que a nossa querida Manaus vai ter toda uma política, todo um esquema de segurança aí para as partidas de futebol que acontecerão. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Obrigado, Erleilson Brito, da rádio comunitária A Voz das Comunidades de Manaus, Amazonas. E com esta emissora nós encerramos o programa de hoje,m agradecendo à todos que participaram. Lembramos mais uma vez que o áudio dessa entrevista vai estar disponibilizado ainda hoje na internet, o endereço, anote aí: www.servicos.ebc.com.br; e a TV NBR reapresenta o Bom dia, Ministro em horários alternativos durante a programação, você pode ainda ver ou rever o programa pela internet, ainda hoje ele vai estar disponível em nosso canal no Youtube, basta acessar: youtube.com/tvnbr. E as perguntas enviadas para o programa que não foram respondidas vão ser encaminhadas para a assessoria de comunicação do Ministério do Esporte. Ministro George Hilton, muito obrigado pela participação aqui. MINISTRO GEORGE HILTON: Acabou? APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Acabou, estava tão bom, mas chegou momento. MINISTRO GEORGE HILTON: Você sabe que você colocando um radialista para participar de uma entrevista é uma tentação, se brincar eu não saio daqui hoje. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: É verdade.MINISTRO GEORGE HILTON: Mas, olha, parabéns, eu vejo isso como uma evolução enorme, um canal aberto com a população, com a sociedade, parabenizar vocês por essa... disponibilizar esse momento que os ministros podem chegar aqui e esclarecer a população sobre as políticas e os programas que são realizados. APRESENTADOR ROBERTO CAMARGO: Muito obrigado a você que também participou pela rádio, pela TV, nos acompanhando pelas redes sociais também e aguardamos a sua participação no próximo programa. Bom dia a todos.