14 DE JULHO DE 2017

Destaques da Voz do Brasil: Saque de contas inativas do FGTS chega a mais de 41 bilhões de reais e fica acima da expectativa da Caixa Econômica. Quase 25 milhões de trabalhadores já sacaram o que tinham direito. Pessoas com mais de 80 anos vão ter prioridade especial sobre outros idosos na hora de serem atendidos. Economia brasileira tem aumento de 1,4 %, e FMI prevê crescimento do país para este ano.

audio/mpeg 14-07-17 - ÍNTEGRA DA VOZ.mp3 — 58209 KB




Transcrição

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília 19h.

 

 

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

 

 

Apresentadora Nasi Brum: Boa noite.

 

 

 

Airton: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

 

 

Nasi: Sexta-feira, 14 de julho de 2017.

 

 

 

Airton: E vamos ao destaque do dia: saque de contas inativas do FGTS chega a mais de R$41 bilhões e fica acima da expectativa da Caixa Econômica.

 

 

 

Nasi: Quase 25 milhões de trabalhadores já sacaram o que tinham direito.

 

 

 

Airton: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

 

 

Nasi: Já é lei, pessoas com mais de 80 anos vão ter prioridade especial sobre outros idosos na hora do serem atendidos. João Pedro Neto.

 

 

 

Repórter João Pedro Neto: Essa prioridade especial vale para todos os atendimentos, serviços, espaços e órgãos público ou privados.

 

 

 

Airton: Retomada do crescimento. Economia brasileira tem aumento de 1,4% e FMI prevê crescimento do país para este ano.

 

 

 

Nasi: Hoje na apresentação: Nasi Brum e Airton Medeiros.

 

 

 

Airton: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br .

 

 

 

Nasi: O saque de contas inativas do FGTS já superou a previsão inicial da Caixa Econômica.

 

 

 

Airton: Quase 25 anos de trabalhadores sacaram o que tinham direito. O valor pago já chega a 96% do total disponível para saque.

 

 

 

Nasi: E o prazo para retirar o saldo está terminando, ele vai até 31 de julho.

 

 

 

Repórter Eduardo Biagini: Trabalhadores já retiraram quase R$42 bilhões de contas inativas do FGTS, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Para sacar o dinheiro nas agências da Caixa é necessário apresentar o número do PIS e um documento de identidade. Para valores acima da R$10 mil é preciso levar também a Carteira de Trabalho. Para quem tem conta na caixa, o dinheiro é depositado automaticamente. Esse foi o caso da jornalista Andrea Bazzo, que recebeu no início do mês o saldo de uma conta que estava parada há dois anos.

 

 

 

Jornalista - Andrea Bazzo: Eu acho que a ideia é boa. Acho que dá uma agitada no mercado. Para quem está precisando mesmo é uma boa ideia. Eu queria botar umas redes de proteção para o meu filho, todo o meu apartamento eu coloquei as redes de proteção e ainda sobrou um dinheiro ainda que eu guardei. Estava lá um dinheiro que eu não ia gastar e não me rende. Então, para mim foi bom.

 

 

 

Repórter Eduardo Biagini: Pode sacar o dinheiro todo o trabalhador que pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 2015. Reportagem, Eduardo Biagini.

 

 

 

Airton: O Banco Central divulgou que a economia brasileira cresceu 1,4% de maio do ano passado para maio deste ano.

 

 

 

Nasi: É o índice de atividade econômica do banco uma espécie de prévia do Produto Interno Bruto, o PIB, que é a soma dos bens e serviços produzidos pelo país.

 

 

 

Airton: O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, comentou a melhoria do cenário econômico no país durante evento no Rio de Janeiro.

 

 

 

Repórter Luana Karen: A economia brasileira cresceu 1,4% em maio em comparação a maio do ano passado, na série sem ajustes, é o que revela o índice de atividade economia do Banco Central, que tenta prever o comportamento do Produto Interno Bruto antes da divulgação oficial. Em relação ao mês anterior houve uma queda de 0,5%. O Fundo Monetário Internacional vê melhora no ambiente econômico do Brasil. O FMI aumentou a projeção de crescimento da economia brasileira de 0,2% para 0,3% em 2017. Segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o país vai terminar o ano com crescimento da economia.

 

 

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Uma economia que cai durante muito tempo agora começa a crescer e o processo nunca é uniforme mês a mês em todos os setores da economia. É normal que haja esse processo de oscilação, mas o fato é que nós crescemos de maneira muito forte no primeiro trimestre, há uma coação no segundo, quando deve haver aí um equilíbrio e depois voltamos a crescer no terceiro e quarto trimestre, e nós esperamos chegar no final do ano com uma taxa de crescimento comparado com o início do ano, um pouco acima de 2.

 

 

 

Repórter Luana Karen: Henrique Meirelles elencou medidas que estão sendo tomadas para levar o país de volta a trajetória de crescimento econômico, como mudanças para tornar o processo de exportação e importação mais ágil.

 

 

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Nós estamos fazendo uma série de reformas de maneira a diminuir substancialmente o tempo de processamento da importação ou exportação. A ideia é de mais de 40% do tempo gasto hoje na importação e exportação, inclusive, com a criação do Portal Único do Comércio Exterior, que é um sistema de processamento eletrônico.

 

 

 

Repórter Luana Karen: O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse também que os gastos públicos estão sob rígido controle. Reportagem, Luana Karen.

 

 

 

Nasi: O Congresso aprovou na noite de ontem a Lei de Diretrizes Orçamentárias, a LDO.

 

 

 

Airton: É essa lei que serve de base para o orçamento do Governo Federal para o ano que vem, ou seja, quanto deve ser gasto em áreas como saúde e educação. E esta LDO tem uma novidade.

 

 

 

Repórter Paulo La Salvia: É a primeira Lei de Diretrizes Orçamentárias com mecanismo de teto dos gastos públicos. Por meio dele as despesas do ano que vem só podem aumentar em relação aos gastos deste ano 3%, que foi a variação da inflação medida nos últimos 12 meses encerrados em junho. Isso equivale a R$39 bilhões. Outras metas da LDO que orienta a elaboração do orçamento são as seguintes para 2018, está previsto um crescimento de 2,5% da economia. Uma inflação de 4,2%, uma taxa de juros de 9% ao ano. Um saldo negativo nas contas do Governo Federal de R$129 bilhões e um salário mínimo de R$979, R$42 a mais do que o valor atual. Paulo La Salvia para a Voz do Brasil.

 

 

 

Nasi: Gás de cozinha e gás veicular, os dois são derivados de petróleo, mas têm diferenças.

 

 

 

Airton: Usar gás de cozinha no carro, por exemplo, é proibido. E é uma resolução do Conselho Nacional do Trânsito reforça esta proibição.

 

 

 

Nasi: A medida vai permitir facilitar a fiscalização dessa irregularidade.

 

 

 

Repórter Gabriela Noronha: De acordo com a nova regra, somente as empilhadeiras, máquinas utilizadas para carregar e descarregar mercadorias, vão poder utilizar o GLP, Gás Liquefeito de Petróleo, como combustível. Esse tipo de gás, mais conhecido como gás de cozinha, geralmente é encontrado em botijão de 13 quilos para o consumo residencial. É composto de butano e propano basicamente. Alessandro Borges, professor da Universidade de Brasília, explica que no caso das empilhadeiras o uso do GLP é indicado por conta do baixo risco de acidente.

 

 

 

Professor da Universidade de Brasília - Alessandro Borges: Tem toda uma instalação para que ela funcione adequadamente, que não tenha vazamento de gás. E uma empilhadeira não está sujeito a um provável acidente.

 

 

 

Repórter Gabriela Noronha: De acordo com o professor, o gás mais indicado para veículos é o gás natural, o GNV, que tem uma composição metano e etano, e esse continua permitido para automóveis comuns.

 

 

 

Professor da Universidade de Brasília - Alessandro Borges: Essas instalações para esse tipo de gás é uma instalação de alta pressão, diferente do butano, que é baixa pressão, e no caso de um acidente, o reservatório, ele é bem diferente, é um reservatório robusto, né, com paredes de aço reformado, que o risco de ele se romper é muito baixo.

 

 

 

Repórter Gabriela Noronha: Leonardo Silva é motorista no Rio de Janeiro e instalou no carro o cilindro de gás natural, para ele o combustível, além de seguro, é econômico.

 

 

 

Motorista - Leonardo Silva: O custo-benefício é maior porque a gasolina em questão, está cara, e o GNV, eu consigo andar média 210 a 250 quilômetros por dia ou por abastecimento.

 

 

 

Repórter Gabriela Noronha: A lei já não permitia o uso do gás de cozinha como combustível em carros, o que muda agora é que a proibição foi incluída também no Código de Trânsito Brasileiro, é o que comenta com o coordenador-geral de educação do Departamento Nacional de Trânsito, Francisco Garonce.

 

 

 

Coordenador-geral de educação do Departamento Nacional de Trânsito - Francisco Garonce: Com a regulação que veio do Conselho Nacional de Trânsito os agentes de fiscalizações, eles terão pleno respaldo para reter o veículo até que a situação seja corrigida. Eles têm como fazer um enquadramento legal que não corre o risco de ele ser questionado na justiça.

 

 

 

Repórter Gabriela Noronha: A nova regra foi publicada no Diário Oficial da União e já está valendo. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

 

 

Nasi: 19h09 Brasília.

 

 

 

Airton: O número de brasileiros com mais de 80 anos está crescendo.

 

 

 

Nasi: E daqui a pouco a gente vai dar detalhes de uma nova lei que dá preferência a esta parte da população sobre outro idosos na hora de serem atendidos.

 

 

 

Airton: Os turistas estrangeiros estão encantados com o Brasil.

 

 

 

Nasi: Uma pesquisa do Ministério do Turismo mostra avaliação positiva dos visitantes, com destaque para a hospitalidade brasileira.

 

 

 

Airton: E 95% dos entrevistados disseram que aprendem voltar ao país.

 

 

 

Repórter Natália Melo: Na parede do hostel carioca, no Vidigal, as boas-vindas para gente do todo o canto em línguas diferentes. A vista privilegiada para o mar é apenas um dos motivos que atrai os viajantes à cidade maravilha. Andreas veio da Colômbia para curtir o carnaval carioca, mas gostou tanto da cidade que ainda nem conseguiu voltar para casa.

 

 

 

Entrevistado - Andreas: Alegria de Rio.

 

 

 

Repórter Natália Melo: Thaís Silva, gerente do hostel, diz que recebe estrangeiros o ano inteiro. Segundo ela, é importante estar bem preparado para atender este público.

 

 

 

Gerente do hostel - Thaís Silva: No site a gente sempre coloca as fotos, as melhores fotos, colocamos promoções, que isso também interessa muito o pessoal, o público. Eu falo inglês, espanhol, alemão e um pouquinho de francês. Então, é sempre bom, né?

 

 

 

Repórter Natália Melo: A satisfação dos hóspedes de Thaís confirma os dados da pesquisa do Governo Federal sobre o turismo internacional do Brasil em 2016. Trinta e sete mil estrangeiros responderam sobre a igualdade da infraestrutura e dos serviços como hospitalidade, aeroportos e segurança. Quinze dos 16 itens avaliados tiveram mais de 72% de aprovação, segundo a coordenadora-geral de informações gerenciais do Ministério do Turismo, Gilce Battistuz, os números refletem os esforços do governo para qualificar o setor.

 

 

 

Coordenadora-geral de informações gerenciais do Ministério do Turismo - Gilce Battistuz: O Ministério do Turismo, ele tem melhorado e incentivado principalmente a questão da qualificação, por meio de programas, Pronatec, tem agora o Brasil Braços Abertos, que é a qualificação da mão de obra, aquele que recebe o turista.

 

 

 

Repórter Natália Melo: A pesquisa também mostrou que 95% dos estrangeiros querem voltar ao país, é o caso da polonesa que aproveitou as férias para conhecer o Rio, Manaus e Salvador. A advocacia diz que está impressionada com as belezas que conheceu e já tem até um lugar favorito.

 

 

 

Entrevistada: Pão de Açúcar. Pão de Açúcar.

 

 

 

Repórter Natália Melo: Empresário Berthfran veio da Bélgica com toda a família e diz que a viagem está sendo incrível, juntos eles aproveitam para colocar o português em prática agradecendo.

 

 

 

Entrevistados: Obrigado!

 

 

 

Repórter Natália Melo: Sol e praia continuam sendo os principais atrativos para o turismo de lazer. A pesquisa ouviu mais de 37 mil estrangeiros em 15 aeroportos internacionais e dez fronteiras terrestres. Reportagem, Natália Melo.

 

 

 

Nasi: Estudar no exterior pode ser uma oportunidade de aperfeiçoar conhecimentos e melhorar as chances na hora de buscar emprego.

 

 

 

Airton: É, o Programa de Qualificação Internacional em Turismo começa a oferecer bolsas de estudos para cursos de áreas de turismo e hospitalidade no Reino Unido.

 

 

 

Nasi: Depois de experiências bem-sucedidas com Portugal, Espanha e com o próprio Reino unido, o programa vai se tornar agora política pública permanente.

 

 

 

Repórter José Luiz Filho: Formada em Turismo pela Universidade de Brasília, Mariana Radicchi trabalha hoje na embaixada do Reino Unido. Uma experiência fora do país ajudou a abrir as portas do mercado de trabalho para ela. Em 2014 quando ainda era estudante, Mariana conseguiu uma bolsa para se aperfeiçoar do exterior. Durante três meses ela participou do Programa de Qualificação Internacional do Ministério do Turismo, justamente no Reino Unido.

 

 

 

Entrevistada - Mariana Radicchi: Eu pude aprender muito nesses três meses de qualificação. Considero que isso foi essencial para alavancar minha carreira profissional e tenho certeza que os próximos alunos também vão achar mesma coisa.

 

 

 

Repórter José Luiz Filho: Quem tem interesse em participar do programa e se aperfeiçoar no programa como Mariana, pode se inscrever a partir da próxima segunda-feira, vão ser oferecidas 120 vagas para estudantes de turismo de faculdades públicas e particulares. Os candidatos devem atender alguns pré-requisitos, como ter alcançado mais de 600 pontos no Enem, comprovar proficiência na língua inglesa e ter completado no mínimo 20% e no máximo 80% do currículo do curso de turismo. A oferta de bolsas para qualificação no exterior é uma das iniciativas do plano Brasil Mais Turismo, com investimentos de aproximadamente R$5 milhões. Uma forma de aperfeiçoar a mão de obra para o setor, como explica o ministro do Turismo, Marcos Beltrão.

 

 

 

Ministro do Turismo - Marcos Beltrão: Essa oportunidade é para que jovens que pretendem trabalhar com o turismo possam fazer esse intercâmbio e estudar lá fora para trazer a experiência do Reino Unido para o nosso país e aqui ensinar a outros jovens, dividindo essa experiência para que a gente tenha cada vez mais uma mão de obra qualificada.

 

 

 

Repórter José Luiz Filho: A viabilização das bolsas de estudo será feita pela Capes, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. O curso em uma instituição britânica terá formato exclusivo para o programa de qualificação do Ministério do Turismo, com aulas teóricas e práticas. Estudantes interessantes em participar do programa devem acessar o formulário eletrônico da página da Capes até às 17h, horário de Brasília, no dia 25 de agosto. Reportagem, José Luiz Filho.

 

 

 

Airton: A Conab, Companhia Nacional de Abastecimento, colocou à deposição um armazém lá em Santarém, no Pará, para receber entregar kits de emergência para os atingidos pelas enchentes nos municípios do baixo Amazonas.

 

 

 

Nasi: São mais de 4 mil kits com alimentos, materiais de limpeza e higiene pessoal e colchões.

 

 

 

Airton: A superintendente substituta da Conab no Pará, Silvia Regina Menezes, explicou que o trabalho é feito em parceria com a Defesa Civil e prefeituras dos municípios.

 

 

 

Superintendente substituta da Conab no Pará - Silvia Regina Menezes: Nós disponibilizamos na nossa unidade de Santarém, na unidade armazenadora para acondicionar, para armazenar os kits da Defesa Civil, né? E em parceria com a prefeitura nós fazemos essa distribuição, né? Armazenamos, eles chegam até nós lá para receber esses kits, tem alimentos, tem colchões, né? Uma ajuda para o pessoal que foi atingido pelas enchentes, né? A gente já tem bastante experiência nessa área, né? Principalmente de ajuda humanitária.

 

 

 

Nasi: A ação emergencial é coordenada pelo Ministério da Integração Nacional e deve atender 20 mil pessoas.

 

 

 

Airton: Os brasileiros estão cada vez mais usando computadores e celulares para realizar operações bancárias.

 

 

 

Nasi: Para o Banco Central essa tendência é irreversível e reforça a necessidade de que bancos e usuários tenham cuidados redobrados com a segurança.

 

 

 

Repórter Warbe Kalil: Silvia Belmonte trabalha em uma instituição financeira, e, apesar de conviver diariamente com as transações bancárias, ela não tem o hábito de ir até a agência, está costumada a fazer todas as movimentações financeiras por meio do celular ou computador.

 

 

 

Entrevistada - Silvia Belmonte: Eu não... quase não visito a agência bancária, são pouquíssimas as coisas que eu não consigo resolver pelo meu celular ou pelo meu computador. Eu nem sei qual foi última vez que eu entrei numa agência bancária.

 

 

 

Repórter Warbe Kalil: De acordo com um levantamento do Banco Central, agências e postos de atendimento continuam perdendo espaço. Em 2016 foram realizados pouco mais de 8 bilhões de transações bancárias nestes locais, 8% a menos que em 2015. O professor Roselito Felix, do curso de Pós-Graduação em Segurança da Informação de um centro universitário em Brasília, esclarece que, apesar da facilidade, o usuário deve ter cuidados com a segurança.

 

 

 

Professor - Roselito Felix: Acessar apenas estações de trabalho confiáveis, não compartilhar equipamentos com outras pessoas. Ao terminar de usar a sua interface, fechar adequadamente, sair adequadamente.

 

 

 

Repórter Warbe Kalil: O canal preferido pelos brasileiros para realizar transações bancárias em 2016 foi o computador pessoal, responsável por 33% das operações. Mas as 16 bilhões de transações feitas em 2016 por equipamentos imóveis, como celulares, mostram que esse canal tem ganhado cada vez mais a preferência dos brasileiros e já respondem por 28% das operações. Para Flávio Túlio Vilella, chefe do Departamento de Operações Bancárias e do Sistema de Pagamento do Banco Central, este caminho é irreversível e exigirá cada vez mais investimentos das instituições bancárias.

 

 

 

Chefe do Departamento de Operações Bancárias e do Sistema de Pagamento do Banco Central - Flávio Túlio Vilella: Cada vez mais eles têm que se preocupar realmente com segurança, eu acho que isso os bancos hoje têm uma preocupação grande com isso porque é irreversível.

 

 

 

Repórter Warbe Kalil: Ainda segundo o relatório, a quantidade de máquinas de autoatendimento permanecesse praticamente estável desde 2010. Reportagem, Warbe Kalil.

 

 

 

Airton: Escolas, universidades, órgãos públicos e jornalistas que têm projetos ou escreveram reportagens sobre educação fiscal podem concorrer ao Prêmio Nacional de Educação Fiscal.

 

 

 

Nasi: A ideia é valorizar as melhores práticas, que permitem ao cidadão acompanhar a aplicação dos impostos pelo governo.

 

 

 

Airton: As premiações chegam até R$10 mil. O prêmio é promovido pela Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais pela Escola de Administração Fazendária do Ministério da Fazenda e pelo Programa Nacional de Educação Fiscal.

 

 

 

Nasi: E atenção, as inscrições terminam amanhã e podem ser feitas na página da internet: www.premioeducacãofiscal.com.br . 19h19 em Brasília.

 

 

 

Airton: Mais dados e informações sobre os órgãos do Governo Federal estão disponíveis para consulta da população.

 

 

 

Nasi: É o painel de monitoramento de dados abertos, uma ferramenta que aprimora transparência e um maior controle das políticas públicas.

 

 

 

Repórter Paulo La Salvia: Transparência e controle da população sobre as ações do governo. Esta é a principal meta do painel de dados abertos do Governo Federal. O painel traz informações sobre 54 órgãos da administração pública federal. A Anatel, a Agência Nacional de Telecomunicações, divulga, por exemplo, as contribuições para o incentivo do serviço de rádio difusão pública no país. Já a CVM, Comissão de Valores Mobiliários, que fiscaliza o mercado financeiro, traz informação sobre fundos de investimentos e empresas de capital aberto, que são aquelas com ações cotadas na Bolsa de Valores, como a Petrobras. Para o coordenador-geral de Governo Aberto do Ministério da Transparência Fiscalização e Controladoria Geral da União, Marcelo Vidal, diferentes segmentos da sociedade podem se beneficiar com o painel.

 

 

 

Coordenador-geral de Governo Aberto do Ministério da Transparência Fiscalização e Controladoria Geral da União, Marcelo Vidal: Tanto a sociedade organizada, as ONGs, as entidades que trabalham na busca de melhorias de serviço público e de controle social, assim como a imprensa por meio do jornalismo investigativo, assim como a academia são grandes consumidores de base de dados do governo.

 

 

 

Repórter Paulo La Salvia: A intenção é que ao todo 229 órgãos da administração pública federal publiquem as bases de dados no painel. Esta iniciativa faz parte da Política Nacional de Dados Abertos do Governo Federal, que está valendo desde maio do ano passado. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

 

 

Airton: A expectativa de vida do brasileiro está cada vez mais maior, hoje já não é difícil encontrar velhinhos com mais de 80 anos fazendo atividades normais do dia a dia, como ir a parque e praias para se exercitar e indo também ao banco, viajar.

 

 

 

Nasi: Pois é, segundo o IBGE, o Brasil deve ter quase 20 milhões de pessoas com 80 anos ou mais de idade em 2060.

 

 

 

Airton: E para atender a esta parte da população que está crescendo, a partir de agora é lei, quem tem 80 anos ou mais passa a ter a preferência sobre outros idosos na hora de ser atendido.

 

 

 

Repórter João Pedro Neto: Terceira idade ou melhor idade? Nas aulas de ginástica da Associação de Idosos de Taguatinga, no Distrito Federal, ninguém tem dúvida. E essa aula aqui é para terceira ou é para a melhor idade?

 

 

 

Entrevistada: É para a melhor idade.

 

 

 

Entrevistada: O idoso não pode ficar em casa parado porque realmente não faz bem.

 

 

 

Repórter João Pedro Neto: Seja como for, o número de idosos, que, por lei, são aqueles que tem 60 anos ou mais, cresce bastante no país. O processo de envelhecimento da população brasileira, resultado da maior expectativa de vida ao nascer, também tem levado a um aumento da população acima dos 80 anos. Em 2016, segundo projeções do IBGE, eram cerca de 3,5 milhões de pessoas nessa faixa, cinco vezes mais do que em 1980, e, agora, uma mudança na lei garante prioridade especial para os maiores de 80 anos. Com isso eles vão ter preferência para atendimento em relação aos demais idosos. Essa prioridade especial vale para todos os atendimentos, serviços, espaços e órgãos públicos ou privados. Para o seu Roberto de Oliveira, de 70 anos, uma medida justa.

 

 

 

Entrevistado - Roberto de Oliveira: A pessoa já conviveu tanto, né? Com tantos problemas. Quanto menos problema ele tiver, muito melhor.

 

 

 

Repórter João Pedro Neto: Além de valer para as demais situações, a lei também especifica a preferência especial para os atendimentos de saúde, exceto em caso de emergência e nos processos judiciais. Para a coordenadora-geral do Conselho Nacional do Idoso, Ana Lúcia da Silva, a medida reforma o direito dos idosos.

 

 

 

Coordenadora-geral do Conselho Nacional do Idoso - Ana Lúcia da Silva: E a gente quer que esses brasileiros e brasileiras vivam com vida, com dignidade, e que a gente pede que nesse momento que se cria essa faixa especial para os 80, para os maiores de 80 anos, que nós, brasileiros e brasileiras independentes da nossa idade, possamos exercitar o que o estatuto já definia como prioridade.

 

 

 

Repórter João Pedro Neto: A nova lei foi aprovada no Congresso Nacional, sancionada pelo Presidente Michel Temer e já está valendo. Reportagem, João Pedro Neto.

 

 

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

 

 

Airton: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

 

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

 

 

Airton: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite e um bom final de semana.

 

 

 

Nasi: Boa noite para você e até segunda.

 

 

 

"Brasil, ordem e progresso".