12 DE JANEIRO DE 2018

Destaques da Voz do Brasil: Prioridade do governo é aprovar Reforma da Previdência e presidente Michel Temer responde ouvintes e diz porque a mudança é tão importante. Segundo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a reforma também vai ajudar o Brasil a continuar crescendo. Governo e estado do Rio de Janeiro anunciam novas ações de combate a violência. Senacon destaca direitos dos pais na hora de fazer matrícula na escola.

audio/mpeg 12_01_18 - A VOZ DO BRASIL.mp3 — 23535 KB




Transcrição


A Voz do Brasil - 12/01/2018

 

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil, as notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Alessandra Bastos: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Alessandra: Sexta-feira, 12 de janeiro de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque de hoje.

 

Alessandra: Prioridade do governo é aprovar reforma da Previdência.

 

Nasi: Presidente Michel Temer responde ouvintes e diz por que a mudança é tão importante.

 

Presidente da República - Michel Temer: Se não fizermos uma mudança da Previdência, em pouco tempo, aqueles aposentados de hoje não conseguirão receber as suas pensões. Por isso, o apoio da população e do Congresso Nacional são importantíssimos.

 

Alessandra: Reforma que também vai ajudar o Brasil a continuar crescendo. Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim: O ministro da Fazenda reforçou hoje que a aprovação das medidas do governo, como a reforma da Previdência, vai garantir a confiança dos empresários e do mercado financeiro.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Alessandra: Governo e estado do Rio de Janeiro anunciam novas ações de combate à violência.

 

Nasi: Em mais uma matéria sobre a volta às aulas, vamos falar sobre cuidados na hora da matrícula. Márcia Fernandes.

 

Repórter Márcia Fernandes: Ao fazer a matrícula, o estabelecimento não pode exigir que o pai ou a mãe comprove que quitou as dívidas com a instituição anterior.

 

Alessandra: E vamos falar de educação financeira. É hora de aproveitar o início do ano para colocar tudo na ponta do lápis. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: Uma pesquisa divulgada pelo Banco Central mostrou que 56% dos entrevistados não colocam no papel as contas do mês.

 

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Alessandra Bastos e Nasi Brum.

 

Alessandra: E para assistir a gente ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Nasi: Aumento na criação de vagas de empregos e nos índices de crescimento.

 

Alessandra: Hoje, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o país segue na direção certa.

 

Nasi: Segundo ele, dar continuidade a esse crescimento, o governo aposta na aprovação de reformas importantes, como a da Previdência.

 

Repórter Pablo Mundim: O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, reforçou hoje que a aprovação das medidas do governo, em análise pelo Congresso Nacional, vão garantir a confiança dos empresários e do mercado financeiro. O ministro comentou a redução da nota do país por uma agência de risco. Essa avaliação mede a satisfação dos investidores internacionais com a economia e serve de referência para a definição dos juros dos títulos públicos, que é o custo para o governo pegar dinheiro emprestado dos investidores. Meirelles afirmou que o Brasil está no caminho certo e que a melhora na classificação é questão de tempo.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Existe um histórico aí, aprovações de medidas relevantes, importantes para o país, que nos leva a continuar absolutamente confiantes, seguros de que essas melhoras continuarão ocorrendo, e, portanto, a perspectiva de aumento de 'rating' é uma questão de tempo. O país está em pleno processo de consolidação de uma recuperação sólida. Já foram criados um número grande de empregos o ano passado, mais de 1 milhão de empregos, o número de pessoas ocupadas subindo fortemente, esperamos a criação de mais 2 milhões de empregos esse ano. Em resumo, o país vai na direção certa.

 

Repórter Pablo Mundim: O ministro da Fazenda também falou do papel do Congresso para aprovar medidas importantes para a economia, como a reforma da Previdência.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: O Congresso tem mostrado que tem aprovado as reformas fundamentais para o país, aprovou o teto de gastos. E existe uma confiança bastante substancial de muitos de que as reformas serão aprovadas. A reforma da Previdência será aprovada. As medidas fiscais e fundamentais serão aprovadas, como já foram.

 

Repórter Pablo Mundim: O ministro falou ainda que a perspectiva de crescimento do Produto Interno Bruto, que é a soma de todas as riquezas produzidas pelo país, fique em 3% neste ano, e que o Brasil tem condições fiscais adequadas para crescer mais e melhor. Reportagem, Pablo Mundim.

 

"Você na Voz do Brasil".

 

Alessandra: Nesta semana, o presidente Michel Temer é quem responde comentários dos nossos ouvintes.

 

Nasi: E quem enviou uma mensagem para a gente foi a Catarina Chaves, lá do Maranhão. Ela faz uma avaliação do governo no ano que passou.

 

Alessandra: É, Nasi, o país retomou o crescimento, a inflação e os juros caíram ao menor patamar em muitos anos e voltamos a gerar mais empregos.

 

Nasi: D. Catarina, que tem 72 anos, conta que até então trabalha para completar os anos de contribuição que precisa para se aposentar, e ela fala o que pensa da reforma da Previdência.

 

Entrevistada - Catarina Chaves Oliveira: Meu nome é Catarina Chaves Oliveira, eu tenho 72 anos. Moro em São Luís do Maranhão, Nordeste que eu amo, que eu gosto. E essa PEC da Previdência tem que ser votada mesmo, porque é só gente grande que está aposentada. Ah, que vai mexer com o pequeno. Não mexe com o pequeno, não, só mexe com o grande. É esse o problema, ele quer acertar, ele quer tirar do grande para amparar o pequeno. Estou com ele e não abro mão.

 

Alessandra: E o presidente Michel Temer responde a D. Catarina.

 

Presidente Michel Temer: Olha, Catarina, boa noite. Boa noite aos ouvintes da Voz do Brasil. Estou, até confesso a você, Catarina, emocionado com a sua fala. O reconhecimento que você faz do governo é uma coisa importante para nós do governo. Você sabe que toda vez que o governo recebe uma palavra como a sua, nós ficamos mais entusiasmados para prosseguir naquilo que estamos fazendo. Por isso é muito bom ouvir o seu depoimento, Catarina, porque ele reflete bem por que defendemos, por exemplo, a reforma da Previdência. Estamos propondo mudanças porque queremos acabar com os privilégios, queremos fazer um sistema de aposentadorias mais justo, onde todos se aposentam com os mesmos direitos. Vou te dar um exemplo. Da forma que está, os servidores públicos que ganham mais, cerca de R$ 20 mil, R$ 30 mil, se aposentam com direito de continuar recebendo esse valor, enquanto quem trabalha na iniciativa privada só pode receber até o teto de R$ 5.330,00, independentemente do valor do salário. O que é que nós estamos fazendo? Servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada vão se aposentar com os mesmos direitos, não haverá privilégios. E qual é a ideia? Quem ganha mais e quer continuar recebendo mais ao se aposentar pode fazer uma Previdência chamada Previdência Complementar, que é uma Previdência privada. Outra coisa que é importante dizer, e que não muda nada para as famílias mais pobres que recebe o Benefício de Prestação Continuada, por exemplo, são aqueles idosos que chegam aos 65 anos, são os deficientes, esses não são atingidos pela reforma da Previdência. E até vou dizer à senhora, D. Catarina, mesmo aqueles que ganham R$ 30 mil, se fizerem essa Previdência Complementar, pagando por mês mais uma importância, né? Eles podem se aposentar pelos valores atuais, também não terão prejuízo. Mas, para efeito de aposentadoria, estarão equiparados àqueles trabalhadores da iniciativa privada. Este é o princípio da igualdade entre os trabalhadores da iniciativa privada e os trabalhadores do setor público, não é? Porque, hoje, nós estamos sempre com um saldo negativo na Previdência, e ele aumenta a cada ano com o envelhecimento da população. Se não fizermos uma mudança na Previdência, D. Catarina, em pouco tempo, aqueles aposentados de hoje não conseguirão receber as suas pensões. Por isso, o apoio da população e do Congresso Nacional, e um apoio como o seu são importantíssimos.

 

Nasi: As ações de segurança no Rio de Janeiro e as medidas de combate à criminalidade que serão implementadas no estado este ano foram tema de uma reunião de representantes do governo federal com governador Luiz Fernando Pezão.

 

Alessandra: Ficou definida a criação de um plano conjunto de ação, que vai ser apresentado no próximo mês, como explicou o ministro da Defesa, Raul Jungmann.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: Nós vamos ter um plano integrado para o Rio de Janeiro com os compromissos do governo estadual e do governo federal, nós vamos ter a participação da sociedade no processo de monitoramento, de acompanhamento desse plano. Algumas ações específicas, por exemplo, R$ 41 milhões serão aplicadas em unidades militares do Rio de Janeiro para receber os jovens que vão poder ter iniciação esportiva, que vão poder ter alimentação, que vão poder ter atendimento médico. Uma outra medida específica, as Forças Armadas vão auxiliar e vão apoiar as polícias rodoviária estadual e federal no patrulhamento das vias de acesso e no entorno do Rio de Janeiro.

 

Nasi: Raul Jungmann também fez um balanço da atuação das Forças Armadas em ações de segurança no ano passado. Segundo Jungmann, foram 15 operações com mais de 31 mil militares, em investimentos de mais de R$ 40 milhões.

 

Alessandra: Quem fez o Enem em 2017 poderá ver os resultados da prova um dia antes do previsto.

 

Nasi: É que o Inep, órgão do Ministério da Educação responsável pela prova, decidiu antecipar a divulgação dos resultados para a próxima quinta-feira, dia 18.

 

Alessandra: Para acessar as notas no site do Inep, é preciso informar CPF e a senha que foi cadastrada na inscrição.

 

Nasi: Já os estudantes que fizeram o Enem apenas para autoavaliação, que são conhecidos como treineiros, terão o resultado liberado 60 dias depois desse prazo.

 

Alessandra: As provas foram aplicadas em novembro do ano passado e mais de 4 milhões de pessoas fizeram o exame. 19h10 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Início de ano é hora de cuidar da saúde financeira.

 

Alessandra: Daqui a pouco vamos dar todas as dicas sobre como colocar tudo na ponta do lápis para saber como gastar e como poupar.

 

Nasi: Professores de inglês de escolas públicas de todos os estados embarcaram rumo aos Estados Unidos.

 

Alessandra: Eles vão fazer um curso intensivo para aperfeiçoar o idioma, tudo com o apoio do governo brasileiro.

 

Repórter Nathália Koslyk: Nesta sexta-feira, quase 480 professores de inglês da rede pública de todos dos estados do Brasil embarcaram numa missão: eles vão passar seis semanas em cursos intensivos de aperfeiçoamento do idioma em 17 universidades dos Estados Unidos. O professor Orlando Figueiredo é o representante da região do Marajó, no Pará. Ele está animado com a oportunidade e fala sobre o crescimento que a experiência vai trazer.

 

Professor - Orlando Figueiredo: No momento que eu colocar o pé no avião estarei representando todos os meus alunos e toda a minha comunidade. Eu estou muito empolgado porque vou ter a oportunidade de viver a língua depois de cinco anos, né, sem ir ao exterior, fui apenas uma única vez. A outra coisa que eu acho interessante é poder estudar metodologias de inglês. E aí vai ser um acréscimo acadêmico muito importante para mim e que vai beneficiar toda a minha comunidade escolar.

 

Repórter Nathália Koslyk: Os professores foram escolhidos por meio de um processo seletivo, que priorizou os estados com maior necessidade de treinamento. A iniciativa faz parte do Programa de Desenvolvimento Profissional para Professores de Língua Inglesa, uma parceria da Capes, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Brasileira, com o governo dos Estados Unidos. Carlos Cezar Modernel Lenuzza, diretor de Formação de Professores da Educação Básica da Capes, explica o objetivo dessa cooperação.

 

Diretor de Formação de Professores da Capes - Carlos Cezar Modernel Lenuzza: A primeira é aperfeiçoar não só a aprendizagem da língua de forma intensa como a metodologia de aplicação para efeito de aprendizagem dos alunos. E o segundo, que vai se dar um o retorno desses professores a partir do momento que eles se tornarão multiplicadores, inicialmente com os seus pares, professores como eles e depois também com a comunidade escolar e o seu entorno.

 

Repórter Nathália Koslyk: Para o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Rossieli Soares da Silva, a língua inglesa é estratégica para a inserção dos estudantes brasileiros no exterior.

 

Secretário de Educação Básica do Ministério da Educação - Rossieli Soares da Silva: Falar inglês, hoje, é se comunicar não só com os países de língua inglesa, mas com todo o mundo, para você negociar com a China, com o Japão, para você fazer um doutorado, um mestrado, estudar fora, trabalhar fora do Brasil.

 

Repórter Nathália Koslyk: Desde 2010, mais de 1.600 professores de escolas públicas já foram enviados pelo programa para universidades dos Estados Unidos. Reportagem, Nathália Koslyk.

 

Nasi: Ontem, nós falamos aqui na Voz do Brasil sobre os cuidados que os pais devem ter na hora de comprar material escolar, sempre verificando se o item tem o selo do Inmetro e fazendo uma boa pesquisa para economizar.

 

Alessandra: Hoje, a nossa dica é para a hora de fazer a matrícula. Fique atento aos contratos e não aceite cláusulas abusivas, como a presença de fiador.

 

Repórter Márcia Fernandes: A servidora pública Renata Diniz tem uma filha de 4 anos. A menina não se adaptou à escola onde estudava. Neste ano, Renata decidiu escolher um novo centro de ensino. A servidora conta que optou por um local onde a filha se sentisse amparada e feliz.

 

Servidora pública - Renata Diniz: Eu levo em conta a metodologia, o ambiente mesmo, a estrutura física. Eu estou mais preocupada com a felicidade dela, que ela aprenda, que ela produza, que ela seja criativa, que estimule a criatividade dela.

 

Repórter Márcia Fernandes: Além de observar a metodologia e o conteúdo ensinado, na hora de escolher a escola do filho, os pais também devem verificar a estrutura e a localização do colégio. Quem ainda não fez a escolha precisa ficar atento. Ao fazer a matrícula, o estabelecimento não pode exigir que pai ou a mãe comprove que quitou as dívidas com a instituição anterior. O coordenador geral de Estudos e Monitoramento de Mercado da Secretaria Nacional do Consumidor, Bernardo Argolo, explica que é necessário sempre ler o contrato com atenção.

 

Coordenador de Estudos e Monitoramento de Mercado da Senacon - Bernardo Argolo: O primordial é ler o contrato e saber o que é que eles estão contratando naquele momento, quais são os serviços que as escolas estão oferecendo.

 

Repórter Márcia Fernandes: As escolas não podem desligar o aluno por inadimplência antes do término do ano letivo, nem impedir o estudante de assistir as aulas, realizar provas ou qualquer outra atividade. Ela também não pode recusar a matrícula de estudantes que tenham qualquer tipo de deficiência. Segundo o coordenador de estudos da Senacon, a escola deve promover a inclusão.

 

Coordenador de Estudos e Monitoramento de Mercado da Senacon - Bernardo Argolo: A escola, de forma alguma, ela pode recusar uma criança por questões de deficiência ou então alguma doença contagiosa, por exemplo. Pelo contrário, a escola tem que buscar a inclusão daquela criança no ambiente escolar, seja por meio das aulas, por um acompanhamento específico, ou então até por meios de acessibilidade de acordo com a necessidade da criança.

 

Repórter Márcia Fernandes: Se no contrato da escola tiver alguma cláusula abusiva e a instituição não quiser rever o caso, o responsável pelo aluno deve fazer uma denúncia em órgãos de defesa do consumidor. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

"Economia. Direto ao ponto".

 

Nasi: Já que estamos falando de material escolar, matrícula na escola, ano novo também é sinal de novas contas, como IPTU, IPVA, férias.

 

Alessandra: É, Nasi, tem muita gente preocupada por aí. Uma pesquisa do Banco Central mostra que os brasileiros têm intenção de poupar, mas que, na prática, acabam gastando mais do que devem.

 

Nasi: E, muitas vezes, a solução é bem simples: conta na ponta do lápis e muita disciplina na hora de gastar.

 

Repórter Luana Karen: A psicóloga Messilene Eloi quer fazer diferente em 2018. Para conseguir o sonhado equilíbrio financeiro, resolveu largar de mão do cartão de crédito e fazer uma planilha com os gastos mensais.

 

Psicóloga - Messilene Eloi: Eu acho que eu visualizar dá uma impressão até mesmo de organização mesmo.

 

Repórter Luana Karen: A realidade de Messilene é bem mais comum do que se imagina. Uma pesquisa divulgada pelo Banco Central mostrou que 56% dos entrevistados não colocam no papel as contas do mês. Por outro lado, 64% dos entrevistados pagam as contas em dia, e 72% pensam se vão poder pagar uma compra. Para Elvira Cruvinel, chefe do Departamento de Promoção da Cidadania Financeira do Banco Central, o resultado mostra a intenção do brasileiro de equilibrar o orçamento.

 

Chefe do Departamento de Promoção de Cidadania Financeira do Banco Central - Elvira Cruvinel: Ele tem uma pré-disposição a se preocupar: Será que isso cabe no meu orçamento? Mas na hora do impulso, talvez esse impulso esteja maior na hora de comprar.

 

Repórter Luana Karen: Outro dado da pesquisa revela que apenas três em cada dez brasileiros costumam poupar. E os que guardam um dinheirinho poupam apenas uma pequena parte da renda. Elvira Cruvinel, do Banco Central, diz que não há um número ideal para poupar que sirva como regra para todos.

 

Chefe do Departamento de Promoção de Cidadania Financeira do Banco Central - Elvira Cruvinel: Não existe um número ideal, isso vai depender da fase da vida da pessoa, se é jovem, se é um adulto que está formando família, se é uma pessoa que já está pensando em parar de trabalhar. Por isso que é importante o planejamento.

 

Repórter Luana Karen: Educação financeira, essas são as palavras de ordem para a economista Amanda Holanda, que montou um curso para ajudar as pessoas a saírem do hospital das finanças. E qual a principal lição para conseguir poupar?

 

Economista - Amanda Holanda: O maior segredo para você conseguir poupar é você saber para que você está poupando. A gente diz que o sonho, ele é o combustível de uma vida financeira saudável.

 

Repórter Luana Karen: A assistente administrativa Nayane Katiuscia de Oliveira se considera acima da média quando o assunto é planejamento financeiro. Pelo celular, ela controla o fluxo da conta do banco e organiza o que é prioridade e o que é supérfluo nos gastos mensais.

 

Assistente administrativa - Nayane Katiuscia de Oliveira: Você consegue fazer mais, às vezes, com menos. Te proporciona viver melhor.

 

Repórter Luana Karen: Na página do Banco Central cidadaniafinanceira.bcb.gov.br há dicas, cursos, vídeos e muito material para ajudar a conseguir o equilíbrio das contas. Tudo de graça. Reportagem, Luana Karen.

 

Alessandra: Eles podem ser feitos de vitaminas, de nutrientes, de proteínas ou de outros compostos alimentares.

 

Nasi: E são utilizados para potencializar o desempenho na hora do treino, como a musculação, por exemplo.

 

Alessandra: Os suplementos alimentares estão por aí, mas ainda não há uma norma que regule a venda desses produtos.

 

Alessandra: A Anvisa vai mudar isso e quer saber a opinião dos consumidores, como conta o repórter Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim: Os suplementos alimentares já são comuns nas academias e entre os praticantes de atividades físicas. A enfermeira de Brasília, Aline Vicentina, usa dezenas deles. Ela quer aumentar a massa muscular e explica que os suplementos são práticos para atingir a dieta adequada.

 

Enfermeira de Brasília - Aline Vicentina: Eu tenho uma vida muito corrida e eu não tenho tempo para ficar fazendo a dieta toda certinha. Então a suplementação, ela me ajuda na composição dos nutrientes que eu preciso da dieta ao longo do dia.

 

Repórter Pablo Mundim: Mas nem todo praticante é adepto ao uso de suplementos. Bruno Nogueira é treinador de cross fit, um tipo de atividade que estimula a força por meio de exercícios de alta intensidade. Ele garante que consegue um bom desempenho apenas com a alimentação balanceada.

 

Treinador de cross fit - Bruno Nogueira: Prefiro achar toda a suplementação dentro da minha alimentação, que hoje em dia já é possível, né?

 

Repórter Pablo Mundim: E para avaliar a segurança e a eficácia desses produtos, a Anvisa quer estabelecer normas que definem claramente o que pode estar contido em um suplemento. A medida deve facilitar a venda e o controle sanitário dos produtos. O objetivo é preservar o consumidor. Para a nutricionista Juliene Melo, a regulação é importante para o consumidor saber a composição do que está ingerindo.

 

Nutricionista - Juliene Melo: Eu acho importante o consumidor ter acesso à origem realmente do suplemento e tudo o que está sendo descrito naquele suplemento para que a gente tenha conhecimento do que realmente está sendo ingerido em cada composto que é oferecido no mercado.

 

Repórter Pablo Mundim: E, a partir dessa semana, o consumidor tem 90 dias para opinar sobre o marco regulatório dos suplementos alimentares. Para participar da consulta pública é preciso acessar o site: portal.anvisa.gov.br. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Alessandra: 19h21 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Neste ano, os brasileiros vão ser atendidos com milhares de obras.

 

Alessandra: O Programa Agora é Avançar vai garantir esses investimentos. São 7 mil obras que estavam paradas e que o governo está retomando.

 

Nasi: O presidente Michel Temer detalhou essas ações que vão acontecer em todas as regiões, começando pelo Sul de país.

 

Presidente Michel Temer: No Paraná, o Programa Agora é Avançar está presente em 154 municípios, com 294 projetos em benefício da população. Neste ano, leiloamos o aeroporto do Porto Alegre, que será administrado agora pela iniciativa privada, trazendo mais comporto e opções de voos. Também não posso deixar de ressaltar a construção da segunda ponte sobre o rio Guaíba, em Porto Alegre. Santa Catarina são 230 obras em 111 municípios.

 

Nasi: O presidente Michel Temer também destacou que ampliou em 85% os recursos do Fundo Constitucional de Financiamento ao Centro-Oeste e chamou atenção para as obras na região.

 

Presidente Michel Temer: No Distrito Federal, obras no Eixo Oeste do sistema de transporte de passageiros, que estão incluídas no Programa Avançar. Em Goiás, vamos reestruturar os corredores de transporte público coletivo em Anápolis. No Mato Grosso do Sul, as cidades de Campo Grande e Dourados serão beneficiadas com ampliações e melhorias no sistema de esgotamento sanitário. E, no Mato Grosso, eu destaco a duplicação de um trecho de 148 quilômetros da BR-163.

 

Alessandra: Rodovias e aeroportos vão receber atenção especial do governo na região Sudoeste, garantiu o presidente Michel Temer.

 

Presidente Michel Temer: Os mineiros podem comemorar, são mais de 900 projetos abrangendo 415 municípios. Quero destacar a recuperação das pistas dos aeroportos de Uberaba, Uberlândia e Montes Claros. São Paulo não foge à regra, com R$ 16 bilhões de investimentos até o fim de 2018, e mais de 250 municípios serão beneficiados.

 

Nasi: No Norte do país, o Programa Agora é Avançar tem quase 800 projetos, e o recado do presidente Temer é que as obras não param.

 

Presidente Michel Temer: São 390 projetos no Pará, 124 no Amazonas, 108 no Tocantins, 70 em Rondônia, 29 no Acre, 29 no Amapá e 22 em Roraima. Entre essas iniciativas estão a ampliação de aeroportos, construção de creches e pré-escolas, pavimentação de vias urbanas, modernização de corredores de transporte público, saneamento e projetos hidroviários.

 

Alessandra: E o presidente finalizou ressaltando que na região Nordeste a prioridade são as obras de infraestrutura e o combate à seca.

 

Presidente Michel Temer: Eu ressalto ainda, especialmente para o Nordeste, o projeto de integração do rio São Francisco, que hoje leva água para moradores de Pernambuco e da Paraíba, quase 1 milhão de pessoas já são beneficiadas pelas águas do velho Chico, graças à retomada desse projeto que estava paralisado. E, agora, quando completarmos o Eixo Norte para a região do Ceará e outros estados.

 

Nasi: A Defesa Civil nacional monitora os municípios catarinenses atingidos por fortes chuvas nos últimos dias.

 

Alessandra: E o Ministério da Integração está oferecendo suporte técnico para agilizar o auxílio emergencial. Uma reunião foi feita hoje à tarde para orientar as cidades e já avaliar os impactos.

 

Nasi: De acordo com o governo de Santa Catarina, já são 21 cidades atingidas. Itens de assistência humanitária começam a ser entregues agora à noite aos atingidos pelas chuvas em Florianópolis, como água potável, cesta básica, kit de higiene e colchão.

 

Alessandra: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Alessandra: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite e um bom fim de semana.

 

Alessandra: Uma boa noite para você e até segunda.

 

"Brasil, ordem e progresso".