05 de novembro de 2018 - Poder Executivo

Destaques da Voz do Brasil: Enem tem menor ausência de inscritos nos últimos 9 anos. E esquema de segurança garante a aplicação da prova em todo o país. Feriado tem redução de acidentes nas estradas federais. Crédito facilitado para empreendedores de todo o país. R$ 12 bi a juros mais baixos estão liberados para investir e expandir o negócio. E 3 anos depois, a Voz do Brasil volta a Mariana, em Minas Gerais, para mostrar ações de recuperação do meio ambiente e atendimento às famílias.

audio/mpeg 05-11-18-VOZ DO BRASIL.mp3 — 46858 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 5 de novembro de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Enem tem menor ausência de inscritos dos último nove anos.

 

Gabriela: E esquema de segurança garante a aplicação da prova em todo o país. Márcia Fernandes.

 

Repórter Márcia Fernandes: Trinta mil pessoas trabalharam para reforçar a segurança no Enem deste ano. Viaturas da Polícia Militar acompanhavam o trânsito e a segurança nas regiões próximas dos locais de prova.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Feriado tem redução de acidentes nas estradas federais. Graziela Mendonça.

 

Repórter Graziela Mendonça: Operação Finados da Polícia Rodoviária Federal registrou 682 acidentes nas rodovias federais, 21% a menos do que ano passado.

 

Nasi: Crédito facilitado para empreendedores de todo o país.

 

Gabriela: R$ 12 bilhões a juros mais baixos estão liberados para investir e expandir o negócio.

 

Nasi: E três anos depois, a Voz do Brasil volta a Mariana, em Minas Gerais, para mostrar as ações de recuperação do meio ambiente e atendimento às famílias. Taíssa Dias.

 

Repórter Taíssa Dias: Vou sobrevoar, depois de três anos, o trajeto da lama de rejeitos que vazou depois do rompimento da Barragem Fundão. Vejo que a água da maioria dos rios ainda corre avermelhada, mas em quase todo o trajeto a vegetação começou a crescer por cima da lama.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Gabriela: O início do Horário de Verão não atrapalhou os estudantes no primeiro dia de provas do Enem.

 

Nasi: A ausência foi de apenas 25% dos inscritos. A menor em nove anos.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: Nesta primeira fase, os estudantes tiveram até cinco horas e meia para fazer as provas de linguagem, ciências humanas e redação. Ítalo Henrique Oliveira saiu animado.

 

Candidato - Ítalo Henrique Oliveira: Eu achei que ia ser um pouco mais difícil, porque nos anos anteriores que eu fiz, estava muito mais complicada as provas, estavam mais elaboradas as questões. Eu acho que foi mais fácil esse ano.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: Dos 5,5 milhões de estudantes que se inscreveram, cerca de 4,1 milhões fizeram a prova. Para a presidente do Inep, Maria Inês Fini, esta primeira fase do Enem foi cumprida com muita tranquilidade.

 

Presidente do Inep - Maria Inês Fini: Nós ficamos muito satisfeitos com esses primeiros resultados, de absoluta tranquilidade, em que pese as forças da natureza virem nos provocando aí com enchentes, com alguns apagões para os quais o Sr. Ministro prontamente acionou aí, os nossos parceiros, para que a gente pudesse minimizar esses efeitos. E eles foram, de fato, muito pequenos.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: O tema da redação foi 'Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet'. Segundo o ministro da Educação, Rossieli Soares, o tema foi decidido no meio do ano. Entre os candidatos, a escolha foi bem recebida. Laíse Horácio comenta que teve facilidade para escrever sobre o assunto.

 

Candidata - Laíse Horácio: É um tema que está em alta, eu achei legal.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: Neste fim de semana, os candidatos com necessidades especiais também fizeram o Enem. As opções eram de cadernos em Braile, ampliados e vídeo-prova. E em dois locais a aplicação das provas foi cancelada por falta de energia, um em Franca, interior de São Paulo, e outro em Porto Nacional, Tocantins. Cerca de 1,3 mil candidatos dessas duas cidades vão ter nova chance para fazer a primeira fase do exame, em dezembro. E todos devem fazer a segunda fase, na semana que vem, normalmente. O presidente Michel Temer visitou a sede do Inep, neste domingo, e elogiou a estrutura ciada para realização do Enem e o tema escolhido para a redação.

 

Presidente Michel Temer: Nós pudemos verificar a harmonização absoluta de todos os setores do governo que trabalharam nessa matéria. Uma mobilização extraordinária, são 5,5 bilhões de estudantes que vão prestar o Enem em todo o país, isto exige uma logística extraordinária. E especialmente eu cumprimentei os organizadores também, pela oportunidade do título da prova que é um título que trata das notícias falsas, da utilização pelos usuários da internet, um tema, portanto, atualíssimo.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: O gabarito oficial será divulgado no dia 14 de novembro, junto com os cadernos de questões. O resultado deve ser divulgado no dia 18 de janeiro de 2019. Reportagem, Luciana Collares de Holanda.

 

Gabriela: E as notícias falsas, as 'fake news', não apareceram só dentro do tema da redação do Enem.

 

Nasi: Um boato tentou, sem sucesso, atrapalhar a realização de exame, mas o Centro Integrado de Comando e Controle do governo garantiu a total segurança na aplicação das provas.

 

Repórter Márcia Fernandes: O alerta foi publicado nas redes sociais e também no site do Inep. Uma notícias falsa apontava que o Enem teria sido cancelado depois de fraudes no Nordeste. Mas a prova foi aplicada normalmente em todo o país. O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que a Polícia Federal deve investigar quem inventou e começou a disseminar o boato sobre o cancelamento da prova.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: No caso de ser um crime federal, evidentemente que a Polícia Federal tomará as providência. Lembrando mais uma vez, não há anonimato em rede social, não cometam irresponsabilidade em rede social, porque se cometer, e isso for um crime, não tenha dúvida que nós vamos achar quem cometeu isso, como já comprovamos no passado.

 

Repórter Márcia Fernandes: Mesmo com essa notícia falsa, a edição do Enem deste ano teve o menor número de ausentes desde 2009, 24,9% dos inscritos não foram às provas. Isso representa cerca de 1,4 milhão estudantes. Para o ministro da Educação, Rossieli Soares, essa redução correu por causa da mudança nas regras do exame.

 

Ministro da Educação - Rossieli Soares: A gratuidade é dada para aqueles que precisam e que não faltam. Lembrando que aqueles que faltaram terão de justificar para manter a gratuidade para o próximo Enem também.

 

Repórter Márcia Fernandes: Trinta mil pessoas trabalharam para reforçar a segurança no Enem deste ano. Viaturas da Polícia Militar acompanhavam o trânsito e a segurança nas regiões próximas dos locais de prova. A estudante Marília Estrela conta que passou por vários procedimentos de segurança.

 

Estudante - Marília Estrela: Tinha detector de metais antes e depois de entrar no banheiro. Antes de entrar para fazer a prova eles olhavam a nossa identidade e conferiam se estava tudo certo com o nosso nome.

Repórter Márcia Fernandes: Em todo o Brasil, apenas 71 candidatos foram desclassificados, 67 não cumpriram alguma regra e desobedeceram às instruções dos fiscais, por exemplo. Duas pessoas não passaram pela revista no detector de metais e na cidade de Montes Claros, em Minas Gerais, outras duas foram flagradas por usar ponto eletrônico, elas já estavam sendo monitoradas, como explica o coordenador-geral de inteligência da Polícia Federal, Dênis Cali.

 

Coordenador-geral de inteligência da Polícia Federal - Dênis Cali: Foi feito o cruzamento de alguns dados de candidatos com banco de dados que nós já tínhamos, também, na Polícia Federal, algumas pessoas foram elencadas como suspeitas e foi realizada a fiscalização. Foi detectado que essas pessoas portavam esses equipamentos, o ponto eletrônico, e, a partir desse momento, foram encaminhadas para a delegacia.

 

Repórter Márcia Fernandes: A segurança reforçada deve ser mantida na segunda fase do exame, que vai acontecer no próximo domingo, dia 11 de novembro. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

Gabriela: E a gente continua tirando as principais dúvidas dos estudantes que estão fazendo o exame no nosso quadro Minuto Enem.

 

Nasi: A pergunta de hoje é da Beatriz Vegas, que quer saber se pode tirar zero em alguma prova do exame.

 

Gabriela: E quem responde é a diretora de Avaliação e Educação Básica do Inep, Luana Soares. Vamos ouvir.

 

"Minuto Enem".

 

Candidata - Beatriz Vegas: A minha dúvida é se é possível zerar alguma prova do Enem.

 

Diretora de Avaliação e Educação Básica do Inep - Luana Soares: Pessoal, atenção, para zerar o prova do Enem existem algumas possibilidades: ou você não respondeu a todas as questões das provas objetivas ou errou todas elas, também nas provas objetivas. Na parte da redação há diversos casos de anulação da produção escrita. E todos esses casos já estão previsto no nosso edital. Mas, se por alguma razão, você zerou em uma área, não desista. Lembre-se: a divulgação dos resultados do Enem acontece por área de conhecimento, então, zerar uma área, não vai influenciar o seu resultado na outra.

 

"Minuto Enem".

 

"A primeira etapa já foi, agora é a vez da ciências da natureza e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias. Dia 11 de novembro tem a segunda etapa do Enem. E na sexta-feira, dia 9, a TV NBR e a TV Escola trazem, mais uma vez, para você, um supertime de professores no Aulão do Enem. Tem dúvida sobre o que vai cair na prova? Mande pelo WhatsApp (61) 99867-8787. Não perca, segundo Aulão do Enem, dia 9, as 5h da tarde. Transmissão ao vivo pela TV NBR, pelo Youtube da NBR, redes sociais da TV Escola ou pelo site redenacionalderadio.com.br".

 

Nasi: O feriado de Finados, desse ano, teve um redução no número de acidentes nas estradas e rodovias do país em relação ao mesmo período do ano passado.

 

Gabriela: Foram 180 acidentes e 14 mortes a menos, segundo o balanço divulgado hoje pela Polícia Rodoviária Federal.

 

Repórter Graziela Mendonça: Em quatro dias, a Operação Finados da Polícia Rodoviária Federal, registrou 682 acidentes nas rodovias federais, 21% a menos do que ano passado. Segundo o porta-voz da PRF, Diego Brandão, apesar da redução os números ainda são preocupantes.

 

Porta-voz da PRF - Diego Brandão: A PRF colocou o policiamento dela naqueles pontos mais sensíveis, onde acontecem o maior número de acidentes. E ali foram objetos de fiscalização aquelas condutas mais lesivas, álcool, direção perigosa, ultrapassagem indevida, excesso de velocidade, falta de item de segurança. E, em cima desses focos e esses pontos que são os mais sensíveis, a gente conseguiu essa redução. Mas é bom lembrar que somente nesse feriado, nós tivemos 852 feridos e 59 mortes. Ainda é um número muito alto por um período tão pequeno, para um feriado desse tamanho.

 

Repórter Graziela Mendonça: Durante a operação foram realizados mais de 8 mil testes do bafômetro e quase 700 motoristas foram flagrados dirigindo alcoolizados. Além disso, a PRF também prendeu 378 pessoas e apreendeu drogas como maconha e cocaína. Reportagem, Graziela Mendonça.

 

Nasi: A equipe de técnicos que vai cuidar de transição de governo se reuniu hoje, pela primeira vez, em Brasília.

 

Gabriela: Durante o trabalho da equipe, técnicos do atual governo vão transmitir as informações sobre a administração para integrantes de governo que assume em janeiro.

 

Nasi: E a equipe do novo governo já conta oficialmente com 28 nomes.

 

Repórter Danielle Popov: Os primeiros 27 nomes que vão formar a equipe de transição já estão oficialmente indicados. O Diário Oficial desta segunda-feira, também traz a indicação do ministro extraordinário que vai coordenar a equipe, Onyx Lorenzoni. A equipe de transição se reuniu hoje, pela primeira vez. O ministro Lorenzoni informou que foram criados os primeiros grupos técnicos da transição.

 

Ministro extraordinário de transição - Onyx Lorenzoni: Fizemos um primeiro ajuste já, e nós criamos os primeiros grupos técnicos, que serão Desenvolvimento Regional, Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, Modernização do Estado, Economia e Comércio Exterior, Educação, Cultura e Esportes, Justiça, Segurança e Combate à Corrupção, Defesa, Infraestrutura, Produção Sustentável, Agricultura, Meio Ambiente, Saúde e Assistência Social.

 

Repórter Danielle Popov: O general Augusto Heleno, também nomeado para a equipe, disse acreditar que a transição será tranquila, apesar das mudanças significativas na estrutura que estão previstas para o próximo governo.

 

Membro da equipe de transição - General Augusto Heleno: Principalmente quando está prevista uma redução significativa de ministérios, essa transição, ela será naturalmente bastante elaborada, precisa ter muito entendimento entre as duas equipes, a do governo que está saindo e a do governo que está entrando, mas eu acho que vai correr tudo muito bem, porque a pré-disposição do governo Michel Temer é favorecer todos os dados, todas as condições para que essa transição ocorra tranquilamente.

 

Repórter Danielle Popov: O ministro Onyx Lorenzoni informou ainda que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, estará em Brasília essa semana para uma reunião com o presidente Michel Temer. Reportagem, Danielle Popov.

 

Gabriela: Se candidatar a uma vaga de emprego e ter acesso a oportunidades de trabalho, tudo na palma da mão.

 

Nasi: Daqui a pouco vamos falar do aplicativo Sine Fácil, já usado por milhões de pessoas e que encaminhou milhares de trabalhadores para seleções de emprego.

 

Gabriela: Há exatos três anos, o Brasil sofreu o seu maior acidente ambiental.

 

Nasi: No dia 5 de novembro de 2015, o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais, lançou uma onda de lama de rejeitos que matou pessoas, destruiu casas, poluiu rios, afetando milhares de moradores de 39 municípios em Minas e no Espírito Santo.

 

Gabriela: Na época, a repórter Taíssa Dias foi até lá, onde acompanhou de perto as primeiras ações do governo.

 

Nasi: Agora ela volta ao município mineiro para mostrar as medidas de recuperação do meio ambiente e atendimento às famílias afetadas.

 

Gabriela: É o que você acompanha agora, na primeira de uma série de reportagens especiais que a gente exibe esta semana aqui na Voz do Brasil.

 

Repórter Taíssa Dias: O helicóptero do Ibama pousa no heliponto do Complexo de Germano, área de mineração da empresa Samarco na cidade de Mariana, em Minas Gerais. Vou sobrevoar depois de três anos o trajeto da lama de rejeitos que vazou depois do rompimento da barragem de Fundão. Vejo que a água da maioria dos rios ainda corre avermelhada, a hidrelétrica de Candonga continua parada, mas em quase todo trajeto a vegetação começou a crescer por cima da lama. A presidente do Ibama, Suely Araújo, reconhece que ainda há muito trabalho a fazer, mas ressalta que é necessário levar em conta as dimensões do desastre.

 

Presidente do Ibama - Suely Araújo: São danos ambientais, danos sociais, e ainda estão sendo feitos estudos de avaliação de tudo isso.

 

Repórter Taíssa Dias: No dia 5 de novembro de 2015, mais de 32 milhões de metros cúbicos de rejeitos de mineração foram despejados na natureza com o rompimento da Barragem de Fundão, 19 pessoas morreram, a lama atingiu os rios Gualaxo do Norte e Carmo e percorreu o Rio Doce, até chegar ao mar, 680 quilômetros de rios e 39 municípios dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo foram impactados. Para reparar os danos causados pela lama, foi firmado pela Samarco e suas controladoras a Vale e a BHP Billiton, pelo governo federal e os governos dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de outros órgãos governamentais, um documento conhecido como TTAC, com ele foi criada a Fundação Renova, que reuniu as três empresas envolvidas no desastre e se tornou a responsável por executar as ações de reparação e compensação dos impactos causados. Também foi instituído o Comitê Interfederativo, o CIF. Presidido pelo Ibama, o comitê estabelece as diretrizes e monitora a execução dos trabalhos, é o que explica a presidente Suely Araújo.

 

Presidente do Ibama - Suely Araújo: Dá mais de 70 entidades públicas trabalhando juntas tentando conseguir atuar de forma eficaz para gerenciar todos os efeitos dessa tragédia tão dolorosa.

 

Repórter Taíssa Dias: Quarenta e dois programas de reparação e compensação dos danos causados pelo desastre em Mariana estão sendo executados pela Fundação Renova e monitorados pelas Câmaras Técnicas do CIF, as ações estão previstas por pelo menos 15 anos, e segundo o secretário executivo do comitê, Renato Carvalho, estão divididas em eixos temáticos.

 

Secretário executivo do CIF - Renato Carvalho: Os programas são separados entre programas socioambientais e programas socioeconômicos, vão desde o programa de restauração florestal, de reflorestamento, avaliação de qualidade da água, avaliar os impactos na fauna e na flora; do eixo socioeconômico tem o programa de cadastro, de auxílio financeiro emergencial, de indenização das pessoas atingidas.

 

Repórter Taíssa Dias: Vejo em uma das margens de um dos rios afetados que as árvores mais altas ainda guardam a marca da lama, e na margem contrária, onde foi feito o plantio de mudas nativas em fevereiro, algumas árvores já atingiram mais de 1 metro e meio de altura. O especialista de Programa Socioambiental da Fundação Renova, Pedro Ivo Diógenis, explica que cada área afetada demanda um tipo diferente de cuidado.

 

Especialista de Programa Socioambiental - Pedro Ivo Diógenis: Nós dividimos toda a área impactada em 17 trechos, de Mariana a Linhares, para cada trecho são avaliadas alternativas de manejo, a alternativa que é escolhida é a que causa menor impacto socioambiental.

 

Repórter Taíssa Dias: As obras do reassentamento de Bento Rodrigues foram iniciadas em agosto e de acordo a gerente de reassentamentos da Fundação Renova, Patrícia Loes, devem ser entregues em até dois anos.

 

Gerente de reassentamentos - Patrícia Loes: Construindo as casas para as famílias e na próxima semana as famílias começam a fazer as visitas nos terrenos para identificarem seus lotes e darem entrada nos projetos individuais com a prefeitura.

 

Repórter Taíssa Dias: Muito já foi feito, e muito ainda está por fazer, mas o trabalho conjunto começa a levar a história triste para um caminho de esperança. Quando eu voltar da próxima vez à Mariana, espero ver um final feliz. Reportagem: Taíssa Dias.

 

Nasi: Atenção, micro e pequeno empresário.

 

Gabriela: Durante todo esse mês estão liberados R$ 12 bilhões em crédito facilitado nos principais bancos do país.

 

Nasi: E além de aproveitar dinheiro a juros mais baixos, você pode contar com orientações e consultas sobre como investir melhor esse recurso.

 

Gabriela: O repórter Nei Pereira explica como.

 

Repórter Nei Pereira: Durante todo o mês de novembro, empreendedores de todo o país vão ter acesso a crédito facilitado. O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, explica as condições especiais para quem quer investir ou negociar dívidas.

 

Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - Marcos Jorge: Nós teremos um mês inteiro de atividades nessa Semana Nacional do Crédito, onde estaremos oferecendo R$ 12 bilhões em créditos para os micros e pequenos empresários do Brasil com condições diferenciadas, com juros mais baixos, com financiamento com prazo maior, em até 120 meses para os casos de tomada de crédito do FGTS, e teremos também o refinanciamento de dívidas.

 

Repórter Nei Pereira: O ministro Marcos Jorge lembra que neste ano a oferta de crédito aumentou e pode superar as expectativas, o dinheiro estará disponível nos maiores bancos públicos e privados do país, e não é só isso, os empresários vão poder participar de eventos programados em todo o Brasil, onde vão receber informações sobre crédito consciente. Tommy Garcia, que há pouco mais de três anos apostou na produção de 'alfajor' artesanal, tradicional doce argentino, quer afinar sua empresa para novos passos e procurou o Sebrae.

 

Empresário - Tommy Garcia: Eu fui lá buscar mais informações, vai ter um seminário sobre microcrédito e aí no final vai ter uma rodada ali de negócios mesmo, de tirar dúvidas pessoalmente mesmo, para ter ideia de que tipo de crédito que pode pegar, quais são as regras, como que funciona, né?

 

Repórter Nei Pereira: A esposa de Tommy é argentina, com experiência no assunto, os dois começaram a produção para venda apenas em Brasília, agora já estão em todo o Brasil, com vendas pela internet. A ideia do casal, segundo Tommy Garcia, é aproveitar o crédito mais barato para expandir o negócio.

 

Empresário - Tommy Garcia: O nosso interesse é aumentar a produção para o ano que vem e tentar automatizar um pouco alguns processos, né? Porque a nossa ideia é investir em alguns equipamentos, reformar um pouco ali a loja, por isso que a gente está atrás desse microcrédito.

 

Repórter Nei Pereira: A Semana Nacional do Crédito ocorre até o final do mês. Para saber quais são as atividades programadas mais perto de você, acesse o endereço na internet: semanadocredito.gov.br. Reportagem, Nei Pereira.

 

Nasi: Trabalhadores de todo o país podem acompanhar oportunidades de emprego e se candidatar a vagas sem sair de casa.

 

Gabriela: Isso é possível por meio do aplicativo Sine Fácil.

 

Nasi: Em pouco mais de um ano de funcionamento, o Sine Fácil atingiu a marca de 2 milhões de downloads.

 

Gabriela: É, e também encaminhou milhares de pessoas para seleções de emprego.

 

Repórter Cleide Lopes: O cozinheiro Sérgio Henrique Lins está desempregado há mais de dois anos. Hoje, ele acordou cedo e saiu de Planaltina, que fica a 40 quilômetros do centro de Brasília, para ir até uma agência do trabalhador em busca de uma vaga. Lá, Sérgio ficou sabendo que não precisava de nada disso, pelo aplicativo Sine Fácil, basta baixar no celular e ter acesso a todas às vagas abertas no Sistema Nacional de Emprego.

 

Cozinheiro - Sérgio Henrique Lins: Fiquei sabendo hoje, que eu vim procurar emprego e já me deram, já vou me cadastrar.

 

Repórter Cleide Lopes: E Sérgio Lins conta que agora não vai perder tempo, ainda hoje vai baixar o aplicativo no celular e aumentar as chances de conseguir um emprego.

 

Cozinheiro - Sérgio Henrique Lins: Poupatempo, fila e eu já venho encaminhado para a vaga de emprego.

 

Repórter Cleide Lopes: E tanta facilidade explica a quantidade de downloads do programa em um ano e meio de funcionamento. Até agora já foram mais de 2 milhões de instalações do Sine Fácil, nesse período, mais de 840 mil trabalhadores foram encaminhados para seleções de emprego em todo o país. Pelo aplicativo é possível escolher a vaga e acompanhar o agendamento da entrevista. Segundo a coordenadora da rede de atendimento da Secretaria de Políticas Públicas de Emprego do Ministério do Trabalho, Letícia Moreira, o programa é uma forma de aproximar o empregado do empregador.

 

Coordenadora da rede de atendimento da Secretaria de Políticas Públicas de Emprego - Letícia Moreira: O Sine Fácil, ele tem um módulo tanto do trabalhador quanto do empregador, porque o empregador também consegue, na palma da mão, cadastrar vagas, convocar trabalhadores para entrevistas, dar resultado final, tudo isso com todas essas facilidades.

 

Repórter Cleide Lopes: O Sine Fácil está disponível de graça na loja de aplicativos do seu smartphone, nos sistemas Android e IOS. O Ministério do Trabalho lembra que caso o trabalhador já tenha utilizado os serviços do Sine, é importante manter o cadastro atualizado com dados para contato, como, por exemplo, e-mail e telefone, a atualização desses dados aumenta as chances de seleção do candidato. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".