09 DE JANEIRO DE 2018

Destaques da Voz do Brasil: Campanha de vacinação contra febre amarela será reforçada no Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo e vacinas serão fracionadas para imunizar quase 20 milhões de pessoas. Presidente Michel Temer responde ouvintes e faz balanço de ações no SUS. Vendas no comércio voltam a crescer com promoções no mês de novembro. Pontualidade nos aeroportos chega a 93% no final do ano.

audio/mpeg 09_01_18 - A VOZ DO BRASIL.mp3 — 23541 KB




Transcrição

Voz do Brasil - 09/01/2018

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 "Está no ar A Voz do Brasil, as notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 Apresentadora Alessandra Bastos: Olá, boa noite.

 Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 Alessandra: Terça-feira, 9 de janeiro de 2018.

 Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 Alessandra: Campanha de vacinação contra febre amarela será reforçada no Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo.

 Nasi: Vacinas serão fracionadas para imunizar quase 20 milhões de pessoas. Nei Pereira.

Repórter Nei Pereira: Estudos da Fundação Oswaldo Cruz confirmam que a redução da dose de 5ml para 1ml não compromete a imunização, garantida por até oito anos.

 Alessandra: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 Nasi: Renovação da frota de ambulâncias, mais equipes de saúde da família e novas unidades de atendimento.

 Alessandra: Presidente Michel Temer responde ouvintes e faz balanço de ações no SUS.

 Presidente Michel Temer: Vamos investir na construção de novas UPAs e mais de 2 mil Unidades Básicas de Saúde, que atenderão 15 milhões de brasileiros e vai ajudar a desafogar os hospitais.

 Nasi: Vendas no comércio voltam a crescer com promoções no mês de novembro.

 Alessandra: E para você que está com voo marcado, vamos falar da pontualidade nos aeroportos. João Pedro Neto.

 Repórter João Pedro Neto: A estimativa é que mais de 35 milhões de passageiros passem pelos 15 principais aeroportos do país na alta temporada.

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Alessandra Bastos e Nasi Brum.

 Alessandra: E para assistir a gente ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 Nasi: São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia vão reforçar a vacinação contra a febre amarela.

Alessandra: Quase 20 milhões de pessoas, de 75 municípios desses estados, devem ser vacinadas até março.

Nasi: E para imunizar o máximo de pessoas, o mais rápido possível, o Ministério da Saúde decidiu fracionar, ou seja, vai reduzir a quantidade da vacina aplicada em alguns públicos.

Alessandra: A diferença está no tempo de proteção. A dose maior protege por toda a vida e a fracionada protege por oito anos.

Repórter Nei Pereira: Com o surgimento de focos de febre amarela em São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, o governo vai fazer uma campanha especial de vacinação nesses três estados. A campanha pretende imunizar quase 20 milhões de pessoas de 75 municípios. Para isso, o Ministério da Saúde vai fracionar as doses da vacina, ou seja, vai aplicar 20% da dose padrão. O ministro Ricardo Barros garante que não estão faltando vacinas no país e que o fracionamento foi adotado por se tratar de uma situação emergencial.

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Como são áreas de grande número de habitantes, nós fracionamos a vacina para garantir cobertura rápida em pouco espaço de tempo, como uma solução para evitar que esta população, que está exposta à circulação do vírus, possa ser atingida pela febre amarela. O objetivo é poupar vidas.

Repórter Nei Pereira: Mulheres grávidas, crianças de até 2 anos, pessoas com doenças graves e quem vai viajar para fora do país vão continuar a receber a dose integral. Para as demais pessoas, estudos da Fundação Oswaldo Cruz confirmam que a redução da dose, de 5ml para 1ml, não compromete a imunização, garantida por até oito anos. É o que afirma a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade.

Presidente da Fiocruz - Nísia Trindade: Quando se fala oito anos, não quer dizer que a vacina tem uma validade de oito anos. Quer dizer que está comprovado, atestado, que, após oito anos, esses indivíduos mantêm anticorpos para a febre amarela e, portanto, estão protegidos.

Repórter Nei Pereira: No estado de São Paulo, já são 182 casos notificados e duas mortes confirmadas desde julho do ano passado. Marcos Boulos, coordenador de Controle de Doenças da Secretaria de Saúde do estado, recomenda tomar a vacina antes de viajar para a região.

 Coordenador de Controle de Doenças - Marcos Boulos: Pessoas que vão viajar para lá são as pessoas que estão se infectando. A imunização demora em torno de oito a dez dias para começar, para produzir resposta, então a pessoa tem que vacinar antes. Se for viajar antes do período de cobertura, tem que usar repelente quando for para essa região.

 Repórter Nei Pereira: A campanha de vacinação contra a febre amarela será de 3 a 24 de fevereiro, nos municípios selecionados de São Paulo, e de 19 de fevereiro a 9 de março em cidades do Rio de Janeiro e Bahia. Reportagem, Nei Pereira.

"Você na Voz do Brasil"

 Nasi: Nesta semana, o presidente Michel Temer é quem responde depoimentos e dúvidas enviadas por nossos ouvintes.

 Alessandra: É, Nasi. Já que começamos a Voz do Brasil falando de saúde, nós recebemos uma mensagem da professora e técnica de enfermagem, Sandra Maria de Oliveira. Ela mora em Belém, no Pará, e fez questão de contar para a gente sobre a surpresa que teve ao conhecer o funcionamento de uma UPA.

 Nasi: Ela explicou que foi a campo saber como é a realidade do atendimento nessas unidades de saúde. E, além de conhecer, hoje Sandra é usuária da UPA que fica no seu bairro. Vamos ouvir o que ela diz?

 Professora e técnica de enfermagem - Sandra Maria de Oliveira: Como eu fiquei conhecendo o trabalho e descobri que a UPA foi criada justamente para tirar, desafogar os prontos-socorros, que são poucos, a gente sabe, né? Então, a UPA, ela foi criada justamente para isso, para o pronto-socorro ter condições de atender os casos realmente graves, né? Então eu gostei muito, eu fiquei, assim, muito admirada do projeto deles, e que eles buscam fazer um trabalho realmente para a comunidade. Meus pais estão indo direto, né? Porque de vez em quando, sabe como é, pessoas de idade, né... Desde quando eles precisem, graças a Deus sempre foram bem atendidos. E eles têm, assim, um trabalho muito grande. Até dentista, dentista 24 horas, para uma dor de dente, para uma emergência, eu achei, assim, isso um máximo, né?

 Alessandra: Que bom, Sandra. O presidente Michel Temer responde seu comentário e anuncia novidades aí em Belém e no resto do país.

 Presidente Michel Temer: Pois muito boa noite, Sandra. E boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. Olha, eu acho fundamental esse seu depoimento, Sandra, que mostra a realidade de quem precisa do SUS, do Sistema Único de Saúde. E eu também concordo com você, porque com a UPA nós conseguimos evitar que um paciente que tem apenas uma dor de cabeça, uma gripe, chegue ao pronto-socorro, onde o atendimento deve ser exclusivo a casos mais graves. É por isso que, também, dentro do programa que nós lançamos, Agora é Avançar, vamos investir na construção de novas UPAs e mais de 2 mil Unidades Básicas de Saúde, que atenderão 15 milhões de brasileiros e vai ajudar a desafogar os hospitais. Aí em Belém, por exemplo, há duas UPAs em funcionamento e três em construção. E olhe, além dessas obras para aumentar o número de UPAs e postos de saúde, vamos dar mais eficiência ao atendimento à população. Aumentamos em 27% o percentual de equipes credenciadas em núcleos de apoio à saúde da família, que atendem diretamente a população, vão até as casas das pessoas, medem pressão, avaliam se a vacina está em dia. Portanto, também, podemos dizer que mais de 50% da frota de ambulâncias do Samu em todo o país serão renovadas até final de 2018. Agora, estamos trabalhando num grande programa para facilitar a vida de quem depende do SUS, o DigiSUS, um prontuário eletrônico com todas as informações sobre consultas, remédios. Assim, a gente acompanha tudo de perto, não é? E consegue, inclusive, repor com mais rapidez um medicamento que falta. A nossa ideia é que o paciente possa acompanhar tudo pela internet, marcar consultas e acompanhar a lista de espera para uma cirurgia, por exemplo. E você sabe, Sandra, ouvir o seu depoimento nos enche de orgulho e nos mostra onde precisamos trabalhar ainda mais para atender as necessidades fundamentais dos brasileiros.

Nasi: A melhora da economia e a chamada Black Friday levaram o mês de novembro a registrar uma alta de 6% nas vendas do comércio, isso em comparação com novembro de 2016.

Alessandra: Foi quando muita gente aproveitou para comprar principalmente artigos de casa e eletrodomésticos, segundo a pesquisa divulgada hoje pelo IBGE.

 Repórter Carolina Rocha: Em novembro de 2017, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, as vendas do comércio varejista aumentaram em quase 6%. Essa foi a melhor taxa para os meses de novembro desde o ano de 2013. Isabela Nunes, gerente da pesquisa mensal do comércio do IBGE, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, destaca que, entre as causas do bom resultado, estão as promoções feitas pelo comércio nessa época do ano, como a Black Friday, e o aumento do poder de compra dos brasileiros.

 Gerente de pesquisa do IBGE - Isabela Nunes: Foi impulsionado principalmente pelas atividades que têm uma relação mais próxima com a promoção de novembro, principalmente pelas vendas na internet, que são móveis, eletrodomésticos e outros artigos de uso pessoal e doméstico. E também de uma melhora gradual do mercado de trabalho, com redução da taxa de desocupação, e aumento da massa real de rendimentos.

Repórter Carolina Rocha: A Black Friday surgiu nos Estados Unidos. É a última sexta-feira do mês de novembro, quando as lojas fazem grandes promoções. No Brasil, a cada ano a ideia ganha mais força no calendário varejista, em lojas físicas e nas que vendem também pela internet. Foi na Black Friday do ano passado que a bióloga Marina Machado aproveitou para comprar roupas pela internet. Para ela, fazer compras on-line é economia de tempo e dinheiro.

 Bióloga - Marina Machado: Tem como você pesquisar preço, promoções de fretes grátis ou 'pague
 dois e leve três'.

Repórter Carolina Rocha: O músico Francis Campelo também aproveitou a data para comprar um celular.

 Músico - Francis Campelo: Ele surgiu por R$ 500,00. Aí eu falei: Ah, vou comprar. Levei. E valeu a pena, pelo preço do celular, o custo-benefício foi bom.

Repórter Carolina Rocha: O aumento das vendas do comércio varejista em 0,7%, entre novembro e outubro do ano passado, foi registrado em cinco das oito atividades analisadas. Reportagem, Carolina Rocha.

Alessandra: 19h11 no horário brasileiro de verão.

Nasi: Estamos em alta temporada.

Alessandra: E aumenta o número de passageiros nos aeroportos de todo o país.

 Nasi: Daqui a pouquinho, vamos dar os detalhes da pontualidade dos voos que estão saindo nos principais terminais.

 "Defesa do Brasil! Defesa do Brasil! Defesa do Brasil!".

Alessandra: Se você conhece alguém que completa 18 anos neste ano, fique atento.

Nasi: O alistamento militar obrigatório já começou e pode ser feito pela internet.

Alessandra: A expectativa do Ministério da Defesa é de que 2 milhões de jovens façam o alistamento neste ano, e de que pelo menos 100 mil deles sejam chamados para fazer parte dos quadros da Marinha, do Exército ou da Aeronáutica.

Repórter Marina Melo: Jovens que nasceram no ano 2000 e que completam 18 anos agora em 2018 já podem realizar seu alistamento militar obrigatório. Este ano, pela primeira vez, o alistamento poderá ser feito pela internet, de qualquer região do país. Basta acessar o site www.alistamento.eb.mil.br, tendo em mãos o número do CPF. Neste site, que também pode ser acessado pelo celular, o jovem irá indicar sua situação e obter todas as informações necessárias sobre como proceder. Desde 2016, o Ministério da Defesa vem fazendo um esforço para implementar o alistamento on-line em todo o Brasil. O coordenador da seção de Serviço Militar do Ministério da Defesa, coronel André Buarque, explica que a medida gera economia e conforto.

 Coordenador da seção de Serviço Militar - Coronal André Buarque: O grande objetivo é justamente reduzir o tempo que o cidadão, que o jovem perdia para realizar o seu alistamento nas Juntas de serviço militar. Com esse formato on-line, ele não só terá uma economia, ele não necessitará gastar passagens para se deslocar até a Junta, como ele também, de uma forma bem confortável e rápida, ele poderá realizar o seu alistamento militar através da internet, trazendo um benefício muito grande para o jovem e reduzindo aquelas filas enormes que anteriormente existiam.

 Repórter Marina Melo: Mesmo com essa facilidade, o coronel explica o que deve ser feito, caso o jovem não tenha acesso à internet para realizar o alistamento.

 Coordenador da seção de Serviço Militar - Coronal André Buarque: Aqueles que, porventura, tenham alguma dificuldade de acessar a internet, porque o município é muito afastado, não tem essas facilidades, ele deverá procurar a Junta de serviço militar mais próximo da sua residência, que esta Junta estará realizando o seu alistamento normalmente.

Repórter Marina Melo: Após o alistamento realizado, o jovem acompanhará neste mesmo site o andamento de sua situação. O alistamento militar é obrigatório para todos os jovens do sexo masculino que completam 18 anos. Além do pagamento de multa, o cidadão que não realizar o alistamento pode ser impedido de tirar passaporte, ingressar no serviço público ou tirar carteira de trabalho, entre outras restrições. Reportagem, Marina Melo.

Nasi: O ministro da Justiça, Torquato Jardim, se reuniu hoje com o governador de Goiás, Marconi Perillo.

 Alessandra: Perillo relatou ao ministro investimentos no setor de segurança pública no estado e pediu apoio para aprovação do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Segurança Pública, que está em análise no Congresso Nacional.

Nasi: Torquato Jardim prometeu apoiar o projeto. O fundo deve financiar ações para capacitar, equipar e integrar as forças policiais dos estados.

 Alessandra: Os recursos virão de tributos pagos pelas indústrias de armas e pelas empresas de segurança privada.

 Nasi: Nos últimos 12 meses, o governo já repassou aos estados mais de R$ 1,2 bilhão para enfrentar a crise no sistema penitenciário.

Alessandra: A partir de janeiro, quem tem um plano de saúde passou a contar com uma nova lista de exames e cirurgias.

Nasi: É que a Agência Nacional de Saúde Suplementar atualizou os procedimentos que devem ter cobertura obrigatória dos planos. A repórter Márcia Fernandes explica para a gente quais são eles e como essa atualização funciona.

Repórter Márcia Fernandes: Ainda na adolescência, Adriana Bernardo descobriu que tinha esclerose múltipla, uma doença que afeta o sistema nervoso central, provocando lesões no cérebro e na medula. Logo, ela teve que lidar com sintomas, como perda de visão, dificuldades de locomoção e equilíbrio e dor crônica, uma história que mudou depois que a aposentada conheceu o remédio natalizumab.

Aposentada - Adriana Bernardo: Foi um medicamento que veio a ajudar no meu quadro clínico da esclerose múltipla. Eu sou progressiva secundária, que é uma pessoa que está com a doença sendo 'desenvolvendo', sem uma melhora considerável, e o medicamento parou esse processo. Então para mim foi, assim, de extrema importância.

Repórter Márcia Fernandes: O medicamento que mudou a vida da Adriana agora está disponível para os pacientes com planos de saúde. A atualização da lista inclui 18 novas ações, como exames e cirurgias, e sete procedimentos, entre eles medicamentos contra o câncer. A diretora de Normas e Habilitação de Produtos, da Agência Nacional de Saúde Suplementar, Carla Santa Cruz, fala da importância da atualização.

 Diretora de Normas e Habilitação de Produtos - Carla Santa Cruz: São tecnologias que aumentam a eficácia, melhoram a qualidade de vida e também são mais precisas no diagnóstico de determinadas doenças.

Repórter Márcia Fernandes: A nova lista vai atender mais de 42 milhões de beneficiários de planos de saúde e 22,6 milhões de usuários de planos odontológicos. De imediato, a inclusão não vai impactar no aumento dos planos. O eventual repasse de custos para o consumidor só pode acontecer a partir do ano que vem. É o que explica Carla Santa Cruz, da ANS.

Diretora de Normas e Habilitação de Produtos - Carla Santa Cruz: Esses custos não devem ser repassados imediatamente, porque nós vamos avaliar durante um ano como está a frequência de utilização, a sinistralidade, para ver se houve um grande aumento.

Repórter Márcia Fernandes: Para saber quais procedimentos foram incluídos na lista de cobertura mínima dos planos de saúde, basta acessar o site da ANS, em www.ans.gov.br. Reportagem, Luana Karen e Márcia Fernandes.

Alessandra: Começo de ano e muita gente tem problemas com compras feitas para o Natal.

Nasi: Além dos Procons, o consumidor que se sentir lesado tem uma segunda alternativa para registrar sua reclamação e resolver o seu problema.

Alessandra: É a plataforma Consumidor.gov. A média de solução das reclamações registradas é de 81%.

Repórter Raíssa Lopes: O professor de matemática, Rodrigo Braga, comprou um ar-condicionado em outubro do ano passado. Desde então é só dor de cabeça. Teve vários problemas com o aparelho e, depois de tentar resolver com a empresa sem conseguir, procurou a ajuda do Procon do Distrito Federal.

Professor - Rodrigo Braga: Quando eu procurei a loja que me vendeu, eles mandaram que eu procurasse a autorizada. E a autorizada alegou que eu não tinha direito à garantia do produto, porque eu não fiz a instalação com eles, sendo que o tipo de instalação que eu precisava eles não faziam.

 Repórter Raíssa Lopes: Rodrigo é um dos mais de 19,5 milhões de brasileiros que já procuraram Procons que fazem parte do Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça. A ferramenta permite o registro das reclamações dos consumidores, formando um banco nacional com as queixas e o comportamento dos fornecedores. O sistema reúne 486 Procons de 26 estados e do Distrito Federal. Uma outra ferramenta para reclamações é o consumidor.gov.br. Nele, o comprador entra em contato diretamente com o fornecedor ou o prestador de serviço. Em três anos de funcionamento, já são quase 1 milhão de registros; 81% foram resolvidos e as reclamações ainda ajudam na criação de políticas públicas, como conta a diretora de Defesa do Consumidor, do Ministério da Justiça, Ana Caran.

Diretora de Defesa do Consumidor - Ana Caran: A partir desses dados, a gente consegue saber quais são os maiores problemas das relações de consumo que nós temos espalhados pelo Brasil, do setor bancário, setor de telecomunicação, setor de plano de saúde. Esses levantamentos são apresentados a nós por meio desses índices de reclamação feito pelos consumidores.

Repórter Raíssa Lopes: Os bancos de dados criados a partir das reclamações no Ministério da Justiça também podem ser usados como ferramentas de pesquisa antes de comprar um produto ou serviço.  Reportagem, Raíssa Lopes.

Alessandra: 19h20 no horário brasileiro de verão.

Nasi: Num país do tamanho de um continente, como o Brasil, o avião é muitas vezes a alternativa para vencer distâncias medidas em milhares de quilômetros.

Alessandra: No período que vai de dezembro a fevereiro, a chamada alta temporada, que inclui as festas de fim de ano, as férias escolares e o carnaval, a ocupação dos aviões e a lotação dos aeroportos é sempre maior.

 Nasi: E quem viaja frequentemente espera enfrentar filas para embarcar e atrasos nos voos.

Alessandra: Mas esta situação hoje está bem diferente. Os passageiros que embarcaram nessas primeiras semanas de temporada não encontraram filas e decolaram no horário certinho.

Repórter João Pedro Neto: Festas de fim de ano, férias escolares, carnaval. Época movimentada
 nos aeroportos brasileiros. A estimativa é que mais de 35 milhões de passageiros passem pelos 15 principais aeroportos do país na alta temporada, o que representa 12% a mais do que no mesmo período de 2016-2017. E até agora o esquema especial de fim de ano nos aeroportos brasileiros tem alcançado resultados melhores do que na alta temporada anterior. Na terceira semana da operação de fim de ano, entre os dias 28 de dezembro e 3 de janeiro, 93% dos voos foram pontuais nos terminais pesquisados, índice maior do que o da temporada passada, quando 90% saíram e chegaram no horário. Para o jornalista César Nascimento, que viajou duas vezes de avião nas últimas semanas, os atrasos são cada vez mais raros.

Jornalista - César Nascimento: Hoje eu vim de São Paulo para cá, horário certinho, normal. Esses dias eu vim para cá também, voltei, horário normal. Não atrasou, não.

 Repórter João Pedro Neto: A avaliação dos terminais também melhorou. A nota média de satisfação do passageiro foi de 4,31 pontos, em uma escala de 1 a 5, em que 1 é muito ruim e 5 representa muito bom. Na alta temporada anterior, a satisfação média foi de 4,23 pontos nos 15 aeroportos que concentram 80% da movimentação de passageiros no país. Seis deles ficam na região Sudeste, quatro no Nordeste, dois na região Sul, dois no Centro-Oeste e um no Norte. O aeroporto de Viracopos, em Campinas, foi o mais bem-avaliado e também o que teve menor índice de atraso. O terminal Santos Dumont, no Rio de Janeiro, teve a avaliação mais baixa, enquanto o de Manaus foi o que registrou o maior índice de atrasos. Para a esteticista Valéria Gomes, os serviços nos aeroportos brasileiros melhoraram nos últimos anos.


Esteticista - Valéria Gomes: Melhorou muito, bastante. Gostei muito, fui bem-tratada. Muito bom.

Repórter João Pedro Neto: Quase 12 mil profissionais estão envolvidos no esquema especial de alta temporada nos 15 terminais, além de cerca de 1.700 servidores de órgãos públicos em funções de alfândega, fiscalização e barreiras sanitárias. A operação começou em 15 de dezembro e vai até o dia 19 de fevereiro. Reportagem, João Pedro Neto.

Nasi: Opções de esporte, lazer e diversão nas férias escolares.

 Alessandra: Este é o programa Brincando com o Esporte.

 Nasi: E o edital para estados, municípios e instituições que queiram receber recursos para oferecer atividades nas próximas férias já está aberto.

Repórter Mara Kenupp: Pula-pula, vôlei, futsal e pintura são algumas das atividades do projeto Brincando com o Esporte, para a garotada se divertir nas férias. O programa é do Ministério do Esporte e o edital para selecionar as instituições públicas interessadas em participar nas próximas férias já está aberto. Cada interessado deverá criar no mínimo um núcleo para atender 200 crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. Além das brincadeiras, estão previstos lanches e passeios. Segundo Leandro Cruz, secretário nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social, do Ministério do Esporte, a intenção é dar opção de lazer às crianças nas férias escolares.

Secretário nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social - Leandro Cruz: O objetivo desse programa é tirar as crianças das ruas no período que ela está mais exposta, que é o período de férias escolares. A nossa ideia é que ele funcione como uma colônia de férias, aonde as crianças tenham a possibilidade de ter acesso a uma atividade esportiva, educacional e de lazer ao mesmo tempo, mas sem deixar de cuidar da formação e da proteção dessa criança.

Repórter Mara Kenupp: Quem comemorou foi o coordenador-geral da Universidade Federal Fluminense do Rio de Janeiro, Francisco Gilberg. A instituição participou no ano passado e, com os recursos, foi possível atender 5.700 crianças e adolescentes no Rio de Janeiro. Francisco Gilberg diz que o projeto é importante para a interação entre o poder público e a comunidade.

Coordenador-geral da Universidade Federal Fluminense - Francisco Gilberg: Então é um programa que, além de contemplar a questão da saúde, também da ação esportiva e educacional, também consegue resgatar essa criança para que ele não fique na rua naquele período também de férias.

Repórter Mara Kenupp: O processo seletivo do Brincando com o Esporte será feito em três etapas. As inscrições podem ser feitas na página do Ministério do Esporte, no endereço esporte.gov.br, até o dia 2 de fevereiro. Reportagem, Mara Kenupp.

Alessandra: E essas foram as notícias do Governo Federal.

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

Alessandra: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 Alessandra: Uma boa noite pra você e até amanhã.

"Brasil, ordem e progresso".