09 DE ABRIL DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Ampliar acesso a consultas, coleta de exames e aplicação de vacinas. Unidades Básicas de Saúde que aumentarem horário de atendimento vão receber mais recursos. Colocar as contas em dia e garantir pagamento das aposentadorias no futuro. Em encontro com prefeitos, presidente Jair Bolsonaro pede união para aprovar a Nova Previdência. E anuncia apoio à proposta de aumentar o repasse de verbas para municípios de todo o país. Novo ministro da Educação toma posse. Abraham Weintraub define compromissos à frente da pasta. E governo quer aumentar de 20 para 40 pontos limite para suspender carteira de motorista.

audio/mpeg 09-04-19-VOZ DO BRASIL.mp3 — 46870 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Terça-feira, 9 de abril de 2019.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Ampliar acesso a consultas, coleta de exames e aplicação de vacinas.

 

Gabriela: Unidades Básicas de Saúde que aumentarem horário de atendimento vão receber mais recursos. Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): A ideia é ampliar o acesso da população a serviços de saúde e diminuir filas em pronto-atendimentos e emergências de hospitais. Daqui a pouco eu volto com mais informações.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Colocar as contas em dia e garantir pagamento das aposentadorias no futuro.

 

Nasi: Em encontro com prefeitos, o presidente Jair Bolsonaro pede união para aprovar a nova Previdência.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Aqui não existe presidente da República, governador ou prefeito, somos todos iguais na busca de um mesmo objetivo, que é o bem-estar da população brasileira.

 

Gabriela: E anuncia apoio à proposta de aumentar o repasse de verbas para municípios de todo o país.

 

Nasi: Novo ministro da Educação toma posse.

 

Gabriela: Abraham Weintraub define compromissos à frente da pasta. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: Melhorar a qualidade da educação no país usando de forma mais eficiente os recursos que já estão disponíveis para o ministério.

 

Nasi: E governo quer aumentar de 20 para 40 pontos limite para suspender carteira de motorista.

 

Gabriela: Na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Gabriela: O Ministério da Educação tem um novo ministro.

 

Nasi: Abraham Weintraub assume com compromisso de melhorar a qualidade do ensino com o mesmo que já é gasto pela pasta.

 

Repórter Gabriela Noronha: Melhorar a qualidade da educação no país usando forma mais eficiente os recursos que já estão disponíveis para o Ministério, esse foi o recado do novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, em discurso de posse no novo cargo.

 

Ministro da Educação - Abraham Weintraub: Esse vai ser o meu papel, entregar o que foi prometido no plano de governo, mas com o mesmo que a gente já gasta. Com que a gente gasta em relação ao PIB a gente tem que entregar mais, os indicadores colocam o Brasil entre países muito abaixo da média. O nosso papel é transformar a vida da sociedade numa coisa melhor, todo dia um pouco melhor.

 

Repórter Gabriela Noronha: Abraham Weintraub é economista, professor universitário, mestre em administração e atuou no mercado financeiro por mais de 20 anos. Antes de ser nomeado, já trabalhava no governo do presidente Jair Bolsonaro como secretário-executivo da Casa Civil, segundo cargo mais importante da Pasta. Na cerimônia de posse, o presidente Jair Bolsonaro disse que Abraham Weintraub foi escolhido por sua ampla experiência em gestão, conhecimento na área e explicou o que ele espera do novo ministro da Educação.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Que ele faça dos nossos jovens, nossos filhos e netos, melhores que seus pais e avós. E é isso que eu espero, que toda a sociedade brasileira espera do Abraham. Eu sei que não lhe faltará empenho, dedicação, patriotismo, entrega para atingir esse objetivo. Nós queremos que não mais 70% dessa garotada não saiba fazer uma regra de três simples, não saiba interpretar textos, não saiba perguntas básicas de ciências. Nós queremos uma garotada que comece realmente a aprender coisas que possam leva-la, quem sabe, ao espaço no futuro.

 

Repórter Gabriela Noronha: O presidente Jair Bolsonaro disse ainda que espera que a equipe do Ministério da Educação consiga, até o final do seu mandato, em 2022, colocar o Brasil em uma posição melhor do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, o Pisa, que mede o conhecimento de jovens de 15 anos. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: Nos próximos dias o governo vai fazer um 'revogaço' de decretos, como declarou o presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais.

 

Nasi: É a anulação de decretos que criam burocracias desnecessárias. O porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, comentou agora há pouco sobre o assunto.

 

Gabriela: E nós vamos voltar a falar com a repórter Gabriela Noronha, que acompanhou a fala do porta-voz e tem os detalhes, ao vivo, para a gente. Boa noite, Gabriela. Sobre o que mais porta-voz falou?

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Nasi. Olha, é isso mesmo, o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, afirmou agora pouco, no Palácio do Planalto, que o presidente Jair Bolsonaro vai exigir que, num prazo de até 18 meses, sejam revogadas, ou seja, que parem de valer centenas de decretos, normas, portarias e resoluções que não têm mais função, servem mais para atrapalhar os negócios do que para ajudar o cidadão e empresas. O porta-voz deu alguns exemplos como decretos que criam regras para promoções e gratificações de cargos que nem existem mais. É uma forma de diminuir o tamanho do Estado. Vamos ouvir o porta-voz.

 

Porta-voz da Presidência da República - Otávio Rêgo Barros: O resultado foi a revogação de 250 decretos de caráter normativo no âmbito do Governo Federal. Esse processo naturalmente irá desburocratizar o acesso às normas e conferir maior eficiência, transparência e publicidade aos atos normativos editados pelo presidente.

 

Repórter Lane Barreto: E, Gabriela, o porta-voz também anunciou que vão ocorrer mudanças nas regras da CNH, a Carta Nacional de Habilitação, não é isso?

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): Isso, Nasi, o porta-voz anunciou que uma proposta de lei que será levada ao Congresso quer aumentar a quantidade de pontos pela qual o motorista perde a habilitação em caso de acúmulo de infrações. Atualmente são 20 pontos e vai passar para 40, o dobro. Outra alteração é no prazo de validade da Carteira Nacional de Habilitação no Brasil.

 

Porta-voz da Presidência da República Otávio Rêgo Barros: A Carteira Nacional de Habilitação passará a ter validade de dez anos. A pontuação de penalidades da Carteira passará de 20 para 40 pontos, e valerá a partir da aprovação do PL no Congresso. O ministro também destacou que o aumento do número de pontos não significa uma leniência, ao contrário, as transgressões, as infrações graves serão mais duramente punidas pelo sistema.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): E olha, na área da saúde, o porta-voz destacou que amanhã começa a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe. O mutirão vai até 31 de maio e será feito em duas etapas. Na primeira, serão imunizadas crianças de um ano a menores de seis anos de idade, gestantes e mulheres que acabaram de ter filho. E no combate à Dengue uma boa notícia, o porta-voz anunciou que a vacina contra a doença deve estar pronta no ano que vem. Nasi, Gabriela.

 

Gabriela: Obrigada, Gabriela Noronha, pelas informações, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

"Defesa do Brasil! Defesa do Brasil! Defesa do Brasil!".

 

Nasi: A Força Aérea Brasileira vai ter um reforço em sua frota de caças.

 

Gabriela: Em parceria com a Suécia está sendo desenvolvido o Gripen, que vai ser utilizado para defender o espaço aéreo do país.

 

Nasi: Pelo contrato assinado entre os dois países, a tecnologia para a construção de 36 aeronaves vai ser transferida para o Brasil.

 

Gabriela: Para o que o caça seja construído aqui, brasileiros foram treinados na Suécia.

 

Nasi: O que está trazendo novas tecnologias, gerando emprego e desenvolvendo a indústria de defesa brasileira.

 

Repórter Lane Barreto: Os caças serão empregados em atividades como policiamento do espaço aéreo, ataque e reconhecimento. Um grande diferencial no contrato de aquisição do caça Gripen está no compromisso de os suecos transferiram tecnologia ao Brasil. O conhecimento transmitido está capacitando os integrantes das indústrias aeroespaciais brasileiras, como a Embraer. O gerente do projeto Gripen, coronel aviador Paulo Roberto de Carvalho Junior, da Força Aérea Brasileira, explica como a empresa sueca Saab transfere tecnologia ao Brasil.

 

Gerente do projeto Gripen - Coronal Aviador Paulo Roberto de Carvalho Junior: A Saab contrata empresas genuinamente brasileiras e selecionadas pela Força Aérea e aprovadas pelo Governo Brasileiro, para que essas empresas recebam a tecnologia inicialmente com os seus engenheiros na Suécia, no interior da fábrica da Saab, trazendo para o Brasil esse conhecimento e também todo o suporte tecnológico para que o desenvolvimento ocorra em território nacional.

 

Repórter Lane Barreto: A aeronave Gripen possui numa única plataforma funções realizadas hoje em dia por três tipos diferentes de aeronaves da Aeronáutica. Na cidade de Linkoping, na Suécia, o local onde está localizada a fábrica do Gripen, o major-aviador da Força Aérea Brasileira, Ramón Fórneas, acompanha de perto o desenvolvimento das funcionalidades com o novo caça. O major-aviador Fórneas é chefe com o grupo de acompanhamento e controle da Saab. Ele fala sobre as perspectivas para o início da operação.

 

Chefe do grupo de acompanhamento e controle - Major-aviador Ramón Fórneas: As expectativas são as melhores possíveis, não só por parte da nova geração que vai voar esse caça no futuro, dos cadentes que se encontram na Academia da Força Aérea, dos alunos da Escola Preparatória de Cadetes do Ar, dos estagiários, do Esquadrão de Formação de Caça em Natal, mas de todos os pilotos do uma maneira geral, os pilotos operacionais que se encontram nos esquadrões de caça.

 

Repórter Lane Barreto: Até o momento, 165 brasileiros foram treinados na Suécia, sendo que maioria deles trabalha atualmente no Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen, no estado de São Paulo. Segundo o cronograma do projeto, o caça Gripen, desenvolvido para o Brasil, vai levantar voo pela primeira vez ainda neste ano nas instalações da Saab, na Suécia. A Aeronáutica deve colocar o novo caça em operação a partir de 2021 nas unidades militares localizadas na cidade goiana de Anápolis. Reportagem, Lane Barreto.

 

Gabriela: Tornar os produtos amazônicos mais conhecidos no país.

 

Nasi: Daqui a pouco vamos falar de uma campanha do Ministério da Agricultura para impulsionar a produção que vem de lá e preservar o meio ambiente.

 

"A partir de quarta-feira, dia 10 de abril, os programas da TV NBR vão fazer parte da programação da nova TV Brasil. Muito mais informação, muito mais serviço e ainda mais notícias sobre políticas públicas. Então, anote aí, a partir de 10 de abril você acompanha as notícias do Governo Federal na nova TV Brasil".

 

Gabriela: O Programa Microempreendedor Individual, o MEI, completa dez anos de criação.

 

Nasi: É, nasceu como incentivo para a formalização dos trabalhadores e, de lá para cá, já contribuiu para o crescimento de muita gente.

 

Gabriela: E o governo está trabalhando para fortalecer o programa ainda mais.

 

Nasi: Hoje, no Brasil, são mais de 8 milhões de Microempreendedores Individuais no país.

 

Repórter Danielle Popov: Quem fatura até R$ 81 mil por ano pode aderir ao programa Microempreendedor Individual, o MEI, são quase 500 atividades econômicas já cadastradas, desde autônomos a cabeleireiros, eletricistas, publicitários e jornalistas, como a Juliana Barbosa. Ela decidiu se registrar no programa quando ficou desempregada e comenta os benefícios dessa opção.

 

Jornalista - Juliana Barbosa: Eu pago uma taxa pequena por mês, R$ 50, R$ 60, e aí eu tenho uma garantia de seguridade social e posso emitir uma nota fiscal, e isso para mim era muito importante. Caso aconteça alguma coisa, o valor que eu pago é muito pequeno em nome do benefício.

 

Repórter Danielle Popov: São mais de 8 milhões de microempreendedores individuais no país. Quando foi criado, o programa era voltado para a incentivar a formalização. Mas hoje é também uma segunda renda e até mesmo o primeiro passo para se tornar microempresário, de acordo do subsecretário de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas, Empreendedorismo e Artesanato do Ministério da Economia, José Ricardo da Veiga.

 

Subsecretário de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas Empreendedorismo e Artesanato - José Ricardo da Veiga: Isso é uma base enorme que dá um opcional de empreendedorismo para o Brasil muito grande, até porque o MEI é o primeiro degrau da microempresa, que futuramente pode ser uma média empresa ou uma grande empresa. Com o CNPJ, se tornando empresário, você pode buscar crédito dos bancos, você pode fazer venda para grandes empresas, emitir nota fiscal, isso dá dignidade, isso dá condição de crescer, de ter mais renda.

 

Repórter Danielle Popov: Em 2019 o Programa Microempreendedor Individual completa dez anos de criação. Revisar e fortalecer o MEI é um dos focos do Governo nesse ano, como explica o subsecretário José Ricardo da Veiga, do Ministério da Economia.

 

Subsecretário de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas Empreendedorismo e Artesanato - José Ricardo da Veiga: Nós estamos fazendo uma revisão de maneira que o MEI fique mais fortalecido. Juntaremos também soluções de crédito para que fique fácil para o MEI tomar crédito, fazer a cotação junto aos bancos para que o MEI possa ser fornecedor para os estados, para os municípios e até mesmo para o Governo Federal, e que também receba capacitação.

 

Repórter Danielle Popov: Quem é microempreendedor individual também pode ter um funcionário, desde que respeitado o limite de renda. E para se tornar MEI é muito simples, basta acessar o portaldoempreendedor.gov.br e preencher uma ficha com informações pessoais. Em dez minutos é possível ter o CNPJ em mãos. Reportagem, Danielle Popov.

 

Gabriela: Brasília recebeu hoje prefeitos de todo o Brasil para discutir como melhorar as contas públicas, e, assim, os serviços prestados à população.

 

Nasi: O presidente Jair Bolsonaro participou da abertura, falou da importância da aprovação da nova previdência e também anunciou que vai apoiar uma mudança na lei para aumentar os recursos distribuídos pela União aos municípios.

 

Gabriela: O evento contou com a participação de diversos ministros de governo, um deles foi da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que também divulgou novidades. Quem acompanhou e traz os detalhes para a gente, ao vivo, é o repórter Pablo Mundim. Boa noite, Pablo.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Boa noite, Gabriela, Nasi, e principalmente a você, ouvinte da Voz do Brasil. Essa marcha a Brasília em defesa dos municípios acontece todos os anos desde 1998, e é o momento de articulação entre os gestores municipais com o Governo Federal e o Congresso Nacional. Hoje à tarde, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, destacou as ações do Governo na área de saúde, uma delas é o financiamento em dobro para as Unidades Básicas de Saúde que ampliarem o horário de atendimento. Atualmente essas unidades atendem durante 40 horas. Com a medida, o Governo prevê que a população tenha acesso aos serviços básicos, como consultas médicas, odontológicas durante os três turnos. Ele também anunciou a doação de pais de 350 veículos para estados e municípios com objetivo de fortalecer as ações de vigilância em saúde, e defendeu a permanência de médicos em locais onde a população mais precisa.

 

Ministro da Saúde - Luiz Henrique Mandetta: O critério é a equidade. Nós temos que ir para onde falta mais, para onde tem maior dificuldade. Então, primeiro abre as cidades de perfil oito, localidades de difícil acesso, é o semiárido, é o Jequitinhonha, é o vale da região Norte, o Vale do Tapajós, comunidades indígenas. Nada contra Brasília, São Paulo, Florianópolis, mas o Brasil profundo, onde está precisando, é ali a gente vai chegar primeiro, porque é ali a gente tem que garantir acesso.

 

Nasi: E, Pablo, um pouco mais cedo, também falou o ministro da Cidadania, Osmar Terra. O que foi que ele disse aos prefeitos?

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Isso mesmo, Nasi. O ministro destacou várias ações do Ministério, entre elas o Programa Criança Feliz, que hoje acompanha mais de 600 mil crianças em casa. Sobre o Bolsa Família, Osmar Terra disse que o Governo vai implementar o décimo terceiro salário no programa e recurso adicional para famílias com jovens que participam do Progredir, programa federal da capacitação para o mercado de trabalho.

 

Ministro da Cidadania - Osmar Terra: Nós hoje temos 13 milhões e 500 mil famílias... e 900 mil famílias no programa. Temos 19% de aumento, e, agora, com o décimo terceiro, que o presidente Bolsonaro anunciou, nós estamos com melhor poder aquisitivo esse ano. No final do ano as famílias do Bolsa Família vão ter o maior poder de compra de alimentos da história do programa.

 

Gabriela: E na abertura da marcha, o presidente Jair Bolsonaro fez um anúncio importante para os prefeitos. Conta para a gente qual foi esse anúncio, Pablo.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Pela manhã, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre as ações do Governo, como a nova Previdência e o Programa Bolsa Família, e também disse apoiar um aumento do repasse de dinheiro da União para os municípios. A repórter Luana Karen acompanhou o discurso do presidente Bolsonaro. Vamos ouvir a reportagem.

 

Repórter Luana Karen: Auditório lotado, mais de 8 mil líderes entre prefeitos, vice-prefeitos e secretários municipais estão em Brasília para apresentar reinvindicações ao Governo Federal, entre elas, dois pedidos principais feitos pelo presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Glademir Aroldi, a distribuição de parte dos novos recursos arrecadados com a cessão onerosa no petróleo na área do Pré-Sal para estados e municípios e a reformulação do pacto federativo, que distribui as responsabilidades entre União, estados e municípios.

 

Presidente da Confederação Nacional dos Municípios - Glademir Aroldi: Nós precisamos, primeiro, deixar muito claro quais são as atribuições da União, quais sãos as atribuições dos estados e quais serão as atribuições dos municípios.

 

Repórter Luana Karen: Além das reinvindicações, o presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Glademir Aroldi, declarou apoio à nova Previdência.

 

Presidente da Confederação Nacional dos Municípios - Glademir Aroldi: Alguns de nós aqui pode ter... ser até contrário a essa matéria ou pode, por uma posição ideológica, partidária, estar se posicionando de maneira contrária, mas, como agentes locais, como gestores públicos, se nós quisermos terminar o mandato com um pouco mais de tranquilidade, com um pouco mais de equilíbrio, essas mudanças são necessárias, sim. Vamos economizar no mínimo 20% das nossas despesas com previdência.

 

Repórter Luana Karen: Presente na abertura do evento, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre a necessidade de aprovar a nova Previdência como um indicativo para o mundo da disposição do Brasil de colocar as contas em dia. O presidente também afirmou ser importante investir em ciência e tecnologia para que a economia brasileira não dependa tanto do comércio de matérias-primas.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Nessas minhas recentes andanças pelo mundo, Estados Unidos, Chile e Israel, aguardam uma sinalização nossa, que nós podemos dá-la ao mostrar que queremos equilibrar nossas contas, que nós temos responsabilidade. Nós não podemos continuar sendo, com todo o orgulho que tenho daqueles que produzem nessa área, não podemos continuar dependendo nossa economia apenas de comodities, o Brasil tem que investir em ciência e tecnologia.

 

Repórter Luana Karen: O Fundo de Participação dos Municípios é a maneira como a União repassa verbas para as prefeituras. Um dos fatores que determina quanto cada uma recebe é o número de habitantes. É uma fonte de recursos importante para cidades pequenas, principalmente. O presidente Bolsonaro declarou apoio à proposta de emenda à Constituição que acrescenta um ponto percentual ao fundo.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Nós temos pouco, realmente, mas queremos dividir o pouco que nós temos com vocês com o pacto federativo. Conversei com o Paulo Guedes ontem, deu sinal verde, vamos apoiá-lo na majoração do Fundo de Participação de Municípios com a emenda constitucional. Aqui não existe presidente da República, governador ou prefeito, somos todos iguais na busca de um mesmo objetivo, que é o bem-estar da população brasileira.

 

Repórter Luana Karen: A 22ª Edição da Marcha dos Prefeitos é realizada na semana em que o Governo Federal marca os cem dias da nova gestão. O evento vai até a próxima quinta-feira com a participação de vários ministros de Estado. Reportagem, Luana Karen.

 

Nasi: E, Pablo, sobre economia, qual foi o discurso do governo?

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Quem falou sobre o assunto foi ministro da Economia, Paulo Guedes. Aclamado pelo público presente, o ministro Paulo Guedes defendeu a frase do presidente Bolsonaro de "Mais Brasil, menos Brasília", e disse que a maior parte dos recursos federais precisa entrar nos municípios, onde a população precisa de maior atenção. A reportagem de Márcia Fernandes detalha como foi a participação do ministro.

 

Repórter Márcia Fernandes: Menos verba concentrada na União e mais dinheiro para os municípios investirem em saúde educação e infraestrutura. A desconcentração dos recursos foi defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, na marcha à Brasília em defesa dos municípios. Para isso, o ministro Paulo Guedes defendeu um pacto federativo entre União, estados e municípios.

 

Ministro da Economia - Paulo Guedes: O poder tem que ser limitado e descentralizado. Toda a nossa companha foi feita em cima dessa ideia de desconcentrar recursos, poderes, recursos financeiros e atribuições. E nós vamos era que fazer isso acontecer. O nosso primeiro olhar para isso é um olhar de curto prazo.

 

Repórter Márcia Fernandes: Durante a marcha, o ministro apontou que o Governo Federal está trabalhando em diversas frentes para aquecer a economia, reduzir o desemprego e reajustar as contas públicas, ações como simplificação e redução dos tributos, privatização de estatais e enxugamento da máquina pública. A importância da aprovação da nova Previdência foi destacada. O secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, destacou que as mudanças na aposentadoria são fundamentais para o equilíbrio das contas nos estados e municípios.

 

Secretário especial de Previdência - Rogério Marinho: Os recursos que são coletados junto aos munícipes muito mal dão para pagar o salário, pagar previdência, assistência e a dívida contrariada pelos municípios, muitas vezes até o próprio sistema previdenciário. Na hora em que atacarmos a principal fonte do nosso desequilíbrio orçamentário, certamente deixará de haver essa pressão constante que há no orçamento público e o recurso vai começar a sobrar no sentido de permitir que hajam investimentos importantes para uma população que tem reclamado muito, porque a qualidade do serviço público vai se deteriorando ano a cada ano.

 

Repórter Márcia Fernandes: Amanhã, quarta-feira, durante a Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, o Governo Federal deve lançar a Plataforma Mais Brasil. Nela, pela internet, vai ser possível ter acesso às verbas que são destinadas pela União para os municípios. E com um aplicativo, os prefeitos vão poder acompanhar a transferência de verbas e o andamento das obras da forma mais ágil. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Voltando a lembrar que hoje é apenas o primeiro dia de evento. Até a próxima quinta-feira outras autoridades dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário também vão participar do encontro. Nasi e Gabriela.

 

Nasi: Obrigado, Pablo Mundim, pelas informações ao vivo, na Voz do Brasil.

 

Gabriela: E, por conta do tempo, nós vamos deixar para amanhã a reportagem sobre a campanha do Ministério da Agricultura para impulsionar o consumo de produtos da região amazônica. Não perca.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as Notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Governo Federal. Pátria amada, Brasil".