13 de novembro de 2018 - Poder Executivo

Destaques da Voz do Brasil: Todos contra o mosquito. Ministério da Saúde lança campanha de combate ao Aedes aegypti, que transmite a dengue, zika e chikungunya. Combate à venda de drogas para crianças e adolescentes na porta de escolas. 4,6 mil policiais de todo o país participam de ação unificada. E mais de 450 pessoas são presas. Fazer denúncias, reclamações e ter orientações sobre a conta de luz, tudo na palma da mão. Aplicativo Aneel Consumidor já pode ser baixado de graça no celular. E vamos dar todos os detalhes da transição de governo. Presidente eleito Jair Bolsonaro está em Brasília.

audio/mpeg 13-11-18-VOZ DO BRASIL.mp3 — 46720 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.




Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.




Gabriela: Terça feira, 13 de novembro de 2018.




Nasi: E vamos ao destaque do dia. Todos contra o mosquito.




Gabriela: Ministério da Saúde lança campanha de combate ao Aedes aegypti que transmite a dengue, zika e chikungunya. Helen Bernardes.




Repórter Helen Bernardes: Sessenta mil agentes vão reforçar visitas durante as chuvas de verão. E daqui a pouquinho eu volto com mais informações ao vivo.




Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.




Gabriela: Combate a venda de drogas para crianças e adolescentes da porta de escolas.




Nasi: Quatro mil e seiscentos policiais de todo país participam de ação unificada.




Gabriela: E mais de 450 pessoas são presas. Graziela Mendonça.




Repórter Graziela Mendonça: A Operação Anjos da Lei é coordenada pelo ministério da Segurança Pública, em parceria com as Polícias Civis.




Nasi: Fazer denúncias, reclamações e ter orientações sobre a conta de luz, tudo na palma da mão.




Gabriela: Aplicativo da Aneel Consumidor já pode ser baixado de graça no celular.




Nasi: E vamos dar todos os detalhes da transição de governo.




Gabriela: Presidente eleito Jair Bolsonaro já está em Brasília.




Nasi: E na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.




Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .




Nasi: Foi lançada hoje a nova campanha do Ministério da Saúde para o combate ao Aedes aegypti.




Gabriela: Nos próximos dias você deve acompanhar na TV, no rádio e na internet, histórias como essa que vamos ouvir agora.




Inácio Bezerra: Ninguém da família pensava que a dengue iria levar a nossa filha. Eu cuidava da minha casa, o vizinho não cuidava, e pelo mosquito, minha filha se foi. Eu sei que todo ser humano vai morrer um dia, mas por descuido...

 

"Com ações simples podemos combater o mosquito, para que a histórias como a do Inácio Bezerra não se repitam".




Nasi: Então, essa é apenas uma das três histórias que o Ministério preparou para mostrar a importância da prevenção de dengue, chikungunya e a zika, doenças transmitidas pelo mosquito.

 

Gabriela: Por isso a prevenção é tão importante. E para saber mais como essa campanha vai ocorrer em todo o país, vamos conversar agora, ao vivo, aqui no estúdio, com a jornalista Helen Bernardes. Boa noite, Helen.




Repórter Helen Bernardes (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Nasi. Boa noite, ouvintes.




Gabriela: Conta para a gente o porquê dessa campanha nesse momento.




Repórter Helen Bernardes (ao vivo): Olha, Gabriela, com a chegada do verão é hora de cuidar para evitar a proliferação do Aedes aegypti. É exatamente por isso que o Governo Federal lança, neste momento, essa campanha. Nós estamos aí, no período de chuvas acentuadas em grande parte do país, e isso significa que é hora de intensificar os cuidados. Eu conversei com o coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Divino Martins, que fala direitinho que cuidados são esses.







Coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue - Divino Martins: É importantíssimo que o senhor, a senhora, quem está nos ouvindo, nos ajude com este trabalho. É importante que nós consigamos tirar dez minutos do nosso tempo e cada cidadão visite ele e inspecione a sua própria casa, verifique o quintal, veja se a caixa d'água está coberta. Todo e qualquer depósito que tenha ou que possa acumular água tem que ser um ponto de observação permanente.




Nasi: E, Helen, tem também ações de próprio governo neste combate, né? Conta pra gente quais são.




Repórter Helen Bernardes (ao vivo): Tem sim, Nasi. Até porque, os dados nacionais de Ministério da Saúde mostram uma redução nas três doenças transmitidas pelo Aedes neste ano, em comparação com o ano passado. Por outro lado, algumas cidades apresentam o aumento expressivo no número de casos. É por isso que o governo repassa a esses estados e municípios recursos que, neste ano, chegaram a quase R$ 2 bilhões, para ações de prevenção, de diagnóstico e também de tratamento das três doenças. Claro que prevenir é melhor do que remediar, e, por isso, o coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue, Divino Martins, também fala do trabalho dos agentes de saúde, que agora vão reforçar essas visitas de casa em casa.




Coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue - Divino Martins: Nós temos hoje, no Brasil, 60 mil agentes de saúde fazendo visita casa a casa, e a intensificação de visita domiciliar se dá em função desse período sazonal, desse período de chuva favorável, então é preciso que nós consigamos intensificar as ações de combate ao mosquito.




Repórter Helen Bernardes (ao vivo): Ah, é bom lembrar também, Gabriela, Nasi, que até o final do mês, o Ministério da Saúde vai divulgar o Liraa, que é o índice de infestação do Aedes aegypti, que também ajuda a identificar onde é preciso um reforço na vigilância. Nasi, Gabriela.




Gabriela: Obrigada, Helen Bernardes, pela participação, ao vivo, aqui no estúdio da Voz do Brasil.




Nasi: Entre as escolas e seus arredores seguros sem a ação de criminosos que tentam vender drogas para crianças e adolescentes.




Gabriela: A Operação Anjos da Lei, que ocorreu hoje, intensificou o patrulhamento em quase 240 escolas e contou com mais de 4,6 mil policiais.




Nasi: Essa é a quarta operação integrada de do Sistema Único de Segurança Pública.




Gabriela: Quatrocentas e cinquenta e cinco pessoas foram presas.




Repórter Graziela Mendonça: Policiais de todos os estados e do Distrito Federal foram às ruas nessa terça-feira para combater o tráfico de drogas perto das escolas. A Operação Anjos da Lei é coordenada pelo Ministério da Segurança Pública, em parceria com as Polícias Civis. O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que é preciso evitar que os estudantes tenham contato com drogas e ressaltou ainda, que além da repressão ao tráfico, as polícias fazem um trabalho preventivo junto às escolas.




Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: A operação também leva exatamente a informação, leva ao conhecimento dessas mesmas escolas, a respeito de regras que se deve ter para coibir, para evitar a presença ou a proximidade de traficantes no seu entorno.




Repórter Graziela Mendonça: Durante as ações, foram cumpridos mandados de prisão, de busca e apreensão. Além das drogas, a polícia recolheu veículos, armas e aparelhos eletrônicos. O presidente do Conselho Nacional dos Chefes de Polícias Civis, delegado Emerson Wendt, detalhou como ocorre a venda de drogas próxima às escolas.




Presidente do Conselho Nacional dos Chefes de Polícias Civis - Emerson Wendt: A maioria da venda de drogas é fora do ambiente escolar, mas também tem casos de venda dentro das escolas, principalmente públicas e privadas, e, dependendo do tipo de escola, ou seja, onde ela está localizada, aí também varia a questão da droga. O que o traficante busca é uma oportunidade de venda, que se dá em razão, justamente de um processo de formação daquele adolescente.




Repórter Graziela Mendonça: No final da tarde, o Ministério da Segurança Pública divulgou os números parciais da operação. Ao longo do dia, foram presas 455 pessoas em todo o país e 10 presos que estavam foragidos foram recapturados. Quase 200 armas foram apreendidas e mais de 25 quilos de drogas. E vale lembrar que qualquer cidadão pode denunciar crimes como tráfico de drogas de forma anônima, no Disque Denúncia no número 181. Reportagem, Graziela Mendonça.




Nasi: As penitenciárias de Roraima vai ser administradas pelo Governo Federal até o final do ano.




Gabriela: O acordo de operação foi assinado hoje, com a presença do presidente Michel Temer.

 

Nasi: O Governo Federal fica responsável pela gestão dos sistemas prisional e socioeducativo do estado.




Gabriela: O presidente eleito Jair Bolsonaro está em Brasília.




Nasi: Dentro do processo do transição de governo, hoje ele teve reuniões com ministros de Tribunais Superiores.




Gabriela: Para Bolsonaro, o desemprego vai ser enfrentado com a união entre o governo e Judiciário.




Nasi: O presidente eleito também anunciou mais um ministro de seu governo.




Repórter Danielle Popov: Na visita ao Tribunal Superior do Trabalho, o presidente eleito Jair Bolsonaro disse que a corte é importante para as relações trabalhistas e afirmou que as medidas adotadas pelo novo governo na área vão ser sempre discutidas antes com os ministros do TST. Bolsonaro disse ainda, que problemas como o desemprego, só vão ser solucionados com trabalho conjunto entre governo e Judiciário.




Presidente eleito Jair Bolsonaro: O Brasil enfrenta problema seríssimo de emprego, e o que nós pudermos, em conjunto, aperfeiçoarmos a legislação, para que esse impasse seja resolvido, não pretendemos apresentar nada antes de consultarmos a todos os senhores, para buscarmos o entendimento.




Repórter Danielle Popov: Jair Bolsonaro visitou ainda, o Tribunal Superior Eleitoral e o Superior Tribunal Militar. O presidente eleito também anunciou, por redes sociais, que o general Fernando Azevedo e Silva será o novo ministro de Defesa. Reportagem, Danielle Popov.




Gabriela: E o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, se reuniu, nesta terça feira, com o futuro ministro de Economia, Paulo Guedes.




Nasi: Eles conversaram sobre o orçamento para o ano que vem.




Gabriela: A lei que estima quanto o governo vai arrecadar e define como os recursos serão aplicados foi feita com base na estrutura do atual governo.




Nasi: Colnago e Guedes discutiram formas de adaptar o orçamento à realidade do novo governo.




Repórter Gabriela Noronha: O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, conversou com a equipe de transição sobre possíveis ajustes no orçamento de 2019, que está em discussão no Congresso. A ideia é adaptar a lei para a realidade de despesas do próximo ano, isso porque o novo governo pretende reduzir o número de ministérios. Após o encontro, Esteves Colnago afirmou que a diferença negativa entre o que o governo arrecada e o que gasta vai ser menor que a prevista. Disse ainda que o atual governo fez orçamento para o ano que vem, pensando em deixar uma situação tranquila para o próximo presidente.




Ministro do Planejamento - Esteves Colnago: Este ano a gente tem uma expectativa, efetivamente, que vai fazer um resultado melhor. Há um volume de despesas que os ministérios poderiam estar utilizando e não estão fazendo. A última vez que eu olhei, estava um pouco acima de R$ 15 bilhões ou R$ 16 bilhões, que poderiam estar sendo utilizados pelos ministérios e não estão sendo utilizados. Então, a gente imagina que vai ter, efetivamente, um resultado melhor. Para o próximo ano a gente procurou fazer, efetivamente, o orçamento o mais conservador possível, para poder dar uma tranquilidade para o governo que está vindo.




Repórter Gabriela Noronha: O ministro dos Transporte, Valter Casimiro, também esteve, nesta terça feira, com a equipe de transição de governo. Casimiro apresentou a estrutura da Pasta e a modelagem das atuais licitações de portos, aeroportos, rodovias e ferrovias. Reportagem, Gabriela Noronha.




Gabriela: Informações sobre a conta de luz, fazer reclamações e denúncias sobre atuação de distribuidoras de energia, tudo pelo celular.




Nasi: Daqui a pouco a gente dá detalhes de como você pode baixar o aplicativo Aneel Consumidor, que foi lançado hoje.




"Defesa do Brasil! Defesa do Brasil! Defesa do Brasil!".




Gabriela: O uso de drones, aqueles aparelhos que voam por controle remoto, tem se tornado cada vez mais comum.




Nasi: E para que eles voem sem nenhum risco, seja para monitorar a agricultura, as fronteiras ou para fazer imagens de festas ou casamentos, é necessário seguir as leis brasileiras.




Gabriela: Como o drone é considerado uma aeronave, o proprietário pode ser responsabilizado por qualquer dano causado durante o voo do aparelho, assim como ocorre no caso de um acidente aéreo.




Repórter Lane Barreto: O Decea, Departamento de Controle do Espaço Aéreo, aplicou penalidades administrativas a responsáveis por drones que usaram esse equipamento de forma incorreta, oferecendo risco a pessoas, propriedades no solo e ao espaço aéreo. Em uma dessas situações, um drone tirava fotos nas proximidades do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, colocando em risco as aeronaves que se aproximavam para pouso e de colagem. As denúncias chegaram ao Decea por meio de vídeos enviados ao serviço de atendimento ao cidadão do órgão. No ano passado, a Anac, Agência Nacional de Aviação Civil, divulgou novas regras para o uso de drones no Brasil. Segundo as regras da Anac, os voos com drones devem acontecer a, pelo menos, 30 metros de distância horizontal de aglomerações, de pessoas. Além disso, cada piloto só pode operar um equipamento por vez. O chefe da Divisão de Coordenação e Controle do Subdepartamento de Operações do Decea, coronel aviador Jorge Vargas, orienta como se deve proceder para ficar dentro das normas legais.




Chefe da Divisão de Coordenação e Controle do Subdepartamento de Operações do Decea - Coronel aviador Jorge Vargas: Um dos primeiros passos que é necessário é verificar a homologação dessa aeronave junto à Anatel. O próximo passo seria a criação de cadastro no próprio site da Anac, no sistema deles que é o Sisant.




Repórter Lane Barreto: O coronel-aviador Vargas alerta que o uso indevido do drone pode ocasionar multas.




Chefe da Divisão de Coordenação e Controle do Subdepartamento de Operações do Decea - Coronel aviador Jorge Vargas: No Código Brasileiro de Aeronáutica, estão previstas as sanções administrativas as quais cabem ao Decea e uma dessas sanções administrativas é a aplicação de multas. Uma pessoa física, ela poder ter uma multa se ela não respeitar toda a documentação, se ela acessar de forma irresponsável o espaço aéreo, a multa pode chegar a mais de R$ 10 mil.




Repórter Lane Barreto: O Decea é um órgão ligado à Aeronáutica e possui a competência de legislar sobre o uso do espaço aéreo para todo tipo de aeronave, tripulada ou não. No endereço www.decea.gov.br/drone estão disponíveis regras e orientações, além dos locais para fazer o cadastro e solicitar autorização para voos. Reportagem, Lane Barreto.




Nasi: Conhecimento e apoio que estão salvando vidas em Moçambique.




Gabriela: Ontem, você ouviu aqui que o Brasil desenvolve parcerias no país africano, um dos menos desenvolvidos do mundo, para mudar essa realidade.




Nasi: E hoje, na segunda reportagem especial sobre os resultados entre a parceria Brasil e Moçambique, o repórter João Pedro Neto mostra duas iniciativas que estão ajudando a mudar por lá os índices de mortes de crianças.




Repórter João Pedro Neto: Maputo, um dos grandes centros urbanos do Sul da África. Bem no centro da capital, a principal estrutura de saúde do país, o Hospital Central de Maputo, que oferece atendimento público em várias especialidades, cuidado e assistência com olhar especial para o futuro, em um país que tem mais de 40% da população com idades entre 0 e 15 anos. As taxas de mortalidade infantil e de recém-nascidos têm melhorado, mas ainda são elevadas em Moçambique, como afirma o diretor do hospital, Mouzinho Saide.




Diretor do Hospital Central de Maputo - Mouzinho Saide: Moçambique ainda tem taxas muito elevadas de prematuridade, temos mortalidade também significativa em crianças prematuras.




Repórter João Pedro Neto: Dados do Programa Nacional de Pediatria de Moçambique indicam que 30 bebês entre cada mil nascidos vivos morrem antes dos 28 dias de vida. Iniciativas para melhorar esses indicadores têm sido desenvolvidas, inclusive com parceria do Brasil. Já foram treinados quase 400 médicos e enfermeiros de Moçambique, que atuam nas salas de parto e o cuidado com recém-nascidos. A pediatra Nilza Mussagy foi treinada e hoje ajuda a multiplicar esses conhecimentos.




Pediatra - Nilza Mussagy: Quando a gente melhora a reanimação neonatal, não só nós estamos a reduzir a mortalidade destes bebezinhos, mas como nós estamos a garantir que há uma família unida, que é uma mãe que vai conseguir trabalhar, que é uma criança que vai conseguir ir à escola.




Repórter João Pedro Neto: Segundo a pediatra Valéria Chicamba, responsável pelo Programa Nacional de Pediatria, os resultados já são percebidos.




Pediatra - Valéria Chicamba: Este convênio, esta parceria é de muito valor para nós, e sentimos que houve mudanças em relação à atuação e a propagação, portanto, daquilo que são as boas práticas para refletir isso.




Repórter João Pedro Neto: O Brasil também ajuda a garantir alimento para bebês que precisam. O primeiro banco de leite humano de Moçambique foi inaugurado em outubro, nas dependências do Hospital Central de Maputo, antes mesmo da abertura, mais de 60 mulheres já tinham doado. Como a Isabele Nair, de 35 anos, que sabe bem a importância desse gesto, o primeiro filho nasceu prematuro.




Entrevistada - Isabele Nair: Vi a necessidade dos bebês terem o leite, por que não dar para os bebês que não têm a possibilidade de estar com as mães para dar o leite? É um ato de amor, um gesto de amor, carinho.




Repórter João Pedro Neto: O Brasil apoiou a construção, equipou o local, compartilhou tecnologias e capacitou profissionais. A iniciativa foi coordenada pela Agência Brasileira de Cooperação, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e também apoio do Departamento Para o Desenvolvimento Internacional do Reino Unido. Segundo o coordenador-geral de Cooperação Técnica Com Países de Língua Portuguesa da ABC, Paulo Lima, o banco de leite pode ajudar a melhorar indicadores, como já aconteceu em outros países.




Coordenador-geral de Cooperação Técnica Com Países de Língua Portuguesa da ABC - Paulo Lima: O primeiro banco de leite humano da África foi implantado em Cabo Verde e já demonstrou resultados, houve uma queda de 5% da mortalidade infantil do Hospital Agostinho Neto, onde o banco de leite funciona. Em Moçambique, certamente, isso acontecerá, isso já é confirmado, não só no Brasil como em todos os 24 países que o banco de leite está instalado.




Repórter João Pedro Neto: Moçambique passa a fazer parte do grupo de 24 países que formam a Rede Global de Bancos de Leite Humano. São 113 unidades espalhadas pela América Latina, Europa e África, além das mais de 200 unidades no Brasil, que formam a rede global. Modelo que foi recebido com festa no país africano. Reportagem, João Pedro Neto.




Gabriela: Você sabe o quanto paga de energia elétrica, os impostos e como é calculado o valor da sua tarifa?




Nasi: Agora é possível conhecer tudo isso de uma forma bem fácil, usando apenas o celular.




Gabriela: A Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica, lançou um aplicativo, abrindo um canal de comunicação direto com o consumidor.




Repórter Cleide Lopes: O comerciante Moisés Oliveira paga todo mês a conta de luz sem questionar o que está pagando.




Comerciante - Moisés Oliveira: Eu não olho negócio de imposto, não olho nada, eu vejo o consumo lá e já pago.




Repórter Cleide Lopes: A grande maioria dos 82 milhões de brasileiros consumidores de energia elétrica não sabe o que está pagando na sua conta de luz, como, por exemplo, o que é o consumo justo da energia ou o que mais onera o valor da conta. Mas um aplicativo lançado pela Agência Nacional de Energia Elétrica, Aneel, amplia o acesso do consumidor a essas informações. De acordo com o diretor-geral da agência, André Pepitone, o Aneel Consumidor é uma plataforma que facilita o registro e acompanhamento de solicitações à ouvidoria, como, por exemplo, reclamações, sugestões, elogios e denúncias; apresenta orientações sobre os principais procedimentos relacionados ao fornecimento de energia, e informações gerais sobre o setor elétrico brasileiro.




Diretor-geral da Aneel - André Pepitone: É um canal a mais de explicação para o consumidor de como se compõe a conta de energia, também mais uma maneira do consumidor de energia elétrica acessar a Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel.




Repórter Cleide Lopes: Um dos principais serviços oferecidos no aplicativo é o Entenda a Sua Conta, nele o consumidor residencial tem acesso, de forma simplificada e transparente, à composição da conta de luz e o valor da fatura, utilizando simulações interativas. Para o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, o aplicativo é uma revolução e um salto qualitativo para o consumidor brasileiro.




Ministro de Minas e Energia - Moreira Franco: É o início de um processo em que nós estamos colocando luz para que os consumidores possam administrar de maneira adequada, livre, o seu consumo de energia, entender o quanto está pagando, para que as pessoas possam ter comando sobre o seu consumo de energia.




Repórter Cleide Lopes: O aplicativo Aneel Consumidor é gratuito e pode ser baixado de qualquer smartphone, outras informações sobre o aplicativo na página da Agência Nacional de Energia Elétrica, no: www.aneel.gov.br . Reportagem, Cleide Lopes.




Nasi: Como o ensino em tempo integral faz a diferença no rendimento dos estudantes e na redução das desigualdades de aprendizagem entre eles?




Gabriela: Para responder a esta pergunta, o Ministério da Educação vai fazer uma espécie de experimento.




Nasi: Durante quatro anos, um grupo de escolas vai receber recursos para o programa de tempo integral, e outro grupo, não.




Repórter Pablo Mundim: O programa do governo federal de fomento à implantação das escolas de ensino médio em tempo integral vai avaliar durante quatro anos a qualidade do aprendizado e o rendimento escolar dos estudantes, entre outros quesitos. Foram selecionadas 204 escolas de ensino médio para participarem da avaliação; 102 escolas, ou seja, metade das instituições de ensino, vão receber recurso para implantar o ensino integral. Depois dos quatro anos, os dados das escolas que receberam recursos e das que não receberam vão ser comparados. O coordenador-geral de Ensino Médio do Ministério da Educação, Wisley Pereira, conta que desde 2017 cerca de 850 escolas no Brasil já funcionam com atividades em dois turnos. Para o coordenador do MEC, com o programa do ministério será possível ver se os recursos estão sendo eficientes e atendendo às necessidades da população.




Coordenador-geral de ensino médio do Ministério da Educação - Wisley Pereira: A avaliação de fato é para verificar se realmente a política de educação em tempo integral do ensino médio está gerando aprendizagem e está gerando impacto, não só do ponto de vista de aprendizagem, mas que a política faz a diferença no ponto de vista educacional, não só para os estudantes, mas para os professores e ela gera resultado.




Repórter Pablo Mundim: O Instituto Padre Francisco Garcia, na cidade de São Borja, interior do Rio Grande do Sul, é uma das escolas selecionadas e que já adota o ensino em tempo integral, são mais de 160 estudantes do primeiro ao nono ano do ensino fundamental com aulas nos dois turnos. A diretora Maristela Loureiro da Rosa detalha como são as atividades na escola.




Diretora do Instituto Padre Francisco Garcia - Maristela Loureiro da Rosa: Eles têm as disciplinas que estão programadas e têm os complementos curriculares, como esporte e recreação, oficina de teatro, dança e música, oficina de língua inglesa.




Repórter Pablo Mundim: No município de Fátima, na Bahia, cerca de 300 alunos do Colégio Estadual Nossa Senhora de Fátima atualmente só estudam durante um turno, manhã ou tarde. A escola vai receber recursos para participar do programa. A escolha do colégio foi recebida com muita expectativa, como conta o diretor e Prof. Marcos José de Souza.




Diretor do Colégio Estadual Nossa Senhora de Fátima - Marcos José de Souza: Com a notícia de que fomos contemplados, nós vamos agora ter uma estrutura melhor, desde o ponto de vista técnico, com as orientações, o acompanhamento do MEC para implantar essa novidade.




Repórter Pablo Mundim: Para a execução do programa, o Ministério da Educação vai liberar R$ 200 milhões, valor que será distribuído para cada instituição de ensino, de acordo com a quantidade de alunos, sendo R$ 2 mil ao ano por aluno matriculado. Reportagem, Pablo Mundim.




Gabriela: Uma questão da prova de matemática do Enem foi anulada.




Nasi: Segundo o Inep, responsável pela elaboração e organização do exame, o item já havia sido aplicado em um vestibular da Universidade Federal do Paraná cinco anos atrás.




Gabriela: O Ministério da Educação instaurou sindicância para apurar o caso.




Nasi: A questão abordava a redução de pena e exigia um cálculo matemático para chegar à alternativa certa.




Gabriela: O número da questão anulada em cada caderno de prova do Enem está disponível em portal.inep.gov.br.




Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.




Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.




Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.




Gabriela: Fique agora as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.




Nasi: Boa noite para você e até amanhã.




"Brasil, ordem e progresso".