Presidente Lula diz que a Embrapa fez uma revolução na agricultura brasileira

O presidente Lula destacou a comemoração dos 37 anos da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e que ela revolucionou a agricultura brasileira, tanto no agronegócio, quanto na agricultura familiar. Em seu programa semanal Café com o Presidente, o presidente Lula lembrou que a Embrapa é uma das responsáveis pelo respeito que o Brasil adquiriu no mundo inteiro. Para concluir, o presidente Lula falou a respeito do encontro que terá com o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, nesta segunda-feira.

audio/mpeg embrapa-fez-uma-revolucao-na-agricultura-brasileira.mp3 — 5643 KB




Transcrição

Apresentador: Olá, você, em todo o Brasil. Eu sou Luciano Seixas, e começa agora o Café com o Presidente, o programa de rádio do presidente Lula. Olá, presidente, como vai? Tudo bem?

Presidente: Tudo bem, Luciano.

Apresentador: Presidente, nós estamos nos estúdios da EBC em Brasília e o senhor está em São Bernardo do Campo, São Paulo. A Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – comemorou semana passada 37 anos. Qual a importância da empresa para o desenvolvimento do Brasil?

Presidente: Olha, Luciano, a Embrapa é aquilo que a gente pode dizer 'o motivo de orgulho' para todos nós brasileiros. Se tem uma coisa que pode dignificar o nome do Brasil de forma excepcional, em qualquer lugar do planeta, é a Embrapa. Porque a Embrapa, ela foi criada em 1973, ela está com 37 anos, e a Embrapa fez uma revolução na agricultura brasileira, garantindo desenvolvimento do agronegócio, mas também garantindo o desenvolvimento da agricultura familiar. E mais importante do que tudo isso, é que a Embrapa colocou o Brasil como um dos países mais extraordinários na produção de alimentos, o que é uma coisa fantástica, ou seja, na produção do etanol, na produção de soja, na produção de carne. Ou seja, o Brasil virou um país fantasticamente respeitado no mundo por conta da Embrapa. É por isso que nós não só estamos incentivando a Embrapa, fizemos um PAC na Embrapa, mais dinheiro para a Embrapa contratar mais pesquisadores, para que a Embrapa pudesse ocupar mais espaço no território nacional, para que a Embrapa pudesse ir para a África, para que a Embrapa pudesse ir para a América Latina, para que a Embrapa pudesse ir para a América Central; para que a gente possa garantir uma segurança alimentar a um povo de cada país. Eu sou daqueles governantes que acredito que a soberania de um país está intimamente ligada à capacidade produtiva de alimentos daquele país. E o Brasil tem um potencial excepcional, extraordinário, e o Brasil precisa levar em conta aquilo que ele aprendeu com a Embrapa e levar para outros países do mundo.

Apresentador: Presidente, dentre as áreas de atuação da Embrapa, qual o senhor acha que merece destaque?

Presidente: Olha, tem muita coisa em que a Embrapa merece destaque. Eu vou te dar alguns exemplos importantes. Ou seja, eu, na década de 60, ouvia dizer muito que o serrado brasileiro era imprestável para a agricultura, não é? Cada vez que a gente passava, vindo de São Paulo para Brasília de carro, a gente dizia: "Olha, essa terra não presta, porque as árvores são pequenas, são todas tortas, não crescem", ou seja, com a tecnologia da Embrapa, com o conhecimento cientifico da Embrapa, ou seja, com um bom manejo da terra, o cerrado brasileiro virou um centro de produção extraordinário na produção de grãos. Mas tem outras coisas importantes que a Embrapa contribuiu de forma extraordinária: adaptação de fruteiras de clima temperado a regiões semiáridas, obtenção de cultivares e de raças animais mais resistentes a doenças adversas de clima e solo, e mais adequadas a diferentes sistemas de produção, desenvolvimento de sementes imunes a pragas e de plantas e raças mais produtivas, descoberta de insumos biológicos que reduziram o uso de produtos químicos nas lavouras, aproveitamento sustentável de plantas exóticas e nativas, obtenção de produtos alimentícios de maior qualidade nutricional. Essas são algumas coisas importantes de contribuição da Embrapa para o desenvolvimento da agricultura do Brasil, Luciano. E isso é apenas o começo de uma Embrapa que vai se transformar em uma empresa de pesquisa, eu diria, com caráter multinacional muito grande.

Apresentador: Você está ouvindo o Café com o Presidente, o programa de rádio do presidente Lula. Presidente, mudando de assunto, nesta segunda-feira o senhor se encontra com o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. O que o senhor pode destacar desse encontro?

Presidente: Olha, Luciano, primeiro o Brasil está vivendo um momento excepcional na sua relação com o Paraguai, nós vamos discutir muitos assuntos, e quem sabe, assinar acordos novos com o Paraguai. Todo mundo sabe que eu torço pelo sucesso do Paraguai e pelo sucesso do presidente Lugo, ou seja, o Brasil tem consciência que os seus vizinhos precisam ser economicamente fortes, que precisam crescer. E uma das coisas principais que nós estamos tratando hoje com o Paraguai, é a construção de uma linha de transmissão para que o Paraguai possa utilizar mais energia de Itaipu, um investimento que vai custar por volta de US$ 400 milhões, para garantir o fim do apagão em Assunção e outras cidades do Paraguai. E eu penso que esse encontro do presidente Lugo comigo vai permitir que a gente possa assinar novos acordos e que a gente possa aperfeiçoar ainda mais a relação Brasil e Paraguai.

Apresentador: Muito obrigado, presidente Lula, e até a próxima semana.

Presidente: Obrigado a você, Luciano, e até a próxima semana, querido.

Apresentador: Você pode acessar este programa em www.cafe.ebc.com.br. O Café com o Presidente volta na próxima segunda-feira. Até lá.