07/04/17 - A VOZ DO BRASIL

Saque do FGTS para nascidos em março, abril e maio começa em 8 de abril. E mais: Ministério da Educação coordena ações de combate ao bullying. Saiba também: Governo vai propor salário mínimo de R$ 979 em 2018.

audio/mpeg 07 04 17 - VOZ DO BRASIL.mp3 — 11719 KB




Transcrição


A Voz do Brasil - 07/04/2017

 

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília, 19 horas.
 
 "Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje."
 
 Aírton: Olá, boa noite.

 

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite pra você que nos acompanha em todo o país.
 
 Aírton: Sexta-feira, 7 de abril de 2017.

 

Gláucia: E vamos ao destaque do dia: Amanhã começa o saque do FGTS para nascidos em março, abril e maio.

 

Aírton: Quase oito milhões de trabalhadores têm dinheiro a receber. José Luís Filho.

 

Repórter José Luís Filho: Para atender a quem tem direito de fazer o saque, duas mil agências da Caixa Econômica Federal vão abrir nesse sábado, das 9h da manhã às 3h da tarde.

 

Gláucia: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Aírton: Governo propõe salário mínimo de R$ 979 para o ano que vem.

 

Gláucia: E presidente Michel Temer diz que reforma da Previdência vai ser mais justa com os pobres e mais rígida com os ricos.

 

Presidente Michel Temer: Com a aprovação da reforma, teremos crescimento e desenvolvimento econômico, criação de empregos e novas oportunidades para os brasileiros.

 

Aírton: Hoje é Dia Nacional de Combate ao Bullying e à violência na escola. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: A data marca os seis anos da entrada, numa escola no Rio de Janeiro, de um jovem que atirou contra os alunos. Em carta, ele se disse vítima de bullying.

 

Gláucia: Hoje na apresentação da Voz do Brasil, Gláucia Gomes e Airton Medeiros.

 

Aírton: E pra assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gláucia: Duas mil agências da Caixa Econômica vão abrir amanhã.

 

Aírton: É que começa o saque das contas inativas do FGTS para pessoas nascidas nos meses de março, abril e maio.

 

Gláucia: Quase oito milhões de brasileiros têm dinheiro para receber.

 

Repórter José Luís Filho: Para atender a quem tem direito de fazer o saque, duas mil agências vão abrir neste sábado, das 9h da manhã às 3h da tarde. O plantão continua na segunda, terça e quarta-feira. Nesses três dias, as agências vão abrir duas horas antes do horário normal, para atendimento exclusivo a quem for sacar o dinheiro do FGTS. A funcionária pública Luciana Carvalho Cruz espera ansiosa a chegada deste fim de semana, não só para descansar, mas para poder sacar o dinheiro que tem numa conta do FGTS.

 

Funcionária Pública - Luciana Carvalho Cruz: Eu já estou planejando, na hora de acordar, já tomar o café e já sair.

 

Repórter José Luís Filho: Para valores até R$ 3.000, o saque pode ser realizado com o Cartão do Cidadão e senha, no autoatendimento, lotéricas e correspondentes Caixa Aqui. Acima de R$ 3.000, os saques devem ser feitos nas agências da Caixa. Cerca de 2,3 milhões de trabalhadores vão ter o dinheiro creditado automaticamente na conta, por serem clientes da Caixa. Luciana Cruz tem R$ 25 mil para sacar. Amanhã, ela espera já ter o dinheiro disponível e sabe bem como vai gastar.

 

Funcionária Pública - Luciana Cruz: Quando eu fiquei sabendo da liberação, eu já estava com uma certa dificuldade, porque já tinha feito um consignado. Então, já estava começando a enforcar um pouquinho o salário. Agora, vai resolver muito a minha vida, vai ajudar bastante e ainda vai sobrar uma quantidade boa de dinheiro pra poder fazer investimento, né?

 

Repórter José Luís Filho: Para a facilidade no atendimento, os trabalhadores devem ter em mãos o documento de identificação e a carteira de trabalho ou o documento que comprove a recisão de seu contrato. Quem quiser tirar dúvidas, pode acessar a página da Caixa, no endereço www.caixa.gov.br/contasinativas. Reportagem, José Luís Filho.

 

Aírton: O governo propôs hoje um novo valor para o salário mínimo do ano que vem. A ideia é sair dos autuais R$ 937 para R$ 979, um aumento de R$ 42.

 

Gláucia: O aumento foi feito hoje, junto com outras projeções econômicas, como inflação e o PIB.

 

Aírton: E todas essas informações vão estar dentro da proposta de lei de diretrizes orçamentárias, que é a definição de receitas e despesas para 2018. O documento vai ser enviado ao Congresso na semana que vem.

 

Repórter Paulo La Salvia: Para chegar ao valor de R$ 979 em 2018, o governo aplicou a regra atual de correção, que soma a variação do índice de inflação do ano anterior e o resultado do PIB de dois anos antes. Também foi anunciada a previsão de um crescimento de 2,5% ano para a economia e inflação de 4,5% para o ano que vem. O governo projeta ainda um saldo negativo nas contas públicas de R$ 129 bilhões para o próximo ano, um aumento em relação ao anunciado anteriormente. Isso porque, segundo o governo, o país ainda enfrentará os efeitos da recessão econômica, como explica o ministro do Planejamento, Diogo Oliveira.

 

Ministro do Planejamento - Diogo Oliveira: Do lado da despesa, há uma contenção natural, que é resultado da aplicação do teto do gasto, e, do lado das receitas, nós ainda teremos, em certa medida, os efeitos da recessão se prolongando ainda até 2018.

 

Repórter Paulo La Salvia: O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, apresentou estatísticas que mostram que as despesas estão caindo e as receitas tendem a aumentar, com a recuperação da economia projetada já para este ano. Este cenário, segundo Meirelles, vai se consolidar totalmente em 2020, quando deve se registrar um saldo positivo de R$ 10 bilhões nas contas públicas. Para 2018, não está previsto aumento de imposto, como afirmou Henrique Meirelles.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Não incorporamos aqui nenhuma estimativa de aumento de impostos em 2018, a não ser, evidentemente, aquele já anunciado e já em processo de elaboração, que é a questão da folha de pagamentos.

 

Repórter Paulo La Salvia: Sobre a reforma da Previdência e as mudanças que devem ser apresentadas na proposta, o ministro disse que elas fazem parte do debate democrático no Congresso Nacional.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Algumas mudanças ocorridas estão dentro do espaço de mudanças possíveis, segundo as nossas previsões. Portanto, não temos neste momento nenhuma visão de medidas ou propostas compensatórias.

 

Repórter Paulo La Salvia: Henrique Meirelles disse que o governo ainda está discutindo as mudanças que foram apresentadas no Congresso em relação às regras de transição, pensões e trabalhadores rurais, por exemplo. O ministro estima que a aprovação das alterações pode significar uma redução de até 20% na economia aos cofres públicos que estava prevista anteriormente. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Gláucia: E daqui a pouco a gente volta a falar sobre reforma da Previdência. O presidente Michel Temer reforçou pontos das mudanças e explica porque a proposta precisa ser aprovada para garantir equilíbrio e crescimento da economia.

 

Aírton: Na semana que vem, Brasília vai ser sede de um encontro internacional sobre o combate à corrupção.

 

Gláucia: Vários países vão compartilhar experiências, boas práticas e desafios para acabar com esse crime.

 

Aírton: Outro objetivo mantém é criar parcerias para compartilhar informações, apoiando investigações, para identificar o resgate o dinheiro desviado.

 

Repórter Gabriela Noronha: O Brasil quer ampliar a cooperação internacional no combate à corrupção. O assunto vai ser discutido em Brasília, na semana que vem, durante a reunião do Grupo de Trabalho Anticorrupção do G20, que reúne as maiores economias do mundo, incluindo o Brasil. Representantes de diferentes países estarão em Brasília para discutir temas como lavagem de dinheiro e cooperação internacional. Segundo o ministro da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União, Torquato Jardim, neste ano o Brasil vai apresentar o caso da Petrobras como exemplo de ação contra a corrupção..

 

Ministro da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União - Torquato Jardim: O diretor João Elek, da Petrobras, vai fazer um painel mostrando todo o trabalho de recuperação da Petrobras, que, como outras empresas estatais e empresas privadas, estão investigadas na Operação Lava-Jato. O grande esforço é o programa de integridade, é o trabalho interno de autoproteção da empresa privada e da empresa pública, né, resistirem à tentação.

 

Repórter Gabriela Noronha: O combate à corrupção entrou para a agenda do G20 em 2010, quando foi criado um grupo de trabalho sobre o tema. A cada dois anos, o plano de ação é atualizado. Reportagem, Gabriela Noronha:

 

Gláucia: Municípios e estados atingidos por desastres naturais, como inundações, podem solicitar ajuda do governo para reconstruir estruturas danificadas, como pontes ou rodovias.

 

Aírton: Essa solicitação pode ser feita agora pela internet, no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres.

 

Gláucia: Além disso, todo cidadão poderá consultar o sistema e se informar sobre a situação de emergência e sobre o auxílio financeiro disponibilizado.

 

Repórter Beatriz Amiden: Criado há cinco anos, o sistema vai permitir que as pessoas saibam que tipo de desastre natural aconteceu em um determinado local e quais as ações tomadas pelo Governo Federal para resolver o problema, como explica Élcio Barbosa, diretor da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, do Ministério da Integração Nacional.

 

Diretor da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil - Élcio Barbosa: Ele foi atingido por um desastre e ele quer saber se o município dele obteve o reconhecimento federal. Se o município recebeu recurso, o cidadão, que é quem foi atingido, ele vai ter essa possibilidade de saber quais são os recursos e onde estão aplicados.

 

Repórter Beatriz Amiden: Além da transparência nas informações, outra novidade é que todos os pedidos de ajuda financeira de emergência e de reconstrução de uma cidade, em caso de desastre nacional, como estiagem ou inundação, vão poder ser feitos online a partir de agora. Élcio Brandão explicou ainda que, além de diminuir a quantidade de pessoas envolvidas no processo, permitindo ações mais rápidas, a mudança oferece a possibilidade do gestor ter relatórios, que garantem a ele um panorama mais claro da situação em cada estado. Quem quiser acessar todas essas informações, pode entrar na internet no endereço www.mi.gov.br/defesacivil. Reportagem, Beatriz Amiden.

 

Aírton: Doze mil famílias do bairro de Pirambu, em Fortaleza, no Ceará, serão beneficiadas com a cessão de um imóvel de 1,5 milhão de metros quadrados.

 

Gláucia: A Secretaria do Patrimônio da União cedeu o terreno à prefeitura, para que seja regularizada a situação dos moradores.

 

Aírton: São famílias que há mais de 40 anos vivem nessa área de propriedade da União.

 

Gláucia: Agora a prefeitura vai ter um prazo de cinco anos para transferir as unidades habitacionais para as famílias, com os títulos de propriedade.

 

Aírton: A transferência vai ser de graça e as famílias vão ter que comprovar renda familiar de, no máximo, cinco salários mínimos. Além disso, o morador não vai poder ter outro imóvel rural ou urbano.

 

Gláucia: 19h12 em Brasília.

 

Aírton: Hoje é o Dia Nacional de Combate ao Bullying e à Violência na Escola.

 

Gláucia: E daqui a pouco nós vamos falar das ações do governo nesta data que marca a tragédia de Realengo, quando um jovem invadiu uma sala de aula e atirou contra as crianças. Em carta, ele se disse vítima de bullying.

 

Aírton: Faltam um pouco mais de três semanas para terminar o prazo de entrega das declarações do imposto de renda.

 

Gláucia: Até agora, quase nove milhões de contribuintes enviaram a declaração para a Receita Federal.

 

Aírton: O prazo final vai até o dia 28 de abril e a dica é não deixar para a última hora.

 

Repórter Gabriela Noronha: O analista de sistemas Rogério Ribeiro faz sozinho a declaração do imposto de renda dele e da esposa. O brasiliense diz que considera o sistema da Receita Federal uma ferramenta fácil de usar e conta que quase sempre consegue entregar logo no começo do prazo.

 

Analista de Sistemas - Rogério Ribeiro: Eu me organizo durante o ano. Normalmente, vou guardando todas as minhas notas fiscais numa pastinha. Quando chega o período de declaração, a gente faz a declaração, tenta fazer no início.

 

Repórter Gabriela Noronha: Mas, para a maioria dos brasileiros, fazer a declaração do imposto de renda não é tão fácil assim. A contadora Sandra Batista, especialista em tributação, dá uma dica importante para esses contribuintes evitarem erros que podem levar à malha fina.

 

Contadora - Sandra Batista: A dica é sempre ter cuidado com a documentação, separar essa documentação e mantê-la por cinco anos, e também conferir a declaração antes de enviar.

 

Repórter Gabriela Noronha: Deve declarar quem recebeu no ano passado acima de R$ 28 mil em rendimentos tributáveis, como salários e aposentadorias. A Receita Federal disponibiliza um documento com perguntas e respostas online, que esclarece a regra para cada um dos casos. Para não ter problemas com o leão, Joaquim Adir, supervisor nacional do Imposto de Renda da Receita Federal, recomenda que o contribuinte não deixe para a última hora.

 

Supervisor Nacional do Imposto de Renda da Receita Federal - Joaquim Adir: É na hora que ele começa a preencher a declaração é que ele sente falta de algum documento ou que surgem as dúvidas. Portanto, não é bom deixar para a última hora.

 

Repórter Gabriela Noronha: Quem não entregar no prazo, pode pagar multa, que varia de R$ 165,74 a até 20% do imposto devido. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gláucia: O programa da declaração está disponível na internet, no endereço receita.fazenda.gov.br.

 

Aírton: E tem muitos bancos que liberam a restituição antecipada do imposto de renda.

 

Gláucia: É uma modalidade de crédito mais barato, já que o banco tem a garantia de receber o dinheiro assim que a sua restituição sair.

 

Aírton: E para o contribuinte que está com o orçamento apertado, essa pode ser uma boa alternativa. A gente foi saber de especialistas em que casos essa opção pode mesmo ajudar.

 

Repórter José Luís Filho: Até o dia 28 de abril, 28,3 milhões de contribuintes devem prestar contas à Receita Federal. É o imposto de renda. Gente como o contador Edivaldo dos Santos, que já fez a declaração à espera da restituição.

 

Contador - Edivaldo dos Santos: Pra receber mais rápido o valor que foi retido, na época que eu recebi.

 

Repórter José Luís Filho: Mas o dinheiro não é liberado assim, automaticamente. Mesmo para quem apresenta a declaração nos primeiros dias, a Receita ainda leva alguns meses para processar e fazer a restituição. De olho na necessidade de alguns contribuintes, bancos públicos e particulares se oferecem para antecipar a restituição. E pra isso, é claro, cobram juros. Aí fica a pergunta: Pra ter o dinheiro na mão mais rapidamente vale a pena fazer essa opção?

 

Entrevistado: Até o momento, eu nunca fiz.

 

Entrevistado: Vou esperar a Receita depositar.

 

Entrevistado: Eu espero a Receita depositar, porque o juro é muito alto, né?

 

Repórter José Luís Filho: Para o professor de contabilidade Flávio Mantovani, antecipar a restituição para aplicar ou gastar o dinheiro com viagens e compras não vale a pena. Segundo ele, essa é a melhor opção em apenas um caso.

 

Professor de contabilidade - Flávio Mantovani: Admita que esse contribuinte tenha uma dívida com o cartão de crédito ou com uma outra instituição financeira. É bem interessante que ele receba, faça a antecipação desse imposto de renda e, com este recurso, faça a liquidação do financiamento que ele tem com o cartão de crédito ou com uma instituição financeira. Normalmente os juros que são cobrados pelo cartão de crédito e pela financeira são muito superiores aos juros que são recebidos.

 

Repórter José Luís Filho: É o que a funcionária pública Maria Rubia Bertani faz há três anos.

 

Funcionária pública - Maria Rubia Bertani: Eu verifico a taxa, né, o que eu vou pagar e o que eu pago, efetivamente, de juros da conta que eu quero quitar. Então, o que for maior, fica.

 

Repórter José Luís Filho: Já quem não precisa dessa antecipação, há outras opções para usar o dinheiro da restituição do imposto. Uma delas é aplicar, como faz todos os anos a advogada

Marilda Morais.

 

Advogada - Marilda Morais: Eu deixo no banco, eu tenho uma aplicação.

 

Repórter José Luís Filho: Uma opção pra quem pode fazer como Marilda é o Tesouro Direto. Criado em 2002, ele é considerado rentável e seguro, além de uma opção para quem não quer manter o dinheiro na caderneta de poupança. É possível comprar títulos públicos federais pela internet a partir de R$ 30 reais. Para saber mais, você pode acessar tesouro.fazenda.gov.br. Reportagem, José Luís Filho.

 

Gláucia: O ministro dos Direitos Humanos, o Ministério, ou melhor, dos Direitos Humanos, entregou nesta semana conjuntos de equipamentos para conselhos tutelares de dez municípios do Pará.

 

Aírton: Cada conselho tutelar recebe um carro, cinco computadores, um bebedouro, um refrigerador e uma impressora.

 

Gláucia: Já foram entregues mais de 200 conjuntos em todo o país. Em entrevista à Voz do Brasil, a ministra dos Direitos Humanos Luislinda Valois explica que os equipamentos melhoraram e ampliaram o atendimento à população.

 

Ministra dos Direitos Humanos - Luislinda Valois: Nós estamos levando esses kits, entregando aos prefeitos, mas para o uso no que se refere à problemática das crianças e dos adolescentes. E são utilizáveis e usados pelos conselheiros tutelares, para que eles tenham mais uma oportunidade de trabalhar, meio de se comunicar e de se dirigir até onde a situação requer a presença deles.

 

Aírton: A ministra ainda falou sobre algumas prioridades e ações do Ministério, como a atuação contra a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos.

 

Ministra dos Direitos Humanos - Luislinda Valois: A nossa prioridade mesmo, absoluta, é o julgamento dos processos das mulheres encarceradas e também a redução da violência, dos homicídios contra a juventude negra. Esta é uma grande preocupação que nós temos. E outra situação é a problemática da redução da maioridade penal, que nós não aceitamos essa redução, até porque não vai diminuir a violência, de maneira nenhuma.

 

Gláucia: 19h19 em Brasília.

 

Aírton: Agressões intencionais feitas de maneira repetitiva por um ou mais alunos contra um colega. É o chamado bullying.

 

Gláucia: O termo vem do inglês, que significa brigão. Mesmo sem tradução para o português, é entendido como ameaça, intimidação, humilhação, e tem vitimado muitas crianças e adolescentes.

 

Aírton: E pela primeira vez, no dia 7 de abril, é promovido o Dia de Combate ao Bullying e à Violência na Escola. A repórter Luana Karen mostra pra gente como é importante ficar atento a esse problema.

 

Repórter Luana Karen: Sete de abril de 2011. Há exatos seis anos, um jovem de 24 anos atirou contra adolescentes na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, no Rio de Janeiro. Onze estudantes morreram. O atirador se matou em seguida. Em uma carta, disse ter sido vítima de bullying quando estudava na mesma escola. Adriana Silveira é mãe de uma das vítimas da chacina de Realengo. Depois do assassinato da filha, Luzia de Paula, de 14 anos, Adriana resolveu transformar o luto em luta e fundou a Associação Os Anjos de Realengo.

 

Fundadora - Adriana Silveira: Essa luta tem que ser de toda a sociedade. Existem crianças se mutilando por causa de bullying. Muitas não sabem nem pra quem falar pra poder buscar ajuda. Eles sentem vergonha de dizer. Então, a gente tem que observar, tem que conversar, tem que orientar.

 

Repórter Luana Karen: Para lembrar as vítimas da escola de Realengo, o dia 7 de abril passou a ser o Dia de Combate ao Bullying e à Violência na Escola. A programadora Luciana Bulcão, de 27 anos, de Belém, lembra com clareza das discriminações que sofreu quando tinha entre 11 e 15 anos, por conta da obesidade.

 

Programadora - Luciana Bulcão: O mais complicado de tudo era que meus pais, assim, eles não entendem muito bem, sabe, o que está passando. Pra eles é só um drama adolescente. Só que eles não veem que esse é o teu mundo, sabe? Isso é tudo que tu vive nesse momento. E eu tenho certeza que se eu tivesse procurado ajuda eu teria superado isso muito mais rápido.

 

Repórter Luana Karen: Pode ser considerado bullying qualquer tipo de intimidação sistemática dentro da escola, motivada, por exemplo, pela cor da pele, aparência física, condição social, presença de uma deficiência física ou mental e até mesmo por conta da orientação sexual. O problema é que muitas vezes essas ações são vistas como brincadeira ou coisa de criança. Heloiza Egas, coordenadora-geral de enfrentamento da violência, do Ministério dos Direitos Humanos, diz que é preciso ficar atento aos sinais que a criança ou o adolescente dão.

 

Coordenadora de enfrentamento à violência - Heloiza Egas: Existem impactos, porque vai de fato estar ferindo a integridade psicológica, emocional desses indivíduos, e às vezes até a integridade física. Então é importante você ter um marco regulatório, porque isso ajuda a gente, que está aqui planejando e formulando políticas públicas, a endereçar de uma maneira mais efetiva esse problema.

 

Repórter Luana Karen: Denúncias de bullying contra crianças e adolescentes também podem ser feitas pelo Disque 100. Reportagem, Luana Karen.

 

Gláucia: Em nota, o governo brasileiro manifestou hoje preocupação com a escalada do conflito militar na Síria.

 

Aírton: O Ministério das Relações Exteriores reiterou consternação com as notícias de emprego de armas químicas no conflito sírio e reafirma a importância de investigações para apuração dos fatos e punição dos responsáveis.

 

Gláucia: O Itamaraty também renovou apoio às tratativas conduzidas pelas Nações Unidas e mantém contato regular com a comunidade brasileira residente na Síria. Não há registro de brasileiros entre as vítimas do ataque.

 

Aírton: E a gente termina a Voz do Brasil de hoje com uma mensagem do presidente sobre a reforma da Previdência.

 

Gláucia: Em vídeo publicado na internet, Michel Temer explicou que os gastos para pagar aposentadorias e pensões estão cada vez maiores. Se nada for feito, as contas vão entrar em colapso e as futuras gerações não vão receber os benefícios.

 

Aírton: Temer afirmou que a reforma vai tornar a previdência mais rígida com os mais ricos, acabando com os privilégios para políticos, por exemplo.

 

Gláucia: Por outro lado, a proposta garante direitos aos mais pobres. Temer afirmou que trabalhadores rurais e pessoas com deficiência terão tratamento diferente.

 

Presidente Michel Temer: Estamos compreendendo também a situação do homem e da mulher do campo, que, sabidamente, pelas adversidades que enfrentam na área rural, precisam de condições diferenciadas. As pessoas que têm deficiência, por exemplo, também terão um olhar especialíssimo do governo nessa reforma previdenciária.

 

Aírton: Com a reforma da Previdência, todos vão ter que contribuir por 25 anos para se aposentar e a idade mínima vai ser de 65 anos.

 

Gláucia: E para os aposentados, ou que estão próximos de receber o benefício, Temer deu um recado: A reforma não vai tirar direitos.

 

Presidente Michel Temer: Se você é aposentado, pode ficar tranquilo. Quem já tem direito a aposentar-se também não perderá nada. O seu direito continuará a valer plenamente. Você não precisa correr para se aposentar, porque não há mudança no seu caso, ou seja, nenhum direito a menos.

 

Aírton: Michel Temer explicou que, com a aprovação da reforma, o país vai voltar a ter crescimento e desenvolvimento econômico, criação de empregos e novas oportunidades para os brasileiros.

 

Gláucia: E essas foram as notícias do Governo Federal.
 
 

Aírton: Uma realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gláucia: Com produção da Empresa Brasil de comunicação.

 

Aírton: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite e um bom final de semana.

 

Gláucia: Boa noite pra você e até segunda.

 

"Brasil, ordem e progresso."