11 DE DEZEMBRO DE 2018 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Governo vai enviar R$ 200 milhões para Roraima. Verba é a primeira ação da intervenção federal no estado. Brasil deve colher safra recorde de grãos: mais de 238 milhões de toneladas. Presidente Michel Temer sanciona Rota 2030. Lei cria incentivos para montadoras fabricarem carros elétricos ou que usam combustíveis menos poluentes.

audio/mpeg 11.12.18.mp3 — 46839 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

 

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

 

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

 

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

 

 

Gabriela: Terça-feira, 11 de dezembro de 2018.

 

 

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Governo vai enviar R$ 200 milhões para Roraima.

 

 

 

Gabriela: Verba é a primeira ação da intervenção federal no estado, Luciana Colares de Holanda.

 

 

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: O dinheiro vai ser usado para colocar em dia a folha de pagamento dos funcionários do estado.

 

 

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

 

 

Gabriela: Brasil deve colher safra recorde de grãos, mais de 238 milhões de toneladas. Natália Koslyk.

 

 

 

Repórter Natália Koslyk: O investimento em equipamentos e o aumento da área plantada contribuíram para os bons números.

 

 

 

Nasi: Presidente Michel Temer sanciona Rota 2030.

 

 

 

Gabriela: A lei cria incentivos para as montadoras fabricarem carros elétricos ou que usam combustíveis menos poluentes.

 

 

 

Nasi: Na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

 

 

Gabriela: E para assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar: www.voz.gov.br .

 

 

 

Nasi: O governo federal vai destinar R$ 200 milhões para Roraima.

 

 

 

Gabriela: A verba vai ser usada para pagar salários de servidores e é a primeira ação da intervenção federal no estado, que começou oficialmente ontem.

 

 

 

Nasi: Roraima vive uma crise na segurança pública com greves de policiais e agentes penitenciários que reivindicam o pagamento de salários atrasados.

 

 

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: O dinheiro vai ser usado para colocar em dia a folha de pagamento dos funcionários do estado. Os R$ 200 milhões são exatamente o valor devido em salários, é o que afirma o interventor, Antônio Denarium, que também é o governador eleito, mas ele afirma que as dívidas do estado são pelo menos dez vezes maiores.

 

 

 

Interventor - Antônio Denarium: Os valores de investimento agora vão ser feitos para fazer o pagamento da folha dos servidores públicos. Solicitamos também que esse valor fosse ampliado pelo governo federal para que a gente possa quitar as dívidas e as contas mais emergentes, como merenda escolar, transporte escolar e medicamentos também. Vai ser analisado a possibilidade de ampliação desse valor.

 

 

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: Os recursos devem estar disponíveis até a semana que vem. O ministro Eliseu Padilha explica que foi possível remanejamento no orçamento que já está fechado e que o dinheiro não é um repasse ao estado, já que está sob intervenção federal, é uma ação direta do governo federal.

 

 

 

Ministro-chefe da Casa Civil - Eliseu Padilha: O governo federal fez a intervenção federal em Roraima e ele age em nome próprio, portanto, não vai haver repasse da União para o estado de Roraima, essa é a primeira distinção que a gente tem que fazer. Segundo, nós estamos com o orçamento fechado, nós temos alguma possibilidade de chegar nos valores próximos a R$ 200 milhões, que daria para cobrir as folhas que estão em andamento e que merecem os servidores a receber.

 

 

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: O interventor, Antônio Denarium, também pediu que a intervenção na área da segurança pública se estenda até 28 de fevereiro. Segundo ele, o estado tem 1.800 quilômetros de fronteiras, o que tem facilitado a entrada de drogas, armas e criminosos.

 

 

 

Interventor - Antônio Denarium: Solicitamos uma intervenção por um prazo mais longo na segurança pública, e também na Secretaria de Fazenda do estado, como forma de alocar os recursos do governo federal e que eles sejam aplicados de forma que venha a atender toda a população do nosso estado.

 

 

 

Repórter Luciana Colares de Holanda: Roraima vive uma grave crise na segurança pública, com greves e paralisações de agentes penitenciários e policiais civis, além de manifestações de esposas de policiais militares que impedem a entrada e saída dos batalhões. De acordo com o interventor, Antônio Denarium, os movimentos já foram interrompidos com a promessa de pagamento dos salários atrasados. Reportagem: Luciana Colares de Holanda.

 

 

 

Gabriela: Mais investimento em tecnologia, clima favorável.

 

 

 

Nasi: É, fatores que devem levar o Brasil a ter uma safra recorde de grãos, com colheita superior a 238 milhões de toneladas.

 

 

 

Gabriela: Um aumento de mais de 4,5% em relação à safra anterior.

 

 

 

Nasi: Também é a maior área plantada da série histórica, de acordo com o levantamento divulgado hoje pela Conab.

 

 

 

Gabriela: Entre os principais produtos que puxaram a colheita para cima estão a soja, o milho, o arroz e o algodão.

 

 

 

Repórter Natália Koslyk: O terceiro levantamento da safra de grãos realizado pela Conab, a Companhia Nacional de Abastecimento, indica que o país deve colher uma safra recorde de quase 238,5 milhões de toneladas, um aumento de mais de 10 milhões de toneladas em relação à safra passada. O investimento em equipamentos e o aumento da área plantada contribuíram para os bons números, de acordo do superintendente da Conab, Cleverton Santana.

 

 

 

Superintendente da Conab - Cleverton Santana: Essa será a nossa maior safra semeada, aproximadamente 62,5 milhões de hectares semeados em todo o país. Os produtores continuam apostando, tanto no aumento de área quanto na melhoria [ininteligível] tecnológico das culturas. As máquinas agrícolas também tiveram expressivo aumento de 7%, e isso tem relação com uma boa comercialização nos últimos anos, que capitalizou os produtores e investiram, então, em melhores tecnologias.

 

 

 

Repórter Natália Koslyk: As condições climáticas também estão influenciando positivamente na produtividade, de acordo com o estudo da Conab divulgado nesta terça?feira. Os principais produtos responsáveis por esses números são: soja, milho, arroz e algodão, que juntos correspondem a 95% da produção total. E a soja continua sendo o carro-chefe da produção nacional, a expectativa é de que a produção ultrapasse 120 milhões de toneladas. Reportagem: Natália Koslyk.

 

 

 

Nasi: A estimativa da Conab, que a gente acabou de ouvir, tem como base o ano safra que vai de abril a março do ano seguinte.

 

 

 

Gabriela: Já a estimativa do IBGE, que é feita com base na produção de janeiro a dezembro, prevê um recuo de 5,5% em relação ao ano passado.

 

 

 

Nasi: Isso por causa, principalmente, da queda na colheita de milho e de arroz.

 

 

 

Gabriela: Mas para o ano que vem a colheita deve superar 230 milhões de toneladas, a segunda maior da série histórica.

 

 

 

Nasi: O Rota 2030, programa de incentivo à indústria automobilística, foi lançada em julho como medida provisória e hoje foi transformado em lei.

 

 

 

Gabriela: O novo programa deve ajudar no crescimento da produção de automóveis e na geração de empregos.

 

 

 

Nasi: A repórter Graziela Mendonça vai explicar, ao vivo, aqui no estúdio como esse programa funciona. Boa noite, Graziela.

 

 

 

Repórter - Graziela Mendonça (ao vivo): Boa noite, Nasi, boa noite, Gabriela e ouvintes da Voz do Brasil. O Rota 2030 define uma série de regras para as montadoras na hora de fabricar os veículos, para aumentar a segurança e garantir redução no consumo de combustível. Além disso, os fabricantes passam a ter metas para investimentos em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias, e com isso, tem descontos em impostos. Eu conversei agora há pouco Margarete Gandini, diretora do Departamento das Indústrias para Mobilidade e Logística do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, que explicou as metas do programa e como elas vão beneficiar a população.

 

 

 

Diretora do Departamento das Indústrias para Mobilidade e Logística do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - Margarete Gandini: A primeira meta é de etiquetagem veicular, ou seja, informação ao consumidor, tanto quanto à eficiência energética como quanto à segurança. A segunda meta é de eficiência enérgica e isso se reflete em economia de combustível e redução de emissões de carbono. E o terceiro é desempenho estrutural e tecnologias assistivas(F). É o apoio à pesquisa e desenvolvimento no país. Ao longo do período, atingindo essas metas, eles vão ficar mais seguros e mais econômicos.

 

 

 

Repórter - Graziela Mendonça (ao vivo): Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, este ano já foram fabricados no Brasil 2,7 milhões veículos, um aumento de quase 9% em relação ao mesmo período do ano passado. A produção de caminhões também subiu cerca de 30%. Com o Rota 2030, esses carros vão sair das fábricas com mais segurança e devem impulsionar ainda mais o setor automotivo. O diretor de Relações Governamentais da Toyota no Brasil, Ricardo Bastos, diz que isso dá mais segurança para as empresas investirem, além de gerar empregos.

 

 

 

Diretor de Relações Governamentais da Toyota no Brasil - Ricardo Bastos: O horizonte do Rota de 15 anos é exatamente essa previsibilidade, primeiro, que não vamos ter surpresas, não vamos ter novas regras, né? As regras já são conhecidas, obviamente, temos que fazer os investimentos para melhorar a qualidade dos nossos produtos, melhorar a eficiência enérgica. Então, nós sabemos o que nós vamos ter que cumprir e o quanto nós vamos ter que investir nos nossos produtos. E obviamente para isso nós precisamos gerar empregos, capacitar as pessoas e fazer mais investimentos. Então, vamos ter, sim, ao longo do processo, obviamente a geração de emprego, acoplada, acompanhando também o crescimento da economia e o crescimento do mercado brasileiro.

 

 

 

Repórter - Graziela Mendonça (ao vivo): O Rota 2030 também estimula a comercialização no Brasil de veículos híbridos e elétricos, que poluem menos o meio ambiente, os híbridos flex, aqueles que são movidos à eletricidade e etanol vão ter uma redução maior nos impostos e devem ficar mais baratos para o consumidor final. Nasi e Gabriela.

 

 

 

Gabriela: Obrigada, Graziela Mendonça, pelas informações ao vivo aqui na Voz do Brasil.

 

 

 

Nasi: Pelas redes sociais, o presidente Michele Temer afirmou que está profundamente abalado com o ataque de um homem armado durante uma missa na catedral de Campinas na tarde de hoje.

 

 

 

Gabriela: O homem atirou contra fiéis, matou quatro pessoas, deixou outras quatro feridas e cometeu suicídio.

 

 

 

Nasi: O presidente apresentou condolências aos familiares das vítimas e está rezando para que os feridos tenham rápida recuperação.

 

 

 

Gabriela: Maior rapidez nas viagens de avião.

 

 

 

Nasi: Daqui a pouco a gente vai falar de um projeto que diminui o tempo em que a aeronave espera para pousar, aumentando a capacidade dos aeroportos do país.

 

 

 

Gabriela: E o foco continua sendo a segurança dos passageiros.

 

 

 

Nasi: Os 22 ministros que farão parte do novo governo já foram escolhidos.

 

 

 

Gabriela: E hoje o presidente eleito Jair Bolsonaro falou sobre as escolhas do time que vai governar o país, com um novo jeito de fazer política.

 

 

 

Nasi: A futura ministra na Mulher, Família e Direitos Humanos também falou sobre ações de sua pasta.

 

 

 

Gabriela: O ministério vai cuidar ainda da política voltada aos índios brasileiros.

 

 

 

Repórter Danielle Popov: O dia do presidente eleito Jair Bolsonaro foi de agenda cheia em Brasília, ele recebeu no escritório do governo de transição comandantes da Polícia e da Brigada Militar, parlamentares e o governador eleito de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva, que é coronel do Corpo de Bombeiros. Bolsonaro também participou de um almoço com cantores sertanejos e fez um pequeno relato da trajetória dele desde a época do Exército até a decisão de concorrer às eleições. Falou também que pretende fazer política de uma maneira diferente.

 

 

 

Presidente eleito - Jair Bolsonaro: E a maneira diferente primeiro é você escolher um time ao teu lado que não esteja comprometido com os velhos costumes. Fizemos isso, temos um time de 22 ministros e com toda a certeza, grande parte de vocês apoia esse nosso time. E com esse time, com o povo continuando ao nosso lado, que nós pretendemos mudar o destino dessa nossa nação.

 

 

 

Repórter Danielle Popov: Os ministros indicados do novo governo também passaram o dia em reuniões com as equipes técnicas do gabinete de transição. A futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, explicou para a imprensa como o ministério vai tratar os indígenas. A Funai, Fundação Nacional do Índio, ficará sobre responsabilidade da pasta. Damares Alves disse que o presidente da Funai ainda vai ser definido e que o objetivo do novo governo é dar um tratamento especial ao tema.

 

 

 

Futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos - Damares Alves: Nós vamos dar uma atenção especial à educação indígena. As nossas jovens estão chegando nos grandes centos para fazer a universidade, o conflito dela com a nossa realidade, jovens morando muito distantes do centro educacional, nós vamos estar dando atenção especial à saúde indígena, trabalhar interligado, hoje a gente não vê essa interligação entre Funai e Sesai. Uma atenção especial à mulher grávida na aldeia. Nós vamos dar atenção ao idoso indígena. Então, a gente vai ver o índio como um todo. Essa é a proposta desse ministério.

 

 

 

Repórter Danielle Popov: A agenda do presidente eleito em Brasília continua nesta quarta?feira, ele terá mais reuniões com parlamentares. Fará ainda uma visita ao Comando de Operações Táticas da Polícia Federal e participará de um almoço com seus ex-colegas da Academia Militar das Agulhas Negras. Reportagem: Danielle Popov.

 

 

 

Nasi: Vida nova para mais de 570 pessoas de Blumenau, em Santa Catarina.

 

 

 

Gabriela: É que elas receberam as chaves das novas moradias pelo Programa Minha Casa Minha Vida.

 

 

 

Nasi: São 144 novas unidades habitacionais destinadas a pessoas de baixa renda, o investimento é de mais de R$ 9 milhões.

 

 

 

Gabriela: No total, são nove unidades adaptadas para pessoas com deficiência, um parque infantil, uma quadra de esporte, três salões de festas e três churrasqueiras.

 

 

 

Nasi: A área em volta do empreendimento conta com duas escolas, uma creche, um posto de saúde e um posto de segurança.

 

 

 

Gabriela: Nasi, você já passou pela situação de viajar de avião e na hora do pouso a aeronave demorar a descer?

 

 

 

Nasi: Já, sim, Gabriela, isso ocorre por uma questão de segurança, devido ao congestionamento aéreo.

 

 

 

Gabriela: Pois é, mas um projeto implantado no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, vai reduzir esse problema.

 

 

 

Nasi: E aos poucos vai ser levado para outros aeroportos do país.

 

 

 

Repórter Ricardo Ferraz: No aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, uma das pistas é destinada às decolagens e outra aos pousos. Por uma questão de segurança, até hoje não eram permitidas operações simultâneas nas duas pistas, mas isso mudou com o Projeto Agile, que permite o pouso de um avião enquanto o outro decola, como explica Miguel Dau, superintendente do GRU Airport, a concessionária que administra o aeroporto.

 

 

 

Superintendente da GRU Airport - Miguel Dau: Na percepção do passageiro, ele vai ficar menos taxiando a aeronave, em voo vai diminuir aquelas órbitas das aeronaves ficarem circulando por um determinado ponto fixo para aguardar o fluxo e o sequenciamento para pousos.

 

 

 

Repórter Ricardo Ferraz: O projeto foi desenvolvimento em conjunto entre o Departamento de Controle do Espaço Aéreo, o Decea, da Aeronáutica, o GRU Airport, a Infraero e as companhias áreas; 227 controladores de voo foram treinados em um simulador de última geração. A equipe também desenhou novas carta de navegação. A segurança foi a prioridade, como explica Ronaldo Jenkins, da Associação Brasileira de Empresas Áreas.

 

 

 

Associação Brasileira de Empresas Áreas - Ronaldo Jenkins: Foi muito discutido durante todos esses estudos aqui, exatamente os aspectos de segurança para não haver nenhuma dúvida de que a operação é completamente segura.

 

 

 

Repórter Ricardo Ferraz: Em média, o aeroporto de Guarulhos faz 52 operações de pouso e decolagem por hora. Com a medida, a meta é chegar a 60 operações por hora, em até dois anos, o que vai diminuir a espera dos passageiros, explica o brigadeiro do ar, Ary Bertolino, diretor do Decea.

 

 

 

Diretor do Decea - brigadeiro do ar Ary Bertolino: A gente espera que as aeronaves que vão decolar fiquem menos tempo paradas aguardando a decolagem e que os pousos possam ser agilizados. Esta é a primeira fase, seria a percepção dos usuários.

 

 

 

Repórter Ricardo Ferraz: Quem viaja sempre de avião aprovou a novidade, como o policial aposentado, Celso Costa, que não teve uma experiência muito agradável quando viajou para Porto Velho, Rondônia.

 

 

 

Policial aposentado - Celso Costa: O avião não tinha modo para pousar e ficou naquele gira-gira, quase 40 minutos girando. Aí vai facilitar muito todo esse trabalho que ele tem de pouso e decolagem, né? Então, a gente vai ter aquele adiantamento, porque geralmente é correria, né?

 

 

 

Repórter Ricardo Ferraz: O próximo aeroporto a receber o Projeto Agile é o do Galeão, no Rio de Janeiro. Com a otimização do serviço de tráfego aéreo, o Decea pretende dobrar a capacidade dos aeroportos brasileiros até 2022. Reportagem, Ricardo Ferraz.

 

 

 

Gabriela: Gestores de programas sociais estão recebendo e mails, supostamente em nome do Ministério do Desenvolvimento Social, que solicitam uma atualização de segurança.

 

 

 

Nasi: O ministério informa que as mensagens são falsas e pede para que os gestores façam o recadastramento da senha do sistema de cadastro único.

 

 

 

Gabriela: De acordo com o coordenador-geral de operacionalização do Cadastro Único, Liomar Lima, essa ação visa roubar a senha do usuário. Ele orienta as prefeituras a excluir imediatamente a mensagem.

 

 

 

Coordenador-geral de operacionalização do Cadastro Único - Liomar Lima: Então, a gente está pedindo que as prefeituras que recebam esse e-mail não sigam nenhum dos passos lá que é solicitado no e mail, e faça a exclusão que imediata. Que é um e mail que não é do MDS, o MDS não dispara comunicações sem o prévio aviso através dos informes do MDS.

 

 

 

Nasi: O sistema de compras públicas pela internet do governo vai passar por uma modernização.

 

 

 

Gabriela: Para isso, o Ministério do Planejamento vai investir R$ 11 milhões nos próximos quatro anos.

 

 

 

Nasi: A ideia é facilitar a participação dos fornecedores de equipamentos e serviços nos pregões eletrônicos do governo.

 

 

 

Repórter Cleide Lopes: O sistema de compras públicas do Governo Federal, Comprasnet, realizou, em 2017, mais de 98 mil processos de compras, o que corresponde a R$ 47 bilhões. O empresário Paulo Vieira, que já participa de pregões do governo há algum tempo, tem uma empresa que oferece serviços na área de tecnologia da informação. Ele conta que o sistema de pregões do governo, de uma forma geral, é muito bom, mas acredita que pode melhorar.

 

 

 

Empresário - Paulo Vieira: Acho que ele precisa melhorar no aspecto de redução de fraudes, empresas que utilizam robôs, identificar esses tipos... esses chamados robôs, colocando aí, a competição de maneira mais igual para todos aos participantes.

 

 

 

Repórter Cleide Lopes: O sistema Comprasnet já existe há mais de 18 anos. E para modernizar e tornar ainda mais transparente as transações, estão sendo investidos R$ 11 milhões. Para essa modernização, um contrato foi firmado entre o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e o SEBRAE, que desembolsará esse valor em um período de 24 meses. De acordo com Daniel Rogério, coordenador-geral dos sistemas de compras governamentais, do Ministério Do Planejamento, a ideia é, além de modernizar a questão tecnológica, implementar regras de negócio nas operações, evitando a utilização de robôs em licitações públicas.

 

 

 

Coordenador-geral dos sistemas de compras governamentais - Daniel Rogério: No novo sistema de pregão eletrônico, no Comprasnet, nós já vamos propor mudanças, vamos implementar mudanças para combater o uso de robô. Para o fornecedor, que vai participar da licitação, e também para o gestor público, vai ser muito mais fácil de operar as licitações.

 

 

 

Repórter Cleide Lopes: Outra ação prevista é a criação de um aplicativo móvel para os fornecedores de bens e serviços. O app promoverá interatividade e acompanhamento online de compras, legislação e novidades relacionadas ao tema. Reportagem, Cleide Lopes.

 

 

 

Gabriela: Terra de diferentes belezas naturais, o Brasil é destino cada vez mais procurado por turistas e estrangeiros e pelos próprios brasileiros.

 

 

 

Nasi: E para garantir a segurança e qualidade no atendimento aos visitantes, o Ministério do Turismo intensificações de formalização do setor por meio do Cadastur.

 

 

 

Repórter Pablo Mundim: Prestadores de serviços de turismo, como hotéis e agências de viagens, devem ter, obrigatoriamente, registro no castro de prestadores de serviços turísticos, o Cadastur. A medida traz mais segurança e qualidade no atendimento ao turista, como explica o gerente-geral de uma rede de hotéis, que atende na capital federal e na região Nordeste do Brasil, Bueno do Prado Filho.

 

 

 

Gerente-geral de rede de hotéis - Bueno do Prado Filho: Eu te diria que é muito seguro para quem vai se hospedar no hotel, que ele procure um hotel que tenha registro no Cadastur, que é um hotel que está sendo fiscalizado sempre por órgãos variados.

 

 

 

Repórter Pablo Mundim: Além da legalização, o cadastro viabiliza uma série de vantagens, como acesso a financiamento em bancos oficiais do governo e cursos gratuitos de qualificação. Os estados de Alagoas, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Paraná e o Distrito Federal estão com 100% dos estabelecimentos regularizados no Cadastur, de acordo com o Ministério do Turismo. Nos demais estados, o cadastro alcança pelo menos 80% dos estabelecimentos. Segundo o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz Silva, o cadastro passou por reformulação para facilitar o cumprimento das exigências por parte dos empreendedores.

 

 

 

Ministro do Turismo - Vinicius Lummertz Silva: Aí nós estamos agora, inclusive, fazendo uma reformulação, melhorando, nós estamos desburocratizando, mas nisso tudo, informatizado, significa dizer que todos os documentos que precisam ser levados até o Ministério do Turismo, através da Secretaria de Estado, através das Secretarias Municipais hoje, isso se você faz tudo automaticamente. Os empreendedores, os empresários do ramo turístico podem se legalizar e saber, aprender e se qualificar no âmbito da expectativa desses seguimentos.

 

 

 

Repórter Pablo Mundim: O prestador de serviços que não estiver regularizado poderá ser autuado e multado. O cadastro é gratuito e deve ser feito pela internet no site cadastur.turismo.gov.br. Reportagem, Pablo Mundim.

 

 

 

Gabriela: O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, assinou acordo com o BNDES para ampliar os investimentos em segurança pública.

 

 

 

Nasi: R$ 1 bilhão a mais para compra de veículo e coletes de segurança, como detalha o ministro.

 

 

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Nós encerramos uma ata nacional de preço para a aquisição de 8 mil veículos, entre 7,5 mil a 8 mil veículos, no valor de R$ 750 milhões. Segundo, no caso dos coletes, a gente está abrindo os resultados, é uma outra licitação, mas só para coletes, no valor de até R$ 250 milhões para a compra de 150 mil coletes, que é um equipamento fundamental para a autodefesa dos militares. E, em seguida, nós teremos outros itens. Foram silenciados um conjunto de itens que são prioritários, todos eles serão objeto de uma ata nacional de preços.

 

 

 

Gabriela: O ministro também disse que amanhã vai ser sancionada uma lei que determina que parte dos recursos arrecadados com lotarias vão para a segurança pública.

 

 

 

Nasi: Isso representa, para o ano que vem, um incremento de cerca de R$ 2 bilhões.

 

 

 

Gabriela: Quem fez o Encceja, o exame nacional para a certificação de competência de jovens e adultos, referente ao ensino fundamental, já pode conferir o resultado.

 

 

 

Nasi: O exame permite que jovens e adultos, que não concluíram os estudos, possam realizar a prova para ter o certificado do ensino fundamental.

 

 

 

Gabriela: Os candidatos podem acessar o resultado na página do participante na internet em enccejanacional.inep.gov.br.

 

 

 

Nasi: Já está aberto o prazo para quem optou pelo Programa Especial de Regularização Tributária, o Pert, a prestar informações.

 

 

 

Gabriela: O programa garante descontos para pessoas físicas ou jurídicas que vão quitar dívidas com a Fazenda Nacional.

 

 

 

Nasi: E o prazo termina no dia 28 de dezembro.

 

 

 

Gabriela: Na página da Receita Federal na internet, em: receita.fazenda.gov.br, é possível acessar um roteiro com todos os passos para prestar as informações.

 

 

 

Nasi: E essas foram as notícias do governo federal.

 

 

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

 

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

 

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

 

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

 

 

"Brasil, ordem e progresso".