01 DE ABRIL DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaque da Voz do Brasil: Presidente Jair Bolsonaro está em Israel. Fecha acordos em saúde, ciência e tecnologia, defesa e serviços aéreos. E para ampliar o comércio, investimentos e cooperação em tecnologia e inovação entre os dois países, anuncia abertura de escritório brasileiro em Jerusalém. Microcrédito para mais empreendedores. Novas medidas reduzem custos e tornam mais simples as operações. Vamos falar das novas regras do crédito consignado para aposentados e pensionistas. E começa o prazo para pedir isenção da taxa de inscrição do Enem. A gente explica quem tem direito.

audio/mpeg 01-04-19-VOZ DO BRASIL.mp3 — 46867 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 1º de abril de 2019.

 

Nasi: Vamos ao destaque do dia. Presidente Jair Bolsonaro está em Israel.

 

Gabriela: Fecha acordos em saúde, ciência e tecnologia, defesa e serviços aéreos.

 

Nasi: E para ampliar o comércio, investimentos e cooperação em tecnologia e inovação entre os dois países, anuncia a abertura de escritório brasileiro em Jerusalém.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Pretendemos aproveitar, aproximar nossos povos, nossos militares, nossos estudantes, nossos cientistas, nossos empresários e nossos turistas.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil.

 

Nasi: Microcrédito para mais empreendedores.

 

Gabriela: Novas medidas reduzem custos e tornam mais simples as operações. Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim: As mudanças podem contribuir para o crescimento econômico brasileiro.

 

Nasi: Vamos falar das novas regras do crédito consignado para aposentados e pensionistas. Graziela Mendonça.

 

Repórter Graziela Mendonça: O objetivo é proteger o cidadão de práticas abusivas.

 

Gabriela: E começa o prazo para pedir isenção da taxa de inscrição do Enem.

 

Nasi: A gente explica quem tem direito.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, acesse www.voz.gov.br .

 

Gabriela: O presidente Jair Bolsonaro está em Israel, onde chegou na manhã de ontem.

 

Nasi: Bolsonaro se encontrou com o primeiro-ministro israelense e assinou acordos nas áreas de ciência, tecnologia, saúde.

 

Gabriela: No combate ao terrorismo e também no setor agrícola.

 

Nasi: A repórter Márcia Fernandes está acompanhando a viagem e, mais cedo, conversou com a gente sobre a parceria entre os dois países.

 

Gabriela: Olá, Márcia. Conta para a gente o que já foi anunciado nessa viagem.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Olá, Gabriela, Nasi e ouvintes da Voz do Brasil. Essa visita do presidente Jair Bolsonaro veio marcar a parceria entre os dois países. Como eu falei aqui na última semana, o Brasil tem uma ligação com Israel desde a criação do Estado, em 1948. Em dezembro do ano passado, já depois da eleição, o presidente Jair Bolsonaro recebeu a visita do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. O primeiro-ministro, inclusive, ficou para a posse e convidou o presidente brasileiro para retornar ao país. Bom, o presidente Jair Bolsonaro aceitou o convite e chegou neste domingo a Israel. Logo após desembarcar, o presidente e a comitiva de ministros tiveram uma agenda intensa, com a assinatura de vários acordos importantes. Eu fiz uma reportagem sobre isso, vamos ouvir.

 

Repórter Márcia Fernandes: Na chegada a Israel, o presidente Jair Bolsonaro destacou a relação histórica entre os dois países e os valores e tradições em comum.

 

Presidente Jair Bolsonaro: É motivo de muito orgulho para mim e para o povo do meu país o papel que nosso chanceler, Oswaldo Aranha, desempenhou na criação do nosso Estado de Israel. A amizade entre nossos povos é histórica. Brasileiros e israelenses compartilham valores, tradições culturais, o apreço à liberdade e à democracia. Juntos, nossas nações podem alcançar grandes feitos. Temos que explorar esse potencial, é isso que pretendemos fazer nessa visita.

 

Repórter Márcia Fernandes: O presidente Bolsonaro anunciou que vai estabelecer um escritório em Jerusalém. O centro vai servir para a promoção do comércio, investimento, tecnologia e inovação no país.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Tomamos a decisão final ouvindo, inclusive, o nosso general Augusto Heleno, ministro de Estado, em criar aqui, abrir em Jerusalém um escritório de negócios voltado para a ciência, tecnologia e inovação.

 

Repórter Márcia Fernandes: Já no primeiro dia, vários acordos foram assinados entre autoridades brasileiras e israelenses. Na ciência e tecnologia, os dois países vão, em conjunto, conduzir pesquisas científicas e tecnológicas e desenvolver programas e projetos. Além disso, a Financiadora de Estudos e Projetos, Finep, e a Embrapa, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, devem trabalhar em conjunto com a autoridade israelense de inovação. O presidente Jair Bolsonaro destacou ainda o acordo na área de pesca e aquicultura.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Queremos, sim, fazer com que o Brasil também desenvolva nessa área da piscicultura.

 

Repórter Márcia Fernandes: Os ministros de Minas e Energia dos dois países assinaram acordos para cooperação em setores como petróleo e gás, termoeletricidade e energias renováveis. Na aviação civil, as duas nações se comprometeram a aumentar a conectividade, com mais liberdade entre as companhias aéreas. E o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, assinou um acordo que permite a cooperação com Israel na área de cibersegurança. O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, falou sobre os acordos.

 

Porta-voz da Presidência da República - Otávio Rêgo Barros: Eles foram excepcionais, foram dentro do espectro que ambos os países esperavam, os nossos ministros e os ministros israelenses estiveram atentos aos detalhes, a fim de que nós pudéssemos potencializá-los.

 

Repórter Márcia Fernandes: Brasil e Israel também assinaram um acordo de cooperação em matéria de defesa, que abre espaço para ações militares conjuntas. Na segurança pública e na cibernética, os dois países se comprometeram a colaborar mutuamente no combate ao crime organizado. E, por fim, um plano de cooperação em saúde vai permitir que os Ministérios da Saúde das duas nações troquem experiências e se auxiliem.

 

Nasi: Márcia, ainda sobre esses acordos, o ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque comentou como vão ser as parcerias nessas áreas?

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Sim, Nasi, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, explicou que os governos israelense e brasileiro vão trocar conhecimentos em ciência e tecnologia, para melhorias na produção energética. No futuro, esses acordos podem também envolver investimentos das duas nações.

 

Ministro de Minas e Energia - Bento Albuquerque: Visa principalmente à cooperação no setor de óleo, gás e biocombustíveis, principalmente naquilo que diz respeito a startups e desenvolvimento de novas tecnologias e inovação. Nós acreditamos que tem potencial para grandes investimentos, tanto no setor elétrico quanto no setor de óleo e gás, não é? E também no mineral, mas esse ainda nós estamos conversando mais para nos descobrirmos melhor.

 

Gabriela: E Márcia, vamos falar agora sobre o dia do presidente hoje, aí em Israel. Jair Bolsonaro fez um agradecimento especial aos profissionais que ajudaram no resgate em Brumadinho no início do ano. Conta mais para a gente sobre como foi essa homenagem.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Olha, Gabriela, é isso mesmo. Depois de uma visita à unidade de contraterrorismo da Polícia Israelense, o presidente seguiu para uma cerimônia com militares israelenses que ajudaram no resgate das vítimas da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais. A Brigada de Busca e Salvamento do Comando da Frente Interna de Israel recebeu a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, uma homenagem que é dada especialmente aos estrangeiros. Para você ter uma ideia da importância, a Rainha Elisabeth da Inglaterra já recebeu essa ordem, e o último agraciado foi o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu. A condecoração é um reconhecimento ao trabalho dos 133 militares que ajudaram os brasileiros nas buscas, levaram radares capazes de identificar celulares e auxiliaram no resgate de 35 corpos. O presidente Jair Bolsonaro falou com os militares e agradeceu a ajuda.

 

Presidente Jair Bolsonaro: O trabalho dos senhores foi excepcional, fez com que nossos laços de amizade, já muito, se fortalecessem. Nós, brasileiros, nunca esqueceremos o apoio humanitário por parte de todos vocês.

 

Nasi: Márcia, e nesta segunda-feira o presidente Jair Bolsonaro também se dedicou a visitar locais considerados sagrados, não é isso?

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Sim, à tarde o presidente seguiu pelas ruas da antiga Jerusalém, até a basílica do Santo Sepulcro. Para os católicos, esse é o local onde Cristo foi sepultado antes de ressuscitar. Ele conheceu a Capela do Anjo, a Tumba do Cristo e o Altar da Crucificação. Depois, foi acompanhado do primeiro-ministro israelense ao Muro das Lamentações, local sagrado para os judeus. Lá, orou próximo ao muro e, seguindo a tradição, colocou um pedido, para que Deus olhasse pelo Brasil. Depois, o presidente seguiu pelos túneis até uma sinagoga que fica na estrutura do muro. Na saída do muro, agradeceu a acolhida israelense.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Eu quero agradecer ao primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, e neste momento estamos aqui num local sagrado, ouvimos uma oração pela paz no mundo. Senti tocada a minha alma pela fé. Creio que isso é a base de tudo, para que nós possamos pensar em progresso para os nossos povos.

 

Gabriela: E, Márcia, quais os compromissos do presidente previstos para amanhã?

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Olha, Gabriela, amanhã o dia está voltado para incentivar os negócios entre os países. O presidente se encontra com os presidentes de grandes empresas e participa de um encontro empresarial Brasil e Israel. Outra parte importante do dia é a visita ao Centro de Memórias do Holocausto, que lembra os milhões de judeus perseguidos e mortos durante a 2ª Guerra Mundial. Gabriela, Nasi.

 

Nasi: Obrigado, então, Márcia Fernandes, pelas informações aqui na Voz do Brasil.

 

"Nova Previdência - É para todos, é melhor para o Brasil".

 

Gabriela: E lá em Israel, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre a nova previdência.

 

Nasi: Para o presidente Bolsonaro, a proposta é fundamental para que o país atraia investimentos de outras nações.

 

Presidente Jair Bolsonaro: O Brasil tem que mostrar que está fazendo o dever de casa, né? Nossas contas estão desequilibradas, e a reforma da previdência é necessária para isso, reequilibrar nossas contas, investimento irá para o Brasil. A previdência está deficitária, realmente, e temos que fazer essa reforma. Espero que o Congresso aprove, sem que ela seja muito desidratada.

 

Gabriela: A expectativa do Governo é que a nova previdência traga uma economia de R$ 1,1 trilhão para os cofres públicos em dez anos.

 

Nasi: A proposta prevê uma idade mínima de 65 anos para aposentadoria dos homens e 62 para mulheres.

 

Gabriela: Com uma contribuição de pelo menos 20 anos.

 

Nasi: Começam a valer as novas regras para empréstimos consignados para aposentados.

 

Gabriela: A partir de agora, instituições financeiras não podem oferecer crédito para quem acabou de se aposentar.

 

Nasi: Medida que representa um alívio para muita gente. E quem explica é a repórter Graziela Mendonça.

 

Repórter Graziela Mendonça: A hora da aposentadoria deveria ser um momento de paz e descanso, mas não foi bem assim para a bancária Roberta Lima, de Rio Branco, no Acre. Quando começou a receber o benefício, ela conta que passou a ser importunada diariamente por financeiras, oferecendo empréstimos consignados e cartões de crédito.

 

Aposentada - Roberta Lima: Aposentei num dia, acho que no outro dia as ligações já começaram. Foi um período terrível, que eles ligavam toda hora aqui para a minha casa, sem respeitar horário. Eles conseguem teu telefone, eles conseguem teus dados e eles não entendem. Não adianta você dizer... Eles não entendem você falar: Eu não quero. Eu não preciso.

 

Repórter Graziela Mendonça: O assédio das financeiras é uma reclamação constante de quem se aposenta. Mas isso deve começar a mudar. É que hoje começaram a valer novas regras para os consignados, publicadas pelo Instituto Nacional do Seguro Social em dezembro. A partir de agora, as instituições financeiras estão proibidas de oferecer empréstimos consignados aos segurados por até seis meses depois que o benefício é concedido. Segundo Renato Vieira, presidente do INSS, o objetivo é proteger o cidadão de práticas abusivas.

 

Presidente do INSS - Renato Vieira: Busca, de um lado, preservar o beneficiário da previdência contra práticas abusivas e contra assédio de eventuais instituições financeiras e de seus correspondentes, e, de outro lado, melhorar o fluxo do processo de consignação dos empréstimos na folha do INSS, preservando a informação do beneficiário dentro do INSS e dos outros parceiros.

 

Repórter Graziela Mendonça: Ainda de acordo com as novas regras, assim que o benefício for concedido, ele vai ficar bloqueado por 90 dias para contratação de crédito. Caso a pessoa queira fazer algum empréstimo antes disso, deve solicitar diretamente ao banco. Se as regras forem descumpridas, a instituição financeira pode sofrer um processo administrativo e até mesmo ser proibida de operar consignados. Reportagem, Graziela Mendonça.

 

Gabriela: Por meio do microcrédito é que muitos pequenos empreendedores conseguem abrir um negócio no país.

 

Nasi: E para que mais pequenos empresários tenham acesso, o Banco Central regulamentou essa modalidade de crédito.

 

Gabriela: Entre as mudanças, estão o aumento do limite disponível para operações e deixar o processo mais simples.

 

Repórter Pablo Mundim: O microcrédito se destina ao financiamento da atividade produtiva de empreendedores de pequeno porte do país. Eles movimentam mais de R$ 5,5 bilhões, de acordo com dados do Banco Central de fevereiro deste ano. Entre as mudanças trazidas pela resolução do Conselho Monetário Nacional para esses empreendedores está o limite de faturamento, que passa de R$ 120 mil para R$ 200 mil. Também foi alterado o limite de crédito para operações, passando de R$ 15 mil para R$ 21 mil. Segundo o consultor do Departamento de Regulação do Banco Central, Cleofas Salviano Junior, as mudanças podem contribuir para o crescimento econômico brasileiro.

 

Consultor do Departamento de Regulação do Banco Central - Cleofas Salviano Junior: Simplifica e desburocratiza, por assim dizer, a concessão do crédito. E certamente vamos continuar nesse esforço para aumentar a inclusão financeira, em particular o microcrédito.

 

Repórter Pablo Mundim: O consultor do Banco Central, Cleofas Salviano, também destaca outra medida da resolução: o acompanhamento do tomador do microcrédito poderá ser feito de forma não presencial após o primeiro contato. Isso vai reduzir custos e tornar as operações de microcréditos mais atrativas para os bancos, que, por lei, devem destinar 2% dos depósitos à vista a essas operações.

 

Consultor do Departamento de Regulação do Banco Central - Cleofas Salviano Junior: Isso abre espaço para o uso de novas tecnologias, a comunicação pode passar a ser feita por celular, todo mundo tem, por SMS, por Whatsapp, reduz o custo e faz com que o conjunto das instituições financeiras encare isso não como obrigação que o poder público está impondo a elas, mas como uma linha de negócio, normal e rentável.

 

Repórter Pablo Mundim: A resolução também determina que o crédito seja usado apenas para atividades produtivas e não mais para o consumo. As novas regras do Banco Central entram em vigor em 90 dias contados a partir desta segunda-feira. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: Estudantes que vão fazer o Enem já podem pedir a isenção da taxa de inscrição.

 

Gabriela: Daqui a pouco a gente explica quem tem direito a fazer o exame de graça e como fazer este pedido.

 

Nasi: O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, disse hoje que tem sentido uma grande receptividade dos parlamentares com relação aos projetos Anticrime que o Governo enviou ao Congresso.

 

Gabriela: A ideia é alterar algumas leis para melhorar o combate ao crime organizado, ao crime violento e à corrupção.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O Pacote Anticrime foi enviado ao Congresso Nacional em fevereiro. Entre as propostas, estão medidas para assegurar o cumprimento da condenação após julgamento em segunda instância e para elevar penas em crimes cometidos com arma de fogo. O ministro Sérgio Moro afirmou que os deputados e senadores têm sido muito receptivos à aprovação do Projeto de Lei.

 

Ministro da Justiça e Segurança Pública - Sérgio Moro: O desejo, evidentemente, do Governo é que seja aprovado e discutido, eventualmente alterado e aprimorado o mais rápido possível. Agora, o tempo do Congresso pertence aí ao Congresso. O que eu tenho sentido, porém, em conversa com muitos parlamentares, é uma grande receptividade. É uma questão apenas de ajustar o debate e o diálogo.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Num evento em São Paulo, Sérgio Moro disse ainda que não vai permitir que os esforços contra a corrupção sejam perdidos durante o período em que estiver no comando do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e reconheceu os avanços nos últimos anos decorrentes da Operação Lava Jato.

 

Ministro da Justiça e Segurança Pública - Sérgio Moro: Poucos países fizeram o que o Brasil fez em matéria de enfrentamento da grande corrupção nos últimos quatro ou cinco anos. Então, houve um grande avanço. Agora, o importante é que nós transformemos isso num padrão de comportamento, ou seja, que as pessoas tenham mais certeza de que, se elas cometerem crimes no âmbito da administração pública, elas vão ser descobertas, investigadas e, se provada a culpa, vão ser punidas.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O Projeto de Lei Anticrime também amplia o banco genético para permitir que seja colhido material biológico de qualquer pessoa que cometa crime doloso, ou seja, com intenção. A atual lei permite o recolhimento apenas de condenados por crimes violentos. Outra proposta prevista é endurecer as ações contra a liderança de organizações criminosas, elas teriam que iniciar o cumprimento de pena já em presídios de segurança máxima, por exemplo. Reportagem, Ricardo Ferraz.

 

Nasi: Este ano, o Brasil já vendeu para outros países mais de US$ 50 bilhões.

 

Gabriela: Só em março, o valor passou dos US$ 18 bilhões.

 

Repórter Danielle Popov: Em março, o Brasil exportou US$ 18,1 bilhões e importou o equivalente a US$ 13 bilhões, um saldo positivo de US$ 5 bilhões. Os produtos mais vendidos no mês foram os básicos, como algodão, milho, fumo e café. E os principais compradores foram China, Estados Unidos e Argentina. De acordo com o secretário de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Lucas Ferraz, o Governo quer aumentar a inserção internacional do Brasil e para isso pretende atuar em três frentes.

 

Secretário de Comércio Exterior - Lucas Ferraz: A gente vai buscar fazer acordos com países desenvolvidos, que são os acordos que trazem os maiores ganhos potenciais das trocas comerciais, esse é um primeiro ponto. O outro ponto fundamental dessa agenda é tornar os países do Mercosul mais próximos dos países do mundo com estágios de desenvolvimento similares. Em uma terceira dimensão, são as chamadas barreiras não tarifárias. E aí, esse governo tem uma agenda muito importante, que é a agenda de aumento da eficiência portuária brasileira. A redução dos atrasos portuários.

 

Repórter Danielle Popov: No acumulado do ano, as vendas de produtos brasileiros foram de US$ 53 bilhões e o país comprou o equivalente a US$ 42 bilhões, saldo positivo de quase US$ 11 bilhões. Reportagem, Danielle Popov.

 

Nasi: Está aberto a partir de hoje o prazo para os estudantes solicitarem a isenção da taxa de inscrição do Enem.

 

Gabriela: O Governo custeia o exame para pelo menos 70% dos participantes.

 

Repórter Gabriela Noronha: Tem direito à gratuidade estudantes que estejam cursando o último ano do Ensino Médio na rede pública ou bolsistas na rede privada. Neste caso, a renda por pessoa da família do estudante deve ser de até 1,5 salário mínimo, em torno de R$ 1,5 mil. Também são isentos os participantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica que estejam inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. A brasiliense Gabriela Rodrigues Carvalho sonha com uma vaga no curso de Administração, na Universidade de Brasília. Para isso, está estudando mais de seis horas por dia e frequentando as aulas em um cursinho público, e aguarda ansiosa pela isenção da taxa, que neste ano é de R$ 85.

 

Estudante - Gabriela Rodrigues: Eu acho que todo estudante deve ter seu direito. Como eu estudo em escola pública, o método é esse, é pedir a isenção e torcer para que eu consiga.

 

Repórter Gabriela Noronha: A estudante Vanessa Miranda, de 23 anos, se divide entre aulas de gestão pública, cursinho preparatório para o Enem e estágio. Todo esse esforço para realizar o sonho de ser promotora. Ela vai prestar o exame pela quarta vez, e também pela quarta vez vai pedir a isenção.

 

Estudante - Vanessa Miranda: Estou na rede pública, justamente porque você não tem condições, e desembolsar R$ 80 e tantos, não é para todo mundo, né? Até estou fazendo estágio para conseguir pagar a passagem, justamente para... E é o máximo que dá, corro para o cursinho e à noite, faculdade.

 

Repórter Gabriela Noronha: Os estudantes que atendem aos critérios de isenção podem solicitar o não pagamento na página do participante na internet, enem.inep.gov.br, até o dia 10 de abril. É importante lembrar que, mesmo conseguindo a isenção da taxa, o candidato não está automaticamente inscrito no exame. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Nasi: Navegar na internet, em redes sociais, aplicativos...

 

Gabriela: Para boa parte da população idosa, às vezes é difícil entender a tecnologia e os benefícios que ela traz.

 

Nasi: E é para atender esse público que o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos inaugurou o primeiro centro do Programa Viver - Envelhecimento Ativo e Saudável.

 

Repórter Cleide Lopes: Joel Oliveira Junior, morador de Brasília, já passou dos 50 anos. Ele conta que não teve lá muito contato com a tecnologia. Agora, Joel quer acompanhar a evolução e as inúmeras possibilidades oferecidas pelo mundo digital.

 

Entrevistado - Joel Oliveira Junior: Pretendo facilitar minha vida, relacionado à vida bancária, a pesquisas, ao aprendizado em geral.

 

Repórter Cleide Lopes: Já Elzeni Belo, de 61 anos, sabe um pouco como navegar pela internet. Diz que aprendeu com os netos, mas quer ter mais autonomia e voltar ao mercado de trabalho.

 

Entrevistada - Elzeni Belo: É uma oportunidade. Quando a gente aposenta, fica difícil para a gente arrumar algo para fazer, para trabalhar, né?

 

Repórter Cleide Lopes: E eles chegaram cedo ao Centro de Convivência em Ceilândia, a cerca de 30 quilômetros do centro de Brasília, para se matricular no Programa Viver - Envelhecimento Ativo e Saudável, lançado pelo Governo Federal. O secretário nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, Antônio Costa, explica qual é a ideia do programa.

 

Secretário nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa - Antônio Costa: É um programa que vai fazer a inclusão digital da pessoa idosa, ele vai trabalhar a educação financeira e a mobilidade, seja no esporte, para que ele possa ter um desenvolvimento ativo e saudável.

 

Repórter Cleide Lopes: Ceilândia foi a primeira cidade do país a receber o programa. A cidade concentra o maior número de idosos do Distrito Federal. São mais de 165 mil. E essa preocupação em atender aos idosos se dá porque essa população cresce a passos largos. De acordo com o IBGE, em 2018 eles eram mais de 30 milhões no país. Até 2060, eles devem ser quatro vezes mais que o número de jovens de 0 a 15 anos, como explica o secretário Antonio Costa.

 

Secretário nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa - Antônio Costa: Fazer com que não só o Governo Federal, mas também os governos do estado e municípios possam implementar esses programas, já antecipando o crescimento da população idosa e a expectativa de vida.

 

Repórter Cleide Lopes: A ideia é expandir o programa para todo o Brasil. Depois de Ceilândia, serão inaugurados ainda este mês os centros de Balneário Camboriú, em Santa Catarina, Formiga, em Minas Gerais, e Paramirim, no Rio Grande do Norte. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Gabriela: A conta de luz vai continuar com bandeira verde em abril.

 

Nasi: É o quinto mês seguido sem cobrança extra para os consumidores.

 

Gabriela: A cor verde indica condições favoráveis de geração de energia, e por isso ela fica mais barata.

 

Nasi: Segundo a Aneel, a Agência Nacional de Energia Elétrica, há previsão de continuidade de recuperação dos níveis dos reservatórios.

 

Gabriela: Os dois aviões da Força Aérea Brasileira que levaram ajuda humanitária a Moçambique chegaram na manhã de hoje ao país africano.

 

Nasi: As aeronaves transportaram mais de 20 toneladas de remédios e equipamentos, além de 40 militares da Força Nacional e do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.

 

Gabriela: O objetivo é ajudar no resgate das vítimas do ciclone tropical Idai, que ocorreu no dia 14 de março e provocou a morte de mais de 500 pessoas.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Governo Federal. Pátria amada, Brasil".