03/05/17 - A Voz do Brasil

E vamos ao destaque do dia: Mais um passo para aprovação da reforma da previdência. Comissão da Câmara está reunida para votar relatório! E ministro da Fazenda diz que debate é importante, mas mudanças não podem comprometer proposta do governo. E ainda: pra você que tem dúvidas de como fica a previdência, nós respondemos a sua pergunta! E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje: Divulgadas as regras para acesso ao cartão reforma! Governo envia Força Nacional para reforçar a segurança no Rio de Janeiro. E vamos falar do selo lançado hoje para garantir qualidade das empresas que processam produtos da agricultura!

audio/mpeg 03 05 17.mp3 — 23358 KB




Transcrição

A VOZ DO BRASIL – 03/05/2017


Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília, 19h00.

Apresentadora Gláucia Gomes: Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje.

Apresentadora Gabriela Mendes: Boa noite.

Airton: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

Gabriela: Quarta-feira, 3 de maio de 2017.

Airton: E vamos ao destaque do dia: mais um passo para a aprovação da reforma da Previdência. Comissão da Câmara está reunida para votar relatório.

Gabriela: E o ministro da Fazenda diz que debate é importante, mas mudanças não podem comprometer proposta do governo.

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: A Previdência é um assunto que demanda grande debate, etc. O importante é que o benefício fiscal seja substancial para que, de fato, o país volte a crescer e volte a criar emprego.

Airton: E ainda para você que tem dúvidas de como fica a Previdência nós respondemos a sua pergunta.

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje...

Airton: Divulgada as regras para o acesso ao Cartão Reforma. Natália Koslyk.

Repórter Natália Koslyk: O primeiro edital do programa Cartão Reforma vai acontecer em 30 dias, quando então os municípios selecionados vão cadastrar as famílias para receberem o benefício.

Gabriela: E governo envia Força Nacional para reforçar a segurança no Rio de Janeiro.

Airton: Na apresentação da Voz do Brasil de hoje, Gabriela Mendes e Airton Medeiros.

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

Airton: Começou hoje pela manhã e segue até agora a noite a reunião da comissão especial da Câmara para votar a reforma da Previdência.

Gabriela: Depois de aprovado na comissão, o projeto que muda as regras da Previdência ainda precisa ser aprovado no plenário da Casa com todos os deputados.

Airton: O repórter Paulo La Salvia está acompanhando as discussões na Câmara dos Deputados e traz mais informações, ao vivo. Olá, Paulo. Boa noite.

Repórter Paulo La Salvia (ao vivo): Boa noite, Airton, Gabriela, ouvintes da Voz do Brasil. Depois de audiências públicas e debates, chegou a hora da comissão especial votar o relatório do deputado Arthur Maia. Em relação à versão já apresentada, o relator incluiu os policiais legislativos que cuidam da segurança no Congresso na mesma regra para policiais federais. Com a mudança, as duas categorias poderão se aposentar com uma idade mínima de 55 anos. Para o relatório ser aprovado é necessária a maioria simples, ou seja, 19 votos favoráveis dos 37 integrantes da comissão. Entre outros pontos, a reforma da Previdência estabelece uma regra de transição para todos que estão no mercado de trabalho. Também define uma idade mínima de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres se aposentarem. O tempo de contribuição é igual, 25 anos. Já para receber o benefício integral, que vai depender do que for recolhido durante todo o tempo de trabalho e tem como limite R$ 5.531,00, a pessoa terá que contribuir por 40 anos à Previdência. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, falou sobre o impacto da reforma nas contas públicas.

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Os efeitos calculados até mudanças efetuadas até o dia de ontem estavam ainda dentro dos nossos parâmetros aceitáveis como divulgamos, o efeito acumulado em 10 anos de cerca de 24%, o que fazia com que, portanto, a reforma tenha um efeito fiscal equivalente a 76% daquilo originalmente proposto, o que está dentro do patamar que nós já prevíamos. Vivemos numa democracia e é normal que haja uma negociação com o Congresso, e, portanto, acredito que está indo muito bem. Tem que se fazer mesmo essa negociação. Em qualquer país do mundo a Previdência é um assunto que demanda grande debate, etc. O importante é que o benefício fiscal seja substancial para que, de fato, o país volte a crescer e volte a criar emprego.

Repórter Paulo La Salvia (ao vivo): Na tramitação da reforma da Previdência na Câmara, depois da comissão especial o próximo passo é a análise da proposta no plenário, quando o relatório do deputado Arthur Maia vai servir para orientar as discussões entre os parlamentares. São necessárias duas votações com maioria qualificada no plenário, ou seja, 308 votos favoráveis em cada uma delas, para a proposta ser aprovada e seguir para o Senado. Ao vivo, Paulo La Salvia.

>> “Você na Voz do Brasil”.

Gabriela: E hoje nós vamos responder dúvidas sobre a reforma da Previdência.

Airton: É, a nossa equipe foi às ruas para ouvir brasileiros que não sabem como fica o seu benefício com as mudanças que estão em discussão no Congresso.

Gabriela: A Danúbia Márcia Silva quer saber, por exemplo, quando ela vai poder se aposentar.

Auxiliar de Odontologia - Danúbia Márcia Silva: O meu nome é Danúbia. Eu sou auxiliar de odontologia. Eu tenho 37 anos, 12 de contribuição e eu quero saber qual é a idade mínima para mim conseguir a minha aposentadoria. Quanto tempo eu tenho que contribuir?

Airton: E, atenção, que esta também pode ser a sua dúvida. O professor Wesley Machado, que é especialista em direito previdenciário, responde. Vamos ouvir.

Professor - Wesley Machado: A partir das atuais regras da reforma da Previdência a idade mínima para se aposentar para homens será de 65 anos, para mulheres será de 62 anos. Entretanto, há regras de transição, que o homem poderá se aposentar aos 55 anos de idade, a mulher aos 53 anos de idade. Então, neste caso a sua aposentadoria poderá ocorrer quando você completar 53 anos de idade, desde que você tenha o tempo mínimo de 25 anos de contribuição. É imprescindível que o trabalhador tenha estes 25 anos. O que vai modificar na regra de transição é a idade mínima: para homens será de 55 anos, para mulher de 53 anos de idade.

Gabriela: E nos próximos dias a Voz do Brasil vai responder mais perguntas de ouvintes.

Airton: Você tem alguma dúvida sobre a reforma da Previdência? Então, mande para a gente.

Airton: É bem fácil: basta gravar uma mensagem e mandar para o nosso e-mail voz@ebc.com.br ou no WhatsApp 61988627345. 61998627345.

Airton: A nossa produção vai procurar a resposta para você. Participe!

Gabriela: E o Rio de Janeiro terá reforço na segurança com a atuação da Força Nacional e da Polícia Rodoviária Federal.

Airton: Ontem, nove ônibus foram queimados na Avenida Brasil depois de uma grande operação da Polícia Militar para acabar com a guerra entre traficantes da zona norte da cidade.

Gabriela: De acordo com o ministro da Justiça, o presidente Michel Temer determinou a ajuda depois de conversa por telefone com o governador do estado.

Repórter Taíssa Dias: Militares da Força Nacional de Segurança e agentes de Polícia Rodoviária Federal vão ser enviados ao Rio de Janeiro para auxiliar o governo do estado a garantir a segurança. O anúncio foi feito pelo ministro da Justiça, Osmar Serraglio, após reunião com o presidente Michel Temer nesta terça-feira.

Ministro da Justiça - Osmar Serraglio: Nós já dispomos lá de 125 integrantes, iremos reforçar essa participação através de mais 100, e também há um pleito relativo à Polícia Rodoviária Federal. Há uma identificação de que, entre outras rodovias, a Via Dutra está servindo de canal de alimentação em drogas, armamentos, assaltos ao transporte, às cargas.

Repórter Taíssa Dias: O secretário nacional de Segurança Pública, general Santos Cruz, irá ao Rio de Janeiro para traçar junto às autoridades locais, estratégias de enfrentamento à criminalidade. Segundo ele, a ideia é que as ações tenham um efeito contínuo.

Secretário Nacional de Segurança Pública - General Santos Cruz: Então, o detalhamento será feito em contato direto com as autoridades do Rio de Janeiro e isso será feito de imediato para que o Rio tenha condições de enfrentar de uma maneira efetiva, com o apoio federal, os problemas de segurança pública.

Repórter Taíssa Dias: O Rio de Janeiro vem sofrendo ataques a ônibus e caminhões deste a terça-feira. Reportagem, Taíssa Dias.

Airton: E o ministro da Justiça também falou sobre os conflitos entre indígenas e fazendeiros que acontecem no país.

Gabriela: Na última segunda-feira, índios da etnia Gamela entraram em conflito com fazendeiros no povoado de Bahias, no Maranhão.

Airton: Os índios reivindicar uma área de 14 mil hectares, atualmente ocupada por fazendeiros.

Gabriela: Osmar Serraglio afirmou que o governo quer facilitar o andamento dos processos de demarcação de terras indígenas no Brasil.

Ministro da Justiça - Osmar Serraglio: O governo Michel Temer quer, sim, legalizar as demarcações. Onde os indígenas estavam em 1988, no dia da promulgação da Constituição, no dia 5 de outubro, nós imediatamente iremos proceder à demarcação.

Airton: O Ministério da Justiça já enviou equipes da Polícia Federal ao Maranhão. Os agentes atuam na segurança para evitar novos conflitos e também auxiliam nas investigações do que ocorreu no início da semana.

Gabriela: Agora, um recado para você que é professor.

Airton: É, a vacinação contra a gripe começou e neste ano professores de escolas públicas e privadas de todo o país podem se vacinar de graça.

Gabriela: Pela primeira vez esses profissionais foram incluídos nos grupos que devem ser imunizados dentro da campanha do Ministério da Saúde.

Repórter Mara Kenupp: Em sala de aula todo dia ensinando, aplicando atividades em grupo e avaliando. O contato da professora Elizabeth Machado com os alunos é intenso, até na hora da merenda. E se ela gripar o risco de passar para a turma é alto.

Professora - Elizabeth Machado: Como a gente convive com várias crianças dentro da escola, então a gente acaba sendo um grande veiculador do vírus, né?

Repórter Mara Kenupp: Ao todo, 2,3 milhões de professores em todo o país devem tomar de graça a vacina contra a gripe, e para incentivar estados e municípios a realizarem a vacinação no ambiente escolar, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, acompanhou a rotina de vacinação em uma escola em Brasília, e disse o que programa de vacinação do Brasil é o maior do mundo.

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: O Programa Nacional de Imunização, são R$ 3,9 bilhões de investimento, são 300 milhões de vacinas, de doses que são distribuídas em nossa rede durante o ano todo. Nós atendemos 19 tipos de vacinas que estão no nosso programa, é o melhor programa de imunização do mundo.

Repórter Mara Kenupp: Com a inclusão dos professores, agora são cerca de 54 milhões de pessoas entre idosos, trabalhadores da saúde, crianças de seis meses a menores de cinco anos que integram os grupos prioritários que devem se vacinar, e o objetivo do Ministério da Saúde é atingir 90% dessa população. Reportagem, Mara Kenupp.

Airton: E, como prometemos ontem, hoje vamos falar do hospital referência que realiza transplantes de tecidos e pele, além de fornecer material para mais de 10 estados.

Gabriela: O Into, que fica no Rio de Janeiro, é mais um investimento do governo em tecnologia para a realização de transplantes.

Airton: As técnicas realizadas lá devolvem a mobilidade e a autoestima dos pacientes.

Repórter Natália Mello: Não faz muito tempo que D. Vera Lúcia, ao quebrar uma prótese de quadril após uma queda, se sentia assim.

Paciente do Hospital - D. Vera Lúcia: Estava gasta, quebrou e muita dor.

Repórter Natália Mello: Foi no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Rio de Janeiro, o Into, que uma nova prótese, dessa vez com enxerto ósseo, foi implantada em Vera, e já começou a dar resultado.

Paciente do Hospital - D. Vera Lúcia: Eu espero voltar ao meu normal. Depois de eu sair e fazer as minhas compras, viver a minha vida normal como eu vivia.

Repórter Natália Mello: O material utilizado na aposentada foi retirado do banco de tecidos do instituto, que desde 2002 trabalha com a captação e distribuição de tecidos como ossos, córneas e cartilagens para hospitais de todo o país. Resultado de doações, o banco de tecidos agora conta também com um banco de pele, o quarto do país em funcionamento. Para o coordenador-geral do Banco de Multitecidos do Into, Rafael Prinz, o serviço ajuda a melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Coordenador-Geral do Banco de Multitecidos do Into - Rafael Prinz: O caso da pele, na verdade, ela é bastante útil em pacientes vítimas de queimados. Esses pacientes, eles precisam de um curativo biológico.

Repórter Natália Mello: O médico ressalta que esclarecer a população sobre a necessidade das doações é um desafio para que as demandas dos hospitais sejam supridas.

Coordenador-Geral do Banco de Multitecidos do Into - Rafael Prinz: É nossa obrigação fazer uma reconstrução anatômica desses locais onde são retirados os tecidos. São retirados de locais que não vão ter nenhum impacto para um velório, para um enterro digno posteriormente. A gente tem essa preocupação, e esclarecer isso à população, que isso não seja um fator realmente para diminuir a nossa taxa de aceitação da doação.

Repórter Natália Mello: Em 2016, o Into forneceu ossos, articulações e córneas para a realização de mais de 500 transplantes em 12 estados brasileiros. Reportagem, Natália Mello.

Gabriela: 19hs14min, em Brasília.

Airton: Daqui a pouco você vai saber todos os detalhes das regras para o acesso ao Cartão Reforma.

Gabriela: Quem tem direito, como vai ser a seleção das famílias. Todas as informações ainda nesta edição. Não saia daí.

Airton: E hoje é o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.

Gabriela: Em um evento realizado em Brasília, ministros do governo falaram sobre ações que vêm sendo tomadas para contribuir com uma sociedade mais bem informada.

Airton: Iniciativas como a de divulgação de dados com transparência em sites para uso da imprensa e dos cidadãos.

Repórter João Pedro Neto: Os cinco anos da Lei de Acesso à Informação foram destacados pelo ministro da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União, Torquato Jardim. Ele diz que já foram feitos quase meio milhão de pedidos de informação com base na lei desde 2012. O ministro ressaltou que iniciativas de transparência favorecem o trabalho da imprensa em favor da sociedade, e afirmou que o Brasil tem se destacado internacionalmente nessa área.

Ministro da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União - Torquato Jardim: O trabalho de dados abertos, o Brasil é pioneiro dele, eu participei de reuniões no exterior no ano passado, e estamos exportando, digamos assim, esse modelo cultural. Vários outros países já pediram a colaboração brasileira.

Repórter João Pedro Neto: Iniciativas governamentais têm contribuído com os avanços nessa área. Além da Lei de Acesso à Informação, a criação do Portal Brasileiro de Dados Abertos e do Portal da Transparência, espaços na internet em que são disponibilizados dados de governo para uso livre pela sociedade e também pela imprensa. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, lembrou que a atuação livre da imprensa e o tratamento transparente do governo com relação aos dados públicos e indicadores econômicos são importantes para a tomada de decisões na sociedade.

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: É uma postura de transparência, uma postura de recuperação da confiança através da transparência e através de uma confiabilidade nos dados apresentados.

Repórter João Pedro Neto: Recentemente o Brasil alcançou a oitava posição em um ranking mundial de dados abertos, elaborado por uma organização internacional que promove o conhecimento livre, a Open On Load Foundation. Reportagem, João Pedro Neto.

Gabriela: Seja para lazer ou trabalho, os drones, aqueles aviõezinhos pilotados por controle remoto e que servem para captar imagens áreas, estão cada vez mais sendo usados.

Airton: Para que a utilização deles seja mais segura, a Anac, Agência Nacional de Aviação Civil, aprovou novas regras.

Gabriela: É, em alguns casos vai ser exigida a habilitação para pilotar o drone.

Repórter José Luiz Filho: Apesar de pequenos e não tripulados, por segurança os drones precisam seguir normas da aviação civil para voar. A dificuldade para proprietários e pilotos é que o Brasil não tinha uma regulamentação específica para o uso destas aeronaves. A operação delas dependia de autorizações dadas caso a caso. Mas tudo isso muda agora, com a entrada em vigor da norma elaborada pela Anac, a Agência Nacional de Aviação Civil. É o que explica o superintendente de aeronavegabilidade da agência, Roberto Honorato.

Superintendente de Aeronavegabilidade da Anac - Roberto Honorato: É de se esperar que a sociedade ganhe benefícios com essa tecnologia, sendo mantida a segurança.

Repórter José Luiz Filho: Com a normatização, os drones só podem ser operados por maiores de 18 anos, e na maioria dos casos com licença, habilitação e certificado médico aeronáutico. Durante o uso de uma destas aeronaves o piloto deverá ter em mãos documentos obrigatórios como manual de voo, avaliação de risco e apólice de seguro com cobertura de danos contra terceiros. Com exceção de órgãos públicos de saúde, segurança e fiscalização, o uso profissional dos drones não pode ser feito perto de pessoas sem autorização delas. Na opinião de integrantes do setor, como Émerson Granemann, editor de uma revista especializada em drones, a normatização vai estimular o mercado.

Editor de Revista Especializada em Drones - Émerson Granemann: Os contratos maiores, eles não estavam sendo, digamos, viabilizados por contas dessa falta da regulamentação. Agora, com isso, eu acredito que o mercado vai dobrar de tamanho aí a curto prazo.

Repórter José Luiz Filho: Para Nicole Cunha, advogada especializada em aviação, são regras claras, flexíveis, que foram bem recebidas pelo setor.

Advogada Especializada em Aviação - Nicole Cunha: Que hoje eles já sabem agora regras que eles vão ter que correr atrás para fazer a sua regulamentação, para fazer o seu cadastramento, né, e estar operando devidamente conforme a legislação. Isso é bom porque eu acho que traz uma transparência para a sociedade como um todo.

Repórter José Luiz Filho: Quem não atender às determinações está sujeito à multa e outras penas. A fiscalização será feita pela Anac e por órgãos de segurança pública como a Polícia Militar. Reportagem, José Luiz Filho.

Airton: O Cartão Reforma, que deve beneficiar mais de 170 mil famílias ainda este ano, ganhou um portal na internet com todas as informações sobre o programa.

Gabriela: E em poucas semanas será publicado um edital para a escolha dos primeiros municípios que vão selecionar as famílias beneficiadas.

Repórter Natália Koslyk: O Cartão Reforma ganhou aliados tecnológicos nesta quarta-feira: foram lançados dois aplicativos que vão auxiliar na gestão e no controle do programa e um portal que reúne as principais informações e serviços, como explica o ministro das Cidades, Bruno Araújo.

Ministro das Cidades - Bruno Araújo: A ideia é que nós pudéssemos iniciar o Cartão Reforma a partir de uma base tecnológica diferente e que permitisse menos burocracia, agilidade, transparência, segurança, controle dos órgãos de fiscalização, do Ministério Público Federal, do Tribunal de Contas da União, do Ministério das Cidades, da Corregedoria-Geral da União e da própria sociedade.

Repórter Natália Koslyk: Por meio do portal vai ser possível conhecer os municípios aptos para participar do programa e também os limites de recursos por estado e município. A primeira seleção vai acontecer no prazo de 30 dias por meio da publicação de um edital. Depois, os municípios selecionados vão começar a cadastrar as famílias. Álvaro Lourenço, diretor de Melhoria Habitacional do Ministério das Cidades, explica os próximos passos.

Diretor de Melhoria Habitacional do Ministério das Cidades - Álvaro Lourenço: A partir dessa publicação nós faremos uma avaliação desses projetos e a listagem final dos municípios selecionados. Em seguida, nós partiremos para o cadastramento das famílias e a concessão do benefício, tanto a entrega do cartão diretamente à família quanto a transferência de recursos de até 15% para os municípios, destinados à contratação de profissionais para a assistência técnica e a fiscalização.

Repórter Natália Koslyk: A prioridade será dos municípios que apresentarem maior carência habitacional de acordo com as informações levantadas pelo IBGE, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A previsão de orçamento para o programa no ano de 2017 é de R$ 1 bilhão, dinheiro que deve atender cerca de 170 mil famílias. Todas as informações sobre o programa podem ser encontradas no site www.cartaoreforma.cidades.gov.br. Reportagem, Natália Koslyk.

Airton: E vai poder receber o Cartão Reforma, no valor de R$ 2.000,00 a R$ 9.000,00, famílias que têm renda de até R$ 2.800,00.

Gabriela: Lembrando que o cartão é um benefício e o dinheiro não precisa ser devolvido. 18hs21min, em Brasília.

Airton: O Ministério da Agricultura quer que empresas do setor criem medidas de combate à corrupção e fraudes, o que já vem sendo feito dentro da estrutura do próprio Ministério. As medidas foram apresentadas em uma reunião hoje, em Brasília.

Repórter Eduardo Biagini: No encontro, foi apresentado aos mais de 50 representantes do agronegócio do país um novo programa do Ministério da Agricultura, que busca incentivar os empresários a criarem medidas de combate a fraudes e corrupção nas empresas. É o que explica o ministro da Agricultura, Blairo Maggi.

Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Blairo Maggi: A ideia é que tudo isso fique muito claro, como são as relações entre Ministério da Agricultura, entre as empresas, das empresas com os seus funcionários, dos funcionários e dos servidores da Casa, como tudo isso pode ser feito e tudo isso muito explicado e transparente para que não haja no futuro contestação sobre aquilo que o Ministério da Agricultura vem fazendo.

Repórter Eduardo Biagini: A indústria da carne, que recentemente foi afetada por denúncias de fraude na produção, já demonstra estar recuperada. A afirmação é do presidente da Associação Brasileira da Indústria Exportadora de Carne, Antonio Camardelli.

Presidente da Associação Brasileira da Indústria Exportadora de Carne - Antonio Camardelli: Nessa crise, isso foi extremamente benéfico porque propiciou que a gente levantasse essa consciência e a necessidade de fazer algumas reorientações, e entre elas está esse agro que desburocratiza e cria condições para que a gente possa ampliar mercados e potencializar ganhos, não é, nos estados, melhorando o preço médio das exportações.

Repórter Eduardo Biagini: No encontro também foram apresentados os resultados do Programa AgroMais. Lançado no ano passado, o programa moderniza normas e processos, como a emissão de laudos e o processo de inspeção de produtos. A ideia é facilitar a exportação de produtos e proporcionar mais renda e emprego. O secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Ilmar Novak, fala dos resultados do AgroMais.

Secretário-Executivo do Ministério da Agricultura - Ilmar Novak: O Plano AgroMais não seria possível sem que o setor produtivo brasileiro estivesse junto, sem que o setor produtivo se integrasse conosco, apresentasse as demandas e sugestões de solução. Então, foram mais de 500 problemas resolvidos, problemas que foram elencados pelo setor produtivo e que amarravam o desenvolvimento do setor. Então, isso dá uma média de dois problemas resolvidos a cada três dias.

Repórter Eduardo Biagini: Com o AgroMais, a expectativa do governo é aumentar a participação do país no mercado mundial de produtos agrícolas, passando dos atuais 6,9% para 10% nos próximos cinco anos. Com locução de Eduardo Biagini, reportagem, Diogo Rezende.

Gabriela: Com a recuperação da economia, a produção industrial começa a dar sinais de retomada.

Airton: Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, nos três primeiros meses do ano houve um crescimento de 0,6% no setor.

Gabriela: O último resultado positivo em um primeiro trimestre havia sido em 2013.

Airton: Essas foram as notícias do governo federal.

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

Airton: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

Airton: Boa noite para você e até amanhã.