07 DE JULHO DE 2017

Destaques da Voz do Brasil: Em reunião com maiores economias do mundo, presidente Michel Temer defende acordo e metas para combater mudanças climáticas. Temer também apresenta cenário econômico e retomada do crescimento do Brasil. Mês de junho registra inflação negativa. Amanhã começa última fase para o saque de contas inativas do FGTS.

audio/mpeg 07-06-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 23368 KB




Transcrição


A Voz do Brasil - 07/07/2017

 

 

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19 horas.

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje."

Nasi: Boa noite.


Apresentadora Gabriela Mendes: Boa noite pra você que nos acompanha em todo o país.

 

Nasi: Sexta-feira, 7 de julho de 2017.

 

Gabriela: E vamos ao destaque do dia. Em reunião com maiores economias do mundo, presidente Michel Temer defende acordo e metas para combater mudanças climáticas.

 

Nasi: Temer também apresenta cenário econômico e retomada do crescimento do Brasil.

 

Presidente Michel Temer: O Brasil está superando uma das crises mais graves de sua história, graças a uma ambiciosa agenda de reformas que traz de volta o crescimento e o emprego.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Mês de junho registra inflação negativa. Natália Melo.

 

Repórter Natália Melo: Alimentos, combustíveis e contas de luz mais baratas ajudaram para que a inflação ficasse negativa pela primeira vez depois de onze anos.

 

Gabriela: Lançados editais do Ministério da Cultura. Vai ter incentivo para blogueiros e criadores de aplicativos e jogos eletrônicos.

 

Nasi: E atenção, nascidos em dezembro. Amanhã começa a última fase para o saque de contas inativas do FGTS.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E pra assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: Começou hoje na Alemanha a reunião de cúpula do G20, grupo que reúne as 19 maiores economias do mundo, mais a União Europeia.

 

Nasi: O presidente Michel Temer falou sobre os avanços da economia brasileira e também do compromisso do país com o meio ambiente.

 

Gabriela: O repórter João Pedro Neto está em Hamburgo acompanhando o evento e traz as informações ao vivo sobre a participação do Brasil. Boa noite, João Pedro.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Boa noite, Gabriela, boa noite, Nasi, boa noite aos ouvintes da Voz do Brasil. Olha só, o presidente chegou no início da manhã dessa sexta-feira, pelo horário local aqui, a Alemanha, pra cúpula do G20. Michel Temer e outros chefes de estado e de governo, como o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, da França Emanuel Macron, e da Rússia, Vladimir Putin, foram recebidos um a um pela anfitriã, a chanceler alemã Angela Merkel. Na agenda desse primeiro dia de reuniões, temas centrais do grupo, como comércio global, regulação financeira e meio ambiente. Agora há pouco, o presidente Michel Temer conversou com os jornalistas brasileiros e falou o que disse aos líderes mundiais.

 

Presidente Michel Temer: Eu fiz um relato do Brasil, referentemente à queda da inflação, referentemente também à volta do emprego, o emprego voltando com uma certa rapidez, de igual maneira as vendas, especialmente de veículos aumentando, né? Enfim, disse que nós tínhamos uma inflação de 10,7% que hoje, hoje precisamente está em 3,52%, não é?

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Michel Temer reafirmou aos líderes o compromisso do Brasil com o desenvolvimento sustentável e com o Acordo de Paris sobre a mudança do clima, isso ao lembrar o anúncio de mais recursos para o combate ao desmatamento na Amazônia. Segundo o presidente, o enfrentamento às mudanças climáticas só se dará de forma efetiva com o uso de novas fontes de energia. O terrorismo também foi assunto do encontro.

 

Presidente Michel Temer: Eu particularmente falei da tentativa de fazer com que as agências centrais de inteligência pudessem se conectar para trocar informações no combate ao terrorismo, né? E disse mais, que o terrorismo é coletivo, portanto organizado, mas há uma espécie de terrorismo hoje que é individual. A pessoa pratica uma espécie de gesto heroico, um gesto suicida, que também deve preocupar a todos.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): O grupo dos 20 produz mais de 80% das riquezas do planeta. Os países integrantes somam três quartos de todo o comércio internacional e concentram dois terços da população global. Antes da abertura do G20, Michel Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, participaram de reunião do BRICS, o grupo das principais economias em desenvolvimento do mundo, do qual fazem parte, além do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Eu acompanhei essa reunião e preparei um material sobre o assunto. Vamos ouvir.

 

No encontro, o presidente Michel Temer afirmou que o grupo se coloca como fator de estabilidade na economia internacional e disse ser importante que os países do BRICS se apresentem ao mundo de modo firme e coeso.

 

Presidente Michel Temer: O BRICS é exemplo do quanto se pode alcançar com disposição pragmática, na busca de resultados tangíveis, em favor do desenvolvimento, do bem estar de nossos povos. O novo Banco de Desenvolvimento e o Arranjo Contingente de Reservas mostram, de modo concreto, o que podemos fazer juntos.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que os países defendem maior abertura do comércio internacional.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Um tratado de livre comércio cada vez mais abrangente, visando propiciar acesso aos mercados de grande porte pelos emergentes, de maneira que empresas brasileiras, por exemplo, tenham várias oportunidades de exportação, gerando emprego no país.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Paralelamente à cúpula do G20, Michel Temer também manteve encontros com o presidente russo, Vladimir Putin, e também com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi. O presidente também se encontrou com o presidente argentino, Maurício Macri, acompanhado do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker. E neste sábado, o presidente deve participar de mais uma sessão de trabalho no G20 antes de embarcar de volta ao Brasil. De Hamburgo, na Alemanha, João Pedro Neto para a Voz do Brasil.

 

Nasi: A inflação no Brasil ficou negativa em junho. Isso quer dizer que, no geral, os preços caíram mais do que subiram.

 

Gabriela: A chamada deflação não ocorria no país desde 2006 e a repórter Natália Melo explica pra gente quais produtos e serviços tiveram queda nos preços e os reflexos disso para a população.

 

Repórter Natália Melo: Valnice Teixeira é nutricionista. Para ela, alimentos saudáveis não podem faltar em casa. Do mês passado pra cá, ela notou que muitos deles estão mais baratos no mercado.

 

Nutricionista - Valnice Teixeira: A maçã está mais barata, a banana, mamão teve uma queda, frutas em geral foi onde eu percebi. A gente compra mais, né, se está mais barato.

 

Repórter Natália Melo: Já Vicente Brito é comerciante. Trabalha com frutas, legumes e verduras. Ele conta que, no mês passado, o preço dos produtos deu um alívio para o bolso dos consumidores.

 

Comerciante - Vicente Brito: A batata, cebola, tomate, em geral, produtos de hortifruti e granjeiro bem, com preço ótimo, muito bom, barato até.

 

Repórter Natália Melo: E não foram só so alimentos que aliviaram as despesas. É o que mostra o IPCA o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, divulgado nesta sexta-feira pelo IBGE. O índice, que mede a inflação oficial no Brasil, ficou negativo em 0,23% em junho, na comparação com maio. Para o consumidor, isso significa que, no geral, os preços deixaram de subir ou caíram mais do que subiram. Além dos alimentos, transporte e habitação foram outros setores em que os preços mais tiveram queda. Combustíveis e as contas de luz também caíram de preço. É o que explica a coordenadora de índice de preço ao consumidor do IBGE, Eulina Nunes Santos.

 

Coordenadora - Eulina Nunes Santos: No caso dos alimentos, a safra recorde que o Brasil vai colher hoje teve uma influência muito grande, com oferta muito expressiva no país. Em habitação, a energia elétrica dessa vez veio com as contas em queda e, no caso dos transportes, a gasolina, o etanol, contribuíram para que as despesas ficassem um pouco menor.

 

Repórter Natália Melo: Com o índice de junho, a inflação nos primeiros seis meses do ano fechou em 1,18%, bem menos que os 4,42% registrados no mesmo período do ano passado. Para Eulina Nunes, o resultado traz uma melhora na situação da população.

 

Coordenadora - Eulina Nunes Santos: A inflação sempre é perversa e consome, diminui o poder aquisitivo das pessoas. Na medida em que ela deixa de subir, o dinheiro do brasileiro tende ou a se estabilizar ou a render um poço mais.

 

Repórter Natália Melo: Este é o primeiro resultado negativo em onze anos, e o mais baixo para junho desde o início do Plano Real, em 1994. Reportagem, Natália Melo.

 

Nasi: O governo vem tornando mais simples e modernos os processos e normas do agronegócio no país.

 

Gabriela: Tudo para facilitar a exportação e a geração de empregos e renda.

 

Nasi: Com o plano Agromais, o Brasil quer ampliar de 7% para 10% a participação do país no comércio agrícola mundial, nos próximos cinco anos.

 

Gabriela: E hoje mais um passo pra isso foi dado. Um grupo de empresários e representantes do governo do Japão esteve em São Paulo, de olho no aumento da compra de alimentos produzidos aqui e em investimentos para escoar a nossa produção.

 

Repórter José Luís Filho: O interesse nos produtos agrícolas brasileiros e as oportunidades de negócios no setor trouxeram investidores japoneses ao Brasil. O Japão é um dos nossos mais importantes e tradicionais parceiros. Nos primeiros seis meses deste ano vendemos mais produtos do que compramos dos japoneses, com saldo positivo de quase US$ 600 milhões. Contribuem para esse resultado produtos do agronegócio, como café, milho e frango, um desempenho que, segundo o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, o Brasil quer melhorar, com a venda de frutas, mas principalmente de carnes bovina e suína.

 

Ministro da Agricultura - Blairo Maggi: O que interessa ao Brasil é a ampliação dos nossos negócios. Eu acho que esse é um ambiente favorável a isso, porque além da retirada de pendências entre os dois países, da legislação de sanidade animal, vegetal, que sempre tem que estar ajustando, a liberação desses mercados e portanto, aí, os empresários brasileiros e japoneses precisam fazer negócio.

 

Repórter José Luís Filho: O vice-ministro da Agricultura, Silvicultura e Pesca do Japão, Kenichi Hosoda, confirmou o interesse no país em ampliar a compra de alimentos do Brasil, especialmente carnes. Negócios que podem ser concretizados num futuro próximo, com o avanço do controle sanitário que o Brasil vem realizando nas lavouras, pomares e rebanhos.

Mas outro tema, também ligado ao Agronegócio, motivou a vinda dos japoneses ao Brasil, as oportunidades na área de infraestrutura de transporte, principalmente os projetos de concessão de ferrovias e portos para o escoamento da produção agrícola. O secretário-adjunto do PPI, Programa de Parcerias de Investimentos do Governo Federal, Marco Aurélio de Barcelos Silva, apresentou aos investidores o Plano de Concessões de Ferrovias, como a norte-sul, um investimento de bilhões de reais que deve ajudar a escoar a produção de regiões como a do Matopiba, entre Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, considerada a mais nova fronteira agrícola do Brasil.

 

Secretário-adjunto do PPI - Marco Aurélio de Barcelos Silva: Hoje nós sabemos que o porto de Santos, ele tem já alguma saturação, mas há uma alternativa, buscada junto ao norte do país, nos portos que compõem o que a gente chama de Arco Norte. Então, a Ferrogrão e a Ferrovia Norte-Sul talvez seriam as joias da coroa em relação a essa região.

 

Repórter José Luís Filho: Segundo o presidente de uma multinacional japonesa com investimentos de US$ 10 bilhões dos metrôs de São Paulo, do Rio de Janeiro e também nos setores de armazenagem e transporte de grãos em Minas Gerais, São Paulo e no Porto de Santos, os novos projetos apresentados pelo governo estão sendo avaliados.

 

Investidor: Sempre nós estamos avaliando todas as oportunidades que existem aqui no Brasil, queremos crescer juntos.

 

Repórter José Luís Filho: Brasileiros e japoneses também discutiram parcerias em pesquisas para o desenvolvimento do Agronegócio por meio da Embrapa, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, e do Instituto [ininteligível] do Japão. Reportagem, José Luís Filho.

 

Nasi: Pequenos empreendedores brasileiros que moram no exterior vão ganhar uma ajuda do governo.

 

Gabriela: São manuais que explicam o que é exigido em cada país e o passo a passo até a empresa abrir as portas.

 

Repórter Mara Kenupp: São ao todo 16 manuais, que explicam como empreender no exterior. Eles foram apresentados pela ministra consular Luiza Lopes, no Palácio do Itamaraty, e trazem orientações para brasileiros residentes fora do Brasil que desejam começar ou melhorar algum empreendimento comercial.

 

Ministra Consular - Luiza Lopes: Pra abrir um empreendimento é preciso saber qual é a legislação fiscal. Como eu vou declarar imposto de renda? Quanto eu vou pagar? Quais são os deveres trabalhistas? Todos os tipos de legislação pra mercadorias migratórias...

 

Repórter Mara Kenupp: A subsecretaria das Comunidades Brasileiras no Exterior fez também um levantamento, para conhecer o perfil dos brasileiros empreendedores. De acordo com a pesquisa, os brasileiros costumam empreender no chamado mercado da saudade, aquele especializado em comercializar produtos nacionais que não são encontrados com facilidade no exterior, como feijão, pão de queijo, farinha, café. Um estudo identificou também que, nos Estados Unidos, cresce a cada ano o número de empresas brasileiras na área tecnológica. Elisson Velasco, que mora em São Francisco, acaba de abrir uma empresa de tecnologia na área da Saúde. Ele criou um aplicativo para reunir informações dos pacientes. Para Elisson Velasco, os manuais de como empreender serão muito bem-vindos.

 

Empresário - Elisson Velasco: Eu creio que, se eu tivesse em mãos esse guia quando eu abri minha empresa, eu estaria muito mais tranquilo e não teria enfrentado os desafios que eu enfrentei no começo.

 

Repórter Mara Kenupp: Já Windison Moreira, morador de Atlanta, é dono de uma empresa que vende pedras estilo mármore para cozinhas e banheiros, há um ano. Ele disse que a iniciativa dos manuais que orientam como empreender é importante e mais um meio para quem busca informações.

 

Empresário - Windison Moreira: Não havia antes um mapeamento dessa comunidade, alguma publicação que nos dissesse como é que se formou essa comunidade, qual a sua origem, estão engajados em que atividade? E esse trabalho, ele cobre isso tudo.

 

Repórter Mara Kenupp: O trabalho foi elaborado com base nas informações dos consulados. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Nasi: Para ter acesso aos três manuais, basta acessar a página do Ministério das Relações Exteriores, na internet, no endereço mre.gov.br.

 

Gabriela: 19h16 em Brasília.

 

Nasi: Amanhã é dia de saque do FGTS de contas inativas para nascidos em dezembro.

 

Gabriela: Daqui a pouco, vamos detalhar pra você quem tem direito e como retirar o dinheiro.

 

Nasi: Atenção, roteiristas e diretores, blogueiros, produtores e pessoal da internet.

 

Gabriela: Cinco editais de audiovisual foram lançados hoje pelo Ministério da Cultura. Eles vão selecionar vídeos que vão receber incentivo para produção.

 

Repórter Cleide Lopes: O cineasta Alan Schvarsberg tem dois curtas-metragens no mercado. O último filme,

"Ninguém nasce no Paraíso", rodado em Fernando de Noronha, trata de uma questão social que é a proibição de partos no arquipélago. Produzido com financiamento do Ministério da Cultura. Para o cineasta, eles representam o principal incentivo para a produção de cultura no país.

 

Cineasta - Alan Schvarsberg: É difícil você hoje conseguir captar recursos financeiros sem que haja um aporte considerável dos editais, dos financiamentos públicos, né?

 

Repórter Cleide Lopes: E nesta sexta-feira, cinco novos editais para o setor audiovisual foram lançados pelo Ministério da Cultura. A ideia dos cinco editais é valorizar novos talentos e atender as demandas do mercado para a produção cultural de novas mídias. E, pela primeira vez, um edital vai financiar projetos de jovens que produzem vídeos para a internet, com R$ 50 mil para cada um. Outro edital, também inédito, é para produção de 40 aplicativos e jogos eletrônicos, no valor de R$ 20 mil para cada projeto, como explica a secretária de Audiovisual do Ministério da Cultura, Mariana Ribas.

 

Secretária de Audiovisual - Mariana Ribas: A gente recebe muita reclamação do jovem: "Poxa, eu não tenho empresa, eu sou pessoa física, não posso me inscrever, é difícil concorrer com quem já está no mercado." Então, esses dois editais, eles vêm justamente pra gente começar a inserir essa galera mais jovem, né, dentro desses processos de seleção.

 

Repórter Cleide Lopes: Os editais fazem parte do Programa Nacional de Fomento do Audiovisual, que vai contemplar também as seleções já tradicionais de curta-metragem e de roteiro. As inscrições podem ser feitas até o dia 21 de agosto, no endereço sistemas.cultura.gov.br/propostaweb. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: Amanhã mais de 2 mil agências da Caixa Econômica Federal vão abrir as portas, para atender trabalhadores que têm direito ao saque do FGTS de contas inativas.

 

Gabriela: É que começa a última etapa do calendário, ou seja, é a vez dos nascidos em dezembro retirarem o dinheiro.

 

Repórter João Pedro Neto: Comprar um computador novo ou consertar o antigo? A publicitária Caroline Fonseca, de Brasília, quer investir o dinheiro que tem em contas inativas do FGTS em um equipamento que usa para o trabalho. Nascida em dezembro, ela pode sacar o saldo das contas inativas do Fundo de Garantia no último lote, que teve o início do pagamento antecipado pela Caixa para este sábado.

 

Publicitária - Caroline Fonseca: Já é um adianto, né, assim, pra quem está sem, ter R$ 1.800 já é uma coisinha boa, né?

 

Repórter João Pedro Neto: O valor total disponível pra saque nesse último lote é de mais de R$ 3,5 bilhões e mais de 2,5 milhões de trabalhadores têm direito ao saque. Com a antecipação, assim como a Caroline, os trabalhadores nascidos em dezembro, com direito ao saque, agora têm 24 dias e não mais 18 para retirar o dinheiro. É o que explica a vice-presidente de Fundos de Governo da Caixa Econômica Federal, Deusdina dos Reis Pereira.

 

Vice-presidente de Fundos de Govenro - Deusdina dos Reis Pereira: Mais tempo para que esses trabalhadores possam sacar as suas contas do FGTS. Estamos abrindo, vamos abrir no sábado das 9h às 15h e também na segunda-feira, dia 10, duas horas mais cedo para atendimento e pagamento exclusivo das contas inativas do FGTS.

 

Repórter João Pedro Neto: O prazo final para saque das contas inativas vai até o dia 31 de julho, inclusive pra quem nasceu em outro período do ano e ainda não retirou o dinheiro. Deusdina dos Reis afirma que, se o trabalhador não fizer o saque até a data limite, o valor volta pra conta do FGTS e a pessoa só poderá retirar o dinheiro nas condições previstas em lei.

 

Vice-presidente de Fundos de Govenro - Deusdina dos Reis Pereira: Existem 17 hipóteses de saque. Esse recurso, voltando pra conta do FGTS, o trabalhador poderá sacá-lo, por exemplo, numa eventual demissão sem justa causa, por uma eventual doença grave, também para habitação.

 

Repórter João Pedro Neto: Até o final do prazo de pagamento em todas as etapas, o valor pago deve superar os R$ 40 bilhões inicialmente previstos. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Nasi: Sonhar em ser um famoso jogador de futebol, famoso, rico e com muitos fãs.

 

Gabriela: É, Nasi, esse é o sonho de muitas crianças brasileiras.

 

Nasi: E são eles, os sonhos, que muitas vezes fazem um jovem esquecer as dificuldades e focar nos desejos de um futuro melhor.

 

Gabriela: E com esse objetivo, o projeto Craques do Amanhã trabalha com meninos e meninas cariocas. A repórter Natália Melo foi lá conferir.

 

Repórter Natália Melo: O período é de férias escolares, mas a criançada não quer saber de moleza. Quem sonha em ser jogador de futebol não pode parar. O Craques do Amanhã, em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, trabalha desde 2012 para ajudar a tornar realidade esse sonho, uma iniciativa que vai muito além do futebol, segundo o coordenador do projeto, Felipe Soares.

 

Coordenador do Craques do Amanhã - Felipe Soares: Isso mostra pra eles que existem diversas oportunidades além a do futebol. Nós temos psicólogo, assistente social, um coordenador pedagógico, encaminhamento pra cursos profissionalizantes, projeto Jovem Aprendiz, além das atividades esportivas.

 

Repórter Natália Melo: Para Tauan Alves, de 12 anos, beneficiado pelo programa, o Craques do Amanhã é um espaço onde os desejos ficam mais próximos de se realizar.

 

Entrevistado - Tauan Alves: Jogo, brinco, sorrio, conversa, minha tristeza aqui que é minha alegria, aqui é onde eu jogo bola e aqui é onde eu vou, eu tenho certeza, que é onde que eu vou realizar o meu sonho de ser um jogador de futebol.

 

Repórter Natália Melo: Ana Beatriz Xavier, aluna do programa, lembra dos benefícios do esporte para a saúde.

 

Entrevistada - Ana Beatriz Xavier: É uma coisa que faz bem pra saúde e pra gente também poder se divertir. E ser uma coisa pra fazer durante a semana, sem ser da escola pra casa todo dia.

 

Repórter Natália Melo: E nesta semana, o projeto completou cinco anos, com programação especial. Para celebrar, teve visita surpresa dos jogadores do Vasco da Gama. Nenê e Iago Pikachu fizeram a criançada vibrar. Até Tauan, que nem vascaíno é, fez questão de abraçar o jogador.

 

Entrevistado - Tauan Alves: Muito legal, que assim nos ajuda a aprender que, mesmo sendo de outro time, nos ama mesmo assim. A gente deve tratar com muita educação.

 

Repórter Natália Melo: E teve brinde e camiseta autografada, e palestra para os alunos. O jogador Nenê, que se identificou com as histórias dos pequenos sonhadores, elogiou o projeto.

 

Jogador - Nenê: É uma alegria muito grande, né? Como eu disse, é uma coisa que não tem preço, você estar servindo de inspiração pras crianças, exemplo. E eu parabenizo muito a todo o pessoal do Craques do Amanhã.

 

Repórter Natália Melo: O Craques do Amanhã conta com recursos da lei do incentivo ao esporte, do Governo Federal, e tem hoje 200 alunos de escolas públicas e em situação de vulnerabilidade. Além do futebol, tem atividades com a família, para educação integral dos jovens, e formação dos cidadãos. Reportagem, Natália Melo.

 

Gabriela: 19h24 em Brasília.

 

Nasi: Até o início do ano que vem, parte da população do Ceará começa a receber as águas do Rio São Francisco, aliviando os riscos de falta de água em cidades do estado.

 

Gabriela: As obras do eixo norte da transposição foram retomadas a menos de duas semanas. Hoje, o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, acompanhou de perto o andamento dos trabalhos no estado.

 

Ministro da Integração Nacional - Hélder Barbalho: Uma determinação do governo federal de, o mais rápido possível, fazer com que as águas do Rio São Francisco possam abastecer o estado do Ceará, abastecer Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, no esforço de garantir a estruturação de ações que possam permitir, para esses brasileiros, o acesso à água de qualidade, à água firme. O eixo leste já foi entregue e agora o eixo norte, a todo vapor, para assegurar qualidade de vida para os brasileiros.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite e um bom fim de semana.

 

Nasi: Boa noite pra você e até segunda.

 

"Brasil, ordem e progresso."