13/03/17 - A Voz do Brasil

Diminui número de cesarianas no Brasil. Grávidas do Bolsa Família recebem repelentes do governo para se protegerem do mosquito Aedes aegypti. Mais de R$ 3 milhões já foram sacados de contas inativas do FGTS.

audio/mpeg 13 03 2017 - Voz do Brasil.mp3 — 24258 KB




Transcrição


"Atenção, radialistas de todo o Brasil, é hora de noticiar os fatos que ajudam a construir um novo país. Direto dos estúdios da Empresa Brasil de Comunicação, em Brasília, vem aí a Voz do Brasil".

 

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Boa noite.

 

Airton: Boa noite para você que está conosco em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 13 de março de 2017.

 

Airton: E vamos ao destaque do dia: cai o número de cesarianas no Brasil.

 

Gabriela: E o ministro da Saúde, Ricardo Barros, reforça ações para incentivar o parto normal.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Essa é uma tendência que eu acredito, vai continuar na medida em que nós estamos dando estrutura para dar mais conforto à mãe na hora do parto.

 

Airton: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Grávidas do Bolsa Família começam a receber repelentes para prevenção do Zika vírus. Mara Kenupp.

 

Repórter Mara Kenupp: O produto começa a ser entregue agora em março. Os estados recebem o material, que vai para os municípios, e as prefeituras é que vão fazer a distribuição.

 

Airton: Um milhão e 900 trabalhadores já sacaram o FGTS de contas inativas.

 

Gabriela: E vamos responder dúvidas dos nossos ouvintes sobre auxílio-moradia e alimentação a estudantes de baixa em universidades federais.

 

Airton: A Voz do Brasil de hoje na apresentação de Gabriela Mendes e Airton Medeiros.

 

Gabriela: E para assistir a gente ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Airton: Pela primeira vez em cinco anos o número de cesarianas parou de crescer.

 

Gabriela: Esse procedimento, que representa mais da metade dos partos realizados no país, apresentou um recuo de 1,5% em 2015, de acordo com dados divulgados este mês.

 

Airton: E o Ministério da Saúde quer mais, agora trabalha para humanizar esse momento tão especial para as mamães e ampliar o número de partos normais na rede pública e privada.

 

Repórter Natália Coslique: O nascimento de uma criança é o primeiro encontro entre mãe e filho, mas como vai ser a chegada nem sempre foi uma escolha. Vanessa Pereira Rocha, mãe da Isabela, de seis meses, e da Manuela, de quase dois aninhos, queria que as suas bebês nascessem no tempo delas, de parto normal. E conta que precisou trocar de médico para ter o seu direito respeitado.

 

Entrevistada - Vanessa Pereira Rocha: Durante toda a gestação eu me preparei para um parto normal, cesariana só seria, assim, em último caso mesmo.

 

Repórter Natália Coslique: As cesarianas, quando não indicadas corretamente, podem trazer riscos de vida para o bebê e para a mãe, sem falar que impedem o contato pele a pele com a criança logo após o nascimento, isso é uma barreira ao estímulo à amamentação. Por isso, o Ministério da Saúde adotou medidas para incentivar o parto normal. O ministro Ricardo Barros explica as ações anunciadas na última semana.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Nós estamos autorizando pessoas da família acompanharem o parto, doulas, pessoas que costumam assistir o parto normal, tem banheiras sendo instaladas em várias unidades de saúde. A mãe tem a criança no quarto, onde ela já vai permanecer. E o plano de parto é discutido com a mãe para ela que decida como quer ter o seu filho.

 

Repórter Natália Coslique: Desde 2010 o número dos procedimentos de cesariana vinha aumentando no Brasil, mas com o apoio do governo e mais informação, as gestantes podem fazer uma escolha consciente e melhor para a família, o que está levando as futuras mamães a escolherem cada vez mais o parto normal. De acordo com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, a tendência de aumento das cesarianas começam a ser revertidas.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Houve, de fato, um crescimento no porto normal e uma redução de cesarianas percentualmente, há 55% cesariana e 45% porto normal. Essa é uma tendência que eu acredito, vai continuar e logo teremos meio a meio parto normal e cesariana, porto normal tende a ser majoritário.

 

Repórter Natália Coslique: O Governo Federal também vai atuar na capacitação de profissionais de saúde em 86 hospitais de ensino, responsáveis por mil partos ao ano em todos os estados do país. Reportagem, Natália Coslique.

 

Gabriela: E por falar no cuidado com as mamães e bebês, já começou a distribuição de repelentes para gestantes cadastradas no Bolsa Família.

 

Airton: A ideia é evitar que elas sejam picadas pelo mosquito Aedes aegypti, que transmite a Dengue, Chikungunya e Zika vírus, que pode causar microcefalia nas crianças.

 

Gabriela: O Ministério da Saúde comprou 16 milhões de frascos de repelente, que vão ser distribuídos entre março e dezembro.

 

Repórter Mara Kenupp: A diarista Marcela dos Santos está grávida de cinco meses e toma alguns cuidados para se proteger do Aedes aegypti e evitar doenças como Zika, Dengue e febre Chikungunya.

 

Diarista - Marcela dos Santos: Roupa eu comprei de manga comprida e aquelas velas amarelinhas na casa também, e sempre fecho a janela mais cedo, coloco a cortina.

 

Repórter Mara Kenupp: A diarista e outras gestantes vão poder contar agora com mais um item de proteção, em todo o país o Governo Federal vai distribuir 16 milhões de frascos de repelente. O produto começa a ser entregue agora em março e o último lote será entregue em dezembro. De acordo com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, o repelente é específico para mães cadastradas no Bolsa Família.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Onde tivermos gestantes do Bolsa Família, será entregue o repelente independente da incidência maior ou menor do mosquito.

 

Repórter Mara Kenupp: Os estados recebem o material, que vai para os municípios, e as prefeituras é que vão fazer a distribuição nos Centros de Referência de Assistência Social ou nas unidades de saúde. Nesta primeira etapa o Governo Federal liberou quase 1 milhão de unidades de repelentes. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Airton: O Ministério da Saúde vai apoiar a decisão da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro de vacinar a população de todo o estado contra a febre amarela.

 

Gabriela: Pois é, ampliação da vacinação é mais uma precaução por causa da proximidade do estado com Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo, estados com casos confirmados da doença.

 

Airton: Por isso, o Ministério vai encaminhar as doses extras da vacina contra a febre amarela. A estimativa é de que toda a população do estado seja imunizada até o fim desse ano.

 

Gabriela: E até o momento não há casos suspeitos em municípios do Rio de Janeiro.

 

"Criança Feliz. Primeira Infância".

 

Airton: Mais de 2.500 municípios já aderiram ao Programa Criança Feliz e hoje foi a vez do estado do Rio de Janeiro.

 

Gabriela: O programa prevê a visita de técnicos para acompanhar de perto os primeiros mil dias de vida das crianças.

 

Repórter Rodrigo Saccone: O estado é o sexto a formalizar o ingresso no programa, além do governo estadual, 54 municípios fluminenses também já aderiram, juntos eles somam 23.850 famílias que serão beneficiadas nesta primeira fase do programa. O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, fez uma palestra apresentando as razões científicas para investir na primeira infância e as ações que são serão realizadas. Terra destacou que o Criança Feliz será em pouco tempo o principal programa social do país.

 

Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário - Osmar Terra: É um programa de redução da pobreza a longo prazo, mas é um programa de desenvolvimento do ser humano, né, de proporcionar todos os instrumentos necessários para que aquela criança se desenvolva de melhor maneira possível.

 

Repórter Rodrigo Saccone: O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, disse que tem certeza que o programa vai contribuir para o enfrentamento à pobreza e à violência.

 

Governador do Rio - Luiz Fernando Pezão: Cada um somando um pouquinho é importante, principalmente o país com os dados de violência que a gente tem. Então, a gente vê o quanto que é importante investir nessa formação dessa criança.

 

Repórter Rodrigo Saccone: Outros cinco estados já formalizaram o ingresso no programa: Amapá, Paraíba, Rio Grande do Norte, Tocantins e São Paulo. Ao todo, com as adesões, 625 municípios e mais de 139 mil famílias serão beneficiadas. Em todo o país, 2.529 municípios já aderiram ao Criança Feliz. O programa terá como ponto central a visitação domiciliar. Técnicos capacitados irão até as casas das famílias para mostrar aos pais a maioria correta de estimular o desenvolvimento dos filhos. Serão acompanhadas pelo programa as crianças beneficiárias do Bolsa Família e aquelas que recebem o Benefício de Prestação Continuada, o BPC. Reportagem, Rodrigo Saccone.

 

"Você na Voz do Brasil".

 

Airton: É hora de responder dúvida dos nossos ouvintes.

 

Gabriela: É, hoje vamos falar sobre a apoio do governo para estudantes de baixa renda. A pergunta é da catarinense Marinês Lopes. Vamos ouvir.

 

Entrevistada - Marinês Lopes: Olá. Boa noite, Voz do Brasil. Meu nome é Marinês Lopes Damásio. Eu falo de Criciúma, Santa Catarina. A minha pergunta é: meu filho, nós somos negros, ele passou como cotista para negros na UFSC, de Santa Catarina, no polo de Joinville, ele vai prestar Engenharia Aeroespacial. Além disso, a gente também pode ser considerados como baixa renda. Minha pergunta é a seguinte, o que o governo pode fazer para nos ajudar a manter ele nessa faculdade, já que a distância entre Criciúma e Joinville é grande, o custo de vida lá também é considerado alto e somos baixa renda?

 

Airton: Olha, Marinês, a nossa produção foi atrás para saber como garantir que o seu filho possa estudar. Quem respondeu sua dúvida é a repórter Raquel Mariano.

 

Repórter Raquel Mariano: Olá, Marinês. Primeiro, parabéns pelo seu filho por conquistar uma vaga na universidade. E para tirar a sua dúvida nós entramos em contato com o Ministério da Educação, lá eles explicaram que existem dois tipos de repasses, um para estudantes por meio do Bolsa Permanência, em que o MEC paga diretamente para o aluno da baixa renda uma bolsa de estudos que varia de R$400,00 a R$900,00, inclusive, Marinês, o Ministério da Educação liberou R$23 milhões e R$500 mil para investimentos em bolsas e projetos universitários e mais da metade dessa verba vai para o programa Bolsa Permanência. E o outro repasse que o MEC faz é pelo Programa Nacional de Assistência Estudantil, o Pnaes, nesse programa, o dinheiro é repassado diretamente para a universidade para investimentos em moradia estudantil, alimentação, transporte, saúde. As universidades também têm autonomia de oferecer ajuda aos estudantes da maneira que quiser. A UFSC, onde o seu filho estudar, oferece diversos tipos de bolsas que vão dar todo o apoio e garantia para concluir a formação dele, como explica Francis Tourinho, a secretária de Ações Afirmativas e Diversidades da UFSC.

 

Secretária de Ações Afirmativas e Diversidades da UFSC - Francis Tourinho: Podem se candidatar após a validação de renda com o cadastro socioeconômico, eles podem se candidatar à Bolsa Permanência. Além disso, temos os programas de moradia estudantil, programa de auxílio-creche, auxílio a eventos, restaurante universitário com isenção de pagamento da taxa e também outra coisa que a pró-reitoria de assuntos estudantis oferece é a possibilidade de auxílio para viagem de estudos.

 

Repórter Raquel Mariano: Lembrando que para o seu filho ter acesso a todas essas bolsas, antes é necessário fazer um cadastro socioeconômico no campus de Joinville, onde ele vai cursar Engenharia Aeroespacial, aí é só procurar a assistência estudantil na faculdade. Estamos todos torcendo pelo sucesso do seu filho. E queremos receber boas notícias, daqui uns anos, com mais um engenheiro aeroespacial se formando no país. É com vocês aí no estúdio, Gabriela e Airton.

 

Gabriela: Obrigada, Raquel. E você que tem dúvidas sobre ações ou programas do Governo Federal, mande para a gente a sua pergunta.

 

Airton: Basta, gravar uma mensagem e enviar para o nosso e-mail: voz@ebc.com.br ou então no WhatsApp: (61) 99862-7345, eu vou repetir: (61) 99862-7345.

 

Gabriela: A nossa produção vai procurar a resposta para você. Participe. 19h13 em Brasília.

 

Airton: Um milhão e 900 mil trabalhadores já sacaram o FGTS de contas inativas.

 

Gabriela: Daqui a pouco vamos detalhar esses números.

 

Airton: E você também vai saber o que fazer se a empresa não depositou corretamente seu benefício. Não saia daí.

 

Gabriela: Consultar documentos, agendar visitas, acompanhar o andamento de processos, quem nunca precisou da internet para ter acesso a algum serviço, não é mesmo, Airton?

 

Airton: É verdade, hoje a internet presta um grande serviço, mas você que está nos ouvindo, fale a verdade, você tem ou não tem receio quando precisa colocar dados pessoais em páginas da internet?

 

Gabriela: Pois é, o governo está trabalhando para diminuir a sensação de insegurança e tranquilizar aqueles que usam serviços públicos pelo computador. Quem traz os detalhes é a repórter Natália Coslique.

 

Repórter Natália Coslique: A mesma internet que revolucionou a vida dos brasileiros e trouxe facilidades antes inimagináveis, ainda deixa muita gente com o pé atrás. Na hora de acessar serviços pela web que pedem dados pessoais o desconforto é certo. Depois que o marido teve problemas com segurança eletrônica, Simone dos Santos Bezerra, conta que prefere não usar a rede.

 

Entrevistada - Simone dos Santos Bezerra: Não acho muito confiável, não, porque existe muito hacker, né? Já aconteceu com o meu esposo, né? Clonar o cartão dele. Foi o maior transtorno, ter que ir em banco, delegacia. Tudo o que eu puder evitar em internet, eu evito para não ter dor de cabeça depois.

 

Repórter Natália Coslique: Já o servidor Luiz Carlos Martins, de 58 anos, prefere assumir o risco e recorre à internet com frequência.

 

Servidor - Luiz Carlos Martins: Para fazer imposto de renda, solicitar qualquer tipo de documento que haja necessidade de acessar os sites governamentais, mas a gente tem medo, essa é a realidade.

 

Repórter Natália Coslique: E mesmo quem diz não ter medo acaba se precavendo de alguma forma, é a caso de servidora Patrícia Mergulhão.

 

Servidora - Patrícia Mergulhão: Não vejo problema nenhum. Pesquisar, por exemplo, carro, débito, eu faço.

 

Repórter Natália Coslique: O governo está trabalhando para diminuir a insegurança de quem usa a internet para acessar os serviços públicos. Por meio do Gabinete Segurança Institucional da Presidência da República foi instituído neste ano um grupo de trabalho que pretende consolidar a política nacional de segurança da informação. A ideia é inaugurar um modelo organizado das atividades de segurança. Quem explica é o coronel Arthur Sabbat, diretor do Departamento de Segurança da Informação e Comunicações.

 

Diretor do Departamento de Segurança da Informação e Comunicações - Arthur Sabbat: O governo brasileiro, aos moldes dos governos dos países desenvolvidos, está num processo grande e correto de migração da oferta dos seus serviços públicos para plataformas web. Então, à medida que nós aprimoramos a segurança da informação e dentro dela a segurança cibernética, nos órgãos públicos, nos órgãos de governo e nas instituições das infraestruturas críticas, naturalmente o cidadão poderá, com certeza, se sentir muito mais seguro quando utilizar esses recursos.

 

Repórter Natália Coslique: O plano também vai contribuir para o crescimento das atividades de pesquisa e inovação tecnológica e fortalecer o desenvolvimento econômico e social do Brasil. O prazo para o envio da proposta é de 90 dias e depois segue para consulta pública. Reportagem, Natália Coslique.

 

Airton: Quase 5 milhões de pessoas têm direito ao FGTS de contas inativas nesse primeiro momento.

 

Gabriela: E para atender tanta gente a Caixa Econômica Federal está fazendo um atendimento especial, abrindo as agências mais cedo.

 

Airton: Além disso, no último sábado 1.800 agências também abriram as portas. A repórter Gabriela Noronha foi acompanhar a movimentação. Vamos ouvir.

 

Repórter Gabriela Noronha: Sábado de sol, e que descanso, que nada. Marcelo Ribeiro aproveitou o dia para ir até uma agência da Caixa Econômica Federal em Brasília para sacar o FGTS de uma conta inativa.

 

Entrevistado - Marcelo Ribeiro: Para quem tem a semana lotada, né, compromissos, é o melhor dia.

 

Repórter Gabriela Noronha: Com o dinheiro na conta, Marcelo já faz planos.

 

Entrevistado - Marcelo Ribeiro: Vou deixar na Poupança, né? Mas depois eu vou usar para viajar, até para visitar meus familiares em Salvador.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para melhor atender os cerca de 5 milhões de brasileiros que têm direito a sacar o FGTS neste primeiro momento, mais de 1.800 agências da Caixa Econômica Federal abriram no último sábado. Além do saque do FGTS, os trabalhadores puderam tirar dúvidas, acertar o cadastro e emitir a senha do Cartão Cidadão. Pode fazer o saque quem teve contratos de trabalho encerrados até 31 de dezembro de 2015, segundo o vice-presidente de tecnologia da Caixa, José Antônio Eirado, a orientação é que o trabalhador procure as ferramentas disponíveis antes de ir à agência.

 

Vice-presidente de tecnologia da Caixa - José Antônio Eirado: A nossa recomendação: se dirija aos canais de atendimento eletrônico. Se não tiver possibilidade, obviamente, se não tiver um telefone, não tiver acesso à internet e a gente tem também o acesso pelo mobile, né? Se ele não tiver isso aí, aí nesse caso ele tem que vir à agência.

 

Repórter Gabriela Noronha: Segundo Marcos Fernando Jacinto, vice-presidente de gestão de pessoas da Caixa, 36 mil funcionários estão trabalhando em esquema de plantão.

 

Vice-presidente de gestão de pessoas da Caixa - Marcos Fernando Jacinto: Os empregados estão muito orgulhosos de poder contribuir com essa injeção que vai haver de mais de R$30 bilhões na economia brasileira.

 

Repórter Gabriela Noronha: As agências também devem funcionar em outros sábados, pelo menos um por mês em maio, junho e julho. O prazo para o saque vai até o dia 31 de julho e o calendário de pagamento varia de acordo com a data de nascimento dos trabalhadores. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: E amanhã, terça-feira, as agências da Caixa também abrem mais cedo, às 9h.

 

Airton: Agora, desde que o governo anunciou a liberação do saque de contas inativas do FGTS, o Ministério do Trabalho recebeu 239 denúncias de problemas com o depósito do benefício.

 

Gabriela: Se a retirar o extrato o trabalhador constatar que não teve o Fundo de Garantia depositado corretamente, a gente explica agora o que é preciso fazer para formalizar uma denúncia contra a empresa. Esse é o tema do nosso quadro Pra Você Cidadão.

 

"Pra Você Cidadão".

 

Repórter Mirna Ledo: Todo trabalhador regido pela CLT, a Consolidação das Leis Trabalhistas, tem direito ao FGTS, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. O empregador deve depositar todos os meses o correspondente a 8% da remuneração do empregado numa conta bancária vinculada, e o trabalhador pode e deve checar se os depósitos estão sendo feitos corretamente. Uma das opções é baixar o aplicativo FGTS no smartphone ou tablet e checar todas as movimentações na sua conta. Outra opção é ir a uma agência da Caixa Econômica Federal levando o Cartão do Trabalhador ou a Carteira de Trabalho junto com o número do PIS e tirar um extrato da conta. Se você perceber que o seu empregador não depositou o valor correto, você pode fazer uma denúncia anônima numa agência do Ministério do Trabalho ou no sindicato da sua categoria. Mirna Ledo para a Voz do Brasil.

 

Airton: É, e agora há pouco o Presidente Michel Temer recebeu o presidente da Caixa para saber como está o movimento nas agências do banco.

 

Gabriela: E a gente conversa, ao vivo, com a repórter Luana Karen, que está neste momento no Palácio do Planalto e tem mais informações. Boa noite, Luana. Quantas pessoas já realizaram o saqueio do FGTS?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Boa noite, Gabriela e Airton. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. O presidente da Caixa é Gilberto Occhi passou dados de sexta-feira, primeiro dia de saque das contas inativas do FGTS. Cerca de 1 milhão e 900 mil trabalhadores, dos quase 5 milhões que têm direito ao benefício, sacaram R$3 bilhões e R$270 milhões. Esse valor representa quase a metade dos R$6 bilhões e R$970 milhões previstos para serem resgatados neste mês de março. Já no sábado mais de 530 mil atendimentos foram feitos nas mais de 1.800 agências da Caixa que estavam abertas. A previsão é que os recursos do FGTS injetem R$35 bilhões na economia, o que representa 0,5% do PIB. O Produto Interno Bruto de 2017, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, destacou a importância desses recursos para a economia.

 

Presidente da Caixa - Gilberto Occhi: É uma injeção importante de capital na economia de recursos economia, que nós acreditamos que num primeiro dia, R$4 bilhões aplicados e pagos a essas pessoas, isso se transformará em outros investimentos no comércio, em todas as outras questões de liquidação de dívida, amortização de dívida, regularização de inadimplência dos trabalhadores e também o acesso a outros bens ou eventualmente a aplicação financeira desse recurso.

 

Repórter Luana Karen: Na reunião de agora há pouco Gilberto Occhi informou para o Presidente Michel Temer os números de atendimento no primeiro de saque das contas inativas. Segundo ele, Temer está muito satisfeito. E além de sacar os recursos das contas inativas, muitos trabalhadores estão regularizando a situação para poder fazer o saque. O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, pede aos trabalhadores com pendências que levem a Carteira de Trabalho e o termo de rescisão do contrato de trabalho a uma agência da Caixa para regularizar a situação, lembrando que valores até R$3 mil podem ser sacados nos correspondentes Caixa Aqui e nas casas lotéricas presentes em todos os municípios brasileiros. Ao vivo, Luana Karen.

 

Gabriela: 19h23 em Brasília.

 

Airton: Centro e trinta milhões de reais foram liberados hoje pelo Ministério da Educação para 685 municípios brasileiros.

 

Gabriela: O dinheiro vai ser usado para dar andamento a mais de 700 obras, além de aquisição de equipamentos em escolas e creches.

 

Airton: O termo de autorização foi assinado pelo ministro Mendonça Filho na cidade de Rio Verde, Goiás, uma das cidades beneficiadas com os recursos. Segundo ele, o governo faz um trabalho para se aproximar das prefeituras e da população.

 

Ministro - Mendonça Filho: Tentar resolver algumas pendências e acelerar o programa de obras amplas que existe no Ministério em parceria com os municípios, focando principalmente na educação infantil, creches e pré-escola, e também o Ensino Fundamental.

 

Gabriela: Durante dois dias, técnicos do FNDE também vão estar à disposição dos secretários de Educação da região para sanar todas as dúvidas sobre financiamentos e liberação de verbas da União.

 

Airton: Segundo a Ministério da Educação, o mesmo vem sendo feito em outros estados do país.

 

Gabriela: E hoje à tarde a Justiça Federal de São Paulo suspendeu a cobrança de taxas extras para o despacho de bagagens em voos nacionais e internacionais. De acordo com a regra atual, os passageiros podem despachar bagagens de até 23 quilos em viagens nacionais e dois volumes de 32 quilos cada um em voos internacionais e bagagem de mão de até cinco quilos.

 

Airton: Pela nova regra os passageiros teriam direito a levar uma bagagem de mão de até dez quilos e as bagagens despachadas passariam a ser cobradas à parte a critério das empresas aéreas.

 

Gabriela: A agência vai recorrer da decisão porque acredita que as novas regras trazem benefícios para os cidadãos, com opções de preços com os diferentes perfis de passageiros e aproximam o Brasil das melhores práticas internacionais.

 

Airton: Um milhão de reais foram liberados hoje pelo Ministério da Integração Nacional Para Ações Emergenciais em municípios do Acre, Minas Gerais, Paraná e Mato Grosso.

 

Gabriela: Essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Airton: Uma realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Boa noite.

 

Airton: Boa noite.

 

"Brasil, ordem e progresso".