08 DE MARÇO DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: No dia Internacional da Mulher, governo vai atuar para proteger as mulheres contra a violência. Ministérios da Justiça e Segurança Pública, e da Mulher, Família e Direitos Humanos assinam acordo para ampliar medidas para combater agressões. E mulheres vão receber treinamento para criarem empresas inovadoras. É o Programa Empreendedoras Digitais. Nova Previdência: Presidente Jair Bolsonaro afirma que proposta vai reequilibrar contas públicas e retomar investimentos no país.

audio/mpeg 08.03.19.mp3 — 46783 KB




Transcrição

Apresentador Luciano Seixas: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Luciano: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Sexta-feira, 8 de março de 2019, Dia Internacional da Mulher.

 

Luciano: E governo vai atuar para proteger as mulheres contra a violência.

 

Gabriela: Ministérios da Justiça e Segurança Pública e da Mulher, Família e Direitos Humanos assinam acordo para ampliar medidas para combater agressões. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: Entre as propostas, a disseminação do uso de dispositivos eletrônicos como a tornozeleira eletrônica e o botão do pânico para coibir a violência doméstica.

 

Luciano: E mulheres vão receber treinamento para criarem empresas inovadoras.

 

Gabriela: É o programa Empreendedores Digitais. Ricardo Ferraz.

 

Repórter Ricardo Ferraz: A ideia é aumentar o número de empresárias na área de tecnologia da informação.

 

Luciano: E você também vai ouvir na Voz do Brasil.

 

Gabriela: Nova previdência. Presidente Jair Bolsonaro afirma que proposta vai reequilibrar contas públicas e retomar investimentos no país.

 

Presidente Jair Bolsonaro: O Brasil é um país que, se continuar sem reformas, a tendência nossa é realmente chegar aí à beira do caos, e não queremos isso.

 

Luciano: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Luciano Seixas.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Luciano: Eu abro o programa do hoje parabenizando você, Gabriela, e todas as ouvintes que estão sintonizadas com a gente pelo Dia Internacional da Mulher.

 

Gabriela: Obrigada, Luciano. E nosso dia foi oficializado pela Organização das Nações Unidas há mais de 40 anos, como forma de garantir igualdade entre homens e mulheres.

 

Luciano: E nós estamos caminhando para isso. Hoje, pela primeira vez, uma mulher fez o hasteamento da bandeira no Palácio do Planalto, em Brasília.

 

Gabriela: O ritual é feito todos os dias, no início da manhã, pelos Dragões da Independência, que são militares que fazem a guarda presidencial.

 

Luciano: Mas nesta sexta feira, ao som de clarins, de foi a sargento Karen Sâmia Souza, do Rio de Janeiro, que ergueu a bandeira em homenagem às mulheres e às suas conquistas.

 

Gabriela: Mas, sabe, Luciano, mais do que homenagens, o que nós mulheres queremos e precisamos é de ter nossos direitos respeitados.

 

Luciano: Com certeza, né? Por isso nós vamos falar agora de ações, o que o governo tem feito para diminuir desigualdades e combater a violência contra a mulher, principalmente dentro de casa.

 

Gabriela: Hoje foi assinado um acordo entre dois ministérios para fortalecer as políticas públicas na área.

 

Luciano: Entre as propostas, está a disseminação do uso de tornozeleiras eletrônicas e de outros dispositivos que ajudem a garantir a segurança das mulheres.

 

Repórter Gabriela Noronha: Voz embargada e mãos trêmulas, foi assim que uma vítima de violência de Brasília, que preferiu não se identificar, relatou as constantes agressões do ex companheiro. Já se passaram 14 anos, mas as lembranças permanecem vivas.

 

Entrevistada: Foram muitas vezes de me empurrar com muita força da parede, com gritos estridentes que o prédio inteiro escutava, muitas vezes com o meu filho no colo. Descobriu onde eu estava morando, invadiu meu apartamento várias vezes, inclusive com faca da mão. Ou ele me agredia fisicamente, psicologicamente no momento da saída ou ele falava que ia se matar e se pendurava na varanda. Foi muito difícil sair dali.

 

Repórter Gabriela Noronha: O relacionamento começou como tantos outros, eles se conheceram no trabalho e se apaixonaram. De acordo da vítima de violência, foram anos de romance até começarem os primeiros sinais de um comportamento agressivo do parceiro. No ano, passado 536 mulheres foram agredidas por hora, segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Dados do Ligue 180, a Central de Atendimento à Mulher, revelam que só nos primeiros dois meses deste ano, mais de 17 mil denúncias foram registradas, um aumento de 37% em relação ao mesmo período do ano passado. Os números incluem casos como cárcere privado, feminicídio, violência física e moral. De acordo com a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, o governo está trabalhando para reverter esses números alarmantes.

 

Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos - Damares Alves: No quesito violência contra a mulher a gente se assusta cada vez que a gente faz um levantamento, mas nós estamos trabalhando. E é objetivo desse governo que logo, logo que os números sejam bem diferentes. Essa nação logo, logo vai ser conhecida no mundo como a nação que se levantou para proteger mulheres.

 

Repórter Gabriela Noronha: Nessa sexta feira, a ministra Damares e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, assinaram um acordo de cooperação técnica para mobilizar as unidades, agentes e serviços dos ministérios em ações de proteção à mulher. Os dois ministérios vão desenvolver um plano de trabalho conjunto, com validade de dois anos. Entre as propostas, o ministro Sérgio Moro destacou a disseminação do uso de dispositivos eletrônicos como a tornozeleira eletrônica e o botão do pânico para coibir a violência doméstica.

 

Ministro da Justiça e Segurança Pública - Sérgio Moro: O que nós queremos aí é incrementar a utilização de tornozeleiras eletrônicas para proteger mulheres dos seus agressores, e, inclusive, também disseminar a utilização daquele chamado botão do pânico ou também aparelhos eletrônicos que protejam, avisem a mulheres da proximidade de eventuais agressores.

 

Repórter Gabriela Noronha: Durante a cerimônia também foi lançada a campanha #salveumamulher.

 

"Um milhão e seiscentas mil mulheres foram espancadas ou sofreram tentava de estrangulamento no Brasil, isso nos últimos 12 meses. Não se cale".

 

Repórter Gabriela Noronha: A ideia é conscientizar sobre a responsabilidade de todos no combate à violência contra a mulher, em especial, dos profissionais que lidam com as mulheres todos os dias, como cabeleireiros, manicures e maquiadores. A vítima de violência do início da reportagem, que referiu não se identificar, hoje está livre da violência e dos abusos e deixa um recado a todas as mulheres.

 

Entrevistada: Coragem. Tem que ter coragem, tem pessoas boas no mundo ainda que vão te ajudar, que não se acolher, que vão te dar uma cama até você se reerguer.

 

Repórter Gabriela Noronha: Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: No ano passado o Ligue 180 recebeu cerca de 92 mil denúncias de algum tipo de violência contra a mulher.

 

Luciano: E neste primeiro bimestre, até 26 de fevereiro, foram 17 mil denúncias, sendo que cerca de 500 eram crimes sexuais.

 

Gabriela: O Ligue 180, Central de Atendimento à Mulher, é um canal de denúncias gratuito que funciona 24 horas por dia no Brasil e em outros 16 países.

 

Luciano: Além de registrar denúncias de violações contra mulheres e encaminhá las aos órgãos competentes, o canal também dissemina informações sobre direitos da mulher e rede de acolhimento.

 

Gabriela: E hoje o Governo Federal lançou outra iniciativa voltada para as mulheres.

 

Luciano: Em parceria com a prefeitura de São Paulo, foi lançado um programa para incentivar a participação de mulheres no mercado de tecnologia da informação. É o Empreendedoras Digitais.

 

Repórter Ricardo Ferraz: No ano passado a bancária Aline Landim deixou o emprego para apostar uma ideia inovadora, um aplicativo de transporte que atuasse nos bairros de periferia de São Paulo. As empresas tradicionais do setor restringem as operações nas áreas mais afastadas da cidade. Aline acertou na aposta, o novo aplicativo já conta com mais de 20 mil clientes.

 

Empresária - Aline Landim: A gente viu que, na verdade, seria um meio muito importante de estar atendendo à população, com pessoas locais que queriam, precisavam de emprego também, que já trabalhavam com outros aplicativos, e não atendiam à nossa comunidade porque os próprios aplicativos acabavam vetando essas áreas.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Hoje, Dia Internacional da Mulher, o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações lançou o programa Empreendedoras Digitais, que vai capacitar 300 mulheres e gerar 30 novas startups. A presença feminina nessas empresas inovadoras, que dependem da apoio e financiamento para crescer, ainda é pequena. A ideia é aumentar o número de empresárias na área da tecnologia da informação, explica o ministro Marcos Pontes.

 

 

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Marcos Pontes: Um investimento de R$ 500 mil, inicialmente, e isso vai atender a formação, a preparação de todas essas novas empreendedoras. E depois, através da Finep, mais R$ 500 mil que vão ser a premiação das cinco startups vencedoras, né? a gente vai acompanhar essas startups também para que elas tenham sucesso e sejam aí, parte do nosso desenvolvimento do país na área de tecnologia.

 

Repórter Ricardo Ferraz: De acordo com uma pesquisa do ministério, a participação da mulher no mercado de trabalho de tecnologia da informação é de apenas 20%, elas ganham 11% menos que os homens, embora sejam mais capacitadas; 72% das mulheres que trabalham na têm doutorado, contra 61% entre os homens. O programa será uma parceria contra prefeitura de São Paulo. O prefeito da cidade, Bruno Covas, explica como a iniciativa pode mudar esse quadro.

 

Prefeito de São Paulo - Bruno Covas: A tecnologia é o futuro da economia na cidade de São Paulo, mas a gente não quer qualquer crescimento, a gente quer um crescimento que seja socialmente justo, dando mais oportunidades àqueles que mais precisam. É exatamente o que nós estamos fazendo aqui hoje.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Depois que teve a ideia do aplicativo, a empresária Aline Landim passou por programas de aceleração e capacitação e conseguiu fazer a empresa deslanchar.

 

Empresária - Aline Landim: Eu me senti mais empoderada. Antes eu não tinha noção do potencial, hoje eu acabo realmente vendo potencial que a gente tem, o potencial que eu tenho na minha empresa, no meu bairro, e vejo que a gente tem muito que fazer a diferença, que a gente tem muito para fazer a diferença também.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O acordo contará ainda com a Softex, a Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro, a executora das políticas públicas do Governo Federal para o setor de tecnologia da informação. De São Paulo, Ricardo Ferraz.

 

Gabriela: E no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro participou de uma homenagem às mulheres.

 

Luciano: A repórter Danielle Popov está lá no Planalto e conversa, ao vivo, com a gente. Boa noite, Danielle.

 

Repórter Danielle Popov (ao vivo): Olá, Luciano, boa noite. Boa noite, Gabriela, e também as ouvintes da Voz do Brasil. A cerimônia em homenagem ao Dia Internacional da Mulher foi realizada para servidoras e funcionárias do Palácio do Planalto. A primeira dama Michelle Bolsonaro também participou da cerimônia. Segundo ela, é importante lutar todos os dias do ano por oportunidades, respeito e reconhecimento.

 

Primeira dama Michelle Bolsonaro: Cada mulher que celebra conosco este dia tão importante sabe que trazemos em nós o dom de Deus da transformação e a capacidade de reinventar a história. Somos comandantes de nossos destinos, e o destino que queremos é sermos persistentes em nossa caminhada, contudo, o mais importante é lutar em todos os outros dias do ano para que sejamos plenas de oportunidade, lutar pelo desejo de respeito, a necessária acolhida e o merecido reconhecimento.

 

Repórter Danielle Popov (ao vivo): O presidente Jair Bolsonaro fez também uma homenagem às mulheres da família dele, e disse que são todas as mulheres que conduzem o destino de uma nação.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Eu quero dizer que vocês são quem realmente conduz o destino de uma nação. Não existe um homem que possa fazer uma política séria se não tiver, não ao seu lado, mas junto de si, uma mulher com os mesmos princípios. Graças a Deus eu tenho uma família consistente. E nós devemos buscar isso, que, somente dessa maneira, nós podemos construir uma grande nação.

 

Repórter Danielle Popov (ao vivo): Também participaram da homenagem o vice presidente Hamilton Mourão e a esposa, Paula Mourão, a ministra Teresa Cristina, da Agricultura, e Damares Alves, da Mulher, Família e Direitos Humanos, e ainda o procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Ao vivo, Danielle Popov.

 

"Nova Previdência, é para todos, é melhor para o Brasil".

 

Gabriela: E o presidente Jair Bolsonaro voltou a falar sobre a nova Previdência.

 

Luciano: O presidente afirmou que o governo está trabalhando junto com o Congresso pela aprovação das medidas.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Nós estamos buscando os parlamentares apelando para o espírito patriótico deles que o Brasil é um país que se continuar sem reformas, a tendência nossa realmente é chegar aí à beira do caos, e não queremos isso. Então, essa é a política, essa é a forma que nós estamos nos aproximando do Parlamento Brasileiro.

 

Gabriela: Segundo o presidente Jair Bolsonaro, a nova Previdência vai ser para todos os trabalhadores, incluindo os militares.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Há interesse de todos, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o Davi Alcolumbre também, de muitos parlamentares. Sabemos que em algum aspecto é uma mediada amarga, mas é uma resposta que temos que dar de uma política sem muita responsabilidade que foi feita ao longo nos últimos anos, e tem que dar o freio de arrumação agora. Até os militares vão entrar com sua cota de sacrifício nessa reforma.

 

Luciano: Buscar água em embaixo da terra e torná la própria para o consumo.

 

Gabriela: É a ideia do processo de dessalinização.

 

Luciano: E ainda nesta edição vamos falar das ações do governo para que esse processo ajude a abastecer a populações do semiárido, que sofrem com a seca.

 

"Expedição Antártica".

 

Gabriela: Sete anos depois de um incêndio que destruiu mais de metade da área da estação no Brasil na Antártica, as novas instalações ficaram prontas.

 

Luciano: O local serve de apoio para os pesquisadores brasileiros que estudam o clima e o meio ambiente antártico, principal regulador térmico do planeta Terra.

 

Gabriela: A previsão é de que a estação seja inaugurada oficialmente no ano que vem, depois de um período de testes.

 

Luciano: A repórter Luana Karen está viajando para lá e conversa, ao vivo, agora, com a gente, sobre os preparativos. Boa noite, Luana. Como é que vai ser a roteiro da viagem?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Boa no dia, Luciano, Gabriela e ouvintes da Voz do Brasil. Nossa jornada rumo à Antártica começa hoje. Estamos saindo da Brasília para o Rio de Janeiro onde, amanhã, embarcaremos no Hércules C-130, avião da Aeronáutica, o único das Forças Armadas do Brasil capaz de pousar da pista estreita e gelada no continente antártico. E na semana que vem vamos finalmente conhecer a Estação Antártica Comandante Ferraz. Esta estação é a casa do Brasil na Antártica e garante a presença dos nossos pesquisadores lá durante todo o ano. Depois de um incêndio em 2012, ela foi totalmente reconstruída, e eu vou contar tudo aqui para vocês. As novas instalações têm quase a dobro de tamanho da anterior e custaram quase US$ 100 milhões.

 

Gabriela: Luana, e por que é importante para o Brasil ter esse lugar na Antártida?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): São vários as razões, Gabriela. Primeiro que o continente é bem próximo do Brasil. Para você ter uma ideia Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, está mais próxima da Ilha Rei Jorge, onde fica a estação brasileira na Antártida, do que Boa Vista, capital de Roraima. Além disso, o continente gelado exerce grande influência sobre sistemas naturais e climáticos do planeta, e, claro também do Brasil. Tem vários pesquisadores brasileiros trabalhando lá em projetos que podem resultar, por exemplo, em novos medicamentos contra o câncer e contra a infecções hospitalares.

 

Luciano: Luana, e a gente não está acostumado com tanto frio, né? Como é que você se preparou para essa viagem?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Pois é, não mesmo, viu, Luciano? A Antártica é o continente mais frio, mais seco, mais alto e o que mais venta no mundo. Meio assustador para gente que mora no Brasil. Então, o desafio começa mesmo na hora de fazer a mala, entre os itens que devemos levar para lá estão o protetor solar e óculos de sol. E, acredite, mesmo sendo o lugar mais gelado da Terra, os raios solares não perdoam e pode ser bastante incomodo ficar exposto sem proteção. Já as roupas para usar no continente gelado, não tem no guarda roupa mesmo, elas são especiais e serão emprestadas pela Marinha do Brasil. Bom, é isso, Luciano e Gabriela, eu voto na semana que vem, atualizando cada passo dessa aventura e trazendo as informações do Programa Antártico Brasileiro.

 

Gabriela: Obrigada, Luana, pelas informações, ao vivo, e uma ótima viagem.

 

Luciano: E, só para reforçar, a partir da próxima segunda feira nós vamos trazer os detalhes desse novo espaço do Brasil na Antártica.

 

Gabriela: Na manhã de hoje, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, vistoriou em São Luís, no Maranhão, as obras de duplicação da BR-135.

 

Luciano: A visita foi do trecho localizado no Bairro da Estiva e o objetivo foi ver de perto os problemas relatados sobre os trabalhos de duplicação na rodovia, entregue no começo de ano passado.

 

Gabriela: O ministro afirmou que vai notificar as empresas responsáveis pela obra a reparar os danos verificados na pista.

 

Ministro da Infraestrutura - Tarcísio Gomes de Freitas: Não podemos permitir que uma obra de R$ 0,5 bilhão seja entregue à sociedade na condição que está. Para mim está muito claro que houve falha na execução. A gente teve aí uma fadiga precoce no revestimento asfáltico. Isso aí fez com que fissurasse completamente. Nessas fissuras entra água, né? E aí já há um comprometimento de base, e o que nós vamos exigir é a reparação por parte da empresa construtora, por todos os meios. Nós vamos obrigar a empresa voltar para o campo, se ela não voltar nós vamos judicializar e aplicar todas as sanções previstas com todo rigor da lei.

 

Luciano: Buscar água embaixo da terra e torná la potável.

 

Gabriela: Essa é a ideia do processo de dessalinização, que retira o excesso de sal e de minerais da água.

 

Luciano: O processo pode ajudar a abastecer as populações do semiárido, que sofrem com a seca.

 

Gabriela: O Governo Federal acaba de criar um programa que vai avaliar as tecnologias usadas nesse processo.

 

Luciano: Também vai ser instalado um centro para a realização desses estudos.

 

Repórter Pablo Mundim: A seca castiga o sertão do Nordeste há cerca de sete anos. Mas, por baixo do solo queimado e rachado da caatinga, pode estar a esperança de dias melhores para quem sofre com a falta da água. Águas salobras e salinas em abundância na região podem ser dessalinizadas, isto é, purificadas por um processo que retira o excesso de sal e outros minerais. A água se torna, então, própria para o consumo humano e na agropecuária. O Governo Federal acaba de criar um programa que vai testar e analisar tecnologias de dessalinização. O objetivo do estudo, segundo o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, é reunir as melhores tecnologias para combater a seca no Nordeste.

 

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Marcos Pontes: A ideia é trazer equipamentos do Brasil e de outros países, pode ser de Israel, da Bélgica, da Alemanha, equipamentos que possam que ser testados, e todos esses resultados vão ser oferecidos. Essa é a função do ministério dentro do desse junto de ministérios trabalhando para combater, vamos dizer assim, os efeitos da seca no Nordeste de forma sistemática e sustentável. Então, a nossa função é mais ou menos como se fosse uma assistência técnica, peças e equipamentos oferecem os dados, então, próprio ministério do desenvolvimento regionais e os outros ministérios utilizarem esses dados.

 

Repórter Pablo Mundim: Os estudos serão feitos em um centro de testes que vai utilizar a infraestrutura da Universidade Federal de Campina Grande, na Paraíba, e do Instituto Nacional do Semiárido, órgão vinculado ao Ministério de Ciência e Tecnologia. O diretor do Instituto Nacional do Semiárido, Salomão de Sousa Medeiros, explica que, com o conhecimento adequado das tecnologias, será possível levar água potável para a população nordestina.

 

Diretor do Instituto Nacional do Semiárido - Salomão de Sousa Medeiros: Aqui no nosso semiárido brasileiro nós temos várias regiões onde há disponibilidade de água salobras e salinas, então, o objetivo de deter o domínio de tecnologia e para, indiretamente, a gente prover essas populações, principalmente as rurais, de água dessalinizada de qualidade.

 

Repórter Pablo Mundim: O governo pretende concluir a instalação dos centros de testes até 11 de abril, dentro do prazo de cem dias de governo. Além dos estudos que serão feitos na região, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações também promove intercâmbio com Israel, país que já desenvolve tecnologia de dessalinização. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Gabriela: Empresários do setor de hotelaria estão otimistas.

 

Luciano: Uma pesquisa do Ministério do Turismo mostra que sete de cada dez querem investir para ampliar ou melhorar o negócio.

 

Gabriela: E entre os 600 entrevistados, quase a metade acha que o faturamento vai aumentar.

 

Luciano: O estudo mostra as perspectivas do setor para os primeiros seis meses deste ano.

 

Repórter Graziela Mendonça: Praia, sol e mar, destino certo de férias de muitos brasileiros. Em Porto das Dunas, no Ceará, não é diferente, o movimento é o ano todo. O empresário André Montanari é dono de uma pousada na praia. E este ano vai ampliar o número de quartos para conseguir entender à demanda.

 

Empresário - André Montanari: Temos dez quartos, com a possibilidade de hospedar até 30 hóspedes. A previsão desse ano é de duplicar a quantidade de hóspedes com a criação de mais seis quartos, vai chegar a 60 leitos. Estou sentindo a necessidade de crescer.

 

Repórter Graziela Mendonça: E o ano devo ser de investimentos em todo o segmento de hospedagem, é o que revelou uma pesquisa do Ministério do Turismo, com mais de 600 empreendedores. Quase 70% dos empresários pretendem realizar investimentos nos próximos meses e quase a metade espera maior faturamento. A coordenadora-geral de Estudos e Pesquisas do Ministério, Livian Souza, explica que esse resultado é significativo, já que a hotelaria é um dos principais termômetros do turismo.

 

Coordenadora-geral de Estudos e Pesquisas - Livian Souza: O resultado do quarto trimestre, ele demonstrou para a gente um grande otimismo dos empresários para os próximos seis meses, principalmente na pretensão de investimentos, 67,6% com pretensão de realizar investimentos nos próximos meses e também em relação ao faturamento, né? Que é o resultado bem positivo. Isso para nós é muito útil, principalmente para avaliar o desempenho do setor, né? O setor de hotelaria, ele é um dos principais termômetros para nós. Então, se o desempenho desse setor está bom, demonstra que o desempenho da economia do turismo é positiva, né?

 

Repórter Graziela Mendonça: Para o empresário Ricardo Lourenço, que tem um hotel em Monte Verde, Minas Gerais, investir no negócio é essencial para acolher bem os turistas.

 

Empresário - Ricardo Lourenço: Estamos fazendo todo o possível investindo em hotel para ampliação, para modernização, aguardando os hóspedes, né? E nós ficamos contentes fazendo modernização e ampliações no hotel.

 

Repórter Graziela Mendonça: Ainda, segundo a pesquisa, as maiores expectativas do faturamento do setor hoteleiro estão na região Sudeste, puxadas por São Paulo e Minas Gerais. Já a região Norte é onde deve ocorrer a maior parte dos investimentos. Reportagem, Graziela Mendonça.

 

Gabriela: E o presidente Jair Bolsonaro recebeu hoje as cartas credenciais de seis embaixadores de países da Europa, África, Ásia e Américo Central.

 

Luciano: Na prática, a entrega dos documentos reconhece e torna oficial a atuação dos diplomatas como representantes de seus países no Brasil.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Luciano: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Luciano: Fique agora com as Notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite e bom fim de semana.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até segunda.

 

"Governo Federal. Pátria amada, Brasil".