01 DE MARÇO DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Todos contra o mosquito da dengue, zika e chikungunya. Alerta para que população, estados e municípios aumentem ações de combate aos criadouros do aedes aegipty. Nova Previdência: proposta prevê maior transparência nos gastos do governo com a seguridade social. Despesas com Saúde, Previdência e Assistência Social vão ser separadas. E vamos dar detalhes das ações do governo para que o estado de Roraima não precise mais importar energia elétrica da Venezuela.

audio/mpeg 01.03.19.mp3 — 46905 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Sexta-feira, 1º de março de 2019.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Todos contra o mosquito da dengue, zika e chikungunya. Luciana Colares de Holanda.

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: Dados do Ministério da Saúde apontam um aumento de mais de 100% no número de casos prováveis de dengue em janeiro, em relação ao mesmo período do ano passado.

 

Gabriela: Alerta que população, estados e municípios aumentem ações de combate aos criadouros do aedes aegypti.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil.

 

Gabriela: Nova previdência, proposta prevê maior transparência nos gastos do governo com a seguridade social.

 

Nasi: Despesas com saúde, previdência e assistência social vão ser separadas. Ricardo Ferraz.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Ficará mais fácil para a população entender os gastos públicos previstos para a área.

 

Gabriela: E vamos dar detalhes das ações do governo para que o estado de Roraima não precise mais importar energia elétrica da Venezuela. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para resolver o problema, a Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou nesta semana a proposta de edital para contratar energia para o estado de Roraima.

 

Nasi: Hoje na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br .

 

Nasi: Verão com muito calor e chuva, clima favorável para o mosquito aedes aegypti.

 

Gabriela: E os primeiros 30 dias deste ano registraram mais que o dobro de casos de dengue do que em janeiro do ano passado.

 

Nasi: O Ministério da Saúde faz um alerta, população, estados e municípios devem aumentar as ações de combate ao mosquito.

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: Na casa do Márcio Siqueira, em São Sebastião, cidade a 25 quilômetros de Brasília, está tudo em ordem. Não há água parada, nem risco do mosquito da dengue se reproduzir, e a preocupação do auxiliar de serviços gerais se estende à vizinhança.

 

Auxiliar de serviços gerais - Márcio Siqueira: Sempre aqui a gente tem que tomar cuidado porque às vezes o vizinho não está em casa, está viajando, está trabalhando, se eu vejo que está sujo, eu limpo aqui a rua, né? Eu, graças a Deus, sempre eu faço isso.

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: E o seu Márcio está certinho, viu? Não adianta cuidar apenas da nossa casa, é preciso estar atento às áreas comuns. Nós encontramos, por exemplo, uma calçada cheia de entulho e lixo, objetos que acumulam água. E no meio de tanta bagunça, imagine, tinha até um vaso sanitário cheio de água. Os lotes vagos são um problema e as casas abandonadas também. O chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental de São Sebastião, no Distrito Federal, Milton Lopes Coutinho, conta que a grande maioria deles tem criadouros do mosquito aedes aegypti.

 

Chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental de São Sebastião, no Distrito Federal - Milton Lopes Coutinho: Principalmente aqueles lotes abandonados, casas abandonadas, carcaças de carros abandonados na cidade. E nós notamos que em 99% desses imóveis abandonados há focos do mosquito da dengue.

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: Dados do Ministério da Saúde apontam um aumento de mais de 100% no número de casos prováveis de dengue em janeiro, em relação ao mesmo período do ano passado, um salto de 22 mil casos para quase 55 mil, destes, 5 acabaram em morte, 1 no Tocantins, 1 em São Paulo, 2 em Goiás e 1 no Distrito Federal. Em 2018, foram notificados 23 óbitos. Milton Lopes Coutinho conta como é a rotina de visitação às casas. Segundo ele, além de orientações, os agentes também descartam objetos e aplicam larvicidas.

 

Chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental de São Sebastião, no Distrito Federal - Milton Lopes Coutinho: Quando é um objeto que pode descartar, jogamos fora, caixa d'água ou que usam para consumo humano, nós fazemos tratamento químico com larvicida, usamos o fumacê e aí matamos o mosquito adulto para cortar a transmissão viral.

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: No Distrito Federal, o aumento foi de 88% no número de casos prováveis de dengue, até o início de fevereiro, foram registradas 451 infecções. E o aedes aegypti não transmite só a dengue, a zika e a chikungunya também são doenças que vêm com a picada do mosquito. Reportagem: Luciana Colares de Holanda.

 

Gabriela: O carnaval já começou para muita gente.

 

Nasi: E milhares de pessoas estão viajando nesta sexta-feira, seja de carro, ônibus ou avião.

 

Gabriela: Os seis principais aeroportos do país devem receber quase 7 milhões de passageiros até a semana que vem.

 

Nasi: E para atender a alta demanda de turistas, a Anac, Agência Nacional de Aviação Civil, realiza a Operação Carnaval.

 

Gabriela: Participam da operação os aeroportos de Guarulhos e Congonhas, em São Paulo, Santos Dumont e Galeão, no Rio de Janeiro, Salvador e Recife.

 

Nasi: Equipes da Anac intensificaram a fiscalização com objetivo de manter o índice médio de pontualidade de pousos e decolagens acima de 85%.

 

Gabriela: As empresas aéreas também adotaram medidas para agilizar o atendimento aos passageiros.

 

Nasi: E neste carnaval, a Força Nacional de Segurança Pública vai atuar nas rodovias federais do estado do Rio de Janeiro.

 

Gabriela: As tropas vão auxiliar a Polícia Rodoviária Federal no patrulhamento das estradas para garantir a ordem e proteção de motoristas e passageiros.

 

Nasi: A autorização foi publicada no Diário Oficial de hoje e vale por 15 dias, podendo ser prorrogada.

 

Gabriela: E para garantir um carnaval seguro para quem vai curtir a folia, o Ministério do Turismo está monitorando o esquema de segurança pública das capitais onde ocorrem as maiores festas.

 

Nasi: O ministro Marcelo Álvaro Antônio, que já conheceu de perto o planejamento de segurança dessas cidades, destacou que o objetivo é dar tranquilidade aos foliões e garantir que os turistas estrangeiros voltem ao país.

 

Gabriela: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife e Belo Horizonte devem movimentar R$ 6,7 bilhões nesse período.

 

Nasi: Só em Salvador, os quase 3,5 milhões foliões esperados vão contar com a segurança de 26 mil policiais, 430 câmeras e 14 drones.

 

Gabriela: Ligar a TV e depois de um tempo acabar a energia.

 

Nasi: Ou ter a geladeira em casa, mas saber que os alimentos que estavam lá dentro estragaram porque faltou luz.

 

Gabriela: Deve ser difícil essa rotina, né, Nasi?

 

Nasi: Pois é, Gabriela, imagina só os prejuízos. É assim a vida da população do estado de Roraima, o único que não está ligado ao sistema elétrico nacional.

 

Gabriela: E para resolver esse problema, o governo abriu a proposta de um leilão para contratar energia para o estado do norte do país.

 

Nasi: O objetivo do leilão é substituir a energia importada da Venezuela.

 

Gabriela: Além disso, a linha de transmissão entre Manaus, no Amazonas, e Boa Vista, em Roraima, deve ter as etapas de licenciamento ambiental aceleradas.

 

Repórter Gabriela Noronha: O administrador de empresas Ubirajara dos Rodrigues é dono de um hotel em Pacaraima há 37 anos, a cidade está na fronteira com a Venezuela há mais de 200 quilômetros da capital da Roraima, Boa Vista. Além dos desafios de manter o negócio em um município de apenas 12 mil habitantes, Ubirajara conta que tem que conviver com a precariedade do fornecimento de energia.

 

Administrador de empresas - Ubirajara dos Rodrigues: Não tem uma constância, sabe? Não tem uma constância. Tem muita gente com prejuízo aqui por isso, viu? Porque quem aguenta uma luz faltar, por exemplo, sete, oito vezes no dia? Tem algum aparelho que aguente isso?

 

Repórter Gabriela Noronha: Isso acontece porque Roraima é o único estado do país que não está ligado ao sistema elétrico nacional. O estado é abastecido pela energia elétrica gerada na Venezuela e por usinas térmicas a diesel, mais poluentes e mais caras. Assim, quando há desligamento do fornecimento da energia no país vizinho, o sistema elétrico local cai e só volta a funcionar depois de algum tempo. Para resolver o problema, a Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou nesta semana a proposta de edital para contratar energia para o estado de Roraima, segundo o diretor da Aneel, Sandoval Feitosa, uma das propostas do leilão é contratar mais energia de fontes renováveis, como a solar, biomassa e a energia eólica.

 

Diretor da Aneel - Sandoval Feitosa: Nós pretendemos contratar usinas a gás natural, a biogás, biocombustíveis e biomassa, ou seja, fontes renováveis, na modalidade potência. Na modalidade energia, a nossa expectativa é contratar fontes eólicas, solar, fotovoltaicas, como também tecnologias híbridas. 

 

Repórter Gabriela Noronha: Outra medida do governo voltada ao abastecimento de energia em Roraima é enquadrar a linha de transmissão que liga Manaus a Boa Vista, conhecida como Linhão, como um empreendimento de interesse de defesa nacional. Com isso, o governo poderá acelerar as etapas para que o projeto receba o licenciamento ambiental. A obra tem duração prevista de três anos. De acordo com Sandoval Feitosa, o Linhão vai permitir que o estado tenha energia mais confiável e segura.

 

Diretor da Aneel - Sandoval Feitosa: O que o governo recentemente fez foi declarar essa linha como de importância para a soberania e defesa nacional. Em razão disso, os procedimentos para obtenção do licenciamento serão agilizados. Então, esperamos que no final de 2021 o estado de Roraima contará com um suprimento a partir do sistema interligado nacional e também com a sua geração local, que será contratada neste leilão.

 

Repórter Gabriela Noronha: A intenção do governo é que as obras de construção do Linhão iniciem a partir do dia 30 de junho. Reportagem: Gabriela Noronha.

 

Nasi: Um dia após o encontro entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente encarregado da Venezuela, Juan Guaidó, em Brasília, o ministro das Relações Exteriores voltou a discutir a situação no país vizinho.

 

Gabriela: Ernesto Araújo declarou que o Brasil avança cada vez mais na legitimação internacional do governo interino da Venezuela e continua pronto para ajudar os venezuelanos.

 

Nasi: E o vice-presidente Hamilton Mourão diz que irá recorrer ao Grupo de Lima caso Guaidó encontre dificuldades no retorno à Venezuela.

 

Repórter Pablo Mundim: Segundo o chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, as reuniões do presidente interino da Venezuela Juan Guaidó com o presidente Jair Bolsonaro e o Congresso brasileiro foram um passo importante para esclarecer a situação do país vizinho e reforçar o compromisso do governo interino com a transição democrática da Venezuela.

 

Chanceler brasileiro - Ernesto Araújo: Foi uma excelente visita, mostrou a sua capacidade de liderança, o seu compromisso com a eleição democrática na Venezuela. Ficamos ainda mais confiantes na capacidade do presidente Guaidó de ser o centro desse avanço rumo à democratização da Venezuela.

 

Repórter Pablo Mundim: Para o ministro Ernesto Araújo, o governo interino de Guaidó está mudando a imagem da Venezuela, de um cenário de ditadura para um país com compromisso democrático. Ele declarou que o Brasil avança cada vez mais na legitimação internacional do governo interino da Venezuela.

 

Chanceler brasileiro - Ernesto Araújo: Isso já está acontecendo, por exemplo, nos fóruns internacionais, onde a gente não aceita mais assistir a intervenções de representantes da ditadura. E estamos trabalhando para que seja reconhecido nos organismos internacionais representantes do governo Guaidó como os representantes legítimos da Venezuela.

 

Repórter Pablo Mundim: Do Brasil, o presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, cumpriu agendas no Paraguai e depois na Argentina. Ele disse que pretende voltar para a Venezuela até a próxima segunda-feira, mesmo sob risco de ser preso pelo regime de Nicolás Maduro. Caso a prisão aconteça, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse que irá recorrer ao Grupo de Lima.

 

Vice-presidente da República - Hamilton Mourão: Ficou muito bem caracterizado lá na [ininteligível] do Grupo de Lima, que diz que qualquer atitude mais radical do Maduro, que promete prendê-lo, seria considerada uma agressão, né? Então, a pressão seria maior.

 

Repórter Pablo Mundim: Hamilton Mourão e o ministro Ernesto Araújo declaram que o Brasil não pretende participar de uma eventual intervenção armada na Venezuela. Quanto à ajuda humanitária, o governo brasileiro continua pronto para enviar os mantimentos à Venezuela, mas ainda não há data e cronograma definidos. Mais de 200 toneladas de remédios e alimentos permanecem estocados em Boa Vista, Roraima. Reportagem: Pablo Mundim.

 

Nasi: Brasil fecha fevereiro com saldo positivo de mais de US$ 3,5 bilhões na balança comercial.

 

Gabriela: Os detalhes dos países que mais compraram os produtos mais vendidos ainda nesta edição.

 

Nasi: O Programa Criança Feliz já chegou à marca de 500 mil crianças e grávidas atendidas.

 

Gabriela: Com o programa, visitadores vão de casa em casa para levar aos pequenos diferentes estímulos, carinho, acolhimento e amor.

 

Nasi: Tudo para estimular o desenvolvimento delas nos primeiros anos de vida.

 

Gabriela: E para avaliar os impactos na vida dessas crianças atendidas, o Ministério da Cidadania está realizando um estudo que vai durar quatro anos.

 

Repórter André Luiz Gomes: Moradora de Morrinhos, no estado de Goiás, Vitória Regina dos Santos é a mãe da pequena Emily Sofia, de 6 meses, e do Luiz Felipe Silva, de 2 anos. Há pouco menos de um ano, ela passou a receber em casa, todas as semanas, as visitadoras do Programa Criança Feliz. Beneficiária do Bolsa Família, Vitória Regina recebe R$ 253 por mês, mas o que fez a diferença na vida dela foi receber orientações sobre os melhores cuidados para impulsionar o desenvolvimento dos filhos.

 

Entrevistada - Vitória Regina dos Santos: Me ensinou a ser mãe. Eu não tinha diálogo com meu filho, eu não brincava com ele, aí eu aprendi a brincar com ele, porque eu não brincava, né?

 

Repórter André Luiz Gomes: Em todo o país, 509.728 pessoas entre crianças e gestantes já foram atendidas pelo Programa Criança Feliz, histórias como a da família de Vitória. Para documentar e avaliar o alcance da ação, o Ministério da Cidadania está realizando um levantamento sobre os impactos na vida de mais de 3 mil crianças em 30 municípios diferentes. Os dados vão ser captados durante quatro anos. O secretário de Avaliação e Gestão da Informação do Ministério da Cidadania, Vinícius Botelho, é o responsável pela captação e análise dos dados, juntamente com cinco universidades parceiras. Neste um ano e meio de implementação do programa, ele destaca que já é possível notar os benefícios na vida das famílias e na gestão pública, com a troca de experiências e a criação de uma rede voltada para a primeira infância nos municípios e estados. Ele aponta de que maneira as pesquisas sobre a primeira infância podem repercutir no futuro.

 

Secretário de Avaliação e Gestão da Informação do Ministério da Cidadania - Vinícius Botelho: Vai ser possível saber daqui a 15, 20, 25 anos, qual foi o impacto desse programa em escolaridade, qual foi o impacto desse programa no mercado de trabalho, no desenvolvimento juvenil, nos índices de violência. Com o conjunto de informação que está sendo gerado, pela forma como o programa foi desenvolvido, vai ser gerada evidência que permite melhorar políticas públicas em praticamente todos os aspectos da vida do cidadão.

 

Repórter André Luiz Gomes: Nas visitas semanais, técnicos capacitados orientam pais e responsáveis sobre o desenvolvimento das crianças de até 3 anos beneficiárias do Bolsa Família, e de até 6 anos que recebem o BPC. As gestantes também recebem atendimento. Reportagem: André Luiz Gomes.

 

Gabriela: E quem recebe o Bolsa Família deve cumprir uma série de compromissos para continuar recebendo o benefício.

 

Nasi: Na área de educação, a mais importante é manter crianças e jovens na escola.

 

Gabriela: E quem tem filhos que mudaram de escola deve ficar atento para atualizar os dados.

 

Repórter Renata Garcia: O Ministério da Cidadania acompanha a frequência escolar das crianças e adolescentes que fazem parte do Programa Bolsa Família. Em casos de mudança de colégio, é necessário procurar o setor responsável pelo Cadastro Único no município e atualizar os dados. Além disso, é importante avisar na nova escola que a família é beneficiária do programa. Sem a informação de onde o aluno está matriculado, o governo federal não consegue fazer o acompanhamento escolar e a família pode ter o benefício bloqueado. O secretário especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania, Lelo Coimbra, defende que a educação influencia diretamente no desenvolvimento das famílias.

 

Secretário especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania - Lelo Coimbra: Esse é o motivo do Bolsa, ajudar no curto prazo, mas, ao mesmo tempo, fazer com que a pessoa construa as condições para seguir um caminho digno e melhore a vida e a história das suas famílias.

 

Repórter Renata Garcia: Em todo o Brasil, aproximadamente 140 mil escolas possuem pelo menos um aluno beneficiário do Bolsa Família. Para estudantes entre 6 e 15 anos, a frequência escolar mensal deve ser de, no mínimo, 85%. Já os adolescentes a partir de 16 anos, que recebem o Benefício Variável Vinculado ao Adolescente, o BVJ, deve frequentar ao menos 75% das aulas. O governo federal já informou às famílias por mensagem de extrato em janeiro para que atualizem a informação de escola. Para fazer a atualização, a pessoa responsável pela família deve levar documento com CPF ou título de eleitor até o setor responsável pelo Cadastro Único no município. Reportagem: Renata Garcia.

 

Nasi: As provas do Enem deste ano vão ser realizadas nos dias 3 e 10 de novembro.

 

Gabriela: Também estão definidas as datas para solicitar a isenção da taxa de inscrição e justificar a ausência no Enem do ano passado, o prazo vai de 1º a 10 de abril.

 

Nasi: Já as inscrições podem ser feitas entre os dias 6 e 17 de maio.

 

Gabriela: Segundo o cronograma divulgado pelo Inep, o edital do Enem vai ser publicado neste mês.

 

Nasi: Além de garantir aposentadorias justas, combater fraudes e economizar recursos para o país, a nova previdência também vai tornar mais transparente as contas do setor.

 

Gabriela: O governo quer separar os orçamentos da previdência, saúde e assistência social que hoje são conjuntos.

 

Nasi: A proposta também vai impedir a transferência de recursos da seguridade social para outras áreas.

 

Gabriela: E vai garantir mais recursos para o setor.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Saúde, previdência e assistência social, a Constituição Brasileira determina que essas três áreas do governo compõem a chamada seguridade social, que deve ser assegurada a todos os cidadãos. Todo ano o governo destina orçamento para cobrir os gastos de seguridade social como um caixa único, a nova previdência prevê que as áreas sejam separadas. Para o analista de políticas públicas Flávio Klein ficará mais fácil para a população entender os gastos públicos previstos para a área.

 

Analista de políticas públicas - Flávio Klein: Isso é importante para dirimir qualquer dúvida a respeito da existência ou não desse déficit da previdência ou até mesmo déficit da seguridade. Esse é um grande debate. Então, à medida que o governo publique, vamos dizer, contas separadas, isso torna mais fácil o cidadão ver os recursos existentes da previdência, da assistência e da saúde.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Outra medida que pode trazer mais transparência e garantir recursos para a seguridade social prevê mudanças nas Desvinculação das Receitas da União. A chamada DRU é um dispositivo que permite ao governo usar livremente até 30% do orçamento nas áreas que julgar prioritárias. A proposta da nova previdência prevê que a DRU deixe de incidir sobre a seguridade. Para Flávio Klein, a medida permite identificar eventuais saldos negativos na seguridade.

 

Analista de políticas públicas - Flávio Klein: É tirar aquela legislação que hoje ainda tem nas contribuições sociais que financiam a seguridade social, ela também vai no mesmo sentido de dirimir a dúvida sobre a fonte do déficit. O que governo vai fazer? Não, eu não vou retirar as receitas da seguridade via DRU, vou mantê-las lá para mostrar que mesmo com essas receitas existe o déficit.

 

Repórter Ricardo Ferraz: A nova previdência também prevê aumento de caixa para a seguridade social por meio da redução dos recursos do PIS/Pasep, que são destinados ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES. Atualmente, o banco fica com 40% dos recursos. Pela proposta, o valor será de 28%, como explica Leandro Rolim, secretário do Ministério da Economia.

 

Secretário do Ministério da Economia - Leandro Rolim: Hoje, na Constituição prevê que 40% das receitas do PIS/Pasep vão para o BNDES, essa receita não vai para pagar o seguro-desemprego, abono e demais despesas do Fundo de Amparo ao Trabalhador. Então, a gente está acabando a desvinculação de receitas na seguridade social, e, além disso, está reduzindo o percentual que vai para o BNDES, indo, portanto, essa diferença toda para a seguridade social. São medidas para aumentar as receitas da seguridade social.

 

Repórter Ricardo Ferraz: A proposta da nova previdência está em análise no Congresso Nacional. A intenção do governo é economizar com as medidas até R$ 1 trilhão em dez anos. Reportagem: Ricardo Ferraz.

 

Nasi: A balança comercial fechou fevereiro com saldo positivo de mais de US$ 3,5 bilhões.

 

Gabriela: Aumento de 10% em relação ao mesmo período do ano passado.

 

Nasi: O resultado divulgado hoje pelo Ministério da Economia é a diferença entre o que o país comprou e o que vendeu.

 

Repórter Márcia Fernandes: O mês de fevereiro encerrou com saldo positivo de US$ 3,7 bilhões, um crescimento de 10% na comparação com fevereiro de 2018. O Brasil arrecadou US$ 16 bilhões com vendas para outros países e gastou US$ 12 bilhões com importações de produtos. A exportação de produtos básicos aumentou neste mês em relação a fevereiro do ano passado, de acordo com Herlon Brandão, diretor de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior do Ministério da Economia.

 

Diretor de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior do Ministério da Economia - Herlon Brandão: Um grande aumento aqui na exportação da soja em grão, do minério de ferro com aumento também, o petróleo bruto com aumento de volume embarcado, milho.

 

Repórter Márcia Fernandes: Na lista de principais compradores estão: Estados Unidos, Argentina, Países Baixos e Alemanha, mas a China continua sendo o país que mais compra do Brasil. No acumulado do ano, o saldo também é positivo, o país arrecadou quase US$ 35 bilhões com as exportações nesse primeiro bimestre e tem saldo positivo de quase US$ 6 bilhões. Reportagem: Márcia Fernandes.

 

Gabriela: A ANS, Agência Nacional de Saúde Suplementar, suspendeu de forma temporária a venda de 46 planos de saúde.

 

Nasi: A medida vale a partir do dia 11 e é resultado do programa de monitoramento da agência, que avalia as reclamações de usuários dos planos.

 

Gabriela: Os mais de 570 mil usuários desses planos continuam a ser atendidos normalmente, mas as operadoras estão impedidas de firmar novos contratos até que comprovem a melhoria no atendimento.

 

Nasi: A lista dos planos suspensos está na página da ANS na internet, em: ans.gov.br.

 

Gabriela: As Forças Armadas vão continuar a proteger as áreas localizadas a 10 quilômetros da Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia.

 

Nasi: Os militares vão atuar na garantia da lei e da ordem por mais 30 dias.

 

Gabriela: As Forças Armadas estão patrulhando o entorno da penitenciária há duas semanas.

 

Nasi: A medida foi tomada depois da transferência de líderes de facções criminosas do estado de São Paulo para o Sistema Penitenciário Federal.

 

Gabriela: E a Força Nacional de Segurança Pública vai atuar por mais 30 dias em Rondônia.

 

Nasi: As tropas vão auxiliar as polícias locais nas atividades e serviços para preservar a ordem e garantir a segurança das pessoas e do patrimônio.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as Notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite e um bom fim de semana.

 

Gabriela: Uma boa noite, um bom carnaval e até segunda.

 

"Governo federal. Pátria amada, Brasil".