16/03/17 - A Voz do Brasil

Brasil volta a gerar empregos depois de quase dois anos de queda! Em fevereiro foram criados 35 mil novos postos de trabalho! Presidente Michel Temer comemora a retomada do emprego. E governo também comemora leilão de quatro aeroportos do país. Isso significa mais arrecadação para os cofres públicos e novos investimentos nos terminais. E você ainda vai ouvir hoje na Voz do Brasil: Dezesseis milhões de brasileiros tem energia em casa pelo programa Luz para Todos.

audio/mpeg 16 03 17.mp3 — 23460 KB




Transcrição


Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Airton: Olá. Boa noite.

 

Apresentadora Gláucia Gomes: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Airton: Quinta-feira, 16 de março de 2017.

 

Gláucia: E vamos ao destaque do dia: Brasil volta o gerar empregos depois de quase dois anos de queda.

 

Airton: Em fevereiro foram criados 35 mil novos postos de trabalho.

 

Gláucia: Presidente Michel Temer comemora a retomada do emprego.

 

Presidente da República - Michel Temer: E é claro que nós temos ainda muitos milhões de brasileiros que dependem de emprego, mas é preciso começar.

 

Airton: E o governo também comemora leilão de quatro aeroportos do país.

 

Gláucia: Isso significa mais arrecadação para os cofres públicos e novos investimentos nos terminais. José Luiz Filho.

 

Repórter José Luiz Filho: Com a concessão à iniciativa privada estima-se que os aeroportos de Fortaleza, Salvador, Florianópolis e Porto Alegre recebam investimentos de mais de R$6 bilhões e R$600 milhões.

 

Airton: E você ainda vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gláucia: Dezesseis milhões de brasileiros têm energia em casa pelo Programa Luz Para Todos. Natália Coslique.

 

Repórter Natália Coslique: E os recursos para o programa estão garantidos até o final de 2018, principalmente para atender as regiões Norte e Nordeste.

 

Airton: A Voz do Brasil de hoje na apresentação de Glaucia Gomes e Airton Medeiros.

 

Gláucia: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Airton: O Brasil voltou a gerar empregos.

 

Gláucia: É, as medidas econômicas que o governo vem tomando estão fazendo com que os empresários estejam mais confiantes e seguros para fazerem investimentos.

 

Airton: Um reflexo disso é que depois de 22 meses o país teve mais contratações que demissões de trabalhadores.

 

Repórter Luana Karen: Depois de quase dois anos de queda, o Brasil voltou a ter em fevereiro mais vagas abertas do que postos de trabalho fechados. O saldo positivo foi de 35.612 empregos. O Presidente Michel Temer comemorou os números afirmando que eles mostram a retomada dos empregos.

 

Presidente da República - Michel Temer: Nós temos pelo menos um bom número de brasileiros que se sentem mais ativamente participantes da cidadania. É claro que nós temos ainda muitos milhões de brasileiros que dependem de emprego, mas é preciso começar.

 

Repórter Luana Karen: Dos oito setores da atividade econômica medidos, cinco tiveram resultados positivos. Os destaques ficaram por conta da recuperação do setor de serviços e da indústria de transformação, que inclui a indústria têxtil, de motores e metalúrgica. De acordo com o coordenador-geral de estatística do trabalho do Ministério do Trabalho, Mário Magalhães, o maior número de empregos revela que os empresários estão prevendo vender mais.

 

Coordenador-geral de estatística do trabalho do Ministério do Trabalho, Mário Magalhães: Nesses resultados positivos nós temos o subsetor de vestuário, o subsetor de indústria têxtil, que são bens de salário. Se os empresários da indústria destes setores de bens de salário estão contratando para produzir mais, estes empresários estão acreditando que o poder de compra dos trabalhadores, da classe trabalhadora deve aumentar. Outros subsetores da indústria também chamam a atenção, que é a indústria mecânica e a indústria metalúrgica. Isso denota normalmente uma retomada do investimento, e isso também é um bom sinal.

 

Repórter Luana Karen: Para o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, o resultado é efeito de medidas de ajuste tomadas pelo governo e a tendência de melhora deve ser mantida nos próximos meses.

 

Ministro do Trabalho - Ronaldo Nogueira: As medidas do governo estão no caminho certo, serão aprimoradas e esses 13 milhões de brasileiros que hoje não têm um endereço para trabalhar, mês a mês, portas e portas de emprego serão abertas.

 

Repórter Luana Karen: O Presidente Michel Temer fez um balanço dos impactos das ações do governo na área econômica, com a adoção de medidas de ajuste nas contas, que resultaram na queda da inflação, da taxa de juros, a melhora na avaliação do Risco Brasil e a volta de investimentos estrangeiros. E destacou a retomada da credibilidade e da confiança no país.

 

Presidente da República - Michel Temer: São fatos, portanto, que eu estou mencionando para revelar o otimismo que deve guiar os nossos passos, deve guiar os passos do governo, deve guiar os passos da economia brasileira, porque, mais do que nunca, eu verifico grande interesse de investidores estrangeiros no nosso país. Por isso que eu insisto, nós temos insistindo, não é, nas reformas fundamentais para o país, muitas delas, como sabem, já aprovadas até o presente momento, outras que estão em tramitação.

 

Repórter Luana Karen: Em fevereiro foram mais de 1 milhão e 250 mil contratações, contra 1 milhão 215 mil demissões. Ao todo o país tem mais de 38 milhões 315 mil trabalhadores com carteira assinada. Reportagem, Luana Karen.

 

Airton: A indústria que transforma matéria-prima em um produto final, que é a indústria da transformação, foi um dos setores que também registrou aumento no número de contratações.

 

Gláucia: E quando a indústria cresce, significa que os empresários estão confiantes na retomada do poder de consumo da classe trabalhadora.

 

Repórter Warbe Kalil: A indústria de transformação está no segundo mês consecutivo de aumento de contratações, em janeiro o setor já havia registrado saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada. Nós conversamos com uma empresa de São Paulo que produz e vende alimentos naturais como granola e barras de cereal e é um exemplo desta tendência de aumento no número de empregados. O proprietário Alexandre Borges conta que a empresa cresce à taxa de 30%, e, por isso, está aumentando o quadro de funcionários.

 

Proprietário - Alexandre Borges: Como a gente está tendo a taxa de superiores a 30%, a gente vem demandando bastante mão de obra tanto para a área da parte fabril, mas também na parte administrativa.

 

Repórter Warbe Kalil: Um cenário animador, é por isso que Flávio Castelo Branco, gerente de política econômica da CNI, Confederação Nacional da Indústria, destaca que o momento é propício para que o trabalhador invista em capacitação.

 

Gerente de política econômica da CNI - Flávio Castelo Branco: No meu momento que o mercado está mais retraído, a competição por uma vaga é muito grande. Então, aquele que demonstra maior capacitação, melhor desempenho, ele terminará se sobressaindo e sendo contratado.

 

Repórter Warbe Kalil: Em fevereiro os destaques da indústria de transformação foram o setor de calçados, que gerou mais de 8 mil vagas, e a indústria têxtil e vestuário, que teve saldo positivo de mais de 6 mil contratações. Reportagem, Warbe Kalil.

 

Airton: Mais quatro aeroportos do Brasil foram concedidos à iniciativa privada hoje.

 

Gláucia: Três grupos europeus arremataram o leilão dos aeroportos de Fortaleza, Salvador, Florianópolis e Porto Alegre.

 

Airton: É, o objetivo é aumentar os investimentos nesses terminais ampliando a capacidade deles e melhorando os serviços para a população.

 

"Declaro encerrado o leilão".

 

Repórter José Luiz Filho: Um sucesso estrondoso, assim o ministro dos Transportes Portos e Aviação Civil, Maurício Quintela Lessa definiu o leilão de quatro aeroportos realizado na Bolsa de Valores de São Paulo, nesta quinta-feira.

 

Ministro dos Transportes Portos e Aviação Civil - Maurício Quintela Lessa: Foi um sucesso, como já esperávamos, pelo trabalho que foi realizado, um sucesso estrondoso, né? E que coloca de novo o Brasil na rota dos investimentos nacionais e internacionais.

 

Repórter José Luiz Filho: Com a concessão à iniciativa privada estima-se que os aeroportos de Fortaleza, Salvador, Florianópolis e Porto Alegre recebam investimentos de mais de R$6 bilhões e R$600 milhões em ampliação e construção de terminais, pátios de aeronaves e pistas de pouso e de colagem. A ideia é elevar o padrão de qualidade, tendo como exemplos os avanços encontrados hoje em terminais como o de Brasília. Concedido em 2012, o terminal recebeu várias melhorias na infraestrutura e serviços, como estacionamento, áreas de convívio e alimentação e é considerado o terceiro melhor do país. Quem chega ou de cola por lá explica por que.

 

Entrevistada: A organização, o atendimento mesmo.

 

Entrevistado: Principalmente acessibilidade e também a praça da alimentação melhorou bastante.

 

Entrevistada: Principalmente lá em cima, na praça da alimentação, eu vi que está cheio de restaurante novo, cheio de lojas.

 

Repórter José Luiz Filho: Três grupos estrangeiros levaram as concessões dos quatro aeroportos. O alemão Fraport, o francês Vinci, e o suíço Zurich Airport. Na assinatura do contrato deste leilão o governo já vai arrecadar quase R$1 bilhão R$460 milhões de reais, 93% a mais que o valor mínimo estipulado. O prazo de concessão é de 30 anos e ao fim deste período o governo deve arrecadar um total de R$3 bilhões R$720 milhões. Para o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Moreira Franco, o sucesso do leilão também é resultado das mudanças feitas pelo atual governo no ambiente regulatório.

 

Ministro da Secretaria Geral da Presidência da República - Moreira Franco: Os quatro aeroportos foram todos eles disputados, uma disputa muito grande entre os principais operadores, os mais importantes operadores aeroportuários do mundo, o que vai contribuir de maneira muito, muito forte para melhorar a prestação de serviços para o povo brasileiro.

 

Repórter José Luiz Filho: Atualmente seis aeroportos já funcionam sobre gestão privada, além de Brasília, os terminais de Guarulhos e Viracopos, em São Paulo, Galeão no Rio de Janeiro, Confins, em Belo Horizonte, e São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte. Reportagem, José Luiz Filho.

 

Gláucia: A gente viu aí que as empresas europeias é que vão investir nos nossos aeroportos.

 

Airton: E a ideia é atrair novos investimentos de empresas de todo de todo o mundo. Hoje o Presidente Michel Temer se encontrou com o ministro dos Negócios Estrangeiros dos Emirados Árabes Unidos.

 

Gláucia: Temer comentou o entusiasmo do ministro em fazer negócios por aqui. Mais um resultado da confiança do empresariado que começa a crescer.

 

Airton: Um primeiro passo para essa parceria já foi dado hoje com a assinatura de dois acordos de cooperação.

 

Repórter Nei Pereira: Os Emirados Árabes Unidos são uma federação de sete Emirados com pouco mais de nove milhões de habitantes. O país tem a sexta maior reserva de petróleo do mundo e possui uma das mais desenvolvidas economias do Oriente Médio, além de ser um polo turístico. E agora vai ficar mais fácil para os brasileiros visitarem o país, foi assinado nesta quinta-feira um acordo para isenção de visto entre cidadãos das duas nações. Também foi firmado um atendimento para trazer mais segurança jurídica para as empresas aéreas voarem entre os dois países. O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, disse que há ainda outras oportunidades de parcerias entre Emirados Árabes e Brasil.

 

Ministro das Relações Exteriores - Aloysio Nunes Ferreira: Nossos países têm um enorme potencial para estreitar a cooperação e criar oportunidades para fazer avançar o desenvolvimento dos nossos países. E nós estamos nos esforçando para aprimorar o quadro jurídico bilateral de modo a facilitar e a garantir esse fundo de investimentos.

 

Repórter Nei Pereira: Antes da assinatura dos acordos o ministro dos negócios estrangeiros e cooperação internacional dos Emirados Árabes Unidos, xeique Abdullah Bin Zayed Sultan Al Nahyan e o ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes Ferreira, participaram de uma reunião de trabalho em que discutiram temas como comércio, investimento e defesa. O xeique afirmou que a relação entre dois países estão se desenvolvendo e se fortalecendo a cada ano e que é preciso aproveitar as oportunidades de cooperação. Junto com a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos são os maiores compradores de produtos do Brasil na região do Oriente Médio. Entre 2000 e 2016 o intercâmbio comercial entre Brasil e Emirados Árabes Unidos registrou crescimento de quase 800% e superou no ano passado os US$2,5 bilhões. Mais de 30 empresas brasileiras têm escritório das Emirados Árabes Unidos. Reportagem, Nei Pereira.

 

Gláucia: 19h13 em Brasília.

 

Airton: Dezesseis milhões de brasileiros têm hoje energia em casa pelo Programa Luz Para Todos.

 

Gláucia: E daqui a pouco vamos falar dos novos investimentos que estão por vir, especialmente nas regiões Norte e Nordeste.

 

"Momento Social".

 

Airton: Toda vez que acontece uma mudança nas informações declaradas no Cadastro Único o beneficiário de programas sociais do governo deve fazer a atualização para evitar problemas.

 

Gláucia: A Viviane Andrade, que recebe o Bolsa Família, recentemente mudou de estado. Ela quer saber o que deve fazer para não ter o pagamento do benefício suspenso.

 

Airton: O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, responde.

 

Entrevistada - Vivian Andrade: Olá ministro, sou Viviane, moro em na Paraíba, e gostaria de saber como eu faço para fazer a transferência do meu benefício para cá, para onde eu estou morando.

 

Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário - Osmar Terra: Viviane os teus dados devem ser atualizados a cada dois anos, né? Para saber em que situação tu estás, onde é que tu estás, mas também são atualizados sempre que houver uma mudança, como endereço, renda, escola das crianças, que a gente precisa monitorar, acompanhar, entrada e saída de pessoas da família. A atualização pode ser feita no setor do Bolsa Família do município ou na Cras do município, no Centro de Referência de Assistência Social. E a pessoa deve levar CPF, o Título de Eleitor e também documentos das outras pessoas da família. É importante manter teu cadastro, Viviane, bem atualizado para continuar recebendo o benefício. Caso a pessoa não atualize o cadastro, ela pode ter o benefício bloqueado, portanto, mantenha o cadastro atualizado, mesmo que tu tenhas mudado de cidade.

 

Gláucia: E você também tem alguma pergunta sobre ações e programas sociais do governo? Manda para a gente.

 

Airton: Pode ser por e-mail endereço: voz@ebc.com.br. Tem também o nosso Facebook: facebook.com/bolsafamilia.

 

Gláucia: A sua pergunta vai ser respondida aqui na Voz do Brasil sempre na quinta-feira, participe.

 

Airton: É um produto que não funciona, cobranças indevidas, serviços mal prestados.

 

Gláucia: São milhares de queixas que os consumidores levam aos Procons de todo o país.

 

Airton: E na Semana do Consumidor o Ministério da Justiça lembra que mais uma ferramenta que pode ajudar a resolver os problemas nas relações do consumidor, é o portalconsumidor.gov

 

Gláucia: No portal, cerca de 80% dos casos foram resolvidos no ano passado.

 

Repórter Taíssa Dias: A dona de casa Luciana de Oliveira reservou para o aniversário da filha uma casa de festas com jogos eletrônicos em Brasília, mas no dia da comemoração as coisas não saíram como planejado.

 

Dona de casa - Luciana de Oliveira: Durante a festa faltou energia e a festinha não conseguiu ser realizada até o final.

 

Repórter Taíssa Dias: Luciana está entre os consumidores que procuram os Procons para prestar queixas sobre problemas com produtos e serviços em busca de reparação. No ano passado as 733 unidades de atendimento dos Procons em todo o país realizaram quase 2,5 milhões de atendimento entre reclamações e consultas. Para Luciana, é uma forma de garantir o cumprimento de direitos.

 

Dona de casa - Luciana de Oliveira: Eu, como mãe, né, me senti um pouco lesada.

 

Repórter Taíssa Dias: Mas o consumidor tem outra forma de exigir seus direitos sem sair de casa, o portalconsumidor.gov, do Ministério da Justiça, tem recebido cada vez mais acessos. A plataforma conta com 372 empresas cadastradas e registrou mais de 580 mil queixas desde 2014. No ano passado o índice de resolução dos problemas foi de 80% e o tempo médio de resposta de seis dias, um resultado positivo, segundo o diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça, André Lopes.

 

Diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça - André Lopes: Oitenta por cento de resolutividade em sete dias, seis dias, é uma média excelente. O que a gente tem feito para ampliar isso? Nós temos buscado parcerias, por exemplo, com o Poder Judiciário, onde o próprio Tribunal atua no sentido de orientar a população de que há uma ferramenta que pode ser que ele não precise de um processo judicial.

 

Repórter Taíssa Dias: Entre os assuntos mais reclamados em 2016 estão os cartões de crédito e as TVs por assinatura, mas o setor campeão de queixas é o mesmo dos anos anteriores, a telefonia móvel e fixa. E, por isso, o diretor André Lopes explica que o Ministério da Justiça trabalha junto à Anatel para melhorar os serviços de telecomunicações e prevenir os problemas.

 

Diretor doo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça - André Lopes: Estamos começando a discutir planos de qualidade para o setor, como é que a gente pode levar conta a voz do consumidor, aquilo que na visão do consumidor o está impactando negativamente.

 

Repórter Taíssa Dias: O endereço do portal do Ministério da Justiça para registro das reclamações sobre produtos ou serviços é o: www.consumidor.gov.br. Reportagem Taíssa Dias.

 

Airton: A partir de hoje o Rio de Janeiro começa a receber mais de 1 milhão de doses da vacina contra a febre amarela.

 

Gláucia: Ontem a Secretaria de Saúde do estado confirmou dois casos da doença.

 

Airton: A partir desse resultado, novas medidas estão sendo adotadas, além da vacinação, que já havia sido anunciada para todo o território fluminense.

 

Repórter Natália Melo: As doses foram autorizadas pelo Ministério da Saúde e serão distribuídas aos municípios pela Secretaria Estadual de Saúde. Após a confirmação de dois casos de febre amarela silvestre com transmissão dentro do estado do Rio de Janeiro, com uma morte na área rural de Casimiro de Abreu, o governo resolveu antecipar a vacinação para 25 municípios estratégicos nas regiões Norte e Noroeste, Serrana, dos Lagos e no entorno da reserva do Poço das Antas. A prioridade agora é imunizar a população que mora ou trabalha em áreas de mata e zonas rurais. Os demais municípios serão imunizados de forma gradativa até o fim deste ano. Do Rio de Janeiro, Natália Melo para a Voz do Brasil.

 

Gláucia: Viver sem energia elétrica parece impossível para muita gente.

 

Airton: Mas, no Brasil, que tem dimensões continentais, a energia ainda precisa chegar à casa de muitos brasileiros.

Gláucia: E ela está chegando com o Programa Luz Para Todos, que já beneficiou 3 milhões de famílias, são mais de 16 milhões de brasileiros.

 

Repórter Natália Coslique: Dona Lucila sempre morou na mesma região, no município de Boqueirão, em Campo Grande, e só quando completou 60 anos pôde comemorar a chegada da energia elétrica.

 

Entrevistada - Lucila: Foi outra vida, outra benção, né? A gente fica muito contente.

 

Repórter Natália Coslique: A energia chegou ao sítio de dona Lucila pelo Programa Luz Para Todos, que desde 2003 já levou energia elétrica para mais de 16 milhões de brasileiros. Uma pesquisa do Ministério de Minas e Energia, revela que 93% deles relataram melhorias da qualidade de vida. O coordenador nacional do Luz Para Todos, Aurélio Pavão, diz que os ganhos são muitos.

 

Coordenador nacional do Luz Para Todos - Aurélio Pavão: Começando com os serviços básicos, né, poder ter uma geladeira, ter acesso à informação, para coletividade acesso à educação em regime noturno, atendimento a postos de saúde, bombeamento d'água.

 

Repórter Natália Coslique: O programa também ajuda a manter as famílias no campo, e, mais, fez com que 1 milhão de pessoas retornassem para o meio rural e cerca de 80% das famílias atendidas pelo programa puderam comprar pela primeira vez geladeira e televisão. Inclusive, a família de dona Lucila, que agora fica ligada nos acontecimentos.

 

Entrevistada - Lucila: Ah, agora a gente sabe o que está acontecendo no mundo, né? Então, para nós foi muito bom, uma benção.

 

Repórter Natália Coslique: O Luz Para Todos já investiu R$24 bilhões, sendo R$17 bilhões do Governo Federal. O programa já universalizou o acesso à energia elétrica nas regiões Sul, Sudeste e parte do Centro-Oeste e continua até o final de 2018 nos locais que ainda precisam e o cidadão que quiser solicitar o programa no seu município deve fazer o pedido junto à distribuidora local gratuitamente. Reportagem, Natália Coslique.

 

Gláucia: 19h22 em Brasília.

 

Airton: Você, cidadão, vai poder acompanhar o andamento dos contratos do BNDES. O banco finança inúmeros projetos de empresas brasileiras aqui e no exterior.

 

Gláucia: A ideia é facilitar o controle por parte da população sobre os investimentos do banco.

 

Repórter Gabriela Noronha: O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, BNDES, é um dos maiores do mundo e hoje é a principal instituição do Governo Federal para financiar empreendimentos no Brasil. Infraestrutura, agropecuária, cultura, indústria, comércio, o BNDES está presente em todas as atividades econômicas do país e o banco tem buscado melhorar os mecanismos de transparência. Para isso, foi assinado nesta quinta-feira um acordo com o Ministério da Transparência Fiscalização e Controladoria Geral da União, o objetivo, segundo o diretor da área de controladoria do BNDES, Ricardo Baldin, é ampliar o acesso da população a informações sobre as contratos e investimentos feitos pelo banco.

 

Diretor da área de controladoria do BNDES - Ricardo Baldin: Estaremos muito mais perto no sentido de troca de informações, de troca de experiências naquilo que se refere às práticas de transparências.

 

Repórter Gabriela Noronha: De acordo com o secretário executivo da CGU, Wagner Rosário, a transparência é demanda crescente da sociedade.

 

Secretário executivo da CGU - Wagner Rosário: Os cidadãos vão poder saber para quem esses recursos estão sendo destinados e aumentar o controle social e a transparência do nosso país, e, consequentemente, diminuir a corrupção e qualquer uso indevido de recursos do nosso país.

 

Repórter Gabriela Noronha: No portal www.bndes.gov.br também é possível consultar mais de 1 milhão de contratos do financiamento do banco firmados com mais de 300 mil clientes nas duas últimas décadas. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Airton: Fortes tempestades atingiram nesta semana o município de São Francisco do Paula, no Rio Grande do Sul.

 

Gláucia: E hoje o ministro da Integração Nacional, Elder Barbalho, sobrevoou as áreas afetas pelas chuvas e conversou com representantes do governo local para definir apoio do Governo Federal na reconstrução da cidade.

 

Airton: O reconhecimento da situação de emergência do município foi publicado hoje no Diário Oficial da União para agilizar o atendimento à população.

Gláucia: O Ministério já colocou à disposição das famílias afetadas kits de assistência humanitária contendo produtos de higiene, limpeza e dormitório.

 

Airton: Essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gláucia: Uma realização da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Airton: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gláucia: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite para você.

 

Airton: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".