08 DE FEVEREIRO DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Agência Nacional de Mineração determina retirada de moradores de áreas próximas a barragens em duas cidades de Minas Gerais. Medida foi tomada para prevenir acidentes. Criança Feliz vai ampliar atendimentos. Governo envia comitiva para acompanhar atendimento às vítimas do incêndio no centro de treinamento do Flamengo, no Rio de Janeiro.

audio/mpeg 08.02.19.mp3 — 46899 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Agência Nacional de Mineração determina retirada da moradores de áreas próximas a barragens em duas cidades de Minas Gerais.

 

Gabriela: Medida foi tomada para prevenir acidentes.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Criança Feliz vai ampliar atendimentos. Carolina Graziadei.

 

Repórter Carolina Graziadei: Mais de 370 mil crianças poderão ser beneficiadas com a ampliação do atendimento para as famílias inscritas no Cadastro Único para programas sociais do Governo Federal.

 

Nasi: Governo envia comitiva para acompanhar atendimento às vítimas do incêndio no centro de treinamento do Flamengo, no Rio de Janeiro. Eduardo Biagini.

 

Repórter Eduardo Biagini: E o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos disponibilizou um canal específico no Disque 100 para denúncias referentes a alojamento e centros de treinamento.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Gabriela: Cerca de 650 moradores de localidades próximas a duas barragens em Minas Gerais foram orientados a deixar as residências na madrugada desta sexta-feira.

 

Nasi: Forem acionadas as sirenes que alertam sobre riscos nas barragens localizadas em Barão de Cocais e em Itatiaiuçu.

 

Gabriela: A medida foi determinada pela Agência Nacional de Mineração, depois que empresas terceirizadas realizaram inspeção nos locais e não atestaram a estabilidade das barragens.

 

Nasi: A decisão foi tomada para proteger os moradores da área, que poderia ser atingida pela inundação em caso do rompimento da barragem.

 

Gabriela: O diretor da Agência Nacional de Mineração, Eduardo Leão, explica que a medida é para prevenir acidentes.

 

Diretor da Agência Na Nacional de Mineração - Eduardo Leão: Para precaução da população que mora abaixo dessa barragem, então, para não ocorrer a mesma coisa de Brumadinho, o mesmo corrido em Mariana, decidiu-se por dar o sinal de alerta de emergência, de acordo com o plano de emergência, para fazer a evacuação dessas famílias. A barragem não apresenta nenhum dano aparente, é só realmente uma compensação de estabilidade, uma pressão, alguma coisa que tem que ser mais avaliada. Estou com equipe de campo hoje lá avaliando isso, para apontar o que está acontecendo com a estabilidade, que está um pouco alterada. Então, é praticamente precaução.

 

Nasi: E o prefeito de Barão de Cocais, Décio dos Santos, disse que na cidade o trabalho de retirar as famílias das casas começou ainda na madrugada.

 

Gabriela: Segundo ele, as pessoas removidas foram acomodadas inicialmente num ginásio de esportes e levadas depois para hotéis da região.

 

Nasi: Mas o prefeito informou que alguns moradores não quiseram sair de casa.

 

Prefeito de Barão de Cocais - Décio dos Santos: Essa sirene foi num distrito, um povoado que fica um pouquinho distante da cidade mesmo, do centro da cidade. Nós já conseguimos tirar todas as pessoas da zona de alto salvamento, isso que é importante. Então, se acontecer o pior, se houver o rompimento barragem, nós tiramos praticamente todas as pessoas da zona de alto salvamento. Só não tiramos todas as pessoas porque tem pessoas que estão lá ainda resistentes, não querendo sair. Mas a Polícia Militar, junto com a Defesa Civil, junto também com a Assistência Social está tentando tirar essas pessoas. São poucas pessoas agora.

 

Gabriela: Equipes e fiscais da Agência Nacional de Mineração estão nas duas cidades.

 

Nasi: Eles fazem vistorias e propõem medidas que garantam estabilidade às barragens.

 

Gabriela: A Agência Nacional de Águas, a ANA, vai dar prioridade à fiscalização de 52 estruturas até o fim de maio.

 

Nasi: Nesse grupo são três barragens que têm comprometimentos que podem colocar em risco a segurança da estrutura.

 

Gabriela: No fim de janeiro, o Governo Federal recomendou que agentes federais e estaduais fiscalizem, até o fim do ano, cerca de 3,4 mil barragens de todos os tipos de uso.

 

Nasi: A ANA é responsável pela vistoria das barragens de água para usos múltiplos localizadas em rios que banham mais de um estado ou em cursos d'água que cruzam a fronteira com outros países.

 

Gabriela: E presidentes de empresas responsáveis por empreendimentos hidrelétricos deverão assinar documentos sobre a segurança das barragens junto com os responsáveis técnicos.

 

Nasi: A informação foi confirmada pelo porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros.

 

Gabriela: Segundo ele, a atribuição é da Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel.

 

Porta-voz da Presidência da República - Otávio Rêgo Barros: Foi solicitada a utilização dos planos de segurança de barragens e do plano de ação emergencial de todos os empreendimentos hidrelétricos, com exigência que de que os documentos sejam assinados, não somente pelo responsável técnico, mas também pelo presidente da empresa. O objetivo da ação é reforçar o comprometimento com as informações apresentadas.

 

Nasi: O estado de saúde do presidente Jair Bolsonaro continua melhorando, segundo o boletim médico divulgado agora à tarde.

 

Gabriela: Hoje o presidente se reuniu com o ministro da Infraestrutura e conversou, por telefone, com o vice-presidente Hamilton Mourão.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O quadro clínico do presidente da República Jair Bolsonaro continua estável, ele segue sem febre e sem dor. O boletim médico divulgado pela equipe que acompanha o presidente também informa que os exames laboratoriais apresentaram melhores resultados. Diante do quadro, foram retirados do dreno colocado no abdômen há quatro dias e a sonda, instalada para evitar náuseas. Segundo o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, o presidente se reuniu nessa sexta-feira com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

 

Porta-voz da Presidência da República - Otávio Rêgo Barros: O ministro Tarcísio vem tratar especialmente do Programa Nacional de Segurança da Avião Civil contra atos de interferência ilícita, especialmente com relação a checagem de segurança dos agentes responsáveis pelas áreas de segurança aeroportuária, mas, mais direcionado à parte de aeroporto. Posteriormente, uma nova legislação sobre isso será promulgada e apresentada à sociedade.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O presidente Jair Bolsonaro também tratou, por telefone, com o vice-presidente Hamilton Mourão sobre assuntos como a integração da ações governamentais e planejamentos futuros. Reportagem, Ricardo Ferraz.

 

Nasi: E o presidente Jair Bolsonaro divulgou, hoje, uma mensagem de apoio e solidariedade aos familiares dos jovens atletas que morreram nesta madrugada, vítimas de um incêndio no centro de treinamento do Flamengo, no Rio de Janeiro.

 

Gabriela: Órgãos do governo se colocaram à disposição do clube e das autoridades para ajudar no que for necessário.

 

Nasi: Também foi um aberto um canal específico para denúncias referentes a alojamentos e centros de treinamento.

 

Gabriela: Dez crianças e adolescentes entre 14 e 16 anos morreram no incêndio. Três estão internados, e um em instante grave.

 

Repórter Eduardo Biagini: O presidente Jair Bolsonaro divulgou uma nota sobre o incêndio no centro de treinamento do Flamengo. Jair Bolsonaro disse estar consternado e se solidarizou com a dor dos familiares neste momento de luto. O porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, afirmou que o governo acompanha o atendimento às vítimas familiares e que enviou representantes do Ministério da Cidadania e da Mulher da Família e dos Direitos Humanos para o Rio de Janeiro.

 

Porta-voz da Presidência da República - Otávio Rêgo Barros: O governo quer se certificar de que todo os direitos dessas crianças e adolescentes estão sendo observados e que a área destinada a eles tenha boa infraestrutura.

 

Repórter Eduardo Biagini: O incêndio ocorreu na madrugada dessa sexta-feira no Ninho do Urubu, no centro de treinamento do Flamengo, na zona oeste do Rio de Janeiro. O vice-presidente Hamilton Mourão, que cumpre agenda na cidade, também estabeleço manifestou.

 

Vice-presidente Hamilton Mourão: Extremamente triste com isso, né? Não só como torcedor do Flamengo, mas, principalmente, como brasileiro, como cidadão, porque são vidas jovens que forem perdidas, né? São aquelas fatalidades que infelizmente acontecem, e agora é hora de dar o suporte psicológico às famílias que perderam seus entes queridos.

 

Repórter Eduardo Biagini: O Secretaria Especial do Esporte do Ministro da Cidadania divulgou uma nota de pesar e se colocou à disposição do clube e das autoridades do Rio de Janeiro para evitar outras situações desse tipo. E o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos disponibilizou em canal específico no Disque 100 para denúncias referentes a alojamentos e centros de treinamento. O Disque 100 é o telefone direto do direitos humanos, funciona 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. As ligações podem ser feitas de todo o Brasil e o serviço é de graça. Reportagem, Eduardo Biagini.

 

Nasi: Os atendimentos do Criança Feliz vão ser ampliados.

 

Gabriela: É, Nasi, o programa, antes voltado a quem recebe o Bolsa Família, ou BPC, o Benefício de Prestação Continuada, agora também vai beneficiar famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

 

Nasi: Com o programa, crianças recebem em casa a visita de profissionais e recebem estímulos para se desenvolverem.

 

Gabriela: E os pais são orientados a realizarem atividades para que os filhos desenvolvam habilidades essenciais para o dia a dia.

 

Repórter Carolina Graziadei: Mais de 370 mil crianças poderão ser beneficiadas com a ampliação do atendimento do Criança Feliz para as famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Também será aberto novo período de adesão ainda a ser definido pelo Ministério da Cidadania, o que possibilitará, inclusive, a participação dos municípios que antes não atendiam os critérios pré-definidos por não atingirem um número mínimo de beneficiários do Bolsa Família e do BPC. Mais de 330 cidades não eram elegíveis e elas somam mais de 36 mil crianças, que, a partir de agora, com a nova resolução, poderão ser atendidas. Um avanço a ser comemorado, segundo o ministro da Cidadania, Osmar Terra.

 

Ministro da Cidadania - Osmar Terra: Nós vamos, agora, partir para uma ampliação rápida do Criança Feliz para beneficiar as crianças pobres do Brasil, que elas tenham uma escola com um desempenho melhor e um futuro melhor para ela e para suas famílias.

 

Repórter Carolina Graziadei: Atualmente, mais de 2,6 mil municípios aderiram ao programa e 490 mil pessoas, entre crianças e gestantes, já foram atendidas. Para a representante do Fórum Nacional dos Usuários do Sistema Único de Assistência Social, Solange Bueno, a nova resolução atende uma demanda dos municípios e agora, mais pessoas serão beneficiadas.

 

Representante do Fórum Nacional dos Usuários do Sistema Único de Assistência Social - Solange Bueno: Isso aí vai fazer com que os usuários dessa faixa sejam assistidos com uma melhor qualidade, com mais investimento, principalmente nesses municípios que já fizeram a adesão. Eu acho que é sempre importante pensar que mais usuários estão sendo atendidos.

 

 

Repórter Carolina Graziadei: O Criança Feliz é um programa que integra as áreas da saúde, assistência social, educação, justiça, cultura e direitos humanos. Os atendimentos às famílias ocorrem semanalmente, nelas, os visitadores orientam sobre como desenvolver as crianças de até três anos beneficiárias do Cadastro Único, e de até seis anos que recebem o BPC. As gestantes também recebem atendimento. Reportagem, Carolina Graziadei.

 

Nasi: Compromisso para prevenir a gravidez na adolescência.

 

Gabriela: Para isso, quatro ministérios vão atuam em conjunto para evitar casos da gravidez indesejada.

 

Nasi: Os detalhes ainda nesta edição.

 

Gabriela: O maior controle dos gastos públicos, retomada do crescimento econômico e transparência nos atos do governo.

 

Nasi: Esses forem temas defendidos pelo governo no seminário que discutiu o papel do BNDES na desestatização do setor elétrico.

 

Gabriela: A privatização das empresas estatais é uma das prioridades da área econômica, como forma de reduzir os gastos do Estado em áreas que podem ser administradas pela iniciativa privada.

 

Nasi: No ano passado, seis distribuidoras da Eletrobrás foram privatizadas.

 

Gabriela: A previsão é que sejam investidos R$ 6,5 bilhões nessas distribuidoras, com o objetivo de melhorar o serviço prestado à população.

 

Repórter Marcelo Castilho: O ministro da Economia, Paulo Guedes, fez uma avaliação da economia no país nas últimas quatro décadas. Durante o evento sobre desestatização do setor elétrico, o ministro afirmou que no Brasil se gastou muito e mal e que, a partir de agora, os gastos serão controlados da melhor forma. Guedes destacou que é preciso diminuir o tamanho do Estado em setores onde a iniciativa privada já atua bem, como o setor energético, e citou a privatização da Eletrobrás como um exemplo de sucesso.

 

Ministro da Economia - Paulo Guedes: Então, o governo não só gastou muito, como gastou muito mal. O papel do BNDES, eu repito, é transformador, porque esse exemplo do que foi feito com as distribuidoras federalizadas de energia elétrica, esse exemplo tem que acontecer em vários outros setores.

 

Repórter Marcelo Castilho: O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Joaquim Levy, disse que a instituição está preparada para ajudar a dinamizar a economia.

 

Presidente do BNDES - Joaquim Levy: O BNDES, como eu falei, está pronto para essa nova fase da vida nacional, estruturando operações, ajudando a acertar o marco institucional, e realmente dar esse ímpeto para a retomada do crescimento da nossa economia. E exatamente essa capacidade, essa confiança que existe e que torna o BNDES absolutamente único em conseguir as parcerias para aumentar o investimento no Brasil.

 

Repórter Marcelo Castilho: O ministro da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, defendeu total transparência nos atos do governo para que a sociedade saiba como estão sendo aplicados os recursos públicos.

 

Ministro da Secretaria de Governo - Carlos Alberto dos Santos Cruz: E que tudo isso daí senha muito bem fiscalizado, que tudo seja transparente, todos os contratos têm que ser transparentes. A sociedade tem que saber tenho os valores de qualquer tipo de contrato, porque só com transparência que nós vamos recuperar nossa credibilidade.

 

Repórter Marcelo Castilho: Só no ano passado, foram privatizadas seis distribuidoras de energia da Eletrobrás nos estados de Alagoas, Piauí, Acre, Rondônia, Roraima e Amazonas. A expectativa é de que os investimentos decorrentes da venda das empresas superem R$ 6,5 bilhões. Reportagem, Marcelo Castilho.

 

Nasi: Um compromisso para prevenir a gravidez na adolescência.

 

Gabriela: Para isso, quatro ministérios vão atuar juntos. A ideia é fortalecer ações educativas e formar profissionais que saibam conversar com esse público.

 

Nasi: A iniciativa faz parte da Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, instituída no início do ano, pelo presidente Jair Bolsonaro.

 

Gabriela: No Brasil, cerca de 65% dos casos de gravidez na adolescência são indesejados.

 

Repórter Danielle Popov: A Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência termina nesta sexta-feira, mas a carta de compromisso assinada pelo governo vai perpetuar o tema. O objetivo é evitar a concepção precoce de meninas, como a professora Fabiana Avelar, que foi mãe, aos 14 anos, do primeiro namorado. Hoje, aos 46, ela fala dos desafios que enfrentou na época.

 

Professora - Fabiana Avelar: Mudou muita coisa não minha vida, principalmente em relação à vida acadêmica mesmo, escolar, né? Na época eu tinha passado em terceiro lugar para bolsa de magistério, eu estava concorrendo também a um intercâmbio no Canadá, então, minha vida ficou de perna para o ar, né?

 

Repórter Danielle Popov: No Brasil a taxa de gravidez indesejada na adolescência é maior do que a média mundial entre as Américas. De acordo com a pesquisa do Ministério da Saúde, de 2016, cerca de 65% das gravidezes na adolescência são indesejadas, mas as diferenças regionais tornam o desafio do Brasil ainda maior, de acordo do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

 

Ministro da Saúde - Luiz Henrique Mandetta: A região Norte ainda mantendo níveis muito elevados em relação ao que seria uma média aceitável, muito distante ainda do ideal, que tem feito com que o desafio seja regional, cultural, e esses nossos Brasis tão diferentes.

 

Repórter Danielle Popov: Entre os riscos de uma gravidez indesejada nesse momento da vida, o ministro Luiz Henrique Mandetta destacou a taxa de evasão escolar, o aumento da mortalidade infantil e as complicações de um parto prematuro, que, segundo ele, são maiores entre as mães adolescentes.

 

Ministro da Saúde - Luiz Henrique Mandetta: Estou falando que eu tenho mais crianças com sequela que poderão sobrecarregar o BPC, a Previdência, eles terão mais dificuldade de inclusão e terá mais agenda no direitos humanos.

 

Repórter Danielle Popov: Entre os objetos da carta-compromisso, estão a ampliação do acesso de adolescentes aos serviços de atenção básica, ações educativas para as famílias, sociedade civil e comunidade e o incentivo de pesquisas sobre efeitos da gravidez na adolescência. As medidas devem ser implementadas até 2022. A carta é uma das ações da Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, assinada entre quatro ministérios: Saúde, Educação, Cidadania e Mulher, Família e Direitos Humano. Mas o esforço não se limita apenas a esses ministérios e a essa semana, de acórdão com a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

 

Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos - Damares Alves: Este tema vai ser visto com o protagonismo desses quatro ministérios alcançando os demais órgãos. A campanha tem uma semana alvo e vocês percebem que fica muito próximo do carnaval, essa semana, porque a gente entende que era um período a gente precisa reforçar muito a questão da gravidez na adolescência, e ela continua o ano todo.

 

Repórter Danielle Popov: Para o ministro da Educação, Ricardo Vélez, o ato reforça o comprometimento do governo com os adolescentes.

 

Ministro da Educação - Ricardo Vélez: É um ato do simbólico do compromisso deste governo com o cidadão e com os problemas que afetam a vida dos cidadãos, sobretudo, com os adolescentes.

 

Repórter Danielle Popov: A semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência foi uma das primeiras leis que sancionadas pelo presidente Jair Bolsonaro, no dia 3 de janeiro. Reportagem, Danielle Popov.

 

Nasi: A Força Nacional de Segurança pública vai permanecer no Ceará por mais 30 dias.

 

Gabriela: A prorrogação do prazo foi autorizada, hoje, pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, atendendo pedido do governador do Ceará.

 

Nasi: Mais de 400 homens da Força Nacional atuam do estado desde o início do ano, depois de ataques de facções criminosas em municípios cearenses.

 

Gabriela: As topas têm prestado apoio às forças de segurança do estado no patrulhamento de vias, terminais de ônibus e ações de inteligência.

 

Nasi: Em ofício enviado ao governador do Ceará, Camilo Santana, o ministro Sérgio Moro ressalta que as ações da Força Nacional, em conjunto com as polícias do estado, reduziram os ataques do crime organizado.

 

Gabriela: Por isso, durante os próximos 30 dias, vai ser um feito um plano de retirada gradativa das tropas.

 

Nasi: Caso os incidentes retornem, a Força Nacional está pronta para retomar as atividades.

 

Gabriela: Para facilitar a comunicação com os surdos, o Ministério da Educação vai ampliar a formação de tradutores do Língua Brasileira de Sinais, a Libras.

 

Nasi: Para um isso, em projeto piloto vai ensinar Libras a moradores de Sumaré, no interior de São Paulo.

 

Gabriela: A ideia é que o projeto seja modelo para o resto do país.

 

Nasi: A ação faz parte das metas dos primeiros cem dias de governo.

 

Repórter Anderson Andrade: O Ministério da Educação vai ampliar a formação dos tradutores de Libras e qualificar os servidores públicos, alunos e pessoas de comunidades para atender à população de deficientes auditivos. Sumaré, no interior de São Paulo, será a primeira cidade a oferecer o serviço, que vai ser realizado em parceria com a prefeitura. O objetivo é que o município sirva como exemplo para outras cidades do país. O secretário de Modalidades Especializadas do Ministério da Educação, Bernardo Goytacazes de Araújo, afirmou que o MEC espera expandir a iniciativa para todos o Brasil já nos primeiros cem dias do de governo.

 

Secretário de Modalidades Especializadas do Ministério da Educação - Bernardo Goytacazes de Araújo: Isso já está contemplado na nossa meta dos cem dias, que é a ampliação do ensino de Libras no Brasil e nós já estamos começando. De Sumaré, a gente vai lançar para o Brasil inteiro. Aí, aqui, a gente vai lidar para poder ver as maiores dificuldades, os maiores desafios, o que dá certo, o que dá errado, para quando a gente for lançar, já lançar de uma forma mais ampla para o Brasil inteiro. Porque a ideia é formar qualquer um que queira aprender Libras, prioritariamente os servidores públicos, e também dar apoio às famílias, principalmente às famílias das surdos para que eles possam trabalhar com essa... mais uma modalidade que a questão do ensino de Libras, que eles possam também conversar com seus filhos em Libras e que isso também os ajude nessa comunicação em casa.

 

Repórter Anderson Andrade: Ainda de acordo do Bernardo de Araújo, o projeto piloto Libras nas Cidades pretende atingir mais de mil pessoas em Sumaré só em 2019, no primeiro ano de implantação. Reportagem, Anderson Andrade.

 

Gabriela: O governo recuperou mais R$ 5 bilhões do FGTS durante o ano passado.

 

Nasi: Os valores não eram depositados pelas empresas nas contas dos trabalhadores, e são 23% maior do que o recuperado em 2017.

 

Gabriela: Resultado de inspeções e cruzamento de dados entre as bases do governo.

 

Repórter Pablo Mundim: O FGTS, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, foi criado para proteger o trabalhador demitido sem justa causa e também poder ser usado para a compra de imóvel. Por lei, todo o trabalhador brasileiro com contrato de trabalho formal pela CLT, tem direito ao recolhimento do fundo, que equivale a 8% do valor da sua remuneração. O valor deve ser depositado pelo empregador na Caixa Econômica Federal, até o dia 7 cada mês. Mais nem sempre é assim, a empregada doméstica Conceição de Maria Gomes, de Brasília, conta que via o valor sendo debitado todo mês, mas não era repassado ao banco.

 

Empregada doméstica - Conceição de Maria Gomes: Sempre quando eu tinha a oportunidade, eu ia lá na Caixa Econômica para ver como que estava o meu FGTS, aí o rapaz falou que não estavam depositando, eu falei: Tá sim, porque ele desconta do meu salário todo mês. Dei um prazo de três meses voltei lá de novo. Aí, ele: Não tem nada do seu FGTS.

 

Repórter Pablo Mundim: Não ano passado forem recuperados mais de R$ 5 bilhões para o FGTS, valor 23% maior do que o de 2017, quando foram recuperados cerca de R$ 4 bilhões. Esses recursos são de empresas que deixaram de depositar os valores garantidos por lei nas contas de seus trabalhadores, como no caso da Conceição. O chefe da Divisão de Fiscalização do FGTS, o auditor fiscal, Jefferson de Morais Toledo, explica como funciona a fiscalização.

 

Chefe da Divisão de Fiscalização do FGTS - Jefferson de Morais Toledo: Ela é feita principalmente por meio de ferramentas informatizadas. Nós recebemos na Caixa os valores recolhidos na conta vinculada de cada trabalhador e nós fazemos o abatimento desses valores com valores que a empresa declara de salário aos empregados nas diversas fontes de informação, Rais, Caged, e, a partir disso, a gente chega à informação se a empresa está devendo ou não.

 

Repórter Pablo Mundim: Os empregados podem acompanhar os depósitos através do site da Caixa ou pelo aplicativo FGTS. Se verificar a falta de depósitos, o empregado pode efetuar denúncia nas unidades da Secretaria de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, ou ingressar com ação na Justiça do Trabalho. As empresas que não depositam o FGTS estão sujeitas à notificação e multas. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: A inflação oficial do país fechou janeiro em 0,32%, de acordo com o IBGE.

 

Gabriela: Alimentos como feijão, cebola, frutas e carnes, além das bebidas, influenciaram no resultado.

 

Nasi: No acumulado dos últimos 12 meses a inflação ficou em quase 3,8%.

 

Gabriela: Abaixo da meta central do governo para este ano, que é de 4,25%.

 

Nasi: A produção industrial fechou 2018 com um crescimento em 11 dos 15 estados e regiões especificados pelo IBGE.

 

Gabriela: A pesquisa industrial regional, divulgada hoje, mostra que esse foi o segundo melhor desempenho dos últimos seis anos.

 

Nasi: Pará, Rio Grande do Sul e Amazonas apresentaram as maiores altas no ano.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as Notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite e um bom fim de semana.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até segunda.

 

"Governo Federal. Pátria amada, Brasil".