17 DE JANEIRO DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Ministros estão em Roraima para conhecer de perto o trabalho do governo de acolhimento aos imigrantes venezuelanos. Combate à violência no Ceará. Ministro da Justiça e Segurança Pública se encontra com governador do estado para definir próximas ações. Em entrevista exclusiva à Voz do Brasil, ministro do Turismo fala sobre ações para desenvolver o setor. Marcelo Álvaro Antonio destaca turismo como fundamental para o crescimento do país.

audio/mpeg 17.01.19.mp3 — 46903 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite pra você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quinta-feira, 17 de janeiro de 2019.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Ministros estão em Roraima para conhecer de perto o trabalho do governo de acolhimento aos imigrantes venezuelanos. Márcia Fernandes.

 

Repórter Márcia Fernandes: Aqui em Boa Vista, capital do estado, os ministros visitaram abrigos e conversaram com imigrantes. Daqui a pouco eu volto ao vivo com mais informações.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Combate à violência no Ceará.

 

Gabriela: Ministro da Justiça e Segurança Pública se encontra com governador do estado para definir próximas ações. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: Governador falou também sobre o apoio que o estado está recebendo do governo federal para conter a onda de violência.

 

Nasi: Em entrevista exclusiva à Voz do Brasil, ministro do Turismo fala sobre ações para desenvolver o setor.

 

Gabriela: Marcelo Álvaro Antônio destaca turismo como fundamental para o crescimento do país.

 

Ministro do Turismo - Marcelo Álvaro Antônio: A prioridade que o governo federal tem dado a esta pasta certamente vai ajudar o Brasil a voltar para a rota do desenvolvimento, principalmente nos quesitos de geração de emprego e renda.

 

Nasi: Hoje na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Nasi: Um grupo de ministros e parlamentares chegaram hoje a Roraima para conhecer de perto as ações do governo federal para o acolhimento aos imigrantes venezuelanos.

 

Gabriela: E a repórter Márcia Fernandes está acompanhando a comitiva e tem os detalhes para a gente. Boa noite, Márcia. Conta mais dessa visita para a gente, o que os ministros encontraram aí?

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Boa noite, Gabriela, boa noite, Nasi, boa noite, ouvintes da Voz do Brasil. Eu estive desde o comecinho da manhã acompanhando o trabalho dessa comitiva, nesta viagem a Boa Vista, capital de Roraima. E essa viagem começou às 8h da manhã, com a presença do ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, da Cidadania, Osmar Terra, da Educação, Ricardo Rodriguez, e da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, já estava aqui e também se reuniu ao grupo. Hoje, essa comitiva se reuniu com militares responsáveis pela Operação Acolhida e recebeu as primeiras informações sobre a situação dos venezuelanos. Depois, o grupo seguiu para os abrigos, que recebem homens, mulheres e crianças que deixam o país vizinho em busca de uma vida melhor no Brasil. O grupo pôde conferir como estão as instalações. Hoje, os 13 abrigos de Roraima estão com 5.700 imigrantes. Eu também conversei com um venezuelano, o comerciante Voel Solité(F) me disse que está há um ano no Brasil e que sonha em voltar à Venezuela, mas que aqui foi bem recebido pelo governo brasileiro.

 

Comerciante - Voel Solité(F): Há 'una buena' acolhida 'aquí en Brasil'. Já tenho um ano aqui e, graças a Deus, tudo bom, tudo bem.

 

Nasi: Agora, Márcia, você já foi a Boa Vista algumas vezes desde que a onda de imigração dos venezuelanos começou. Agora, conta para a gente o que você percebeu nessas visitas?

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Pois é, Nasi, eu venho acompanhando os trabalhos da Operação Acolhida desde o ano passado e estar de volta aqui é bom para rever a revolução deste trabalho da Operação. Eu estive num ponto de triagem de Boa Vista e pude conferir os venezuelanos que aguardavam para receber vacinas, tirar documentos e, enquanto isso, podiam tomar uma sopa, tinham acesso à água limpa. A situação por aqui já era bem organizada antes, mas a impressão que eu tenho é que, nesses meses, o trabalho de acolhida dessas pessoas se aprimorou. Eu fiz uma entrevista com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, que comentou que a operação é um sucesso e deve melhorar ainda mais. Vamos ouvir.

 

Ministro da Defesa - Fernando Azevedo e Silva: Mais ou menos de 500 a 700 venezuelanos/dia passam pelo primeiro posto de triagem, que é em Pacaraima, buscando uma solução de vida melhor para eles no Brasil. Eles recebem a primeira orientação em Pacaraima, vêm para os abrigos em Boa Vista, muitos já receberam, mais de 4.500 são interiorizados pelo Brasil afora, está bem estruturado, bem organizado, e esse novo governo vê o que pode ser ainda mais aperfeiçoado.

 

Repórter Márcia Fernandes: Ministro, a partir desse momento que vocês percebem como está a operação, o governo pode pensar em novas políticas e como que vai lidar com essa questão da crise migratória dos venezuelanos?

 

Ministro da Defesa - Fernando Azevedo e Silva: Nós esperamos que a situação da Venezuela volte à normalidade democrática, que isso aí arrefeça o que está acontecendo aqui. Essa é a nossa grande expectativa. Enquanto isso, nós vamos continuando nessa operação de acolher, com muito carinho e coração, esses irmãos venezuelanos que procuram uma vida melhor aqui.

 

Gabriela: E, Márcia, o trabalho da comitiva continua amanhã, não é mesmo? O que está previsto?

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Então, Gabriela. Todos os ministros devem seguir amanhã em um voo para Pacaraima. A cidade fica na fronteira com a Venezuela e é uma das principais portas de entrada para os imigrantes. Lá, o grupo vai conhecer o porto de triagem que funciona na cidade desde junho do ano passado. Neste posto, os imigrantes são acolhidos, vacinados, dão entrada nos primeiros documentos brasileiros, como CPF, podem entrar com pedido de refúgio e recebem outras informações sobre o país. E eles também recebem atendimento social. E eu conversei com o ministro da Cidadania, Osmar Terra. Ele disse que o trabalho deve continuar, inclusive com as operações de interiorização dos imigrantes.

 

Ministro da Cidadania - Osmar Terra: Nós vamos continuar o trabalho, oferecendo vantagens aos prefeitos que quiserem abrigar. Isso aí não precisa... Se muitos municípios, cada um abrigar duas, três famílias, quatro famílias, a gente vai acabar resolvendo isso mais rápido do que se esperava. O certo é que não fique todas essas pessoas dependendo da Prefeitura de Boa Vista, ou do atendimento aqui no estado de Roraima. Então, é isso que nós temos que dosar, que temos a obrigação de dar esse atendimento humanitário. Essas pessoas não podem ficar morrendo de fome, sem abrigo, sem nada, principalmente as crianças.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Olha, hoje, um total de 96.000 venezuelanos vivem no Brasil, entre residentes fixos e pessoas que pediram refúgio. E eu sigo acompanhando este trabalho dos ministros para conhecer a realidade desses venezuelanos e pensar em políticas públicas para resolver essa situação. Gabriela, Nasi, voltamos com vocês.

 

Nasi: Obrigado, Márcia Fernandes, pelas informações ao vivo aqui na Voz do Brasil.

 

Gabriela: E ainda em Boa Vista, agricultores familiares têm agora a oportunidade de aumentar a renda e garantir a venda da produção.

 

Nasi: É que uma parceria do Ministério da Cidadania vai permitir que eles vendam os produtos para a prefeitura da capital de Roraima por meio do PAA, o Programa de Aquisição de Alimentos.

 

Repórter Carolina Graziadei: A partir de agora, mais de 60 agricultores familiares vão vender seus produtos para a prefeitura por meio da modalidade compra com doação simultânea, coordenada pelo Ministério da Cidadania. Serão investidos R$ 400 mil na primeira compra do programa no município, que beneficiará 11 entidades conveniadas. O ministro da Cidadania, Osmar Terra, destacou que o PAA promove a articulação entre a produção da agricultura familiar e as demandas locais, além de incentivar a economia.

 

Ministro da Cidadania - Osmar Terra: Esse programa paga ao agricultor, às vezes até produtos que ele poderia produzir mas não teria nem como colocar no mercado, também ajuda a levar esse produto para os que mais precisam na área social. Cria um círculo virtuoso, para melhorar a vida do pequeno produtor e às pessoas que precisam de alimento.

 

Repórter Carolina Graziadei: Os alimentos comprados serão distribuídos pela prefeitura para entidades da rede sócio assistencial. Os produtos serão adquiridos semanalmente, garantindo o fortalecimento da agricultura familiar e das instituições que atendem mais de 2,3 mil famílias que vivem em áreas vulneráveis do município. Para a prefeita Teresa Surita, a adesão da capital ao PAA beneficia tanto as pessoas de baixa renda que terão acesso a alimentos saudáveis e de boa qualidade, como também os produtores rurais da região.

 

Prefeita de Boa Vista - Teresa Surita: Quando a gente faz essa parceria com os produtores, através do Ministério da Cidadania, onde a gente pode oferecer a eles um recurso, para que eles possam vender aquilo que eles produziram e serem repassados para as instituições, instituições essas que vão representar as pessoas que precisam muito de receber esses alimentos, você está resolvendo um problema enorme, que é a fome.

 

Repórter Carolina Graziadei: A produtora rural Dalva Conceição da Silva vê na iniciativa local de aderir ao PAA uma garantia de renda para a família.

 

Produtora rural - Dalva Conceição da Silva: Porque o PAA para nós é um tipo de uma poupança. A gente vai vendendo PAA e vai melhorando as estruturas, é uma irrigação, é uma garantia de compra do produto. Então para isso, para nós, é muito importante.

 

Repórter Carolina Graziadei: Entre os beneficiados com os alimentos, está o programa Família que Acolhe, que atende famílias de baixa renda com crianças de até seis anos de idade e que recebem o Bolsa Família. A Neirilane Castro e o filho Kevin Luca, de um ano e onze meses, recebem o acompanhamento do Família que Acolhe. Eles ganharam uma cesta com produtos da agricultura familiar, incluindo frutas, legumes e verduras, que vão contribuir para melhorar a alimentação da família.

 

Entrevistada - Neirilane Castro: É saudável para o meu filho, que vai garantir a saúde do meu filho também e da minha família.

 

Repórter Carolina Graziadei: O Programa de Aquisição de Alimentos compra alimentos produzidos pela agricultura familiar, com dispensa de licitação, e os destina às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional. Reportagem, Carolina Graziadei.

 

Gabriela: O Ceará teve mais uma noite de ataques realizados por criminosos.

 

Nasi: Uma bomba explodiu em uma estrutura do metrô de Fortaleza, uma agência bancária foi incendiada e explosivos foram colocados em uma ponte.

 

Gabriela: Os ataques começaram no dia 2 de janeiro.

 

Nasi: O Governo Federal já enviou ao estado cerca de 400 agentes da Força Nacional de Segurança.

 

Gabriela: Hoje, o governador cearense, Camilo Santana, pediu um reforço ao Ministério da Justiça e Segurança Pública.

 

Repórter Gabriela Noronha: O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e autoridades do Ceará discutiram, nesta quinta-feira, o andamento das ações para conter os atos de violência no estado. O Ceará vive uma onda de ataques a instalações públicas e privadas desde o dia 2 de janeiro. No início do mês, o Ministério da Justiça autorizou o envio de agentes da Força Nacional e agentes penitenciários federais para reforçar a segurança no estado. O governador do Ceará, Camilo Santana, disse que os ataques vêm diminuindo, mas informou que pediu ao ministro Sérgio Moro o envio de mais 90 agentes penitenciários, para manter a situação sob controle. O governador falou também sobre o apoio que o estado está recebendo do Governo Federal para conter a onda de violência.

 

Governador do Ceará - Camilo Santana: Temos tido o apoio da Força Nacional, temos tido o apoio de agentes penitenciários federais, temos tido apoio de vaga no sistema prisional federal. Nós já transferimos 39 líderes de grupos organizados no Ceará. Então, essa parceria, acho que é até porque é importante. Nenhum estado sozinho vai combater o crime organizado.

 

Repórter Gabriela Noronha: Em 16 dias, foram registrados mais de 200 ataques a ônibus, carros, prédios públicos, pontes, prefeituras e instalações comerciais, em várias cidades do Ceará. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Nasi: Milhões de estudantes de todo o país devem estar ansiosos e na expectativa.

 

Gabriela: É, Nasi. É que amanhã às 10h da manhã vai ser divulgado o resultado do Enem.

 

Nasi: Hora de saber se, com a nota, vai ser possível tentar uma vaga numa universidade pública por meio do Sisu, o Sistema de Seleção Unificada.

 

Gabriela: ou ainda uma bolsa de estudos em faculdade particular, pelo Prouni, e financiar os estudos pelo Fies.

 

Nasi: Para acessar a nota, o estudante deve acessar a página do participante na internet, em enem.inep.gov.br, ou pelo aplicativo Enem 2018.

 

Gabriela: Quais alimentos colocar na lancheira dos filhos?

 

Nasi: Uma dúvida que atormenta muito os pais.

 

Gabriela: O Ministério da Saúde faz um alerta: Muitas crianças estão acima do peso.

 

Nasi: E nesta edição você vai ouvir como montar uma merenda equilibrada e saudável.

 

Gabriela: Acabar com a exigência de visto para turistas de alguns países e atrair investidores internacionais para aumentar o setor de turismo.

 

Nasi: Tudo para que o Brasil tenha mais desenvolvimento, com geração de emprego e renda.

 

Gabriela: Em entrevista à Voz do Brasil, ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, falou sobre as prioridades da pasta.

 

Nasi: Ele conversou com a repórter Jéssica do Amaral. Vamos ouvir.

 

Repórter Jéssica do Amaral: Ministro, vamos começar detalhando quais são as prioridades do Ministério do Turismo.

 

Ministro do Turismo - Marcelo Álvaro Antônio: Olha, vamos falar aqui então desses cem primeiros dias, né? A prioridade vai ser transformar a Embratur, que hoje é uma autarquia especial, em agência de promoção do Turismo no exterior. E isso aí vai possibilitar parcerias com a iniciativa privada, que hoje já é dada por lei, enquanto a Embratur for autarquia, criar áreas especiais de interesses turísticos no Brasil, concedendo então uma série de benefícios fiscais, tributários, atraindo, então, os investidores estrangeiros, promovendo a construção de grandes resorts. Foi isso que aconteceu em Cancun, e a gente quer também criar essas áreas especiais de interesse turístico no Brasil. E um terceiro ponto que eu citaria aí, fundamental nesses cem primeiros dias, vai ser conseguir equalizar a balança comercial, que hoje é desfavorável no Brasil. Os turistas brasileiros deixam US$ 18 bilhões fora do Brasil, em viagens ao exterior. Em contrapartida, os turistas estrangeiros deixam US$ 6 bilhões aqui no Brasil. Para isso, a gente precisa adotar algumas medidas, por exemplo, reduzir o custo-Brasil. Um fato importante agora foi a abertura do capital das aéreas brasileiras ao capital estrangeiro. É uma medida provisória, precisa ser aprovada no Congresso, mas é fundamental, para a gente conseguir aumentar o número de rotas de destino no Brasil, aumentar a competitividade e reduzir o custo da passagem. Então, essas três linhas que eu citaria como as linhas prioritárias nesses cem dias.

 

Repórter Jéssica do Amaral: Até o momento, quais as políticas, as ações que o senhor identificou que elas devem continuar, elas podem continuar?

 

Ministro do Turismo - Marcelo Álvaro Antônio: É, existem algumas ações importantes que devem ser continuadas, como por exemplo o Prodetur + Turismo, é uma parceria do Ministério do Turismo com bancos como o BNDES, outros bancos também, fornecendo linha de crédito para municípios, investindo em infraestrutura para o turismo. A concessão dos parques nacionais também devem ser continuados, nós tivemos assinatura de dois parques, pelo menos mais nove parques estão sendo preparados aí para a gente conseguir fazer a concessão para a iniciativa privada. O visto eletrônico, já tive uma conversa preliminar com o ministro Ernesto, do Ministério de Relações Exteriores, ou até mesmo eliminar a solicitação tem de visto a alguns países. Esse é o nosso objetivo, é deixar de solicitar o visto para Estados Unidos, Canadá, Japão, Austrália. Então, são trabalhos que isso aí deve continuar nessa mesma linha.

Repórter Jéssica do Amaral E qual o principal desafio que o senhor destacaria para que o turismo no Brasil possa realmente impulsionar a economia?

 

Ministro do Turismo - Marcelo Álvaro Antônio: Facilitar, simplificar os processos, a promoção do turismo, o desenvolvimento, ele tem que ser como um todo. A gente está muito, muito otimista com a pasta do Turismo, sabendo que essa prioridade que o governo federal, através do presidente Jair Bolsonaro, tem dado a essa pasta, certamente vai ajudar o Brasil a voltar para a rota de desenvolvimento, principalmente nos quesitos de geração de emprego e renda.

 

Repórter Jéssica do Amaral: Obrigada, ministro Marcelo Álvaro Antônio, por essa entrevista à Voz do Brasil.

 

Gabriela: Mais rapidez na regularização fundiária das unidades de conservação em todo o país.

 

Nasi: Essa é a prioridade do novo presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, o ICMBio, Adalberto Eberhard.

 

Gabriela: A gestão dos parques nacionais pela iniciativa privada é outra prioridade na agenda ambiental do governo.

 

Repórter Cleide Lopes: O novo presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade é veterinário e reconhecido mundialmente pelo trabalho de conservação do meio ambiente e do pantanal mato-grossense. Ao assumir o instituto, Adalberto Eberhard disse que uma das prioridades é a questão da regularização fundiária das 335 unidades de conservação, que juntas representam 9% do território brasileiro.

 

Presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - Adalberto Eberhard: Olhar para as unidades de conservação, olhar para sua responsabilidade na questão de conservação de biodiversidade, regularização fundiária, é gestão na ponta, é uso público. Essas são ações que nós precisamos avançar, o que não quer dizer que elas não existam, elas estão aí e nós precisamos melhorar.

 

Repórter Cleide Lopes: E se depender do ministro do Meio Ambiente, a gestão dos parques nacionais vai continuar sendo concedida à iniciativa privada. Os parques nacionais do Pau Brasil, na Bahia, e a Chapada dos Veadeiros, em Goiás, foram os primeiros a serem concedidos. O ministro Ricardo Salles dependeu as parcerias para que os parques sejam estruturados para a visitação pública.

 

Ministro do Meio Ambiente - Ricardo Salles: Trazer parcerias, nós temos que ter um modelo de concessões e parcerias que seja mais atrativo para o setor privado.

 

Repórter Cleide Lopes: A otimização de recursos também é uma prioridade do Ministério do Meio Ambiente, que suspendeu convênios com 47 ONGs. Todos os contratos serão revistos, segundo o ministro Ricardo Salles.

 

Ministro do Meio Ambiente - Ricardo Salles: Não é uma questão de suspeita de fraude ou não, só que são temas importantes, com recursos bastante significativos e que dizem respeito ao objetivo da gestão que nós estamos assumindo no ministério. Nós temos uma responsabilidade de explicar à sociedade o que está sendo feito sob a égide do Ministério do Meio Ambiente e do governo federal.

 

Repórter Cleide Lopes: Criado em 2017, o ICMBio é responsável por monitorar a exploração econômica dos recursos naturais das unidades de conservação e também pela fiscalização do uso sustentável dos recursos naturais. Reportagem: Cleide Lopes.

 

Nasi: E o presidente da Funai, a Fundação Nacional do Índio, também tomou posse hoje.

 

Gabriela: O general do Exército Franklimberg de Freitas reassume o cargo, ele já tinha presidido o órgão por quase um ano até abril de 2018.

 

Nasi: O ministro tem um reconhecido trabalho na área com atuação contra madeireiros e cerrarias, e a redução do desmatamento na região amazônica, em especial, em terras indígenas.

 

Gabriela: No período de aulas, muitos pais têm dúvida, quais alimentos colocar na lancheira dos filhos?

 

Nasi: Pois é, Gabriela, e tem muito pai que acaba cedendo(F) à facilidade de montar a merenda com um biscoito recheado ou um suco de caixinha, por exemplo.

 

Gabriela: Mas é preciso ter cuidado, esses alimentos processados possuem alto teor de

gordura e contribuem para o ganho de peso em excesso.

 

Nasi: E todo mundo sabe que crianças obesas têm mais chance de desenvolver doenças no futuro, como hipertensão e diabetes.

 

Gabriela: Para frear esse ciclo de maus hábitos, nós vamos trazer dicas de como montar uma lancheira equilibrada e saudável.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Mãe de três meninas, Íris se preocupa com a alimentação das filhas dentro e fora de casa. Não é qualquer produto que entra na lancheira na hora de escolher a merenda para a escola, como explica a policial militar de Brasília.

 

Policial militar - Íris: Eu procuro colocar sucos naturais. Geralmente, quando eu mando biscoito, eu mando biscoito sem chocolate, sem muito açúcar, uma coisa mais equilibrada. Muita fruta, geralmente, tem bastante fruta lá em casa. Salgadinho e refrigerante tem dia certo para entrar.

 

Repórter Ricardo Ferraz: De acordo com o Ministério da Saúde, uma em cada três crianças brasileiras apresenta excesso de peso. A Pesquisa de Orçamentos Familiares, realizada há dez anos, indicou que 35% das crianças na faixa de 5 a 9 anos estavam acima do peso, e mais de 16% obesas. Contribuem para isso os maus hábitos alimentares e o sedentarismo, de acordo com a nutricionista Larissa Farjalla Mattar.

 

Nutricionista - Larissa Farjalla Mattar: A gente vê que hoje a alimentação das crianças, dos adolescentes, da família, de uma forma geral, baseada em alimentos processados e ultraprocessados, principalmente, que são alimentos que têm alto teor de gordura, açúcar, sódio, e associado à alimentação, a gente vê crianças e adolescentes cada vez mais sedentários, né? Crianças que passam muito tempo em frente à televisão, computador e tablet.

 

Repórter Ricardo Ferraz: De acordo com a nutricionista Larissa Mattar, crianças obesas geralmente se tornam adolescentes e adultos com problemas de saúde. De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde da Escola, realizada em 2015, quase 8% dos adolescentes com idades entre 13 e 17 anos estavam obesos. Entre os adultos, o índice também é crescente, passou de 11,8% em 2016 para 19% em 2016, atingindo quase um em cada cinco brasileiros. Os dados fazem parte da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção Para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico, o Vigitel, por isso é importante cuidar da alimentação desde cedo. Larissa dá dicas para os pais montarem lancheiras saudáveis no dia a dia.

 

Nutricionista - Larissa Farjalla Mattar: É importante que tenha uma fruta, 'in natura', um alimento do grupo dos lácteos, que é o iogurte, um queijo, de preferência, um queijo branco ou até mesmo o próprio leite, e um alimento fonte de carboidrato, que é um alimento energético, de preferência na forma integral.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Crianças obesas têm mais chances de desenvolver doenças crônicas no futuro, como hipertensão e diabetes, e estão mais propensas a problemas do coração e acidentes vasculares cerebrais. O sobrepeso e a obesidade infantil são temas que fazem parte do Programa de Saúde na Escola do Ministério da Saúde, para que os alunos desenvolvam hábitos alimentares mais saudáveis. O governo também assumiu metas internacionais para a redução do consumo de refrigerantes e sucos artificiais e o aumento no consumo de frutas e hortaliças. Reportagem: Ricardo Ferraz.

 

Nasi: Começou hoje o pagamento do sétimo lote do abono salarial do PIS/Pasep ano?base 2017.

 

Gabriela: O abono é pago aos trabalhadores inscritos no PIS ou Pasep há pelo menos cinco anos.

 

Nasi: Também é necessário ter trabalhado por pelo menos 30 dias em 2017 com carteira assinada e com remuneração mensal média de até dois salários mínimos.

 

Gabriela: Podem sacar o PIS nas agências da Caixa os trabalhadores da iniciativa privada nascidos em janeiro e fevereiro e podem sacar o Pasep nas agências do Banco do Brasil os funcionários públicos com final 5 na inscrição.

 

Nasi: A estimativa da Secretaria do Trabalho e do Ministério da Economia é que mais de R$ 2,8 bilhões sejam pagos a aproximadamente 3,4 milhões trabalhadores.

 

Gabriela: O Banco Central quer aprimorar as regras para prevenir a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo.

 

Nasi: A ideia é aumentar a eficiência e a aplicação da inteligência nas ações de prevenção aos dois crimes dentro das instituições bancárias.

 

Gabriela: Um dos objetivos é alinhar as regras que existem aqui no Brasil às recomendações do Grupo de Ação Financeira Internacional, organização que desenvolve políticas nacionais e internacionais de combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo.

 

Nasi: Por isso, o Banco Central abriu proposta para uma consulta pública e quem quiser pode dar sugestões para a melhoria das normas.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as Notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

"Governo Federal. Pátria amada, Brasil".