Lula diz que democracia política está com raízes mais sólidas na América do Sul

audio/mpeg 130.2009-10-06.4172397776.mp3 — 5640 KB




Transcrição

'Luiz Fara Monteiro: Bom dia você em todo o Brasil. Eu sou Luiz Fara Monteiro e começa mais uma edição do Café com o Presidente o programa de rádio do presidente Lula. Bom dia, presidente.

Presidente Lula: Bom dia, Luiz.

Luiz Fara Monteiro: Presidente, semana passada o senhor dedicou sua agenda a encontros internacionais. Foi à Inglaterra, se encontrou com o presidente eleito do Haiti, René Preval, foi ao Chile para a posse da presidente Michelle Bachelet. Qual é o saldo dessas atividades dedicadas à política externa?

Presidente Lula: Bom, ainda tivemos uma reunião com a primeira-ministra da Nova Zelândia porque nós queremos aproximar o Brasil da Nova Zelândia e a Nova Zelândia do Brasil. Tivemos uma reunião com o primeiro-ministro do Marrocos porque eles vão sediar o próximo encontro América do Sul - Países árabes. Luiz, essa foi uma semana em que eu queria começar pelo último país que eu visitei, o Chile. A minha ida ao Chile para participar da posse da presidente Michelle Bachelet é, na verdade, um compromisso de gratidão com o povo chileno pelo que ele fez pelo Brasil, pelo que ele fez conosco quando acolheu brasileiros perseguidos aqui no tempo do regime militar. Nós também acolhemos aqui muitos chilenos na época do Pinochet. Portanto, eu fui lá em forma de agradecimento e para valorizar a consagração da democracia na América do Sul, na América Latina e no Chile.

Luiz Fara Monteiro: O senhor diria então, presidente, que é mais um sinal de que a democracia política está consolidada na América do Sul?

Presidente Lula: Nós estamos consolidando. Eu diria que a democracia política ela está com as suas raízes mais sólidas porque as instituições estão funcionando bem em todos os países. A democracia social ela vai depender ainda do pagamento que todos nós temos que fazer para atender as demandas sociais, que são muito grandes em toda a América Latina, em toda a América do Sul. Eu acho que estamos dando passos importantes. Eu vi quase todos os presidentes da América do Sul lá, quase todos da América Latina, alguns com representantes, com o vice-presidente. Foi um fato importante porque a nova presidente do Chile ela foi uma mulher vítima do autoritarismo no Chile, ela foi perseguida, presa, teve o seu pai assassinado. E ela não tem ressentimento. Ela foi ministra da Defesa, foi ministra da Saúde e ela demonstrou na sua vida política que tem tolerância para tentar construir o futuro, ao invés de ficar apenas remoendo o passado.

Luiz Fara Monteiro: Esse é o Café com o Presidente, o programa de rádio do presidente Lula.

Presidente Lula: A segunda parte importante desses encontros internacionais, Luiz, foi o meu encontro com o presidente do Haiti.

Luiz Fara Monteiro: René Preval.

Presidente Lula: O presidente Preval, que acabou de ser eleito, passou no Brasil. Teve conversa com
várias pessoas aqui e viajou quatro horas e meia comigo no avião. Nós fomos conversando até o Chile, discutindo a situação do Haiti, no que o Brasil pode ajudar. Ele me disse textualmente que as tropas que estão lá, representando as Nações Unidas, só deveriam sair de lá quando ele conseguir montar a estrutura policial do país porque não pode ficar um vazio.

Luiz Fara Monteiro: Quer dizer, a curto prazo o Brasil continua lá com as tropas de paz da ONU?

Presidente Lula: O Brasil vai continuar até que o governo do Haiti entenda que seja necessário as forças de paz continuarem. Obviamente, que nós estamos subordinados à orientação da ONU, estamos subordinados à vontade soberana do povo do Haiti, do governo do Haiti. Quando eles disserem: "Não queremos mais". Nós, com a consciência tranqüila, retornaremos ao Brasil com a consciência do dever cumprido. A terceira parte importante da viagem internacional, Luiz, foi a viagem para o Reino Unido.
Luiz Fara Monteiro: Presidente, inclusive o senhor chegou a dizer que o Reino Unido está redescobrindo o Brasil. Com assim?

Presidente Lula: Eu fiz questão de conversar com a rainha e com os empresários, fiz questão de conversar com o prefeito, com os deputados de oposição, com o primeiro-ministro, Tony Blair, sobre a necessidade de o Reino Unido voltar a ter interesse, não apenas político e cultural, mas sobretudo comercial com o Brasil. Nós temos uma boa relação comercial, mas é importante, apenas para lembrar a memória do nosso povo, que a Inglaterra teve um papel muito importante no desenvolvimento do Brasil, ferrovias aqui no Brasil foram construídas pelos ingleses. Nós temos ainda hoje muitas pontes de ferro, que a gente vai perceber, que elas foram construídas pelos ingleses. Nós temos hidrelétricas construídas pelos ingleses. A Marinha brasileira foi formada pelos ingleses. Pois bem, eu fiz questão de dizer a todas as pessoas com quem conversei que é importante elas aproveitarem esse momento econômico, político que o Brasil está vivendo. Nós temos várias oportunidades aqui para investimentos ingleses. Tivemos reuniões com muitos empresários mostrando que nós temos muita obra de infra-estrutura para fazer nos portos, nas estradas e nas ferrovias. Nós temos a questão do biodiesel, dos combustíveis renováveis, como o etanol e o biocombustível. Nós convidamos os ingleses para serem parceiros nossos na construção de uma nova etapa do desenvolvimento brasileiro e uma nova etapa dos investimentos ingleses. Por isso, foi uma semana muito proveitosa, uma semana muito vigorosa nas nossas relações internacionais.

Luiz Fara Monteiro: OK, presidente. Obrigado e até a semana que vem.

Presidente Lula: Obrigado a você, Luiz. Obrigado aos nossos ouvintes.

Luiz Fara Monteiro: O Café com o Presidente volta na próxima segunda-feira. Você pode ouvir também esse programa pela internet acessando www. radiobras.gov.br. Um abraço para você e até lá.