12/05/17 - A Voz do Brasil

Governo do presidente Michel Temer completa um ano! Em 12 de maio de 2016, Temer assume o país com um compromisso: Hoje, o presidente destaca resultados positivos. E a Voz do Brasil vai falar das principais ações do governo neste primeiro ano! E você também vai ouvir hoje: Começou o saque das contas inativas do FGTS para nascidos em junho, julho e agosto. E amanhã é dia D de vacinação contra a gripe!

audio/mpeg 12 05 17.mp3 — 23499 KB




Transcrição


Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Airton: Olá. Boa noite.

 

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Airton: E vamos ao destaque desta sexta-feira: governo do Presidente Michel Temer completa um ano.

 

Gláucia: Em 12 de maio de 2016 Temer assume o país a um compromisso.

 

Presidente da República - Michel Temer: Nosso maior desafio é estancar o processo de queda livres na atividade econômica, que tem levado o aumento do desemprego e a perda do bem-estar da população.

 

Airton: Hoje, 12 de maio de 2017, Presidente destaca resultados positivos.

 

Presidente da República - Michel Temer: O Brasil está retomando o caminho do crescimento. Agora é seguir em frente. E estou seguro de que ao completar o nosso segundo ano de governo teremos um país reestruturado e muito mais feliz.

 

Gláucia: E a Voz do Brasil vai falar das principais ações do governo neste primeiro ano.

 

Airton: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gláucia: Começou o saque das contas inativas do FGTS para nascidos em junho, julho e agosto.

 

Airton: E amanhã é dia D de vacinação contra a gripe.

 

Gláucia: Hoje na apresentação da Voz do Brasil: Glaucia Gomes e Airton Medeiros.

 

Airton: E para assistir a gente ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Gláucia: Crescimento econômico e inflação em baixa.

 

Airton: Aumento no Bolsa Família e valorização do Minha Casa Minha Vida.

 

Gláucia: Reformulação do Ensino Médio e combate a epidemias como a febre amarela e o Zika vírus.

 

Airton: É o Brasil no caminho certo, como disse hoje o Presidente Michel Temer em reunião que marcou um ano do seu governo.

 

Gláucia: O Presidente fez um balanço das ações em várias áreas e disse que o país entra numa nova fase de desenvolvimento.

 

Repórter Mara Kenupp: O Presidente Michel Temer comandou a abertura da reunião no Palácio do Planalto, que marcou o primeiro ano de governo. O primeiro a falar foi o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. Disse que em um ano o governo editou mais de 16 mil atos. O ministro destacou a retomada das atividades do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, um espaço de diálogo com a sociedade e citou as próximas ações que vão ser tomadas pelo governo.

 

Ministro da Casa Civil - Eliseu Padilha: Pela implementação das reformas que estão em curso agora neste ano, um novo marco regulatório para a mineração, uma nova lei geral ambiental, uma nova lei de saneamento. Com essas medidas nós estaremos dando passos avante no rumo de fazer com que o Brasil se tornasse um país próspero, um país que pudesse ter a geração de empregos.

 

Repórter Mara Kenupp: O Presidente Michel Temer disse que neste primeiro ano de governo trabalhou para que o Brasil superasse a maior recessão da história. Agora o país está preparado para uma nova fase de desenvolvimento.

 

Presidente da República - Michel Temer: Nós já temos resultados concretos, ótimos motivos para mantermos a confiança, confiança que nunca me faltou. E pode acreditar, o Brasil está retomando o caminho do crescimento. Agora, é seguir em frente, a travessia continua e estou seguro de que ao completar o nosso segundo ano de governo teremos um país reestruturado e muito mais feliz.

 

Repórter Mara Kenupp: Para Temer as reformas propostas pelo governo, como a do teto de gastos públicos, a modernização das leis trabalhistas e a reforma da Previdência, além dos programas e políticas públicas, estão trazendo resultados para a população.

 

Presidente da República - Michel Temer: Não é uma questão de ideologia política, mas de responsabilidade, de coragem para fazer o que é preciso ser feito. Interessante hoje até é uma coisa que eu repito, nós todos repetimos com muita frequência, o que o povo brasileiro quer, o povo em geral quer é resultado, de onde e como vem o resultado não importa, ele quer resultado, resultado para o seu bem-estar. Nós estamos todos construindo pilares muito sólidos para garantir ao Brasil um padrão de crescimento sustentável.

 

Repórter Mara Kenupp: A reunião do Palácio do Planalto também teve a presença de líderes partidários da Câmara dos Deputados e do Senado. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Presidente da República - Michel Temer: O Brasil, meus amigos, vive hoje sua pior crise econômica. São 11 milhões de desempregados, inflação de dois dígitos, déficit de quase R$100 bilhões, recessão.

 

Airton: Essa é uma parte do discurso do Presidente Michel Temer quando assumiu o país há um ano.

 

Gláucia: Temer destacou que era preciso reconstruir a base da nossa economia.

 

Airton: Hoje, ao fazer um balanço das medidas tomadas pelo governo, Temer disse que o Brasil está retomando o caminho do crescimento.

 

Repórter João Pedro Neto: Um ano de resultados. A inflação e os juros vêm diminuindo. A confiança foi restabelecida na economia brasileira. Essa é a avaliação do ministro da fazenda sobre o primeiro ano de gestão. Henrique Meirelles disse que uma das primeiras medidas promovidas pelo governo teve papel decisivo para a recuperação, o teto para os gastos públicos, que fixou um limite para o crescimento das despesas com base na inflação.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: No primeiro trimestre nós tivemos um consumo de energia crescendo 20%, produção de aço crescimento 20%, licenciamento de automóveis 24%, uma série de exemplos que mostra que a economia já retomou, já está crescendo neste trimestre.

 

Repórter João Pedro Neto: E tudo isso ajuda também a aliviar o bolso dos consumidores, trazendo uma queda no ritmo de crescimento da inflação. O índice, que estava na casa dos 10% a um ano, caiu para 4%, um fato comemorado pelo Presidente Michel Temer.

 

Presidente da República - Michel Temer: E isto protege o bolso do trabalhador. Parece que não, mas quando você derruba a inflação, você está também protegendo os pobres, o trabalhador, o aposentado, estudante.

 

Repórter João Pedro Neto: No período em que completa um ano de exercício, o governo busca a aprovação da reforma da Previdência, que deve ser votada em breve na Câmara dos Deputados. Outra questão fundamental para o equilíbrio das contas públicas, disse o Presidente Michel Temer.

 

Presidente da República - Michel Temer: Eu não tenho dúvida de que conseguiremos aprovar a reforma e assim garantir que nenhum brasileiro fique sem a sua aposentaria. Nós sairemos desse debate com uma Previdência sem privilégios, mais justa e com proteção assegurada aos mais pobres.

 

Repórter João Pedro Neto: A consequência do crescimento econômico é uma retomada na geração de empregos no país, o que deve acontecer de maneira consistente na avaliação do governo a partir do segundo semestre deste ano. Na reunião que marcou o primeiro ano na nova gestão o Presidente Michel Temer citou ainda outros desafios que vão ser enfrentados pelo governo nos próximos meses, entre eles está a modernização do sistema tributário. A ideia é simplificar e tornar os impostos mais justos. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Gláucia: E quando assumiu, o Presidente Michel Temer também fez um compromisso com a população.

 

Presidente da República - Michel Temer: Reafirmo e o faço em letras garrafais, vamos manter os programas sociais. O Bolsa Família, o Pronatec, o Fies, o Prouni, o Minha Casa Minha Vida, entre outros, são projetos que deram certo, e, portanto, terão sua gestão aprimorada.

 

Airton: É, a área social foi um campo de avanços neste primeiro ano de governo.

 

Gláucia: Houve aumento no Bolsa Família e um pente-fino nos benefícios fez com que o dinheiro pudesse chegar a quem realmente precisa.

 

Airton: Já a educação passa por um processo de modernização. Melhorias do Enem e a reforma do Ensino Médio vão incentivar os jovens a continuar os estudos e ainda aprenderam uma profissão.

 

Repórter Gabriela Noronha: Neste aniversário de um ano de governo o Presidente Michel Temer destacou o aumento de 12,5% no valor do Bolsa Família e o fim da fila para receber o benefício. Para o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, a conquista só foi possível com melhorias da gestão, que direcionaram o programa a quem realmente precisa.

 

Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário - Osmar Terra: Tiramos 2 milhões e 800 mil famílias do programa, que tinham renda acima do que elas declaravam e incluímos 2 milhões e 100 mil famílias que estavam esperando para entrar, eram famílias realmente muito necessitadas e que não tinham acesso ao programa.

 

Repórter Gabriela Noronha: Na área de educação mais um avanço, a reforma do Ensino Médio, há anos parada, foi finalmente concluída e aprovada para modernizar e dar mais liberdade à educação dos jovens, como ressalta o ministro da Educação, Mendonça Filho.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: A grande conquista indiscutível foi a reforma do Ensino Médio, que vai combater a evasão, e, ao mesmo tempo, garantir para os jovens do Brasil que a gente tenha um ensino mais flexível, contemporâneo e que permita ao jovem decidir aquilo que é mais importante para o seu futuro.

 

Repórter Gabriela Noronha: Outro destaque são as mudanças no Exame Nacional do Ensino Médio, feitas com ajuda dos próprios estudantes. E os avanços na educação estão apenas começando, novas medidas vêm por aí, como adianta o ministro da Educação.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: Próximos meses eu contraio que a gente deve ter novidades no campo do Fies. Já anunciamos medidas que facilitam e são amigáveis aos jovens com relação ao Enem. O Enem hoje, em 2017, será realizado em dois domingos, dando mais folga aos jovens e oportunidade para que eles possam estudar.

 

Repórter Gabriela Noronha: Mais de 600 mil pessoas participaram da consulta pública sobre o Enem. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Presidente da República - Michel Temer: Queremos incentivar de maneira significativa as parcerias público-privadas, na medida em que esse instrumento poderá gerar emprego no país.

 

Gláucia: Em 12 de maio do ano passado Temer passou sobre a necessidade de resgatar a credibilidade do país e atrair investimentos.

 

Airton: A partir daí o governo criou o programa de parceria de investimentos, realizou leilões em vários setores, mudou regras para dar mais segurança aos investidores e reforçou a Petrobras.

 

Gláucia: Medida para alavancar a economia, a retomar a confiança dos empresários e gerar empregos.

 

Repórter Taíssa Dias: Energia, transportes, acesso à água. Em todas essas áreas o balanço do primeiro ano, segundo o governo, é positivo. Na reunião que marcou a data o Presidente Michel Temer destacou uma das grandes vitórias no setor de infraestrutura, a recuperação da Petrobras.

 

Presidente da República - Michel Temer: Hoje nós podemos falar em alto e bom som que a Petrobras é aquilo para qual ela se destinou, um orgulho para os brasileiros.

 

Repórter Taíssa Dias: Segundo o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, o setor elétrico também acumulou avanços nos últimos 12 meses. Os leilões de linhas de transmissão de energia em outubro do ano passado e abril deste ano vão gerar investimentos de R$25 bilhões nos próximos cinco anos. Na avaliação do ministro, o futuro é promissor.

 

Ministro de Minas e Energia - Fernando Coelho Filho: Nós temos leilão de transmissão no segundo semestre, nós temos leilão das distribuidoras da Eletrobrás, nós temos os leilões de óleo gás no segundo semestre. Então, estamos bastante animados de que a economia se aquecendo, ela passa essencialmente pelo setor de minas e energia.

 

Repórter Taíssa Dias: O setor de transportes e portos também comemora leilões, entre eles, o do terminal de passageiros do porto com Salvador, na Bahia, e dos terminais portuários de Santarém, no Pará. E o grande destaque é o setor aéreo, é o que afirma o ministro dos Transportes, Maurício Quintela.

 

Ministro dos Transportes - Maurício Quintela: O setor da aviação civil teve agora no mês de março o primeiro mês de crescimento, cresceu 5,5% depois de 19 meses sucessivos de queda.

 

Repórter Taíssa Dias: O fim das obras do eixo leste do projeto de integração do São Francisco também é considerado uma conquista. As águas do rio já chegaram à Paraíba. Segundo o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, uma vitória da população brasileira.

 

Ministro da Integração Nacional - Helder Barbalho: Importante para o governo e importante são para as pessoas, as pessoas que sofriam com a seca, as pessoas que viviam com o alarme do colapso hídrico, o desabastecimento.

 

Repórter Taíssa Dias: A integração do rio São Francisco é a maior obra de infraestrutura hídrica do país, somando os dois eixos, tem 477 quilômetros de canais que vão levar a água a 12 milhões de pessoas. Reportagem, Taíssa Dias.

 

Gláucia: 19h14 em Brasília.

 

Airton: Começou o saque das contas inativas do FGTS para os nascidos em junho, julho e agosto.

 

Gláucia: Daqui a pouco vamos dar todos os detalhes dessa nova etapa.

 

Airton: E a gente continua fazendo um balanço de um ano do governo do Presidente Michel Temer.

 

Gláucia: Ele, que há um ano, falou da importância de unificar o país por meio do diálogo, com o Congresso e com o povo.

 

Presidente da República - Michel Temer: É urgente pacificar a nação e unificar o Brasil. Partidos políticos, lideranças e entidades organizadas e o povo brasileiro hão de emprestar sua colaboração para tirar o país desta grave crise em que nos encontramos. O diálogo é o primeiro passo para enfrentarmos os desafios para avançar e garantir a retomada do crescimento.

 

Airton: Hoje Temer destacou que em um ano estabeleceu uma relação positiva do Congresso Nacional.

 

Gláucia: Diálogo essencial para a aprovação de reformas para fazer o país crescer e gerar empregos.

 

Repórter Nei Pereira: O ministro do trabalho, Ronaldo Nogueira, destacou reforma trabalhista, que vem encorada em três eixos fundamentais.

 

Ministro do Trabalho - Ronaldo Nogueira: O primeiro eixo é consolidar direito. O segundo eixo da modernização da legislação trabalhista é a segurança jurídica. E o terceiro eixo é a geração de empregos.

 

Repórter Nei Pereira: O Presidente Michel Temer reafirmou que a reforma trabalhista vai garantir os direitos dos cidadãos e que é fundamental para gerar mais emprego.

 

Presidente da República - Michel Temer: Eu quero enfatizar, eu quero falar em letras garrafais que eu quero grifar ou colocar em negrito, garantindo total proteção aos direitos do trabalhador. As pessoas divulgam que nós estamos tirando dinheiro do trabalhador, que o trabalhador vai morrer à mingua porque a reforma trabalhista vai acabar com todos os direitos, é que as pessoas não leem a Constituição Federal. Por isso que eu digo sem medo de errar, não haverá nenhum direito a menos para o trabalhador brasileiro.

 

Repórter Nei Pereira: E para aprovar as reformas como a trabalhista, governo e Congresso apostam em uma relação de diálogo entre os dois poderes e a sociedade. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, destacou que essas conversas são importantes para a aprovação de medidas que garantam a retomada do crescimento do país.

 

Presidente de Câmara - Rodrigo Maia: O país precisa, e, Vossa Excelência tem sido fundamental nisso, de instituições fortes, de segurança jurídica que estamos construindo em conjunto, de uma economia cada vez mais aberta e de alianças claras.

 

Repórter Nei Pereira: Segundo a Presidente Michel Temer, a nova relação entre o governo e o Legislativo foi o responsável pelas maiores conquistas nestes 12 meses de seu governo.

 

Presidente da República - Michel Temer: Era preciso também estabelecer o diálogo que antes não havia, faltava pacificar o país. Nós não queremos brasileiros contra brasileiros, nós queremos brasileiros com brasileiros.

 

Repórter Nei Pereira: O Presidente ressaltou ainda que essa boa relação com o Congresso vai permitir mais avanços, como a reforma tributária. Reportagem, Nei Pereira.

 

"Agora, Brasil".

 

Airton: E com o diálogo ressaltado na reunião de hoje o governo tem avançado para conseguir aprovar a modernização da lei trabalhista e a reforma da Previdência.

 

Gláucia: E qual a importância dessas reformas e o que elas mudam na vida dos brasileiros? É o que o repórter Paulo La Salvia conta para a gente.

 

Repórter Paulo La Salvia: Melhorar a relação do governo com deputados e senadores, com este objetivo o Presidente Michel Temer passou a colocar em prática uma agenda de reformas baseadas no diálogo, segundo o líder do governo do Congresso, deputado André Moura.

 

Líder do governo do Congresso - André Moura: O governo avança tendo apoio, por óbvio, do Congresso Nacional, que tem sido um parceiro importante todas essas votações, em todas essas aprovações, mesmo porque o Presidente Temer, ele dialoga muito perto... muito de perto com o Congresso Nacional.

 

Repórter Paulo La Salvia: O Presidente temer enviou ao Congresso duas reformas, a trabalhista e da Previdência. Aprovada na Câmara enviada ao Senado a modernização das leis trabalhistas prevê uma jornada de trabalho que poderá ser estendida para 12 horas por dia, 48 horas por semana, 220 horas por mês. Os 30 dias de férias poderão ser divididos em até três períodos. O economista da Escola Nacional de Administração Pública, José Luiz Pagnussat, defende o projeto.

 

Economista da Escola Nacional de Administração Pública - José Luiz Pagnussat: A nossa legislação trabalhista é muito antiga, ela precisa se ajustar aos tempos modernos. Então, há necessidade de atualizar toda a legislação no sentido de ajustá-la à realidade do mercado de trabalho de hoje.

 

Repórter Paulo La Salvia: Modernizar, mas sem cortar direitos. De acordo com a proposta estão garantidos décimo terceiro salário, férias remuneradas anuais de 30 dias com valor correspondente a 30% do salário, contribuição ao INSS e ao FGTS e direito de greve. Enquanto a reforma trabalhista busca modernizar as relações entre patrões e empregados, a reforma da Previdência procura unificar regras, reduzir privilégios e permitir que o sistema fique sustentável. Isso porque, ao mesmo tempo, a sociedade tem envelhecido rápido e os brasileiros e brasileiras se aposentam cedo. Em média aos 55 anos. Existem cada vez mais pessoas para receber benefícios, só que as contribuições previdenciárias e os recursos públicos não aumentam na mesma proporção, segundo o economista José Luiz Pagnussat.

 

Economista da Escola Nacional de Administração Pública - José Luiz Pagnussat: Sem uma reforma da Previdência o gasto com a Previdência continuaria crescendo e num médio prazo nós não teríamos para as demais políticas públicas. Hoje o gasto com Previdência do Governo Federal está acima de 50% da despesa.

 

Repórter Paulo La Salvia: Na Câmara a proposta já foi aprovada na Comissão Especial e agora segue para o Plenário. A reforma prevê idade mínima de 65 anos para homens se aposentarem. Para mulheres a idade vai ser menor, 62 anos. O tempo de contribuição é igual, 25 anos. A reforma da Previdência também prevê uma regra de transição para todos aqueles que estão no mercado de trabalho. Caso as novas regras sejam aprovadas, quem não tiver o tempo de contribuição completo, que é de 30 anos para mulheres e de 35 anos para homens, terá de pagar um pedágio de 30% sobre o período que faltar. Respeitando ainda uma idade mínima. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Gláucia: 19h21 em Brasília.

 

Airton: Começou o saque de contas inativas do FGTS para nascidos em junho, julho e agosto.

 

Gláucia: As agências da Caixa abriram mais cedo hoje. Neta terceira etapa mais de 7,5 milhões de pessoas têm dinheiro a receber.

 

Repórter Cleide Lopes: O Presidente Michel Temer foi pessoalmente na agência central da Caixa Econômica aqui em Brasília para acompanhar a liberação dos recursos das contas inativas para os trabalhadores.

 

Presidente da República - Michel Temer: Pude constatar pessoal e visualmente a alegria, a satisfação com que as pessoas sacavam, né, punham lá na máquina o seu cartão, etc., e lá saía o dinheiro. Com dez minutos desse dia já havia comparecido à Caixa Econômica 242 mil trabalhadores.

 

Repórter Cleide Lopes: A enfermeira Gislaine El Kadri, vai direto ao comércio comprar um presente do Dia das Mães.

 

Enfermeira - Gislaine El Kadri: Não era um dinheiro que eu estava esperando e eu vou gastar comigo. Nada mais justo, né?

 

Repórter Cleide Lopes: Já Elton Sales, designer gráfico, vai usar o dinheiro para pagar contas.

 

Designer gráfico - Elton Sales: Inicialmente eu pensei em pagar algumas contas e guardar o restante para uma eventual emergência.

 

Repórter Cleide Lopes: E a administradora Luciana Reis, preferiu poupar o dinheiro do FGTS.

 

Administradora - Luciana Reis: Pensei em investir, colocar em um fundo de investimento.

 

Repórter Cleide Lopes: Nesse terceiro lote de contas inativas do FGTS quase 8 milhões de trabalhadores serão beneficiados com R$10 bilhões e R$800 milhões. Até o final do quinto e último lote a economia brasileira vai receber uma injeção de R$40 bilhões, como explica o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi.

 

Presidente da Caixa Econômica Federal - Gilberto Occhi: Acreditamos que até o final do calendário que se encerra dia 31 de julho deste ano nós tenhamos aí feito o pagamento de cerca de R$40 bilhões.

 

Repórter Cleide Lopes: Nesse terceiro lote os saques vão atender os trabalhadores que nasceram entre junho e agosto, mas quem perdeu as datas anteriores pode sacar o dinheiro até 31 de julho. Mesmo que o seu período marcado no calendário tenha passado. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Airton: E atenção, amanhã 2.100 agências da Caixa vão atender quem tem dinheiro a receber.

 

Gláucia: Na segunda e terças-feiras todas as agências também vão abrir duas horas mais cedo para atendimento exclusivo sobre o FGTS de contas inativas.

 

Airton: E amanhã é dia vacinação contra a gripe, 36 mil postos de vacinação e mais 27 mil postos móveis estarão abertos em todo o país.

 

Gláucia: E o ministro da Saúde, Ricardo Barros, é quem faz a convocação dos grupos prioritários para quem... para que não deixem de se vacinar.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Meus amigos, amanhã vamos ter a Dia D da Vacinação da H1N1, da gripe. É muito importante crianças de seis meses a cinco anos, idosos acima de 60 anos, professores, profissionais de saúde. Todos os grupos prioritários devem procurar as unidades de saúde, os postos de vacinação da campanha e se vacinar. A cobertura do H1N1 é muito importante para proteger a população da gripe, que causa até mortes em alguns casos. É muito importante que todos compareçam. Levem suas crianças, acompanhem seus idosos. Vamos proteger o Brasil contra a gripe.

 

Airton: Mais de 2 milhões e 700 mil candidatos já fizeram suas inscrições para o Enem 2017.

 

Gláucia: E, você, estudante que está ansioso para entrar na universidade, já fez a sua inscrição?

 

Airton: Então, é bom apertar o passo porque o prazo termina na próxima sexta-feira, dia 19.

 

Gláucia: As inscrições podem ser feitas pela internet no endereço: enem.inep.gov.br.

 

Airton: E estas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gláucia: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Airton: Com Produção da Empresa Brasil de Comunicação

 

Gláucia: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite para você. Um bom fim de semana.

 

Airton: Boa noite e até segunda.

 

"Brasil, ordem e progresso".