14 de novembro de 2018 - Poder Executivo

Destaques da Voz do Brasil: País à frente das pesquisas mundiais em áreas como medicina e agricultura. Presidente Michel Temer inaugura superlaboratório e destaca avanço tecnológico para a ciência nacional. Ministério da Saúde vai abrir novo edital para contratar profissionais para o Mais Médicos. E hoje é Dia Mundial do Diabetes. Vamos falar de todas as ações do governo no combate à doença. Presidente eleito Jair Bolsonaro se reúne com futuros governadores e anuncia mais um ministro para sua equipe de governo.

audio/mpeg 14-11-18-VOZ DO BRASIL.mp3 — 44993 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.




Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.




Gabriela: Quarta-feira, 14 de novembro de 2018.




Nasi: E vamos ao destaque do dia. País à frente das pesquisas mundiais em áreas como medicina e agricultura.




Gabriela: Presidente Michel Temer inaugura superlaboratório e destaca avanço tecnológico para a ciência nacional.




Presidente Michel Temer: É o Brasil, graças ao talento, à perseverança de nossos pesquisadores, saímos na frente. É o Brasil mostrando ao mundo como se faz pesquisa de ponta.




Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.




Gabriela: Ministério da Saúde vai abrir novo edital para contratar profissionais para o Mais Médicos.




Nasi: E hoje é Dia Mundial do Diabetes.




Gabriela: Vamos falar de todas as ações do governo no combate à doença. Graziela Mendonça.




Repórter Graziela Mendonça: O Sistema Único de Saúde oferece todo o tratamento na atenção básica e também distribui medicamentos de graça para quem tem a doença. Além de oferecer tratamento, o governo também investe em prevenção.




Nasi: Presidente eleito Jair Bolsonaro se reúne com futuros governadores e anuncia mais um ministro para a sua equipe de governo.




Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.




Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .




Gabriela: Um laboratório gigantesco, capaz de realizar pesquisas e descobertas em diversas áreas, como a medicina e a agricultura.




Nasi: Foi inaugurado hoje, em Campinas, São Paulo, o laboratório do Projeto Sirius, um investimento totalmente nacional, que vai levar a ciência brasileira para um patamar jamais visto.




Gabriela: Para o presidente Michel Temer, o Sirius vai trazer soluções para desafios mundiais.




Repórter Ricardo Ferraz: O Laboratório Sirius vai contribuir para inovações em áreas que estão diretamente ligadas ao desenvolvimento do país e à vida dos brasileiros, como a exploração de petróleo na camada do Pré-sal e medicina, com o desenvolvimento de novos medicamentos e tratamentos. Antônio José Roque, diretor de Sirius, ressalta a importância do Governo Brasileiro investir em ciência e tecnologia.




Diretor do Sirius - Antônio José Roque: Ao longo de tempo, isso gera solução dos problemas brasileiros. Soberania significa conhecimento, significa investimento. Ciência e tecnologia significa ter as ferramentas disponíveis para os pesquisadores, e é isso que a gente está fazendo aqui.




Repórter Ricardo Ferraz: O acelerador de partícula Sirius tem o porte de um estádio de futebol, são 66 mil metros quadrados que abrigam um túnel circular com 518 metros de circunferência. É dentro desse ambiente que a matéria viaja numa velocidade próxima a da luz, quase 300 mil metros por segundo, para gerar o que os cientistas chamam de luz Síncrotron. Esse feixe é capaz de revelar como átomos e moléculas se comportam, abrindo infinitos campos de pesquisa aos cientistas brasileiros. Até o momento, o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações realizou investimentos de R$ 1,3 bilhão no projeto. Número que deve subir para R$ 1,8 bilhão até 2020. O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, disse que os recursos para as próximas fases do projeto estão assegurados.




Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Gilberto Kassab: Esse equipamento é como um hospital, quando é inaugurado, você tem, a partir de agora, a sua manutenção, o seu custeio, a sua ampliação. Agora não para mais.




Repórter Ricardo Ferraz: Durante a cerimônia de inauguração, o presidente Michel Temer destacou que o laboratório deve reposicionar o Brasil no cenário internacional, atraindo cientistas de todo o mundo para estudos e descobertas científicas. Segundo o presidente, o Sirius, que é um projeto totalmente nacional, vai trazer soluções para desafios globais.




Presidente Michel Temer: Novos medicamentos, melhores materiais de construção, técnicas mais avançadas de exploração de petróleo e gás. E nós sabemos que toda pesquisa de ponta, gera efeitos para muito além da teoria, traz maior vitalidade às universidades, estimula a formação de novas gerações de pesquisadores, gera inovação para a indústria, e dá injeção de dinamismo na economia.




Repórter Ricardo Ferraz: O laboratório já começa a funcionar a partir da próxima semana, em caráter experimental. As pesquisas entram em operação a partir do ano que vem. De Campinas, São Paulo, Ricardo Ferraz.




Nasi: O Ministério da Saúde recebeu, hoje, o comunicado da Organização Pan-americana de Saúde, Opas, de que o governo de Cuba encerrou parceria no Programa Mais Médicos.




Gabriela: Cerca de 8 mil profissionais de Cuba atuam aqui no Brasil pelo programa, por meio de um convênio entre a Opas e o governo cubano.




Nasi: A jornalista Helen Bernardes está aqui no estúdio com a gente, e tem os detalhes sobre as ações do Ministério para garantir atendimentos nos locais onde esses profissionais atuam. Boa noite, Helen.




Repórter Helen Bernardes (ao vivo): Boa noite Nasi, Gabriela. Boa noite a você, ouvinte da Voz do Brasil. Pois é, agora à tarde o Ministério da Saúde divulgou nota onde informa que está adotando todas as medidas para garantir assistência dos brasileiros atendidos pelas Equipes de Saúde da Família, e que contam com profissionais de Cuba. A primeira ação será a convocação, nos próximos dias, de edital para médicos que queiram ocupar as vagas que serão deixadas por estes profissionais. Então, o Ministério antecipou o edital que vai priorizar a convocação de médicos brasileiros formados no Brasil, e, em seguida, prioriza brasileiros formados no exterior. Neste momento, 8,3 mil médicos cubanos atendem pelo Mais Médicos, de um total de 18 mil profissionais que atuam em todo o país. Outras medidas para ampliar a participação de brasileiros vêm sendo estudadas pelo Ministério da Saúde, como, por exemplo, a negociação com os alunos formados pelo Fies, com o abatimento de parcelas para quem trabalha no programa Saúde da Família no SUS. Ao final da nota, o Ministério da Saúde tranquiliza a população sobre a continuidade do atendimento e afirma que adotará todas as medidas para que profissionais brasileiros estejam atendendo no programa de forma imediata. E só para se ter uma ideia do que é o Mais Médicos, hoje, no Brasil, o programa está presente em mais de 4 mil municípios de todo o país, além da garantir atendimento em distritos indígenas. Hoje, o programa garante assistência médica a 63 milhões de brasileiros. Nasi, Gabriela.




Gabriela: Obrigada, Helen Bernardes, pela participação, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.




Nasi: Hoje é o Dia Mundial do Diabetes.




Gabriela: A doença atinge quase 10% da população brasileira.




Nasi: E o SUS oferece tratamento e distribuição de medicamentos de graça, além de investir em ações de prevenção.




Repórter Graziela Mendonça: A educadora física, Eliana Oliveira, de Brasília, tem 27 anos, e convive com o diabetes tipo um desde a infância. Ela conta como a família descobriu a doença.




Educadora física - Eliana Oliveira: Eu tinha por volta de uns três, quatro anos de idade, minha mãe conta que eu estava bebendo muita água e falava: Mamãe, xixi, xixi. E no vaso sempre juntava formiguinhas. Então, no caso, eu estava com glicose na urina, né? Quando fizeram a minha glicose, descobriram que eu estava com diabetes e desde então, mantive o tratamento no hospital, no hospital público, né?




Repórter Graziela Mendonça: Assim como Eliana, mais de 9 milhões de brasileiros vivem com diabetes, segundo o Ministério da Saúde. O Sistema Único de Saúde oferece todo o tratamento na atenção básica e também distribui medicamentos de graça para quem tem a doença. É o que explica Michele Lessa, coordenadora de alimentação e nutrição do Ministério.




Coordenadora de alimentação e nutrição - Michele Lessa: Nós temos, atualmente, quase 43 mil Equipes de Saúde da Família no Brasil, 60% delas contam com equipes complementares, que tem nutricionistas, profissionais de educação física, psicólogos e outro profissionais que podem ajudar a pessoa com diabetes. Aquelas de difícil controle, elas podem procurar um centro de especialidades, policlínicas e hospitais do SUS.




Repórter Graziela Mendonça: Além de oferecer tratamento, o governo também investe em prevenção. O Ministério da Saúde possui um guia alimentar de alimentação saudável e também mantém academias ao ar livre gratuitas em todo o país. Para a endocrinologista Cristina Blanc Burger, cuidar dos hábitos é a melhor forma de evitar a doença.




Endocrinologista - Cristina Blanc Burger: O diabetes tipo dois, que é o grande problema que a maioria da população vai ter, número tão alarmante que a gente tem de paciente diabéticos, é um estilo de vida saudável, a prevenção é essa. Então, atividade física, ter uma alimentação equilibrada, rica em vegetais, em legumes, rica em fruta e controle do peso. Tendo esses parâmetros bem controlados, as chances de desenvolver diabetes reduz bastante.




Repórter: A Eliana Oliveira conta que adotou esse estilo saudável para viver bem.




Educadora física - Eliana Oliveira: Hoje eu vejo a diabetes como uma qualidade de vida. Você pode ter um alimentação saudável, praticamente verduras e frutas que você pode, numa feira, e você não gasta muito, você pode ser uma pessoa normal, você pode comer de tudo.




Repórter Graziela Mendonça: O diabetes pode causar complicações como infarto e AVC, por exemplo. Entre 2010 e 2016, mais de 400 mil pessoas morreram por complicações da doença. E para melhorar a dieta, o guia alimentar tem dicas como, por exemplo, comer alimentos naturais e variados, evitar óleo e produtos processados que contém poucos nutrientes. Ler os rótulos e dar preferência para comida caseira também é importante para manter a saúde em dia. Reportagem, Graziela Mendonça.




Gabriela: Vem aí mais um feriadão.




Nasi: É, e a Polícia Rodoviária Federal vai fiscalizar as principais estradas do país, de olho nos motoristas mais apressados e imprudentes.




Gabriela: A Operação Proclamação de República começou hoje, e segue até o fim de domingo.




Repórter Bruna Saniele: São 10 mil policiais rodoviários federais trabalhando em vários turnos nas rodovias mais movimentadas do país. E nesse feriadão, a fiscalização terá foco no excesso de velocidade, ultrapassagens indevidas e motoristas que fazem uso de álcool. De acordo com o porta voz da Polícia Rodoviária Federal, Diego Brandão, nessa época, a fiscalização tem mais uma preocupação: o clima, período chuvoso em muitos estados que exige atenção redobrada dos motoristas.




Porta-voz da PRF - Diego Brandão: Juntando essa condição adversa, da chuva, que prejudica a visibilidade, a frenagem e outros fatores da direção, nós temos aqueles comportamentos que são flagrados assim, aos milhares a cada feriado, excesso de velocidade, ultrapassagem indevida, uso de álcool, falta de item de segurança. Então, juntando com o fator chuva, nós temos aí, uma possibilidade de acidentes graves muito grande nas rodovias federais.




Repórter Bruna Saniele: A fiscalização no feriado também terá um foco educativo. Nas estradas mais movimentadas, motoristas de transporte de carga e de passageiros serão convidados para uma parada rápida no cinema rodoviário. Lá eles assistem a um vídeo educativo e são orientados por um especialista sobre prevenção de acidentes. Reportagem, Bruna Saniele.




Nasi: E no feriado prolongado, o setor de turismo deve movimentar R$ 3,8 bilhões.




Gabriela: De acordo com o Ministério do Turismo, são mais de 1,8 milhão viagens programadas.




Nasi: Descanso para quem está de folga e muito trabalho para o setor turístico, aquecendo a economia.




Repórter Eduardo Biagini: Praia e cidades turísticas são as preferências dos brasileiros para passar um feriado prolongado, segundo levantamento das operadoras de turismo. E, se para muita gente isso significa descanso, para o setor turístico é trabalho. Aeroportos, hotéis, agências de viagens, restaurantes e comércio entre outros, registram forte movimentação. São, pelo menos, 50 atividades econômicas beneficiadas. De acordo com o Ministério do Turismo, o feriado de Proclamação da República deve movimentar R$ 3,8 bilhões, são mais de 1,8 milhão viagens programadas para o período de quatro dias. Para o ministro do Turismo, Vinícius Lummertz, o setor aquece a economia. Em 2018, sem contar com a Semana Santa e o Carnaval, os feriados devem movimentar quase R$ 30 bilhões.




Ministro do Turismo - Vinicius Lummertz: Quando nós pegamos os feriados prolongados em 2018, nós estamos falando de 14 milhões de viagens, nós estamos falando quase de R$ 30 bilhões na economia. Além do benefício econômico que é gigantesco, também é muito importante para a qualidade de vida das pessoas.

 

Repórter Eduardo Biagini: E para ajudar no planejamento dos feriados prolongados, o Ministério de Turismo disponibiliza o Calendário Nacional de Eventos. De forma fácil, é possível encontrar a programação de festas, shows, festivais e exposições em milhares de municípios brasileiros. Para acessar o calendário basta entrar na página turismo.gov.br e clicar em eventos. Reportagem, Eduardo Biagini.




Gabriela: Hoje foi mais um dia de reuniões do presidente eleito Jair Bolsonaro em Brasília.




Nasi: Bolsonaro também anunciou mais um ministro para a sua equipe de governo.




Gabriela: Os detalhes ainda nesta edição.




Nasi: Devolver sorrisos e saúde a quem precisa.




Gabriela: Na última reportagem especial sobre a cooperação entre Brasil e Moçambique, vamos conhecer outros dois projetos que estão mudando a vida de muita gente no país africano.




Nasi: Em Maputo, capital de Moçambique, o repórter João Pedro Neto foi conhecer de perto uma fábrica de próteses dentárias e um laboratório que produz remédios.




Repórter João Pedro Neto: Um sorriso reconquistado. A moçambicana Catarina Rungo tem 70 anos e vinha sofrendo com a perda dos dentes, faltavam condições para repor a dentição, até a instalação de um laboratório de fabricação de próteses dentárias na capital Maputo. Além do novo sorriso, ela conta que ganhou qualidade de vida.




Entrevistada - Catarina Rungo: Fica bonito também como outra pessoa que tem dente, fica bonito, qualquer coisa eu como.




Repórter João Pedro Neto: Os pacientes são atendidos no Hospital Geral de Mavalane, um bairro da capital Maputo, e ao lado do consultório dos dentistas fica a estrutura montada para fabricar os implantes, o laboratório é resultado de uma parceria de cooperação entre Moçambique e o Brasil. A dentista Nei Djon Be explica que além da estética, a dentição é importante para toda a saúde.




Dentista - Nei Djon Be: Se, por exemplo, o paciente não tem dente vai ter dificuldade, o que vai acontecer é que o estômago vai fazer dupla função, vai sobrecarregar o estômago, que vai provocar outros problemas.




Repórter João Pedro Neto: O espaço começou a funcionar em 2016, de lá para cá, já foram entregues cerca de 1.500 próteses, parciais ou totais, a média é de 50 por mês. Algumas pagas, mas pacientes de baixa renda têm acesso de graça. Profissionais que atuam na fabricação foram capacitados por especialistas do Ministério da Saúde do Brasil. A técnica adotada é mais barata e garante bons resultados, como afirma a técnica de prótese do local, Lina Balani.




Técnica de prótese - Lina Balani: A técnica é nova, faz se mais prótese, é mais rápido, é mais eficaz também. Já fizemos essas próteses desde daí nunca tivemos reclamação.




Repórter João Pedro Neto: Além de renovar sorrisos, a cooperação na área da saúde também tem ajudado a garantir que o país seja melhor abastecido com remédio. A primeira fábrica desse tipo instalada no país, chamada oficialmente Sociedade Moçambicana de Medicamentos, produz hoje cinco tipos de fármacos, para diabetes, hipertensão, analgésicos, anti inflamatórios e distúrbios de saúde mental. E o número deve aumentar para dez tipos de remédios até 2019. O presidente do conselho de administração da fábrica, Evaristo Madime, fala sobre a relevância do projeto para o país.




Presidente do conselho de administração da Sociedade Moçambicana de Medicamentos - Evaristo Madime: Esta significa uma afirmação do país em relação à tecnologia, em relação ao avanço e ao desenvolvimento, que é a capacidade de criar e produzir medicamentos no país.




Repórter João Pedro Neto: Um dos pontos centrais da parceria é o treinamento dos profissionais moçambicanos, cerca de 50 foram capacitados, como a Frederica Timbe Saranga, que hoje é responsável por um setor estratégico, o de garantia da qualidade dos produtos.




Responsável pela CQL da Sociedade Moçambicana de Medicamentos - Frederica Timbe Saranga: É através do nosso trabalho que nós garantimos que o que vai ao consumidor final tem a qualidade desejada.




Repórter João Pedro Neto: Além do apoio na infraestrutura, garantia de qualidade e capacitação, a ideia é garantir a sustentabilidade financeira do projeto, como afirma Alicia de Oliveira, da Fundação Oswaldo Cruz, que coordena o projeto.




Coordenadora do projeto, Fundação Oswaldo Cruz - Alicia de Oliveira: O objeto da cooperação, com a intenção de produzir medicamentos antirretrovirais, dada a experiência exitosa do Brasil, esse modelo, ele se altera para que essa fábrica possa então produzir antirretrovirais e vários outros medicamentos. O nosso maior desafio é garantir a sustentabilidade financeira desta fábrica.




Repórter João Pedro Neto: O investimento brasileiro na fábrica foi de cerca de R$ 50 milhões. A expectativa é que quando estiver totalmente operacional a unidade tenha a capacidade de produzir 1 bilhão comprimidos por ano. Reportagem, João Pedro Neto.




Gabriela: Governadores se reuniram hoje pela primeira vez em Brasília com o presidente eleito Jair Bolsonaro.

 

Nasi: E Bolsonaro prometeu que as reivindicações dos governadores vão ser analisadas pela equipe do novo governo.




Gabriela: Também houve um compromisso com o novo pacto federativo, que é a definição de quais são as áreas de responsabilidade dos estados e da União.




Repórter Gabriela Noronha: Os governadores eleitos e reeleitos expuseram no encontro com o presidente Jair Bolsonaro o que consideram as questões prioritárias dos estados, eles falaram sobre temas como segurança, reforma da previdência, fiscalização de fronteiras, dívidas da União com os estados e o reajuste na tabela do SUS, o Sistema Único de Saúde. O governador eleito de São Paulo, João Doria, disse que alguns consensos foram alcançados.




Governador eleito de São Paulo - João Doria: Não foi um encontro de detalhamento, mas houve o comprometimento que essa implementação do pacto é prioridade do governo federal, o que atende a necessidade, não apenas dos estados, portanto, dos munícipes, porque a capilarização disso vai para os prefeitos, que são os ordenadores das políticas públicas, sobretudo, saúde, educação, habitação, compartilhadamente, sempre com governo, transporte, e segurança pública, que isso possa ser feito no menor tempo possível. O futuro ministro Paulo Guedes pediu o apoio de governadores para as reformas, começando com a reforma da previdência, nós dissemos: o apoio é integral.




Repórter Gabriela Noronha: Um dos objetivos da reunião foi encontrar soluções para os estados endividados, 14 estados descumpriram ano passado uma cláusula da Lei de Responsabilidade Fiscal, segundo o relatório do Tesouro Nacional, eles gastaram com servidores ativos e inativos, aposentados e pensionistas mais de 60% do que arrecadaram. Estados endividados não podem, por exemplo, emitir títulos públicos para renegociar a dívida com o governo federal, também não podem fazer financiamentos e ter o governo federal como fiador dos empréstimos. Jair Bolsonaro disse que a União e os estados têm dificuldades financeiras e para ele o momento é de união, independentemente de afinidades partidárias.




Presidente eleito Jair Bolsonaro: Todos nós sabemos do tamanho da responsabilidade que está nas costas de cada um de nós. Muitos dos senhores já vão enfrentar, ministros, o início do mandato com problemas, assim como o Brasil também começa o ano com problemas, mas nós temos que administrá-los e, mais do que tudo, buscar soluções [ininteligível] em cada de um de nós, independentemente de partido.

 

Repórter Gabriela Noronha: Ao todo, participaram do evento governadores de 19 estados e do Distrito Federal, também estiveram presentes no fórum Paulo Guedes, confirmado para o Ministério da Economia, e Onyx Lorenzoni, futuro ministro da Casa Civil. O governador reeleito do Piauí, Wellington Dias, levou uma carta em nome dos governadores do Nordeste, o documento entregue ao presidente eleito Jair Bolsonaro pede cooperação de União para reduzir os índices de homicídios na região. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Nasi: E o presidente eleito Jair Bolsonaro também disse aos governadores que a equipe dele está elaborando propostas de reformas econômicas para enviar ao Congresso.




Gabriela: Segundo ele, algumas medidas são amargas, mas necessárias, para evitar uma situação de endividamento do país.




Nasi: Bolsonaro disse que tem solicitado aos presidentes do Senado, Eunício Oliveira, e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a aprovação ainda este ano de determinadas matérias nas áreas de economia e segurança.




Gabriela: Antes da reunião com os governadores, o presidente eleito Jair Bolsonaro se reuniu com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.




Nasi: E Jair Bolsonaro anunciou o nome de mais um ministro que vai integrar o governo que assume em janeiro.




Gabriela: O diplomata Ernesto Araújo será o novo ministro das Relações Exteriores.




Nasi: O presidente eleito falou sobre as missões do novo ministro.




Presidente eleito Jair Bolsonaro: Motivar o MRE, incrementar a questão de negócios com o mundo todo, sem o viés ideológico, não tem essa de um lado ou de outro, ter iniciativa e queremos o MRE brilhando.

Gabriela: Ernesto Araújo explicou quais devem ser as prioridades dele no comando da pasta.

 

Futuro ministro das Relações Exteriores - Ernesto Araújo: Uma política efetiva, uma política em função do interesse nacional, uma política de um Brasil atuante, de um Brasil feliz, de um Brasil próspero, incrementar as parcerias, em benefício de todos, do povo brasileiro, sobretudo.




Nasi: Divulgado hoje o gabarito oficial do Enem.




Gabriela: Os cadernos de questões aplicados nos últimos dias 4 e 11 também estão disponíveis para serem baixados.




Nasi: Os resultados individuais do Enem serão divulgados no dia 18 de janeiro.




Gabriela: O gabarito e os cadernos estão na página no Enem na internet, em enem.inep.gov.br.




Nasi: Quem fez o Encceja, o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos referente ao Ensino Médio, já pode conferir o resultado.




Gabriela: O exame permite que jovens e adultos que não concluíram os estudos possam realizar a prova para ter o certificado do Ensino Médio.




Nasi: Os candidatos podem conferir o resultado na página do participante na internet em: enccejanacional.inep.gov.br.




Gabriela: E o prazo para renovação semestral dos contratos do Fies foi prorrogado para 23 de novembro.




Nasi: Os estudantes devem acessar a página sisfiesportalmec.gov.br e informar o CPF e a senha para efetuar o processo.




Gabriela: Caso haja alterações no contrato, como a troca de fiador, é necessário comparecer a uma agência da Caixa com o novo fiador e apresentar os novos documentos comprobatórios.




Nasi: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.




Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.




Gabriela: Fique agora com o Minuto do TCU, e em seguida, as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional.




Nasi: Lembrando que amanhã é feriado e não tem Voz do Brasil, a gente volta na sexta-feira, uma boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite, um bom feriado para você e até sexta.




"Brasil, ordem e progresso".