09/05/17 - A Voz do Brasil

Nova carteira de habilitação passa a ter código para acabar com falsificações. Dados e arrecadações de sindicatos do país estão disponíveis em portal lançado hoje pelo Ministério do Trabalho. Novo efetivo da Força Nacional já está no Rio de Janeiro para reforçar a segurança. E estamos na semana da educação financeira. vamos falar de renegociação de dívidas e cursos pra quem está endividado!

audio/mpeg 09 05.mp3 — 11719 KB




Transcrição

Apresentador Aírton Medeiros: Em Brasília, 19 horas.
 
"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje."
 
Aírton: Olá, boa noite.
 

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite pra você que nos acompanha em todo o país.

 

Aírton: 9 de maio de 2017.

 

Gláucia: E vamos ao destaque desta terça-feira: Nova carteira de habilitação passa a ter código para acabar com falsificações. Beatriz Amiden.

 

Repórter Beatriz Amiden: As carteiras de motorista emitidas a partir do dia 1 de maio já têm o chamado QRCode. Com um aplicativo de celular, é possível ler esse código e confirmar se a pessoa é de fato a dona daquele documento.

 

Aírton: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gláucia: Dados e arrecadações de sindicatos do país estão disponíveis em portal lançado hoje pelo Ministério do Trabalho.

 

Aírton: Novo efetivo da Força Nacional já está no Rio para reforçar a segurança.

 

Gláucia: E estamos na semana da Educação Financeira. Vamos falar de dívidas e cursos pra quem está endividado. Natália Koslik.

 

Repórter Natália Koslik: Uma força-tarefa vai ajudar a população a negociar dívidas e planejar o orçamento financeiro para sair do vermelho.

 

Aírton: A Voz do Brasil de hoje na apresentação de Gláucia Gomes e Aírton Medeiros.

 

Gláucia: E pra assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

"Trânsito - Atenção, motorista"

 

Aírton: Evitar falsificações e fraudes.

 

Gláucia: A partir deste mês, as carteiras de motorista passam a contar com o QRCode.

 

Aírton: É o código, nos mesmos moldes de um código de barras, que pode ser lido por um aplicativo no celular.

 

Gláucia: Pra saber sobre isso, vamos conversar com o diretor do Departamento Nacional de Trânsito - Denatran, Elmer Vicenzi, que está aqui no estúdio da Voz do Brasil. Boa noite, diretor.

 

Diretor do Denatran - Elmer Vicenzi: Muito boa noite, boa noite a todos os nossos ouvintes, é um prazer estar aqui e trazer alguns esclarecimentos pra esse novo modelo de carteira de habilitação.

 

Gláucia: Que bom. Antes de começar a nossa conversa, nós vamos explicar essa mudança na reportagem de Beatriz Amiden. Vamos ouvir.

 

Repórter Beatriz Amiden: Há 13 anos no mercado, uma locadora de veículos em Brasília já foi vítima de muitos golpes. Motoristas com documentos falsos alugam carros e não devolvem. Elaine Silva, responsável financeiro da loja, conta que o prejuízo já passa dos R$ 300 mil.

 

Responsável financeira - Elaine Silva: Nós tivemos um prejuízo de mais ou menos uns R$ 300 mil de veículos roubados. Todos eles pessoalmente, com documento falsificado.

 

Repórter Beatriz Amiden: Agora, estabelecimentos vão contar com uma segurança a mais. A carteira nacional de habilitação vai ter um código que dificulta a falsificação. As carteiras de motorista emitidas a partir do dia 1 de maio já têm o chamado QRCode. Glória Guimarães, presidente do Serpro, explicou que com o aplicativo é possível ler esse código e confirmar se a pessoa é de fato a dona daquele documento.

 

Presidente do Sepro - Glória Guimarães: Com certeza você vai poder autenticar com mais garantia de que você é você naquele documento, você tem a fotografia que está guardada num banco de dados, ele lê automaticamente e busca aquele dado seu tanto da fotografia quanto dos dados da carteira de motorista.

 

Repórter Beatriz Amiden: Ao saber da novidade, Elaine ficou bem aliviada.

 

Responsável financeira - Elaine Silva: A gente espera muito melhorar, né? Talvez, se a gente não fosse uma empresa consolidada, talvez tivéssemos até fechado as portas, porque é um prejuízo muito grande, foi uma média de mais ou menos um carro por mês. Isso é um prejuízo que pode levar até ao fechamento da empresa, né? Então a gente espera realmente que venha melhorar o nosso trabalho.

 

Repórter Beatriz Amiden: Em cinco anos, todos os motoristas já terão a carteira atualizada. Reportagem, Beatriz Amiden.

 

Aírton: Agora sim vamos conversar com o Diretor do Denatran, Elmer Vicenzi, que vai explicar melhor essas mudanças. Diretor, já tem habilitações emitidas com essa nova tecnologia? O valor da carteira vai sofrer aumento por isso?

 

Diretor do Denatran - Elmer Vicenzi: Desde o dia 1 de maio as carteiras já estão sendo emitidas com o QRCode no seu verso. Nesses oito dias, já contamos com cerca de 300 mil carteiras, e o valor, por parte do Departamento Nacional de Trânsito, não haverá qualquer custo a mais para o cidadão. Mas lembrando que a regulamentação da taxa é administrada por cada estado, ficando a eles a responsabilidade de determinar o preço.

 

Gláucia: E como é que esse código vai ajudar a combater fraudes e falsificações?

 

Diretor do Denatran - Elmer Vicenzi: O código vai permitir conferir a autenticidade da CNH, não só dos dados que ali estão, como nome, filiação, data de vencimento, mas inclusive a foto. Essa é a novidade. De uma maneira totalmente offline em qualquer lugar do país.

 

Aírton: Diretor, no caso da locadora que a gente acabou de ouvir, eles também vão poder ler esse código, pra verificar se a carteira é falsificada ou não? Isso não vale só para o agente de trânsito, né?

 

Diretor do Denatran - Elmer Vicenzi: Não, para toda a sociedade, sejam agentes públicos, empresários e até particulares. É só abaixar o aplicativo em qualquer smartphone, iOS, Android, o aplicativo Lince, que já está disponível, e que vão poder conferir as carteiras que já estão sendo impressas com o QRCode.

 

Gláucia: E me diga uma coisa. O motorista que tem essa carteira antiga, faz o que? Precisa trocar de imediato?

 

Diretor do Denatran - Elmer Vicenzi: Não, não. Não há qualquer necessidade de trocar a CNH. O prazo de validade permanece inalterado naquele que consta o documento.

 

Aírton: Nós agradecemos a presença do diretor do Denatran, aqui na Voz do Brasil, Elmer Vicenzi. Boa noite, obrigado pela sua presença.

 

Diretor do Denatran - Elmer Vicenzi: Boa noite, conte conosco.

 

Gláucia: Agora vai ficar mais fácil ter informações sobre trabalhos e organizações sindicais no Brasil.

 

Aírton: O Ministério do Trabalho lançou hoje um portal na internet, que reúne, de forma simples, números de sindicatos, federações, confederações e valores arrecadados por eles.

 

Gláucia: A ideia é dar ao trabalhador mais transparência, além de melhorar ações do governo.

 

Repórter Diogo Resende: O novo portal tem como objetivo divulgar informações das entidades sindicais, de forma clara e acessível. No momento, estão disponíveis informações sobre registro, arrecadação e perfil das organizações. O secretário-adjunto de Relações do Trabalho, do Ministério do Trabalho, Luís Carlos Barbosa, explica que vai ficar mais fácil para a sociedade acessar os dados.

 

Secretário-adjunto de Relações do Trabalho - Luís Carlos Barbosa: O mais importante é possibilitar à sociedade, sem que ela precise ter uma procuração, ela entra no site, procura os dados, e vai ter disponibilizado exatamente neste primeiro momento o número de sindicatos, federações, confederações, o que é urbano, o que é rural, os valores arrecadados por região.

 

Repórter Diogo Resende: O representante da Confederação da Agricultura e Pecuária, Cristiano Zaranza, também disse que o novo portal vai servir a toda a sociedade, empregadores e trabalhadores. Ele falou também que a transparência nas informações vai contribuir com a discussão da reforma trabalhista.

 

Representante da Confederação da Agricultura e Pecuária - Cristiano Zaranza: Você tendo acesso a esses dados nessa forma, disponibilizada pelo Ministério do Trabalho, realmente vai permitir uma opinião de maior qualidade por todos da sociedade brasileira.

 

Repórter Diogo Resende: Para Ivo Borges, presidente da Força Sindical do Pará, a divulgação das informações também vai ajudar na qualificação dos trabalhadores.

 

Presidente da Força Sindical do Pará - Ivo Borges: Através do imposto sindical, dá pra saber realmente as regiões que arrecadam mais, que arrecadam menos, onde é que pode ser cobrado do setor mais investimento na qualificação profissional, e cobrar também dos poderes constituídos mais investimentos, que possa realmente melhorar a condição de trabalho e de vida da classe trabalhadora.

 

Repórter Diogo Resende: O site já está disponível no endereço relacoesdotrabalho.mte.gov.br. Reportagem, Diogo Resende.

 

Aírton: Um novo efetivo da Força Nacional já está no  Rio de Janeiro para reforçar a segurança.1

 

Gláucia: Ao todo, são 425 homens, que vão atuar no combate à violência pelos próximos 90 dias.

 

Repórter Natália Melo: Já chegaram no Rio de Janeiro os 300 integrantes da Força Nacional que vão reforçar a segurança no estado. Eles saíram de Brasília na noite de segunda-feira, em um grande comboio, e vão se juntar aos outros 125 militares que já vêm atuando na cidade. O envio das tropas foi autorizado na última semana pelo governo federal, após uma onda de violência que tomou conta da cidade. Um conflito entre traficantes e policiais, na última terça-feira, resultou em nove ônibus queimados, deixando a cidade em estado de atenção. Ainda essa semana, o governo do estado e o Ministério da Justiça vão se reunir para definir onde será empregado o novo efetivo, que fica agora de prontidão para começar a atuar. O governo autorizou ainda a permanência da Força Nacional por mais 90 dias no estado. Reportagem, Natália Melo.

 

"Defesa do Brasil, Defesa do Brasil, Defesa do Brasil"

 

Aírton: Desde novembro do ano passado, o governo estabeleceu um reforço das ações de segurança na região de fronteira do Brasil.

 

Gláucia: Além de vigiar o nosso território, o programa de proteção integrada de fronteiras tem objetivo de combater o tráfico de drogas e armas, como consequência acabar com o crime organizado no Brasil.

 

Aírton: E além de integrar órgãos de defesa, inteligência e segurança pública, o governo busca ampliar a parceria com os responsáveis pela segurança na fronteira dos países vizinhos.

 

Gláucia: Hoje, o governo brasileiro deu mais um passo pra essa parceria em um encontro com o governo colombiano. Quem tem os detalhes é a repórter Marina Melo.

 

Repórter Marina Melo: O governo colombiano se comprometeu a monitorar o processo de desarmamento das FARC, Forças Revolucionárias da Colômbia, para evitar que essas armas caiam nas mãos do crime organizado. Brasil e Colômbia também vão intensificar o patrulhamento na região de fronteira, de forma conjunta, por terra, céu e mar, estabelecendo uma linha de contato mais ágil e permanente entre os altos comandos de suas forças armadas e agências de Inteligência. As medidas foram fechadas terça-feira, após encontro entre os ministros da Defesa do Brasil, Raul Jungmann, e da Colômbia, Luis Carlos Villegas, em Bogotá. O ministro Raul Jungmann explica que aumentar a segurança na fronteira é fundamental para diminuir a violência nas grandes cidades do país.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: É muito importante essa reunião, porque ela vai intensificar de uma forma binacional, Brasil e Colômbia, o controle das nossas fronteiras, vai significar uma maior segurança e maior combate às drogas, ao tráfico de armas, ao contrabando e descaminho, e isso terá um efeito muito benéfico sobre a segurança das nossas cidades.

 

Repórter Marina Melo: Essa foi a segunda vez que os dois ministros se reuniram para tratar de segurança na fronteira. Desde o início deste ano, Marinha, Exército e Aeronáutica têm reforçado suas ações para aumentar a presença do Estado em locais sensíveis, colaborando com o trabalho de órgãos, como as polícias federal e rodoviária federal na região de fronteira. Reportagem, Marina Melo.

 

Aírton: O presidente Michel Temer sancionou duas leis que regulamentam e tornam mais rígidas as investigações e punições de crimes de exploração sexual de crianças e adolescentes.

 

Gláucia: Uma delas determina autorização judicial para que agentes de polícia possam se infiltrar, na internet, para obter provas.

 

Aírton: Todas as informações devem ser encaminhadas diretamente ao juiz responsável, que vai zelar pelo sigilo dos dados.

 

Gláucia: A outra lei altera o Estatuto da Criança e do Adolescente e estipula perda obrigatória de bens e valores para aqueles envolvidos em crimes de exploração sexual e prostituição. 19h13 em Brasília.

 

Aírton: Como você organiza suas contas?

 

Gláucia: Está muito endividado?

 

Aírton: Pois bem, daqui a pouco nós vamos falar da Semana da Educação Financeira. Tem renegociação de dívidas e cursos que dão dicas para sair do vermelho. Então, fique ligado.

 

"Criança Feliz - Primeira Infância"

 

Gláucia: Mais de 2.500 municípios já aderiram ao programa Criança Feliz.

 

Aírton: O programa vai atender crianças de zero a três anos que fazem parte do Bolsa Família. As visitas começam a partir desse mês.

 

Gláucia: Hoje a embaixadora e primeira-dama, Marcela Temer, apresentou o programa a representantes de outros países e das Nações Unidas.

 

Repórter Taíssa Dias: A primeira-dama falou sobre a iniciativa do Governo Federal, lançada em outubro do ano passado. O objetivo do programa é ampliar a rede de atenção e cuidado integral com a primeira infância. Por meio dele, as crianças com até três anos de idade e gestantes que fazem parte do programa Bolsa Família vão receber em casa equipes de saúde e assistência social, que orientam sobre a importância do desenvolvimento saudável nessa etapa da infância. Um momento decisivo, segundo a primeira-dama, Marcela Temer.

 

Primeira-dama - Marcela Temer: Essa é a fase mais importante da vida, é o momento que vai definir o adulto de amanhã.

 

Repórter Taíssa Dias: O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, lembrou que o Criança Feliz é baseado em experiências internacionais e destacou o caráter transformador dessa iniciativa.

 

Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário - Osmar Terra: O programa já está em fase de implementação nos municípios, 2.547 municípios aderiram. Já capacitamos os multiplicadores, são cinco por estado. Já estamos na fase de capacitação dos municípios e esse mês começam as visitas domiciliares.

 

Repórter Taíssa Dias: O encontro reuniu representantes de 20 países, além da Organização das Nações Unidas, União Europeia e do governo brasileiro. Reportagem, Taíssa Dias.

 

Aírton: Esporte, dança, artes, serviços sociais e acesso à internet. Tudo num só lugar.

 

Gláucia: São os Centros de Artes e Esportes Unificados, os CEUs, construídos para atender comunidades carentes.

 

Aírton: Uma pesquisa do Ministério da Cultura mostra que os centros mudaram a realidade de muitos municípios.

 

Gláucia: E por isso o Governo está construindo mais 199 unidades em todo o país.

 

Repórter José Luís Filho: Na periferia de muitas cidades do Brasil, brincar na rua em dias de chuva é difícil. O parquinho fica vazio e quem quer jogar bola, como o estudante Iago Santana, não encontra parceiros.

 

Estudante - Iago Santana: Como está chovendo, ficar em casa no maior tédio do mundo.

 

Repórter José Luís Filho: Mas em municípios como Embu das Artes, na grande São Paulo, as crianças têm uma opção. O CEU, Centro de Artes e Esportes Unificados. Um espaço de aprendizado e recreação. Rodnei Lima, de 11 anos, brinca muito por aqui.

 

Estudante - Rodnei Lima: Futsal, vôlei, basquete que a gente faz.  Diverte também.

 

Repórter José Luís Filho: Construído há quase dois anos, com recursos do Ministério da Cultura, o CEU de Embu das Artes atende cerca de 15 mil pessoas, muitas em situação de vulnerabilidade social, como a dona de casa Regina Santana, que aqui tem acesso a programas sociais da Prefeitura e do Governo Federal.

 

Dona de casa - Regina Santana: Ah, eu faço a sacola de alimentação e a Bolsa Família, e o kit da TV Digital, num lugar só.

 

Repórter José Luís Filho: Além de esportes na quadra, tem pista de skate, biblioteca e telecentro com computadores. Para muita gente, como o pedreiro Wagner Ramos, esta é a única forma de se conectar à internet.

 

Pedreiro - Wagner Ramos: Se quiser conversar com sua família, fazer um trabalho, alguma coisa, é o lugar que você pode estar vindo, né?

 

Repórter José Luís Filho: E para saber o impacto que um CEU tem nas comunidades, o Ministério da Cultura realizou uma pesquisa com gestores de 87 CEUs. Os resultados mostram que 66% das praças funcionam todos os dias da semana. A maioria, com atividades pela manhã, tarde e noite. 70% dos CEUs têm equipes formadas por servidores públicos e contratados, 55% contam com voluntários. Mais da metade dos centros recebe entre 100 e 450 pessoas por semana. Um trabalho que, na opinião de Dilson Cruz, coordenador-geral do CEU de Embu das Artes, transforma a realidade das comunidades.

 

Coordenador-geral do CEU - Dilson Cruz: A gente já teve um grande ganho na comunidade, já melhorou a autoestima da comunidade e a gente já está evitando inclusive a depredação do próprio espaço, que quando começou tinha um pouco de depredação, hoje já não tem mais tanto.

 

Repórter José Luís Filho: Segundo Cid Junior, diretor de equipamentos culturais do Ministério da Cultura, as atividades e serviços oferecidos agradam a população.

 

Diretor de equipamentos culturais - Cid Junior: Nós temos relatos de casos de pessoas que diziam ter vergonha do nome do seu bairro, dizendo que moravam em outro bairro, e hoje se dizem com orgulho do bairro que vivem.

 

Repórter José Luís Filho: Para a dona de casa Marcela da Silva, moradora de Embu das Artes, o CEU mudou a vida dela e da vizinhança.

 

Dona de casa - Marcela da Silva: Melhorou na minha rotina do dia a dia, faço zumba, tem teatro, tem cinema, tem tudo. Eu acho muito maravilhoso.

 

Repórter José Luís Filho: Atualmente, 139 Centros de Artes e Esportes Unificados funcionam em todas as regiões do país, e outros 199 estão em construção. 70 devem ser inaugurados ainda este ano. Reportagem, José Luís Filho.

 

Aírton: Você faz bom uso do dinheiro? Chega ao fim do mês com as contas todas pagas e até sobra um pouco para guardar e quem sabe comprar um carro, fazer uma viagem?

 

Gláucia: Cuidar das finanças e evitar as dívidas ajuda até no ambiente familiar.

 

Aírton: Agora o Ministério da Justiça e o Banco Central podem te dar uma mãozinha pra sair do vermelho. Vem aí a Semana Nacional de Educação Financeira.

 

Repórter Natália Koslik: As dívidas tiram o sossego de muitos brasileiros. Para diminuir esse tipo de preocupação e alertar a população sobre o consumo responsável, o Ministério da Justiça e o Banco Central estão promovendo a 4ª Semana Nacional de Educação Financeira. O secretário nacional do consumidor, Arthur Rollo, fala sobre a importância de dar publicidade a esse assunto.

 

Secretário nacional do consumidor - Arthur Rollo: A gente chama atenção da população brasileira, pra necessidade de um planejamento financeiro, pra gente ter a utilização responsável do crédito, combater o consumismo e consequentemente ter um ambiente familiar melhor, porque está provado que quem tem dívidas tem um problema muito grande de convivência familiar.

 

Repórter Natália Koslik: Os consumidores que estiverem no vermelho vão contar com uma força-tarefa até o final deste mês para regularizarem a situação. O atendimento acontece por meio da plataforma consumidor.gov, na internet. O cidadão deve se cadastrar e indicar a instituição financeira com a qual tem dívidas, que tem até 10 dias pra se manifestar. Caso a pessoa esteja devendo pra uma instituição não cadastrada, a Secretaria Nacional do Consumidor vai intermediar uma solução. O secretário nacional do Consumidor, Arthur Rollo, afirma que este é um canal mais ágil pro consumidor chegar a uma solução.

 

Secretário nacional do consumidor - Arthur Rollo: O que a gente quer é estabelecer um canal de atendimento entre as instituições financeiras e os consumidores, pra que eles resolvam o seu problema sem a necessidade de recorrer ao Poder Judiciário. E em 2016 a gente teve um índice de solução enorme, um número de reclamações resolvidas muito grande, e é isso que a gente quer repetir em 2017.

 

Repórter Natália Koslik: Atualmente, o consumidor.gov conta com quase 505.000 usuários e mais de 370 empresas cadastradas. Para quem quiser saber mais sobre o tema, como calcular as receitas e despesas e planejar o seu orçamento, estão abertas 7.000 vagas para dois cursos pela internet, da Escola Nacional de Defesa do Consumidor. As inscrições são de graça e devem ser feitas até o dia 23 de maio, na página www.defesadoconsumidor.gov.br. Reportagem, Natália Koslik.

 

Gláucia: E olha só, nós já estamos na Semana Nacional de Educação Financeira, que vai até domingo, dia 14, com eventos presenciais e online em 22 estados e no Distrito Federal.

 

Aírton: No nosso Twitter, você acessa o link para saber se tem algum evento perto da sua casa. O endereço é twitter.com/vozdobrasil.

 

Gláucia: 19h21 em Brasília.

 

Aírton: Ouro Preto, em Minas Gerais, e a cidade de Goiás, em Goiás, são alguns dos tantos municípios que abrigam parte da história do país.

 

Gláucia: E são memórias que precisam ser preservadas. Daí a importância do PAC Cidades Históricas, um programa do governo que atua em sítios históricos, protegidos pelo Iphan.

 

Aírton: Hoje, 44 cidades contam com investimento de mais de R$ 1,5 bilhão em mais de 400 obras de restauração de edifícios e espaços públicos.

 

Repórter Jéssica do Amaral: A histórica cidade de Goiás, conhecida como Goiás Velho, é um exemplo da riqueza do patrimônio brasileiro. A prefeita, Selma Bastos, conta com parceria do governo para preservar parte da memória do país.

 

Prefeita de Goiás - Selma Bastos: Sobretudo porque nós fomos contemplados com o PAC das Cidades Históricas, né? Conseguimos mais de R$ 26 milhões de investimentos na cidade, já inauguramos quatro obras, vamos inaugurar a quinta e até o final do ano, a sexta.

 

Repórter Jéssica do Amaral: O PAC Cidades Históricas é fruto da preocupação do governo com os sítios históricos urbanos, protegidos pelo Iphan, o Instituto do Patrimônio Histórico e Natural, ligado ao Ministério da Cultura. Hoje, são 425 obras de restauração de edifícios e espaços públicos em 44 cidades. Essa é uma das ações que a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, destaca no esforço de preservação da nossa cultura e história.

 

Presidente do Iphan - Kátia Bogéia: A ideia é que essas cidades sejam qualificadas, que elas estejam em boas condições  de atender ao seu cidadão e, a partir daí, receber pessoas e, com isso, movimentar toda a economia.

 

Repórter Jéssica do Amaral: Além de representar a memória do povo brasileiro, as cidades, sítios históricos e parques nacionais reconhecidos como patrimônio são ainda importantes para gerar emprego e renda para todo o país, como explica o ministro da Cultura, Roberto Freire.

 

Ministro da Cultura - Roberto Freire: Que a própria cultura, muitas vezes não imaginável como de impacto na economia, é hoje uma das economias que são mais dinâmicas, dos vários setores que compõem essa atividade em qualquer país, e no Brasil também.

 

Repórter Jéssica do Amaral: No Brasil, 25 bens são reconhecidos pela Unesco, entre patrimônios históricos, naturais e manifestações culturais. Entre eles, a cidade histórica de Ouro Preto, em Minas Gerais, o Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, e a roda de capoeira. Reportagem, Jéssica do Amaral.

 

Gláucia: Já é possível acompanhar em tempo real o andamento de todos os projetos do Programa de Aquisição de Alimentos, o PAA, que são operados pela Conab.

 

Aírton: Com isso, vai ser possível consultar a quantidade de alimentos entregues pelos agricultores e os valores pagos para cada fornecedor.

 

Gláucia: A ferramenta também permite buscar informações sobre entidades que recebem os alimentos e agricultores participantes.

 

Aírton: As informações estão no endereço conab.gov.br em Sistema de Transparência do PAA.

 

Gláucia: Essas foram as notícias do Governo Federal.
 
 

Aírton: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gláucia: Com produção da Empresa Brasil de comunicação.

 

Aírton: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional e tenha uma boa noite.

 

Gláucia: Boa noite pra você e até amanhã.