05/04/17 - A Voz do Brasil

Nascidos em março, abril e maio poderão sacar das contas inativas do FGTS a partir do dia 8 deste mês. Presidente Michel Temer ratifica acordo para facilitar vistos de estudantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Vacina contra febre amarela terá dose única.

audio/mpeg 05 04 2017 - Voz do Brasil.mp3 — 22516 KB




Transcrição

A Voz do Brasil - 05/04/2017 

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília, 19 horas.

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje."

Aírton: Olá, boa noite.

 

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite pra você que nos acompanha em todo o país.

Aírton: Quarta-feira, 5 de abril de 2017.

 

Gláucia: E vamos ao destaque do dia: A partir do próximo sábado, começa o saque de contas inativas do FGTS para nascidos em março, abril e maio.

 

Aírton: Mais de 2.000 agências da Caixa vão abrir para atender os trabalhadores. Mara Kenupp.

 

Repórter Mara Kenupp: Ao todo, são 7,7 milhões de brasileiros que têm direito ao saque.

 

Gláucia: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Aírton: Uma dose da vacina contra a febre amarela garante proteção ao longo de toda a vida. Essa é a nova recomendação do Ministério da Saúde. Beatriz Amiden.

 

Repórter Beatriz Amiden: A Organização Mundial da Saúde já indicava que apenas uma dose da vacina era suficiente.

 

Gláucia: Presidente Michel Temer assina acordo que facilita vistos a estudantes para nove países de língua portuguesa.

 

Aírton: E vamos falar ainda sobre a reforma da Previdência. Se você tem dúvidas, não pode perder.

 

Gláucia: Na apresentação da Voz do Brasil de hoje, Gláucia Gomes e Airton Medeiros.

 

Aírton: E pra assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gláucia: Uma boa notícia pra quem faz aniversário nos meses de março, abril e maio e tem contas inativas do FGTS. Está chegando a hora de fazer o saque.

 

Aírton: E a Caixa Econômica Federal antecipou para o próximo sábado, dia 8, o atendimento exclusivo em mais de 2.000 agências em todo o país.

 

Gláucia: Dessa vez, serão quase 8 milhões de beneficiários.

 

Repórter Mara Kenupp: No próximo sábado, dia 8, 2.100 agências da Caixa vão estar abertas, das 9h da manhã às 3h da tarde. Na segunda, terça e quarta-feiras da semana que vem, as agências vão abrir 2h mais cedo. O valor disponível nesse mês de abril é de R$ 11 bilhões. De acordo com presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Ochi, cerca de 2,3 milhões de trabalhadores vão receber automaticamente o crédito já no dia 8 de abril, porque são clientes da Caixa.

 

Presidente da Caixa Econômica Federal - Gilberto Ochi: A nossa decisão é abrir mais agências no dia 8, para que o trabalhador possa vir aos sábados, porque será um atendimento exclusivo para o Fundo de Garantia. E aí você desonera as agências da Caixa a partir de segunda-feira, com o fluxo maior que é uma tendência que vai acontecer. É uma decisão estratégica, mas que traz benefício ao trabalhador e também a todos os demais clientes da Caixa.

 

Repórter Mara Kenupp: Ao todo, são 7,7 milhões de brasileiros que têm direito ao saque, como a analista de sistemas Cíntia Monalisa de Moraes, que conferiu as informações com o banco e fez os cálculos: Tem R$ 10 mil para receber, de oito contas inativas. Cíntia disse que o dinheiro vai chegar em boa hora.

 

Analista de sistemas - Cíntia Monalisa de Moraes: Olha, acho que está chegando em boa hora pra todo mundo, né? Então, já tem destino certo, já, pra eu quitar algumas dívidas.

 

Repórter Mara Kenupp: Do primeiro calendário de pagamentos, até 31 de março, o banco registrou um total de saques de quase R$ 6 bilhões e quase 4 milhões de trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro sacaram o dinheiro. Ainda de acordo com o presidente da Caixa, 24.000 pessoas quitaram dívidas com o banco. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Aírton: As propostas do governo para a reforma da Previdência foram tema de debate hoje em São Paulo.

 

Gláucia: Representantes do governo responderam dúvidas sobre o rombo nas contas, sobre as dívidas previdenciárias e como a reforma vai atingir várias classes, como por exemplo a dos políticos.

 

Repórter José Luís Filho: Para falar sobre a necessidade da reforma da Previdência, o secretário de acompanhamento econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida, citou a previsão de déficit da Previdência para este ano, que é de R$ 189 bilhões, ou seja, o governo vai gastar mais para pagar as aposentadorias e pensões do que arrecadar com contribuições e impostos na área. O gasto com a Previdência chega hoje a 13% do PIB, o Produto Interno Bruto, que é a soma de todas as riquezas produzidas pelo país. Este percentual é maior do que gasta o Japão, que tem uma população de idosos maior que a do Brasil. O secretário explicou que, se a reforma proposta não for feita, os gastos com a Previdência, em 2060, podem ultrapassar 20% do PIB, o que nenhum país tem.

 

Secretário de Acompanhamento Econômico - Mansueto Almeida: O nosso problema não é só o déficit, o nosso problema é que o Brasil vai passar por um processo de envelhecimento muito rápido, e o gasto previdenciário é explosivo. Se nós não fizermos a reforma da Previdência, até 2060, o Brasil gastará com Previdência mais do que 20% do PIB. Nenhum país do mundo gasta 20% do PIB com Previdência.

 

Repórter José Luís Filho: O secretário da Previdência, Marcelo Caetano, respondeu sobre um dos principais questionamentos da reforma: o de que se o governo cobrasse todas as dívidas previdenciárias, o rombo nas contas seria menor. Segundo o secretário, as dívidas chegam a mais de R$ 400 bilhões, mas mesmo que fossem cobradas e recebidas, não resolveriam o problema.

 

Secretário da Previdência - Marcelo Caetano: Grande parte dessa dívida é de empresas que já estão falidas. Outra coisa importante também de se ver é o seguinte: Quando a gente está falando de dívida ativa, já passaram todos os procedimentos administrativos? Sim, já passaram. Mas não quer dizer que terminou lá, porque ainda pode ter contestação judicial.

 

Repórter José Luís Filho: Outra dúvida levantada durante o debate foi se a reforma também vai abranger a classe política. Segundo o secretário Mansueto Almeida, não só os políticos, mas também outras categorias, hoje definidas como privilegiadas, serão enquadradas nas novas regras.

 

Secretário de Acompanhamento Econômico - Mansueto Almeida: Funcionário público passa a ser igual a regra, funcionário público federal a mesma regra do cidadão. Político, deputado e senador, que anda de carro preto, a mesma regra do cidadão. Então, assim, a gente tem que caminhar nessa direção, que é acabar com os privilégios, que ainda existem muitos no Brasil.

 

Repórter José Luís Filho: O secretário da Previdência, Marcelo Caetano, afirmou que a reforma usou exemplos de outros países, com um único objetivo: garantir o pagamento de aposentadorias e pensões no futuro.

 

Secretário da Previdência - Marcelo Caetano: Então, o grande intuito da reforma da Previdência é justamente manter a Previdência, manter o regime com capacidade de pagamentos das aposentadorias e pensões no futuro e, pra isso, a gente tem que fazer ajustes.

 

Repórter José Luís Filho: O debate foi organizado pela editora de uma das mais importantes revistas do país. Reportagem, José Luís Filho.

 

Aírton: E amanhã a gente vai tirar dúvidas das propostas do governo para aposentadoria de quem exerce atividades de risco, além de militares e trabalhadores rurais.

 

Gláucia: Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor Leste e Guiné Equatorial fazem parte da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

 

Aírton: A organização criada há mais de dez anos trabalha para promover parcerias, especialmente nas áreas social, cultural e econômica.

 

Gláucia: Hoje mais um passo foi dado para ampliar essa cooperação. O presidente Michel Temer assinou um acordo que vai facilitar o trânsito de estudantes entre os países da comunidade.

 

Repórter João Pedro Neto: No encontro com as parlamentares da Rede de Mulheres da CPLP, a Comunidade de Países de Língua Portuguesa, o presidente Michel Temer assinou a ratificação de um acordo já aprovado no Congresso Nacional, que vai agilizar a emissão de vistos para estudantes dos países da comunidade.

 

Presidente Michel Temer: Nada mais auspicioso do que facilitar também a mobilidade dos nossos jovens, que estarão mais à vontade para circular, em face dessa facilitação dos vistos que nós estamos assinando.

 

Repórter João Pedro Neto: A deputada federal Rosângela Gomes, que preside a Rede de Mulheres da CPLP, elogiou a alocação de recursos no orçamento para políticas públicas para as mulheres e defendeu que é preciso dedicar mais investimentos a essas ações.

 

Deputada Federal - Rosângela Gomes: O presidente Michel Temer já começa com um outro grande gesto, reservando cerca de R$ 80 milhões, para que pudéssemos fazer esse trabalho de políticas públicas voltado pro combate à violência.

 

Repórter João Pedro Neto: A parlamentar de Cabo Verde, Dália Delgado, afirmou que a rede trabalha para ajudar na implementação da Agenda 2030 das Nações Unidas.

 

Parlamentar - Dália Delgado: A Rede de Mulheres da CPLP vela pelas questões de igualdade e equidade de gênero, afim de promover a paz, o desenvolvimento humano nas sociedades.

 

Repórter João Pedro Neto: A Rede de Mulheres da Assembleia Parlamentar da CPLP está no Brasil pra discutir questões ligadas à igualdade de gênero e à promoção dos direitos das mulheres. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Gláucia: 19h09 em Brasília.

 

Aírton: O Brasil dobrou a produção de energia eólica, produzida com a força dos ventos.

 

Gláucia: Daqui a pouco, você viaja com a gente pro interior do nordeste, onde essa produção também está gerando desenvolvimento.

 

Aírton: E sexta-feira, dia 7 de abril, é o único dia para pagar a guia de arrecadação do INSS e do FGTS dos empregados domésticos.

 

Gláucia: É o último dia, né, Aírton? Essa guia é referente ao mês de março e quem perde o prazo pode pagar multa.

 

Aírton: Para retirar a guia, basta acessar o site do eSocial. Se você ainda tem dúvidas sobre o funcionamento da ferramenta, a repórter Gabriela Noronha explica.

 

Repórter Gabriela Noronha: O eSocial foi criado para unificar os pagamentos de todas as contribuições dos empregados. Hoje, segundo a Receita Federal, cerca de 1,3 milhão de empregados desta categoria já estão formalizados no sistema. De acordo com o auditor fiscal de trabalho José Maia, a plataforma tem o objetivo de simplificar a vida do empregador e do empregado.

 

Auditor Fiscal - José Maia: O eSocial é um projeto muito maior, que deve mudar toda a forma de prestação de informação no mundo do trabalho. Vai se aplicar a todas as categorias, a todos os trabalhadores seletistas, também aos estatutários, estagiários, também aos autônomos, e também se aplica ao empregado doméstico.

 

Repórter Gabriela Noronha: No eSocial, o empregador paga em guia única o imposto sobre a renda pessoa física, a contribuição previdenciária, o seguro contra acidentes do trabalho e o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. A plataforma já passou por diversas atualizações. A mais recente automatizou a recisão de contratos, que até então exigia cálculos à mão de indenizações, férias e 13º salário. O endereço da ferramenta na internet é www.esocial.gov.br. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gláucia: Você sabe o que é energia eólica? É a energia produzida a partir da força dos ventos.

 

Aírton: E o Brasil é terreno fértil para esse tipo de produção, que cresceu mais de 50% no ano passado.

 

Gláucia: E o rumo dos ventos não deve mudar. Um pequeno município do nordeste brasileiro investe forte em energia eólica.

 

Aírton: Nós fomos até lá conferir de perto como a geração desta energia limpa também traz emprego e desenvolvimento.

 

Repórter Taíssa Dias: Parazinho, Rio Grande do Norte, 116 quilômetros da capital, Natal. Os enormes cataventos estão onde quer que a vista alcance. Os mais atentos percebem o barulho. São aerogeradores, que produzem energia elétrica a partir da força do vento. E eles estão por toda parte. Segundo a prefeita do município, Rita Martins, são cerca de 900 torres em toda cidade.

 

Prefeita de Parazinho - Rita Martins: Chega, o pessoal: "Ah, Parazinho, a cidade dos ventos, né?" Então isso é um orgulho, porque nós acreditamos nesse potencial.

 

Repórter Taíssa Dias: A região nordeste está repleta de torres de energia eólica. O Brasil já é o 9º país do mundo em capacidade instalada de produção de energia a partir do vento. São mais de 400 parques eólicos, a maior parte deles no nordeste. A presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica, Elbia Gannoum, explica que por aqui os ventos são favoráveis.

 

Presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica - Elbia Gannoum: O vento brasileiro é um dos melhores ventos do mundo, é um vento constante, rápido e unidirecional, principalmente no nordeste.

 

Repórter Taíssa Dias: E o secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Fábio Alves, afirma que a ideia é seguir o rastro do vento.

 

Secretário de Energia Elétrica - Fábio Alves: Hoje, mais de 7% de toda a energia produzida no Brasil é energia eólica, e tem uma tendência de crescimento muito grande dessa matriz com fontes alternativas.

 

Repórter Taíssa Dias: A produção de eletricidade a partir da força do vento não gera poluentes e vem de um recurso inesgotável. O Parque Renascença 5, em Parazinho, tem 15 torres. Juntas, elas produzem energia suficiente para abastecer 10 mil residências. Energia limpa que produz desenvolvimento. O município de Parazinho tem cerca de 5.000 habitantes, mas viu seu desenvolvimento dar um salto em pouco tempo. De 2010 pra cá, a cidade ganhou 21 parques eólicos, e junto com eles vieram pousadas, restaurantes, lanchonetes, como a de Cássia Sobreira. Ela e o marido mudaram para a cidade para trabalhar nos parques eólicos. Os dois são técnicos em segurança do trabalho, mas, com o tempo, viram no comércio uma oportunidade de negócio.

 

Comerciante - Cássia Sobreira: A gente viu a demanda, e aí nós tomamos juntos a decisão de colocarmos essa lanchonete. E superou nossa espectativa.

 

Repórter Taíssa Dias: Quem também viu na chegada da energia eólica uma oportunidade de desenvolvimento foi Alexandre Magno da Silva, que construiu a primeira pousada da cidade.

 

Dono de pousada - Alexandre Magno da Silva: A cidade não tinha uma dependência para hospedagem de tipo nenhum. Aí a gente partiu pra obra e, dentro de 90 dias, conseguimos fazer.

 

Repórter Taíssa Dias: A expectativa da Associação Brasileira de Energia Eólica é que, em 2020, esse tipo de energia represente 12% do total gerado no país. Reportagem, Taíssa Dias.

 

Gláucia: E se você quiser assistir essa matéria, o vídeo está disponível na página brasil.gov.br. O link também está no nosso Facebook, anote aí: facebook/avozdobrasiloficial.

 

Aírton: A vacina contra febre amarela vai ter, a partir de agora, dose única.

 

Gláucia: Quem algum dia já se vacinou, agora não precisa se preocupar em se vacinar novamente. Basta ter se imunizado uma única vez e está protegido pro resto da vida.

 

Aírton: A recomendação é da Organização Mundial de Saúde, já que uma dose se mostra eficiente.

 

Repórter Beatriz Amiden: Nem o choro da pequena Lívia, de apenas seis meses, faz a Luana, mãe de primeira viagem, desistir de levar a filha para tomar as vacinas obrigatórias do calendário. Ela só vai receber a picadinha que protege contra a febre amarela em junho, quando completar nove meses de vida. Mas a mãe está tranquila, porque está seguindo direitinho as recomendações do Ministério da Saúde.

 

Entrevistada - Luana: Eu estou tranquila, mas no dia que ela puder tomar a vacina, eu vou dar, né? Eu vou vir, pra ela ficar protegida.

 

Beatriz Amiden: Depois dos nove meses de vida, a Lívia vai estar protegida e não vai mais precisar de nenhum reforço da vacina contra a febre amarela. O Ministério da Saúde anunciou que, a partir de agora, a vacina vai ser aplicada em dose única, como destacou nesta quarta-feira o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: A dose única é uma recomendação da OMS. Em 2014 nós tínhamos a recomendação de vacinação de febre amarela a cada 10 anos e agora, reavaliando, os novos estudos, nós decidimos adotar a recomendação da OMS, para todo mundo, que passa a valer no Brasil, que é uma dose de vacina de febre amarela pra toda vida. Portanto, quem já tomou alguma dose não precisa mais se vacinar.

 

Repórter Beatriz Amiden: O ministro explica também que está preparado para realizar, em caso de emergência, o fracionamento das doses que garante que um maior número de pessoas receba a vacina. Isso significa que, ao invés de vacinar uma pessoa, um frasco imunizaria até cinco pessoas. Ele destacou que isso só deve acontecer se houver epidemia em áreas urbanas do país.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Os estudos demonstram que promove e a mesma imunização de que uma dose completa. Os estudos iniciaram há pouco tempo, então nós vamos aguardar pra saber se, a cada ano, essa imunização permanece a mesma que uma dose integral. A dose fracionada é recomendada pela OMS para casos de epidemia.

 

Repórter Beatriz Amiden: Desde o início do ano, foram confirmados 586 casos da doença. O ministro da Saúde lembra que a epidemia está controlada e que o governo continua vigilante, em especial nos locais de maior incidência da doença. Ele garante que não vai faltar vacina para ninguém. Só neste mês, já estão disponíveis para a população 9,5 milhões de doses. Reportagem, Beatriz Amiden.

 

Gláucia: E você sabe o que é a febre amarela e como se prevenir?

 

Aírton: A gente foi saber mais detalhes no Ministério da Saúde. Vamos ouvir.

 

Repórter Luís Felipe Leite: A febre amarela é transmitida por mosquitos e a única maneira de se prevenir é por meio da vacina contra a doença. A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, esclarece as dúvidas mais comuns da população sobre o assunto. Dra. Carla, as pessoas que estão nas áreas de recomendação da vacina contra a febre amarela devem se preocupar?

 

Coordenadora do Programa Nacional de Imunizações - Carla Domingues: Não há motivo pra pânico por quem não mora na área com recomendação ou vai se dirigir a ela, que busque a vacina neste momento. Mais importante deixar claro que as pessoas que já foram vacinadas não devem buscar a vacinação, porque os dados epidemiológicos e da segurança da vacina mostram que não há necessidade de receber uma segunda dose. Que com uma única dose, ela estará protegida.

 

Repórter Luís Felipe Leite: E quem perdeu o cartão de vacinação e não lembra se tomou a vacina? O que deve fazer?

 

Coordenadora do Programa Nacional de Imunizações - Carla Domingues: Você deve procurar um serviço de saúde, que lá no serviço de saúde eles vão avaliar a sua necessidade ou não de receber a vacina.

 

Repórter Luís Felipe Leite: Há alguma recomendação para os turistas sobre a vacinação contra febre amarela?

 

Coordenadora do Programa Nacional de Imunizações - Carla Domingues: Toda pessoa, sendo turista nacional ou internacional, que se for dirigir para uma área com recomendação de vacina, a recomendação é que seja vacinado, pelo menos 10 dias antes, porque o tempo da vacina demora para criar anticorpos e a pessoa estar devidamente protegida. Também, viajar amanhã e tomar vacina hoje, possivelmente não vai ter tempo da vacina criar os anticorpos necessários para proteção.

 

Repórter Luís Felipe Leite: Você acompanhou os esclarecimentos da coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, Carla Domingues, sobre medidas de prevenção contra febre amarela. Eu sou Luís Felipe Leite e para saber mais sobre o assunto acesse www.saude.gov.br.

 

Gláucia: 19h20 em Brasília.

 

Aírton: Pipoca e refrigerante de graça, ar-condicionado e lembrancinha pra criançada quando termina o filme.

 

Gláucia: Ir ao cinema pela primeira vez é uma história que está se tornando realidade pra muita gente.

 

Aírton: A carreta Cinema é Pra Você, Sim está percorrendo o Brasil, levando a magia das telas pro interior do país e cidades onde não há sala de exibição.

 

Gláucia: Hoje ela está em Cristalina, Goiás, e a gente foi conferir o que está em cartaz.

 

"O amor é filme. Eu sei pelo cheiro de menta e pipoca que dá quando a gente ama..."

 

Repórter Natália Koslik: Uma carreta transformada em sala de cinema, climatizada, com 80 assentos disponíveis, pipoca e refrigerante de graça. Aos 50 anos de idade, dona Leonice Rodrigues está indo pela primeira vez ao cinema. E ela está ansiosa, afinal o filme já vai começar.

 

Entrevistada - Leonice Rodrigues: Ah, eu nunca fui, né? O dia que eu tentei, eu tinha 15 anos, não podia entrar de menor, e eu não entrei. A primeira vez que eu vou entrar, agora, ver de verdade, é agora. Só aqui o lado de fora já está lindo, imagine dentro, hein?

 

Repórter Natália Koslik: O projeto que permitiu que Dona Leonice fosse ao cinema pela primeira vez parece coisa de filme, mas é real. Uma carreta que viaja pelas cidades brasileiras e, onde chega, se transforma numa sala de exibição. O projeto é realizado por meio da Lei Rouanet, do Ministério da Cultura, com o apoio da Caixa Seguradora, e leva o cinema a pessoas que tem pouco ou nenhum acesso. Cinema é Pra Você, Sim é o nome do projeto, e o coordenador Maurício Marques explica o porquê.

 

Coordenador - Maurício Marques: É pra você, sim. É pra você, sim, de Cristalina, é pra você, sim, do Mato Grosso, é pra você, sim, do Maranhão. A nossa carreta, ela tem elevador pra cadeirante, os filmes são legendados pra todos.

 

Repórter Natália Koslik: E o projeto é pra você, sim, Leonice. A comédia nacional Vai que Cola foi o filme escolhido. Ao sair da sessão, a dona de casa ficou admirada com o tamanho da tela e como todo mundo fica em silêncio durante a exibição.

 

Entrevistada - Leonice Rodrigues: O coração preparado, porque a tela é grande, né? Igual a comédia que passou agora, né? E foi tão bom, todo mundo ficou rindo, muito bom. E os meninos também, todo mundo comportou, os adolescentes estavam todos comportados.

 

Repórter Natália Koslik: Lucas da Silva, de 12 anos, também foi ao cinema pela primeira vez e se admirou com o ar-condicionado.

 

Entrevistado - Lucas da Silva: Foi bom, muito bom. Lá dentro fazia um pouco de frio, mas estava bom.

 

Repórter Natália Koslik: Depois de passar a primeira temporada no nordeste, em 2016, agora a carreta vai viajar mais de 35 cidades da região centro-oeste, três dias em casa lugar, com cinco sessões por dia. Leonice e Lucas aproveitaram o cinema na cidade goiana de Cristalina. O próximo município é Santa Helena de Goiás. E no segundo semestre, a carreta segue pra região sudeste, levando arte e magia ao interior do país. Reportagem, Natália Koslik.

 

Aírton: E pra saber as próximas cidades por onde a carreta vai passar, você deve acessar o site www.cinemaepravocesim.com.br.

 

Gláucia: E essas foram as notícias do Governo Federal.

Aírton: Uma realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gláucia: Com produção da Empresa Brasil de comunicação.

 

Aírton: Fique agora com o Minuto do TCU. E em seguida as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. E tenha uma boa noite.

 

Gláucia: Boa noite pra você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso."