02/05/17 - A Voz do Brasil

Michel Temer se reúne com ministros e líderes de partidos para discutir reformas da previdência e das Leis Trabalhistas. Balança comercial brasileira registra superávit de US$ 7 bilhões. Denatran realiza campanha para conscientizar população sobre acidentes de trânsito.

audio/mpeg 02-05-17 - VOZ DO BRASIL - PODER EXECUTIVO.mp3 — 46857 KB




Transcrição

Apresentador Aírton Medeiros: Em Brasília, 19 horas.
 
 "Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje."
 
 Apresentadora Gabriela Mendes: Boa noite.

 

Aírton: Boa noite pra você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela:: Terça-feira, 2 de maio de 2017.

 

Aírton: E vamos ao destaque do dia: Presidente Michel Temer reforça a importância da modernização trabalhista para a geração de empregos.  

 

Gabriela: E em mensagem no dia do trabalho, destaca que direitos estão garantidos.

 

Presidente Michel Temer: Iniciamos nova fase, uma fase em favor do emprego. Estamos fazendo a modernização das leis trabalhistas e você terá inúmeras vantagens. Primeiro, vamos criar mais empregos. Segundo, todos os seus direitos trabalhistas estão assegurados.

 

Aírton: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Estamos no Maio Amarelo e tem ações programadas em todo o país para conscientizar motoristas e evitar acidentes.

 

Aírton: Mais um recorde de exportações. Natália Koslik.

 

Repórter Natália Koslik: A balança comercial brasileira terminou o mês de abril com saldo positivo de quase US$ 7 bilhões, o melhor resultado para o mês dos últimos 28 anos.

 

Gabriela: Vamos falar ainda do aumento no número de centros de atendimento de assistência social em todo o país.

 

Aírton: Hoje na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Aírton Medeiros.

 

Gabriela: E pra assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Aírton: No Dia do Trabalho, o presidente Michel Temer falou da modernização das leis trabalhistas aprovadas na Câmara dos Deputados.

 

Gabriela: Temer disse em mensagem publicada nas redes sociais que o governo propõe mudanças para incentivar a criação de mais empregos, assegurando todos os direitos já conquistados pelos trabalhadores.

 

Presidente Michel Temer: Com a modernização trabalhista aprovada pela Câmara dos Deputados, a criação de postos de trabalho, inclusive para os jovens, ocorrerá de forma muito mais rápida. A nova lei garante os direitos não só para os empregos diretos mas também para os temporários e terceirizados, todos com carteira assinada. Portanto, concede direitos àqueles trabalhadores que antes não tinham. Empresários e trabalhadores poderão negociar acordos coletivos de maneira livre e soberana. O diálogo é a palavra de ordem. Além de mais empregos, o resultado será mais harmonia na relação de trabalho e, portanto, menos ações na Justiça.

 

Aírton: O presidente também lembrou outras medidas importantes, já tomadas pelo governo para atender os trabalhadores.

 

Gabriela: Entre elas, a liberação das contas inativas do FGTS. Nos últimos dois meses, os trabalhadores sacaram R$ 15 bilhões, e até julho serão liberados quase R$ 40 bilhões.

 

Aírton: Temer também destacou o cenário econômico com a repercussão da confiança dos empresários.

 

Presidente Michel Temer: Há menos de um ano, recebemos um país com muitos milhões de desempregados. O desemprego ainda persiste, mas estamos trabalhando o tempo todo para mudar esse quadro. Baixamos a inflação de 10,7% ao ano para 4,5% ao ano. A área econômica está recuperando a confiança do país. Isso significa que você terá a abertura de mais empregos muito brevemente. É com trabalho que vamos vencer nossas dificuldades. Os resultados já começam a aparecer. Acredite no Brasil, acredite na força de cada um em transformar o nosso país.

 

Gabriela: E o presidente Michel Temer também se reuniu nesta segunda-feira com parlamentares e ministros, para discutir estratégias para aprovação das mudanças na legislação trabalhista e da reforma da previdência.

 

Aírton: A reforma trabalhista foi aprovada pela Câmara e agora entra em debate no Senado.

 

Gabriela: Já a reforma da Previdência pode ser votada ainda nesta semana por uma comissão especial dedicada ao tema na Câmara. O repórter Nei Pereira acompanhou e tem as informações.

 

Repórter Nei Pereira: Em pleno feriado do dia do trabalhador, o presidente Michel Temer recebeu no Palácio da Alvorada ministros, senadores e deputados. Eles avaliaram a aprovação da reforma trabalhista no Plenário da Câmara, na semana passada, e fizeram uma programação para votar a reforma da previdência nesta semana, na comissão especial da Câmara. O líder do governo na casa, Agnaldo Ribeiro, falou da expectativa de aprovação da reforma da previdência.

 

Líder do governo na Câmara - Agnaldo Ribeiro: Ela será, sem dúvida nenhuma, divisor de águas para que o país possa retomar o caminho do crescimento econômico, da geração de emprego, que é isso que todos nós desejamos, é um outro momento que o país viverá.

 

Repórter Nei Pereira: O secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, que também participou da reunião, destacou a importância da reforma da Previdência para o equilíbrio das contas do governo.

 

Secretário de Previdência - Marcelo Caetano: Não é só uma questão da própria sustentabilidade da previdência, mas é uma questão de ter uma economia mais estável e com uma inflação mais baixa e com maior geração de empregos.

 

Repórter Nei Pereira: O senador Romero Jucá afirmou que o governo busca estratégias para aprovar a reforma da previdência no Senado.

 

Senador - Romero Jucá: Muitos países do mundo estão fazendo reformas da previdência. O Brasil é o que está fazendo a reforma mais suave, com maior tempo de transição. O tempo de transição da nossa reforma é de 20 anos. Portanto, a idade mínima agora será 52 anos para mulher e 55 anos para o homem, e só daqui a 20 anos é que a idade será 65 anos. Portanto, algo extremamente razoável perante o que outros países estão fazendo.

 

Repórter Nei Pereira: Segundo projeções do Ministério da Fazenda, com as mudanças propostas no projeto pela Câmara dos Deputados, a reforma da previdência deve gerar uma economia de R$ 604 bilhões no período entre 2018 e 2027. Isso equivale a 76% da projeção do texto original enviado pelo Executivo. Reportagem, Nei Pereira.

 

Aírton: Maio Amarelo. Em todo o mundo, este é o mês de mobilização para a diminuição dos acidentes de trânsito.

 

Gabriela: E o Brasil entra nessa luta numa ação que é coordenada entre governo e sociedade civil.

 

Aírton: Durante o mês, várias atividades de conscientização sobre o trânsito vão ser realizadas em todo o país.

 

Gabriela: E sobre isso nós vamos conversar ao vivo com o chefe do Núcleo de Prevenção de Acidentes da Polícia Rodoviária Federal, Augustus Cutrim. Boa noite.

 

Chefe do Núcleo de Prevenção de Acidentes - Augustus Cutrim: Boa noite, Gabriela, boa noite, Aírton, boa noite a todos os ouvintes.

 

Gabriela: Augustus, primeiro fala pra gente quais as ações que a Polícia Rodoviária Federal deve realizar neste mês para conscientizar o motorista que trafega em nossas estradas.

 

Chefe do Núcleo de Prevenção de Acidentes - Augustus Cutrim: A Polícia Rodoviária Federal, no mês de maio, realizará uma operação, que terá duração durante todo o mês, nos 26 estados e no DF. Faremos ações ali de sensibilização e conscientização de toda a população, dos motoristas, quanto aos altos índices de mortos e feridos no trânsito. E com intensificação no dia 11 de maio, especificamente. Dentre as ações que a PRF irá realizar, destaco aqui o cinema rodoviário, onde nós convidamos os motoristas a assistirem palestras a respeito da temática trânsito e acidentes, além do [ininteligível], onde nós trabalhamos ali com os alunos das escolas, junto com os professores, além da abordagem educativa que nós fazemos em todas as fiscalizações da Polícia Rodoviária Federal.

 

Aírton: Augustus, dá pra dimensionar a quantidade de acidentes que temos todos os anos nas estradas, por falta de atenção, ultrapassagens perigosas, embriaguez, é possível?

 

Chefe do Núcleo de Prevenção de Acidentes - Augustus Cutrim: Sim, com certeza. A Polícia Rodoviária Federal tem um sistema, um controle muito forte, muito rigoroso em relação às causas dos acidentes nas rodovias e estradas federais. Só pra nós termos aqui uma noção da dimensão, nesse último feriado agora, que foi o dia do trabalhador, que encerrou ontem, segunda-feira, tivemos uma redução de 7,2%, se compararmos com 2016, de vítimas fatais, inclusive. E hoje em dia, com certeza, nós podemos afirmar que a ultrapassagem faixa contínua, nas rodovias federais, é sem dúvida a maior causa das mortes e dos acidentes fatais que ocorrem nas rodovias federais.

 

Gabriela: E você pode então mandar um recado para os motoristas que nos ouvem nesse momento? É possível evitar acidentes?

 

Chefe do Núcleo de Prevenção de Acidentes - Augustus Cutrim: Com certeza, devemos sim ter atenção redobrada à sinalização, sempre que ver ali que a faixa é contínua, não fazer ultrapassagem na faixa contínua. Tomar muito cuidado com a velocidade, temos que ter prudência com a velocidade, respeitar a sinalização mais uma vez, né? O uso correto do capacete também, ainda vemos nas rodovias muitos motociclistas sem o capacete, ou com o capacete sem estar fixado ali na cabeça, além do uso do cinto de segurança também. E claro que não podemos deixar de falar da embriaguez ao volante, que é uma das causas também que nós temos fiscalizado, e é uma causa realmente muito, muito séria ali dos acidentes nas rodovias federais.

 

Gabriela: Nós conversamos ao vivo com o chefe do Núcleo de Prevenção de Acidentes da Polícia Rodoviária Federal, Augustus Cutrim. Augustus, muito obrigada pela sua entrevista para a Voz do Brasil.

 

Chefe do Núcleo de Prevenção de Acidentes - Augustus Cutrim: Obrigado.

 

Aírton: Para ter acesso a programas sociais como o Bolsa Família, por exemplo, os brasileiros contam com atendimento dos Centros de Referência de Assistência Social, os CRAS.

 

Gabriela: No ano passado, o número de CRAS aumentou em todo o país.

 

Aírton: Já são mais de 8.200 centros, que levam programas importantes a quem precisa.

 

Entrevistada: Aqui você vai colocar um outro tecido, fazendo a barrinha de tecido... Ou não, ou de crochê, da barrinha de tecido combina muito com o bordado que está aqui, tá bom?

 

Repórter Mara Kenupp: A aula de artesanato é o primeiro dia e o recomeço para Olindina Reis Garcia, que vai fazer 65 anos na semana que vem e encontrou no CRAS um motivo para sair do isolamento.

 

Entrevistada - Olindina Reis Garcia: É uma maneira de não ficar sozinha, porque eu não quis mais casar, né, me acho, assim, bem velha, né? Então eu acho, assim, só o crochê pra mim, que está me aguardando, né?

 

Repórter Mara Kenupp: A aposentada Eline Afonso Ribeiro, de 65 anos, participa com as amigas do curso de tricô e crochê e diz que, hoje, vê a vida com mais alegria.

 

Aposentada - Eline Afonso Ribeiro: Eu estava sem nada pra fazer em casa e sem motivação. E estava entrando em depressão. Então eu vim pra cá e comecei. Eu aprendi crochê, tricô, patch aplique. A gente vende pra ter um pouquinho de dinheiro a mais no bolso, né?

 

Repórter Mara Kenupp: Em todo o país, muitos brasileiros em situação de risco social precisam do apoio do CRAS. O Centro que fica na cidade-satélite do Guará, no Distrito Federal, atende a 11 mil pessoas e várias atividades de proteção básica são realizadas. É o que explica a coordenadora da unidade, Lucélia Aguiar Nogueira.

 

Coordenadora do CRAS - Lucélia Aguiar Nogueira: Nós fazemos um atendimento integral, onde é feito encaminhamentos, concessões de benefícios, atualmente é o auxílio natalidade, auxílio por morte, temos auxílio vulnerabilidade...

 

Repórter Mara Kenupp: De acordo com o censo do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, o número de Centros de Referência de Assistência Social aumentou de 8.155 em 2015 para 8.240 unidades em 2016. Segundo a assessora técnica de proteção social básica do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, Márcia Viana, as informações da pesquisa vão aperfeiçoar o atendimento à população.

 

Assessora técnica de proteção social básica - Márcia Viana: Ela traz um retrato de como estão as unidades, quais os serviços ofertados, qual a qualidade pra população, um retrato do Sistema Único.

 

Repórter Mara Kenupp: A região sudeste tem o maior número de CRAS, com 34%, seguida pelo nordeste, com 32%. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Gabriela: Índios da etnia Gamela entraram em conflito com fazendeiros no povoado de Bahias, que fica no município de Viana, a 220 quilômetros de São Luís, no Maranhão.

 

Aírton: Em nota, o Ministério da Justiça e Segurança Pública disse que está averiguando a situação. Por determinação do ministro Osmar Serraglio, a Polícia Federal já enviou uma equipe ao local para evitar mais conflitos.

 

Gabriela: O Governo Federal também ofereceu apoio à Secretaria de Segurança Pública, que, por sua vez, instaurou inquérito para investigar o caso.

 

Aírton: Os índios reivindicam uma área de 14 mil hectares, no norte do Maranhão, atualmente ocupada por fazendeiros.

 

Gabriela:: 19h13 em Brasília.

 

Aírton: Mais uma vez o Brasil vende mais do que compra de outros países.

 

Gabriela: Daqui a pouco vamos falar do recorde do mês da balança comercial e as expectativas para o ano.

 

"Defesa do Brasil, Defesa do Brasil, Defesa do Brasil"

 

Aírton: Saber impor a ordem com força, mas também com respeito às pessoas e às tradições.

 

Gabriela: Esse diferencial faz das Forças Armadas Brasileiras referência mundial em missões de paz da Organização das Nações Unidas.

 

Aírton: Inspetores da ONU estiveram aqui no Brasil para ver de perto como nós podemos colaborar ainda mais com os países que precisam de ajuda. Confira os detalhes em mais uma reportagem de Marina Melo.

 

Repórter Marina Melo: A ONU, Organização das Nações Unidas, foi criada após a II Guerra Mundial, com objetivo de unir os países em torno da paz. Desde então, a ONU realiza missões em regiões que foram devastadas por conflitos. O Brasil faz parte dessa história e atualmente ocupa lugar de destaque em duas grandes missões: No Líbano e no Haiti. Por definição da ONU, a missão no Haiti deverá ser concluída no final deste ano, e depois disso o Brasil deverá ser chamado para atuar em novas missões de paz. Recentemente uma comitiva da ONU esteve aqui para conhecer de perto as instalações e equipamentos das nossas Forças Armadas. O chefe de operações conjuntas do Ministério da Defesa, General César Augusto Nardi, explica que a capacidade dos militares brasileiros é reconhecida mundialmente.

Chefe de Operações Conjuntas - General César Augusto Nardi: Porque eles vêm ver mais uma parte técnica, né, dos equipamentos, se estão de acordo com as especificações do que eles necessitam. Mas, da parte do soldado brasileiro, seja ele do Exército, da Marinha ou da Força Aérea, eles sabem que podem esperar sempre o melhor nas missões de paz. E disso nós temos muito orgulho.

 

Repórter Marina Melo: O Coronel Ricardo Bezerra, que comandou o 23º Contingente Brasileiro para Missão de Estabilização no Haiti, conta que a pequena bandeira do Brasil bordada no uniforme das tropas brasileiras já tem o poder de amenizar situações de violência.

 

Coronel - Ricardo Bezerra: A forma de se aproximar da população, de se relacionar com a população, ela é considerada um fator de êxito na missão. Então, não é através da arma ou da força puramente que a gente vai cumprir a missão de segurança. A gente tem que conquistar a população, ela tem que ver que a gente realmente se importa com eles, que é o que aconteceu. No Haiti, o nome do Brasil é associado à firmeza, à seriedade, à honestidade. Então, eles realmente nos respeitam muito.

 

Repórter Marina Melo: O Brasil já participou de mais de 33 missões de paz no mundo, tendo enviado mais de 50 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. Reportagem, Marina Melo.

 

Gabriela: A cultura japonesa num único espaço e aqui no Brasil.

 

Aírton: É a Japan House, a primeira casa do Japão inaugurada em São Paulo.

 

Gabriela: O presidente Michel Temer conheceu o espaço e participou da inauguração no domingo. O repórter José Luís Filho tem os detalhes.

 

Repórter José Luís Filho: O projeto Japan House, iniciado de forma pioneira em São Paulo, tem o objetivo de mostrar a todos os povos o que o Japão tem a oferecer, além dos estereótipos de tradição milenar e tecnologia de última geração. O presidente Michel Temer destacou a importância de um local como este para os dois países.

 

Presidente Michel Temer: Eu tenho a certeza de que a casa do Japão, no coração econômico e financeiro do Brasil, aproximará ainda mais brasileiros e japoneses, seja pela difusão da cultura, seja pelo estímulo de novos negócios.

 

Repórter José Luís Filho: Brasil e Japão mantém relações diplomáticas a 122 anos, laços de amizade e comércio renovados a cada encontro, como aqui, na inauguração da Japan House, onde o presidente Michel Temer e o vice-primeiro-ministro japonês Taro Aso tiveram uma reunião bilateral. No encontro, de cerca de 30 minutos, foram reafirmados acordos culturais, de cooperação técnico-científica e debatidos também investimentos japoneses no Brasil, como explica o Cônsul-geral do Japão em São Paulo, Takahiro Nakamae.

 

Cônsul-geral do Japão - Takahiro Nakamae: Falamos sobre como melhorar o ambiente, as condições de maior atividade das empresas, induzir mais investimentos.

 

Repórter José Luís Filho: E ao lembrar a importância das reformas, como a previdenciária e a trabalhista, o presidente reafirmou que elas modernizam o Brasil e ajudam a atrair mais investimentos para o país.

 

Presidente Michel Temer: Para dar tranquilidade e a segurança de que nós estamos desobstruindo os caminhos da economia, para alcançar a tranquilidade de todo o povo brasileiro e, especialmente, eliminar o desemprego que aflige a muitos neste momento.

 

Repórter José Luís Filho: A Japan House, inaugurada neste domingo, será aberta ao público no próximo dia 6 de maio. Reportagem, José Luís Filho.

 

Aírton: A Japan House será aberta ao público a partir do próximo sábado.

 

Gabriela: O Brasil está em alta, se fortalecendo como um importante exportador.

 

Aírton: Os dados da balança comercial divulgados hoje mostram que as exportações foram maiores que as importações em quase US$ 7 bilhões, o melhor resultado para o mês dos últimos 28 anos.

 

Gabriela: E os três primeiros meses do ano tiveram superávit recorde, de mais de US$ 14 bilhões.

 

Repórter Natália Koslik: A balança comercial brasileira terminou o mês de abril com saldo positivo de quase US$ 7 bilhões, o melhor resultado para o mês dos últimos 28 anos. O professor de economia Milton Lima Braga explica o que esse crescimento representa para a economia do país.

 

Professor - Milton Lima Braga: Quando tem alguém comprando mais produtos nossos, isso nos leva a produzir mais, a gerar mais emprego e a gerar mais renda.

 

Repórter Natália Koslik: Os dados foram divulgados hoje pelo Ministério do Desenvolvimento, Comércio Exterior e Serviços. Um dos produtos que teve aumento de exportação foi a soja, com incremento de quase 25% em relação a abril do ano anterior. Gustavo Weisheimer, diretor comercial de uma empresa agrícola do Mato Grosso, fala sobre a venda de grãos.

 

Diretor comercial - Gustavo Weisheimer: Nós tivemos ótimos preços, né, mesmo no pico da crise. Então, a agricultura passou um período melhor do que a média da economia, seja via produção, seja via alta do preço.

 

Repórter Natália Koslik: E as expectativas para o restante do ano são boas, de acordo com o secretário de Comércio Exterior, Abrão Neto.

 

Secretário de Comércio Exterior - Abrão Neto: A estimativa do Ministério é que nós tenhamos em 2017 um resultado, um superávit superior ao de 2016, que deve superar o valor de US$ 55 bilhões.

 

Repórter Natália Koslik: A balança comercial também registrou crescimento das vendas para o exterior no acumulado dois quatro primeiros meses do ano, numa ordem de mais de US$ 21 bilhões em relação ao mesmo período do ano passado. Reportagem, Natália Koslik.

 

Gabriela: 19h21 em Brasília.

 

Aírton: O Brasil tem cada vez mais tecnologia para realização de transplantes.

 

Gabriela: E no Rio de Janeiro, um hospital realiza transplantes de tecidos e pele, além de fornecer material para mais de dez estados.

 

Aírton: As técnicas devolvem a mobilidade e a autoestima dos pacientes.

 

Repórter: O projeto Japan House iniciado de forma pioneira em São Paulo tem o objetivo de mostrar a todos os povos o que o Japão tem a oferecer além dos--

 

Gabriela: Daqui a pouco a gente volta com essa reportagem. Para melhorar os serviços públicos, o governo possui um sistema de ouvidorias, onde o cidadão pode fazer reclamações, sugestões e também elogios.

 

Aírton: E tudo isso está centralizado em um único site, onde as pessoas podem opinar sobre serviços de qualquer órgão do Governo Federal, como hospitais, universidades, bancos públicos, agências, ministérios, fundações e empresas públicas.

 

Gabriela: E a população está usando mais esse sistema online neste ano.

 

Repórter Carolina Becker: Imagine um canal direto e 24 horas para envio de denúncias, reclamações, pedidos e sugestões para órgãos e entidades do governo. Isso já existe, é o Sistema de Ouvidorias do Poder Executivo Federal, do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União. Todas as manifestações são encaminhadas, analisadas e respondidas em cerca de 16 dias. Segundo o ouvidor-geral da República, Gilberto Waller Junior, nos primeiros três meses deste ano, o sistema registrou recorde histórico de manifestações, foram 21.330, um aumento de 95% no comparativo com o mesmo período do ano passado.

 

Ouvidor-geral da República - Gilberto Waller Junior: O cidadão, ele pode fazer qualquer tipod e manifestação, desde um simples problema que ele tenha com seu benefício previdenciário, até políticas públicas mais complexas, como relações que ele venha a discutir ou sugerir mudanças em uma política econômica, mudanças numa política de governo.

 

Repórter Carolina Becker: Qualquer pessoa física ou jurídica pode enviar solicitações, sugestões, denúncias e reclamações. Basta acessar na internet sistema.ouvidorias.gov.br. Reportagem, Carolina Becker.

 

Gabriela: Mais de 5 milhões de carteiras de trabalho estão à espera de seus solicitantes nos postos do Ministério do Trabalho.

 

Aírton: O recordista de carteiras não retiradas é o Rio Grande do Sul, seguido pelo Paraná e Minas Gerais.

 

Gabriela: Segundo o Ministério do Trabalho, a principal razão da não retirada das carteiras é a pressa. Antes da informatização, a carteira era emitida manualmente e, em alguns locais, demorava 15 dias para entrega.

 

Aírton: E muita gente que precisava do documento no mesmo dia ia para outro posto para tentar a emissão mais rápida.

 

Gabriela: Mas isso está mudando. A expectativa é de que, até o final do ano, todo o país esteja dentro do sistema informatizado para retirada de carteiras de trabalho. A isso significa mais agilidade e segurança para o trabalhador.

 

Aírton: Agora temos novas normas para a captura de tainha no sul e no sudeste do país neste ano.

 

Gabriela: O objetivo é respeitar a capacidade de renovação dos estoques, considerados abaixo da condição mínima para o repovoamento natural dos peixes.

 

Aírton: As regras atualizadas vão permitir a exploração sustentável da tainha, com normas próprias para pesca artesanal e industrial.

 

Gabriela: E amanhã nós vamos ouvir a reportagem sobre o hospital referência nos transplantes de tecidos e pele.

 

Aírton: Estas foram as notícias do Governo Federal.
 
 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Aírton: Com produção da Empresa Brasil de comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Aírton: Boa noite pra você e até amanhã.