07 de novembro de 2018 - Poder Executivo

Destaques da Voz do Brasil: Presidente Michel Temer e presidente eleito Jair Bolsonaro têm primeira reunião de transição de governo no Palácio do Planalto. Temer afirma que vai colaborar de forma intensa com o próximo governo e diz que é hora de unir o país. E presidente eleito diz que juntos podem dar continuidade aos projetos de interesse do país. Produção e venda de veículos continua crescendo este ano. Energia limpa e que agride menos o meio ambiente. País tem aumento na produção de biodiesel e no consumo de etanol.

audio/mpeg 07-11-18-VOZ DO BRASIL - valeesta.mp3 — 46837 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá boa noite.




Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.




Gabriela: Quarta-feira, 7 de novembro de 2018.




Nasi: E vamos ao destaque do dia. Presidente Michel Temer e presidente eleito Jair Bolsonaro têm primeira reunião de transição de governo no Palácio do Planalto.




Gabriela: Temer afirma que vai colaborar de forma intensa com o próximo governo e diz que é que de unir o país.




Presidente Michel Temer: Já não é mais o momento político eleitoral, em que havia controvérsias, mas o momento político administrativo em que todos os brasileiros devem unir-se, irmanar-se, dar-se as mãos para a prosperidade do Brasil.




Nasi: E o presidente eleito diz que, juntos, podem dar continuidade aos projetos de interesse do Brasil.




Presidente eleito Jair Bolsonaro: Para que, juntos, possamos fazer uma transição de modo que os projetos de interesse do nosso Brasil continue fluindo dentro da normalidade.




Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.




Nasi: Produção e venda de veículos continua crescente este ano. Luana Karen.




Repórter Luana Karen: Segundo o ministro de Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, os números são resultado de cooperação entre governo e iniciativa privada.




Gabriela: Energia limpa e que agride menos o meio ambiente. País tem aumento na produção de biodiesel e no consumo de etanol. Graziela Mendonça.




Repórter Graziela Mendonça: Nos últimos oito meses, esse crescimento foi de 14%, e o Brasil é destaque na produção desse combustível. Já somos o segundo maior produtor de etanol do mundo.




Nasi: Hoje, na apresentação de Voz do Brasil, Graziela Mendes e Nasi Brum.




Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .




Nasi: E o presidente Michel Temer se reuniu hoje com presidente eleito Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto.




Gabriela: O tema principal da conversa foi a transição de governo.




Nasi: Temer entregou a Bolsonaro um balanço do que foi feito pelo governo nos últimos dois anos e um documento com linhas gerais para o desenvolvimento do país no período de 12 anos.




Repórter Danielle Popov: A audiência com o presidente Michel Temer foi um pedido do presidente eleito. Jair Bolsonaro afirmou que Temer está disposto a colaborar com o novo governo no que for possível, e disse que pretende se encontrar com o presidente outras vezes.




Presidente eleito Jair Bolsonaro: Conversamos sobre vários assuntos, entre eles, obviamente, a governabilidade, o final de seu governo, e ele está disposto a colaborar conosco no que for possível nesses últimos dias de 2018. Da minha parte também. O procurarei mais vezes até o final do ano, para que, juntos, possamos fazer uma transição de modo que os projetos de interesse do nosso Brasil continue fluindo dentro da normalidade.




Repórter Danielle Popov: O presidente Michel Temer disse que entregou a Bolsonaro um resumo do que foi feito pelo governo, entre 2016 e 2018. Temer entregou também o arquivo com todos os dados de governo e um documento com diretrizes para o desenvolvimento do Brasil até 2031. O presidente se dispôs, ainda, a trabalhar para aprovar projetos de interesse no novo governo que estejam em análise do Congresso.




Presidente Michel Temer: Nós estamos aqui dispostos, naturalmente a colaborar intensamente. E até pedi a Sua Excelência, o presidente eleito, que nos mandasse eventuais projetos que ainda estejam em andamento na Câmara e no Senado sobre os quais haja interesse de que ainda agora, se possa aprová-los. Se for assim, nós envidaremos todos os esforços para esta aprovação.




Repórter Danielle Popov: Michel Temer também convidou Bolsonaro para acompanhar a comitiva do governo em viagens internacionais programadas para este ano, como, por exemplo, a cúpula do G20, que será realizada em Buenos Aires, Argentina, no final deste mês. Reportagem, Danielle Popov.




Gabriela: E o dia do presidente eleito foi de agenda cheia.




Nasi: Além do encontro com o presidente Michel Temer, Jair Bolsonaro se reuniu com oficiais da Aeronáutica e foi a Supremo Tribunal Federal.




Gabriela: O futuro presidente defendeu a união dos poderes para enfrentar desafios, especialmente o combate à violência.




Repórter Márcia Fernandes: Logo cedo, o presidente eleito Jair Bolsonaro foi ao comando de Aeronáutica para um café de manhã com o comandante da Força, o tenente-brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, e outros oficiais. Na saída, Bolsonaro falou da visita de cortesia e pautas de interesse da Força Aérea, como a Base de Alcântara, no Maranhão, para lançamento de foguetes. Ao conversar com jornalistas, também falou da reforma da Previdência. Segundo ele, é preciso avançar.




Presidente eleito Jair Bolsonaro: Alguma coisa temos que avançar, o que nós queremos é votar alguma coisa no corrente ano.




Repórter Márcia Fernandes: Jair Bolsonaro também esteve em um encontro com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, que falou de três grandes prioridades para o Brasil: a reforma de Previdência, o equilíbrio fiscal e a segurança pública. Toffoli também defendeu a união dos três poderes para o desenvolvimento do país.




Presidente do STF - Dias Toffoli: Estamos abertos a esse diálogo institucional. E, da nossa parte, nós estamos abertos a discutir um novo pacto republicano que enfrente esses três desafios.




Repórter Márcia Fernandes: O presidente eleito Jair Bolsonaro concordou em construir este diálogo, para, juntos, buscar as melhores soluções para o Brasil.




Presidente eleito Jair Bolsonaro: E nós temos sim, que solucionar o mais rápido possível a questão fiscal, a questão previdenciária e aquela que, todo dia bate à porta de muitos brasileiros, a questão da segurança. E dizer que, juntos, buscaremos soluções para o Brasil e trazer a felicidade que o nosso povo tanto merece.




Repórter Márcia Fernandes: Jair Bolsonaro também esteve no local onde a equipe de transição trabalha em Brasília e se encontrou com o indico para assumir o Ministério da Justiça, o juiz Sergio Moro. Eles seguiram juntos para o STJ, o Superior Tribunal de Justiça, para um almoço com o presidente da Corte, o ministro João Otávio de Noronha. Reportagem Márcia Fernandes.




Nasi: E dentro da transição de governo, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, e o futuro ministro de Justiça, Sergio Moro, se reuniram hoje.




Gabriela: Jungmann fez uma exposição sobre o ministério e as principais ações desenvolvidas na pasta.




Repórter Gabriela Noronha: Foram cerca de três horas de reunião, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, passou informações sobre a estrutura da pasta ao juiz Sergio Moro, que comandará a pasta de Justiça e da Segurança no governo Bolsonaro. Raul Jungmann afirmou ter colocado o ministério à disposição de equipe de Moro e falou sobre as ações desenvolvidas pelo governo na área de segurança, como a edição de uma medida provisória que redistribui recursos de loterias e que pode injetar, este ano, mais de R$ 1 bilhão nas ações de segurança.




Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Fizemos uma exposição sobre o ministério, a criação do ministério, a criação do Sistema Único de Segurança Pública, a Política Nacional de Segurança Pública e os recursos, sejam do BNDES, sejam também os recursos de Medida Provisória nº 486, que redistribui recursos das loterias esportivas para a Segurança Pública. De sorte que a Segurança Pública, hoje, passa a ter um sistema, passa a ter uma política que não tinha anteriormente, e também recursos carimbados e previsíveis.




Repórter Gabriela Noronha: O futuro ministro, Sergio Moro, afirmou estar se preparando para assumir a função e reconheceu a importância das medidas tomadas pelo atual governo na área de segurança pública.




Futuro ministro da Justiça - Sérgio Moro: As ações no curto período de gestão de ministro Jungmann foram muito importantes para a segurança pública. O Governo Federal assumir uma responsabilidade maior nesse setor muito demandante da ação, da força do Governo Federal, e igualmente a restruturação financeira do setor. Sem recursos não é possível desenvolver projeto, desenvolver políticas públicas.




Repórter Gabriela Noronha: Também participaram da reunião, os responsáveis pelas principais áreas da Pasta, como a Polícia Federal e a Secretaria Nacional de Segurança Pública, que fizeram apresentações sobre o trabalho desses setores. Reportagem, Gabriela Noronha.




Nasi: Está na Constituição: "Todo cidadão tem o direito de ter acesso à Justiça".




Gabriela: E para aqueles que não podem pagar um advogado em ações judiciais, o governo garante assistência jurídica de graça com a Defensoria Pública.




Nasi: Hoje, o presidente Michel Temer deu posse ao defensor público-geral federal e destacou o trabalho social destes profissionais na defesa dos interesses das pessoas.




Repórter Luciana Collares de Holanda: Gabriel Faria Oliveira foi escolhido pelo presidente Michel Temer, a partir de uma lista com três nomes mais votados pelos próprios integrantes da Defensoria Pública da União. Ele foi o que teve o maior número de votos. E, para assumir, teve que passear por sabatina no Senado. Atualmente, a Defensoria Pública da União, a DPU, conta 627 defensores. Só no ano passado, foram realizados 1,8 milhão atendimentos. E o desafio agora, segundo o novo defensor público-geral da União, é ampliar ainda mais o acesso à assistência jurídica de graça em todo o país.




Defensor público-geral da União - Gabriel Faria Oliveira: A nossa Constituição estabeleceu assistência jurídica integral e gratuita como um dos direitos individuais e fundamentais do nosso Estado de Direito, para quê? Para que a uma pessoa que não tenha condições de pagar possa ter o acesso à Justiça e faça parte da nossa democracia.




Repórter Luciana Collares de Holanda: Na cerimônia de posse, o presidente Michel Temer destacou as ações sociais promovidas pelo governo, como os reajustes do programa Bolsa Família e a inserção social feita pelo Plano Progredir, que já inseriu mais de 230 mil jovens no mercado de trabalho. Temer falou também sobre a inclusão social promovida pela Defensoria Pública.




Presidente Michel Temer: O que faz a Defensoria Pública é precisamente buscar uma certa harmonia, buscar o fim da litigiosidade, e basicamente, a proteção daqueles que, economicamente, não podem contratar o advogado. Ela tem o exercício que é de natureza social, porque ela vai buscar acolher exatamente aqueles que não têm o acesso, não podem ter o acesso direto ao Poder Judiciário.




Repórter Luciana Collares de Holanda: O defensor público-geral federal é a autoridade máxima da Defensoria Pública da União, e tem mandato de dois anos, com a possibilidade da recondução. Reportagem, Luciana Collares de Holanda.




Gabriela: Você vai ouvir ainda nesta edição que a produção e venda de carros e máquinas agrícolas continuam a crescer este ano.




Nasi: Resultado que também tem levado ao aumento do consumo de etanol.




"A primeira etapa já foi, agora é a vez da ciências da natureza e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias. Dia 11 de novembro tem a segunda etapa do Enem. E na sexta-feira, dia 9, a TV NBR e a TV Escola trazem, mais uma vez, para você, um supertime de professores no Aulão do Enem. Tem dúvida sobre o que vai cair na prova? Mande pelo WhatsApp (61) 99867-8787. Não perca, segundo Aulão do Enem, dia 9, as 5h da tarde. Transmissão ao vivo pela TV NBR, pelo Youtube da NBR, redes sociais da TV Escola ou pelo site redenacionalderadio.com.br".




Gabriela: E você ouviu esta semana, aqui na voz de Brasil, que cerca de 1,3 mil estudantes não puderam fazer as provas do primeiro dia do Enem por falta de energia elétrica.




Nasi: E a dúvida do Minuto Enem de hoje é justamente sobre esse assunto.




Gabriela: O Thiago Gonçalves quer saber em quais situações é possível pedir a reaplicação da prova.




Nasi: E quem responde é a diretora de avaliação e educação básica do Inep, Luana Soares.




"Minuto Enem".




Candidato - Tiago Gonçalves: Em que caso será possível a solicitação de reaplicação do Enem?




Diretora de Avaliação e Educação Básica do Inep - Luana Soares: Pessoal, essa é uma novidade muito importante da edição 2018 do Enem. As pessoas que passarem por problemas graves de aplicação, que tenham suspendido a realização das provas, vão poder solicitar uma nova realização de provas, mas veja, não são quaisquer casos. De acordo com o nosso edital, todos os casos de queda de energia, por exemplo, que tenham suspendido a aplicação, ou fenômenos naturais, ou quaisquer situações de força maior, vão dar o direito ao participante solicitar uma nova aplicação. E as solicitações devem ser realizadas pela página do participante, no período de 12 de novembro a 19 de novembro, todos os pedidos serão analisados pelo Inep de forma criteriosa.




"Minuto Enem".

 

Gabriela: A indústria automotiva do país tem apresentado bons resultados ao longo deste ano.

 

Nasi: A produção de carros e máquinas agrícolas já cresceu mais de 10% de janeiro até outubro, em relação ao mesmo período do ano passado.




Gabriela: E a expectativa do governo é que esse bom desempenho continue, com o Rota 2030, programa de estímulo ao setor.




Repórter Luana Karen: A produção de veículos de passeio e caminhonetes cresceu quase 10% de janeiro a outubro deste ano, comparado ao mesmo período do ano passado. A produção de máquinas agrícolas e rodoviárias também teve resultado positivo, com crescimento de quase 15% no acumulado de 2018, comparado ao mesmo período de 2017. Outro número positivo foi o de carros licenciados em outubro deste ano, um aumento de 19,4% em relação a setembro de 2018 e de mais de 25% em relação a outubro de 2017. De acordo com o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Antônio Carlos Megale, foi o melhor resultado para o mês de outubro desde 2014.




Presidente da Anfavea - Antônio Carlos Megale: As pessoas que adiaram um pouco a troca de seus veículos agora estão resolvendo fazer essa compra e isso está acontecendo, o melhor mês, desde dezembro de 2014. Então mostra que gradualmente o mercado está crescendo, nitidamente a recessão nos parece que ficou para trás, a economia está trazendo números positivos.




Repórter Luana Karen: O governo também comemorou. Segundo o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, os números são resultado da cooperação entre governo e iniciativa privada. A expectativa agora é com a aprovação do programa de estímulo à indústria automotiva, Rota 2030, pelo Congresso Nacional, que pode elevar os investimentos em pesquisas e desenvolvimento no país.




Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - Marcos Jorge: O Rota 2030, que está trazendo previsibilidade ao setor, uma vez que se consolida como uma política já definida para os próximos 15 anos, está trazendo também eficiência energética e, portanto, está focado também em toda a discussão ambiental, de menor emissão de gases poluentes, enfim, mais segurança veicular entre outros benefícios que farão com que a população tenha acesso a carros cada vez mais modernos e integrados às discussões que estão presentes hoje no mundo inteiro.




Repórter Luana Karen: O Rota 2030 foi lançado em julho deste ano pelo governo federal, o programa traz metas de redução de poluentes para produção de automóveis nos próximos anos e também tem estímulos para empresas que investirem em pesquisa e desenvolvimento de tecnologias no país. Reportagem, Luana Karen.




Nasi: E o aumento na produção e venda de carros tem levado ao crescimento no consumo do etanol, o álcool combustível.




Gabriela: O Brasil é destaque na fabricação deste combustível limpo e que agride menos o meio ambiente.




Nasi: Além dos benefícios ambientais, abastecer com etanol também faz diferença no bolso.




Gabriela: Segundo o levantamento feito pela ANP, encher o tanque com álcool está mais vantajoso nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Goiás e Paraná.




Repórter Graziela Mendonça: Álcool ou gasolina? O que sai mais barato? Essa é a pergunta que muitos motoristas se fazem na hora de abastecer o carro. Em Belém, no Pará, o empresário Charles Lima sempre compara os preços.




Empresário - Charles Lima: Dou uma olhada quando eu chego, quando vou me aproximando do posto, eu olho para o preço da gasolina e dou logo uma olhada no preço do álcool.




Repórter Graziela Mendonça: Na Região Norte, a gasolina atualmente é mais vantajosa financeiramente, mas em outros estados brasileiros abastecer com álcool está compensando para os motoristas. É o caso de Minas Gerais, no Sudeste do país. O advogado Renato Coelho, de Patrocínio, conta que desde o início do ano está optando pelo etanol.




Advogado - Renato Coelho: Eu ando direto e estou vendo poucos centavos no final faz a diferença no final do mês, entendeu?




Repórter Graziela Mendonça: E o consumo de etanol automotivo vem crescendo no país. Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, nos últimos oito meses esse crescimento foi de 14% e o Brasil é destaque na produção desse combustível, já somos o segundo maior produtor de etanol do mundo. O álcool é mais limpo e agride menos o meio ambiente do que a gasolina. Essa é uma das preocupações do analista Leandro Ianczyk, de Curitiba, Paraná, na hora de abastecer.




Analista - Leandro Ianczyk: Se for naquela tradicional conta de menos 80%, eu tento utilizar o álcool, mas eu também acho que se tiver elas por elas, vendo o custo-benefício, digamos, eu acho que tem um benefício maior o álcool também por ser um combustível mais limpo.




Repórter Graziela Mendonça: A bibliotecária Amanda Evangelista mora em Brasília, no Distrito Federal, onde a gasolina ainda é mais vantajosa, mas por poucos centavos, ela conta que essa semana resolveu fazer um teste com etanol para ver o rendimento do carro.




Bibliotecária - Amanda Evangelista: Resolvi fazer um teste e abastecer com etanol, estou vendo se eu consigo pagar um valor X e rodar mais.




Repórter Graziela Mendonça: Para o servidor Rafael Moreira, de Aracaju, Sergipe, o álcool está ficando mais atraente para o bolso.




Servidor - Rafael Moreira: Está valendo mais a pena você colocar álcool, porque o preço do álcool está em média entre 65 e 69% da gasolina.




Repórter Graziela Mendonça: Além do aumento no consumo de etanol, o boletim da ANP mostrou um aumento na produção de biodiesel no país, que pode ser usado em veículos com motores a diesel, como caminhões e ônibus, por exemplo. No Brasil, as fontes renováveis de energia já representam 43% da matriz energética, a meta do governo é chegar a 44% até o final de 2018. Reportagem: Graziela Mendonça.




Nasi: Um acidente que impactou o meio ambiente e a vida de milhares de famílias.




Gabriela: Desde o rompimento da barragem de rejeitos de mineração de Fundão, em Mariana, Minas Gerais, muito tem sido feito para devolver às famílias afetadas a vida que tinham antes da tragédia.




Nasi: E na nossa terceira reportagem especial sobre os três anos do acidente, a repórter Taíssa Dias reencontra algumas das famílias afetadas e conta o que mudou na vida delas durante esse período.




Repórter Taíssa Dias: Cidade histórica, memória da religiosidade traduzida na arquitetura do Barroco mineiro. A zona urbana do município fica distante da área impactada pela lama que vazou da barragem rompida de Fundão, da mineradora Samarco, mas nos últimos três anos se tornou a casa de diversas famílias que viviam nas áreas atingidas e perderam tudo, no maior desastre da mineração no país. A feira se tornou o novo ponto de vendas da cozinheira Sandra Quintão, que perdeu o bar e a casa em Bento Rodrigues, distrito mais atingido pela lama de rejeitos. Em 2015, quando estive em Mariana pouco depois do rompimento da barragem, ela usava a cozinha cedida por um hotel da cidade para continuar trabalhando. Ela conta que depois disso recebeu apoio local e a coxinha mais famosa de Bento conquistou nova clientela.




Cozinheira - Sandra Quintão: Fui para a feira com minhas coxinhas e começou o pessoal a degustar das coxinhas, aprovar o tempero.




Repórter Taíssa Dias: Em 2015, também conheci a família de Romeu e Iracema de Oliveira, do hotel em que estavam três anos atrás, eles se mudaram para uma casa alugada pela Fundação Renova, responsável por reparar os danos do desastre. A família recebe um auxílio mensal pago às pessoas atingidas. Segundo a Fundação Renova, mais de 10 mil famílias são assistidas pelo programa de auxílio financeiro emergencial, mas a vida da família de Romeu, que hoje trabalha como encarregado de uma empresa, mudou bastante.




Encarregado - Romeu: Primeiro veio o auxílio financeiro, que é esse cartão que a gente recebe hoje, e depois adiantamento de indenização, que foi 20 mil descontando 10 e 10 vai descontar na indenização nossa futura.




Repórter Taíssa Dias: Iracema fez da tristeza um ponto de partida, um ponto com linhas e agulhas. Em 2015, ela revelou uma de suas maiores perdas para a lama, a máquina de costura que usava para confeccionar roupas para a filha e pessoas próximas. Pouco depois do desastre, ganhou uma nova, fez cursos para aprender mais e mostra que comprou outras duas.




Entrevistada - Iracema: Agora já estou costurando bem, eu já corto, já costuro, já faço tudo, começando a trabalhar bastante.




Repórter Taíssa Dias: Muita gente na zona rural, ao longo da Bacia do Rio Doce, não perdeu a casa, mas teve a produção agropecuária interrompida, é o caso do produtor Mário Antônio Coelho, no município de Barra Longa, em Minas Gerais. A plantação na beira do rio foi inundada, agora a Fundação Renova está refazendo o que foi perdido e o Mário lista o que já foi feito.




Produtor - Mário Antônio Coelho: É, a água 'encercou' as APPs das nascentes, hoje começou a fazer um mata-burro da divisa, já vem fazendo.




Repórter Taíssa Dias: A propriedade do Mário é uma das 25 em que a Renova está desenvolvendo o projeto Renovando Paisagens, em parceria com o WRI, uma organização da sociedade civil. Claudio Pontes, especialista em florestas da instituição, explica o trabalho na fazenda do Mário.




Especialista em florestas da WRI - Claudio Pontes: Através de uma cerca elétrica. Gado, ele fica confinado por um tempo nesse quadrado, com isso, você respeita o tempo do pasto, você evita com que ele seja degradado.




Repórter Taíssa Dias: Outro programa que beneficia a propriedade do Mário é o Renova Rebanho, voltado para aumentar a produtividade do gado nas fazendas atingidas a partir do melhoramento genético. Segundo a líder de operações agroflorestais da fundação, Camila Toledo, de janeiro a setembro foram feitas 502 inseminações e 231 filhotes estão prestes a nascer.




Líder de operações agroflorestais da WRI - Camila Toledo: A gente elaborou um plano junto com a Emater, que a gente chama de Pasea, Plano de Adequação Social, Econômica e Ambiental, esse plano, ele nos norteia quais são as atividades que a gente vai executar em cima de cada propriedade.




Repórter Taíssa Dias: Pelo menos 197 Paseas foram emitidos segundo dados do Ibama e 207 avaliações de sustentabilidade foram realizadas para 236 propriedades. Reportagem, Taíssa Dias.




Gabriela: E essas foram as notícias do governo federal.




Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.




Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.




Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Gabriela: Boa noite para você e até amanhã.




"Brasil, ordem e progresso".