Acabar com as filas e agilizar o atendimento é o grande desafio na área da saúde

audio/mpeg 142.2009-10-06.4158573463.mp3 — 6108 KB




Transcrição

'A décima primeira edição de "Café com o Presidente" foi ao ar hoje pela manhã. O programa teve a participação especial do ministro da Saúde, Humberto Costa, convidado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para falar sobre as ações do governo federal nessa área, em alusão ao Dia Mundial da Saúde. A data é comemorada na quarta-feira, 7. O ministro e o presidente conversaram sobre temas como a redução dos casos de dengue no país em 82% no último ano e o novo programa do ministério, Saúde Bucal, para garantir tratamento odontológico gratuito à população. Leia a seguir a íntegra do programa.

Jornalista: Tudo bem, presidente?

Presidente: Tudo bem, Luiz.

Jornalista: Presidente, nós temos muito o que falar sobre a saúde neste programa, não é mesmo?

Presidente: Temos que falar sobre a saúde, porque é o tema que mais interessa a uma grande parcela do povo brasileiro e também porque nesta semana, no dia 7 de abril, se comemora o Dia Mundial da Saúde. Então, essa semana, eu penso que vai permitir que discutamos muito a questão da saúde no Brasil, e esse Café da Manhã de hoje é um café muito especial, porque eu tem tenho um convidado muito especial, quando se trata de falar da saúde, nós temos que chamar pra falar da saúde alguém que tem a responsabilidade no Brasil de melhorar a qualidade da saúde para o povo brasileiro. Por isso, eu convidei pra vir tomar café comigo o ministro da Saúde, o nosso companheiro, Humberto Costa. Humberto, quando nós tomamos posse, no dia 1º de janeiro, nós tomamos posse depois de um ano em que a dengue matou quase 150 pessoas no Brasil no ano de 2002. E eu sei que você fez um trabalho imenso pra que a gente pudesse reduzir a questão dos casos de dengue no Brasil, ou seja, nós reduzimos 82% em 2003- se comparado a 2002- a dengue, mas eu sei que o Ministério da saúde tem dedicado um tempo extraordinário pra melhorar o entendimento atendimento médico das pessoas nos hospitais, aquelas filas intermináveis, o sofrimento das pessoas. Como é que nós estamos cuidando disso nesse momento Humberto?

Ministro Humberto Costa: - Bem, nós temos esse grande compromisso por orientação do próprio presidente da República, de melhorar a qualidade do atendimento.
Nesse primeiro ano, nós melhoramos a área da atenção básica, ampliamos o atendimento nas comunidades, com o programa de Saúde da Família, quase oito milhões de pessoas passaram a ter acesso ao programa e também trabalhamos na linha da prevenção de forma importante, vacinando mais pessoas idosas contra a gripe, vacinando mais crianças contra a paralisia infantil e lançando programas importantes para o controle de doenças que foram negligenciadas no nosso país, como a hanseníase e a lepra e a tuberculose. E o nosso grande desafio este ano será exatamente enfrentar as filas nas emergências, o mau atendimento, a espera pra se conseguir uma consulta médica, a falta do medicamento e temos a absoluta convicção, com o que já foi feito e o que está planejado para este ano, o brasileiro será atendido com mais dignidade nos serviços de saúde".

Presidente: Mas, ministro, tem uma coisa que eu brigo desde 1972. Eu fui diretor do Sindicato dos Metalúrgicos e durante um tempo eu cuidei do departamento médico do sindicato, tínhamos muitos dentistas no sindicato. E eu sempre brigava, porque as empresas grandes como a Volkswagen, Mercedes, Ford e Brastemp, todas faziam convênios com empresas prestadoras de assistência médica e nesses convênios não se colocava a questão da saúde bucal. Eu ficava muito nervoso, porque eu não admitia que no Brasil a saúde bucal não fosse tratada como uma questão de saúde pública. Então, eu queria que você explicasse para o nosso ouvinte, para o ouvinte do Café com o Presidente, como é que vai ser esse nosso programa de Saúde Bucal?

Ministro: "Eu acho que essa é uma das grandes mudanças que o nosso governo está fazendo na área da saúde. A Saúde Bucal sempre foi relegada a um segundo plano. Esse programa, ele vai ter ações tanto preventivas, quanto ações de cura. Preventivamente, nós vamos garantir que seja colocado flúor em todos os municípios que têm água tratada no nosso país pra prevenção da cárie. Nós vamos fazer o tratamento nas comunidades com o programa de Saúde da Família que nós ampliamos as equipes de Saúde Bucal esse ano em 45% e o Centro de Especialidade, porque é um dos programas no Brasil também é que quando tem o dentista, o que se aplica é apenas a extração dentária e a restauração. Agora, nós vamos oferecer tratamentos que só eram oferecidos pra pessoas com o poder aquisitivo, o tratamento de canal, o tratamento das inflamações da gengiva, o tratamento do câncer bucal, a correção dos dentes na ortodontia, que é hoje um privilégio das pessoas ricas, e, principalmente, a garantia do atendimento de urgência com resolutividade. Acho que esse programa tem tudo pra ser uma revolução no serviço de saúde no Brasil".

Presidente: Bom, graças a Deus, eu posso dizer ao povo brasileiro que, finalmente, a boca do povo será tratada como uma questão de saúde pública e o povo brasileiro vai poder falar e sorrir sem ter vergonha de mostrar a ausência de dentes na boca.Eu acho isso extraordinário, porque nesse centro de urgência também vai ter serviço de prótese, ou seja, quando uma pessoa não tiver dentes, ou seja, nós vamos fazer com que ele faça prótese da melhor qualidade, pra ele poder utilizar material de primeira. Ou seja, é apenas o Estado cumprindo aquilo que está na Constituição, respeitando o direito do povo e devolvendo para o povo o dinheiro que nós arrecadamos dele próprio na área da saúde.

Jornalista: Obrigado, presidente, e até o nosso próximo programa.

Presidente: Obrigado a você, Luiz.

Jornalista: Obrigado também ao ministro da Saúde, Humberto Costa, pela participação especial.

Ministro: Obrigado, Luiz.