02 DE JANEIRO DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Jair Bolsonaro toma posse como presidente da República, e tem primeiras reuniões bilaterais. Entre elas com o primeiro secretário norte-americano, Mike Pompeo. E o presidente também assina decreto do novo salário mínimo. Novos ministros assumem cargos. Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, defende combate à corrupção. Novo ministro da Cidadania, Osmar Terra, anuncia 13º salário para quem recebe o Bolsa Família. E Paulo Guedes assume Ministério da Economia tendo como meta aprovar a Reforma da Previdência.

audio/mpeg 02.01.19.mp3 — 46728 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Primeiro de janeiro de 2019.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Tudo o que propusemos e tudo o que faremos a partir de agora tem um propósito comum e inegociável, os interesses dos brasileiros em primeiro lugar.

 

Nasi: Jair Bolsonaro toma posse como presidente da República.

 

Gabriela: E hoje, quarta feira, 2 de janeiro, 2019.

 

Nasi: Bolsonaro tem primeiras reuniões bilaterais.

 

Gabriela: Entre elas, com o primeiro secretário norte-americano Mike Pompeo. Cleide Lopes.

 

Repórter Cleide Lopes: Essa aproximação com os Estados Unidos será um ganho para o Brasil em termos comerciais.

 

Nasi: E presidente também assina decretos do novo salário mínimo.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Novos ministros assumem cargo.

 

Gabriela: Sérgio Moro, ministro da Justiça e Cidadania, defende combate à corrupção.

 

Ministro da Justiça e Segurança Pública - Sérgio Moro: São necessárias políticas mais gerais contra a corrupção, leis que tornem o sistema de justiça mais eficaz.

 

Nasi: Novo ministro da Cidadania, Osmar Terra, anuncia décimo terceiro salário para quem recebe o Bolsa Família.

 

Ministro da Cidadania - Osmar Terra: Vai ter o décimo terceiro para o Bolsa Família. O presidente prometeu e nós vamos fazer cumprir.

 

Gabriela: E Paulo Guedes assume Ministério da Economia tendo como meta aprovar a reforma da previdência.

 

Ministro da Economia - Paulo Guedes: O primeiro pilar que eu disse é a reforma da previdência. O segundo pilar são as privatizações aceleradas. E o terceiro pilar, a simplificação, redução e eliminação de impostos.

 

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Nasi: Um Brasil forte, confiante e ousado.

 

Gabriela: Com transformações na economia que permitam novas oportunidades para todos, estimulando a competição e a abertura para o comércio internacional.

 

Nasi: Com boas escolas, segurança, saúde, infraestrutura e saneamento básico.

 

Gabriela: Compromissos assumidos pelo presidente Jair Bolsonaro ao tomar posse como presidente da República, em cerimônia no Congresso Nacional.

 

Repórter Márcia Fernandes: No Congresso Nacional o presidente Jair Bolsonaro e o vice Hamilton Mourão prestaram um compromisso constitucional, eles juraram seguir as leis, defender a Constituição e promover o bem estar de povo, além de manter a união e independência do país. No primeiro discurso como o presidente da República, Bolsonaro lembrou da passagem dele pela Câmara dos Deputados e convidou os parlamentares para ajudar na tarefa de combater a corrupção e a criminalidade. O presidente também falou sobre algumas prioridades dele no governo.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Daqui em diante, nós portaremos pela vontade soberana daqueles brasileiros que querem boas desolas, capazes de preparar seus filhos para o mercado de trabalho e não para a militância política, que sonham com a liberdade ir e vir sem serem que vitimados pelo crime, que desejam conquistar, pelo mérito, bons empregos e sustentar com dignidade suas famílias, que exigem saúde, educação, infraestrutura e saneamento básico, em respeito aos direitos e garantias fundamentais da nossa Constituição.

 

Repórter Márcia Fernandes: Jair Bolsonaro disse ainda que vai que valorizar as Forças Armadas e os policiais e que vai trabalhar para resgatar a credibilidade do Congresso Nacional e falou sobre as ações que pretende colocar em prática na economia.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Traremos a marca da confiança, do interesse nacional, do livre mercado e da eficiência, confiança no cumprimento de que o governo não gastará mais do que arrecada e na garantia que as regras, os contratos e os propriedades serão respeitados. Realizaremos reformas estruturantes, que serão essenciais para a saúde financeira e sustentabilidade das contas públicas. O setor agropecuário seguirá desempenhando um papel decisivo em perfeita harmonia com a preservação do meio ambiente.

 

Repórter Márcia Fernandes: O presidente disse que uma das prioridades dele é proteger e revigorar a democracia brasileira, com respeito ao estado democrático e afirmou que quer iniciar um novo capítulo na história do Brasil.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Um capítulo no qual o Brasil será visto como um país forte, pujante, confiante e ousado.

 

Repórter Márcia Fernandes: Encerrada a sessão do Congresso, o novo presidente do Brasil, passou em revista às tropas militares, depois foi homenageado com uma salva de 21 tiros de canhão. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

Nasi: E depois da posse no Congresso Nacional, o presidente Jair Bolsonaro seguiu para o Palácio do Planalto.

 

Gabriela: Bolsonaro recebeu a faixa presidencial e fez seu primeiro discurso à nação como presidente da República.

 

Repórter Pablo Mundim: No trajeto do Congresso Nacional para o Palácio do Planalto o presidente Jair Bolsonaro acenou para a população. Jair Bolsonaro e seu vice presidente, Hamilton Mourão, subiram a rampa do Palácio do Planalto, de onde irão governar o país nos próximos quatro anos. Eles foram recebidos por Michel Temer, que entregou a Bolsonaro a faixa presidencial. No parlatório, após o Hino Nacional, a primeira dama Michelle Bolsonaro fez um discurso em Libras, a Língua Brasileira de Sinais para Surdos, agradecendo o apoio do povo brasileiro e prometendo trabalhar em prol da população surda. Em seguida, foi a vez do presidente Bolsonaro, que foi ovacionado pela população ao mostrar uma bandeira do Brasil. No discurso, o presidente Jair Bolsonaro disse que vai combater a corrupção e que a população pode voltar a sonhar.

 

Presidente Jair Bolsonaro: A corrupção, os privilégios e as vantagens precisam acabar. Os favores politizados, partidarizados devem ficar no passado para que o governo e a economia sirvam de verdade à toda a nação.

 

Repórter Pablo Mundim: O presidente também prometeu fazer reformas e cuidar da segurança e educação.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Vamos propor e implementar as reformas necessárias, vamos ampliar infraestruturas, desburocratizar, simplificar, tirar a desconfiança e o peso do governo sobre quem trabalha e quem produz. Nossa preocupação será com a segurança das pessoas de bem e a garantia do direito de propriedade e da legitima defesa, e o nosso compromisso é valorizar e dar respaldo ao trabalho de todas as forças de segurança. Pela primeira vez o Brasil irá priorizar a educação básica, que é a que realmente transforma o presente e faz o futuro de nossos filhos.

 

Repórter Pablo Mundim: Depois do discurso, o presidente recebeu cumprimentos de chefes de estado. Ainda no Palácio do Planalto, Bolsonaro empossou os 22 ministros de governo e posou para a foto oficial. Do Palácio do Planalto o presidente Jair Bolsonaro seguiu para última etapa da cerimônia, um coquetel no Itamaraty. Reportagem, Pablo Mundim.

 

"Ó, pátria amada, idolatrada, salve, salve...".

 

Nasi: E, segundo dados oficiais, mais de 115 mil pessoas acompanharam de perto a posse do presidente Jair Bolsonaro.

 

Gabriela: A repórter Helen Bernardes conversou com algumas dessas pessoas, que vieram de vários cantos do país para mostrar seu apoio ao presidente e a esperança de um país melhor.

 

Repórter Helen Bernardes: Na porta da residência oficial da Granja do Torto, de onde saiu o comboio levando o presidente eleito Jair Bolsonaro, muita gente com esperança da chegar pertinho, como a professora Márcia Magalhães, que veio de Maranguape, no Ceará.

 

Professora - Márcia Magalhães: É um dia histórico, né, e a gente queria acompanhar de pertinho tudo o começo do ao fim.

 

Repórter Helen Bernardes: Eu acompanhei da Praça dos Três Poderes. Lá, desde cedinho muita gente esperava ansiosa. Nem o calor espantou quem decidiu vir para a festa. Quando o sol do meio-dia esquentou, o caminhão dos Bombeiros ajudou quem precisava se refrescar. No meio povo, jovens, idosos, pessoas com deficiência. O Nilvo Leite veio de Alagoas numa moto, viagem de dois dias até chegar a Brasília.

 

Entrevistado - Nilvo Leite: Eu vim sozinho e Deus. Na saída eu me acidentei, caí de moto, quebrou a moto quase toda, mas vim acreditando num Brasil melhor.

 

Repórter Helen Bernardes: A professora Tânia Vendramin, de Indaial, Santa Catarina, contou que percorrer os mais de 1,5 mil quilômetros até a capital federal valeu a pena.

 

Professora - Tânia Vendramin: A gente depositou toda a confiança nesse presidente, novo presidente agora, e eu acredito que ele vai superar as nossas expectativas.

 

Repórter Helen Bernardes: De longe era possível enxergar os cearenses com seus chapéus de cangaceiro, típicos do sertão nordestino. Eles se destacavam em meio à multidão, como conta Glória Rasgun.

 

Entrevistada - Glória Rasgun: Tem os estados quase todo representados aqui.

 

Repórter Helen Bernardes: Por que sair de tão longe para estar aqui hoje?

 

Entrevistada - Glória Rasgun: Para a gente é fechar um ciclo e iniciar uma nova era, né?

 

Repórter Helen Bernardes: Do telão, todos vibraram quando viram Jair Bolsonaro entrando no Rolls-Royce e cantaram juntos a primeira vez que o Hino Nacional foi tocado no Congresso Nacional. E quando o presidente foi chegando em frente ao Palácio do Planalto, desfilou bem pertinho de todos. Muita gente não segurou a emoção como a mineira Karen Maia.

 

Entrevistada - Karen Maia: É um sentimento de um Brasil governado pelos brasileiros. A soberania de volta para o povo, os partidos políticos tendo que obedecer a hegemonia do povo.

 

Repórter Helen Bernardes: E Romário da Silva, de Fortaleza, no Ceará, resume o sentimento de todos, a esperança.

 

Entrevistado - Romário da Silva: Eu vim aqui ver um novo nascimento do Brasil, é como se tivesse nascendo uma criança e ela fosse crescer com saúde, paz, alegria. E eu creio que esse homem vai fazer uma nova administração do Brasil. O nosso Brasil vai mudar.

 

Repórter Helen Bernardes: Reportagem Helen Bernardes.

 

Nasi: Hoje foi o dia de transmissão de cargos nos ministérios.

 

Gabriela: E você vai ouvir ainda nesta edição os compromissos e compromissos e prioridades assumidos por cada um dos novos ministros.

 

Nasi: E uma das primeiras medidas do novo governo foi o aumento do salário mínimo.

 

Gabriela: A decreto foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro. E nós vamos falar agora, ao vivo, da repórter Danielle Popov, que está no Palácio do Planalto e tem outras informações.

 

Nasi: Boa noite Danielle, qual é o valor do novo salário mínimo?

 

Repórter Danielle Popov (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela e também aos ouvintes da Voz do Brasil. O novo salário mínimo passa a valer já a partir da hoje, R$ 998. Um aumento de R$ 44. No primeiro dia de governo, o presidente Jair Bolsonaro também editou medidas provisória que estabelece a organização dos órgãos e ministérios da Presidência da República, vão ser 22 Pastas, sete a menos do que no governo anterior.

 

Gabriela: E, Danielle, com relação a estrutura do governo, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, fez um anúncio agora à pouco. O que muda na Pasta?

 

Repórter Danielle Popov (ao vivo): Gabriela, olha, vão ser demitidos cerca de 320 funcionários que estavam ocupando cargos em comissão até o último dia de 2018. De acordo com o ministro Onyx Lorenzoni, a ideia é trabalhar apenas com servidores que tenham afinidade ideológica com projetos do governo.

 

Ministro da Casa Civil - Onyx Lorenzoni: Nós tomamos a decisão consciente de correr o risco de ter alguma dificuldade, mas, em contrapartida, nós vamos governar com aqueles que acreditam no nosso projeto, sem ter ninguém aqui que possa tomar qualquer atitude que possa colocar em risco um projeto que foi vitorioso nas urnas, que a população reafirmou a sua esperança aqui no dia ontem e que nós temos o compromisso de pôr em prática.

 

Repórter Danielle Popov (ao vivo): Segundo a ministro Onyx Lorenzoni, essa proposta vai ser discutida amanhã na reunião de todos os ministros com o presidente Jair Bolsonaro. Gabriela, eu volto com você.

 

Gabriela: Obrigada, Danielle Popov, pela participação ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

Nasi: Vários líderes internacionais aproveitaram a vinda para a posse do presidente Jair Bolsonaro para estreitar as relações do Brasil.

 

Gabriela: No Palácio do Planalto o presidente teve reuniões com representantes dos Estados Unidos, Portugal, Hungria e China.

 

Repórter Cleide Lopes: Com o presidente de Portugal, Marcelo Rabelo de Sousa, Bolsonaro conversou sobre as relações entre os dois países e o situação dos mais de 100 mil brasileiros que moram em Portugal. O presidente português defendeu um acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul.

 

Presidente de Portugal - Marcelo Rabelo de Sousa: Portugal está permanentemente fazendo o que pode para que seja fechado um acordo, é muito importante para as duas partes.

 

Repórter Cleide Lopes: O secretário de estado norte americano, Mike Pompeo, também conversou do presidente Bolsonaro do Palácio do Planalto, e se reuniu no Itamaraty com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Pompeo falou sobre a importância do Brasil para os Estados Unidos e que espera um fortalecimento das relações entre os dois países. O norte americano disse ainda que o presidente Donald Trump espera receber o presidente Bolsonaro em Washington, e que também pretende visitar o Brasil. O ministro Ernesto Araújo destacou que essa é a aproximação com os Estados Unidos será um ganho para o Brasil em termos comerciais.

 

Ministro das Relações Exteriores - Ernesto Araújo: Uma etapa que vai criar instrumentos concretos, que vão ajudar nossa economia no caso do Brasil a gerar empregos.

 

Repórter Cleide Lopes: A presidente Jair Bolsonaro recebeu ainda o primeiro ministro da Hungria, Viktor Orbán, e o vice presidente do parlamento chinês, Ji Bingxuan. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: E hoje foi dia de transmissão de cargo para os novos ministros.

 

Gabriela: Os titulares de quatro ministérios que funcionam no Palácio do Planalto assumiram hoje as Pastas.

 

Nasi: O presidente Jair Bolsonaro participou das cerimônias.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: O general da reserva Augusto Heleno é o novo ministro do Gabinete de Segurança Institucional. A Pasta é responsável pela segurança e viagens do presidente e vice presidente da República e pela coordenação da área de inteligência do governo.

 

Ministro do Gabinete de Segurança Institucional - Augusto Heleno: Tenho como principal missão resgatar essa missão fundamental para o presidente da República, levando as informações mais atualizadas para que ele possa tomar a sua decisão juntamente com todas as outras informações que ele terá disponível.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: Na Secretaria de Governo o novo titular é o general Carlos Alberto dos Santos Cruz, a Pasta é responsável, por exemplo, pelo relacionamento do Governo Federal com o Congresso Nacional, partidos políticos e entidades da sociedade civil, cuida também da interlocução com estados, Distrito Federal e municípios.

 

Titular da Secretaria de Governo - Carlos Alberto dos Santos Cruz: Nós estaremos sempre de portas abertas a todos os prefeitos, aos governadores, a todas as instituições, a todos os movimentos sociais, a todos os organismos, independente de qualquer outra consideração.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: O advogado Gustavo Bebianno assumiu o comando da Secretária-Geral da Presidência da República.

 

Ministro da Secretária-Geral da Presidência da República - Gustavo Bebianno: O papel primordial da Secretaria-Geral da Presidência da República é o de apoiar diretamente o Excelentíssimo Sr. Presidente da República e fazer cumprir as suas ordens e diretrizes.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: O deputado federal Onyx Lorenzoni vai estar à frente da Casa Civil, Pasta que coordena a articulação política do governo com o Congresso Nacional e avalia políticas públicas.

 

Ministro da Casa Civil - Onyx Lorenzoni: Diálogo será marca desse governo, e nós temos um grande desafio, consertar o Brasil.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: O presidente Jair Bolsonaro participou da transmissão de cargo dos quatro ministros. Reportagem, Luciana Collares de Holanda.

 

Gabriela: E o presidente também participou da transmissão de cargo no Ministério da Defesa.

 

Repórter Márcia Fernandes: Ao assumir a Ministério da Defesa, o general Fernando Azevedo e Silva destacou que manter a paz é um dos principais objetivos nos militares. Também listou as prioridades dele à frente do ministério.

 

Ministro da Defesa - Fernando Azevedo e Silva: A primeira é a racionalização das estruturas visando reduzir custos operacionais periféricos e canalizar os recursos para as atividades do braço armado e projetos estratégicos já existentes. A segunda prioridade é a urgente reestruturação da carreira das armas e criando novos atrativos para a profissão militar.

 

Repórter Márcia Fernandes: Durante a cerimônia o presidente Jair Bolsonaro lembrou que em seu governo as Forças Armadas vão poder atuar para tornar o Brasil um país melhor.

 

Presidente Jair Bolsonaro: O que nós queremos é fazer essa pátria grande, e só faremos se tivermos do nosso lado uma boa equipe, onde todos conversam entre si.

 

Repórter Márcia Fernandes: Carioca, o novo ministro, foi chefe do estado maior do Exército. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

Nasi: Quem também assumiu o cargo foi o ex-juiz federal e agora ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

 

Gabriela: O ministro forçou que vai continuar os trabalhos no combate à corrupção e disse que usará recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública para melhorar a infraestrutura das polícias dos estados e municípios.

 

Repórter Luana Karen: No discurso de transmissão de cargo Sérgio Moro lembrou os desafios no combate à criminalidade e a corrupção. Afirmou que o país precisa de leis mais eficientes e de medidas que diminuam a impunidade. O ministro também disse que vai apresentar ao Congresso Nacional um projeto de lei anticrime.

 

Ministro da Justiça e Segurança Pública - Sérgio Moro: Propostas simples, mais eficazes como, entre outras, a previsão de operações polícia disfarçadas para combater o crime. A proibição de progressão de regime para membros de organizações criminosas para que justiça possa resolver rapidamente casos criminais nos quais haja corrupção.

 

Repórter Luana Karen: Sérgio Moro também pretende pôr em prática em banco genético com perfil de todos os condenados por crimes dolosos no país e quer ampliar a cooperação internacional contra a corrupção. Reportagem, Luana Karen.

 

Nasi: Agora nós vamos ouvir como foi a transmissão de cargo nos ministérios da Saúde, da Cidadania e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O astronauta Marcos Pontes assumiu o cargo de ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Ele destacou que a tecnologia é uma ferramenta estratégica para o desenvolvimento do país.

 

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Marcos Pontes: A tecnologia está em todos os lugares, funciona como se fosse a ponta de lança do desenvolvimento e nós somos os responsáveis por torná la uma melhor ferramenta de sucesso do país. É o trabalho junto com a comunidades científica, de todos os fundos de pesquisas, com as empresas, com a população.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Já Osmar Terra, assumiu hoje do Ministério da Cidadania. A nova pasta foi criada para abrigar os Ministérios do Desenvolvimento Social, da Cultura e dos Esportes. Uma soma do forças, de coordeno do ministro.

 

Ministro da Cidadania - Osmar Terra: Vai ser fortalecido com ações integradas. Eu vejo tanto o esporte, quanto a cultura como instrumento poderoso para trazer para o desenvolvimento humano, o desenvolvimento econômico e social, grandes grupos humanos que estão lá isolados.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O ministro Osmar Terra antecipou, durante a solenidade, que o governo de Jair Bolsonaro irá criar o décimo terceiro salário do programa Bolsa Família. Já na pasta da Saúde tomou o ministro Luiz Henrique Mandetta. Ele destacou a atenção básica como uma das prioridades de sua gestão.

 

Ministro da Saúde - Luiz Henrique Mandetta: Porque a atenção básica terá que ser o norte do nosso sistema de saúde. Meu compromisso com a atenção básica é integral.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O ministro Mandetta também destacou a informatização do sistema de saúde e disse que vai dedicar especial atenção à saúde indígena e ao Programa Nacional de Imunização. Reportagem, Ricardo Ferraz.

 

Gabriela: O filósofo, Ricardo Vélez Rodríguez, novo ministro da Educação, tomou posse agora há pouco.

 

Nasi: A repórter Lara Fonseca acompanhou a cerimônia e traz, ao vivo, as informações agora para gente. Boa noite, Lara.

 

Repórter Lara Fonseca (ao vivo): Boa noite Nasi, Gabriela e ouvintes da voz com o Brasil. Bom, o novo ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, destacou a educação básica como prioridade no seu mandato.

 

Ministro da Educação - Ricardo Vélez Rodríguez: Estaremos trabalhando na formulação de políticas públicas cujos os programas e ações sejam eficazes para o combate ao analfabetismo, à ampliação e melhoraria da educação em creches e pré-escolas, a educação de jovens e adultos, o ingresso, permanência e conclusão dos estudos na idade certa.

 

Repórter Lara Fonseca (ao vivo): O ministro também ressaltou a valorização dos professores e de todos os professores de educação, além do uso adequado dos recursos. Ao vivo, Lara Fonseca.

 

Gabriela: Simplificação de impostos, redução e controle dos gastos do governo e mais oportunidade para o pequeno empresário prosperar.

 

Nasi: Mas, antes de tudo, a aprovação da reforma da previdência. Essas são algumas das propostas anunciadas hoje pelo novo ministro da Economia, Paulo Guedes.

 

Gabriela: O novo ministério é uma fusão dos ministérios da Fazenda, do Planejamento, Trabalho, Indústria e do Comércio Exterior, e fica responsável também pela Receita Federal.

 

Repórter Pablo Mundim: Paulo Guedes destacou que o primeiro pilar do governo para equilibrar as contas públicas é a reforma da previdência. Outras medidas previstas são a simplificação dos tributos com a criação de um imposto único federal e a descentralização dos recursos da União para estados e municípios. Paulo Guedes afirmou que o dinheiro tem que ir para onde o povo está e reforçou o apoio à área social.

 

Ministro da Economia - Paulo Guedes: Nós vamos abrir a economia, nós vamos simplificar impostos, nós vamos privatizar, nós vamos descentralizar os recursos para estados e municípios e nós vamos apoiar a área social, a importância de investimento em saúde, educação.

 

Repórter Pablo Mundim: Paulo Guedes também nominou os novos secretários do ministério e presidentes das estatais, como do Banco Central, da Petrobras e do BNDES, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: E as posses não acabaram. A repórter Daniela Almeida está no ministério das Relações Exteriores na transmissão do novo ministro, o embaixador Ernesto Araújo.

 

Gabriela: Boa noite, Daniela. Conta para a gente o que o ministro falou.

 

Repórter Daniela Almeida (ao vivo): Boa noite, Gabriela, Nasi e ouvintes da Voz do Brasil. A cerimônia de transmissão de cargos terminou exatamente neste momento aqui no Palácio Itamaraty. Há poucos minutos, em seu discurso, o ministro Ernesto Araújo enfatizou que o governo vai libertar a política externa e afirmou que os brasileiros estão vivendo um novo momento de independência, que é um novo renascimento da pátria. O ministro elogiou nações como Israel, Estados Unidos, Hungria e Itália, e afirmou que o Brasil vai ter um perfil mais engajado no comércio exterior e fazer parcerias significativas para prosperar a nação. Ao vivo, Daniela Almeida.

 

Nasi: A nova ministra da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, disse que pretende reduzir a burocracia no setor.

 

Gabriela: Tarcísio Gomes de Freitas, que assumiu hoje do Ministério da Infraestrutura, afirmou que pretende dar continuidade às obras que estão funcionando.

 

Nasi: E disse ainda que o país está bem colocado na pauta internacional, o que deve garantir leilões bem-sucedidos para concessão de itens de infraestrutura.

 

Gabriela: O novo titular do ministério de Minas e Energia, general Bento Albuquerque, afirmou pretende adotar medidas que podem reduzir o preço da energia para o consumidor.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"A Voz do Brasil, Governo Federal".