03/03/17 - A Voz do Brasil

Ministério da Saúde amplia público-alvo de seis vacinas. Indústria da transformação cria 17 mil postos de trabalho em janeiro deste ano. Cerca de 22 mil pessoas já acessaram o Identidade Jovem. Tudo isto você ouviu nesta sexta-feira em A Voz do Brasil!

audio/mpeg 03 03 2017 - Voz do Brasil.mp3 — 23963 KB




Transcrição


"Atenção radialistas de todo o Brasil, é hora de noticiar os fatos que ajudam a construir um novo país. Direito dos estúdios da Empresa Brasil de Comunicação, em Brasília, vem aí a Voz do Brasil".

 

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentador Airton Medeiros: Olá. Boa noite.

 

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Apresentador Airton Medeiros: Sexta-feira, 3 de março de 2017.

 

Gláucia: E vamos ao destaque do dia: novo calendário de vacinação inclui novo público com crianças, adolescentes, jovens e adultos.

 

Airton: E tem novidades também na vacinação contra a gripe. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: A partir deste ano professores de escola pública e particular também vão ser vacinados contra a gripe.

 

Gláucia: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Airton: Caminhões e carros começam a ser liberados na BR-163 em direção aos portos do Pará.

 

Gláucia: Denúncias de violência sexual contra mulheres aumenta no carnaval. Os dados são do Disque 180.

 

Airton: Em um mês mais de 22 mil jovens de baixa renda tiveram acesso à Identidade Jovem.

 

Gláucia: Hoje na apresentação: Glaucia Gomes e Airton Medeiros.

 

Airton: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Gláucia: A partir de agora o calendário nacional de vacinação vai incluir mais pessoas.

 

Airton: Seis vacinas vão ter novo público-alvo que insere crianças, adolescentes e adultos.

 

Gláucia: As mudanças foram anunciadas hoje. Ah, e para os idosos também tem novidade. A campanha de vacinação contra a gripe vai começar mais cedo, no dia 17 de abril.

 

Repórter Gabriela Noronha: Uma arma na prevenção de doenças. A vacinação é a forma mais fácil de proteger o organismo de alguns tipos de vírus, Maria Roseli Ferreira sabe disso e mantém a vacinação do filho Artur, de quatro anos, sempre em dia.

 

Entrevistada - Maria Roseli Ferreira: Para prevenir, né? Eu prefiro dar do que adoecer depois e prejudicar, né?

 

Repórter Gabriela Noronha: E atenção para o novo calendário nacional de vacinação anunciado nesta sexta-feira, seis vacinas vão ter o público-alvo ampliado a partir de agora. A hepatite A passa a ser disponibilizada para crianças de até cinco anos, antes a idade máxima era de dois anos. A vacina tetraviral contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela passa a ser administrada até quatro anos de idade. Antes é só até dois anos. Já a vacina contra HPV também vai ser ofertada para meninos, como explica o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Estamos ampliando especialmente, além dos meninos, as meninas de 14 anos poderão ser vacinadas e também as pessoas que têm deficiência imunológica.

 

Repórter Gabriela Noronha: Já a vacina meningocócica C, vai ter a faixa etária ampliada gradativamente até 2020, quando vão ser incluídos crianças e adolescentes de nove a 13 anos. A vacina DPA Adulto passa a ser recomendada a partir da 20ª semana de gestação ou após o parto, e a tríplice viral contra sarampo, caxumba e rubéola vai ter a segunda dose para a população de 20 a 29 anos de idade. Segundo a coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações, Carla Magda Domingues, as vacinas João estão indisponíveis.

 

Coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações - Carla Magda Domingues: Todas as vacinas já estão em todas as salas de vacinas. Então, as pais podem levar seus filhos, crianças, quanto adolescentes, para ser vacinados e principalmente o adulto jovem. É importante que essa população também comece a entender a importância da vacinação, porque não só crianças tem que ser vacinada, mas qualquer público-alvo definido pelo Ministério da Saúde deve receber a vacina.

 

Repórter Gabriela Noronha: O ministro da Saúde conta que a economia de recursos permitiu a ampliação das vacinas.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Nós estamos comprando vacinas mais baratas, estamos apertando os fornecedores, mesmo os laboratórios públicos. Só em três vacinas economizamos R$65 milhões, e, com isso, estamos ampliando a vacinação para a outras faixas etárias. Com isso, vamos alcançar maior cobertura vacinal e mais segurança de saúde para a população.

 

Repórter Gabriela Noronha: A campanha de vacinação contra a gripe será antecipada neste ano como ocorreu no ano passado, e já começa no dia 17 de abril. A partir deste ano professores de escola pública e particular também vão ser vacinados contra a gripe. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Airton: Aumentou o número de denúncias de violência sexual contra a mulher neste carnaval.

 

Gláucia: Os números são do Ligue 180, que recebe denúncias por telefone de todo o país. Nós vamos conversar agora, ao vivo, com a jornalista Helen Bernardes, que tem os detalhes. Boa noite, Helen.

 

Repórter Helen Bernardes: Boa noite, Glaucia, Airton. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. Bem, carnaval é tempo de festa e folia, mas em meia à alegria muitas vezes a violência contra a mulher fica ali oculta com aquele ditado de que no carnaval vale tudo. Pois é, o Ligue 180, telefone que recebe denúncias de violência contra a mulher, registrou no carnaval 2.132 chamadas, um pouco menos que no mesmo período do ano passado, mas, mesmo com essa redução, outro número chamou a atenção, os relatos de violência sexual aumentaram quase 90%. A Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres acredita que as campanhas de conscientização, realizadas pelo governo e sociedade civil, podem contribuído para o aumento do número de denúncias. Também foram recebidos relatos de violência psicológica, moral e patrimonial, cárcere privado e tráfico de pessoas. Mais de 1.100 ligações tratavam de violência física. E não custa repetir, né? Mulheres que sofrem algum tipo de violência precisam ter a coragem de denunciar. Para isso, existe o Ligue 180. A central de atendimento funciona 24 horas por dia de segunda a domingo, inclusive, nos feriados. E, olha, a ligação é de graça. Glaucia.

 

Gláucia: É isso mesmo, Helen. Nós temos que denunciar. Nós, como mulheres, temos que denunciar. Muito obrigada pela sua participação aqui na Voz do Brasil.

 

Airton: Os estudantes que se inscreveram no processo seletivo do Fies devem ficar atentos.

 

Gláucia: O prazo de pré-seleção da lista de espera foi prorrogado para o dia 17 de março.

 

Repórter Luiz Cláudio Moreira: O prazo de pré-seleção da lista de espera, que se encerraria nesta sexta-feira, dia 3, foi prorrogado para o dia 17 de março. O objetivo é ampliar as oportunidades de financiamento para os alunos. Os estudantes pré-selecionados estarão numa lista que pode ser consultada na página do Fies, na internet. O ministro da Educação Mendonça Filho, disse que a prioridade do governo com o Fies é garantir o acesso aos jovens estudantes que solicitam financiamento.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: O propósito primeiro é garantir o atendimento dos jovens e dos estudantes que demandam o Fies, e nós asseguramos rigorosamente o mesmo número de contratos que foi celebrado no primeiro semestre de 2016. Então, é muito importante que a gente tenha isso claro para o público como um todo.

 

Repórter Luiz Cláudio Moreira: Para o primeiro semestre deste ano são ofertadas 150 mil vagas. O Fies é o programa do Ministério da Educação destinado a financiar prioritariamente estudantes de cursos de graduação que comprovem renda bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa da família. Também são requisitos para se candidatar ao Fies a participação em alguma edição do Exame Nacional do Ensino Médio, Enem, a partir de 2010. Reportagem, Luiz Cláudio Moreira.

 

Airton: Ontem a gente falou aqui na Voz do Brasil que o governo instituiu um grupo para monitorar o fluxo de veículos na BR-163 no sentido Pará-Mato Grosso.

 

Gláucia: Por causa das chuvas um atoleiro impedia o tráfego na rodovia formando um imenso engarrafamento de caminhões que levam suas cargas para os portos de Miritituba e Santarém, no Pará.

 

Airton: Equipes da Polícia Rodoviária Federal e das Forças Armadas foram enviadas à região e o fluxo já foi restabelecido hoje. Agora há pouco nós recebemos novas informações. E quem tem os detalhes é a jornalista Alessandra Bastos. Alessandra, boa noite.

 

Repórter Alessandra Bastos (ao vivo): Boa noite, Airton. Boa noite, Glaucia. Boa noite, ouvintes da Voz do Brasil. O tempo bom por todo o dia de hoje ajudou e o fluxo de veículos na BR-163 no sentido Pará-Mato Grosso já começa a ser restabelecido. No sentido contrário ainda há cerca de cinco quilômetros de retenção. Os caminhões estavam paralisados há duas semanas na BR-e a preocupação, Airton, era maior porque esses caminhões levam carregamento de soja e de milho para os portos do Pará. Ontem as equipes da Polícia Rodoviária Federal e das Força Armadas foram enviadas à região. Hoje o comitê gestor local, que foi criado ontem pelo Ministério dos Transportes, começou a atuar na área mais danificada. A força-tarefa para a liberação imediata da BR reuniu técnicos da Casa Civil e de vários Ministérios, da Agricultura, da Justiça, Defesa, Transportes e da Integração Nacional. Além do trabalho para liberar as pistas as equipes entregaram cestas básicas para os caminhoneiros, motoristas e familiares que ficaram isolados. Caso o tempo continue favorável como hoje, a expectativa de liberação total do tráfego é até no início da semana que vem. Segue com você, Airton.

 

Airton: Boas informações que nos trouxe aí a Alessandra Bastos sobre a BR-163. Alessandra, obrigado. Boa noite.

 

Gláucia: 19h10 em Brasília.

 

Airton: Poder pagar meia entrada em eventos culturais e esportivos, além de viajar de graça em ônibus interestaduais.

 

Gláucia: Jovens de baixa renda podem ter acesso a tudo isso com a ID Jovem.

 

Airton: Daqui a pouco a gente explica direitinho o que é preciso fazer para ter o documento.

 

Gláucia: Quando a conta aperta do fim do mês e a renda não é suficiente para pagar tudo, muitos brasileiros apelam para o empréstimo bancário.

 

Airton: É, mas preciso muita atenção para não atrasar a parcela, pois os juros podem ser muitos altos.

 

Gláucia: E para deixar esse negócio mais claro, a partir de setembro os bancos devem cumprir nossas regras para a cobrança de juros do atraso de dívidas.

 

Repórter Beatriz Amiden: Quase todo mundo já precisou pegar um empréstimo no banco. Mas será que as pessoas sabem que se não pagarem as parcelas em dia os bancos podem cobrar um juro bem maior do que aquilo que foi contratado originalmente?

 

Entrevistado: Isso é novidade para mim, nunca me passaram isso. Esses anos todos que eu tenho conta, nunca me passaram isso, não.

 

Entrevistado: Eu sei, porque uma vez uma atrasei o financiamento do carro, né? E logo no primeiro dia, tipo, já aumentou quase que R$50 no valor da parcela, entendeu?

 

Repórter Beatriz Amiden: Foi um susto para você?

 

Entrevistado: Eu achei bastante. Pensei que depois de um mês eu não ia conseguir pagar a parcela, né?

 

Repórter Beatriz Amiden: E para acabar com o susto do consumidor na hora de pagar as parcelas em atraso, o Conselho Monetário Nacional mudou as regras na sua última reunião. Agora a taxa de juros que foi assinada no contrato deve ser mantida mesmo no caso de as prestações não estarem em dia. Além dessa taxa, o consumidor deve pagar também os juros por atraso. Na regra atual os bancos têm duas opções na hora de cobrar as parcelas em atraso: manter a taxa original do contrato ou aplicar uma taxa de juros específica, que depende dos juros do mercado e pode ser bem maior do que a primeira. A partir do dia 1 de setembro os bancos só vão poder cobrar os juros que foram combinados na hora da contratação do empréstimo. Essas mudanças vão garantir uma tranquilidade para o usuário, já que cada pessoa vai saber direitinho o que pagar no caso de atraso, como explica Silvia Marques, chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do Banco Central.

 

Chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do Banco Central - Silvia Marques: Se você tem no próprio contrato prevendo que mesmo em situação de inadimplência não haverá alteração da taxa de juros, isso traz uma maior previsibilidade no fluxo de desembolso do cliente, ele passa a ter uma maioria segurança em termos de previsibilidade do fluxo da caixa.

 

Repórter Beatriz Amiden: Os bancos que quiserem se adequar às novas regras agora, já podem, a obrigatoriedade é a partir de setembro. Reportagem, Beatriz Amiden.

 

Airton: Você sabia que quem tem uma alimentação saudável trabalha melhor?

 

Gláucia: É isso mesmo, Airton. A alimentação equilibrada contribui para a produtividade dos funcionários.

 

Airton: E as empresas podem contar com a ajuda do governo, seja para preparar as refeições, distribuir cestas de alimentos ou terceirizar o serviço.

 

Gláucia: Tudo isso por meio de um programa do Ministério do Trabalho. Vamos saber mais na reportagem de Jéssica do Amaral.

 

Repórter Jéssica do Amaral: Uma alimentação saudável é essencial para manter a saúde do trabalhador. E quando a empresa tem essa preocupação, a vida dos funcionários se torna muito mais fácil, é o que pensa Luciano Ribeiro Barbosa, que trabalha no Sesi, em Brasília.

 

Entrevistado - Luciano Ribeiro Barbosa: Eu acho que só temos uma hora de almoço. Isso otimiza o nosso tempo num ambiente agradável.

 

Repórter Jéssica do Amaral: Para a nutricionista Gina Ferreira, a alimentação equilibrada reflete no desempenho do empregado.

 

Nutricionista - Gina Ferreira: Faz com que a empresa tenha mais ganho e redução nos custos com gestão de saúde desses trabalhadores.

 

Repórter Jéssica do Amaral: Para que a alimentação balanceada e de qualidade chegue a cada vez mais trabalhadores, o Ministério do Trabalho desenvolve o PAT, Programa de Alimentação do Trabalhador. O governo estimula o empregador a fornecer alimentação adequada aos empregados por meio da concessão de incentivos fiscais. Quem explica é o auditor fiscal do Ministério do Trabalho, Fernando César da Mata Reis.

 

Auditor fiscal do Ministério do Trabalho - Fernando César da Mata Reis: A imprensa, ela tem isenção de encargos sociais, que são a isenção do recolhimento de FGTS e Inss em relação aos custos com a alimentação. Além disso, as empresas que optam pela tributação do lucro leal, elas também têm um incentivo fiscal de até 4% no imposto de renda.

 

Repórter Jéssica do Amaral: Atualmente mais de 20 milhões de profissionais são atendidos pelo programa. Sendo que a maior parte deles, quase 17 milhões são de baixa renda, ou seja, ganham até cinco salários mínimos. A coordenadora-geral de fiscalização e projetos do Ministério do Trabalho, Viviane Fontes, avalia que o PAT é fundamental para os trabalhadores.

 

Coordenadora-geral de fiscalização e projetos do Ministério do Trabalho - Viviane Fontes: É uma alimentação de qualidade para o trabalhador de menor renda. Então, prioriza aquele trabalhador que tem um salário menor, garantir a qualidade alimentar dele, objetivamente, além da melhoria da condição de trabalho desse funcionário, mas também até indiretamente prevenir agravos à saúde, doenças, acidentes.

 

Repórter Jéssica do Amaral: As empresas que desejarem se cadastrar no PAT devem acessar o site do Ministério do Trabalho, no endereço: trabalho.gov.br/pat. Lembrando que a adesão é voluntária. Reportagem, Jéssica do Amaral.

 

Airton: E hoje saiu o resultado do Caged, que é o Cadastro de Empregados com Carteira Assinada.

 

Gláucia: Em janeiro a diferença entre o número de empregados contratados e demitidos ainda é negativo, mas diminuiu se comparado ao mesmo mês do ano passado.

 

Airton: Por outro lado, alguns setores começaram a contratar. Os detalhes com a repórter Alessandra Bastos.

 

Repórter Alessandra Bastos: O ano de 2017 começou com a criação de quase 19 mil vagas de emprego na indústria têxtil, na mecânica e na de calçados. Também foram criados postos na indústria da borracha, de material elétrico e de metalurgia. Outro setor com desempenho positivo foi a agropecuária, que criou 10 mil vagas. A informação está no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o Caged de janeiro, divulgado hoje pelo Ministério do Trabalho. Considerando todos os setores da economia, o mês de janeiro terminou com 40 mil postos de trabalho formais a menos o que em dezembro. A redução foi menor do que em janeiro do ano passado, quando foram fechadas quase 100 mil vagas. O pior resultado foi no comércio, que terminou janeiro com 60 mil vagas a menos. Por estados, o melhor desempenho foi o de Santa Catarina. Alessandra Bastos para a Voz do Brasil.

 

Gláucia: Em um mês mais de 22 mil jovens tiveram acesso à Identidade Jovem.

 

Airton: Com a ID Jovem é possível pagar meia entrada em eventos culturais e esportivos, além de poder viajar de graça em ônibus interestaduais.

 

Gláucia: A repórter Mara Kenupp explica para a gente o que é preciso fazer para ter acesso ao documento.

 

Repórter Mara Kenupp: Ser jovem no Brasil significa ser deslocado, criativo, antenado, e, acima de tudo, tecnológico, como a Yasmim Souza de 15 anos.

 

Entrevistada - Yasmim Souza: Hoje em dia a tecnologia faz muita coisa pela gente. Tipo, quando a gente precisa estudar, às vezes a gente vai pesquisar na internet.

 

Repórter Mara Kenupp: E foi com essa intenção que o Governo Federal usou a tecnologia para beneficiar jovens de baixa renda. Aí surgiu a Identidade Jovem ou ID Jovem, um cartão virtual que proporciona descontos para a diversão, como explica o secretário nacional da Juventude, Assis Filho.

 

Secretário nacional da Juventude - Assis Filho: O ID Jovem, ele proporciona o acesso à meia entrada em todas as atividades artísticas, culturais, esportivas e ele também tem direito ao Passe Livre, o que é isso? São passagens interestaduais, ou seja, de um estado para o outro, a cada viagem, a cada veículo, seja navio, trem ou ônibus, nós temos duas cadeiras que têm que ser reservadas nesses veículos gratuitamente para o jovem.

 

Repórter Mara Kenupp: A identidade Jovem está disponível para pessoas de 15 a 29 anos com renda familiar até dois salários mínimos, independentemente de serem estudantes ou não. O jovem também precisa estar inscrito no Cadastro Único do Governo Federal e ter o NIS, o Número de Identificação Social. O brasiliense Jeferson Alves, de 26 anos, já utilizou o ID Jovem para visitar amigos e parentes em outro estado, e gostou.

 

Entrevistado - Jeferson Alves: Eu fui para Minas visitar parentes, né? Então, assim, é bom porque a gente mantém um contato, não fica tão afastado.

 

Repórter Mara Kenupp: Para se cadastrar, basta entrar no site da Caixa Econômica Federal ou baixar um aplicativo no celular. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Airton: Inspirar jovens do Bolsa Família a abrir horizontes para o mercado da tecnologia da informação e dar possibilidades para que eles possam encontrar aí um caminho para vencer a pobreza.

 

Gláucia: Para isso, está sendo construído uma parceria entre o governo e o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário e o Instituto Campus Party Brasil.

 

Airton: Esse instituto facilita o acesso da população à tecnologia e a ideia é fazer a inclusão dos jovens do Bolsa Família nesse mundo cheio de oportunidades.

 

Repórter Rodrigo Saccone: A proposta prevê a capacitação e o incentivo para que eles possam ter este mercado como alternativa ou até se tornarem empreendedores. A ação vai integrar o Programa Incluir, que que será lançado em breve para promover a inclusão produtiva dos beneficiários do Bolsa Família. O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, destacou que ideia é seduzir os jovens, principalmente aqueles que hoje nem trabalham, nem estudam, dando a eles uma perspectiva de futuro.

 

Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário - Osmar Terra: Essa parceria com o Campus Party e com outras instituições que podem nos propiciar uma formação em grande escala desses jovens para que eles possam até desenvolver pequenas empresas, para desenvolver aplicativos e ajudá-los a ter uma renda maior, uma vida melhor.

 

Repórter Rodrigo Saccone: Foi isso o que aconteceu com João Gabriel Cabral. Aos 12 anos, ele aprendeu robótica, se tornou um multiplicador deste conhecimento e hoje, aos 16 anos, é embaixador do Projeto Educação Livre, da Unesco. Ele diz como o conhecimento de tecnologia pode revolucionar a vida de um jovem.

 

Entrevistado - João Gabriel Cabral: A gente tem 70% dos jovens de 16 a 29 anos que não sabem o que querem fazer. Eu acho que a gente vai conseguir quebrar esse gap usando essa única ferramenta, porque ali é onde o jovem consegue se encontrar. Muitos jovens hoje vão para a Campus Party falante: "Nossa, agora eu sei o que eu quero fazer de faculdade. Agora eu sei que carreira eu quero seguir".

 

Repórter Rodrigo Saccone: O presidente do Instituto Campus Party, Francesco Farruggia, conta que o objetivo é construir uma proposta atrativa e que desperte nos jovens o interesse por este mundo.

 

Presidente do Instituto Campus Party - Francesco Farruggia: Procurar encontrar uma série de ideias para fazer conjuntamente para atrair essas pessoas ao mundo da tecnologia.

 

Repórter Rodrigo Saccone: Na primeira fase a parceria atenderá jovens de cem cidades. Quando estiver em pleno funcionamento, as ações vão beneficiar todos os jovens entre 15 e 25 anos do Bolsa Família. Reportagem, Rodrigo Saccone.

 

Gláucia: 19h21 em Brasília.

 

Airton: Procurar o selo do Inmetro nos produtos já é prática comum entre os consumidores. O selo significa que aquele objetivo é seguro, sem riscos para a saúde e o meio ambiente.

 

Gláucia: Para deixar tudo de acordo das exigências na lei, o instituto testa milhares de produtos em seus 46 laboratórios.

 

Airton: E a Voz do Brasil mostra para você como é o trabalho desenvolvido pelos pesquisadores e especialistas do Inmetro.

 

Repórter Natália Melo: Todo mundo conhece o selo do Inmetro, é ele que garante a qualidade de muitos produtos do nosso dia a dia, mas o trabalho do instituto vai muito além disso, como explica o presidente Carlos Augusto de Azevedo.

 

Presidente do Inmetro - Carlos Augusto Azevedo: O Inmetro era tido só como um prestador de serviço, mas se você não tiver a pesquisa do Inmetro, você não faz uma boa metrologia. Então, hoje em dia o Inmetro é reconhecido como uma instituição de ciência e tecnologia.

 

Repórter Natália Melo: Carlos Augusto explica que é através da metrologia que são feitas as medições e definidos os padrões precisos para saber se tudo está funcionando direitinho.

 

Presidente do Inmetro - Carlos Augusto Azevedo: A sociedade vai ficando cada vez mais sofisticada, ela tem cada vez mais produtos, e aí, o Inmetro tem que se aparelhar, tem que se equipar para atender essas demandas da sociedade.

 

Repórter Natália Melo: Em um de seus laboratórios do Inmetro são feitos textos de resistência em próteses de joelho e de quadril. O pesquisador metrologista do instituto, Rafael Melo, explica como funciona o trabalho no local.

 

Pesquisador metrologista do instituto - Rafael Melo: Utilizamos de equipamos que simulam de modo controlado em laboratório, a caminhada de uma pessoa, uma atividade normal. Nós conseguimos predizer ou medir o nível de desgaste esperado de uma prótese de quadril ou joelho.

 

Repórter Natália Melo: Em outro laboratório encontramos o goniofotômetro, o aparelho de nome complicado mostra para onde vai a luz e qual a intensidade dela. É para lá que a indústria de iluminação envia o material para saber se o produto está dentro dos padrões. E o resultado a gente vê também na iluminação pública, que tem usado essa tecnologia para substituir as lâmpadas antigas pelas de LED, uma economia e tanto no consumo de energia, segundo o presidente do Inmetro, Carlos Augusto Azevedo.

 

Presidente do Inmetro - Carlos Augusto Azevedo: Você substituir a iluminação pública pelas lâmpadas eventuais, você trocar pelas de LED, vai dar para o país uma economia de geração de energia de uma Itaipu, US$20 milhões somente você fazendo uma certificação bem-feita das luminárias para lâmpadas de LED.

 

Repórter Natália Melo: O Inmetro tem 46 laboratórios funcionando no campus de Xerém, no Rio de Janeiro, são mais de 2 milhões de metros quadrados no maior complexo laboratorial da metrologia da América Latina. Reportagem, Natália Melo.

 

Gláucia: Mais de 592 mil declarações do imposto de renda pessoa física 2017 já foram entregues até as 17h deste segundo dia de envio.

 

Airton: A expectativa da Receita Federal é de que mais de 28 milhões de contribuintes entreguem a declaração e o prazo de entrega vai até o dia 28 de abril.

 

Gláucia: Você pode baixar o programa para preencher a sua declaração na página da Receita, em: receita.fazenda.gov.br.

 

Airton: Essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gláucia: Uma realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Airton: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gláucia: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite e bom final de semana.

 

Airton: Boa noite para você e até segunda.