17/04/17 - A Voz do Brasil

Obesidade cresce no Brasil: 60% dos brasileiros estão fora do peso! E Ministério da Saúde reforça campanha para alimentação saudável. E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje: Começou a campanha de vacinação contra a gripe. Reforma da previdência: proposta com mudanças no Congresso será apresentada amanhã. E presidente Michel Temer reforça importância do diálogo e do equilíbrio nas contas para pagar aposentadorias no futuro.

audio/mpeg 17 04 17.mp3 — 23451 KB




Transcrição


A VOZ DO BRASIL - 17/04/2017

 

 

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília, 19h00.

 

Apresentadora Gláucia Gomes: Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje.

 

Airton: Olá, boa noite.

 

Gláucia: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Airton: Segunda-feira, 17 de abril de 2017.

 

Gláucia: E vamos ao destaque do dia: obesidade cresce no Brasil. Sessenta por cento dos brasileiros estão fora do peso.

 

Airton: E o Ministério da Saúde reforça a campanha para a alimentação saudável. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: O país assumiu o compromisso de reduzir o consumo regular de refrigerante e suco artificial até 2019.

 

Gláucia: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje...

 

Airton: Começou a campanha de vacinação contra a gripe. Beatriz Amiden.

 

Repórter Beatriz Amiden: A campanha vai até o dia 26 de maio e o governo espera vacinar mais de 54 milhões de pessoas.

 

Gláucia: Reforma da Previdência. Proposta com mudanças no Congresso será apresentada amanhã.

 

Airton: E presidente Michel Temer reforça a importância do diálogo e do equilíbrio nas contas para pagar aposentadorias no futuro.

 

Presidente Michel Temer: A Previdência é uma necessidade indispensável, sob pena de daqui a três, quatro, cinco anos, nós termos que fazer o que se fez na Grécia, em Portugal: cortar salário dos funcionários, cortar aposentadorias, pensões, não é? Nós temos que tomar cuidado com isso.

 

Gláucia: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gláucia Gomes e Airton Medeiros.

 

Airton: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gláucia: Alerta para a saúde: os brasileiros estão mais obesos.

 

Airton: E o problema já afeta mais da metade da população.

 

Gláucia: Para reverter o quadro, o governo investe em campanhas e metas para redução do consumo de açúcar.

 

Repórter Gabriela Noronha: Aos 22 anos, Edivanilson Carvalho sofreu um acidente que o fez abandonar a vida de atleta em Rio Branco, capital do Acre. Sem a rotina de treinos, passou a engordar e não demorou para chegar à obesidade. Hoje, aos 49 anos, Edivanilson já perdeu 21 quilos. Presidente da Associação de Portadores de Obesidade do Acre, ele diz que o sucesso não tem segredo.

 

Presidente da Associação de Portadores de Obesidade do Acre - Edivanilson Carvalho: Através da atividade física e a reeducação eu sou capaz de voltar ao peso ideal.

 

Repórter Gabriela Noronha: Mas a maioria dos brasileiros não segue essa receita. Uma pesquisa do Ministério da Saúde revela que mais da metade da população já está com peso acima do recomendado. Em 10 anos, a obesidade cresceu 60% no país. Preocupado com os dados, o governo federal adotou metas internacionais para frear o crescimento do excesso de peso e da obesidade. O país assumiu o compromisso de reduzir o consumo regular de refrigerante e suco artificial em pelo menos 30% da população adulta até 2019. O ministro da Saúde, Ricardo Barros, ressalta outras ações do governo.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Emitimos um guia de alimentação estável, um protocolo de alimentação saudável. Temos a nossa portaria interministerial "Saúde na Escola", a inclusão do protocolo de alimentação saudável para a merenda escolar, e temos buscado fazer campanhas de atividade física e alimentação saudável.

 

Repórter Gabriela Noronha: A nutricionista Betânia Venâncio explica como é possível administrar a correria do dia a dia e manter hábitos saudáveis.

 

Nutricionista - Betânia Venâncio: Vamos levar os alimentos para o trabalho, para depois da academia, de manhã até à noite. Tomar bastante água também.

 

Repórter Gabriela Noronha: A pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico, Vigitel, entrevistou mais de 53 mil pessoas ao longo de 2016. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Airton: O estudo também mostra que, apesar do cenário preocupante, o brasileiro reduziu quase pela metade o consumo de refrigerantes.

 

Gláucia: Além disso, os jovens estão praticando mais atividade física no tempo livre. Em 10 anos, aumentou 7% o número de pessoas entre 18 e 24 anos que faziam exercícios pelo menos duas horas.

 

Airton: E amanhã vamos falar aqui na Voz do Brasil das consequências desse número de obesos no país. Isso também significa maior incidência de doenças como a diabetes e a hipertensão. Os dados também são da pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde. Não perca.

 

Gláucia: E está na hora de vacinar contra a gripe. A Campanha Nacional de Vacinação começou hoje.

 

Airton: A meta é vacinar 54 milhões de pessoas em todo o país.

 

Gláucia: E a novidade é que os professores das redes pública e privada foram incluídos no grupo que também vai receber a vacina de graça.

 

Repórter Beatriz Amiden: Nancy Loyola é professora aposentada e veio logo no primeiro dia da campanha para se vacinar. Por ter mais de 60 anos, ela entra no grupo prioritário determinado pelo governo federal para vacinação contra a gripe, que começou nessa segundafeira. Depois de 25 anos dando aula, a Nancy ficou muito feliz com a novidade desse ano: os professores de escolas públicas e privadas também vão poder tomar a vacina.

 

Professora Aposentada - Nancy Loyola: Eu acho muito importante, pois o contato com a criança e com o número de pessoas, aglomerado, está subindo mais o contato, a contaminação.

 

Repórter Beatriz Amiden: Mais de dois milhões de professores devem ser vacinado nesse ano. O Marco Aurélio é professor em Brasília e sempre pagou para tomar a vacina contra a gripe. Agora, que vai poder se vacinar de graça nos postos de saúde, está todo satisfeito.

 

Professor - Marco Aurélio: Eu acho que é uma atitude louvável, já que trabalhamos com um contingente de alunos muito grande, salas lotadas. Eu não fico gripado porque me cuido. Todo ano eu tomo a vacina da gripe. Confesso a vocês que sempre pagava, né, para tomar a vacina.

 

Repórter Beatriz Amiden: Mas, atenção: não é qualquer um que pode tomar a vacina. Só podem receber a dose pessoas com mais de 60 anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, professores, indígenas, gestantes, mães que deram à luz a menos de 45 dias, quem tem alguma doença crônica como asma e diabete, adolescentes e jovens que estejam cumprindo medidas socioeducativas e funcionários do sistema prisional. Cada estado pode determinar o seu próprio calendário de vacinação contra a gripe. Então, é importante se informar na Secretaria da Saúde da sua cidade se já chegou o seu dia de tomar a vacina. Reportagem, Beatriz Amiden.

 

Airton: A proposta de reforma da Previdência avança mais um passo esta semana na Câmara dos Deputados, onde está sendo analisada.

 

Gláucia: Amanhã o relator da proposta na comissão especial vai apresentar o parecer com as alterações propostas pelos deputados. A repórter Luana Karen tem os detalhes.

 

Repórter Luana Karen: O relator da proposta de reforma da Previdência na comissão especial da Câmara dos Deputados, Arthur Oliveira Maia, deve apresentar o relatório nesta terçafeira.

 

Relator da Proposta de Reforma da Previdência na Comissão Especial da Câmara dos Deputados - Arthur Oliveira Maia: Vamos apresentar o nosso relatório num primeiro momento para a base do governo, os pontos que foram modificados, em seguida teremos também uma reunião com o presidente da República e os senadores da base, o presidente Marun estará convocando uma reunião da comissão especial para que se faça a leitura do relatório na terçafeira e, com isso, esperamos que já na outra semana tenhamos condição de votar o texto na comissão.

 

Repórter Luana Karen: Em pouco mais de dois meses, a comissão especial da reforma da Previdência ouviu 70 especialistas e representantes de diversos órgãos e da sociedade civil. Foram discutidos temas como a condição do trabalhador rural, dos professores, policiais e da população mais vulnerável, que recebe o Benefício de Prestação Continuada. A ideia era encontrar um caminho entre a necessidade de preservar direitos sociais e fortalecer a arrecadação e o equilíbrio financeiro da Previdência Social, negociação feita em conjunto com o Palácio do Planalto. Em entrevista a uma rádio de São Paulo, o presidente Michel Temer afirmou que a negociação com o Congresso resultou numa série de ajustes.

 

Presidente Michel Temer: Ajustamentos, convenhamos, socialmente adequados: a questão do trabalhador rural, a questão do Benefício de Prestação Continuada. Numa ocasião eu recebi um grupo de cadeirantes, deficientes, muito pobres, e pensei: "Poxa, qualquer modificação nisso vai ser uma coisa socialmente injusta". Então, nós fomos adaptando a reforma da Previdência.

 

Repórter Luana Karen: O ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, destaca que a reforma vai acabar com privilégios e preservar os mais pobres.

 

Ministro da Secretaria de Governo - Antonio Imbassahy: A reforma tem como base o fim dos privilégios, tem como base também a preservação das pessoas mais pobres, mais vulneráveis, e também, evidentemente, o equilíbrio das contas públicas, preservando até as aposentadorias de quem hoje já recebe.

 

Repórter Luana Karen: Concluída a leitura do relatório nesta terçafeira, a comissão especial deve votar o parecer na semana que vem. Em seguida, o parecer é enviado ao plenário da Câmara dos Deputados. Se aprovada na Câmara, a proposta de reforma da Previdência segue para o Senado. Reportagem, Luana Karen.

 

Airton: E num debate realizado hoje, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, apresentou um estudo sobre a evolução das despesas com a Previdência Social.

 

Gláucia: De acordo com o ministro, estes gastos cresceram muito nos últimos 25 anos e a tendência é que continuem a subir.

 

Airton: Meirelles também disse que a reforma precisa ser aprovada para evitar que as taxas de juros voltem a subir, o que significa a queda de investimentos e aumento do desemprego.

 

Repórter João Pedro Neto: Na véspera da apresentação do relatório sobre a reforma da Previdência na comissão especial da Câmara dos Deputados, o ministro da Fazenda defendeu mais uma vez a necessidade de novas regras para o sistema. Henrique Meirelles chamou a atenção para o déficit de cerca de R$ 150 bilhões na Previdência no ano passado, disse que as despesas previdenciárias no Brasil já são altas e crescem em trajetória insustentável.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Nós vamos ter uma situação onde não só ela cresceu, as despesas do INSS nos últimos 25 anos de uma forma dramática, de 3% para 8,1% do PIB, mas ela continua crescendo se nada for feito nesta dimensão.

 

Repórter João Pedro Neto: Henrique Meirelles disse que a reforma da Previdência vai dar segurança aos trabalhadores de que vão receber as aposentadorias no futuro. O ministro destacou ainda que o controle de gastos e a sinalização com as reformas propostas pelo governo já têm impactos positivos na economia.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: O Brasil já dá sinais de crescimento esse ano. Automóveis já mostrando vendas superiores ao mesmo mês do ano passado, já dados bastante otimistas sobre o primeiro trimestre desse ano, a economia deve chegar ao final do ano e este ano já com um crescimento importante em relação ao início do ano. É isso que interessa e que está acontecendo já no país em função das reformas fundamentais.

 

Repórter João Pedro Neto: O secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, citou o processo de envelhecimento da população brasileira e a média de idade para a aposentadoria no Brasil, menor do que padrões internacionais, ao justificar a reforma da Previdência.

 

Secretário de Previdência do Ministério da Fazenda - Marcelo Caetano: Quando a gente observa a evolução demográfica do país, a gente vê que o país envelhece num ritmo muito rápido. Tem uma questão de ponto de partida, que já é alto, somando tudo já dá uns 13% do PIB hoje, e há naturalmente uma tendência de crescimento por conta do envelhecimento populacional.

 

Repórter João Pedro Neto: O governo estima que este ano o resultado negativo da Previdência será de quase R$ 190 bilhões. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Gláucia: Puxada pelo setor de serviços, a economia brasileira registrou avanço de 1,31% em fevereiro, se comparado a janeiro.

 

Airton: Os dados são uma prévia do Produto Interno Bruto, o PIB, que é a soma de todas as riquezas do país, e foram divulgados hoje pelo Banco Central.

 

Gláucia: Resultado que está dentro do esperado pela equipe econômica, que vem sinalizando um crescimento da economia ainda no primeiro trimestre deste ano.

 

Airton: Para 2017, a expectativa é de que o PIB cresça 0,5%.

 

Gláucia: 19hs13min, em Brasília.

 

Airton: Tem internet rápida chegando a mais brasileiros.

 

Gláucia: Daqui a pouco vamos falar do aumento do acesso à internet 4G e como essa tecnologia está chegando a todo o país.

 

Airton: Você que deu entrada para solicitar algum benefício do INSS pode saber como está a situação do pedido sem sair de casa.

 

Gláucia: Como? É isso que vamos falar no "Para Você, Cidadão" de hoje. Vamos ouvir.

 

>> "Para Você, Cidadão".

 

Repórter Daniel Costa: Para quem deu entrada em qualquer benefício previdenciário é fácil acompanhar a situação do requerimento. Para isso basta acessar a internet no endereço www.previdencia.gov.br e clicar em "consulta de situação de benefício". É preciso informar o número do benefício, data de nascimento, nome do beneficiário e CPF. O atendimento é imediato. Nesse endereço na internet é possível acompanhar a solicitação de benefícios previdenciários como aposentadorias, auxílios doença, acidente e reclusão, pensões, salários família e maternidade, além de outros tipos de benefícios. Em caso de dúvidas, ligue para a central de atendimento do INSS pelo telefone 135. É importante saber que o atendimento da Previdência Social é simples, gratuito e dispensa intermediários. Daniel Costa, para a Voz do Brasil.

 

Airton: O governo brasileiro trabalha para abrir portas mundo afora.

 

Gláucia: E um dos países que podemos ampliar relações são os Estados Unidos.

 

Airton: Para isso, o Ministério das Relações Exteriores prepara uma visita do presidente Michel Temer ao presidente Donald Trump ainda este ano.

 

Repórter Paola De Orte: O embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Sérgio Amaral, disse hoje que o anúncio de que os Estados Unidos não iriam mais participar da parceria Transpacífico, acordo de comércio que unia o país norteamericano a países asiáticos e da América Latina como Chile, México e Peru, será uma boa oportunidade para o Brasil intensificar a relação com essas nações. Sérgio Amaral disse que o distanciamento dos Estados Unidos de acordos regionais tradicionais como o Nafta, com Canadá e México, também pode ser positivo para o Brasil. O embaixador também afirmou que o presidente Michel Temer e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, devem se encontrar ainda neste ano.

 

Embaixador do Brasil nos Estados Unidos - Sérgio Amaral: Houve duas conversas entre o presidente Temer e o presidente Trump, elas foram muito positivas, e nessas conversas o presidente Trump perguntou quando o presidente Temer viria visitálo. Nós estamos começando a conversar com o governo americano sobre isso, não existe ainda uma data fixada, mas estou certo que essa visita vai se realizar este ano.

 

Repórter Paola De Orte: Os Estados Unidos são o segundo maior parceiro comercial do Brasil. Em 2016, o fluxo do comércio bilateral entre os dois países foi de US$ 46 bilhões. De Washington, nos Estados Unidos, Paola De Orte.

 

Gláucia: A internet 4G cresceu 120% em um ano no Brasil.

 

Airton: Esse tipo de conexão é mais rápida e hoje já cobre quase 1.700 cidades. Até o fim deste ano deve chegar a todos os municípios com mais de 30 mil habitantes.

 

Gláucia: Isso significa internet móvel com mais velocidade e qualidade para os brasileiros.

 

Repórter Nei Pereira: Usar a internet pelo celular já faz parte do dia a dia do brasileiro, e com a implantação da internet de quarta geração, a 4G, o serviço ganhou mais velocidade de conexão e no carregamento de dados.

 

Entrevistada: Desde o banco, comunicar com as famílias, com os filhos, pesquisas na internet. Tudo no celular.

 

Entrevistado: Está legal a internet, não é ruim. Só o limite de tráfego que é ruim, né?

 

Entrevistada: Pode estar melhorando, né? Mas é muito bom, sim. Melhor 4G do que 3G, né?

 

Repórter Nei Pereira: Segundo a Associação Brasileira de Telecomunicações, a TeleBrasil, só no mês de fevereiro deste ano a banda larga 4G registrou 67 milhões de acessos, volume 120% superior em relação ao mesmo mês de 2016. O crescimento é explicado por uma demanda de mercado e também por uma obrigação imposta pela Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel, às empresas de telefonia. É o que diz o diretor de Banda Larga do Ministério da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações, Arthur Coimbra.

 

Diretor de Banda Larga do Ministério da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações - Arthur Coimbra: Todas as cidades brasileiras com mais de 30 mil habitantes têm que estar atendidas por 4G até o final de 2017, até o final deste ano. É claro que a gente espera que as operadoras cheguem além dessa meta, e já estão bem além, aliás, principalmente porque existe interesse delas e também existe demanda em cidades menores de 30 mil habitantes.

 

Repórter Nei Pereira: Segundo Arthur Coimbra, a oferta de internet banda larga 4G deve crescer ainda mais nos próximos anos. É que as operadoras vão poder usar a frequência da TV analógica para o serviço de internet.

 

Diretor de Banda Larga do Ministério da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações - Arthur Coimbra: À medida que isso vai acontecendo, vai abrindo espaço para uma nova rede 4G, que vai permitir uma cobertura três vezes maior do que a que nós temos hoje em termos de 4G com um investimento relativamente moderado.

 

Repórter Nei Pereira: Ao todo a cobertura 4G chega a quase 1.700 cidades brasileiras. Com esse crescimento, a internet de quarta geração já alcança cidades onde moram mais de 70% dos brasileiros. Reportagem, Nei Pereira.

 

Airton: Nos próximos três dias, a Voz do Brasil abre espaço para mostrar uma grande riqueza desse nosso país.

 

Gláucia: Vamos falar das manifestações culturais que contam a nossa história e ainda geram renda.

 

>> "Música".

 

Airton: Esse som que você está ouvindo agora é o maracatu. E tem também samba de coco trupé, carnaval dos papangus. São muitos os ritmos da cultura popular.

 

Gláucia: Passados de geração a geração, são símbolos da nossa cultura.

 

Airton: Então, vamos entrar no ritmo. É hora de conhecer um pouco mais de tudo isso em uma viagem que vamos fazer pelo estado de Pernambuco.

 

>> "O povo pernambucano se orgulha do que faz. Lembrar dos tempos atrás faz o futuro em bom plano".

 

Repórter Taíssa Dias: Bezerros, no agreste de Pernambuco, é terra de mascarados. Contam que a brincadeira veio dos engenhos da canadeaçúcar, onde senhores e escravos alforriados festejavam sem que ninguém fosse reconhecido. A tradição dos papangus permanece, e hoje as ruas da cidade estão repletas de fantasias, com máscaras sorridentes ou assustadoras e roupas cumpridas e coloridas. O artista plástico e artesão Roberval Lima conta que o importante é não ser descoberto.

 

Artista Plástico e Artesão - Roberval Lima: A característica principal do bloco papangu é se esconder e as pessoas vão tentar descobrir quem é você. Na realidade a gente muda a voz, muda o andar.

 

Repórter Taíssa Dias: Roberval confecciona máscaras papangus de papel reciclado, uma herança de família. Hoje ele tem nas encomendas a principal fonte de renda.

 

Artista Plástico e Artesão - Roberval Lima: As pessoas já conhecem Bezerros como a terra dos papangus. Então, querem decorar suas casas, seus terraços, né, e mandar para parentes, para amigos, até para fora do país.

 

Repórter Taíssa Dias: Pernambuco é um dos berços principais das manifestações populares do país nas artes plásticas, na dança, na música. Cultura que gera renda e, segundo o ministro da Cultura, Roberto Freire, despertou a atenção do governo federal.

 

Ministro da Cultura - Roberto Freire: Criamos no próprio Ministério uma Secretaria da Economia da Cultura. Da parte do governo o próprio IBGE começa a coletar dados de forma sistemática até para a formação de atlas do que significa a cultura na economia brasileira.

 

>> "O tempo está diferente, mas a vontade persiste, e o nordestino resiste com nossa cultura em frente".

 

Repórter Taíssa Dias: Ainda criança, em Olinda, Iranildo Silva observava o cuidado do avô com os instrumentos musicais. Aos seis anos, começou a tocar percussão incentivado vivência da família nos cultos de candomblé e jurema, religiões de matriz africana que têm o tambor como uma das principais referências. Hoje ele confecciona os tambores e outros instrumentos que fazem parte da cultura popular de Pernambuco. Iranildo se considera um artesão de sonhos.

 

Artesão - Iranildo Silva: Eu sou uma pessoa que eu faço um instrumento da forma que você imaginar, da forma que você pensar. Então, eu quero chegar mais próximo do seu sonho.

 

>> "Música".

 

Repórter Taíssa Dias: E é a batida dos tambores e a pisada do samba de coco que embala a história de amor de Cícero Gomes e Maria José de Souza. Em Arcoverde, no sertão de Pernambuco, ele é o mestre do grupo. Ela, a figurinista. Mestre Cisso, como é conhecido na cidade, é o fundador do coco trupé e um dos precursores dessa manifestação típica da região.

 

Fundador do Coco Trupé - Mestre Cisso: Nós aqui em Arcoverde, nós criamos a batida do coco, mas o coco não existe pandeiro, nem ganzá, nem triângulo. Só se balançava a noite todinha com ganzá e se brincava à noite toda.

 

Repórter Taíssa Dias: Maria José aprendeu a gostar do coco e hoje cria e costura os figurinos do coco trupé.

 

Figurinista e Costureira - Maria José de Souza: A dos homens é simples, é calça e camisa. Mas da gente, mulher, eu invento tudo que é de modelo.

 

>> "Música".

 

Repórter Taíssa Dias: Na roda que Cisso canta Maria é dançadeira e a família inteira se reúne: quatro filhos, nove netos e uma bisneta.

 

>> "O trabalhador no eito é quem sustenta essa arte, levando o seu estandarte, cantando o samba perfeito".

 

Repórter Taíssa Dias: Com repentes de Adiel Luna, reportagem, Taíssa Dias.

 

Airton: E se você quiser saber mais sobre esse trabalho de artesãos brasileiros que mantém viva a nossa cultura, um vídeo está disponível na página do governo federal. Anota aí o endereço: brasil.com.br.

 

Gláucia: Esse mesmo vídeo está sendo publicado neste momento também no nosso Facebook: facebook.com/avozdobrasiloficial.

 

Gláucia: 19hs24min, em Brasília.

 

Airton: Num balanço preliminar, a Operação Semana Santa da Polícia Rodoviária Federal registrou uma redução de 16% no número de acidentes.

 

Gláucia: Em quatro dias de fiscalização reforçada nas rodovias, foram registrados 1.091 acidentes, com 82 mortes e 1.107 feridos.

 

Airton: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Gláucia: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República.

 

Airton: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gláucia: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite para você.

 

Airton: Boa noite para você e até amanhã.