11/04/17 - A Voz do Brasil

Ministério do Turismo lança pacotes de medidas para alavancar setor. Presidente Michel Temer se reúne com parlamentares e equipe do governo para discutir a reforma da previdência. Disque 100 recebe 133 mil ligações sobre violação dos direitos humanos. Ministério do Trabalho lança campanha para prevenção de acidentes laborais.

audio/mpeg 11 04 2017 - Voz do Brasil.mp3 — 23444 KB




Transcrição

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília, 19 horas.
 
 "Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje."
 
 Aírton: Olá, boa noite.

 

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite pra você que nos acompanha em todo o país.
 
 Aírton: Terça-feira, 11 de abril de 2017.

 

Gláucia: E vamos ao destaque do dia: Ampliar a qualificação profissional e emissão de vistos para turistas estrangeiros.

 

Aírton: Este é o Brasil Mais Turismo, um pacote de medidas que vai movimentar o setor e gerar 6 milhões de empregos.

 

Gláucia: Vamos começar ao vivo com o ministro do Turismo, que vai explicar essas ações.

 

Aírton: E tem mais notícias na Voz do Brasil de hoje.

 

Gláucia: Presidente Michel Temer conversa com parlamentares para aprimorar proposta da reforma da Previdência.

 

Presidente Michel Temer: É para aprimorar o projeto, não é para desnaturá-lo. E, mais do que isso, fazê-lo compatível com as aspirações populares, que é o que mais nós queremos.

 

Aírton: Disque 100. Maioria das denúncias ainda é de violência contra crianças e adolescentes.

 

Gláucia: E foi lançada hoje campanha de prevenção a acidentes no trabalho. Paulo La Salvia.

 

Repórter Paulo La Salvia: Acidentes envolvendo trabalhadores do setor de transportes e empregados afastados por depressão e ansiedade são o foco da campanha.

 

Aírton: A Voz do Brasil de hoje na apresentação de Gláucia Gomes e Airton Medeiros.

 

Gláucia: E pra assistir a gente ao vivo na internet, é fácil. Basta acessar www.voz.gov.br.

 

Aírton: O Brasil é um país de riquezas naturais e de um patrimônio cultural reconhecidos por quem mora aqui e também de fora.

 

Gláucia: E isso significa um potencial turístico a ser explorado.

 

Aírton: Pensando nisso, o governo lançou hoje uma série de medidas para anunciar o número de turistas nacionais e estrangeiros.

 

Gláucia: E tudo isso com o objetivo de gerar emprego e renda para a população. A expectativa é criar aproximadamente 6 milhões de empregos.

 

Aírton: Sobre isso vamos conversar ao vivo agora com o ministro do Turismo, Marx Beltrão. Boa noite, ministro.

 

Ministro do Turismo - Marx Beltrão: Boa noite, Gláucia, boa noite, Aírton, boa noite a todos os que estão nos ouvindo, através da Voz do Brasil. Pra nós é um prazer muito grande poder estar aqui, dialogando um pouco sobre essa pauta tão importante para o crescimento econômico do nosso país, que é o turismo.

 

Aírton: Tá certo. Ministro, antes da gente começar a conversar, a repórter Gabriela Noronha vai explicar quais são as principais medidas do Brasil Mais Turismo. Gostaria que o senhor ouvisse também.

 

Repórter Gabriela Noronha: Uma das ações mais importantes do plano é a abertura de todo o capital das empresas aéreas brasileiras a investidores internacionais. Hoje, as empresas estrangeiras só podem ter, no máximo, 20% de participação nas companhias aéreas brasileiras. De acordo com Vinícius Lummertz, presidente da Embratur, empresa ligada ao Ministério do Turismo, a expectativa do governo é aumentar a quantidade de voos, destinos e a competitividade.

 

Presidente da Embratur - Vinícius Lummertz: Com isso, nós estaremos aptos a competir internacionalmente e fazer parcerias com o trade turístico, as empresas privadas brasileiras, para que nós possamos, trabalhando juntos, multiplicar o uso desse recurso, pra sermos mais eficientes na competição internacional.

 

Repórter Gabriela Noronha: O plano Brasil Mais Turismo inclui também a implantação do visto eletrônico, para países considerados estratégicos para ampliar a vinda de estrangeiros ao Brasil. A ideia é que, até o fim de 2017, a medida passe a valer para Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão. O visto eletrônico torna o processo de liberação do documento mais rápido, eliminando a necessidade do turista ter de ir aos consulados e embaixadas. Para o presidente da Organização Mundial do Turismo, Taleb Rifai, o legado dos megaeventos sediados recentemente pelo Brasil reforçou a importância do país atrair mais turistas estrangeiros. O governo quer dobrar o número de turistas estrangeiros no país até 2022, além de inserir cerca de 40 milhões de brasileiros no mercado consumidor de viagens e gerar quase 6 milhões de empregos no país. No pacote de medidas, está prevista a intensificação dos programas e parcerias para qualificação profissional de jovens e adultos para melhor atendimento aos turistas. Eduardo Tavares é dono de um hostel em Santa Teresa, no Rio de Janeiro, há pouco mais de três anos. Para ele, o Brasil pode melhorar muito o atendimento ao turista.

 

Dono de hostel - Eduardo Tavares: Em outros lugares, você percebe o quanto a gente poderia estar melhor. Toda a questão de sinalização nas ruas, nos metrôs, nos ônibus, nos pontos de ônibus, e também na preparação do pessoal, do público em geral, para receber o turista, sabe?

 

Repórter Gabriela Noronha: O Ministério do Turismo também anunciou o repasse de mais de R$ 5 milhões para os órgãos estaduais. O recurso será destinado a projetos que buscam garantir a melhoria da gestão das regiões turísticas. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gláucia: Ministro, vamos começar por essa abertura de capital estrangeiro. Como é que vai ser isso?

 

Ministro do Turismo - Marx Beltrão: O nosso grande objetivo é fazer com que o turismo possa avançar e sobretudo gerar emprego e fomentar nossa economia. Nós temos hoje 60 milhões de brasileiros viajando pelo país e com potencial de aumentarmos esse número para cerca de 100 milhões de brasileiros viajando pelo nosso país. Hoje nós temos cerca de 6,5 milhões de turistas internacionais vindo para o Brasil, mas com potencial de recebermos até 12 milhões de turistas internacionais. E também nós temos hoje cerca de 7 milhões de profissionais no setor de turismo e com potencial de crescermos até cerca de 13 milhões de brasileiros trabalhando em turismo. Para isso, nós lançamos o Brasil Mais Turismo, uma série de medidas para impulsionar o setor, e essa, a qual foi falada aqui, abertura de capital estrangeiro para as companhias aéreas, é uma das mais importantes. Em todas as reuniões que eu fiz, com todo o trade turístico, foi mostrado que um dos principais gargalos que nós temos no setor são a quantidade de voos nacionais e principalmente os preços cobrados pelas companhias. Quem mora no nordeste, que quer ir ao sul do país, às vezes paga inclusive mais caro do que se paga quando vai para fora do país. Então, abrir o capital estrangeiro para termos mais empresas operando os voos nacionais, nós teremos o aumento de competitividade, nós teremos mais destinos de rotas pelo nosso país e, consequentemente, com o aumento da competitividade, a tendência é que se baixe o preço das passagens aéreas. Além disso, as companhias que puderem operar os voos no nosso Brasil, eles vão também fazer voos trazendo turistas internacionais para cá. É uma forma de aumentarmos o número de turistas internacionais e aumentarmos o número de viagens nacionais, fomentando nossa economia e principalmente gerando emprego.

 

Aírton: Ministro, o pacote também prevê a qualificação profissional no setor. A ideia é gerar empregos e ajeitar a casa pra receber então mais turistas, é isso?

 

Ministro do Turismo - Marx Beltrão: Nós não poderíamos anunciar um pacote de medidas para impulsionar o setor de Turismo sem falar em qualificação profissional. Para isso, pela primeira vez na história do Ministério, nós fizemos uma parceria com o Ministério da Educação, onde vamos estar ofertando 10 mil vagas para alunos que estão cursando as escolas técnicas federais no Brasil inteiro. São 10 mil vagas já ofertadas nesse primeiro momento. Estamos trabalhando com o Ministério da Educação para aumentar essa quantidade de vagas, mas essas 10 mil vagas já é um grande avanço para fazermos que o setor possa ser mais qualificado, além também do programa de qualificação internacional, onde estamos mandando 120 jovens para a Inglaterra, para fazer cursos voltados para o turismo e trazer a experiência aqui para o Brasil. E também através do Programa Braços Abertos, vagas ilimitadas de cursos voltados para o turismo para qualificação profissional. Se nós queremos ser um país competitivo no turismo, nós temos que ter os profissionais altamente capacitados para receber melhor o turista.

 

Gláucia: Ministro, nós agradecemos a entrevista ao vivo e estamos conversando. Conversamos agora com o ministro do Turismo Marx Beltrão. Ministro, muito obrigada pela sua participação aqui na Voz do Brasil.

 

Ministro do Turismo - Marx Beltrão: Nós que agradecemos e contem sempre com o nosso trabalho.

 

Aírton: Você tem acompanhado aqui na Voz do Brasil que a proposta de reforma da Previdência, enviada pelo Governo ao Congresso, vai ser aperfeiçoada.

 

Gláucia: A ideia é que a Previdência seja mais justa com os mais necessitados, como deficientes e trabalhadores rurais, sem prejudicar o principal objetivo, garantir que as contas sejam sustentáveis, pra que as aposentadorias e pensões sejam pagas para as futuras gerações.

 

Aírton: E hoje o presidente Temer convocou uma reunião para afinar os últimos ajustes da proposta.

 

Repórter João Pedro Neto: Integrantes do governo, da comissão que analisa a reforma da Previdência na Câmara e líderes da base aliada discutiram com o presidente Temer o aperfeiçoamento da proposta. Na abertura do encontro, o presidente disse que contribuições podem ser acolhidas para aprimorar a reforma, desde que não alterem a espinha dorsal do projeto, como a idade mínima de 65 anos e 25 anos de contribuição. Michel Temer reafirmou a necessidade de reformulação no sistema previdenciário.

 

Presidente Michel Temer: É um fenômeno imperioso que nós venhamos a realizar essa reformulação previdenciária no nosso país. E, ressaltando mais uma vez, como muitas coisas se dizem, que isso não vai alcançar os pobres, não. Pelo contrário. Primeiro que quem ganha salário mínimo, vocês sabem que está garantido e é um número infindável, um percentual extraordinário. Em segundo lugar, as adequações que são feitas atendem precisamente àqueles mais vulneráveis.

 

Repórter João Pedro Neto: O relator da proposta na Câmara, deputado Arthur Maia, afirmou que as alterações ainda não estão fechadas. Governo e parlamentares entendem que regras de transição, o Benefício de Prestação Continuada, BPC, pensões e aposentadorias para trabalhadores rurais, professores e policiais precisam ser aprimoradas.

 

Deputado - Arthur Maia: O ponto crucial dessa reforma é nós darmos ao ordenamento jurídico previdenciário do nosso país uma idade mínima de aposentadoria e acabar com esta, este modelo absolutamente antiquado e que inviabiliza qualquer sustentabilidade, de você ter uma via de aposentadoria, através do tempo de contribuição, que permite que as pessoas se aposentem com a idade muito precoce. Porque é essa precocidade de idade nas aposentadorias que tem levado a nossa Previdência a uma situação de insolvência.

 

Repórter João Pedro Neto: O presidente da Comissão Especial que analisa a reforma na Câmara, Carlos Marun, disse que com os ajustes em negociação a expectativa é de que a proposta seja aprovada de forma segura, no colegiado e também em Plenário.

 

Deputado - Carlos Marun: Nós realizamos um trabalho sério, ouvimos as mais diversas correntes de opinião, os deputados decidiram opinar e as suas opiniões estão sendo tratadas com respeito. É isso que traz hoje pra nós uma absoluta garantia na aprovação.

 

Repórter João Pedro Neto: O cronograma de tramitação da reforma está mantido. O relatório do deputado Arthur Maia deve ser apresentado na próxima semana, primeiro aos líderes da Câmara, depois na comissão especial que analisa o tema. Segundo o presidente da comissão, a expectativa é votá-lo no colegiado até o fim deste mês, para então seguir ao Plenário. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Gláucia: E para criar mais empregos, o governo enviou ao Congresso uma proposta para modernizar a legislação trabalhista.

 

Aírton: O projeto permite que empresários e trabalhadores negociem diretamente alguns pontos, como divisão das férias em três períodos e participação nos lucros da empresa.

 

Gláucia: Para tirar as dúvidas, o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, esteve hoje na Câmara dos Deputados.

 

Aírton: O ministro explicou os principais pontos da reforma e garantiu que os direitos dos trabalhadores estão garantidos.

 

Ministro do Trabalho - Ronaldo Nogueira: São três pontos fundamentais para a proposta e para o Brasil. Primeiro é o prestigiamento da convenção coletiva, para que a convenção coletiva tenha força de lei, para trazer segurança jurídica. Segundo, os direitos fundamentais do trabalhador, que são especificados na Constituição, art. 7 da Constituição, e os direitos que são especificados na própria CLT, no sentido de que esses direitos, eles sejam assegurados. É fundamental. E terceiro, a segurança jurídica para que o empregador não tenha medo de contratar, ele possa contratar, porque o seu contrato terá fidelização na interpretação.

 

Gláucia: 19h14 em Brasília.

 

Aírton: Acidentes envolvendo trabalhadores do setor de transporte.

 

Gláucia: Empregados afastados por depressão.

 

Aírton: Esses são os destaques da nova campanha de prevenção de acidentes no trabalho, que vamos detalhar daqui a pouco.

 

"Defesa do Brasil, defesa do Brasil, defesa do Brasil"

 

Gláucia: No último quadro Defesa do Brasil, nós falamos sobre o desafio das Forças Armadas em fazer a vigilância nas regiões de fronteira.

 

Aírton: Mostramos uma ação que amplia a segurança e combate o tráfico de drogas, armas e o contrabando em solo.

 

Gláucia: Vamos saber o que vem sendo feito para evitar que aviões de pequeno porte entrem ilegalmente no Brasil para praticar esses crimes.

 

Repórter Marina Melo: Crimes como tráfico e contrabando, que são comuns em quase todas as regiões de fronteira do mundo, passarão a ser coibidos com maior efetividade no Brasil. A FAB, Força Aérea Brasileira, iniciou a operação Ostium. O chefe do Estado Maior Conjunto, do Comando de Operações Aeroespaciais, Brigadeiro Ricardo César Mangrich, explica o objetivo da operação.

 

Chefe do Estado Maior Conjunto - Brigadeiro Ricardo César Mangrich: Nós estabelecemos uma grande faixa de fronteira, e vamos concentrar ali todos os meios. O nosso objetivo é levar a zero o índice de ilícitos por meio aéreo, numa enorme faixa de fronteira.

 

Repórter Marina Melo: Para esta operação, a FAB empregará um grande número de militares, pilotos e equipamentos, como aeronaves de caça e de reconhecimento, aviões radares e helicópteros. O caça A-29 Supertucano é o primeiro a ser acionado caso algum avião desconhecido entre no espaço aéreo. O piloto da aeronave, que por questões de segurança não pode ter o seu nome revelado, explica como é feita a abordagem.

 

Piloto: A gente aproxima da aeronave, como uma medida de averiguação, pra verificar os dados que ela... Visuais, visualmente, e também via fonia. E passamos isso pro alto comando. SE for de interesse do alto comando, podemos realizar após uma mudança de rota obrigatória e até mesmo o pouso obrigatório. Se por acaso essa aeronave não obedecer as ordens da Defesa Aérea, temos ainda as medidas de persuasão, que poderá ser dado um tiro de aviso, e após isso, se ainda não foi cumprida as ordens, ela poderá sofrer o tiro de detenção.

 

Repórter Marina Melo: Também será empregada nesta operação a aeronave E- 99, que conta com avançado sistema de controle em voo. Iniciada no final do mês de março, a operação tem ampliado a sensação de segurança para a população da fronteira, como é o caso do Sr. Gumercindo Oliveira, que mora no entorno do Aeroporto de Dourados, Mato Grosso do Sul, há 20 anos.

 

Entrevistado - Gumercindo Oliveira: Então tem muito tráfico aqui, é bastante. Então, a gente conseguir fazer alguma coisa pra evitar, como a gente tem medo e tem filho pequeno, isso vai ser uma bênção de Deus pra nós.

 

Repórter Marina Melo: com duração de pelo menos um ano, a ação já começou nos estados do Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina. Reportagem, Marina Melo.

 

Aírton: No ano passado, o telefone do Disque100 foi acionado 76 mil vezes para relatos de denúncias contra crianças e adolescentes.

 

Gláucia: O balanço foi divulgado hoje pelo Ministério dos Direitos Humanos. Além dos menores de idade, a maioria das vítimas são idosos e pessoas com deficiência.

 

Repórter Beatriz Amiden: Crianças e adolescentes são quem mais sofrem no país com violação de direitos, isso é o que apontam os dados divulgados nesta terça-feira pelo Ministério dos Direitos Humanos. O Disque 100 recebeu no ano passado mais de 133 mil denúncias. 57% delas foram de violência contra crianças e adolescentes, o que, segundo a ministra chefe do Ministério, Luislinda Valois, torna mais importante o cuidado com os menores de idade.

 

Ministra dos Direitos Humanos - Luislinda Valois: Eu tenho certeza que tem muito mais violência contra essas crianças, e geralmente são negras, da periferia, pobres, filhos de pais e mães analfabetos, não precisa dizer que são pobres também. E porque são vulneráveis, não sabem se defender.

 

Repórter Beatriz Amiden: As principais violações contra crianças e adolescentes foram a negligência, a violência psicológica e a violência física. De acordo com o balanço do Disque 100, depois dos menores de idade, idosos e pessoas com deficiência são as que mais sofrem violência no país. O Disque 100 acolhe demandas e orienta os cidadãos, em especial aqueles em situação de vulnerabilidade. Para a ministra chefe do Ministério dos Direitos Humanos, a denúncia ainda é a maneira mais eficaz de combater esses crimes.

 

Ministra dos Direitos Humanos - Luislinda Valois: As pessoas às vezes querem denunciar, mas têm medo, não sabem onde, tem alguma dúvida de que a coisa realmente vai ser levada a sério, e, através do Disque 100 não precisa se identificar. Isso é mais fácil. Ir lá, fazer a sua denúncia.

 

Repórter Beatriz Amiden: O estado de São Paulo lidera o ranking, com mais de 27 mil ligações. Proporcionalmente à quantidade de habitantes, o Distrito Federal é o estado com o maior número de denúncias. O Disque 100 funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana, inclusive sábados, domingos e feriados. As ligações são de graça e podem ser feitas de qualquer telefone fixo ou celular de todo o Brasil. Reportagem, Beatriz Amiden.

 

Gláucia: 19h20, em Brasília.

 

Aírton: Os acidentes de trabalho são responsáveis pela morte de 2.800 pessoas todos os anos.

 

Gláucia: E mais de 17 mil trabalhadores são afastados por doenças como depressão, associadas às suas atividades.

 

Aírton: O Ministério do Trabalho quer reduzir esses números, e pra isso está lançando uma campanha de prevenção.

 

Gláucia: A ideia é conscientizar trabalhadores e empresas sobre a necessidade de evitar acidentes e doenças no trabalho.

 

Repórter Paulo La Salvia: Com 62% do transporte de carga concentrado nas rodovias, segundo o IBGE, o setor lidera o número de acidentes de trabalho no país. Logo depois, aparecem no ranking a construção civil. Ao todo, segundo o Ministério do Trabalho, o Brasil registra por ano 710.000 acidentes de trabalho, com 2.800 mortes e mais de 1.500 incapacitados permanentes. Esta realidade tem um custo elevado, a cada ano o prejuízo chega a R$ 200 bilhões, segundo a secretária de Inspeção do Trabalho do Ministério do Trabalho, Maria Tereza Pacheco Jensen.

 

Secretária de Inspeção do Trabalho - Maria Tereza Pacheco Jensen: Tudo isso representa um alto custo para a Previdência, com afastamentos, para as empresas também, com redução de produtividade. São 4% do PIB que nós perdemos e que poderiam ser evitados com prevenção e engajamento da sociedade em geral.

 

Repórter Paulo La Salvia: Janaína Gonçalves é um exemplo de pessoa que está incapacitada de trabalhar. Professora da rede pública de ensino do Distrito Federal, foi diagnosticada com repressão. Segundo o Ministério do Trabalho, a doença representa, junto com a ansiedade, quase metade dos casos de saúde mental relacionados a atividades profissionais. No caso de Janaína, o afastamento já dura um ano e meio.

 

Professora - Janaína Gonçalves: Comecei a fazer um tratamento, com psicólogo e com psiquiatra. E é um tratamento demorado, não é algo rápido que do dia pra noite você fica melhor, não.

 

Repórter Paulo La Salvia: Para alertar a sociedade sobre o problema, o Governo Federal lançou a Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho, que tem a meta de conscientizar patrões e empregados, além de ampliar a fiscalização. É o que explica o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

 

Ministro do Trabalho - Ronaldo Nogueira: A campanha tem objetivo de despertar uma consciência educativa para promover um novo comportamento, tanto do empregador como do próprio trabalhador e a sociedade como um todo, que tem objetivo justamente de reduzir estes números.

 

Repórter Paulo La Salvia: O Ministério da Saúde também faz parte da campanha. Ainda neste primeiro semestre, vai editar portaria para usuários do SUS informem a profissão em todas as fichas de atendimento no SUS. A meta é tornar mais efetiva a análise de cada caso e aprimorar as ações de vigilância de saúde do trabalhador. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Aírton: Produtores de grãos vão colher este ano quase 230 milhões de toneladas, um recorde que representa um aumento de 22% em relação à safra passada.

 

Gláucia: Segundo levantamento da Conab, a Companhia Nacional de Abastecimento, o resultado se deve ao aumento de área, que deve passar dos 60 milhões de hectares, e a boa produtividade da atual safra, que não sofre com as más condições climáticas do ano passado.

 

Aírton: É, a Conab estima a produção de 110 milhões de toneladas de soja. O milho deve passar dos 91 milhões de toneladas.

 

Gláucia: O secretário de Política Agrícola substituto, Sávio Rafael Pereira, explicou que o aumento da safra já tem reflexos positivos na economia.

 

Secretário de Política Agrícola - Sávio Rafael Pereira: Essa safra recorde se mostrou muito claramente em duas coisas que atingem fortemente a sociedade. Nós tivemos o melhor trimestre de inflação do país desde o Plano Real e tivemos uma balança comercial, em três meses, o dobro da do ano passado, R$ 16 bilhões de superávit. E boa parte disso advém das exportações de produtos agrícolas.

 

Aírton: A produção industrial nacional apresentou crescimento em nove dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia, o IBGE, no mês de fevereiro.

 

Gláucia: Os maiores avanços foram nos estados da Bahia, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Goiás.

 

Aírton: Por outro lado, os estados de Pernambuco, Pará, Espírito Santo, Amazonas e Ceará registraram queda.

 

Gláucia: Essas foram as notícias do Governo Federal.
 
 

Aírton: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gláucia: Com produção da Empresa Brasil de comunicação.

 

Aírton: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional e tenha uma boa noite.

 

Gláucia: Boa noite pra você e até amanhã.