06 de novembro de 2018 - Poder Executivo

Destaques da Voz do Brasil: Mais de 500 carros e micro-ônibus são entregues a prefeituras de todo o país. Objetivo é garantir trabalho dos assistentes sociais e fazer transporte de idosos e pessoas com deficiência. Comemoração dos 30 anos da Constituição reúne no Congresso autoridades que governam e vão governar o país. E presidente Michel Temer afirma que documento trouxe avanços, e deve ser preservado. Presidente eleito Jair Bolsonaro participa de primeiras reuniões com ministros do atual governo.

audio/mpeg 06-11-18-VOZ DO BRASIL.mp3 — 46868 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Terça-feira, 6 de novembro de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Mais de 500 carros e micro-ônibus são entregues a prefeituras de todo o país.

 

Gabriela: O objetivo é garantir o trabalho dos assistentes sociais e fazer transporte de idosos e pessoas com deficiência. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: Eles foram doados para 456 municípios, de 22 estados do país.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Comemoração dos 30 anos da Constituição reúne, no Congresso, autoridades que governam e vão governar o país.

 

Nasi: E presidente Michel Temer afirma que documento trouxe avanços e deve ser preservado.

 

Presidente Michel Temer: A Constituição trouxe inegáveis avanços. Não há caminho fora da Constituição.

 

Gabriela: E presidente eleito Jair Bolsonaro participa de primeiras reuniões com ministros do atual governo. Danielle Popov.

 

Repórter Danielle Popov: Amanhã o presidente eleito Jair Bolsonaro se reúne com o presidente Michel Temer.

 

Nasi: Na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Nasi: Mais de 450 cidades do país receberam reforço no atendimento de assistência social.

 

Gabriela: O Governo entregou mais de 500 veículos. Cerca de 9 milhões de pessoas vão ser beneficiadas.

 

Repórter Luana Karen: Mais estrutura para os atendimentos da Rede de Assistência Social. A entrega de 321 carros e 208 micro-ônibus vai reforçar a atuação contra o trabalho infantil e a exploração sexual, assim como fortalecer o suporte oferecido a pessoas com deficiência, por exemplo. Eles foram doados para 456 municípios, de 22 estados do país. Jaguariúna, no interior de São Paulo, é uma das cidades beneficiadas. O prefeito, Gustavo Reis, destacou a importância do apoio do Governo Federal para reforçar o atendimento a quem mais precisa.

 

Prefeito de Jaguariúna - Gustavo Reis: O senhor colocou esse dinheiro na educação, o senhor colocou esse dinheiro na saúde, para os estados, especialmente, o senhor trouxe esse dinheiro para os municípios, para que pudessem cumprir suas obrigações perante a Lei de Responsabilidade Fiscal, mas, acima de tudo, poder garantir os serviços essenciais a toda a população dos nossos municípios.

 

Repórter Luana Karen: Na cerimônia de entrega dos veículos, também foi assinada a portaria que cria o MOB-Suas, para cuidar, por exemplo, do transporte de usuários da Rede de Assistência Social. A ideia é que o serviço funcione como o Samu, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência do Sistema Único de Saúde. De acordo com o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, o MOB-Suas já conta com recursos para expansão.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Nós investimos, com recursos do Ministério, R$ 73 milhões para comprar esses carros, e já obtivemos R$ 75 milhões para ampliar a frota do MOB-Suas para 2019, ou seja, esses 500 carros de hoje serão multiplicados por dois no ano de 2019.

 

Repórter Luana Karen: Ao fazer um balanço das ações de assistência social do Governo, o presidente Michel Temer destacou que as políticas do setor foram institucionalizadas. Segundo Temer, a oferta de serviços pode ser ampliada ainda este ano, com a revisão dos gastos orçamentários.

 

Presidente Michel Temer: Neste ano, que o déficit estava estimado em R$ 159 bilhões, é possível que remanesçam ainda uns R$ 20 bilhões, ou seja, eu estou chamando o Planejamento, Fazenda, para dizer: Vamos pegar mais alguns milhões aí e vamos dedicar a esses ônibus aí, quem sabe damos mais uns 500 ou 600.

 

Repórter Luana Karen: Em todo o país, a Assistência Social é organizada por meio do Sistema Único de Assistência Social. O Suas, como é conhecido, tem um modelo de gestão participativa, com esforços e recursos da União, dos estados e dos municípios. A ideia é garantir proteção aos cidadãos em situação de risco social, por meio de serviços, benefícios, programas e projetos. Reportagem, Luana Karen.

 

Nasi: Ainda sobre a área social, o presidente Michel Temer citou algumas ações, como ter reajustado duas vezes o benefício do Bolsa Família, sempre acima da inflação, e ter acabado com a fila de espera do programa.

 

Gabriela: E não se esqueceu dos filhos de quem tem o benefício, que receberam um incentivo a mais para melhorar de vida, por meio do Plano Progredir.

 

Presidente Michel Temer: Nós demos, depois de dois anos e meio que não se dava aumento para o Bolsa Família, nós demos dois aumentos acima da inflação. Parece pouco, mas quando você dá um aumento para 14 milhões de famílias, você pode imaginar o que significa isso para pequenos armazéns, as chamadas vendas no interior, no interior mais remoto. Significa um aporte na economia daquelas localidades. A inclusão social se faz por mecanismos que permitam a introdução daqueles, especialmente dos filhos dos bolsistas Família, em empregos. E foi lançado o Programa Progredir. Então, nós estamos fazendo uma verdadeira inclusão social.

 

Nasi: E mais cedo o presidente Michel Temer participou de uma cerimônia no Congresso, que comemorou o aniversário de 30 anos da Constituição.

 

Gabriela: O conjunto de leis e normas do país garantiu direitos ao cidadão, como o acesso à Saúde e Educação.

 

Nasi: Para o presidente, a Constituição trouxe avanços e deve ser preservada.

 

Repórter Nei Pereira: Em 5 de outubro de 1988, o Plenário da Câmara dos Deputados era palco da promulgação da Constituição Federal. Trinta anos depois, no mesmo espaço, os presidentes dos três poderes, o presidente eleito Jair Bolsonaro, parlamentares e convidados se reuniram nesta terça-feira para comemorar o aniversário da Carta Magna. O presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira, lembrou que a Assembleia Nacional Constituinte, formada por deputados e senadores, foi a primeira criada no Brasil sem que houvesse uma ruptura institucional.

 

Presidente do Congresso Nacional - Eunício Oliveira: A Constituição é uma obra eloquente do avanço institucional social e legislativo da civilização brasileira, e bastaria, para louvá-la, nos remetermos à sua eficácia no plano da realidade. O povo brasileiro soube, como sabe hoje, que é na democracia que se escreve o futuro com as próprias mãos.

 

Repórter Nei Pereira: A Constituição Federal está acima de todas as leis do país. Ela ficou conhecida como Constituição Cidadã, pois assegurou aos brasileiros a liberdade de pensamento e direitos sociais, depois de 21 anos de governo militar. O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse que seu governo será baseado na Constituição.

 

Presidente eleito Jair Bolsonaro: Vamos continuar construindo o Brasil que o nosso povo merece. Temos tudo, tudo para sermos uma grande nação. E a união de nós, que no momento estamos aqui ocupando cargos-chaves na República, podemos, sim, mudar o destino dessa grande nação.

 

Repórter Nei Pereira: Em 1988, o atual presidente, Michel Temer, era um dos constituintes. Ao participar da comemoração de 30 anos da Constituição, ele disse que a carta trouxe avanços inegáveis.

 

Presidente Michel Temer: Não há caminho fora da Constituição. Nós estamos aqui recordando a Constituição de 88, para preservá-la. Meus amigos, minhas amigas, eu quero dizer que a Constituição trouxe inegáveis avanços.

 

Repórter Nei Pereira: Entre os direitos fundamentais garantidos pela Constituição de 1988 estão o acesso à educação, saúde e moradia digna para todos os brasileiros. Outra conquista foi a independência do Ministério Público, que hoje atua para que ela seja cumprida. Reportagem, Nei Pereira.

 

Gabriela: E depois da cerimônia em homenagem à Constituição, o presidente eleito Jair Bolsonaro visitou ministérios em Brasília.

 

Nasi: Bolsonaro falou sobre recursos para as Forças Armadas, sobre reforma da Previdência e sobre o perfil dos ministros que vão compor o governo a partir do ano que vem.

 

Gabriela: Amanhã ele se reúne com o presidente Michel Temer.

 

Repórter Danielle Popov: Reuniões com as Forças Armadas também fizeram parte da agenda do presidente eleito Jair Bolsonaro, que teve encontros com comandantes da Marinha e do Exército, e com o ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna. Após o encontro, Luna disse que Bolsonaro reforçou a importância da participação das Forças Armadas no Governo dele. Segundo o ministro, o presidente eleito informou que as Forças Armadas não devem ser afetadas por restrição no orçamento. O ministro Luna disse que os recursos para Exército, Marinha e Aeronáutica podem ser aplicados em projetos estratégicos que estão parados, como o dos caças suecos Gripen, o programa de desenvolvimento de submarinos e o KC-390, maior avião de transporte militar já produzido no Brasil.

 

Ministro da Defesa - Joaquim Silva e Luna: Eu diria dar celeridade aos projetos estratégicos que já estão contratados. Eu botaria] o KC-390, o Gripen, no Exército os blindados Guarani, a defesa cibernética. São projetos que estão se esticando a longo prazo.

 

Repórter Danielle Popov: O presidente eleito Jair Bolsonaro já confirmou os nomes que vão comandar cinco ministérios a partir de janeiro do ano que vem, e garantiu que todos os outros ministros serão anunciados até o fim deste mês. Bolsonaro explicou qual vai ser o perfil dos escolhidos.

 

Presidente eleito Jair Bolsonaro: O perfil é quase o mesmo para todo mundo: Ter conhecimento da área, obviamente, ser da área, ser patriota, e vai voltar a ser moda essa palavra, ter iniciativa, competência e autoridade. Nós queremos isso.

 

Repórter Danielle Popov: Jair Bolsonaro falou ainda sobre Reforma da Previdência e disse que gostaria que pelo menos parte dela fosse aprovada ainda esse ano.

 

Presidente eleito Jair Bolsonaro: O que a gente puder salvar nessa reforma, a gente salva. A melhor reforma não é a que eu quero ou minha equipe econômica quer, é aquela que passa na Câmara e no Senado.

 

Repórter Danielle Popov: O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu que a aprovação do projeto de Reforma da Previdência, que está em discussão no Congresso Nacional, permitiria ao novo governo promover reformas em outras áreas.

 

Economista - Paulo Guedes: Aproveita a reforma do Temer, que foi estudada por um ano, dois anos, passou em todas as comissões, está pronta para ser aprovada, aproveita isso e aprova já, faz um governo realmente de transição, que aprovou várias reformas. E nós entraríamos, então, justamente criando um novo regime trabalhista e previdenciário.

 

Repórter Danielle Popov: Amanhã, o presidente eleito Jair Bolsonaro se reúne com o presidente Michel Temer. Reportagem, Danielle Popov.

 

Nasi: O sinal de TV analógico já foi desligado em todas as capitais brasileiras.

 

Gabriela: Além delas, mais de 600 cidades já são atendidas exclusivamente pelo sinal digital.

 

Nasi: Nessas localidades, quem tem aparelhos de televisão mais antigos precisa usar um adaptador.

 

Gabriela: O equipamento é distribuído de graça para a população de baixa renda, que recebe o Bolsa Família ou está no Cadastro Único do Governo.

 

Repórter Graziela Mendonça: Raicélia de Matos é dona de casa e mora em Rio Branco, no Acre. Ela tem uma televisão de tubo e a imagem analógica estava deixando a desejar.

 

Dona de casa - Raicélia de Matos: Ficava tremendo, ficava fora do ar, não via a imagem.

 

Repórter Graziela Mendonça: Mas Raicélia recebeu há dois meses um kit com o conversor e antena digital, distribuído pelo Governo para os beneficiários do programa Bolsa Família. Agora, com o novo sinal, ela pode assistir seus programas favoritos em alta definição.

 

Dona de casa - Raicélia de Matos: Eu não ia poder trocar de TV, agendei a retirada do kit, aí foi buscar. Ah, agora está tudo HD.

 

Repórter Graziela Mendonça: Rio Branco foi uma das capitais que tiveram o sinal analógico de televisão desligado na última semana, assim como Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e Boa Vista, em Roraima. Agora, todas as capitais do país contam com sinal digital. O coordenador geral de TV Digital do Ministério da Ciência, Tecnologia, Comunicações e Inovações, William Zambelli, explica que uma das prioridades do Governo é entregar conversores gratuitos ao público mais pobre, para que todos possam ter acesso ao sinal digital, mesmo em TVs mais antigas.

 

Coordenador geral de TV Digital - William Zambelli: Nós distribuímos, até o momento, cerca de 12 milhões de kits para esses 674 municípios e mais esses 704 que ainda vamos desligar esse ano. E nesses municípios, cerca de 14,5 milhões de pessoas receberão esses kits. À medida que nós desligamos o sinal analógico, a gente vai distribuindo os kits.

 

Repórter Graziela Mendonça: O sistema digital de TV garante uma programação com melhor imagem e som para a população, e também libera a faixa de frequência de 700 megahertz para oferecer internet móvel de quarta geração, o 4G. O sinal analógico já foi desligado em 674 municípios brasileiros. Até o dia 5 de dezembro, mais 704 cidades vão passar pelo desligamento. Para quem recebe Bolsa Família e quer se informar sobre como receber o kit de conversor digital, é só ligar no 147. Reportagem, Graziela Mendonça.

 

Nasi: Prevenção para evitar o câncer de boca.

 

Gabriela: Você vai ouvir ainda nesta edição detalhes sobre a campanha do Ministério da Saúde contra a doença.

 

Nasi: E quais atitudes e hábitos ajudam a afastar os riscos de ter esse tipo de câncer.

 

"A primeira etapa já foi, agora é a vez da ciências da natureza e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias. Dia 11 de novembro tem a segunda etapa do Enem. E na sexta-feira, dia 9, a TV NBR e a TV Escola trazem, mais uma vez, para você, um supertime de professores no Aulão do Enem. Tem dúvida sobre o que vai cair na prova? Mande pelo WhatsApp (61) 99867-8787. Não perca, segundo Aulão do Enem, dia 9, as 5h da tarde. Transmissão ao vivo pela TV NBR, pelo Youtube da NBR, redes sociais da TV Escola ou pelo site redenacionalderadio.com.br".

 

"Minuto Enem"

 

Candidata - Jeniffer de Lima: Se eu precisar faltar do trabalho no dia do Enem, tem como justificar?

 

Diretora de Avaliação e Educação Básica do Inep - Luana Soares: Pessoal, fiquem tranquilos. Se você precisou faltar ao trabalho para realizar o Enem em um dos dois domingos, faça o seguinte: Acesse a página do participante e imprima a declaração de comparecimento que nós colocamos lá para você. Leve e peça que, ao final da prova, o seu chefe de sala assine a declaração. Assim, você terá um comprovante de que esteve realizando o Exame Nacional do Ensino Médio. A responsabilidade de imprimir a declaração de comparecimento é sua, por isso acesse a página do participante.

 

"Minuto Enem"

 

Gabriela: Você acabou de ouvir a dúvida da Jeniffer de Lima, e quem respondeu foi a diretora de Avaliação e Educação Básica do Inep, Luana Soares.

 

"Defesa do Brasil! Defesa do Brasil! Defesa do Brasil!".

 

Nasi: Além da defesa das fronteiras do nosso território e da garantia da lei e da ordem em alguns estados, as Forças Armadas realizam ações na área social.

 

Gabriela: São atendimentos de saúde, serviços e atividades de lazer em comunidades.

 

Nasi: E nesta semana, médicos e dentistas do Exército vão estar no sul do estado do Rio de Janeiro, atendendo à população de graça.

 

Repórter Lane Barreto: O Exército promove uma força-tarefa oferecendo especialidades médicas, como neurologia, pediatria, ginecologia e dentista. A expectativa é atender mais de mil pessoas de municípios localizados no sul do estado. Os profissionais de saúde que atendem à comunidade são militares médicos e dentistas do Exército. As ações ocorrem nos dias 8 e 9 de novembro, em Nossa Senhora do Amparo, que é uma localidade de Barra Mansa, e, nos dias 10 e 11, em Quatis. O distrito de Falcão recebe as atividades em 11 de novembro, e Porto Real no dia 12. O instrutor da Academia Militar das Agulhas Negras, Capitão João Paulo China Barbosa, avisa que os interessados devem agendar com antecedência o atendimento em um posto de saúde das localidades citadas.

 

Instrutor da Academia Militar das Agulhas Negras - Capitão João Paulo China Barbosa: O agendamento para esse atendimento, durante a ação cívico-social, está sendo feito por intermédio das Secretarias Municipais de Saúde, por meio dos seus postos de saúde também.

 

Repórter Lane Barreto: Pela parte recreativa da ação, haverá apresentação da banda de música da Aman, Academia Militar das Agulhas Negras. As ações cívico-sociais realizadas no sul do estado do Rio integram a programação do treinamento final do ano letivo dessa instituição, que fica localizada na cidade de Resende. Reportagem, Lane Barreto.

 

Gabriela: Você sabia que as unidades básicas de saúde contam com equipes que fazem também atendimento odontológico?

 

Nasi: Além das cáries e dos canais, essas equipes identificam uma doença grave, que pode levar até à morte: o câncer bucal.

 

Gabriela: O Instituto Nacional do Câncer, o Inca, estima que mais de 14 mil novos casos sejam diagnosticados só neste ano.

 

Nasi: E para explicar para a população a importância da prevenção, o Ministério da Saúde promove, até sexta-feira, a Semana Nacional de Prevenção do Câncer Bucal.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: Hoje, são mais de 26 mil equipes de saúde odontológica em todo o país, o que faz do Brasil referência mundial na oferta de saúde bucal pública. Ema Verônica, de Florianópolis, descobriu o câncer há sete anos. Ela fez o tratamento com radioterapia e também precisou de cirurgia. Depois, pelo Sistema Único de Saúde, a professora aposentada conseguiu colocar uma prótese, que melhorou a sua vida.

 

Aposentada - Ema Verônica: Se eu não tivesse essa prótese, eu não estaria falando. Mas assim, é muito importante para viver socialmente, uma questão de princípios, uma questão de hábitos, coisas que você não faria mais.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: Câncer de boca está mais presente entre os homens, e 70% dos casos são diagnosticados em pessoas com idade acima dos 50 anos. O Ministério da Saúde alerta: hábitos simples e saudáveis, como boa higiene, não beber e não fumar, podem ajudar a reduzir a incidência da doença. A coordenadora nacional de Saúde Bucal, Lívia Maria Coelho, fala sobre a importância do diagnóstico precoce.

 

Coordenadora nacional de Saúde Bucal - Lívia Maria Coelho: Um alerta aos pacientes ou aos próprios profissionais, que esses pacientes possam estar fazendo o seu tratamento preventivo, para que não se chegue a uma morte, que é bastante rápida. A doença, ela tem que ser diagnosticada de fato no início.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: Para conseguir atendimento odontológico pelo SUS, o paciente deve procurar uma unidade básica de saúde, onde vai passar por um exame inicial, e lá ele será encaminhado para os Centros de Especialidades Odontológicas e aos Laboratórios Regionais de Próteses Dentárias. Reportagem, Luciana Collares de Holanda.

 

Gabriela: O maior acidente ambiental do país completou, ontem, três anos.

 

Nasi: E você ouviu aqui na Voz do Brasil o que foi e está sendo feito para a recuperação do meio ambiente e o atendimento às famílias afetadas pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais.

 

Gabriela: Na segunda reportagem especial sobre o acidente, vamos detalhar como os técnicos trabalham para devolver o verde que foi tomado pela lama e retirar os rejeitos de mineração da Bacia do Rio Doce.

 

Repórter Taíssa Dias: Quem caminha pelas margens verdes do Rio Gualaxo do Norte, em Mariana, que ainda mostra o acúmulo escuro dos rejeitos de mineração, custa a acreditar que a vegetação cresceu por cima da lama. Há três anos, a onda de resíduos que vazou da barragem rompida de Fundão, da mineradora Samarco, destruiu árvores, matou animais e pintou os rios com tons de tragédia. Desde fevereiro, algumas áreas começaram a ser replantadas com mudas nativas e os resultados já apareceram. A Fundação Renova fez um convênio com a Universidade Federal de Viçosa, a UFV, que está orientando toda a parte técnica dos plantios. Em uma das áreas, distante cerca de 7 quilômetros da barragem rompida, o professor da UFV, Sebastião Venâncio Martins, conta como foi o processo.

 

Professor - Sebastião Venâncio Martins: Aqui foram duas etapas. Primeira etapa, foi feito um trabalho de estabilizar esse rejeito. Uma segunda fase está sendo a restauração florestal. Para você ter uma ideia, é cobrado das empresas que estão plantando, os primeiros meses, 95% de sobrevivência de mudas. E tem sido atingido esse patamar.

 

Repórter Taíssa Dias: Do outro lado da margem, a escolha foi pela recuperação natural da vegetação. O especialista do programa socioambiental da Fundação Renova, Fábio Nabeta, afirma que todo o processo será monitorado pelos técnicos da fundação e pelos órgãos ambientais.

 

Especialista do programa socioambiental da Fundação Renova - Fábio Nabeta: Elas estão desenvolvendo muito bem, é uma vegetação bastante vigorosa, vibrante. Então, lógico que a gente vai acompanhar o desenvolvimento dessas plantas, dessa vegetação, para ver se realmente ela entra aí nas metas que a gente definiu, junto ao Ibama.

 

Repórter Taíssa Dias: A água dos rios segue com a cor forte da lama, mas a mineradora Samarco afirma que não há mais lançamento de rejeitos para o rio. Obras foram feitas no Complexo de Germano, onde ficava a barragem de Fundão, para cessar o lançamento de rejeitos. É o que explica o coordenador de construção da mineradora, Eduardo Moreira.

 

Coordenador de construção - Eduardo Moreira: Esse rejeito remanescente está contido dentro das áreas, está contido nessas estruturas, nesse sistema de contenção, que foi estabelecido, que foi construído ao longo desse trajeto. Então, mesmo em períodos de chuva, a água entregue no Gualaxo do Norte, que é a porta de entrada da Bacia do Rio Doce, tem um nível de turbidez muito baixo.

 

Repórter Taíssa Dias: Mesmo com a água limpa lançada no Rio Gualaxo do Norte, os rejeitos de mineração ainda estão por toda a Bacia do Rio Doce. O manejo do material é definido em conjunto pela Fundação Renova, responsável pela reparação do desastre, e o Comitê Interfederativo, o CIF, que é formado pelo Governo Federal, os governos dos estados atingidos e outras organizações públicas. Segundo o analista do Ibama e coordenador do Grupo de Assessoramento Técnico ao CIF, Anderson Peixoto, a decisão do que fazer em cada área depende de vários fatores.

 

Analista do Ibama - Anderson Peixoto: Se o impacto de retirada for maior do que a permanência do rejeito na calha ou nas margens, esse rejeito vai continuar. Agora, se for apresentado um motivo, seja ele um aspecto mais social ou um aspecto econômico, mas que a gente verifique que a melhor intervenção a ser feita é a retirada, aí sim. Então, são vários aspectos que têm que ser observados.

 

Repórter Taíssa Dias: A recuperação ambiental do maior desastre da mineração que o país já vivenciou ainda vai levar muitos anos, mas para Anderson Peixoto o trabalho agora entra em uma nova fase.

 

Analista do Ibama - Anderson Peixoto: Esses primeiros anos, eles foram de muita pesquisa, de muito estudo que desse para a gente a capacidade de tomar a decisão mais segura. Para a população, de forma mais geral, eu sei que tem uma certa ansiedade, mas a gente também quer fazer com que a recuperação do Rio Doce, por mais que ela seja um pouco mais demorada, que ela torne a bacia muito mais segura, do ponto de vista socioambiental.

 

Repórter Taíssa Dias: Cento e treze afluentes impactados na Bacia do Rio Doce já foram reabilitados. Mais de mil nascentes na região foram protegidas, como medida compensatória, um trabalho que está só começando e vai durar pelo menos 15 anos. Reportagem, Taíssa Dias.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, Ordem e Progresso".