06/04/17 - A Voz do Brasil

Governo fará alterações em cinco pontos da proposta de reforma da previdência social. Presidente recebe oficiais-generais promovidos pelas Forças Armadas. Ministério da Agricultura fecha três frigoríficos. Cerimônia homenageia Rei e Rainha da Suécia no Palácio do Itamaraty.

audio/mpeg 06 04 2017 - Voz do Brasil.mp3 — 23445 KB




Transcrição

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília, 19h00.




Apresentadora Gláucia Gomes: Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje.




Airton: Olá, boa noite.




Gláucia: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.




Airton: Quinta-feira, 06 de abril de 2017.




Gláucia: E vamos ao destaque do dia: governo ajusta proposta de reforma da Previdência para garantir direitos a quem mais precisa.




Airton: Presidente Michel Temer diz que mudanças atendem pedidos da população e do Congresso Nacional.




Presidente Michel Temer: Nós estamos trabalhando conjugadamente. Nós mandamos um projeto para ser examinado pelo Congresso Nacional e lá, que é o foco das aspirações populares, eles me trouxeram as observações e nós autorizamos uma negociação.




Gláucia: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje...




Airton: Ministério da Agricultura abre processo para cancelar selo de dois frigoríficos investigados e vai estender força-tarefa a outros estados.




Gláucia: Vamos falar ainda como o governo vai ampliar a assistência técnica para 10 mil famílias de pequenos produtores.




Airton: E o ministro da Educação entrega documento que define o que será ensinado nas escolas.




Ministro da Educação - Mendonça Filho: A gente está assegurando o mesmo direito para as crianças que estudam nas melhores escolas também para as escolas públicas, gerando mais equidade para todas as crianças do Brasil.




Gláucia: E hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gláucia Gomes e Airton Medeiros.




Airton: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.




Gláucia: A proposta do governo de reforma da Previdência, que está sendo discutida por deputados, vai ser aperfeiçoada.




Airton: É, o governo autorizou hoje ajustes em cinco pontos.




Gláucia: A ideia é garantir direitos a quem mais precisa, como as pessoas com deficiência e trabalhadores rurais.




Airton: Mas o presidente Michel Temer deixou claro: as mudanças não podem prejudicar o principal objetivo da reforma, que é garantir que as contas sejam sustentáveis para que as aposentadorias e pensões sejam pagas para as futuras gerações.




Repórter Gabriela Noronha: Após conversar com deputados e ministros, o presidente Michel Temer autorizou que a proposta do governo de reforma da Previdência, que está em discussão no Congresso, fosse aperfeiçoada em cinco temas: aposentadoria de trabalhadores rurais, aposentadoria de professores e policiais, BPC, o Benefício de Prestação Continuada, pensões e regras de transição. Segundo o relator da comissão que analisa a reforma na Câmara, deputado Arthur Maia, as alterações vão de encontro com a maioria das emendas apresentadas pelos deputados. Arthur Maia destacou que as mudanças garantem proteção aos brasileiros mais pobres.




Relator da Proposta de Reforma da Previdência - Deputado Arthur Maia: Quando se fala em fazer ajustes em relação aos trabalhadores rurais, são ajustes para fazer com que o trabalhador rural tenha seus direitos preservados. Quando se fala em relação ao Benefício de Prestação Continuada, que atinge justamente as pessoas deficientes e aos deficientes mais pobres, é justamente uma categoria das menos favorecidas da nossa sociedade. Não há aí nenhum privilégio.




Repórter Gabriela Noronha: Ainda não foram dados detalhes de como vai ser a proposta da reforma da Previdência em relação a esses cinco itens. A ideia é que as alterações sejam divulgadas daqui a duas semanas, quando termina o prazo para o deputado Arthur Maia apresentar o relatório na comissão da Câmara. Para o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, as mudanças não vão interferir no equilíbrio das contas públicas.




Ministro da Secretaria de Governo - Antonio Imbassahy: Não haverá nada que possa mutilar e danificar uma proposta cujo eixo central é o equilíbrio das contas públicas, fundamental para a retomada do desenvolvimento econômico e também a confiança dos brasileiros.




Repórter Gabriela Noronha: O presidente Michel Temer afirmou que as flexibilizações na reforma têm o objetivo de atender a população e destacou a importância do diálogo com o Congresso Nacional.




Presidente Michel Temer: A questão do trabalhador rural, eu recebi muitas observações ao longo com o tempo, não é, e nos sensibilizamos por isso. Da mesma maneira, por exemplo, a questão dos deficientes. Eu verifiquei logo que seria inadequado que eles não tivessem o que tem hoje, não é? Então, eu autorizei o nosso relator, o deputado Arthur Maia, a fazer as negociações que fossem necessárias, e depois, ao final, nós anunciaríamos, governo e, naturalmente, Congresso Nacional, o que houvesse sido ajustado.




Repórter Gabriela Noronha: Com as mudanças, a apresentação do relatório sobre a proposta de reforma da Previdência foi marcada para o dia 18 de abril. Reportagem, Gabriela Noronha.




Gláucia: E, agora há pouco, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse, em nota, que o governo avança na construção de um consenso para a aprovação da reforma da Previdência.




Airton: Segundo ele, a reforma garante o pagamento dos benefícios no futuro e as mudanças propostas hoje preservam o ajuste fiscal e beneficiam os mais pobres.




Gláucia: Meirelles disse, ainda, que o governo propôs uma reforma robusta, mas que o Congresso tem a palavra final.




Airton: Já o ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou que a proposta que vai alterar as regras para a aposentadoria de militares deve ser apresentada e enviada ao Congresso até o mês que vem.




Gláucia: O ministro explicou que vai levar em conta algumas funções e condições de trabalho específicas dos militares.




Ministro da Defesa - Raul Jungmann O militar não quer privilégio. O que o militar quer é o reconhecimento da sua especificidade, da sua peculiaridade. Por exemplo, militar não faz greve, militar trabalha 12, 14, 18 horas sem interromper. Militar não tem um outro emprego, é dedicação integral. Militar não se sindicaliza. Militar não pode se filiar a partido. Militar não tem FGTS. Então, por isso que é que os regimes são diferentes.




Airton: E os militares são os responsáveis por defender nosso território, cuidar das fronteiras e, ainda, realizar um trabalho social em áreas onde o estado não consegue chegar.




Gláucia: Foi assim que o presidente Michel Temer destacou o papel das Forças Armadas.




Airton: Temer recebeu no Palácio do Planalto oficiais generais promovidos pelo Exército, Marinha e Aeronáutica.




Repórter Paulo La Salvia: Foram 61 oficiais promovidos. O evento teve a presença do presidente Michel Temer, que lembrou que os militares têm deveres como proteger a Pátria e os poderes constitucionais. O presidente também destacou o papel social das Forças Armadas, que, segundo Michel Temer, representam o estado brasileiro em muitos locais remotos do país, como na Amazônia.




Presidente Michel Temer: Pessoas que nos mais variados rincões da nossa pátria jamais tinham tido contato com um serviço médico, odontológico, encontravam nas Forças Armadas, na ação cívico-social, essa oportunidade. E quando falo na Amazônia, né, eu estou falando num local em que os militares são a única forma de presença do estado, quer dizer, o povo brasileiro que está lá sente a presença do poder público precisamente pela presença das forças militares.




Repórter Paulo La Salvia: O presidente Michel Temer apontou, ainda, outras ações dos militares: a participação em missões de paz no exterior, como no Haiti, e o desenvolvimento tecnológico e científico da Base Industrial Brasileira de Defesa. Reportagem, Paulo La Salvia.




Gláucia: Foram apresentados hoje os resultados da análise dos produtos de 21 frigoríficos suspeitos de vender frangos e embutidos fora das especificações.




Airton: Trezentas e duas amostras de produtos foram analisadas. As que apresentaram problemas foram retiradas do mercado e não vão chegar ao consumidor.




Gláucia: O Ministério da Agricultura abriu processo para cancelar o SIF de dois frigoríficos. Sem o selo, esses estabelecimentos ficam proibidos de produzir e vender seus produtos.




Repórter Mara Kenupp: A força-tarefa do Ministério da Agricultura analisou 302 amostras de embutidos e frangos. De acordo com o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Eumar Novacki, 31 amostras indicaram problemas de ordem econômica, como o excesso de água em frangos e o uso de conservantes proibidos em salsichas e linguiças.




Secretário-Executivo do Ministério da Agricultura - Eumar Novacki: Os 31 laudos que indicam problemas de ordem econômica se referem a lotes de embutidos com ácido sórbico, conservante que é proibido em salsichas e linguiça. Foram produzidos pelo Frigorífico Souza Ramos, já foram recolhidos do mercado, e outro pelo Frigorífico Peccin, também já recolhidos do mercado. Temos excesso de água no frango produzido por duas unidades: a BRF de Mineiros, que está interditado, e o Frango DM.




Repórter Mara Kenupp: Os técnicos do Ministério da Agricultura também analisaram oito amostras que ofereciam riscos à saúde. Em sete delas foi detectada a presença de salmonela, em hambúrgueres, do Frigorífico Transmit, que teve toda a linha de produção interditada e os produtos descartados. Foi constatada também a presença de outra bactéria na linguiça cozida produzida pelo Frigorífico Frigo Santos. Eumar Novacki informou que a força-tarefa já determinou nesta quinta-feira o recolhimento preventivo dos produtos e a interdição da linha de produção.




Secretário-Executivo do Ministério da Agricultura - Eumar Novacki: Por uma especificação técnica é proibido qualquer tipo de salmonella em hambúrguer. Não quer dizer que isso geraria algum problema de saúde. E foi constatado também a presença de uma bactéria na linguiça cozida produzida pelo Frigorífico Frigo Santos.




Repórter Mara Kenupp: O Ministério da Agricultura iniciou procedimento para cancelar o SIF, o Selo de Inspeção Federal, de duas unidades do Frigorífico Peccin, em Curitiba, e também do Frigorífico Central de Carnes em Colombo, no Paraná. Ainda de acordo com Eumar Novacki, as auditorias nos 21 frigoríficos foram encerradas, mas a força-tarefa do Ministério da Agricultura vai continuar com as vistorias. Estão previstas visitas técnicas em Pernambuco, Tocantins, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina. Reportagem, Mara Kenupp.




Airton: Base Nacional Comum Curricular. O nome é estranho, mas tem impacto direto sobre todos os brasileiros.




Gláucia: É, isso porque vai ser a base para o ensino em todas as escolas do país, públicas ou privadas.




Airton: O que você vai aprender em português, matemática, se vai ter aula de inglês ou ensino religioso, enfim, tudo isso está sendo definido dentro desse documento.




Gláucia: Hoje, uma parte dele foi entregue pelo ministro da Educação ao Conselho Nacional de Educação, que precisa discutir e aprovar a proposta.




Airton: O repórter João Pedro Neto foi saber o que o governo propõe para melhorar a qualidade do que é ensinado em todas as salas de aula deste Brasil.




Repórter João Pedro Neto: Um rumo claro e bem definido para a educação brasileira. É o que propõe a Base Nacional Comum Curricular, que vai ser referência obrigatória para a elaboração dos currículos das mais de 190 mil escolas públicas e particulares de todo o país. A base curricular para o ensino fundamental e fundamental foi entregue pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, ao Conselho Nacional de Educação nesta quinta-feira. O ministro ressalta que a base vai ajudar a reduzir desigualdades na educação.




Ministro da Educação - Mendonça Filho: A gente está separando o mesmo direito para as crianças que estudam nas melhores escolas também para as escolas públicas, gerando mais equidade para todas as crianças do Brasil.




Repórter João Pedro Neto: Entre vários pontos, o documento traz a orientação de que toda criança deve estar completamente alfabetizada até o segundo ano, ou seja, por volta dos sete anos de idade. Na matemática, os conteúdos de probabilidade e estatística devem ser reforçados ainda nas séries iniciais. O inglês vai ser obrigatório a partir do sexto ano e não pode ser substituído pelo espanhol. Para Denis Mizne, diretor-executivo da Fundação Lemann, que desenvolve produtos para a educação, a base curricular representa um marco para a educação brasileira.




Diretor-Executivo da Fundação Lemann - Denis Mizne: Muda, porque você vai passar a ter um material didático coerente com aquilo que é esperado, e um professor formado para ensinar aquilo que é esperado. Parece muito simples, mas imagine o que é viver toda a nossa história sem isso, sem uma clareza do que é esperado que o aluno aprenda.




Repórter João Pedro Neto: O documento vai servir também como referência para a produção de material didático e formação dos professores. Abre espaço, ainda, para que estados e municípios tenham liberdade para definir parte dos conteúdos com base nas características regionais. Reportagem, João Pedro Neto.




Gláucia: 19hs13min, em Brasília.




Airton: Já foi comprovado que agricultores que recebem assistência técnica produzem quase quatro vezes mais.




Gláucia: E, daqui a pouco, vamos falar como o governo vai levar essa assistência para mais de 10 mil famílias de pequenos produtores.




>> "Momento Social".




Airton: O Programa Criança Feliz vai acompanhar e estimular o desenvolvimento das crianças nos primeiros anos de vida.




Gláucia: Para isso, visitadores irão até às casas das famílias para mostrar aos pais a melhor maneira de estimular o desenvolvimento dos seus filhos.




Airton: A Lia Mara, que mora em Fortaleza, no Ceará, recebe o Bolsa-Família e é mãe de duas meninas. Ela quer saber se crianças com deficiência vão ser atendidas pelo programa.




Gláucia: O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, responde.




Participante - Lia Mara: Olá, ministro. Eu sou a Lia, de Fortaleza. Eu queria saber se a minha filha, que tem Síndrome de Down, já possui o Bolsa-Família, pode participar do Criança Feliz.




Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário - Osmar Terra: Lia, o Criança Feliz é para atender todas as crianças brasileiras mais vulneráveis, aquelas que são filhas das famílias mais pobres, das famílias que estão no Bolsa-Família, aquelas que têm necessidades especiais, que realmente precisam de amparo. Todas essas crianças serão atendidas. Então, dentro do Criança Feliz vão estar as gestantes, crianças até três anos de famílias beneficiárias do Bolsa-Família, crianças de até seis anos, aí a gente estende um pouco mais, beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada, do BPC, e crianças até seis anos afastadas do convívio familiar em razão da aplicação de medidas de proteção. Então, todas as crianças que realmente são mais vulneráveis no Brasil vão ser atendidas, dando todo o apoio à família para que essas crianças tenham uma primeira infância melhor.




Airton: E você também tem alguma pergunta sobre ações e programas sociais do governo? Manda para a gente.




Gláucia: Pode ser por e-mail no endereço voz@ebc.com.br. Tem também o nosso Facebook: facebook.com/bolsafamilia.




Airton: A sua pergunta vai ser respondida aqui na Voz do Brasil sempre na quinta-feira. Então, participe.




Gláucia: O rei da Suécia, Carlos XVI, e a rainha Silvia, estão no Brasil desde o início da semana. E, hoje, foram recebidos pelo presidente Michel Temer e a primeira-dama Marcela Temer para um almoço no Palácio do Itamaraty.




Airton: Brasil e Suécia comemoraram os avanços nas relações entre os dois países.




Repórter Beatriz Amiden: No encontro, Temer falou sobre a relação entre Brasil e Suécia, destacando a parceria em ações de proteção aos direitos das crianças. Temer destacou que a realização do Fórum Global da Criança em São Paulo foi tratado como um marco na relação dos dois países. Sobre as relações de sucesso entre Brasil e Suécia, o presidente Michel Temer lembrou a parceria no projeto do Caça Gripen, adquirido pela Força Aérea Brasileira. Temer também destacou que o Fórum de Líderes Empresariais Brasil-Suécia, realizado em São Paulo, estreitou a relação entre os governos e mostrou o entusiasmo dos investidores suecos diante da melhora da economia brasileira.




Presidente Michel Temer: Constatei o vigor das relações entre os nossos empresários, brasileiros e suecos. Verifiquei também o entusiasmo de investidores suecos com o momento de reformas que vivemos no Brasil. Tudo isso indica que devemos ir além com mais comércio, mais investimentos, mais negócios, pois foi auspicioso confirmar que ir além é precisamente o ânimo dos nossos empreendedores.




Repórter Beatriz Amiden: A Previdência também foi um assunto tratado por Michel Temer. O presidente afirmou que a Suécia já fez a sua reforma previdenciária há 25 anos, o que tornou o sistema de aposentadoria do país mais sustentável. Reportagem, Beatriz Amiden.




Gláucia: E, mais cedo, o presidente Michel Temer disse que o Brasil está reconquistando sua credibilidade no exterior.




Airton: O presidente participou de reunião com o Grupo de Notáveis Brasil-Japão, que reúne autoridades, empresários e executivos dos dois países.




Gláucia: Michel Temer afirmou que as reformas que estão sendo feitas no país aumentam a confiança internacional na economia brasileira e destacou a importância dos investimentos japoneses.




Presidente Michel Temer: O Brasil está tomando um caminho certo, um caminho correto, estamos dando rumo ao país, e para tanto, para que o rumo seja cada vez mais acentuado, não é, nós precisamos dos investimentos estrangeiros, no particular dos investimentos do Japão, que já são quase seculares no Brasil, não é? Já tem muito tempo de investimentos japoneses no Brasil. Nós queremos incentivá-lo.




Gláucia: 19hs18min, em Brasília.




Airton: Quem produz no campo sabe que conhecimento é fundamental. Errar o jeito de irrigar uma plantação ou não alimentar o gado direito é prejuízo na certa.




Gláucia: E é para ajudar os agricultores que existe o Serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural. Dados do Censo Agropecuário mostram que quem recebe regularmente esse tipo de consultoria tem produtividade quase quatro vezes maior daqueles que não têm.




Airton: Hoje, depois de 25 anos, o governo retoma os investimentos para as entidades que prestam essa assistência, as Ematers. A ideia é, nessa primeira etapa, atender mais 10 mil famílias de agricultores familiares.




Repórter Natália Koslyk: Carlos Lima Leite, de 37 anos, vive numa chácara com a esposa e duas filhas. Ele tem uma propriedade de hortaliças e compostos orgânicos em Planaltina, no Distrito Federal, c conta que a assistência técnica que recebeu da Emater foi fundamental para ter o próprio negócio.




Pequeno Agricultor - Carlos Lima Leite: Consegui adquiri dinheiro, comprei uma casa, da venda dessa casa comprei uma chácara aqui em Planaltina. Então, ou seja, todo o meu sucesso na área agrícola tem participação efetiva da Emater.




Repórter Natália Koslyk: A ajuda que Carlos recebeu agora vai chegar a mais 10 mil famílias brasileiras. Isso porque nesta semana foi acionado um Pacto Nacional pelo Fortalecimento da Assistência Técnica e Extensão Rural. É um investimento que o governo federal faz nas entidades públicas que cuidam do tema nos estados. Por enquanto o pacto vai beneficiar agricultores de nove estados, mas a ideia é expandir para outros lugares. É o que comenta José Ricardo Roseno, que está à frente da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário.




Secretário da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário - José Ricardo Roseno: Hoje são cinco milhões de estabelecimentos. Dos cinco milhões, apenas 2,2 milhões de agricultores recebem assistência técnica, e com esse pacto o nosso objetivo é aumentar significativamente o número de agricultores assistidos por esse serviço de assistência técnica e extensão rural.




Repórter Natália Koslyk: De acordo com o presidente da Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural, Argileu Martins, o pacto assinado nesta semana vai fazer o dinheiro chegar mais rápido a quem precisa.




Presidente da Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural - Argileu Martins: Muitas vezes o recurso federal, ele tem muita dificuldade de ser interiorizado, de chegar no campo, de chegar lá aonde as pessoas moram. O que está se fazendo aqui hoje é assinando um compromisso dos estados com o governo federal de modo que essa parceria para a transferência de recurso aconteça de uma forma mais ágil e que, na verdade, possa qualificar ainda mais o serviço de assistência técnica e consequentemente ampliá-lo.




Repórter Natália Koslyk: E para Carlos, agricultor de Planaltina, os benefícios mais importantes não são fáceis de medir.




Pequeno Agricultor - Carlos Lima Leite: A fixação de mim no campo, a minha esposa poder ver os meus filhos crescendo com saúde, para mim é o que é mais importante, o que é mais belo do trabalho exercido pela Emater. Pelo menos para mim, né?




Repórter Natália Koslyk: Num primeiro momento serão beneficiadas as famílias rurais de Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo e do Distrito Federal, e a expectativa é de que até junho os outros estados do Brasil sejam contemplados. Reportagem, Natália Koslyk.




Gláucia: A gente vem falando aqui na Voz do Brasil sobre milhares de trabalhadores que estão sacando o FGTS de contas inativas.




Airton: Exatamente, Gláucia, estamos na fase de saque para os nascidos em janeiro e fevereiro. No próximo sábado será a vez dos aniversariantes de março, abril e maio.




Gláucia: Mas o que fazer quando o trabalhador chega na agência e percebe que o FGTS não foi depositado?




Airton: Mais de 14 mil empresas foram notificadas pelo Ministério do Trabalho, e os funcionários devem ficar atentos. A repórter Alessandra Bastos explica que, em caso de irregularidades, é preciso denunciar.




Repórter Alessandra Bastos: Mais de 43 mil notificações foram aplicadas pelo Ministério do Trabalho às mais de 14 mil empresas que não recolheram o FGTS de seus funcionários no ano passado. As notificações geraram créditos de R$ 3 bilhões, quase 40% a mais do que em 2015. O chefe da Divisão de Fiscalização do FGTS do Ministério do Trabalho, Joel Darcy, explica que a irregularidade às vezes ocorre por um erro de cálculo do empregador.




Chefe da Divisão de Fiscalização do FGTS do Ministério do Trabalho - Joel Darcy: Muitas vezes é esse erro, assim, no sistema de folha de pagamento que não considera uma parcela do salário como base de cálculo para o FGTS. E nos outros casos, que é a grande maioria, na verdade é a falta do depósito mesmo.




Repórter Alessandra Bastos: Várias são as infrações que comete uma empresa quando não recolhe o FGTS, mas o maior prejudicado pode ser o funcionário. Por isso, é preciso ficar atento e acompanhar se a empresa está depositando o FGTS corretamente, como alerta João Darcy.




Chefe da Divisão de Fiscalização do FGTS do Ministério do Trabalho - Joel Darcy: O trabalhador, ou ele vai numa agência da Caixa, solicita o extrato e consulta para ver se a empresa está depositando esse valor. E outra coisa: tem um aplicativo hoje que a Caixa lançou que tu pode baixar no teu smartphone, né? Daí tu te cadastra inicialmente com o teu PIS ali, aí tu pode consultar na hora que tu quiser no teu smartphone.




Repórter Alessandra Bastos: Se o trabalhador perceber alguma irregularidade deve procurar uma agência do Ministério do Trabalho para fazer a denúncia. Dados do Ministério apontam que mais de 25 milhões de trabalhadores podem estar com irregularidades no recolhimento do FGTS em todo o país. Reportagem, Alessandra Bastos.




Gláucia: E um balanço das fiscalizações do Ministério do Trabalho mostra o resultado do trabalho dos cerca de 2.500 auditores fiscais que atuam em todo o país.




Airton: Em todo o ano passado eles realizaram mais de 5.700 ações de combate ao trabalho infantil e resgataram 885 trabalhadores em condições semelhantes à de escravo.




Gláucia: Dentro dessas ações, mais de 160 mil empregados foram formalizados.




Airton: Mais de 8,8 milhões de declarações do imposto de renda já foram recebidas pelo sistema da Receita Federal até às 17h00 de hoje.




Gláucia: É, e para quem ainda não enviou o documento é bom ficar atento: o prazo termina no dia 28 deste mês.




Airton: A expectativa é de que mais de 28 milhões de contribuintes entreguem a declaração até o final do mês.




Gláucia: E essas foram as notícias do governo federal.




Airton: Uma realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.




Gláucia: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.




Airton: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional, e tenha uma boa noite.




Gláucia: Boa noite para você e até amanhã.