07 DE JANEIRO DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Gestão mais transparente dos bancos públicos. É o que destaca presidente Jair Bolsonaro ao empossar novos dirigentes. Objetivo é trazer impactos positivos para a economia e para a população. Vamos trazer as últimas informações sobre a atuação da Força Nacional no Ceará. Mais Médicos: Começa mais uma etapa para garantir atendimento à população. Crédito consignado para aposentados e pensionistas têm novas regras. Ideia é reduzir assédio e controlar dívidas.

audio/mpeg 07.01.19.mp3 — 46936 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 7 de janeiro de 2019.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Gestão mais transparente nos bancos públicos.

 

Gabriela: É o que destaca presidente Jair Bolsonaro a empossar novos dirigentes.

 

Nasi: O objetivo é trazer impactos positivos para a economia e para a população.

 

Presidente - Jair Bolsonaro: Se a economia for bem, teremos mais empregos, o índice de violência diminuirá e nós começaremos a viver dias melhores para o nosso Brasil.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Vamos trazer as últimas informações sobre a atuação da Força Nacional no Ceará. Graziela Mendonça.

 

Repórter Graziela Mendonça: Ataques diminuem e cerca de 150 pessoas já foram presas. Daqui a pouco eu volto com mais detalhes.

 

Gabriela: Mais Médicos. Começa mais uma etapa para garantir atendimento à população. Ricardo Ferraz.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Até a próxima quinta?feira, cerca de 1.700 médicos com registro no país devem se apresentar em aproximadamente 1.200 municípios.

 

Nasi: Crédito consignado para aposentados e pensionistas tem novas regras.

 

Gabriela: Ideia é reduzir assédio e controlar dívidas.

 

Nasi: Hoje na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, pela internet, basta acessar: www.voz.gov.br .

 

Nasi: Os bancos públicos têm um papel importante para o desenvolvimento da economia do país.

 

Gabriela: O Banco do Brasil opera créditos para a agricultura.

 

Nasi: A Caixa financia imóveis, inclusive, para a população de renda mais baixa.

 

Gabriela: E o BNDES tem papel importante no apoio a obras de infraestrutura e na concessão de crédito para empresas.

 

Nasi: Os novos presidentes das três instituições tomaram posse hoje.

 

Gabriela: O presidente Jair Bolsonaro participou da cerimônia e destacou que a gestão dos bancos vai ser importante para superar a crise econômica do país.

 

Repórter Luana Karen: Os três maiores bancos públicos do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, contam agora com novos comandos. O ministro da Economia, Paulo Guedes, destacou a necessidade de rever o papel desempenhado pelos bancos públicos. Segundo o ministro, é preciso rever benefícios concedidos a alguns em prejuízo de milhões de brasileiros.

 

Ministro da Economia - Paulo Guedes: Se você achar recurso público que está sendo passado exatamente numa forma regressiva, transferindo renda em falcatrua, ou para aliança política, ou para ajudar empresários que são amigos, está errado. E esses presidentes vão assumir sabendo disso, que essa é a tarefa deles, fazer a coisa funcionar da forma certa. Então, o que existe hoje é um dinheiro barato que está sendo desvirtuado aqui e um dinheiro muito caro do outro lado. Quando esse crédito está estatizado sobra menos para o resto do Brasil, e aí os juros são absurdos. E, além disso, quando estão fazendo esses favores do lado da cá, financiam com endividamento em bola de neve do lado de lá.

 

Repórter Luana Karen: Na cerimônia de posse dos novos dirigentes dos bancos públicos, o presidente Jair Bolsonaro lembrou que as indicações feitas para o primeiro escalão do governo não tiveram interferência política e disse que os presidentes dos bancos também terão liberdade para escolher os diretores das instituições. Bolsonaro reafirmou a necessidade de transparência em todos os atos e destacou o papel da economia para melhoria da situação do país.

 

Presidente - Jair Bolsonaro: Transferência acima de tudo. Todos os nossos atos terão que ser abertos ao público e o que ocorreu no passado também. Não podemos admitir em qualquer umas dessas instituições qualquer cláusula de confidencialidade pretérita. Então, baseado nisso, é que eu acredito nessa equipe composta pelo Sr. Paulo Guedes para conduzir o destino não apenas econômico, mas o destino do nosso Brasil. Se a economia for bem, teremos mais empregos, o índice de violência diminuirá, a satisfação se fará presente junto ao nosso povo e nós começaremos a viver dias melhores para o nosso Brasil.

 

Repórter Luana Karen: Na Caixa Econômica Federal, assume Pedro Guimarães, doutor em Economia pela Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, e com 20 anos de experiência no mercado financeiro. O BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, será comandado por Joaquim Levy. Doutor em economia pela Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, Levy atuou no Fundo Monetário Internacional, foi vice?presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento, diretor financeiro do Banco Mundial e ministro da Fazenda no Brasil. Na presidência do Banco do Brasil, assume o economista Rubem Novaes, doutor em Economia pela Universidade de Chicago. Novaes já atuou do BNDES, foi presidente do Sebrae e professor da Fundação Getúlio Vargas. Reportagem: Luana Karen.

 

Nasi: Aumento do lucro, respeito aos acionistas, ampliação das parcerias, transferência e venda de setores pouco rentáveis.

 

Gabriela: Rubem Novaes, o novo presidente do Banco do Brasil, falou sobre o que esperar da nova gestão do banco público, que conta com mais de 36 milhões de correntistas.

 

Repórter Márcia Fernandes: Na cerimônia de transmissão de cargo, o novo presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, apontou que na história do banco público era comum pensamentos diferentes entre acionistas e governo, o que prejudicava o trabalho da instituição. Ele diz que a forma de pensar agora é parecida, que vai buscar transparência enquanto estiver no comando do banco e que alguns ativos poder vendidos.

 

Presidente do Banco do Brasil - Rubem Novaes: O mandato que me é passado é o de rígida austeridade e de maximização de valor, respeitada a absoluta transparência. Entendemos que alguns ativos do banco não guardam sinergia com suas atividades principais e, nestes casos, realmente consideraremos os desinvestimentos, mas o que se pretende para algumas atividades lucrativas que se valham da força do banco para prosperar é a abertura para o mercado de capitais, buscando destampar e evidenciar valores antes despercebidos ou desconsiderados nos registros contábeis.

 

Repórter Márcia Fernandes: O novo presidente do banco também disse que o Brasil enfrentou diversas crises, mas que o país vai viver dias melhores no futuro.

 

Presidente do Banco do Brasil - Rubem Novaes: A economia começa a mover?se e as expectativas dão sinais positivos, investidores externos também, sempre atentos a oportunidades, já colocam o Brasil em sua alça de mira. Não podemos falhar e decepcionar toda esta gente. Não temos apego a cargos públicos e não faz parte da nossa cartilha fazer mais do mesmo. Vamos devolver aos brasileiros a esperança de viver dias melhores e o orgulho de aqui ter nascido.

 

Repórter Márcia Fernandes: Rubem Novaes também disse que o banco vai estar aberto para parcerias e que o principal objetivo é aumentar os lucros da instituição. Reportagem: Márcia Fernandes.

 

Nasi: E daqui a pouco a gente volta com as informações sobre a transmissão de cargo na Caixa Econômica Federal.

 

Gabriela: Os depósitos da poupança superaram os saques em R$ 38,2 bilhões no ano passado.

 

Nasi: Segundo o Banco Central, este é o melhor resultado para um ano desde 2013.

 

Gabriela: Em 2018, os brasileiros depositaram nas cadernetas de poupança R$ 2,250 trilhões.

 

Nasi: Já os saques chegaram a R$ 2,210 trilhões.

 

Gabriela: No total, o saldo da poupança chegou no fim do ano a R$ 797,2 bilhões.

 

Nasi: A balança comercial brasileira teve saldo positivo de mais de U$ 1,8 bilhão na primeira semana do ano.

 

Gabriela: A venda de produtos brasileiros para outros países alcançou mais de U$ 3,8 bilhões contra quase U$ 2 bilhões em compras.

 

Nasi: As exportações tiveram um crescimento de mais de 65% em relação ao mesmo período do ano passado.

 

Gabriela: Destaques para a venda de petróleo, farelo de soja, soja em grãos, minério de ferro, celulose e aviões.

 

Nasi: Já as importações cresceram quase 2% em relação ao mesmo período de 2018, puxados por adubos e fertilizantes químicos e cereais.

 

Gabriela: Na última sexta?feira, nós falamos aqui na Voz do Brasil sobre o envio de profissionais da Força Nacional de Segurança Pública para conter a violência no estado do Ceará.

 

Nasi: E esse reforço de policiamento que foi autorizado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública na semana passada já começa a dar resultados. O número de ataques dos criminosos caiu.

 

Gabriela: A repórter Graziela Mendonça, que está aqui, ao vivo, com a gente no estúdio, tem mais informações. Boa noite, Graziela, explica para a gente o que mudou na situação no Ceará neste fim de semana.

 

Repórter Graziela Mendonça (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Nasi. Boa noite, ouvintes da Voz do Brasil. Pois é, a situação no Ceará ainda é complicada. Hoje já é o quinto dia desses ataques, mas as ações para conter a violência já estão surtindo efeito. Desde que a Força Nacional de Segurança pública chegou ao estado no último sábado, o número de ataques vem caindo. Na quinta, tinha sido 45 e ontem, domingo, esse número já caiu para 23.

 

Nasi: Graziela, e que tipo de ataques são esses? Quantas pessoas já foram presas?

 

Repórter Graziela Mendonça (ao vivo): Olha, Nasi, são ações criminosas a ônibus, prédios públicos, agências bancárias e comércios. Ontem, dois suspeitos foram mortos depois que tentaram atear fogo no Departamento de Trânsito do Ceará. Muitos comércios estão fechando as portas por medo de tiroteios e invasões. Segundo o último balanço, cerca de 150 pessoas já foram presas.

 

Gabriela: E, Grazi, como que é a atuação da Força Nacional?

 

Repórter Graziela Mendonça (ao vivo): A Força Nacional está com um efetivo de 330 homens lá, Gabriela. Eles chegaram no sábado e estão fazendo patrulhamento ostensivo, principalmente em lugares mais cheios, como terminais rodoviários e vias de grande circulação. E além do patrulhamento nas ruas, os policiais estão também andando dentro dos ônibus, para garantir o deslocamento da população. Tudo para ajudar na segurança e evitar a ocorrência de crimes. Quem faz o planejamento dessas operações é a Polícia Militar do Estado de Ceará. E a PM está contando com o apoio da Polícia Federal, Departamento Penitenciário Nacional, o Depen, Polícia Rodoviária Federal e os governos dos estados vizinhos também estão ajudando. Ontem, o estado Bahia mandou cem policiais militares para a capital Fortaleza. O reforço total na operação é de mais de 800 homens, segundo as informações da Secretaria de Segurança do Ceará. Nasi e Gabriela.

 

Nasi: Obrigado, Graziela, pelas informações ao vivo aqui na Voz do Brasil.

 

Gabriela: E vale lembrar que os agentes da Força Nacional vão ficar no Ceará por 30 dias e esse prazo pode ser estendido dependendo da necessidade.

 

Nasi: Você vai ouvir ainda nesta edição.

 

Gabriela: Começou hoje mais uma etapa do Mais Médicos.

 

Nasi: Profissionais formados no Brasil devem se apresentar aos municípios para começarem a atender a população.

 

Gabriela: E também vamos falar das novas regras do crédito consignado para aposentados e pensionistas.

 

Nasi: Até final do Carnaval, a Polícia Rodoviária Federal continua com a Operação Rodovida.

Gabriela: É uma ação integrada entre as polícias, que desde 2011, promove uma fiscalização mais intensa nas estradas federais.

 

Nasi: A ideia é reduzir os acidentes e mortes.

 

Gabriela: E para isso também é importante seguir algumas dicas.

 

Nasi: É o que vamos ouvir agora no Pra Você, Cidadão de hoje.

 

"Pra Você, Cidadão".

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Para garantir férias tranquilas, a PRF dá algumas dicas para os motoristas. Faça a revisão do seu veículo antes de pegar a estrada, verificando itens como pneus, freios e faróis. Confira toda a documentação do carro e do motorista. Mantenha crianças e bebês em assentos adequados e use sempre o cinto de segurança, mesmo no banco de trás. Faça pausas durante o trajeto para descansar e se alimentar. Verifique as condições de tempo do seu destino e fique sempre atento às placas de sinalização, como velocidade máxima e ultrapassagem. Se tiver qualquer urgência na estrada, basta ligar de graça para o telefone 191. Beatriz Albuquerque para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: Mais de 1.700 profissionais de saúde com registro no Brasil, inscritos no Mais Médicos, devem se apresentar a partir de hoje nos municípios.

 

Nasi: Eles devem comparecer à prefeitura do local escolhido até a próxima quinta?feira.

 

Gabriela: E no final do mês é a vez dos formados no exterior escolherem os locais onde vão trabalhar.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Silvia Pereira dos Santos terminou o curso de Medicina em 2013, mas só no final do ano passado conseguiu realizar o sonho de trabalhar na atenção básica, ela é uma das novas profissionais contratadas pelos Mais Médicos, do Ministério da Saúde. Desde que Cuba decidiu deixar o programa em novembro do ano passado, o governo brasileiro já fez dois editais para preencher as vagas e garantir atendimento à população. Silvia aproveitou a oportunidade, começou a atuar no município de Limeira, no interior de São Paulo, e conta como está sendo a experiência.

 

Médica - Silvia Pereira dos Santos: A população está reconhecendo bastante nosso trabalho. Bem gratificante, a gente já está começando a ter os retornos dos pacientes, né? A primeira consulta, o segundo retorno, tem tudo para dar certo para a população e para os médicos.

 

Repórter Ricardo Ferraz: No município do Limeira, a saída dos profissionais cubanos deixou 38 vagas disponíveis, 33 já foram preenchidas e nesta semana começam a chegar os últimos 5 médicos. Mario Botion, prefeito da cidade, ficou surpreso com a agilidade do governo federal para resolver a questão.

 

Prefeito de Limeira - Mario Botion: A reposição foi feita de maneira muito rápida, de maneira surpreendente. A demora, se houvesse, nós teríamos uma falta de atendimento e traria muito prejuízo para a população, até porque para nós repormos, dentro dos processos normais, isso levaria um tempo muito grande, né? Abrir concurso.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Até a próxima quinta?feira, cerca de 1.700 médicos com registro no país devem se apresentar em aproximadamente 1.200 municípios. Em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, as 22 vagas disponíveis praticamente já foram preenchidas, metade dos médicos já começaram a trabalhar e outros 11 profissionais devem se apresentar nesta semana. Para o secretário de Saúde do município, Naasom Luciano, as expectativas são as melhores.

 

Secretário de Saúde de Novo Hamburgo - Naasom Luciano: Nos satisfaz muito já a garantia de saber que eles estão selecionados, mais de 50% já chegaram e os restantes ainda estão chegando. Então, isso nos deixa com uma situação de previsão, para ir fazendo a recolocação desses médicos e poder suprir aqueles atendimentos que a nossa comunidade necessita.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Os médicos que desistirem da vaga nessa segunda chamada devem informar à gestão municipal para que ela seja recolocada no sistema. Atualmente, estão disponíveis 840 vagas em 287 municípios e 26 distritos indígenas. A próxima chamada do Mais Médicos acontece nos dias 23 e 24 de janeiro para profissionais brasileiros formados no exterior, e nos dias 30 e 31 de janeiro para os médicos estrangeiros. Reportagem: Ricardo Ferraz.

 

Nasi: Está aberta a segunda rodada do programa de financiamento de startups, que são aquelas empresas que começam a partir de boas ideias, com investimentos em alta tecnologia e inovação.

 

Gabriela: A ideia é alavancar empresas que já estão caminhando em fase final de desenvolvimento de produto ou que precisem ganhar escala de produção.

 

Nasi: O investimento vai ser de até R$ 30 milhões, sendo de até 1 milhão por empresa selecionada.

 

Gabriela: As inscrições devem ser feitas até o dia 28 de fevereiro pelo site: finep.gov.br.

 

Nasi: Um alívio para aposentados e pensionistas que vinham recebendo ligações e mensagens insistentes oferecendo empréstimos consignados.

 

Gabriela: A partir de agora, assim que o cidadão se aposentar não poderá receber qualquer contato oferecendo esse tipo de empréstimo durante um prazo de seis meses.

 

Nasi: Bancos e financeiras que descumprirem a regra poderão ser punidos.

 

Repórter Cleide Lopes: O engenheiro José Leonel Carneiro de Sousa se aposentou há dois meses. Ele conta que desde então, ao invés de ganhar tranquilidade, perdeu sua paz. Isso porque o seu celular e o seu e?mail são bombardeados as 24 horas do dia por financeiras e bancos oferecendo empréstimos consignados.

 

Engenheiro - José Leonel Carneiro de Sousa: É de forma insistente, várias vezes ao dia, desde ligações, mensagens, a ponto de que você deixa de atender o telefone. Se não tiver na minha agenda, no meu celular, eu já não atendo mais.

 

Repórter Cleide Lopes: Hoje o Brasil tem 35 milhões de aposentados e pensionistas. Para evitar fraudes e esse tipo de assédio e proteger as investidas de bancos e financeiras, como as sofridas por José Leonel, o Instituto Nacional de Seguro Social, INSS, acaba de baixar uma norma, como explica o presidente do Instituto Nacional de Seguro Social, Edison Garcia.

 

Presidente do INSS - Edison Garcia: Nós estamos vedando, isto é, proibindo que instituições financeiras, pelo prazo de 180 dias, eles façam qualquer contato, qualquer assédio, qualquer esforço de venda ou oferta de produtos para o segurado tão logo a sua concessão do benefício é outorgada pelo INSS. No sentido de preservar o direito e o interesse do nosso segurado, a gente concede que ele, no prazo de 90 dias, isto é, depois de três meses do seu benefício, ele poderá se dirigir a uma instituição financeira e pedir esse desbloqueio e ele ter a iniciativa da contratação.

 

Repórter Cleide Lopes: Outra medida importante da norma é que a partir da agora os bancos que operam consignados aos aposentados e pensionistas do INSS terão que pagar ao instituto pela operação do sistema dos créditos consignados, é o que explica o presidente do INSS, Edison Garcia.

 

Presidente do INSS - Edison Garcia: As instituições financeiras deverão, nos termos da lei, ressarcir ao INSS os custos que incorrem a gestão e o atendimento desses segurados, ouvidoria, ações judiciais no Brasil todo, procuradores exclusivamente destinados para atender à demanda do segurado. Então, isso é um gasto administrativo que o INSS tem e isso nunca foi ressarcido.

 

Repórter Cleide Lopes: Caso o aposentado e o pensionista sofra com esse assédio ou se detectar algum desconto indevido de consignado, deve fazer imediatamente uma reclamação à Ouvidoria Geral da Previdência Social, ligando no 135. Reportagem: Cleide Lopes.

 

Nasi: E o novo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, recebeu o cargo agora há pouco, na sede do banco aqui em Brasília.

 

Gabriela: E é para lá que a gente vai conversar ao vivo com o repórter Pablo Mundim, que acompanhou a transmissão de cargo. Boa noite, Pablo.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Boa noite, Gabriela, Nasi, e principalmente a você, ouvinte da Voz do Brasil. Ao assumir o comando da Caixa Econômica Federal nesta segunda?feira, Pedro Guimarães destacou que pretende abrir o capital de subsidiárias do banco público para pagar a dívida de R$ 40 bilhões com o Tesouro Nacional. Ele descartou privatizar a Caixa e disse que a ideia é vender ações de empresas controladas pela instituição, como a de cartões, seguros e loterias.

 

Presidente da Caixa Econômica Federal - Pedro Guimarães: O governo federal emprestou via título R$ 40 bilhões para a Caixa, sem vencimento. E nós vamos, sim, abrir o capital de subsidiárias e utilizar esse dinheiro para pagar o Tesouro, em quatro anos, com calma, com tranquilidade, um passo depois do outro. Então, não há privatização da Caixa, nem pensar, o que há é venda, abertura de capital, Caixa Cartões, Caixa Seguridade, Caixa Access(F) e Caixa Loterias.

 

Nasi: Agora, Pablo, o novo presidente falou sobre as prioridades dele à frente da Caixa?

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Falou sim, Nasi. Ele disse que pretende lançar um programa de controle de gastos em compras e também nos patrocínios promovidos pela Caixa. Disse também que pretende visitar todos os estados do país para conhecer as realidades locais. As duas primeiras, para Roraima e Amazonas, já estão programadas.

 

Presidente da Caixa Econômica Federal - Pedro Guimarães: Sábados e domingos, eu vou visitar os 27 estados, 26 estados e o Distrito Federal. Qual é o objetivo? Ouvir da rede o que está acontecendo e falar. Dar exemplo para vocês, eu aprendi que existe o Caixa Barco. Existem dois barcos que são fundamentais para cidadania, dentro, pessoas que não têm quase o que comer, pessoas que não têm acesso à luz, água, saneamento, se não tiver esse Caixa Barco, ela está isolada da sociedade. Minha pergunta é: por que só dois? Por que não três? Quanto custa isso? Porque um barco daquele tamanho, [ininteligível]? Será que canoa também não ajuda? Esse é o tipo da coisa que eu não tenho a resposta, mas eu tenho certeza que o gerente do Caixa Barco vai poder nos dar.

 

Gabriela: Agora, Pablo, a Caixa tem uma atuação forte em financiamento habitacional e também obras de infraestrutura. Isso vai continuar?

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Vai, sim, Gabriela. O novo presidente da Caixa mencionou financiamento para obras de saneamento, iluminação pública e instalações de energias renováveis. A Caixa também vai oferecer crédito para pequenas e médias empresas e consignados. Segundo Pedro Guimarães, vão ser financiadas obras rentáveis para Caixa e boas para a sociedade. Ele também defendeu que a Caixa adote medidas para mudar o cenário do país por meio do microcrédito.

 

Presidente da Caixa Econômica Federal - Pedro Guimarães: Tem instituições financeiras financiando as pessoas a 15%, 20%, 22% ao mês, por que existe isso? Porque não existe alguém que vá a essas pessoas, e são claramente as pessoas mais carentes do país, que possam emprestar a 2%. Bangladesh, que é um país muito menor do Brasil, tem operações de microcrédito de 28 milhões de pessoas. Então, por que nós podemos construir em conjunto algo dos próximos anos?

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): De janeiro a junho do ano passado, a Caixa Econômica Federal registrou lucro líquido de R$ 6,7 bilhões, crescimento de mais de 63%, o maior já alcançado pelo banco em um semestre. Também manteve a liderança no mercado de crédito imobiliário, com saldo acima dos R$ 436 bilhões. Atualmente, a Caixa tem 93 milhões de clientes, está entre as maiores instituições financeiras do mundo. Gabriela e Nasi.

 

Nasi: Pablo Mundim, obrigado pelas informações ao vivo aqui na Voz do Brasil.

 

Gabriela: Seis municípios nos estados da Bahia, Ceará, Pará e Rio Grande do Sul tiveram a situação de emergência reconhecida pelo Ministério do Desenvolvimento Regional.

 

Nasi: Os municípios decretaram situação de emergência em função de enxurradas, estiagem e seca.

 

Gabriela: Com o reconhecimento, as prefeituras podem solicitar recursos do governo federal para ações de socorro e assistência à população.

 

Nasi: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Governo federal. Pátria amada, Brasil".