13 DE FEVEREIRO DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Combate ao crime organizado: 22 chefes de facções são transferidos para presídios federais. E áreas próximas às penitenciárias de Brasília, Mossoró e Rondônia vão ter reforço na segurança. Todas as vagas do Programa Mais Médicos são ocupadas por brasileiros. Presidente Jair Bolsonaro recebe alta do hospital e já está em Brasília. Pesquisa ouve passageiros nos principais aeroportos do país e ajuda a melhorar os serviços oferecidos aos usuários. Objetivo também do leilão de terminais que vai ocorrer no mês que vem.

audio/mpeg 13.02.19.mp3 — 44996 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Combate ao crime organizado, 22 chefes de facções são transferidos para presídios federais.

 

Nasi: E áreas próximas às penitenciárias de Brasília, Mossoró e Rondônia vão ter reforço na segurança.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Todas as vagas do Programa Mais Médicos são ocupadas por brasileiros. Nathalia Koslyk.

 

Repórter Nathalia Koslyk: Os brasileiros formados no exterior preencheram as 1.397 vagas que ainda estavam abertas no programa.

 

Gabriela: Presidente Jair Bolsonaro recebe alta do hospital e já está em Brasília. Danielle Popov.

 

Repórter Danielle Popov: Nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro comentou o retorno à Brasília, publicou uma foto em que aparece caminhando ao sair do hospital e uma mensagem em que comemorou a volta ao trabalho.

 

Nasi: Pesquisa houve passageiros nos principais aeroportos do país.

 

Gabriela: E ajuda a melhorar os serviços oferecidos aos usuários.

 

Nasi: O objetivo também é do leilão de terminais de que vai ocorrer no mês que vem. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: Doze aeroportos devem ser concedidos à iniciativa privada no mês de março.

 

Gabriela: Hoje na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br .

 

Gabriela: Jair Bolsonaro teve alta do hospital onde estava internado desde o fim de janeiro.

 

Nasi: O presidente deixou o hospital perto de meio-dia e já retornou a Brasília.

 

Repórter Danielle Popov: Foram 17 dias de internação. O presidente Jair Bolsonaro foi internado em 27 de janeiro para se submeter a uma cirurgia, foi a terceira operação após o atentado que Jair Bolsonaro sofreu ainda na campanha eleitoral em setembro do ano passado. O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, disse que nesta quarta-feira o presidente acordou animado e ansioso para voltar para casa. O boletim médico divulgado logo após a alta descreveu a evolução do quadro do presidente desde a internação e o atual estado de saúde de Bolsonaro. O boletim foi apresentado pelo porta-voz da presidência.

 

Porta-voz da Presidência da República Otávio Rêgo Barros: Hoje ele acordou extremamente animado, disposto e naturalmente ansioso por retornar à Brasília e à sua casa, recebeu alta nesta manhã com quadro pulmonar normalizado, sem dor, afebril, com função intestinal restabelecida e dieta leve por via oral.

 

Repórter Danielle Popov: Nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro comentou o retorno à Brasília, publicou uma foto em que aparece caminhando ao sair do hospital e uma mensagem em que comemorou a volta ao trabalho. Reportagem: Danielle Popov.

 

Gabriela: Ontem, nós falamos aqui na Voz sobre a fiscalização da Agência Nacional de Energia Elétrica nas principais barragens de águas do país.

 

Nasi: O trabalho dos fiscais começou ontem em usina do Paraná.

 

Gabriela: A repórter Márcia Fernandes está lá acompanhando as atividades e conversa agora, ao vivo, com a gente. Boa noite, Márcia. Conta para gente o que foi feito hoje.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Boa noite, Gabriela, Nasi e ouvintes da Voz do Brasil. Hoje os técnicos da Aneel foram a campo conferir de perto as condições de segurança das barragens. Como eu disse ontem, por questões estratégicas, nós não podemos dizer o nome da usina que passou por essa inspeção, mas fica no Rio Iguaçu, no interior do Paraná. Os fiscais observaram o estado de conservação, a manutenção do local e a operação dos instrumentos usados nas barragens. Tudo isso consta no plano de segurança que a empresa encaminha para a agência e deve ser checado. O diretor-geral da Aneel, André Pepitone, explica melhor como é feito esse trabalho.

 

Diretor-geral da Aneel - André Pepitone: A Aneel vai fiscalizar a aderência desse plano à exigência da lei e a aderência desse plano às condições físicas do empreendimento, inclusive, vamos olhar a manutenção desse empreendimento. Se as comportas funcionam, se os filtros estão ok, se a usina contém instrumentação adequada que possa garantir a segurança da barragem, com a fiscalização rigorosa, intransigente, requerendo a qualidade do serviço.

 

Nasi: E, Márcia, você pode estar para gente um exemplo do que você viu por aí? Que tipo de detalhe eles conferiram?

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Olha, Nasi, é um trabalho muito minucioso. Hoje, por exemplo, os fiscais da Aneel chegaram a existência de um gerador de emergência. Esse é apenas um exemplo que eu estou dando sobre esse trabalho de hoje. Nessa época do ano, há menos água por aqui, mas no caso de uma cheia, por exemplo, nas barragens, as comportas precisam ser abertas para evitar qualquer acidente, e, por isso, não pode faltar energia, daí a necessidade do gerador, para garantir que haja eletricidade. Além desse, outros equipamentos de segurança foram checados. Os fiscais da Aneel analisam a situação, e se houver necessidade, passam as orientações para a concessionária responsável pela usina.

 

Gabriela: E, Márcia, até quando vai o trabalho dos fiscais aí no Paraná?

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Olha, o trabalho está previsto para terminar até sexta-feira, Gabriela. Amanhã, os fiscais vão realizar o mesmo trabalho em outra usina, essa fiscalização em outra usina do Paraná. Lembrando que até maio a Aneel prevê que 142 barragens sejam fiscalizadas em 18 estados e no Distrito Federal. Amanhã eu volto com mais informações. Gabriela, Nasi.

 

Nasi: Obrigado, Márcia, pelas informações, ao vivo, aqui para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: Todas as vagas do edital do Mais Médicos terminaram de ser preenchidas hoje por profissionais brasileiros formados no exterior.

 

Nasi: Em menos de uma hora, eles ocuparam cerca de 1.400 vagas que ainda estavam abertas no programa.

 

Gabriela: Vamos saber os detalhes na matéria da repórter Nathalia Koslyk.

 

Repórter Nathalia Koslyk: Depois que os cubanos deixaram o Mais Médicos, em novembro do ano passado, foi aberto um edital com 8.517 vagas para garantir a continuidade do programa. A preferência foi dos médicos brasileiros formados aqui no país, em seguida, foi a vez dos brasileiros formados no exterior escolherem entre as vagas remanescentes. E nesta quarta-feira, em menos de uma hora, todas as vagas terminaram de ser preenchidas. Crismagna(F) Leal da Silva, médica brasileira formada na Argentina, garantiu a sua.

 

Médica brasileira formada na Argentina - Crismagna(F) Leal da Silva: A única oportunidade que eu tenho de voltar para o Brasil, de estar próximo à minha família, de trabalhar no meu país. É a porta de entrada do médico formado no exterior, é uma forma de a gente ter contato com o SUS, de entender a saúde pública do Brasil.

 

Repórter Nathalia Koslyk: Os brasileiros formados no exterior com inscrições validadas preencheram as 1.397 vagas que ainda estavam abertas no programa, em mais de 660 localidades do país. Na próxima terça-feira, o Ministério da Saúde vai divulgar a lista completa dos profissionais selecionados para cada localidade. A médica Crismagna(F) da Silva se inscreveu para atuar no interior de São Paulo, onde vive sua família e fala sobre as expectativas em participar do programa.

 

Médica brasileira formada na Argentina - Crismagna(F) Leal da Silva: Eu espero contribuir com a saúde do povo brasileiro, da população que vai ser assistida por mim, que eu possa dar o meu melhor.

 

Repórter Nathalia Koslyk: Caso haja alguma desistência por parte dos médicos selecionados nesta etapa, os médicos estrangeiros formados fora do país vão poder participar do programa. Reportagem: Nathalia Koslyk.

 

Nasi: O governo federal e o governo do estado de São Paulo realizaram hoje uma operação integrada para transferência de 22 criminosos para o sistema penitenciário federal.

 

Gabriela: A operação é a primeira realizada com a participação da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

 

Nasi: Os presos, líderes de facções criminosas, foram transportados com a escolta do Departamento Penitenciário Nacional.

 

Gabriela: Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, o isolamento de lideranças é necessário para o enfrentamento de organizações criminosas.

 

Nasi: A operação também teve o apoio das Forças Armadas com aeronaves da Força Aérea Brasileira, como explica o almirante Newton de Almeida Costa Neto, da Subchefia de Operações do Ministério da Defesa.

 

Almirante da Subchefia de Operações do Ministério da Defesa - Newton de Almeida Costa Neto: Foi um transporte solicitado pelo Ministério da Justiça, em apoio também ao governo do estado de São Paulo, em que nós levamos os presos que eles nos apresentaram nas nossas aeronaves para a distribuição nos locais onde eles nos indicaram. As aeronaves partiram de São Paulo, chegaram à Brasília, tivemos aqui uma realocação dos locais e presos e depois distribuímos para Porto Velho e para Mossoró.

 

Gabriela: Hoje também foi publicado um decreto que autoriza o emprego das Forças Armadas para Garantia da Lei e da Ordem, GLO, nos estados do Rio Grande do Norte e no estado de Rondônia.

 

Nasi: A GLO visa a proteção das áreas localizadas a 10 quilômetros das penitenciárias federais em Mossoró e em Porto Velho, e vale até o dia 27 de fevereiro.

 

Gabriela: E a Força Nacional de Segurança Pública vai atuar em ações de policiamento de guarda e vigilância na Penitenciária Federal de Brasília.

 

Nasi: A autorização foi dada agora há pouco pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

 

Gabriela: A atuação será por 90 dias.

 

Nasi: Você sabia que muitos brasileirinhos estão de olho no universo, nos corpos celestiais e também na construção de veículos espaciais?

 

Gabriela: Esses estudantes vão participar da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. A gente conta mais daqui a pouco.

 

Nasi: O Aeroporto Internacional de Brasília foi considerado o melhor do país em pesquisa feita pela Agência Nacional de Aviação Civil.

 

Gabriela: Para o governo, o resultado é um exemplo de que a concessão tem resultados positivos.

 

Nasi: E no mês de março outros 12 aeroportos devem passar para a iniciativa privada.

 

Repórter Gabriela Noronha: Todos os dias no aeroporto de Brasília são assim, um vai e vem de pessoas e bagagens. E mesmo com esse movimento intenso sobram elogios de quem passa por aqui, é o caso do administrador de empresas François [ininteligível], que viaja pelo menos oito vezes por ano. Para ele, os serviços do aeroporto estão cada vez melhores.

 

Administrador de empresas - François: O terminal antigamente eram dois terminais circulares, era muito ruim. Eu acho que hoje com esses salões todos, essas alternativas de alimentação, alternativa de conforto, tal, é um outro padrão de um aeroporto.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para a estudante Juliana de Menezes, o terminal de Brasília supera até outros aeroportos pelo mundo.

 

Estudante - Juliana de Menezes: Eu já visitei aeroportos fora do Brasil que não eram tão bons quanto o aeroporto daqui.

 

Repórter Gabriela Noronha: E a opinião de usuários como o François e a Juliana levaram o aeroporto de Brasília a ser eleito como o melhor terminal aéreo de grande porte do Brasil. A pesquisa de satisfação foi feita pelo Ministério da Infraestrutura ao longo de 2018 em 20 aeroportos do país. São avaliados quesitos como eficiência em check-in, raio x e eficiência no controle imigratório. Além do aeroporto de Brasília, o terminal de Manaus, que é administrado pela Infraero, ganhou na categoria até 5 milhões de passageiros. De acordo com o secretário de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura, Ronei Glanzmann, o governo quer cada vez mais aumentar a qualidade dos serviços aeroportuários no país. O secretário voltou a falar sobre a intenção do governo de extinguir a estadual Infraero e a concessão de todos os aeroportos nos próximos dois anos.

 

Secretário de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura - Ronei Glanzmann: É muito importante para a sociedade brasileira saber que o setor de aviação civil está aberto a investimentos privados, em parceria com investimentos públicos e o resultado disso para a sociedade são novas rotas aéreas, melhores aeroportos, com preço mais justo, um preço mais barato para que a população brasileira possa ter uma boa experiência de viagem nos aeroportos brasileiros.

 

Repórter Gabriela Noronha: De acordo com o cronograma, 12 aeroportos devem ser concedidos à iniciativa privada no mês março, entre eles, os aeroportos de Recife, Maceió, Aracaju, Vitória e Cuiabá. Reportagem: Gabriela Noronha.

 

Gabriela: A partir de agora vai ser mais fácil consultar despesas do governo federal com viagens.

 

Nasi: Um portal lançado hoje reúne informações sobre todos os deslocamentos comerciais realizados por servidores públicos ou funcionários a serviço da União.

 

Gabriela: O secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Gleisson Rubim, explica por que a ferramenta é importante.

 

Secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital - Gleisson Rubim: Os gastos com passagens e diárias representam uma das despesas mais relevantes do governo federal. Em 2018, foram mais de R$ 1,2 bilhão gastos nessa finalidade. Boa parte dessa despesa é realizada em atividades finalísticas, de segurança, de saúde, de educação. E é importante ter uma ferramenta que ofereça para o cidadão condições de acesso a como cada órgão está aplicando esse recurso, quanto que se gasta em passagens, em diárias, qual é o tempo médio de afastamento de servidores. Então, é uma ferramenta também de controle social e de melhoria da gestão.

 

Nasi: Para consultar os dados, basta entrar no endereço: paineldeviagens.economia.gov.br.

 

Gabriela: O Banco do Brasil aprovou medida emergencial para prorrogar por um ano o vencimento de operações de crédito dos produtores rurais em Brumadinho, Minas Gerais.

 

Nasi: Foram contemplados produtores e cooperativas com operações ativas entre 25 de janeiro, dia do rompimento da barragem, e 31 de dezembro deste ano.

 

Gabriela: Além da carência de ano, os produtores poderão dividir o saldo devedor em três parcelas anuais.

 

Nasi: Produtores interessados em prorrogar o crédito devem procurar as agências do banco nos próximos 90 dias.

 

Gabriela: Neste período, as dívidas não serão consideradas vencidas.

 

Nasi: A carteira de crédito rural do Banco do Brasil no município é composta por 174 clientes, que mantêm R$ 5,3 milhões em financiamentos.

 

Gabriela: Governo vai criar Núcleos de Combate à Corrupção dentro de cada ministério, esse foi um dos anúncios feitos hoje pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, em um evento em Brasília.

 

Nasi: O ministro também falou que a reforma da previdência deve ser encaminhada muito em breve ao Congresso Nacional, assim que o presidente Jair Bolsonaro autorizar o envio.

 

Gabriela: O repórter Pablo Mundim tem os detalhes ao vivo. Boa noite, Pablo.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Boa noite, Gabriela, Nasi, e principalmente a você, ouvinte da Voz do Brasil. Para um público de empresários em um seminário realizado aqui em Brasília, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, falou sobre os desafios do governo do presidente Jair Bolsonaro. Um deles é combater crimes e desvios, e, para isso, o ministro anunciou uma novidade, ele disse que o governo vai implantar unidades de combate à corrupção dentro dos ministérios, trabalho que vai começar pelos Ministérios da Saúde e da Agricultura.

 

Ministro da Casa Civil - Onyx Lorenzoni: O Brasil será o primeiro país a ter unidades de integridade e combate à corrupção, ou seja, autocontrole dentro de cada pasta ministerial, por quê? Porque precisa não apenas fazer o combate da corrupção e prender, processar, recuperar o recurso, precisa fazer uma outra coisa, mudar a cultura.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Em seu discurso, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, também falou sobre a nova reforma da previdência, que deve ser encaminhada nos próximos dias.

 

Ministro da Casa Civil - Onyx Lorenzoni: Quando gente mostra que apesar da previdência pública e da previdência privada brasileira ser um equívoco geracional da forma como ela foi constituída, e ela hoje se constitui num navio de casco furado, e nós temos que consertar esse casco para que o navio continue flutuando, receba mais gente e tenha a capacidade de pagar aposentadorias. Com regime de capitalização, com poupança individual para aposentadoria, nós vamos construir um barco novo, onde, por 30 anos, ninguém mais vai ter que discutir previdência no país.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): O ministro também falou sobre a retomada dos investimentos no Brasil. Segundo Onyx Lorenzoni, o governo está empenhado nas mudanças como agenda de ações para os cem dias de governo, entre elas, a área economia e a necessidade de equilíbrio fiscal e de zerar o déficit primário, hoje em R$ 139 bilhões. Nasi e Gabriela.

 

Gabriela: Obrigada, Pablo Mundim, pelas informações, ao vivo, na Voz do Brasil.

 

Nasi: E pela parte da manhã participaram do mesmo evento em Brasília o vice-presidente Hamilton Mourão e o ministro da Cidadania, Osmar Terra.

 

Gabriela: Eles falaram sobre a importância da reforma da previdência, de controlar os gastos públicos e de uma política de desenvolvimento social mais eficiente.

 

Repórter Luana Karen: Economia e segurança, dois temas que devem ser prioridades no Brasil, na avaliação do vice-presidente da República, Hamilton Mourão. Em seminário para empresários da indústria e do setor de tecnologia, Mourão defendeu a importância do reequilíbrio das contas públicas e da reforma da previdência para garantir que o Estado possa continuar a fazer investimentos no país.

 

Vice-presidente da República - Hamilton Mourão: Se o governo não encarar essa questão de frente, em 2022, ele não faz mais nada, ele só vai pagar salário e aposentadoria. Não teremos recursos para custeio e muito menos para os tão necessários investimentos.

 

Repórter Luana Karen: O vice-presidente Hamilton Mourão também destacou a importância do combate ao narcotráfico, com estruturação das forças de segurança pública e modificação da legislação, mas também com medidas sociais.

 

Vice-presidente da República - Hamilton Mourão: As nossas periferias, onde as populações estão esquecidas pelo Estado, onde as deixamos à mercê dessas 'narcoquadrilhas', essa população, ela tem que passar a entender que ela está dentro do Estado, que ela não é excluída. Essas regiões têm que ter rua, com casa e número, tem que ter luz, que ele paga e tem que ter esgoto, escola de qualidade e atendimento de saúde.

 

Repórter Luana Karen: Presente ao debate, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, afirmou ser possível conciliar avanços sociais com uma economia mais liberal.

 

Ministro da Cidadania - Osmar Terra: Nós não podemos deixar ninguém passar fome, não podemos deixar a população ficar na miséria, mas nós temos que fundamentalmente ajudar que aquelas pessoas que estão numa situação de dificuldade econômica, vulneráveis, que elas possam ser fortalecidas nas suas competências, e a partir daí elas possam ter um protagonismo e elas, com as próprias pernas, saírem da situação de miséria, de extrema pobreza para uma vida melhor.

 

Repórter Luana Karen: A modernização do Estado por meio da desburocratização e de privatizações também esteve no centro dos debates. O que secretário-geral de Desestatização, Salim Mattar, defendeu um Estado menor e mais eficiente. As subsidiárias, ou seja, empresas menores vinculadas à Petrobras, Caixa Econômica e Banco do Brasil serão privatizadas, mas as instituições vão permanecer com o controle do Estado.

 

Secretário-geral de Desestatização - Salim Mattar: Eles deverão ser mais direcionados para as políticas de governo e concorrer menos com os bancos privados, mas eles vão permanecer todos os três, um pouco mais magrinhos.

 

Repórter Luana Karen: Segundo o secretário Salim Mattar, em 2019, o governo federal deve vender o equivalente a R$ 20 bilhões em estatais. Reportagem: Luana Karen.

 

Nasi: Desvendar os mistérios do universo, entender como funciona o espaço.

 

Gabriela: É, Nasi, a ciência desperta a curiosidade e o interesse de jovens, que muitas vezes acabam se tornando cientistas.

 

Nasi: É, e é para eles que existe a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, que está com as inscrições abertas.

 

Repórter Cleide Lopes: Quem nunca olhou para a imensidão do céu e quis saber mais sobre os mistérios que envolve o cosmos, estudar o núcleo de uma célula ou mesmo descobrir o impacto do clima na produção? Tudo isso envolve o estudo da ciência, e foi com essa curiosidade que o estudante cearense Caio Nascimento, de 18 anos, desenvolveu o gosto pela ciência e já tem no currículo medalhas de ouro e prata em competições nacionais e internacionais, entre elas, a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica.

 

Estudante cearense - Caio Nascimento: Ajuda bastante no currículo, por exemplo, se eu quiser fazer uma graduação fora talvez, ajuda a [ininteligível] na ciência, né?

 

Repórter Cleide Lopes: O vice-presidente da olimpíada brasileira, Eugênio Reis, responsável por preparar esses estudantes, fala da importância da competição na vida desses participantes.

 

Vice-presidente da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica - Eugênio Reis: Ele tem um currículo muito bom para fazer aplicação em universidades fora do Brasil, e muitos fazem isso.

 

Repórter Cleide Lopes: O vice-líder da Delegação Brasileira Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica, Júlio César Klafke, falou do nível dos competidores brasileiros.

 

Vice-líder da Delegação Brasileira Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica - Júlio César Klafke: O nível dos nossos alunos é excelente. Então, a seleção basicamente é feita em todos os domínios da astronomia, observação do céu, montagem de telescópio, provas teóricas, provas práticas de reconhecimento planetário. É realmente uma maratona.

 

Repórter Cleide Lopes: Para o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, a olimpíada é uma forma de estimular os estudantes a desenvolverem o gosto pela ciência, incentivando a formação de futuros cientistas.

 

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Marcos Pontes: Então, eles já vão vendo no futuro ali uma posição para se encaixar e para ter, não só sucesso profissional, mas também a satisfação pessoal, em participar de alguma coisa que eles gostam de fazer.

 

Repórter Cleide Lopes: A 22ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica vai acontecer em 17 de maio. As inscrições estão abertas até o dia 17 de março e devem ser feitas pelas escolas. Podem participar estudantes dos Ensinos Fundamental e Médio. Escolas públicas e privadas que não participaram de nenhuma edição já podem se cadastrar pelo site: www.oba.org.br . Reportagem: Cleide Lopes.

 

Gabriela: No acumulado de janeiro a dezembro de 2018, as vendas do comércio cresceram 2,3%, segundo dados do IBGE.

 

Nasi: Esse é o segundo ano consecutivo de alta nas vendas.

 

Gabriela: O destaque foi o setor de veículos e peças automotivas, com aumento de mais de 15%.

 

Nasi: Esse desempenho foi beneficiado pelo financiamento de carros e lançamento de novos modelos.

 

Gabriela: O setor de material de construção também teve bom rendimento e fechou o último ano com alta de 3,5%.

 

Nasi: Já no mês de dezembro do ano passado, em relação a novembro, as vendas no varejo recuaram 2,2%, segundo o instituto.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com o Minuto do TCU, e, em seguida, as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite e até amanhã.

 

"Governo federal. Pátria amada, Brasil".