10 DE ABRIL DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Começa em todo país a Campanha de Vacinação Contra a Gripe. Mais de 58 milhões de pessoas têm direito a tomar a vacina. Governo do presidente Jair Bolsonaro completa 100 dias. E vamos falar das principais ações no corte de gastos públicos, meio ambiente, área social e economia. R$ 4 bi para modernizar ruas e avenidas e investir em uso de tecnologias. Publicadas regras do Programa Pró-Cidades, que oferece crédito para prefeituras de todo país.

audio/mpeg 10-04-19-VOZ DO BRASIL.mp3 — 45033 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

      

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quarta-feira, 10 de abril de 2019.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Começa em todo o país a campanha de vacinação contra a gripe.

 

Gabriela: Mais de 58 milhões de pessoas têm direito a tomar a vacina. Luciana Colares de Holanda.

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: A campanha começou antes para grávidas, as mamães com até 45 dias do parto e as crianças com menos de 6 anos.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil.

 

Gabriela: Governo do presidente Jair Bolsonaro completa cem dias.

 

Nasi: E vamos falar das principais ações no corte de gastos públicos, meio ambiente, área social e economia. Ricardo Ferraz.

 

Repórter Ricardo Ferraz: As concessões à iniciativa privada de 12 aeroportos, 10 terminais portuários e o trecho sul da ferrovia Norte-Sul renderam aos cofres públicos R$ 7,6 milhões.

 

Gabriela: Quatro bilhões de reais para modernizar ruas, avenidas e investir em uso de tecnologias.

 

Nasi: Publicada as regras do Programa Pró-Cidades, que oferece crédito para prefeituras de todo o país.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br .

 

Gabriela: Grávidas, mulheres que tiveram filho a menos de 45 dias e crianças de até 6 anos já podem se vacinar contra a gripe.

 

Nasi: Esse é o primeiro grupo prioritário da campanha de vacinação deste ano.

 

Gabriela: No total, o Ministério da Saúde pretende vacinar mais de 58 milhões de pessoas em todo o país.

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: Carlisa Andrade não perdeu tempo, chegou cedinho e foi uma das primeiras a tomar a vacina neste primeiro dia de campanha, que este ano começou mais cedo. Grávida de 37 semanas, a professora quer se imunizar e também proteger o filho Gael.

 

Professora - Carlisa Andrade: Muito novinho, né? Ele não pode tomar a vacina. Então, através de leite materno é que a gente consegue imunizar ele.

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: A Campanha Nacional de Vacinação este ano começou antes para as grávidas, as mamães com até 45 dias do parto e as crianças com menos de 6 anos. A segunda fase começa no dia 22 de abril e a vacina fica, então, disponível para os demais públicos-alvo da campanha, que são idosos, profissionais da saúde, indígenas, professores, portadores de doenças crônicas, entre outros. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, explica o motivo de se imunizar primeiro as gestantes.

 

Ministro da Saúde - Luiz Henrique Mandetta: Esse vírus, o H1N1 e o vírus da gripe, ele se comportou em gestantes de uma maneira mais agressiva. Não se sabe por que a mulher na condição de gestante, ela evolui para uma pneumonia muito mais grave e leva muitas pessoas a óbito.

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: Segundo dados do Ministério da Saúde, até março desde ano já foram notificados 232 casos de influenza no Brasil e 50 pessoas já morreram por causa do vírus. No ano passado, foram registrados 6.670 casos de influenza em todo país, com 1.370 mortes. O lançamento oficial da campanha foi em Porto Alegre, mas, no Amazonas, já houve uma etapa da vacinação por causa de um surto de gripe, como detalha o Ministério da Saúde.

 

Ministro da Saúde - Luiz Henrique Mandetta: No mês de fevereiro, em menos de 30 dias, chegamos a quase 30 óbitos, então, nós tivemos que fazer 1,2 milhão doses de vacina. Já concluímos a vacina do Amazonas.

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: A gauchinha Helena Marrone, de 4 anos e meio, ensaiou o choro na hora da picadinha, mas aguentou firme. Foi rápido e quase não doeu. O papai, Márcio Marrone, que fez questão de trazer a pequena logo no primeiro dia, conta que esse cuidado já é rotina.

 

Entrevistado - Márcio Marrone: É a terceira vez que ela toma, é importante a conscientização para não passar a gripe à gente, né?

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: O dia D de mobilização na nacional está marcado para 4 de maio, todos os estados brasileiros já receberam 64 milhões de doses da vacina contra a influenza e a meta é imunizar pelo menos 58,6 milhões pessoas. Jaqueline Alves da Silva, bombeira que está grávida de 35 semanas, também se imunizou neste primeiro dia.

 

Bombeira - Jaqueline Alves da Silva: Eu quero já estar prevenida também para prevenir o bebê.

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: Estudos mostram que a imunização pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias. Reportagem: Luciana Colares de Holanda.

 

Nasi: Foram muitas as mudanças.

 

Gabriela: Nos primeiros cem dias, o governo do presidente Jair Bolsonaro adotou medidas em diversos setores do país.

 

Nasi: Na economia, segurança pública, organização do funcionalismo público, no meio ambiente, na área social.

 

Gabriela: Vamos ouvir agora um resumo das principais medidas adotadas e como elas já estão mudando o Brasil.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O presidente Jair Bolsonaro estabeleceu 35 metas para os primeiros cem dias de governo, as propostas englobaram todos os ministérios. A primeira pasta a cumprir integralmente o desafio proposto foi o Ministério da Infraestrutura. Foram concedidas à iniciativa privada as operações de 12 aeroportos, de 10 terminais portuários e do trecho sul da ferrovia Norte?Sul. Logo após o leilão dos aeroportos o titular da pasta, Tarcísio Gomes de Freitas, explicou o impacto das concessões na economia.

 

Titular da pasta - Tarcísio Gomes de Freitas: Estamos acertando, a política econômica está no caminho certo e a gente tem tudo para começar a retomar de forma mais rigorosa o crescimento econômico.

 

Nasi: O ministério da Justiça e Segurança Pública editou o decreto para facilitar a posse de armas de fogo e apresentou ao Congresso Nacional o pacote de lei anticrime. O projeto foca do combate ao crime organizado, ao crime violento e à corrupção. Quando lançou o pacote, Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, explicou a abrangência das medidas.

 

Ministro da Justiça e Segurança Pública - Sérgio Moro: Muitos homicídios são relacionados aí ao crime organizado, disputa de tráfico, em assassinatos de dependentes químicos que não conseguem honrar suas dívidas. O crime organizado também é uma fonte de corrupção. E, por outro lado, a corrupção também esvazia os recursos públicos necessários para enfrentar o crime organizado e o crime violento.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O combate à corrupção também foi alvo da Controladoria-Geral da União, que passou a adotar critérios mais rígidos para a contratação de funcionário do governo federal em cargos de confiança, como explicou o ministro da CGU, Wagner Rosário.

 

Ministro da CGU - Wagner Rosário: Nós temos muita ocupação de cargos com pessoas completamente despreparadas, com indicações para cargos sem base em nenhum critério claro. Então, a gente espera que com essa ação a gente venha a agir, tanto do lado de combate à corrupção como do lado de melhora da gestão pública, que é um desejo de todo o cidadão.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O Ministério na Economia atacou os problemas relacionados ao funcionalismo público, determinou a redução de 21 mil cargos comissionados e gratificações. O governo também preparou o terreno para a proposta da Nova Previdência, realizando a revisão de 6,4 milhões benefícios concedidos, o que deve gerar uma economia de quase R$ 10 bilhões em 12 meses. Aumentar a arrecadação também foi o foco da Advocacia-Geral da União, que implementou o atendimento eletrônico de devedores dos órgãos federais para facilitar o pagamento de débitos com a União. Já o Ministério do Meio Ambiente apresentou um plano de combate ao lixo no mar, uma agenda prioritária do governo, como explicou o ministro Ricardo Salles.

 

Ministro do Meio Ambiente - Ricardo Salles: É um tema extremamente importante para um país que tem 8.500 quilômetros de costa, quase 300 municípios litorâneos, que deveria ter muito mais turismo ligado ao litoral e o que nós vemos é um acréscimo cada vez maior do lixo no mar.

 

Repórter Ricardo Ferraz: E o problema da automutilação e do suicídio de crianças e jovens foi a meta do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos. A ministra Damares Alves explicou que casos de automutilação são cada vez mais recorrentes.

 

Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos - Damares Alves: Crianças que estão praticando a automutilação não-suicida acabam chegando ao suicídio, mas a gente tem também toda uma tragédia que traz a automutilação, que é a depressão, as marcas que ficam para sempre, a tristeza profunda e nós precisamos lidar com este fenômeno no Brasil.

 

Repórter Ricardo Ferraz: A pasta da Cidadania determinou a expansão da transferência de renda do Bolsa Família, 14 milhões de famílias atendidas pelo programa passarão a receber o 13º salário. Reportagem: Ricardo Ferraz.

 

Nasi: Tornar mais conhecido os produtos fabricados a partir de plantas e frutas da Floresta Amazônica.

 

Gabriela: E daqui a pouco vamos falar de uma campanha do Ministério da Agricultura para aumentar o consumo desses artigos e objetos que são extraídos sem prejudicar o meio ambiente.

 

"Conheça a nova TV Brasil. Muito mais informação, muito mais serviço e ainda mais notícias sobre políticas públicas. Então, não esqueça, assista às notícias do governo federal na nova TV Brasil".

 

Nasi: E na nova TV Brasil as notícias do país do mundo estão no Repórter Brasil.

 

Gabriela: Hoje o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, vai falar sobre os cem dias de governo, a Nova Previdência e a relação do governo com o Congresso para aprovar propostas para beneficiar a população.

 

Nasi: E o ministro Onyx Lorenzoni faz o convite para você acompanhar essa entrevista exclusiva. Vamos ouvir.

 

Ministro?chefe da Casa Civil ? Onyx Lorenzoni: A partir de hoje a TV Brasil está de cara nova e hoje à noite, quarta?feira, 20h15min, a gente se encontra na TV Brasil.

 

Gabriela: Hoje à noite o presidente Jair Bolsonaro e alguns ministros vão participar de um jantar com embaixadores de países árabes e empresários.

 

Nasi: Esses países são grandes importadores de produtos agropecuários brasileiros. O repórter Pablo Mundim acompanha e tem mais informações, ao vivo. Boa noite, Pablo, o que podemos esperar desse encontro?

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Parcerias comerciais. Primeiramente, boa noite, Nasi e Gabriela, e, principalmente a você, ouvinte da Voz do Brasil. Nesse jantar de logo mais, o presidente Jair Bolsonaro vai confirmar a intenção do governo brasileiro de intensificar parcerias comerciais. O evento foi organizado pela CNA, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil e mais de 50 embaixadores de países árabes vão estar presentes. Os ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e da Agricultura, Tereza Cristina, também participam deste jantar. As exportações para países árabes movimentaram R$ 1,2 bilhão somente no mês de janeiro, o melhor resultado para o mês nos últimos dez anos. Os principais produtos exportados foram carne de frango, milho e açúcar. Na semana passada, pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro falou que o Brasil quer se aproximar de todos os países e ter o local de destaque que ele merece e que a aproximação com Israel não indica nenhum afastamento da comunidade árabe. Aliás, ainda neste jantar, assessores especializados do Ministério da Agricultura vão tratar sobre parcerias bilaterais com diplomatas árabes. Nasi e Gabriela.

 

Gabriela: Obrigada, Pablo Mundim, pelas informações, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

Nasi: A partir de hoje, prefeitos e governadores do país já podem apresentar projetos para acessar recursos de um programa do Ministério do Desenvolvimento Regional.

 

Gabriela: É o Programa Pró-Cidades, que oferece crédito para projetos de reabilitação de áreas urbanas e uso de tecnologia na estrutura dos municípios.

 

Nasi: As regras para uso dos recursos foram publicadas hoje e a novidade foi anunciada pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, durante a Marcha dos Prefeitos, em Brasília.

 

Gabriela: O evento vai até amanhã e reúne aproximadamente 8 mil gestores locais, como prefeitos, vice?prefeitos e secretários.

 

Nasi: A repórter Márcia Fernandes acompanha o evento e traz todas as informações para a gente, ao vivo. Boa noite, Márcia.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela e ouvintes da Voz do Brasil. Hoje foi mais um dia de diálogo entre o governo federal e os prefeitos, secretários, vereadores, aqui na marcha em defesa dos municípios. No início da tarde, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, informou que foi publicado hoje no Diário Oficial da União as regras para os prefeitos poderem buscar recurso no programa de desenvolvimento urbano, o Pró-Cidades. São R$ 4 bilhões em crédito para os próximos quatro anos para governos estaduais e prefeituras. O ministro Gustavo Canuto destacou que o programa vai ajudar no desenvolvimento das cidades.

 

Ministro do Desenvolvimento Regional - Gustavo Canuto: O Pró-Cidades tem como objetivo a reabilitação urbana e a modernização tecnológica urbana, cidades inteligentes, uma Pauta que está muito em voga. Então, hoje, a partir de hoje já é possível, olhando a instrução, apresentar essas propostas. Proposta financiada, são 48 meses de carência, 20 anos de amortização, taxa de juros de 6%. A gente acredita que esse programa possa trazer benefício concreto aos municípios, a gente possa desenvolver a malha urbana de uma maneira integrada, olhando o município de uma forma mais ampla.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): E ainda nesta tarde o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, conversou com os prefeitos, ele comentou que há um projeto em desenvolvimento para que a União participe mais na segurança das cidades. O ministro Sérgio Moro também destacou a importância da aprovação do pacote anticrime, em debate do Congresso Nacional.

 

Ministro da Justiça e Segurança Pública - Sérgio Moro: Um projeto de lei com medidas que nós temos como simples, mas eficazes em relação à corrupção, crime organizado e crime violento. Para aqueles que já viram o projeto, não é um código, não é algo complexo, são medidas lá muito simples, fáceis de explicar, direcionadas a esse problema.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Outro ministro que esteve aqui na marcha foi o da Secretaria Geral da Presidência da República, Floriano Peixoto, ele conversou com a nossa equipe com exclusividade e destacou a importância da modernização do Estado. Um dos objetivos é diminuir a burocracia para quem deseja ser um empreendedor de pequeno ou médio porte.

 

Ministro da Secretaria Geral da Presidência da República - Floriano Peixoto: Uma gama enorme de obstáculos que existem que a Secretaria da Modernização entende que... e tem condições de oferecer soluções com base nessa metodologia do Banco Mundial na qual estamos inseridos, conhecido como Doing Business, em que o Brasil está aí também participando de uma maneira muito ativa, muito dinâmica, e com muita esperança. A gente acredita que, com passar do tempo, no decorrer dos resultados dessa metodologia do trabalho em conjunto Secretaria Geral, Ministério da Economia e o próprio Banco Mundial, a gente venha a oferecer soluções práticas, simples, que venham a facilitar o ambiente de negócio e a gestão pública dos municípios.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): E hoje também foram discutidas políticas públicas para mulheres na Marcha dos Prefeitos. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, aproveitou a oportunidade para falar das ações que o ministério vem desenvolvendo também. A repórter Luana Karen acompanhou tudo e vai contar para gente, vamos ouvir.

 

Repórter Luana Karen: Um pacto para combater a violência contra mulheres, crianças e adolescentes, o apelo foi feito pela ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, em uma palestra na Marcha dos Prefeitos nesta quarta-feira. Segundo a ministra, é preciso tirar o Brasil do quinto lugar no ranking de países onde mais se matam mulheres e do pior lugar para se criar meninas.

 

Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos - Damares Alves: Nós vamos precisar, nessa nação, fazer um pacto pela defesa da mulher, pela defesa da infância, um pacto de verdade. Eu acredito que essa mudança nós vamos conseguir através do movimento municipalista. O governo Bolsonaro tem dito que é mais Brasil, menos Brasília, porque ele também acredita que essa revolução em defesa da mulher, em defesa da infância, nós vamos alcançar por meio dos municípios.

 

Repórter Luana Karen: Também presente na Marcha dos Prefeitos, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, assinou portaria liberando municípios beneficiados com máquinas e equipamentos do Programa de Aceleração do Crescimento de obrigações estabelecidas no termo de doação. Na prática, a medida amplia a possibilidade de uso das máquinas e equipamentos doados aos municípios. Foram entregues mais de 18 mil equipamentos, como retroescavadeiras, motoniveladoras, pás carregadeiras, caminhão-pipa ou caminhão-caçamba. A ministra defendeu ainda a regularização de terras em poder do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, o Incra.

 

Ministra da Agricultura - Tereza Cristina: O Incra hoje é a maior imobiliária do Brasil. Nós temos 88, quase 89 milhões de hectares que estão sob a égide, sob a proteção, vamos dizer assim, do Incra, isso não tem que ficar no Incra. Nós precisamos dar os títulos, nós precisamos regularizar os assentamentos.

 

Repórter Luana Karen: A ministra Tereza Cristina afirmou também que vai incentivar a inclusão de produtos orgânicos na merenda escolar e disse que está trabalhando na simplificação de procedimentos dentro do Ministério da Agricultura para que produtores de itens artesanais tenham mais facilidade para colocar os produtos do mercado. Reportagem: Luana Karen.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): E hoje, além dos ministros e prefeituras, governadores de vários estados estiveram aqui e amanhã estão previstos mais debates. Voltamos com vocês, Gabriela, Nasi.

 

Gabriela: Obrigada, Márcia, pelas informações, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

Nasi: Produtos feitos a partir de frutas e plantas da Amazônia.

 

Gabriela: Quatrocentas mil famílias de pequenos produtores vivem de extrair recursos sem prejudicar a floresta.

 

Nasi: E o desafio é incentivar a produção que vem de lá, preservando o meio ambiente.

 

Repórter Graziela Mendonça: Geleias, licores, polpas e até cosméticos. Tudo feito de forma sustentável a partir de frutas amazônicas, como o bacuri e o cupuaçu. Assim é a produção da agricultora familiar, Hortência Ozaki, que tem uma pequena agroindústria do Pará, mesmo com todo o potencial, ela não sabia muito bem como emplacar seus produtos no mercado, foi quando teve apoio do governo federal.

 

Agricultora familiar - Hortência Ozaki: A gente teve várias capacitações, né? Então, através do governo eu consegui a feira de São Paulo, consegui a feira da Alemanha. Então, assim, foi muito bom.

 

Repórter Graziela Mendonça: O negócio de Hortência é um dos apoiados pelo Projeto Mercado Verdes e Consumo Sustentável, do Ministério da Agricultura em parceria com o governo do Alemanha, esse projeto é voltado para produtores que trabalham de forma sustentável na Amazônia, extraindo recursos, mas preservando a floresta. E para fortalecer ainda mais o setor, o governo lançou uma campanha que incentiva a compra e o consumo desses produtos, é o que explica o secretário da Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Fernando Schwanke.

 

Secretário da Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura - Fernando Schwanke: É uma campanha de sensibilização sobre o consumo consciente de produtos da sociobiodiversidade, né? Da agricultura familiar e orgânica e especificamente do bioma amazônico.

 

Repórter Graziela Mendonça: A campanha está sendo veiculada nas redes sociais e no site do Ministério da Agricultura. A ideia é chamar a atenção do setor empresarial e também dos consumidores para os produtos sustentáveis, que geram renda sem prejudicar o meio ambiente. Fernanda Stefani aposta nessa ideia, ela tem uma empresa especializada em desenvolver e exportar ingredientes feitos com produtos florestais, que já são comercializados para 60 países. E o lucro vai muito além do financeiro, para Fernanda, o principal é ajudar comunidades tradicionais a gerar renda, mantendo a floresta em pé.

 

Empresária - Fernanda Stefani: A gente entende que nós precisamos empoderar as pessoas que moram dentro da floresta, que estão diretamente ligadas na floresta e dependem dela para que elas se tornem guardiãs da floresta.

 

Repórter Graziela Mendonça: Hoje existem mais de 400 mil famílias que vivem na floresta, produzindo alimentos, cosméticos e outros itens de forma sustentável. Por enquanto, o Projeto Mercados Verdes está apenas na Amazônia, nos estados do Acre, Pará, Amazonas e Amapá, mas a ideia do governo é expandir para outros biomas, como o Cerrado, por exemplo. Reportagem: Graziela Mendonça.

 

Gabriela: O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou hoje a empresários de São Paulo que com a aprovação da Nova Previdência as contas públicas vão estar em ordem.

 

Nasi: E isso deve dobrar o investimento estrangeiro no país.

 

Repórter Ricardo Ferraz: As concessões à iniciativa privada de 12 aeroportos, 10 terminais portuários e trecho sul da ferrovia Norte-Sul renderam aos cofres públicos R$ 7,6 bilhões, sendo que mais de R$ 3 bilhões foram pagos pelos vencedores à vista. As informações são do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o ministro também afirmou que o governo deve rever o modelo de concessão das rodovias federais nos próximos anos, como o da Rodovia Dutra, que liga o Rio de Janeiro a São Paulo. Outra medida que deve trazer recursos ao país é a aprovação da Nova Previdência, que prevê uma economia de mais de R$ 1,1 trilhão ao governo em dez anos. Segundo o ministro, a Nova Previdência também vai aumentar o Produto Interno Bruto, o PIB, que é a soma das riquezas produzidas no país.

 

Ministro da Infraestrutura - Tarcísio Gomes de Freitas: A iniciativa privada tem que ser protagonista, porque ela é força viva, ela carrega o PIB, ela tem que mover o Congresso, ela tem que mover o Estado, ela tem que mover o governo. Então, qual é minha missão? É botar projeto na rua. Qual é a nossa missão? Aprovar a Nova Previdência. É o primeiro projeto para a gente romper um círculo vicioso de crise, onde a instabilidade política gerou instabilidade regulatória, gerou fuga do investidor, crescimento baixo negativo, que alimentou mais instabilidade política, e por aí vai. A gente rompe esse ciclo, entra um ciclo virtuoso de crescimento. Aí nós temos aí 1.5, 2 pontos de PIB só em função disso.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O governo também pretende abrir o capital das Companhias Docas, empresas estatais que administram os portos brasileiros. A ideia é começar pelo Porto de Vitória, no Espírito Santo, Suape, em Pernambuco, e São Sebastião, em São Paulo. Até chegar ao Porto de Santos, o maior do país. Reportagem: Ricardo Ferraz.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com o Minuto do TCU em, em seguida, as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

 

"Governo federal. Pátria amada, Brasil".