03 DE JULHO DE 2017

Destaques da Voz do Brasil: Antecipado saque do FGTS de contas inativas para nascidos em dezembro. Exportações continuam em alta e saldo da balança comercial é recorde em junho. Começou hoje o prazo para renegociação de dívidas com a Receita Federal. Rio de Janeiro passa a ser área de recomendação para vacinação contra a febre amarela!

audio/mpeg 03-06-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 23379 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Nasi Brum: Olá. Boa noite.

 

Apresentadora Gabriela Medes: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Nasi Brum: Terça-feira, 3 de julho de 2017.

 

Gabriela: E vamos ao destaque do dia. Antecipado o saque do FGTS de contas inativas para nascidos em dezembro.

 

Nasi Brum: Dinheiro será liberado a partir do próximo sábado. Paulo La Salvia.

 

Repórter Paulo La Salvia: Mais de 2,5 milhões de brasileiros têm direito ao saque. O valor disponível ultrapassa os R$3 bilhões e R$500 milhões.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi Brum: Exportações continuam em alta e saldo da balança comercial é recorde em junho. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: Os resultados expressivos fizeram o governo subir as estimativas para o fechamento da balança comercial em 2017.

 

Gabriela: Começou hoje o prazo para a renegociação de dívidas com a Receita Federal.

 

Nasi Brum: E vamos falar dos R$120 milhões liberados pelo governo para reforçar a saúde no Rio de Janeiro.

 

Gabriela: E o estado também passa a ser área de recomendação para a vacinação contra a febre amarela.

 

Nasi Brum: Hoje na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Nasi Brum: No próximo sábado mais de 2 mil agências da Caixa Econômica Federal vão estar abertas.

 

Gabriela: É que foi antecipado para o dia 8 de julho o saque de contas inativas do FGTS para quem nasceu em dezembro.

 

Nasi Brum: Essa é a última fase de saques a governo deve pagar mais de R$3,5 bilhões aos trabalhadores.

 

Repórter Paulo La Salvia: A ex-secretária de Brasília, Francisca Alcântara, já sacou valores de contas inativas do FGTS no mês passado. O procedimento foi rápido, em cinco minutos no banco o dinheiro já tinha sido transferido para uma conta indicada por Francisca. Com os recursos Francisca tomou algumas atitudes.

 

Ex-Secretária de Brasília - Francisca Alcântara: Recebi tudo de uma vez, foi ótimo porque eu pude pagar muitas contas, comprar alguma coisa para minhas filhas. Como eu não estou trabalhando, eu ainda não gastei tudo. Então, ainda está ajudando bastante.

 

Repórter Paulo La Salvia: No mês passado tiveram direito de sacar o dinheiro das contas inativas aniversariantes dos meses de novembro, outubro e setembro. A última etapa do calendário começa no próximo sábado, dia 8. A fase que começaria dia 14 foi antecipada pela Caixa Econômica Federal. Tem direito a sacar os recursos aniversariantes de dezembro e aqueles que não realizaram o saque a partir de março, quando os valores passaram a ser distribuídos pela Caixa. Todos os beneficiados são aqueles que tiveram o contrato de trabalho encerrado até dezembro de 2015. Francisca Alcântara avalia a iniciativa do governo como bem-sucedida.

 

Ex-Secretária de Brasília - Francisca Alcântara: Eu acho que isso foi ótimo, isso o que o governo possibilitou para as pessoas, era um dinheiro que estava parado e a gente pode usar.

 

Repórter Paulo La Salvia: Segundo a Caixa Econômica Federal, até o dia 28 de junho foram pagos mais de R$38 bilhões realizados às contas inativas do FGTS, o que beneficiou mais de 22,5 milhões de trabalhadores. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Gabriela: E sobre essa antecipação nós conversamos agora com Deusdina dos Reis Pereira, vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias, da Caixa Econômica Federal. Boa noite, Deusdina. Deusdina? Acho que perdemos o contato, nós voltamos a falar com ela daqui a pouquinho. Vendas do Brasil para outros países crescem o resultado da balança comercial no primeiro semestre do ano, é o melhor desde 1989.

 

Nasi Brum: O resultado de junho também foi o melhor para o mês nos últimos 29 anos.

 

Repórter Luana Karen: O Brasil segue batendo recordes na balança comercial. Nos primeiros seis meses deste ano a diferença entre o que o país exportou e o que o importou foi positiva para o Brasil em US$36 bilhões e US$200 milhões. Recorde também para o mês de junho, a balança comercial fechou o mês com saldo positivo de US$7 bilhões e US$200 milhões, o melhor resultado para o mês de junho desde 1989. Herlon Brandão, diretor do Departamento de Estatística e Apoio à Exportação do Ministério da Indústria Comércio Exterior e Serviços, explica as razões desse crescimento nas exportações.

 

Diretor do Departamento de Estatística e Apoio à Exportação do Ministério da Indústria Comércio Exterior e Serviços - Herlon Brandão: A exportação cresce 19,3% com um aumento de mais de 180% da exportação de petróleo, um aumento de mais de 80% de minério de ferro, aumento de 20% de soja, aumento de mais de 50% de automóveis.

 

Repórter Luana Karen: Outro motivo que levou o resultado positivo é o aumento do preço dos produtos 'made in Brazil' no exterior. Os resultados expressivos fizeram o governo subir as estimativas para o fechamento da balança comercial em 2017. A estimativa anterior era de que o país fechasse o ano com saldo positivo de US$55 bilhões. Agora a previsão é de superávit de US$60 bilhões. O Ministro da Indústria Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, afirma que o resultado vai levar à geração de empregos.

 

Ministro da Indústria Comércio Exterior e Serviços - Marcos Pereira: O aumento que houve nas exportações e também nas importações mostra uma clara retomada do crescimento da economia do Brasil, e, consequentemente, geração de empregos, que é o nosso grande desafio.

 

Repórter Luana Karen: O empresário Luiz Postingher de Garibaldi, no Rio Grande do Sul, faz parte desse resultado. Há um ano e meio ele começou a exportar farinhas de semente e de que casca de ovo orgânica para os Estados Unidos. De lá para cá já vendo ou para a Alemanha e está em negociação os Emirados Árabes, e ele olha com otimismo para o futuro.

 

Empresário - Luiz Postingher de Garibaldi: Tem volume bom de promoção e ainda o mercado interno não está absolvendo tudo. Então, tem esse produto suficiente para trabalhar com exportação.

 

Repórter Luana Karen: Mas quem ainda continua sendo o principal destino das exportações brasileiras, seguida dos Estados Unidos, no Mercosul, a Argentina é o principal comprador do Brasil. Reportagem, Luana Karen.

 

Gabriela: Pela quinta semana seguida, o mercado financeiro melhorou as expectativas para a inflação neste ano.

 

Nasi Brum: Agora a aposta dos analistas é de que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA, encerre o ano em 3,46%.

 

Gabriela: Diante desse cenário a expectativa para o IPCA, que mede a inflação oficial para o próximo ano, também caiu para 4,25%.

 

Nasi Brum: Para 2018 os analistas também esperam juros menores que podem chegar a 8,25%.

 

Gabriela: As previsões fazem parte do Boletim Focus do Banco Central, que reúne projeções de especialistas do mercado financeiro. E agora nós conseguimos retomar o contato com Deusdina dos Reis Pereira, que é vice-presidente de Fundos de Governo e Loteria da Caixa Econômica Federal, ela conversa com a gente sobre a antecipação de saques e contas inativas do FGTS. Boa noite, Deusdina.

 

Vice-presidente de Fundos de Governo e Loteria da Caixa Econômica Federal - Deusdina dos Reis Pereira: Boa noite, Nasi, Gabriela. E boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil.

 

Gabriela: Essa antecipação é para que os nascidos em dezembro tenham mais tempo para sacar o dinheiro das contas inativas. E o esquema vai ser o mesmo dos saques anteriores?

 

Vice-presidente de Fundos de Governo e Loteria da Caixa Econômica Federal - Deusdina dos Reis Pereira: Sim, essa antecipação do dia 14 para o dia 8 visa beneficiar principalmente os nascidos no mês de dezembro e também eventualmente aqueles que não sacaram ainda, que aniversariaram nos meses anteriores poderão continuar buscando seus recursos até o dia 31 de julho. E a estratégia de atendimento seguirá na mesma lógica dos meses anteriores. Nós teremos atendimento especial no sábado, no próximo sábado, dia 8, das 9h às 15he na segunda, dia 10, com duas horas de antecedência para atendimento e pagamento exclusivo das contas inativas do FGTS.

 

Nasi Brum: Deusdina, quem não fizer o saque até a dia 31 de julho terá uma nova oportunidade, ou seja, é possível que a Caixa prorrogue o prazo?

 

Vice-presidente de Fundos de Governo e Loteria da Caixa Econômica Federal - Deusdina dos Reis Pereira: Bem, de acordo da Medida Provisória 763, que foi transformada em lei, não existe a possibilidade de prorrogação além do dia 31 de julho, ou seja, o trabalhador terá que ir até uma agência da Caixa ou uma lotérica, de acordo com a situação, né, de valores, ou um corresponde da Caixa para receber os seus recursos. Caso o trabalhador não consiga sacar seus recursos por algum motivo dele, é bom esclarecer que ele não vai correr o risco de perder os seus recursos, o que é que vai acontecer? Após do dia 31, aqueles que não tiveram buscado seus recursos na Caixa, nós vamos retornar o recurso para conta do FGTS.

 

Gabriela: Deusdina e o saque poderá ser feito após esse prazo, por exemplo, em casos especiais, como doenças graves?

 

Vice-presidente de Fundos de Governo e Loteria da Caixa Econômica Federal - Deusdina dos Reis Pereira: Após essa data, após o 31 de julho, as condições para saques do FGTS voltam para as condições já previstas em lei. Então, nós temos 17 possibilidades de saque, e, dentre elas, a gente tem um por doenças grave, saque para aquisição de moradia, enfim, demissão sem justa causa, também por aposentadoria, dentre outros. E, assim, também quero aproveitar para agradecer o empenho de todos os empregados da Caixa que estão trabalhando nesse pagamento das contas inativas do FGTS.

 

Nasi Brum: Sim, muito bem. Conversamos aqui com Deusdina dos Reis Pereira, que é vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias. Obrigado aqui pelos esclarecimentos na Voz do Brasil. Uma boa noite.

 

Vice-presidente de Fundos de Governo e Loteria da Caixa Econômica Federal - Deusdina dos Reis Pereira: Uma boa noite. Obrigada.

 

Gabriela: Começou hoje o prazo para renegociação de dívidas com a Receita Federal.

 

Nasi Brum: O Programa de Recuperação Fiscal serve para pessoas físicas e empresas e as dívidas podem ser parceladas em até 180 meses.

 

Gabriela: Ah, e quem aderir também vai ter direito a descontos nos juros e multas.

 

Repórter Diogo Rezende: Quem tem dívidas de impostos com a Receita Federal vencidas até o dia 30 de abril de 2017 pode renegociar o valor a partir dessa segunda-feira. O novo Refis, o Programa Especial de Regularização Tributária, agora, permite gerar descontos em multas e juros. Quem pagar à vista terá desconto de 90% dos juros e de 50% no valor da multa. Ainda é possível parcelar a dívida em até 180 meses. Alguns débitos não são permitidos, como o do Simples Nacional e empresas com falência decretada. O chefe da divisão de parcelamento da Receita Federal, Djalma Alencar, explica as vantagens que o programa oferece.

 

Chefe da divisão de parcelamento da Receita Federal - Djalma Alencar: Dependendo da modalidade, o contribuinte pode ter redução de multas e juros. Em outras modalidades, ele pode fazer o aproveitamento de créditos próprios, de créditos de prejuízo fiscal e base de cálculo no caso de empresa pessoa jurídica tributada pelo lucro real. E no caso de pessoa física e também de qualquer empresa jurídica que, porventura, tenha créditos com a Receita, pode fazer a compensação em parte do débito, além de ter um prazo para pagamento no caso do parcelamento maior, mais dilatado do que o parcelamento convencional.

 

Repórter Diogo Rezende: Para aderir ao novo Refis é preciso preencher o requerimento no site da Receita Federal no endereço: receita.fazenda.gov.br. Lá dentro, com o código de acesso, entrar no atendimento virtual o e-CAC. O prazo vai até o dia 31 de agosto e o governo espera que até 200 mil contribuintes façam adesão ao programa. Reportagem, Raquel Mariano e Diogo Rezende.

 

Nasi Brum: Hoje o Ministério da Justiça completa 195 anos. São quase dois séculos de existência e de novas ações que interferem diretamente na vida dos brasileiros.

 

Gabriela: E nós conversamos com exclusividade com o ministro da Justiça Torquato Jardim, que também completa um mês à frente da pasta.

 

Nasi Brum: E de acordo com o ministro, uma das prioridades agora é investir em tecnologia e integração de inteligência entre todas as polícias para combater o tráfico de drogas, de armas, lavagem de dinheiro e o tráfico de pessoas.

 

Gabriela: Torquato Jardim também destacou o olhar especial que o governo deve ter com o tratamento a dependentes químicos, ampliando incentivos a comunidades terapêuticas, muitas delas religiosas, espalhadas pela país.

 

Ministro da Justiça - Torquato Jardim: Há uma lei nova antidrogas que já foi aprovada na Câmara dos Deputados, falta a última votação no Senado, que tem um capítulo sobre as comunidades terapêuticas. São ações espontâneas da sociedade civil e já atendem 84 mil pessoas, e, merecem, por todas as razões óbvias, o apoio do governo. É o esforço de conseguir o mínimo mais de verba para que eles possam manter esse atendimento, né? E a recuperação, ressocialização desses brasileiros para que voltem a ter a sua vida pessoal, a sua vida familiar, sua vida social, útil também no mercado de trabalho.

 

Nasi Brum: O ministro também reforçou a prioridade do governo para ampliação e reforma de penitenciárias, mais de R$1 bilhão vão ser investidos.

 

Ministro da Justiça - Torquato Jardim: Nós temos um fundo de R$1,2 bilhão para expandir ou reformar penitenciárias, e aí a cooperação técnica do governo da União é o quê? E tecnologia e apoio financeiro e apoio de engenharia, e esses projetos nós precisamos receber dos estados. É uma prioridade muito importante também.

 

Gabriela: O Ministério da Justiça também reúne esforços para garantir a preservação da cultura indígena, mas, ao mesmo tempo, estimular autonomia dessas comunidades para o uso de novas tecnologias e exploração de suas terras. 19h14 que Brasília.

 

Nasi Brum: E você vai conferir ainda nesta edição.

 

Gabriela: Governo vai liberar R$120 milhões para reforçar a saúde no Rio de Janeiro.

 

Nasi Brum: Reforço também na vacinação contra a febre amarela, o estado passa a ser área de recomendação da vacina.

 

Gabriela: A partir de hoje agricultores de todo o país podes em acessar os recursos do Plano Safra 2017-2018.

 

Nasi Brum: Os valores e as condições você confere agora no nosso quadro Pra Você, Cidadão.

 

"Pra Você, Cidadão".

 

Repórter Daniel Costa: O produtor rural já pode contar com recursos para financiar a próxima safra agrícola, são cerca de R$190 bilhões destinados pelo Governo Federal para operações de custeio, comercialização e investimento. E para a safra 2017-2018 foi reduzido em 1% ao ano as taxas de juros das linhas de custeio e de investimento e em 2% ao ano as dos programas voltados à armazenagem e à inovação tecnológica na agricultura. O volume de crédito para custeio e comercialização é de cerca de R$150 bilhões. O montante para o investimento é de R$38 bilhões com aumento de 12% em relação à safra anterior. O produtor interessado deve verificar se seu banco oferta linhas de crédito do Plano Safra. Daniel Costa para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: Água para beber, água para plantar, água para criação de animais.

 

Nasi Brum: O estado de Alagoas comemora a chuva após sete anos de seca, e, detalhe, as cisternas financiadas pelo Governo Federal estão cheias.

 

Gabriela: É, Nasi, e outras estão sendo construídas. Só este ano o Governo Federal está financiando 17 mil cisternas.

 

"Chove chuva, chove sem parar".

 

Repórter André Luiz Gomes: Há sete anos o sertão alagoano não via uma chuva como a que está caindo neste último mês. Seu Afonsino Ferreira, de 37 anos, não esconde a felicidade ao ver que a cisterna de água para beber está transbordando. Além disso, o agricultor familiar recebeu outra cisterna no início ano, que o ajuda na criação das ovelhas e das galinhas e na plantação de hortaliças, milho e feijão. Essa também está quase cheia, como conta o seu Afonsino.

 

Agricultor familiar - Afonsino Ferreira: Ah, aqui o cabra sofre demais no verão. Isso é uma riqueza uma cisterna dessa. Aqui vai dar para os bichos, para tudo. E agora que ela vai encher, pronto. E choveu, já melhorou 100%. As cisternas estão tudo enchendo, e aí quer dizer que por água, nós, se Deus quiser ano nós estamos sossegados, né? Felizes.

 

Repórter André Luiz Gomes: O Programa Cisternas faz parte das ações de inclusão produtiva e de segurança alimentar coordenadas pelo Ministério do Desenvolvimento Social. O ministro Osmar Terra ressalta ao valor investido pelo Governo Federal para a construção de reservatórios que ajudam o agricultor familiar a conviver com a seca. Para 15 estados estão sendo repassados R$755 milhões.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: A população vai ter possibilidade não só de ter o seu abastecimento de água, mas como poder plantar e poder colher uma produção gerando renda, né, e até emprego nessa região.

 

Repórter André Luiz Gomes: Somente em 2017 o Ministério do Desenvolvimento Social está investindo R$67 milhões para a construção de 17.500 cisternas, sendo 15 mil para o consumo humano, 2 mil para produção e 500 cisternas escolares no estado de Alagoas. Reportagem, André Luiz Gomes.

 

Nasi Brum: Verificar o peso e as medidas dos produtos para ver se estão de acordo com o declarado na embalagem e com a qualidade necessária.

 

Gabriela: O Inmetro faz esse trabalho no país todo, inclusive, em locais de difícil acesso.

 

Nasi Brum: Pois é, e para chegar às comunidades que vivem ilhadas no Amazonas, por exemplo, o Inmetro, inaugurou a primeira unidade de fiscalização que funciona dentro de um barco.

 

Gabriela: Ela percorre cidades ribeirinhas para vistoriar bombas de combustível, capacetes, preservativos, brinquedos e vários outros produtos.

 

Repórter Gabriela Noronha: O Instituto Nacional de Metrologia Qualidade e Tecnologia, Inmetro, testa diversos produtos e serviços, por exemplo, se a embalagem do açúcar diz um 1 quilo de açúcar, tem que ter um quilo mesmo, e, se a bomba de gasolina fala que abasteceu com 20 litros, tem que ter 20 litros. Para supervisionar produtos e serviços de comunidades distantes, ribeirinhas, rurais e indígenas, o Inmetro inaugurou a primeira unidade de fiscalização que funciona dentro de um barco. Segundo a presidente do Inmetro, Carlos Augusto de Azevedo, a ideia é ampliar esse serviço no Amazonas.

 

Presidente do Inmetro - Carlos Augusto de Azevedo: Porque no estado do Amazonas, você não tem as rodovias, as rodovias são rios, né? Então, você... você precisaria ter um meio de locomoção adequado. Então, nós vamos poder melhorar muito mais a nossa fiscalização, vamos poder fazer um controle muito maior da questão metrológica do estado do Amazonas.

 

Repórter Gabriela Noronha: O barco conta com laboratórios onde vão ser analisadas mercadorias como arroz, feijão ou farinha. Conta também com um laboratório de saúde para verificar instrumentos como termômetros e balanças médicas. De acordo com o presidente do Inmetro, a unidade fluvial de fiscalização iniciou suas operações no município de Parintins.

 

Presidente do Inmetro - Carlos Augusto de Azevedo: Fez alguns ensaios metrológicos durante o Festival de Parintins, para justamente para poder verificar as questões de posto de gasolina, para verificar a questão de balanças em comércios.

 

Repórter Gabriela Noronha: Nenhuma irregularidade foi encontrada em Parintins. A expectativa é intensificar a fiscalização nos 61 municípios do interior do Amazonas. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Nasi Brum: Atenção redobrada com a febre amarela. O Rio de Janeiro entrou hoje na lista dos estados que precisam de reforço na vacinação contra a doença.

 

Gabriela: Com a medida as pessoas que nunca tomaram nenhuma dose da vacina vão precisar se imunizar. Isso vale tanto para os moradores, quanto para os visitantes.

 

Nasi Brum: O Governo Federal também anunciou um repasse de R$120 milhões para melhorar o atendimento à população na capital do estado.

 

Repórter Natália Melo: Os moradores do estado do Rio de Janeiro que ainda não se imunizaram contra a febre amarela não devem mais deixar a vacinação para depois. Por causa das mortes de macacos registradas no estado, região com incidência da doença, o Rio de Janeiro passa a fazer parte dos estados que receberão doses permanentes da vacina contra a febre amarela. O ministro da Saúde, Ricardo Barros, anunciou o envio de 1,5 milhão de doses para o estado já agora, em julho.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: O Governo Federal decide incluir o Rio de Janeiro entre os estados que receberão permanentemente doses para a vacina de lebre amarela para garantir a cobertura vacinal elevada e evitar novos episódios de epidemia de febre amarela no Brasil e em especial nesses estados do litorâneos que não estavam entre os estados que recebiam a cobertura.

 

Repórter Natália Melo: O governo vai enviar ainda 500 mil doses mensais para o estado até imunizar toda a população. Quem vai viajar para o estado do Rio de Janeiro também vai precisar da vacina. O Ministério da Saúde recomenda a imunização para pessoas entre seis meses de vida e 59 anos. Quem já tomou a vacina não precisa tomar novamente. Ricardo Barros anunciou também nesta segunda-feira o repasse de R$120 milhões para ampliar o atendimento na atenção básica no município.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Nós estamos aqui na prefeitura para anunciar R$10 milhões a mais por mês, R$120 milhões por ano, em custeio da atenção básica, 3.600 atendimentos de saúde, equipes da família, CAPs, ações que são já praticadas pela prefeitura e que passam a receber recursos do Governo Federal.

 

Repórter Natália Melo: O ministro ainda integrou ao Estadão dez veículos picape, segundo dois para a capital, que vão ser utilizados nas ações de combate ao mosquito Aedes aegypti. A distribuição dos veículos também será feita em outros estados brasileiros. Reportagem, Natália Melo.

 

Gabriela: Multas e créditos devidos a autarquias e instituições no Governo Federal rendem mais de R$500 milhões por ano aos cofres públicos.

 

Nasi Brum: Uma grande parte vem de penalidades aplicadas pelo Ibama, Agência Nacional de Telecomunicações e Agência Nacional de Saúde.

 

Gabriela: E essa cobrança é feita pela Procuradoria Geral Federal da Advocacia-Geral da União.

 

Repórter Nei Pereira: O Ibama está pronto para multar empresas ou pessoas que fazem desmatamentos ou provocam acidentes ambientais. O mesmo ocorre com a Anatel no caso das operadoras de telefonia e de TV por assinatura, que descumprem normas de proteção ao consumidor. Atualmente cerca de R$100 bilhões são devidos a 59 autarquias e fundações federais. Todo ano a Procuradoria Geral Federal consegue recuperar mais de R$550 milhões para os cofres públicos. O valor só não é maior porque um processo de execução fiscal leva em média sete anos para ser julgado na justiça brasileira. Por isso o foco da Procuradoria é o protesto extrajudicial, que é negativar a empresa ou pessoa física em órgãos de proteção ao crédito. Parte dos recursos recuperados vai para as autarquias e fundações de origem, mas a maioria é revertido para a sociedade, como detalha o coordenador-geral de cobrança e recuperação de créditos da PGF, Miguel Cabreira Kauam.

 

Coordenador-geral de cobrança e recuperação de créditos da PGF, Miguel Cabreira Kauam: A maioria dos créditos que a gente arrecada acaba indo para o Tesouro Nacional e se reverte em prol das políticas públicas do Governo Federal.

 

Repórter Nei Pereira: Nos primeiros quatro meses de 2017 a PGF fez mais de 65 mil inscrições em dívida ativa, mais de três vezes superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Reportagem, Nei Pereira.

 

Nasi Brum: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi Brum: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi Brum: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".