09/03/17 - A Voz do Brasil

Ministério da Educação divulga mudanças na aplicação do Enem. Parlamentares debatem aposentadoria de servidores públicos. Águas do Rio São Francisco chega na cidade de Monteiro (PB). Michel Temer sanciona lei que torna o município catarinense de Blumenau na Capital Nacional da Cerveja.

audio/mpeg 09 03 2017 - Voz do Brasil.mp3 — 23767 KB




Transcrição


A Voz do Brasil - 09/03/2017


"Atenção, radialistas de todo o Brasil. É hora de noticiar os fatos que ajudam a construir um novo país. Direto dos estúdios da Empresa Brasil de Comunicação, em Brasília, vem aí a Voz do Brasil."

 

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília, 19 horas.

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje."

Apresentadora Gabriela Mendes: Boa noite.

Airton: Boa noite pra você que nos acompanha em todo o país.

Gabriela: Quinta-feira, 9 de março de 2017.

Airton: E vamos ao destaque do dia: A água do Rio São Francisco chegou à primeira cidade da Paraíba.

 

Gabriela: Amanhã, o presidente Michel Temer inaugura mais um trecho da integração para que a água chegue a outras cidades do estado e a Pernambuco. Da Paraíba, ao vivo, João Pedro Neto.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Eu já estou aqui em Monteiro, na Paraíba, e a chegada da água do Rio São Francisco é o assunto aqui da cidade. Daqui a pouco eu volto com outras informações.

 

Airton: E você também vai ouvir na Voz do Brasil.

 

Gabriela: Provas do ENEM agora vão ser em dois domingos. Mudança é resultado de consulta e estudantes, como Natália Azevedo, aprovaram a ideia.

 

Estudante - Natália Azevedo: Essa ferramenta que o governo utilizou, da gente ter oportunidade de decidir sobre o que a gente vai fazer, sobre como vai ocorrer, achei bem positiva, até porque não são nossos pais que fazem, não é o governo que vai fazer, somos nós.

 

Airton: Aumenta o número de transplantes no Brasil. Do Rio de Janeiro, Natália Melo.

 

Repórter Natália Melo: Só no ano passado, foram feitos 25 mil transplantes em todo o país, com destaque para os de coração. Eu volto daqui a pouco com mais informações.

 

Gabriela: E vamos falar como fica a reforma da Previdência para servidores públicos.

 

Airton: A Voz do Brasil de hoje na apresentação de Gabriela Mendes e Airton Medeiros.

 

Gabriela: E pra assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Airton: Atenção, paraibanos: a água do Rio São Francisco chegou, na madrugada de hoje, à cidade de Monteiro.

 

Gabriela: Isso mesmo. E pra que essa água possa chegar a outros municípios do estado e de Pernambuco, amanhã o presidente Michel Temer inaugura mais um trecho da obra de transposição do Velho Chico.

 

Airton: Isso significa levar água a 4 milhões de pessoas. A repórter Raquel Mariano conversou sobre mais essa etapa da obra com o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho.

 

Gabriela: E o ministro também falou das outras etapas para finalizar a obra e levar água a 12 milhões de brasileiros até o final do ano. Vamos ouvir.

 

Repórter Raquel Mariano: Ministro, a água do Rio São Francisco hoje chegou no Rio Paraíba?

 

Ministro da Integração Nacional - Hélder Barbalho: Chegou na cidade de Monteiro, que é a primeira cidade no estado da Paraíba receptora das águas da transposição do São Francisco, o que permitirá, a partir de amanhã, que façamos a liberação das águas do São Francisco em solo paraibano, iniciando no açude de Poções e depois o açude de Camalaú, e com isto podendo estar no Rio Paraíba e, consequentemente, chegando ao Rio Paraíba, ao leito do Rio Paraíba, nós estaremos atendendo a parte leste do estado da Paraíba, com uma repercussão de milhões de paraibanos que estarão sendo beneficiados diretamente.

 

Repórter Raquel Mariano: Ministro, e como é que vocês esperam esse avanço do Rio São Francisco, da transposição?

 

Ministro da Integração Nacional - Hélder Barbalho: A determinação do presidente da República era que possamos, pudéssemos antecipar os calendários de entrega da transposição, e assim o fizemos, festejando essa grande conquista. No momento paralelo, nós passamos para a atividade da funcionalidade da transposição, que significa garantir que a água possa chegar até os reservatórios, chegar até a captação da água por parte das companhias estaduais, que chegarão com a água até a torneira de cada morador beneficiado. Portanto, a continuidade das nossas ações representam fazer com que a água chegue a cada lar dos estados de Pernambuco e do estado da Paraíba. Nós, neste momento, garantimos a chegada da água do eixo leste e estaremos, nos próximos dias, trabalhando ativamente, no sentido de darmos a ordem de serviço para o eixo norte, que estará beneficiando o estado de Pernambuco, da mesma forma, o estado do Ceará, o estado da Paraíba e o estado do Rio Grande do Norte. O eixo norte, nossa previsão é que estejamos dando funcionalidade ao mesmo ainda no ano de 2017, concluindo esta etapa de toda a transposição do São Francisco, prestando esse serviço essencial de abastecimento de água para cerca de 12 milhões de brasileiros.

 

Repórter Raquel Mariano: Tá bom, ministro. Muito obrigada pela sua entrevista.

 

Ministro da Integração Nacional - Hélder Barbalho: Muito obrigado a todos, um abraço.

 

Airton: Você acabou de ouvir a entrevista do ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, sobre a chegada da água do projeto de integração do Rio São Francisco à Paraíba.

 

Gabriela: E o repórter João Pedro Neto está em Monteiro, na Paraíba, para acompanhar o acionamento do mecanismo que vai levar a água às torneiras dos moradores da cidade. Boa noite, João Pedro.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Boa noite, Gabriela, boa noite, Airton. Olha, eu falo aqui então do município de Monteiro, na Paraíba, onde as águas do Rio São Francisco chegaram na madrugada desta quinta-feira. Amanhã à tarde então, em uma cerimônia aqui na cidade, o presidente vai acionar o mecanismo que vai levar a água do São Francisco até o Rio Paraíba. Amanhã mesmo então a população aqui de Monteiro começa a receber nas torneiras de casa a água do Velho Chico. E, caindo então no Rio Paraíba, a água vai chegar no prazo de 30 a 45 dias até outras 18 cidades, entre elas Campina Grande, bastante afetada pela falta de chuvas, a cidade de Campina Grande. A expectativa por aqui em Monteiro é grande, a movimentação é intensa e esse é o assunto aqui na cidade. Muitos moradores estão inclusive visitando as obras pra conferir de perto se o projeto da integração do Rio São Francisco está mesmo virando realidade. Eu conversei com alguns moradores, eles me disseram que as águas são aguardadas há bastante tempo, e vão ser muito importantes, especialmente aí na área rural. A gente lembra que a região aqui é bastante seca e o sertão nordestino, essa região aqui especificamente, vem sofrendo com estiagem bastante severa, embora ontem e hoje tenha chovido bastante por aqui. Amanhã então, antes de vir pra Monteiro, o presidente Michel Temer vai a Sertânia, que é aqui perto, e também lá ele abre oficialmente a comporta que vai levar a água ao sistema de abastecimento do município. Amanhã então, Gabriela, Airton, eu volto pra falar sobre a inauguração desse trecho da obra e sobre a chegada das águas do Rio São Francisco aqui, à Paraíba, esse momento histórico. Ao vivo, de Monteiro, na Paraíba, João Pedro Neto.

 

Gabriela: Obrigada, João, pela sua participação aqui na Voz do Brasil.

 

Airton: Para equilibrar as contas públicas do país e garantir que as futuras gerações tenham direito a receber em dia as aposentadorias e pensões, a aprovação da reforma da Previdência é uma necessidade.

 

Gabriela: O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o secretário da Presidência, Marcelo Caetano, apresentaram em um debate os números para justificar a urgência de modificar as regras de acesso à aposentadoria.

 

Airton: O aumento da expectativa de vida da população, somado ao número cada vez menor de nascimentos, vai fazer com que as contas do governo entrem em colapso, se nada for feito a curto prazo.

 

Repórter José Luiz Filho: O fórum, organizado por um dos mais importantes jornais do país, reuniu jornalistas, empresários, representantes de trabalhadores e especialistas no tema. Um dos convidados, o secretário da Previdência, Marcelo Caetano, respondeu a perguntas feitas por internautas e pela plateia, deu detalhes das mudanças previstas e os efeitos delas. Segundo o secretário, a ideia da reforma é que todas as pessoas tenham as mesmas regras para se aposentar, independentemente da profissão.

 

Secretário da Previdência - Marcelo Caetano: Uma das características dessa reforma é que, como uma regra permanente, as regras que passam a se aplicar aos servidores públicos ou às pessoas do RGPS, elas são iguais. Então, a idade de aposentadoria fica igual, se você é servidor ou não é servidor. A fórmula de cálculo, fica igual, se é servidor ou não é servidor.

 

Repórter José Luiz Filho: O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, apresentou cálculos e informações sobre a situação atual da Previdência. Meirelles ainda disse que o gasto primário do governo, isto é, o pagamento dos funcionários públicos, investimentos em educação, saúde e previdência, passou de quase 11% de tudo o que é produzido pelo país, em 1991, para cerca de 19% hoje. Dos gastos com aposentadorias e pensões, representam mais da metade deste aumento. Meirelles defendeu não só a necessidade, mas a urgência da reforma.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Idealmente nós manteríamos a Previdência como está, mais generosa possível, etc. A questão é que a sociedade brasileira é que paga isso. Então nós temos que ver a capacidade da sociedade de pagar, né? A população brasileira vive cada vez mais, isso é uma excelente notícia. O problema é que a idade de aposentadoria não, então o número de anos que as pessoas passam aposentados está cada vez mais aumentando.

 

Repórter José Luiz Filho: Segundo Henrique Meirelles, sem a reforma, setores como a educação e a saúde podem ter investimentos comprometidos.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Se a Previdência continuar crescendo neste ritmo, vai tirar espaço de todas as demais despesas públicas, inclusive e principalmente saúde e educação.

 

Repórter José Luiz Filho: Henrique Meirelles também afirmou que a Previdência é deficitária, isto é, gasta mais do que arrecada. Grupos contrários à reforma têm divulgado que a Previdência tem superávit. Meirelles informou que o déficit hoje é de R$ 150 bilhões. Reportagem, José Luiz Filho.

 

Gabriela: E uma das propostas do governo para a reforma da Previdência, que está sendo discutida no Congresso, é o tratamento igual para servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada na hora de se aposentar.

 

Airton: Atualmente existem 80 regras diferentes para aposentadoria de servidores públicos.

 

Gabriela: A ideia então é criar um padrão único, para evitar distorções e garantir que o governo tenha condições de pagar aposentadorias e pensões no futuro.

 

Repórter Mara Kenupp: A proposta de reforma da Previdência prevê que servidores públicos e trabalhadores do setor privado tenham as mesmas regras. Com isso, acabam, no serviço público, critérios como integralidade, que determina que a aposentadoria do servidor tenha o mesmo valor de quando ele estava na ativa, e para idade, que significa que o aposentado tenha os mesmos reajustes de quem está trabalhando. Pelo projeto, as mudanças só vão valer para homens com menos de 50 anos e para mulheres com menos de 45 anos. Os mais velhos cairiam na regra de transição, que vai ser aplicada a todos. Para o deputado Darcísio Perondi, do PMDB do Rio Grande do Sul, a reforma garante a todos os mesmos direitos.

 

Deputado - Darcísio Perondi: Vai valer para o agricultor, para o operário, para o promotor público, para o auditor fiscal, para o senador e para o deputado. Regras iguais, respeitando os direitos adquiridos.

 

Repórter Mara Kenupp: O auditor fiscal da Receita Federal Delúbio Gomes Pereira da Silva explicou que a fórmula de cálculo do benefício dos servidores passa a ser a mesma dos trabalhadores da iniciativa privada.

 

Auditor fiscal - Delúbio Gomes Pereira da Silva: Vai continuar a média do salário de contribuição desde julho de 94, e nesse, nesse sentido, a partir de 25 anos de contribuição, o servidor já teria direito à sua aposentadoria voluntária, e aí sim ele começaria com 76% dessa média, que são os 25 anos, mais os 51 inicial. E, a partir daí, a cada ano que ele for implementando, ele vai acrescendo, a chegar até os 100%, no limite de 100%.

 

Repórter Mara Kenupp: Pela proposta, os sistemas que atendem os trabalhadores do setor público e do setor privado vão ter a mesma regra de acesso à aposentadoria: idade mínima de 65 anos e 25 anos de tempo de contribuição. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Gabriela: 19h13 em Brasília.

 

Airton: Atenção estudantes: Tem mudanças na aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM.

 

Gabriela: Vamos detalhar pra você como vai ser. A data da prova também já está marcada. É daqui a pouquinho, não saia daí.

 

"Momento Social"

 

Airton: As famílias que fazem parte do Cadastro Único têm acesso a vários programas sociais do Governo Federal.

 

Gabriela: A família da Mel Melo, que é de Pernambuco, é uma das 13 milhões que recebem o Bolsa Família.

 

Airton: Agora a Mel quer saber o que é o Benefício de Prestação Continuada, o BPC. Quem explica é o ministro Osmar Terra.

 

Ouvinte - Mel Melo: Oi, ministro. Me chamo Mel. Moro no estado de Pernambuco, cidade de Joaquim Nabuco. Queria saber o que é BPC. Ficaria grata por sua resposta.

 

Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário - Osmar Terra: BPC é um programa maior que o Bolsa Família em termos de recursos públicos, é um programa que é quase o dobro do valor do Bolsa Família, e é dirigido pras pessoas que realmente não têm condições de se sustentar, as pessoas mais pobres, das famílias mais pobres, que têm deficiência mental, tem algum tipo de deficiência, algum tipo de necessidades especiais, física ou mental, e também pra aquelas pessoas que chegam a 65 anos e não conseguem nem ter aposentadoria nem ter nenhum tipo de renda. As pessoas, nessas circunstâncias, terão direito a um salário mínimo permanente, que vai ser pago todo mês pro seu sustento. Então, é muito importante que quem tem esse direito exerça esse direito, porque é um benefício que tem um valor grande, tanto pra quem recebe, e é um valor muito importante que o governo coloca pra isso.

 

Gabriela: E se você também tem alguma pergunta sobre ações e programas sociais do governo, manda pra gente.

 

Airton: Pode ser por e-mail, no endereço voz@ebc.com.br. E tem também o nosso Facebook: facebook.com/bolsafamilia.

 

Gabriela: A sua pergunta vai ser respondida aqui na Voz do Brasil, sempre na quinta-feira. Participe.

 

Airton: Os estados e municípios brasileiros já podem acessar a primeira parcela dos recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar.

 

Gabriela: O investimento, de mais de R$ 300 milhões, foi transferido pelo FNDE. A maior parte do dinheiro foi destinada para merenda escolar de estudantes da educação básica.

 

Airton: E é bom lembrar que, após sete anos sem aumento, os valores repassados para alimentação dos estudantes de escolas públicas foi reajustado em 2017.

 

Gabriela: Para os alunos dos ensinos fundamental e médio, que representam 71% dos estudantes, o reajuste ficou em 20%.

 

Airton: O Brasil bateu o recorde de transplantes no ano passado.

 

Gabriela: Os números foram apresentados agora há pouco pelo Ministério da Saúde, no Rio de Janeiro.

 

Airton: E quem traz os detalhes ao vivo de lá é a repórter Natália Melo. Boa noite, Natália.

 

Repórter Natália Melo (ao vivo): Olá, boa noite, Airton, boa noite, Gabriela, e a todos os ouvintes da Voz do Brasil. Esse recorde de transplantes foi possível depois que um decreto assinado em junho, pelo presidente Michel Temer, disponibilizou aviões da Força Aérea Brasileira para o transporte de órgãos. Com isso o número de transplantes aumentou 13%, chegando a 357 no ano passado, sendo que 172 foram possíveis devido ao apoio de aviões da FAB. Só para comparação, no ano de 2001 foram realizados no Brasil 143 transplantes de coração. E o ano passado também foi de recorde para os transplantes de fígado, pulmão, rim e medula óssea. No total foram realizados quase 25 mil transplantes em todo o país.

 

Gabriela: Natália, e o governo presente aumentar o número de doadores de órgãos no país?

 

Repórter Natália Melo (ao vivo): Sim, Gabriela. De acordo com o ministro Ricardo Barros, o objetivo agora é reduzir o número da fila de espera, que chega a quase 42 mil. O ministro destacou que temos uma excelente infraestrutura e que vai intensificar as campanhas de conscientização. Eu conversei mais cedo com a Patrícia de Freitas, voluntária em uma associação de doentes renais e que se submeteu a um transplante duplo de rim e de pâncreas. Ela conta como é importante para quem está na fila realizar a cirurgia.

 

Voluntária - Patrícia de Freitas: Muito restrita, a vida era muito difícil. E agora eu estou voltando às minhas atividades. Você poder tomar água é uma coisa que a gente não dá valor, e poder tomar a água que você quiser, só isso a gente já fica feliz, né? As pessoas que doam mudam a vida de outra pessoa, a família do doador falecido e uma pessoa que doa em vida, ela está dando uma chance da outra pessoa viver melhor.

 

Repórter Natália Melo (ao vivo): Hoje, o Brasil conta com 506 centros de transplantes em todo o país. Existem ainda 62 organizações de procura por órgãos e 27 centrais de notificação, captação e distribuição de órgãos. Gabriela, Airton.

 

Airton: Obrigado, Gabriela, pela sua participação ao vivo... Ou melhor, Natália, pela sua participação ao vivo aqui na Voz do Brasil.

 

Gabriela: As provas do ENEM deste ano vão ser realizadas em dois domingos consecutivos, no mês de novembro.

 

Airton: Antes, o exame era feito num fim de semana, no sábado e no domingo.

 

Gabriela: E além dessa, outras mudanças foram anunciadas hoje pelo Ministério da Educação, resultado de uma consulta pública que ouviu as sugestões principalmente dos estudantes.

 

Repórter Luana Karen: Acabou a maratona de provas num único fim de semana. Agora, os estudantes vão ter dois domingos seguidos pra fazer o ENEM, novidade aprovada pelo estudante Pedro Saliba, que vai fazer a prova pela primeira vez.

 

Estudante - Pedro Saliba: Vou ter um tempo pra descansar pras provas, e eu acho que é melhor.

 

Repórter Luana Karen: O ministro da Educação Mendonça Filho explica que mudança também atende os alunos que, por motivos religiosos, não podiam fazer a prova no sábado de dia.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: Resolve uma questão histórica dos sabatistas, que tinham a condição muito desumana de ficarem confinados, aguardando o pôr do sol para iniciar a aplicação da prova, além de aspectos relativos à segurança.

 

Repórter Luana Karen: A mudança foi anunciada após consulta pública realizada pelo Ministério da Educação, que contou com a participação de mais de 600 mil pessoas de todo o país. Entre elas estava a estudante Natália Azevedo, que teve o pedido de exame em dois domingos atendido.

 

Estudante - Natália Azevedo: Essa ferramenta que o governo utilizou da gente ter a oportunidade de decidir sobre o que a gente vai fazer, sobre como vai ocorrer, achei bem positiva, até porque não são nossos pais que fazem, não é o governo que vai fazer, somos nós.

 

Repórter Luana Karen: E quem imaginava que a geração da tecnologia ia preferir fazer a prova por computador se enganou. 70% dos jovens preferem que a prova continue no papel. O ENEM 2017 também não vai ser usado para fornecer o certificado de conclusão do Ensino Médio. Quem quiser o diploma vai precisar fazer o Enceja, Exame Nacional de Certificação de Competência de Jovens e Adultos. Quem explica é a presidente do INEP, Maria Inês Fini.

 

Presidente do INEP - Maria Inês Fini: O ENEM não mais certificará nível de ensino. Nós ofereceremos um exame próprio, com dupla certificação, até para o Ensino Fundamental e também para o Ensino Médio.

 

Repórter Luana Karen: As inscrições para o ENEM vão do dia 8 ao dia 19 de maio. O edital com as regras sai até 10 de abril. Já as provas serão aplicadas nos dias 5 e 12 de novembro. Mudanças também para tornar a prova mais segura. O estudante vai receber o caderno de questões e o caderno de respostas personalizado, com nome e número de inscrição. Reportagem, Luana Karen.

 

Gabriela: 19h21 em Brasília.

 

Airton: Cerveja. No Brasil é tão comum que várias cidades organizam festas para reverenciar a bebida. A mais famosa delas é a Oktoberfest, em Blumenau, lá em Santa Catarina.

 

Gabriela: Além disso, a cidade ainda conta com o Museu da Cerveja e uma escola de ensino superior sobre cerveja e malte.

 

Airton: Pois esses foram alguns dos motivos que fizeram a cidade conquistar o título de capital nacional da cerveja. O projeto foi aprovado na Câmara e sancionado hoje pelo presidente Michel Temer.

 

Repórter Gabriela Noronha: Fundada em 1850, Blumenau é a 3ª cidade mais populosa de Santa Catarina. O município tem uma agenda cultural importante, com destaque para a Oktoberfest, a segunda maior festa da cerveja do mundo. E com tanta tradição, veio o reconhecimento. O presidente sancionou nesta quinta a lei que dá à cidade o título de capital nacional da cerveja. O projeto, que dá o título a Blumenau, foi proposto pelo deputado federal Décio Lima e, segundo ele, tem o objetivo de alavancar o setor e o turismo da região.

 

Deputado federal - Décio Lima: Ela é um instrumento rico pra induzir dois aspectos da economia, da cadeia produtiva das cervejas artesanais e também como um instrumento do turismo.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para o prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes, o título vai ajudar a cidade a profissionalizar ainda mais o turismo.

 

Prefeito de Blumenau - Napoleão Bernardes: Representa um PIB importante na cidade e a gente tem buscado profissionalizar Blumenau cada vez mais, na captação de feiras e de eventos.

 

Repórter Gabriela Noronha: Durante a cerimônia, o presidente Michel Temer destacou o papel da cidade na economia de Santa Catarina e do Brasil.

 

Presidente Michel Temer: Especialmente agora, quando a economia começa a respirar, não é? Nós temos um dos primeiros sintomas desta respiração, com a inflação caindo sensivelmente, com os juros caindo sensivelmente, com a retomada, ainda que lenta, da economia, eu penso que este momento há de ser um momento de celebração. Celebração por meio de Blumenau, do que está sendo o Brasil a partir de agora.

 

Repórter Gabriela Noronha: O festival Oktoberfest acontece todo ano no mês de outubro, como é feito há mais de 180 anos na Alemanha. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: A safra de grãos 2016/2017 deve ser recorde.

 

Airton: O Brasil deve colher mais de 220 milhões de toneladas de grãos, segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento, a Conab.

 

Gabriela: Um dos destaques é a soja, e a produção deve ultrapassar 107 milhões de toneladas. Em seguida, vem a colheita do milho.

 

Airton: As produções de arroz, feijão e algodão também devem registrar aumento nessa safra.

 

Gabriela: Essas foram as notícias do Governo Federal.

Airton: Uma realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de comunicação.

 

Airton: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional e tenha uma boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite pra você e até amanhã.