14/02/2017 - A Voz do Brasil

Governo liberou saques de contas inativas do FGTS. Mais de 9 mil homens da Forças Armadas irão reforçar segurança no estado do Rio de Janeiro. Parlamentares debatem reforma das leis trabalhistas. Tudo isso você ouviu nesta terça-feira em A Voz do Brasil!

audio/mpeg 14 02 2017 - Voz do Brasil.mp3 — 23716 KB




Transcrição


A Voz do Brasil - 14/02/2017

 

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília, 19 horas.

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje."

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite.

Airton: Boa noite pra você que nos acompanha em todo o país.

Gláucia: Terça-feira, 14 de fevereiro de 2017.

Airton: E vamos ao destaque do dia: Saque do FGTS de contas inativas começa em março.

 

Gláucia: 30 milhões de trabalhadores podem retirar o dinheiro, que vai ajudar a aquecer a economia do país.

 

Presidente Michel Temer: Se todos sacarem, serão R$ 40 bilhões ingressando na economia.

 

Airton: Nós vamos explicar direitinho pra você saber como sacar o seu dinheiro.

 

Gláucia: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Airton: Nove mil militares das Forças Armadas começam a chegar ao Rio de Janeiro para o reforço da segurança. Natália Melo.

 

Repórter Natália Melo: As Forças Armadas devem atuar no estado até o dia 22 de fevereiro. De acordo com o ministro da Defesa, Raul Jungman, o patrulhamento no Rio de Janeiro é preventivo.

 

Gláucia: Vamos falar da nova campanha para combater a exploração sexual de crianças e adolescentes pelo país.

 

Airton: A Voz do Brasil de hoje na apresentação de Gláucia Gomes e Airton Medeiros.

 

Gláucia: E pra assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

"Você na Voz do Brasil"

 

Airton: Depois que o presidente Temer anunciou saque do FGTS de contas inativas, em dezembro do ano passado, nós recebemos aqui várias perguntas de ouvintes.

 

Gláucia: Muita gente querendo saber quem tem direito, como sacar, enfim, ouvintes como o jardineiro de 43 anos, que mora em Atibaia, São Paulo.

 

Airton: Durvalino Pereira contou pra gente que tem dinheiro em contas inativas e quer sacar para pagar algumas dívidas e investir na compra de uma casa própria. Ele mandou uma pergunta, vamos ouvir.

 

Jardineiro - Durvalino Pereira: Olá, eu sou Durvalino de Atibaia, que mora em Atibaia. Eu tenho uma dúvida sobre o FGTS inativo. Será que vai sair como data de nascimento ou data do PIS, quando a gente recebe o PIS?

 

Gláucia: Olha só, seu Durvalino. O calendário foi divulgado hoje pelo governo e leva em conta o mês de aniversário do trabalhador.

 

Airton: Mas atenção: Isso não significa que você vai poder sacar só no mês do seu aniversário. Existe um calendário, que nós vamos explicar melhor com o jornalista Nasi Brum, que está aqui no estúdio com a gente. Boa noite, Nasi. Conta pros nossos ouvintes quando começam esses pagamentos.

 

Repórter Nasi Brum: Boa noite, Airton, boa noite, Gláucia. Então vamos lá. Os pagamentos já começam agora, no dia 10 de março, para quem nasceu em janeiro e fevereiro.

 

Gláucia: E para os outros trabalhadores, Nasi?

 

Repórter Nasi Brum: Bem, aí tem os meses de pagamento de cada mês de aniversário. Quem faz aniversário nos meses de março, abril e maio vai poder sacar o FGTS a partir de 10 de abril. Quem faz aniversário em junho, julho e agosto vai receber a partir do dia 12 de maio. Já os aniversariantes de setembro, outubro e novembro recebem a partir de 16 de junho. E, por fim, quem faz aniversário em dezembro recebe a partir de 14 de julho.

 

Airton: Nasi, eu tenho aqui outra dúvida. E quem perder esse prazo?

 

Repórter Nasi Brum: Olha, independente da data de nascimento, todo trabalhador que tem conta inativa vai poder sacar o dinheiro até o dia 31 de julho. Claro, dentro desse calendário que eu já passei. Por exemplo: Quem nasceu em janeiro e vai poder sacar a partir de 10 de março, tem até o dia 31 de julho pra retirar o dinheiro. Passando dessa data, acabou o prazo. Aí ele só vai poder sacar o dinheiro seguindo a regra antiga, quer dizer, quando comprar um imóvel ou em caso de doença grave, por exemplo.

 

Gláucia: E como é que o que trabalhador faz pra saber se tem saldos do FGTS que ele pode retirar?

 

Repórter Nasi Brum: Olha, Cláudia, uma possibilidade para consultar o saldo e o extrato do FGTS é baixar o aplicativo da Caixa para celular ou tablet, como fez o fiscal de logística Luís Costa, lá em Belo Horizonte, Minas Gerais. Ele está acompanhando o saldo do Fundo de Garantia e já sabe quanto vai poder sacar. Nós conversamos com ele mais cedo e ele disse que esse serviço facilita a vida do trabalhador.

 

Fiscal de logística - Luís Costa: Não tive dificuldade nenhuma, é superfácil. Eu faço o apanhamento da minha empresa atual, né? Sempre que eles depositam, aí chega um aviso no celular, que foi feito o depósito, aí automaticamente eu já entro no aplicativo pra confirmar mesmo se foi efetuado esse depósito.

 

Repórter Nasi Brum: E se você quiser baixar esse aplicativo, é só acessar a loja do seu celular e digitar FGTS Caixa, que já vai aparecer aí pro download. E é de graça. Quem quiser também pode ver o saldo pela internet, no endereço fgts.gov.br. Precisa ter na mão o número do MIT, PIS ou Pasep.

 

Airton: Obrigado, Nasi Brum, pelas informações ao vivo aqui na Voz do Brasil.

 

Gláucia: E as agências da Caixa vão abrir aos sábados e mais cedo pra conseguir atender todos os trabalhadores.

 

Airton: É, a expectativa, segundo o presidente Michel Temer, é que os brasileiros possam garantir uma renda extra e ainda aquecer a economia do país.

 

Repórter Mara Kenupp: Entre quarta e sexta-feira desta semana, todas as agências da Caixa vão abrir duas horas mais cedo. O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, informou que estão previstos ainda atendimentos aos sábados.

 

Presidente da Caixa - Gilberto Occhi: 3.412 agências vão estar abertas, com duas horas de antecedência, única e exclusivamente para atender ao trabalhador. Ele vai poder resgatar o seu Cartão do Cidadão, ele vai poder cadastrar a sua senha. E, no sábado, dia 18 de fevereiro, 1.891 agências da Caixa estarão abertas, em todo o território nacional, de 9h às 15h, pra que a gente possa atender esse trabalhador que não tenha tido tempo de ir durante a semana.

 

Repórter Mara Kenupp: Segundo o ministro interino do Planejamento, Diogo Oliveira, a permissão para sacar o saldo de contas inativas do FGTS faz parte de um conjunto de medidas para melhoria do cenário econômico do país.

 

Ministro interino do Planejamento - Diogo Oliveira: Não é uma ação isolada. Nós também fizemos o aumento da rentabilidade das contas dos cotistas do FGTS. Com isso, a remuneração do trabalhador se aproximará daquilo que é a remuneração na poupança.

 

Repórter Mara Kenupp: Os recursos do FGTS são usados habitualmente para financiar o sistema habitacional. Mas, a retirada dos recursos, segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, não vai afetar a construção civil.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Há recursos suficientes para atender o objetivo desta liberação e do incentivo à economia, fundamental neste momento, e, ao mesmo tempo, assegurar recursos ótimos, num nível adequado, para o financiamento da habitação do Brasil.

 

Repórter Mara Kenupp: O presidente Michel Temer disse que os saques vão permitir um aquecimento na economia.

 

Presidente Michel Temer: Muitas e muitas famílias endividadas, muitas empresas endividadas. E por isto que o saque do fundo de garantia por tempo de serviço não só injetaria recursos na economia, como traria, de alguma maneira, uma certa tranquilidade social. Se todos sacarem, serão R$ 40 bilhões ingressando na economia.

 

Repórter Mara Kenupp: De acordo com a Caixa, existem cerca de 49 milhões de contas inativas do FGTS. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Gláucia: Hoje o trabalhador só pode sacar o fundo de garantia quando é demitido sem justa causa.

 

Airton: O dinheiro também pode ser sacado em outros casos, como doenças graves ou compra de imóveis.

 

Gláucia: Fora isso, o saldo não pode ser retirado. É por isso que tem muita gente animada com a nova medida.

 

Airton: Mais de 30 milhões de trabalhadores devem ser beneficiados. O repórter João Pedro Neto explica agora quem vai poder sacar o dinheiro.

 

Repórter João Pedro Neto: A autorização para sacar o saldo das contas sem movimentação do FGTS, anunciada em dezembro, deve movimentar a economia e ajudar na retomada do crescimento. E, pra muita gente, como o motorista de ônibus José Milton, de Calcaia, no Ceará, o dinheiro vem em boa hora.

 

Motorista - José Milton: Vai ser importantíssimo para mim, vai melhorar muitas coisas, viu? Porque eu trabalho com carteira assinada, mas sempre aparece uma coisa pra gente resolver, uma conta pra pagar. Aí, não está dando certo, de maneira alguma. Aí esse dinheiro vai vir em boas horas.

 

Repórter João Pedro Neto: Podem sacar o dinheiro os trabalhadores que têm contas inativas, ou seja, de contratos de trabalho que foram finalizados até 31 de dezembro de 2015. A medida pode beneficiar até 30 milhões de pessoas. Brasileiros como o administrador de empresas Mauro Bomfim, que tem uma conta inativa do fundo de um emprego anterior.

 

Administrador de empresas - Mauro Bomfim: Eu espero poder investir na compra de um imóvel, porque é um bem que não é depreciável. Se você adquire um carro, com o tempo ele está se depreciando. E o imóvel, pelo contrário, ele ainda tem algum tipo de ganho ao longo do tempo.

 

Repórter João Pedro Neto: De acordo com o consultor Humberto Veiga, pra quem tem dinheiro em contas inativas do FGTS o saque é sim a melhor opção. E, segundo ele, o trabalhador deve avaliar qual a melhor maneira de usar esse recurso.

 

Consultor - Humberto Veiga: Se você está devendo, o primeiro caminho é pagar suas dívidas. Isso vai liberar o seu orçamento, vai deixar com que você tenha mais dinheiro à sua disposição. Se você não tem nenhuma dívida, aí você vai optar entre fazer um investimento ou comprar alguma coisa que você está precisando. E aí o FGTS perde basicamente pra tudo, em termos de investimento.

 

Repórter João Pedro Neto: Atualmente, o rendimento do FGTS é de 3% ao ano, mais a taxa referencial. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Gláucia: E você ficou com alguma dúvida sobre o saque do seu fundo de garantia?

 

Airton: Então manda a sua pergunta pra gente. Basta gravar uma mensagem e mandar para o nosso e-mail, anote aí: voz@ebc.com.br. Ou no Whatsapp, (61) 998627345. Eu vou repetir: (61) 998627345.

 

Gláucia: A nossa produção vai buscar a resposta para você, participe.

 

Airton: Depois do Espírito Santo, chegou a vez do Rio de Janeiro receber tropas das Forças Armadas para ajudar na segurança pública da cidade.

 

Gláucia: É, como nós divulgamos ontem, aqui na Voz do Brasil, a decisão foi tomada pelo presidente depois de um pedido do governador do Rio, Luís Fernando Pezão.

 

Airton: Os militares já começaram a trabalhar na cidade. Os detalhes da operação foram anunciados hoje.

 

Repórter Natália Melo: A operação carioca vai contar com 9 mil homens das Forças Armadas, para reforçar a segurança no Rio de Janeiro. O envio das tropas foi autorizado pelo presidente Michel Temer, após encontro com o governador do estado Luís Fernando Pezão, na segunda-feira passada. De acordo com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, não vão faltar recursos para manter a ordem no Rio de Janeiro.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: Não existe nenhum descontrole, não existe nenhuma insuficiência de meios e capacidade ou indisponibilidade dos recursos dos órgãos de segurança pública para manutenção da lei e da ordem. O Sr. Governador do Estado solicitou ao Sr. Presidente da República que, diante da amplitude das tarefas que se colocam para o governo e para os órgãos de segurança pública do Estado do Rio de Janeiro, a necessidade do emprego preventivo das Forças Armadas.

 

Repórter Natália Melo: As Forças Armadas devem atuar no estado até o dia 22 de fevereiro, um prazo padrão, que pode ser reavaliado, segundo o ministro.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: Então daí o caráter preventivo. Que fique claro que nós estamos atuando para liberar contingente da Polícia Militar, aliás como fizemos anteriormente aqui nas Olimpíadas.

 

Repórter Natália Melo: O patrulhamento no estado atua nas seguintes áreas: Via Expressa Transolímpica, Deodoro, Av. Brasil, Niterói e São Gonçalo. O ministro da Defesa afirmou ainda que, apesar das manifestações recentes de familiares em frente aos batalhões, no Rio de Janeiro, o trabalho da Polícia Militar carioca não foi afetado e continua normalmente. Reportagem, Natália Melo.

 

Gláucia: A comissão que vai analisar a reforma trabalhista, na Câmara Federal, começou os trabalhos hoje.

 

Airton: A proposta para modernizar a legislação foi anunciada pelo presidente Temer em dezembro do ano passado.

 

Repórter Beatriz Amiden: Deixar as relações entre patrões e empregados mais flexíveis e modernizar a lei trabalhista, que já tem mais de 70 anos. Essas são algumas das mudanças que a reforma trabalhista deve trazer para os cidadãos. São 12 pontos, que vão poder ser negociados entre as empresas e os trabalhadores, como por exemplo a divisão das férias em três períodos, a participação nos lucros da empresa e a possibilidade do trabalho remoto, que é aquele feito de casa, pelo celular ou pelo computador. Para o presidente da comissão especial da reforma trabalhista, o deputado Daniel Vilela, o momento de crise que o Brasil está vivendo é muito propício para essas mudanças, que devem aquecer o mercado de trabalho.

 

Deputado - Daniel Vilela: Eu acho que é um momento que o Brasil tem pressa. Nós faremos aqui o debate democraticamente, ouvindo todas as partes, para que a gente possa construir o texto mais atual possível, modernizando e deixando bem claro que não há nenhum tipo de retirada de direitos.

 

Repórter Beatriz Amiden: Todas as mudanças vão ter que ser acordadas entre as partes e aprovadas pelos trabalhadores em assembleia. Alguns pontos da lei não vão poder ser alterados, como por exemplo o direito ao fundo de garantia, ao 13º salário e a licença-maternidade. A expectativa do relator da comissão, o deputado Rogério Marinho, é que o parecer seja aprovado nos próximos três meses.

 

Deputado - Rogério Marinho: O plano que nós vamos apresentar aqui é apresentarmos o nosso parecer no dia 4 de maio, e votado até o dia 11 de maio. Vamos apresentar agora e pedir o apoio dos colegas aqui, dos pares, para que nós possamos implementar.

 

Repórter Beatriz Amiden: Depois da aprovação na Câmara dos Deputados, a pauta segue para o Senado Federal. Reportagem, Beatriz Amiden.

 

Gláucia: 19h14, no horário brasileiro de verão.

 

Airton: No ano passado o Disque 100 recebeu 77 mil denúncias de exploração sexual de crianças e adolescentes.

 

Gláucia: É, 13 mil foram só no Carnaval.

 

Airton: Então preste atenção. Se alguém denuncia, é possível salvar essa criança. Por isso, vamos falar daqui a pouco na nova campanha para combater esse crime em todo o país.

 

Gláucia: A proposta de reforma da previdência, enviada pelo governo ao Congresso no fim do ano passado, quer garantir que todos que contribuem tenham o direito a receber a aposentadoria no futuro.

 

Airton: Isso porque a maior expectativa de vida dos brasileiros, somada ao número cada vez menor de nascimento de crianças, vai fazer com que a previdência do país entre em colapso, se nada foi feito num curto prazo.

 

Gláucia: A proposta já está sendo discutida pelos deputados, e hoje técnicos do governo estiveram no Congresso, para esclarecer alguns pontos da reforma.

 

Repórter Taíssa Dias: Enviada ao Congresso Nacional no início de dezembro, a proposta de reforma da previdência prevê que a idade mínima para aposentadoria passa a ser de 65 anos para homens e mulheres com mínimo de 25 anos de contribuição. E as mudanças não vão ser feitas de forma imediata. A proposta prevê regras de transição para homens com mais de 50 anos e mulheres com mais de 45. O assessor especial do Ministério do Planejamento, Arnaldo Lima, que esteve nesta terça-feira no Congresso, explicou que a reforma da previdência vai impulsionar os investimentos sociais no país.

 

Assessor especial - Arnaldo Lima: Com a reforma, a gente consegue mais recursos para investir em outras áreas, que são tão importantes na nossa rede de proteção social, também podendo investir inclusive nas nossas crianças, olhando pra um futuro melhor pra gente.

 

Repórter Taíssa Dias: As mudanças propostas também vão valer para servidores públicos, políticos e trabalhadores rurais. Nada muda para quem já recebe o benefício ou completou condições de acesso até o momento em que as mudanças forem aprovadas e entrarem em vigor. Na semana passada, foi instalada na Câmara dos Deputados a comissão especial que vai analisar a proposta de reforma da previdência. O vice-líder do governo na Câmara, Darcísio Perondi, afirmou que espera um trâmite rápido, por causa da importância da medida para o país.

 

Vice-líder do governo na Câmara - Darcísio Perondi: Quem trabalha hoje paga para os aposentados de hoje. E como vai nascer cada vez menos criança, vai ter menos gente para trabalhar ao longo dos anos, essa conta não fecha.

 

Repórter Taíssa Dias: O governo estima que entre 2018 e 2027, a reforma da previdência leve a uma economia de R$ 678 bilhões de reais aos cofres públicos. Reportagem, Taíssa Dias.

 

Airton: É, e antes da proposta de reforma da previdência ser votada pelos deputados em Plenário, ela é discutida em uma comissão especial da Câmara.

 

Gláucia: Hoje foi apresentada uma agenda de como vai ser essa discussão.

 

Repórter Paulo La Salvia: Vão ser oito audiências públicas e um seminário internacional, para discutir a reforma. Entre os temas das audiências e do seminário, estão arrecadação, isenções e cobrança da dívida previdenciária, mudanças demográficas e mercado de trabalho e comparação do sistema brasileiro de previdência com o de outros países. O deputado Arthur Maia, que é o relator da proposta na comissão, defendeu a necessidade da reforma.

 

Deputado - Arthur Maia: Eu acho que temos que ter aqui a palavra da conciliação, que possa construir o entendimento, para não permitir que, em 2024, conforme preveem os cálculos autuariais, nós tenhamos a falência da previdência social.

 

Repórter Paulo La Salvia: Depois das audiências e do seminário, o deputado Arthur Maia deve apresentar o relatório final, que serve como sugestão e orienta os debates dos deputados antes da proposta ser votada no plenário. Para a proposta de reforma da previdência ser aprovada na Câmara, são necessárias duas votações com, no mínimo, 308 votos favoráveis em cada votação. Caso isso ocorra, a proposta segue para o Senado. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Airton: O Carnaval está chegando e é hora de redobrar a atenção para o combate à violência e exploração sexual de crianças e adolescentes.

2

Gláucia: O governo federal apresentou hoje a campanha deste ano e vai contar com a ajuda de estabelecimentos comerciais de todo o país.

 

Repórter Nei Pereira: Carnaval chegando e uma preocupação a mais para as autoridades: A violação de direitos de crianças e adolescentes, como por exemplo violência física, psicológica e sexual. Para combater esse tipo de crime, o Ministério do Turismo e a Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente lançaram uma campanha com foco realista. Em um dos vídeos, uma câmera escondida mostra adultos tentando entrar com crianças e adolescentes em um hotel. Segundo o ministro do Turismo, Marx Beltrão, estabelecimentos de todo o país ligados ao turismo vão ajudar na divulgação da campanha.

 

Ministro do Turismo - Marx Beltrão: Nós temos como ajudar essa política de combate à exploração sexual, que acontece muitas vezes à luz do dia, nas nossas caras, e nós não enxergamos. Então é importante a participação de toda a sociedade.

 

Repórter Nei Pereira: A principal ferramenta para denunciar a violação de direito das crianças e adolescentes é o Disque100, da Secretaria Nacional dos Direitos Humanos. Das mais de 77 mil denúncias recebidas pela central no ano passado, envolvendo esse tipo de público, quase 13.500 foram no período de carnaval. De acordo com a secretária nacional dos Direitos Humanos, Cláudia Vidigal, a maior parte dos casos de violência envolvendo crianças e adolescentes não é denunciada.

 

Secretária Nacional dos Direitos Humanos - Cláudia Vidigal: Estima-se que menos de 10% dos casos reais de exploração sexual são denunciados. Então, o que a gente busca é, sim, o aumento das denúncias, pra dar visibilidade a um problema tão grave e que precisa ser enfrentado e combatido.

 

Repórter Nei Pereira: A Polícia Rodoviária Federal também trabalha para coibir os crimes de exploração de crianças e adolescentes. Na Paraíba, por exemplo, um projeto da PRF implantado há mais de 10 anos ajudou a diminuir esse tipo de crime. O assessor de comunicação social da Polícia Rodoviária Federal da Paraíba, Éder Romel (F), explica como fazer as denúncias para a instituição.

 

Assessor - Éder Romel (F): Caso seja vista essa presença de crianças não acompanhadas, ou de adolescentes não acompanhados, que poderão estar sendo explorados sexualmente, deve-se denunciar. Uma equipe será destinada ao local, para averiguar se está ocorrendo algum fato que diz respeito à exploração sexual.

 

Repórter Nei Pereira: O Disque 100 funciona 24h por dia. A ligação é de graça e as denúncias são anônimas. Reportagem, Nei Pereira.

 

Gláucia: 19h21, no horário brasileiro de verão.

 

"Trânsito. Atenção, motorista."

 

Airton: O número de acidentes nas estradas federais caiu 21% no ano passado.

 

Gláucia: O balanço da Polícia Rodoviária Federal, divulgado agora, mostra também que diminuíram o número de mortes, acidentes e feridos em relação a 2015.

 

Airton: Carnaval chegando, então hora de atenção redobrada. A operação da Polícia Rodoviária Federal começa na sexta-feira.

 

Repórter: O número de acidentes nas estradas federais caiu 21% no ano passado. Segundo balanço da Polícia Rodoviária Federal, também houve queda de 6,8% nas mortes, de 3,9% nos acidentes graves e de 4,8% no número de feridos graves, em relação a 2015. O chefe da comunicação social da Polícia Rodoviária Federal, Diego Brandão, explica que o resultado positivo é reflexo das operações e campanhas de conscientização.

 

Chefe da comunicação social da Polícia Rodoviária Federal - Diego Brandão: Essas duas formas, fiscalização in loco e educação para o trânsito, conscientização, a gente obtém um resultado positivo.

 

Repórter: E falando em operações nas estradas, vem aí o carnaval. Está nas ruas a operação Rodovida, que reforça a fiscalização nas estradas de todo o país como explica Diego Brandão.

 

Chefe da comunicação social da Polícia Rodoviária Federal - Diego Brandão: A partir de sexta-feira a PRF lança a etapa de carnaval da operação Rodovida. Ela funciona como um reforço de fiscalização em pontos críticos e horários críticos.

 

Repórter: Ano passado, foram aplicadas 5.600 multas em estradas federais. O excesso de velocidade foi o grande campeão de multas. Em segundo lugar, as ultrapassagens indevidas. O álcool vem em terceiro lugar, mais de 5 mil motoristas foram presos por pegarem a estrada bêbados. Diego Brandão lembra que é preciso mais cuidado na conduta dos motoristas.

 

Chefe da comunicação social da Polícia Rodoviária Federal - Diego Brandão: Precisamos muito da consciência do motorista, da consciência do usuário da rodovia federal. Veja, a maioria das infrações que nós flagramos são relacionadas às condutas do motorista.

 

Repórter: Então vamos lá. Pra curtir um carnaval só de alegria, as recomendações da Polícia Rodoviária são: Viajar durante o dia, manter sempre os faróis acesos, mesmo durante o dia, respeitar os limites de velocidade, uso do cinto de segurança, não ultrapassar em local proibido e não misturar bebida e direção. Com esses cuidados, é só cair na folia. Reportagem, Alessandra Bastos.

 

Gláucia: As regiões afetadas com o número de casos de febre amarela em Minas Gerais vão receber R$ 7,4 milhões para custear assistência aos pacientes.

 

Airton: O dinheiro está sendo liberado em parcela única, para os municípios de Ipatinga, Caratinga e Teófilo Otoni, além da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais.

 

Gláucia: Essas foram as notícias do Governo Federal.

Airton: Uma realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gláucia: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Airton: Boa noite pra você e até amanhã.