16 de novembro de 2018 - Poder Executivo

Destaques da Voz do Brasil: Identificar todos os presos por meio das digitais. A ideia é facilitar o controle dos processos e de todo o sistema prisional. Isso vai ser possível com acordo firmado hoje entre governo e judiciário. Edital para seleção de novos profissionais do Mais Médicos será divulgado na semana que vem. Aulas pela TV, em tempo real, com interação de alunos de todo o país. É assim que funciona o Centro Nacional de Mídias da Educação, que vai ser ampliado no ano que vem. Vamos dar os detalhes da Cúpula Ibero Americana que ocorre na Guatemala. Presidente Michel Temer participa e defende compromisso do Brasil com a sustentabilidade.

audio/mpeg 16-11-18-VOZ DO BRASIL.mp3 — 46839 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Alessandra Bastos: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Alessandra: Sexta-feira, 16 de novembro de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Alessandra: Identificar todos os presos por meio das digitais.

 

Nasi: A ideia é facilitar o controle dos processos de todo o sistema prisional.

 

Alessandra: Isso vai ser possível com o acordo firmado, hoje, entre governo e o Judiciário. Danielle Popov.

 

Repórter Danielle Popov: Com o novo sistema, presos que já cumpriram pena, vão sair no tempo certo, o que vai diminuir a atuação do crime organizado.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Alessandra: Edital para seleção de novos profissionais do Mais Médicos será divulgado na semana que vem. Raquel Mariano.

 

Repórter Raquel Mariano: Os médicos brasileiros que serão contratados vão garantir o atendimento nas regiões onde os profissionais cubanos atuam.

 

Nasi: Aulas pela TV em tempo real, com a interação de alunos de todo país.

 

Alessandra: É assim que funciona o Centro Nacional de Mídias da Educação, que vai ser ampliado no ano que vem. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: A meta é atender a mais 350 escolas públicas, totalizando 500 unidades e cerca de 45 mil estudantes em 2019.

 

Nasi: Vamos dar os detalhes da Cúpula Ibero-Americana, que ocorre na Guatemala.

 

Alessandra: Presidente Michel Temer participa e defende compromisso do Brasil com sustentabilidade.

 

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Alessandra Bastos e Nasi Brum.

 

Alessandra: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Nasi: Um cadastro unificado que vai garantir mais segurança a toda população com o cadastro nacional de todos os presos do país.

 

Alessandra: O novo sistema vai ajudar polícia, Judiciário e Ministério Público a diminuir o poder das facções criminosas e a manter na cadeia só quem ainda não cumpriu toda a pena.

 

Repórter Danielle Popov: O acordo assinado entre o Conselho Nacional de Justiça e o Ministério da Segurança Pública vai permitir que os sistemas de execução penal de todo o país sejam unificados e, com isso, se tenha um controle maior de todo o sistema prisional. Também será feita a identificação de todos os presos por meio de biometria. O convênio assinado prevê o repasse de R$ 35 milhões para a criação desse sistema, como explicou o presidente do CNJ, ministro Dias Toffoli.

 

Presidente do CNJ - Dias Toffoli: Esse sistema eletrônico de identificação, será precioso para que nós possamos ter a identidade de todos os presos, também com a biometria, que é um outro termo que assinamos, e, também, teremos aí o controle dos alertas para que haja os benefícios sendo analisados a tempo e a prazo, de tal forma que as insatisfações dentro dos presídios vão diminuir muito.

 

Repórter Danielle Popov: Em cerimônia realizada para a assinatura do acordo, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, destacou que a digitalização de todos os processos penais é a maior arma contra o crime organizado. Segundo o ministro, as facções atuam dentro do sistema prisional e, com o novo sistema, presos que já cumpriram pena vão sair no tempo certo, o que vai diminuir a atuação do crime organizado. A digitalização e unificação de todas as bases de dados sobre o sistema prisional vão permitir que todos os corregedores em todo o país tenham informação em tempo real de todos os processos. O que pode fazer, por exemplo, que não seja liberado um detento que ainda tenha uma condenação num outro estado. O ministro falou que, em até oito meses, o sistema deverá estar em funcionamento.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: A base de dados estará devidamente digitalizada entre seis a oito meses do início desse processo, porque são mais de 2 milhões de processos e, grande parte deles, continua no papel. Então, vocês imaginem o salto que vai representar, em termos de precisão, de segurança, o fato de qualquer lugar do país, em tempo real, será possível obter a ficha completa, independentemente aonde tenha corrido o delito, em qualquer um dos estados, de um determinado apenado.

 

Repórter Danielle Popov: De acordo com Raul Jungmann, há hoje, no Brasil, cerca de 720 mil pessoas cumprindo pena, a terceira maior população carcerária do mundo. Há ainda mais de 560 mil condenações em aberto, ou seja, que não foram cumpridas. Reportagem, Danielle Popov.

 

Nasi: Nesta semana o Ministério da Saúde recebeu comunicado da Organização Pan-americana de Saúde, Opas, de que o governo de Cuba encerrou parceria no programa Mais Médicos.

 

Alessandra: Mais de 8 mil profissionais de Cuba atuam aqui no Brasil pelo programa por meio de um convênio entre a Opas e o governo cubano.

 

Nasi: O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, disse hoje que um novo edital para contratação de novos médicos já deve sair na semana que vem.

 

Repórter Raquel Mariano: O Ministério da Saúde se reuniu, durante todo o dia, com representantes da Organização Pan-americana de Saúde, a Opas, para definir como será a logística da saída dos médicos cubanos, como a data e o processo jurídico. Mesmo assim, o governo quer adiantar o processo de seleção para contratar novos médicos e garantir a continuidade do atendimento em locais onde os profissionais cubanos atuam. Segundo o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, o edital para contratação de médicos brasileiros já será publicado no início da próxima semana.

 

Ministro da Saúde - Gilberto Occhi: Nós vamos lançar o edital na semana que vem, segunda ou terça-feira, estamos fechando isso. E a nossa intenção é que, à medida que forem surgindo as vagas, os médicos brasileiros, com CRM brasileiro, já possam fazer a opção. No segundo momento, depois de um determinado período, nós vamos abrir para aqueles médicos formados no exterior, brasileiros formados no exterior. Então, nós acreditamos que existe um universo de cerca aí de 15 mil a 20 mil médicos que estão aptos a participarem do edital. E a nossa ideia é fazer isso imediatamente, ainda agora em novembro, nós já termos médicos que tenham condições, já escolhendo seus lugares para trabalhar.

 

Repórter Raquel Mariano: As reuniões entre a Opas e o Ministério continuam para definir todos os detalhes da saída dos cubanos do programa. Atualmente, das mais de 18 mil vagas do Mais Médicos, 8,3 mil são ocupadas por profissionais de Cuba. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Alessandra: E hoje, o presidente Michel Temer falou sobre a saída de Cuba do programa Mais Médicos.

 

Nasi: Temer afirmou que o país está preparado para suprir a ausência desses profissionais estrangeiros.

 

Presidente Michel Temer: O Gilberto Occhi, ministro da Saúde, imediatamente está tomando providências para abrir vagas para médicos brasileiros. Ou seja, se Cuba realmente cumprir aquilo que alardeou, que divulgou, nós estamos preparados para, imediatamente, colocar, não só fazer concurso, mas já falei com o ministro Gilberto Occhi, com vistas à contratação de médicos para suprir a eventual falta dos médicos cubanos.

 

Alessandra: Pela televisão, professores e alunos do ensino médio têm acesso a uma aula especial.

 

Nasi: De um estúdio, a aula é ministrada por outro professor que interage, ou seja, responde dúvidas de quem assiste de qualquer lugar do país.

 

Alessandra: É assim que funciona o Centro Nacional de Mídias da Educação.

 

Nasi: Cento e cinquenta escolas públicas de ensino médio de 18 estados já participam dessa experiência, que atende 10 mil alunos.

 

Alessandra: A ideia agora é abrir as portas para que mais escolas possam aprimorar e reforçar o ensino em sala de aula.

 

Repórter Luana Karen: O aluno do terceiro ano de ensino médio, Alex Porto, teve uma surpresa.

 

Estudante - Alex Porto: Primeiro foi um choque, né? Eu chego na escola um dia, tem uma TV lá, o que você pensa? O que é que eu estou fazendo aqui? Só que, conforme vai passando o tempo assim, você vai se acostumando, você vai conhecendo coisas novas. O último que eu debati foi das plantas alimentícias não comestíveis. Eu descobri muita coisa, cara, eu descobri que dá para comer cactos. Vê se pode um 'troço' desses!

 

Repórter Luana Karen: Não é que pode, Alex? A descoberta do estudante veio após mais uma aula interativa na Escola Estadual Lúcia Martins Coelho, que fica em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. A instituição participa do Centro Nacional de Mídias da Educação, projeto do Ministério da Educação e parceiros, que conecta 150 escolas públicas de 17 estados e do Distrito Federal. Professores e estudantes do ensino médio participam, por videoconferência, em tempo real, de aulas realizadas a partir de um estúdio, por um professor. O ministro da Educação, Rossieli Soares, explica que não se trata de ensino à distância, já que o projeto é feito com alunos e professores dentro de salas de aula, conectados em rede com outras escolas do país e com a possibilidade de interação entre eles.

 

Ministro da Educação - Rossieli Soares: A riqueza, ela está nessa interatividade, que pode ser por vídeo, pode ser chat, pode ser por vários instrumentos em classe. Então, uma cidade pequena poderá acessar conteúdos que serão feitos, por exemplo, pelo Impa, que é, hoje, uma das maiores instituições de matemática do Brasil e do mundo.

 

Repórter Luana Karen: O Centro Nacional de Mídias da Educação começou a ser implantado em agosto deste ano, e está na primeira fase. Segundo o ministro Rossieli Soares, o projeto deve ser expandido no ano que vem para outras instituições de ensino. A meta é atender a mais 350 escolas públicas, totalizando 500 unidades e cerca de 45 mil estudantes em 2019. O professor de geografia e mediador do projeto, Greisomar Ribeiro da Silva, está empolgado com o uso da tecnologia como aliada da educação.

 

Professor de geografia - Greisomar Ribeiro da Silva: Você pode trabalhar de uma forma diferente que o aluno gosta, ele gosta dessa interação, principalmente na hora que ele vai aparecer para falar com as outras comunidades que faz parte desse projeto, né?

 

Repórter Luana Karen: Cinquenta e três por cento das instituições de ensino conectadas estão no interior e 47% nas capitais. Reportagem, Luana Karen.

 

Nasi: E estudantes que fecharam contrato para o novo Fies no primeiro semestre deste ano devem ficar atentos.

 

Alessandra: No dia 30 de novembro termina o prazo para renovar o contrato.

 

Repórter Cleide Lopes: Cinquenta mil estudantes devem fazer, obrigatoriamente, a renovação do novo Fundo de Financiamento Estudantil. O processo de renovação é voltado apenas para os contratos firmados este ano. O gerente nacional de programas ao trabalhador e serviços sociais da Caixa, Dario de Paula, explica como o estudante deve fazer a renovação.

 

Gerente nacional de programas ao trabalhador e serviços - Dario de Paula: Deve entrar no site, verificar qual é a condição, se nada se alterar, ela faz diretamente na internet, se houver alguma condição que ela precise alterar, ela deve comparecer a sua instituição de ensino, pegar o documento de regularidade da matrícula e comparecer à agência da Caixa munida de seu documento de identificação, para fazer o aditamento não simplificado e alterar os dados que, porventura, ela queira ou necessite.

 

Repórter Cleide Lopes: A estudante Vitória Rocha da Mata, tem 19 anos, e está no primeiro semestre de direito na Universidade Católica de Brasília. Ela sonha em se tornar advogada e diz que isso só foi possível graças ao financiamento estudantil.

 

Estudante - Vitória Rocha da Mata: O Fies, para mim, foi muito importante, porque o curso de direito é um curso muito caro, e foi sempre o curso que eu queria fazer e não ia dar para minha mãe pagar se não fosse o Fies.

 

Repórter Cleide Lopes: Quem perder o prazo da renovação terá o financiamento suspenso. A renovação deve ser feita até o dia 30 de novembro, no endereço www.sifesweb.caixa.gov.br . Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: Já quem contratou o financiamento estudantil até 31 de dezembro de 2017, o prazo para a renovação foi prorrogado para 23 de novembro.

 

Alessandra: De acordo com o Ministério da Educação, o prazo foi estendido para que nenhum estudante com contrato a ser renovado fique excluído.

 

Nasi: Nesse semestre, quase 900 mil contratos devem ser renovados. As informações estão em sisfiesportal.mec.gov.br.

 

Alessandra: E agora vamos à cidade de La Antigua, na Guatemala, onde a repórter Márcia Fernandes está acompanhando a Conferência ibero-americana que reúne 22 países e traz a participação do presidente Michel Temer. Olá, Márcia, boa noite.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Boa noite, Alessandra. Boa noite, Nasi. Boa noite aos ouvintes do Voz do Brasil. O presidente Michel Temer falou na primeira sessão da cúpula ibero-americana, Temer comentou sobre a importância de garantir um desenvolvimento que não provoque prejuízos ao meio ambiente. Este ano, o tema da cúpula é 'Uma Ibero-América próspera, inclusiva e sustentável'. A ideia é discutir formas de alcançar um desenvolvimento com ganhos para a economia, a sociedade e o meio ambiente. Em destaque estão os objetivos [ininteligível], que estabelece um plano de ação para erradicar a pobreza e proteger o planeta. Na sua fala, o presidente destacou que o Brasil tem promovido várias ações pelo desenvolvimento sustentável, como o equilíbrio das contas públicas, os programas de redução de emissão de gases causadores de efeito estufa e a ampliação das áreas de conservação ambiental. Temer também falou sobre a assinatura entre Brasil e Guatemala de dois acordos de cooperação científica e técnica, um dos acordos prevê que o Brasil vai oferecer conhecimento para ajudar a Guatemala no combate ao trabalho infantil, o outro convênio oferece ajuda na implementação de políticas para a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. As duas iniciativas serão coordenadas pela Agência Brasileira de Cooperação. Temer destacou também a importância das iniciativas e lembrou da importância desses temas discutidos no evento.

 

Presidente Michel Temer: Crescer cada vez mais uma integração extraordinária entre os vários países de língua espanhola e de língua portuguesa, aliás, cumprindo até, como disse há pouco, o preceito da nossa Constituição que determina uma política pública que vise a juntar, conectar as nações latino-americanas. Eu vejo que há uma preocupação muito grande com o empoderamento da mulher, a preocupação com os mais vulneráveis, com os mais pobres e eu vejo que todos os países dão a sua contribuição, assim como também em relação ao meio ambiente. Estou também encantado com o crescimento da Guatemala, com a organização guatemalteca. Nós vamos até assinar um acordo agora, logo mais com o presidente Jimmy Morales. Eu acho muito útil para a Guatemala e útil para o Brasil.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Um terceiro acordo prevê apoio técnico para implantação de um programa de certificação da qualidade dos bancos de leite humano, como o país faz com Moçambique, como você ouviu nessa semana aqui na Voz do Brasil. Desde 2008, foram criados 11 bancos de leite na Guatemala com apoio do Brasil. Ao vivo de La Antigua, na Guatemala, Márcia Fernandes.

 

Alessandra: Obrigada, Márcia, pelas informações.

 

Nasi: Ainda nesta edição vamos falar de aposentadoria.

 

Alessandra: É que o cálculo para se aposentar de forma integral vai mudar a partir do ano que vem.

 

Nasi: É, e a gente vai explicar direitinho que matemática é essa e como deve ficar a partir de 1º de janeiro.

 

Alessandra: É daqui a pouquinho, não saia daí.

 

Nasi: Na década de 1990, era comum ouvir esse som para se conectar à internet.

 

Alessandra: Baixar um arquivo poderia demorar horas e assistir a um filme inteiro online era quase um sonho.

 

Nasi: Mas isso mudou para mais de 30 milhões de brasileiros que agora usam internet banda larga para se conectar.

 

Alessandra: Rápida, fácil e para todo mundo ao mesmo tempo.

 

Repórter Pablo Mundim: Os brasileiros estão cada vez mais conectados à internet. Segundo o levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, são 116 milhões de pessoas com acesso à internet. É o caso do servidor público de Brasília Tiago Alves Borges. Com duas crianças em casa, ele conta que uma das primeiras coisas que fez quando chegou no apartamento atual foi contratar um serviço de TV a cabo e internet banda larga. Assim, todo mundo pode se conectar ao mesmo tempo.

 

Servidor público - Tiago Alves Borges: Muitas vezes eu acabo trazendo trabalho para casa e aí é importante ter acesso à informação, e-mail.

 

Repórter Pablo Mundim: Realidade semelhante à de muitos lares brasileiros. De acordo com a Anatel, a Agência Nacional de Telecomunicações, o serviço de banda larga fixa no país chegou a quase 31 milhões de contratos ativos em agosto desse ano. Em 12 meses, o aumento foi de mais de 8%, um reflexo das necessidades da população. De acordo com o gerente da Anatel de Universalização e Ampliação do Acesso, Eduardo Jacomassi.

 

Gerente da Anatel de Universalização e Ampliação do Acesso - Eduardo Jacomassi: Junto com a banda larga vem uma série de serviços complementares, como serviços bancários, serviços de compra, redes sociais, a população cada vez mais vem percebendo que a internet é importante no seu dia a dia, é importante para facilitar, esse aumento da percepção de necessidade faz com que as pessoas demandem mais banda larga.

 

Repórter Pablo Mundim: O número crescente de conexões banda larga coloca o Brasil ao lado dos países desenvolvidos, como explica o diretor de Banda Larga do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Artur Coimbra de Oliveira.

 

Diretor de Banda Larga do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Artur Coimbra de Oliveira: Nós já atingimos cerca de 70% dos domicílios brasileiros que já têm acesso à internet, isso significa que o Brasil já deixou o grupo de países em desenvolvimento, já pode ser comparado ao grupo de países desenvolvidos no mundo, em termos de disseminação do acesso à internet banda larga.

 

Repórter Pablo Mundim: Praticamente todos os estados registraram crescimento do serviço, maiores aumentos no uso de banda larga foram registrados no Maranhão, com mais de 52 mil contratos, seguido da Paraíba e do Pará. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: Jovens de 14 a 24 anos têm a oportunidade de aprender uma profissão e ainda entrar no mercado de trabalho.

 

Alessandra: O Programa Jovem Aprendiz é quem abre as portas.

 

Nasi: De janeiro a agosto deste ano, 313 mil jovens trabalhadores foram contratados em todo o país.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: Dez capitais ocupam os primeiros lugares na lista das cidades que mais contrataram jovens aprendizes no país, são elas: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Goiânia, Brasília, Fortaleza, Porto Alegre, Curitiba, Salvador e Recife. Segundo a diretora substituta do Departamento de Políticas de Empregabilidade do Ministério do Trabalho, Tatiane Padilha da Silva, os números representam o fortalecimento do mercado formal no país.

 

Diretora substituta do Departamento de Políticas de Empregabilidade do Ministério do Trabalho - Tatiane Padilha da Silva: O mercado, ele está crescendo novamente e leva a perspectiva do empregador em contratar os aprendizes, formar a mão de obra iniciante do primeiro emprego.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: O jovem Caio Philip, de Brasília, engrossa os dados na capital do país. Aos 22 anos, ele está no primeiro contrato de trabalho como aprendiz, ele conta que além do aprendizado enxerga no programa oportunidades para o futuro.

 

Jovem Aprendiz - Caio Philip: Primeiramente porque abre outras portas, a gente acaba conhecendo, aprendendo um pouco mais e tendo atitude de empresa grande também que o programa me proporcionou.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: Menores de 16 anos no Brasil só podem trabalhar na condição de aprendizes, e de acordo com a legislação, todas as empresas de médio e grande portes devem manter em seus quadros de funcionários adolescentes e jovens entre 14 e 24 anos nesta modalidade de contratação. Para Tatiane Padilha, do Ministério do Trabalho, além das oportunidades que cria, o programa é uma importante ferramenta contra o trabalho infantil.

 

Diretora substituta do Departamento de Políticas de Empregabilidade - Tatiane Padilha da Silva: A aprendizagem, ela dá oportunidade de emprego para o jovem, para o adolescente, como também incentiva a elevação da sua escolaridade, e, além do mais, dá uma qualificação profissional.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: Desde 2005, quando a lei foi regulamentada, já foram contratados 3 milhões de aprendizes. Reportagem, Luciana Collares de Holanda.

 

Alessandra: Para receber a aposentadoria integral hoje, a soma da idade do trabalhador e dos anos de contribuição fica em 85 para mulheres e 95 para homens.

 

Nasi: E a partir do último dia do ano a fórmula vai mudar, quem não ainda não tiver direito ao benefício tem que se adaptar às novas regras.

 

Alessandra: A repórter Gabriela Noronha explica.

 

Repórter Gabriela Noronha: Aos 58 anos, a mineira Luzmarina Madureira conta que começou a trabalhar muito cedo. Depois de mais de 40 anos de serviço, a engenheira civil buscou ajuda de um advogado e descobriu que poderia se aposentar com benefício integral. Pela regra atual, a soma de idade e do tempo de contribuição deve ser de pelo menos 85 anos para as mulheres e de 95 anos para homens. Luzmarina cumpriu os requisitos e deu entrada no pedido de aposentadoria e agora já faz planos para a nova fase.

 

Engenheira civil - Luzmarina Madureira: Eu posso criar uma vida de mais liberdade para mim, eu acho que isso é um direito do trabalhador e que ele tem que correr atrás disso aí.

 

Repórter Gabriela Noronha: A partir do dia 31 de dezembro deste ano, a fórmula que permitiu a aposentadoria de Luzmarina vai mudar, isso significa que o trabalhador terá que esperar um pouco mais para ter a aposentadoria integral, as somas necessárias de idade e tempo de serviço passarão a 86 pontos para mulheres e 96 para homens, e a cada dois anos, a regra muda até chegar a 90 e 100, a partir de 2026, como explica o secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano.

 

Secretário de Previdência do Ministério da Fazenda - Marcelo Caetano: Quando houve essa lei em 2015 que criou esse fator 85/95, ela previu aumentos gradativos, ou seja, a partir de 2019, uma mulher terá que ter a soma da sua idade com seu tempo de contribuição igual ou maior que 86 e um homem igual ou maior que 96. Esses valores vão subindo aos poucos, devagarzinho ao longo do tempo, dois anos, a cada dois anos sobe um ponto, em 2021, vai subir para 87/97 até que se feche o ciclo, quando esses valores sobem para 90/100.

 

Repórter Gabriela Noronha: Quem já tem tempo de serviço para se aposentar, de 35 anos para homens e 30 homens para as mulheres, mas ainda não atingiu a idade mínima, pode optar por receber a aposentadoria proporcional. O advogado João Paulo Ribeiro explica que nesse caso o valor da aposentadoria é reduzido pelo fator previdenciário.

 

Advogado - João Paulo Ribeiro: Ele usa a expectativa de sobrevida, a idade e o tempo de contribuição, então, quanto menor for a idade, maior será a expectativa de sobrevida e logo maior será a incidência do fator previdenciário.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para requerer o benefício da aposentadoria no Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS, o trabalhador precisa agendar o pedido pela central de teleatendimento 135 ou pela internet, e depois se dirigir até uma agência da Previdência Social. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Alessandra: A equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro indicou dois novos integrantes da equipe econômica.

 

Nasi: O economista Roberto Campos Neto aceitou o convite e terá seu nome indicado à aprovação do Senado Federal para presidir o Banco Central.

 

Alessandra: Em nota, o atual presidente da instituição, Ilan Goldfajn, afirmou que Campos é um profissional experiente e reconhecido, com ampla visão sobre o sistema financeiro e a economia nacional e internacional.

 

Nasi: O Banco Central é o responsável pelo controle da inflação, além de regular e supervisionar todos os bancos do país.

 

Alessandra: Outra indicação do novo governo foi do economista Mansueto Almeida, que vai permanecer no cargo de secretário do Tesouro Nacional que ocupa desde abril deste ano.

 

Nasi: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Alessandra: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Alessandra: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário do Congresso Nacional, uma boa noite para você e um bom fim de semana.

 

Nasi: Boa noite para você e até segunda.

 

"Brasil, Ordem e Progresso".