17 DE NOVEMBRO DE 2017

Destaques da Voz do Brasil: Fila de espera para receber o Bolsa Família é zerada pela sexta vez no ano. Mais de 2,5 mil vagas temporárias estão disponíveis nas agências do trabalhador. Domingo tem prova do Encceja. Começou a 2° fase de saques do PIS/PASEP.

audio/mpeg 17-11-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 47092 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Alessandra Bastos: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Alessandra: Sexta-feira, 17 de novembro de 2017.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Alessandra: Fila de espera para receber o Bolsa Família é zerada pela sexta vez no ano.

 

Nasi: E mais de 300 mil novas famílias começam a receber o benefício neste mês.

 

Alessandra: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Está procurando emprego? Mais de 2.500 vagas temporárias estão disponíveis nas agências do trabalhador. Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim: Para se candidatar a uma das vagas, além das agências do Sine, o atendimento também vai poder ser feito através do aplicativo Sine Fácil.

 

Alessandra: Domingo tem prova do Encceja. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: Um milhão e duzentas mil pessoas vão fazer o Encceja em busca do diploma do ensino médio. Outras 300 mil pessoas farão o exame atrás do certificado de ensino fundamental.

 

Nasi: E começou a segunda fase de saques do PIS/Pasep.

 

Alessandra: E você sabe se tem direito? Nós vamos explicar direitinho e tirar todas as suas dúvidas.

 

Nasi: Hoje, na apresentação, Alessandra Bastos e Nasi Brum.

 

Alessandra: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Nasi: Mais uma vez foi zerada a fila de espera para receber o Bolsa Família.

 

Alessandra: E hoje começou o calendário de pagamento do benefício.

 

Nasi: Serão pagos mais de R$ 2,4 bilhões, a mais de 13,5 milhões de famílias.

 

Repórter Juline Pogorzelski: Paulo Araújo Santos está procurando emprego. Enquanto não consegue, são os R$ 124 que ele recebe do Bolsa Família que estão ajudando a colocar a comida na mesa da sua família. Ele começou a receber no mês passado, logo depois de se inscrever no programa.

 

Beneficiário do Programa Bolsa Família - Paulo Araújo Santos: Foi um dinheiro que chegou numa boa hora, que eu estava desempregado, né? Essa ajuda do governo foi fundamental para a gente. Nossa, a situação estava feia.

 

Repórter Juline Pogorzelski: A partir deste mês, 377 mil novas famílias passarão a receber o benefício. Mecanismos de controle como o cruzamento de dados com diversas bases de informações estão sendo constantemente aperfeiçoados. O objeto é dar oportunidade para quem se enquadra nas regras do programa, mas aguarda na fila. O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, afirma o compromisso do governo em abrir portas para as famílias melhorarem de vida.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Conseguimos com um grande esforço de gestão, de fiscalização, zerar a fila, não é? Saíram as pessoas que não precisavam e entraram todos que precisavam. Não há fila mais no Bolsa Família.

 

Repórter Juline Pogorzelski: O pagamento do benefício vai até o dia 30. Para a dúvida o cidadão pode ligar para o telefone 0800-7072013. Reportagem, Juline Pogorzelski.

 

Alessandra: Fim do ano chegando e muitos brasileiros têm a esperança de conseguir um emprego.

 

Nasi: E na área do comércio as expectativas são positivas: com as vendas aquecidas, a meta é gerar mais de 70 mil vagas de trabalho.

 

Alessandra: E se você está à procura dessa vaga é bom ficar atento: o Ministério do Trabalho disponibiliza um aplicativo que traz mais comodidade para o trabalhador.

 

Repórter Pablo Mundim: De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, a estimativa é que 74 mil pessoas possam ser contratadas neste final de ano e as vendas movimentem cerca de R$ 35 bilhões na economia do país, um aumento de 4,8% na comparação com 2016. Para quem está procurando uma oportunidade de trabalho, o Sistema Nacional de Emprego, o Sine, tem mais de 2.500 vagas temporárias abertas em diversas áreas. Para José Teixeira, auxiliar de serviços gerais e desempregado há três anos, uma esperança a mais para conseguir trabalho.

 

Auxiliar de Serviços Gerais - José Teixeira: Estar empregado. É a oportunidade que eu tenho agora com a carteira em mão, é a primeira oportunidade agora para me engajar num serviço fixo.

 

Repórter Pablo Mundim: E para se candidatar a uma das vagas o trabalhador vai poder fazer tudo pelo celular. Além das agências do Sine, o atendimento também vai poder ser feito através do aplicativo Sine Fácil. Somente em outubro desse ano foram 680 mil downloads do Sine Fácil. Para o secretário de Políticas Públicas de Emprego do Ministério do Trabalho, Leonardo Arantes, o aplicativo vai ajudar o trabalhador a conquistar vagas de emprego.

 

Secretário de Políticas Públicas de Emprego do Ministério do Trabalho - Leonardo Arantes: Nós temos uma esperança muito grande aí para o trabalhador de conseguir uma vaga nesses contratos temporários que acontecem no final do ano. Então, a gente nota que esse aplicativo é realmente um sucesso e que está ajudando muito o trabalhador nessa busca por suas vagas de emprego.

 

Repórter Pablo Mundim: O aplicativo é gratuito, fácil de usar e seguro. Para baixar basta entrar na loja virtual do seu celular. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: E neste domingo mais de 1,5 milhão de pessoas fazem a prova do Encceja, o Exame Nacional para a Certificação de Competências de Jovens e Adultos.

 

Alessandra: A prova é para pessoas que não tiveram a oportunidade de concluir os estudos em idade própria.

 

Repórter Luana Karen: Aos 20 anos, Thaís Chimenez está em busca do diploma do ensino médio. A estudante sonha em ser enfermeira e vai fazer a prova do Exame Nacional para a Certificação de Competência de Jovens e Adultos, Encceja, no próximo domingo, já pensando no segundo passo, a faculdade.

 

Estudante - Thaís Chimenez: Fazer faculdade de enfermagem, que é o meu objetivo, o meu sonho. Desde pequena eu sonho muito em ser enfermeira. Eu gosto de cuidar muito das pessoas.

 

Repórter Luana Karen: Assim como a Thaís, 1,2 milhão de pessoas vão fazer o Encceja no domingo em busca do diploma do ensino médio. Outras 300 mil pessoas farão o exame atrás do certificado de ensino fundamental. As provas vão ser realizadas nos turnos da manhã e da tarde em mais de 560 municípios. Quem traz as dicas é Luana Bergmann, diretora de Avaliação e Educação Básica do Inep, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

 

Diretora de Avaliação e Educação Básica do Inep - Luana Bergmann: Acesse o seu cartão de confirmação. Ele já está disponível no portal do Inep para que você veja para onde você precisa ir no domingo. Então, é importante que você acesse o cartão, veja o endereço e faça um planejamento mínimo sobre esse dia da prova. Os portões vão abrir sempre com referência no horário de Brasília.

 

Repórter Luana Karen: Para conseguir o certificado o participante deve fazer pelo menos 100 dos 200 pontos possíveis em cada área do conhecimento. O resultado do exame vai sair no começo do ano que vem. Quem passar deve levar o boletim até à instituição responsável na cidade para emitir o diploma. O aprovado também ganha o direito à inscrição gratuita no Enem 2018. Na página do Inep, em inep.gov.br, o candidato pode verificar o local da prova e todas as informações do Encceja. Reportagem, Luana Karen.

 

Alessandra: Mais recursos nos cofres públicos. O Ministério do Planejamento refez as contas das despesas e receitas do orçamento.

 

Alessandra: É, e mais R$ 7 bilhões sobraram no caixa, dinheiro que já tem destino certo.

 

Nasi: E quem tem os detalhes, ao vivo, é o repórter Paulo La Salvia. Boa noite, Paulo.

 

Repórter Paulo La Salvia (ao vivo): Boa noite, Nasi, Alessandra e ouvintes da Voz do Brasil. É isso mesmo, Alessandra. São R$ 7,5 milhões a mais nos cofres do governo. A arrecadação aumentou por conta das concessões com as vendas de hidrelétricas e pelos leilões do setor de petróleo e gás natural, e as despesas diminuíram porque menos abono salarial e seguro-desemprego foram pagos, já que o mercado de trabalho melhorou no último bimestre. Com esta sobra de caixa o governo já definiu como vai destinar o dinheiro, segundo o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira.

 

Ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão - Dyogo Oliveira: A distribuição dentre os órgãos do Governo Federal será realizada ao longo das próximas semanas. Nós vamos privilegiar o atendimento das necessidades de funcionamento dos órgãos e de pagamento de obras em andamento, principalmente aquelas que foram elencadas dentro do Programa Avançar e que terão assegurados recursos necessários para a sua conclusão.

 

Repórter Paulo La Salvia (ao vivo): Mesmo com mais recursos em caixa, o Ministério do Planejamento, Dyogo Oliveira, voltou a defender a necessidade da reforma da Previdência. Isto porque, segundo o ministro, o saldo negativo do sistema no ano que vem vai ultrapassar R$ 300 bilhões, colocando em risco a economia do país e, principalmente, os mais pobres. Dyogo Oliveira ainda manifestou confiança de que o Congresso vai ter sabedoria para tratar a questão. Ao vivo, Paulo La Salvia.

 

Alessandra: Uma nova missão para as Forças Armadas Brasileiras.

 

Nasi: Em viagem ao exterior, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, se encontrou com o chefe do Departamento de Missões de Paz da ONU, que fez o convite.

 

Alessandra: A nossa repórter em Washington, nos Estados Unidos, tem os detalhes.

 

Repórter Paola De Orte: Depois de ter contribuído por 13 anos na Minustah, a missão das Nações Unidas para a estabilização do Haiti, tropas brasileiras devem enfrentar agora um novo desafio internacional: contribuir para a manutenção da paz na República Centro-Africana. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, conta que o convite foi feito pelo chefe do Departamento de Missões de Paz da ONU, Jean-Pierre Lacroix.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: É decisivo, está certo, para as nossas Forças Armadas. É decisivo porque é uma experiência num terreno, está certo, em situação real que as forças, qualquer Força Armada precisa ter constantemente: aprimoramento, desenvolvimento, capacitação. Faz parte exatamente da capacidade de prontidão. E é também um recado, está certo, que nós damos: nós temos forças competentes, forças profissionais e com capacidade de lidar com situações críticas e de grande instabilidade.

 

Repórter Paola De Orte: Para que a participação do Brasil ocorra, a ONU ainda deve enviar um convite formal, que deve ser aceito pelo presidente da República e aprovado pelo Congresso Nacional. Jungmann também afirmou que no Canadá se encontrou com os ministros da Defesa do Uruguai, Argentina e Colômbia para discutir a proposta do lançamento de uma iniciativa sul-americana de segurança. A ideia é formalizar ações conjuntas entre os países para o combate aos chamados crimes transnacionais, como tráfico de drogas, armas e pessoas. A primeira reunião para discutir o assunto vai ser realizada na Argentina no início do ano que vem. De Washington, nos Estados Unidos, Paola De Orte.

 

Alessandra: 19h11 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Hoje começou mais uma fase do saque do PIS/Pasep.

 

Alessandra: Você tem dúvida se tem direito?

 

Nasi: É, daqui a pouquinho vamos dar todos os detalhes para você saber como sacar.

 

Alessandra: A merenda escolar está garantida para milhões de estudantes de escolas públicas do país.

 

Nasi: O Governo Federal liberou mais uma parcela dos recursos, que vão garantir a compra dos alimentos.

 

Alessandra: O programa oferece alimentação de qualidade há 42 milhões de estudantes todos os dias.

 

Repórter Mara Kenupp: Em uma escola pública do ensino infantil do Distrito Federal a merenda é servida em sala de aula pela merendeira, e segundo a nutricionista da escola, Isabeli Nolesco, o cardápio é feito de acordo com as necessidades dos alunos.

 

Nutricionista - Isabeli Nolesco: A criança está na escola no dia a dia. Então, ela ter esse contato com a alimentação saudável é o que vai formar hábitos saudáveis, né?

 

Repórter Mara Kenupp: E os recursos para a merenda são de uma única fonte, o PNAE, o Programa Nacional de Alimentação Escolar. A diretora da escola, Ana Paula Gomes, disse que o programa é fundamental para a aprendizagem dos alunos.

 

Diretora da Escola - Ana Paula Gomes: Esse programa não pode acabar nunca porque muitas das crianças que lancham na escola, é o único lanche que a criança tem, é a única alimentação que ela tem naquele dia.

 

Repórter Mara Kenupp: O Ministério da Educação liberou este mês a 9ª parcela do PNAE para estados, municípios e o Distrito Federal por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o FNDE. No total são R$ 415 milhões. O dinheiro é exclusivo para a compra de merenda para estudantes da educação básica de todo o país. Segundo a coordenadora-geral do PNAE, Karyne Santos, este ano já foram liberados cerca de R$ 4 bilhões.

 

Coordenadora-Geral do PNAE - Karyne Santos: É um recurso muito considerável. No ano, em fevereiro agora de 2017, nós tivemos um aumento do valor per capita da alimentação escola. Esse aumento, ele não acontecia desde o ano de 2009 em todas as etapas e modalidades de ensino. Aumentou em 20% o ensino fundamental e médio e todas as outras modalidades foram aumentadas em 7%.

 

Repórter Mara Kenupp: Por dia são 54 milhões de refeições oferecidas na rede pública em todo o país. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Nasi: Uma gripe, uma inflamação ali, uma dor que não passa, e muita gente já corre para o médico para pegar uma receita de antibiótico.

 

Alessandra: Mas o que parece ser a solução pode se tornar um problema grave: antibióticos em excesso ou tomados de forma errada, ao invés de acabar com as bactérias, podem ter o efeito contrário.

 

Nasi: É, Alessandra, e para que isso não aconteça o governo quer conscientizar a população.

 

Repórter Luana Karen: Se o assunto é doença, Erivelton Franhon sempre pensa duas vezes antes de tomar antibióticos. O radialista costuma buscar soluções alternativas até ter certeza de que a cura depende do medicamento. É assim com ele e também com o filho, o Bruno, de quatro anos.

 

Radialista - Erivelton Franhon: Tento evitar ao máximo para dar antibiótico para o meu filho ou até eu então usar também. A gente tenta outros meios, homeopatia, até remédio caseiro mesmo para tentar evitar entrar no antibiótico.

 

Repórter Luana Karen: E o Erivelton está certo. É o que afirma a médica infectologista Clarice Petramori, que inclusive orienta os pacientes a conversarem com os médicos na hora de decidir o melhor tratamento. Ela explica que o uso excessivo de antibióticos pode acabar mal.

 

Médica Infectologista - Clarice Petramori: Se você usar remédios demais, antibióticos demais, você faz com que as bactérias criem resistência e não morram com os antibióticos. Então, os tratamentos passam a ser ineficazes.

 

Repórter Luana Karen: Para marcar a Semana Mundial de Conscientização do Uso Racional de Antibióticos, o Ministério da Saúde discute o Plano Nacional de Enfrentamento da Resistência Antimicrobiana, que vai reunir as orientações da Organização Mundial da Saúde para tratar do tema. Márcio Garcia, diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, fala do cuidado que o governo tem com o tema.

 

Diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde - Márcio Garcia: Se nós não tivermos este cuidado especial, os medicamentos que nós temos hoje disponíveis não vão mais fazer efeito, né? Literalmente numa linguagem muito popular esta é a importância do problema. E aí nós não teremos medicamentos para tratar aquelas doenças que realmente precisam ser tratadas com medicamentos.

 

Repórter Luana Karen: Desde novembro de 2010, as farmácias e drogarias de todo o país só podem vender esses medicamentos mediante receita de controle especial em duas vias. A determinação da Anvisa vale para todos os antibióticos com registro e tem o objetivo de ampliar o controle sobre esses produtos e contribuir para a redução da resistência bacteriana entre os brasileiros. Reportagem, Luana Karen.

 

Alessandra: Começou hoje a segunda fase de antecipação do saque do PIS/Pasep.

 

Nasi: O governo decidiu reduzir a idade para saques das quotas. A partir de agora, podem sacar aposentados de qualquer idade que ainda têm recursos nas contas.

 

Alessandra: Nessa fase, 1,4 milhão de pessoas têm direito ao saque, que deve chegar a quase R$ 2 bilhões.

 

Repórter Cleide Lopes: A servidora pública Ana Luiza Leal não tem direito ao benefício, mas descobriu há uma semana que a avó, falecida há 23 anos, deixou como herança uma boa quantia no Pasep. Ela está preparando a documentação para sacar o dinheiro, que chegou em boa hora.

 

Servidora Pública - Ana Luiza Leal: A gente entrou no site do Banco do Brasil e a gente viu que ela tinha direito, que era beneficiária do fundo. Aí com isso a gente foi na agência do Banco do Brasil, a atendente falou que era um valor, que era um valor bem bacana até, aí a gente agora está correndo atrás da documentação. Qualquer dinheirinho a mais que estiver entrando nesse final de ano para viagem, para pagar dívida, para tudo, está valendo a pena.

 

Repórter Cleide Lopes: O superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Paulo Leal Menezes, orienta o aposentado como obter informações para saber se tem direito ou não ao benefício.

 

Superintendente Regional da Caixa Econômica Federal - Paulo Leal Menezes: As pessoas que foram cadastradas no PIS até outubro de 1988, que já estão aposentadas, que não lembram se já retiraram as quotas, que busquem uma informação no próprio site da Caixa, www.caixa.gov.br/quotas PIS, e aí lá com o CPF ou com o número do PIS ele já vai saber se ele tem direito ou não tem direito. Vale também para dependentes, vamos dizer assim, de pessoas que já faleceram. Nesse caso os dependentes podem fazer o saque.

 

Repórter Cleide Lopes: Até o fim do cronograma, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil vão liberar juntos quase R$ 16 bilhões. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: Você ouviu aí o superintendente da Caixa falando sobre o saque do PIS para trabalhadores da iniciativa privada. O saque deve ser feito nas agências da Caixa Econômica Federal.

 

Alessandra: Agora para os servidores públicos o saque deve ser do Pasep nas agências do Banco do Brasil. 19h19 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Saber como o universo foi criado, a distância do Sol para a Terra, quantos planetas existem e como surgiram as estrelas.

 

Alessandra: Conhecer mais sobre o espaço chama a atenção de crianças e adolescentes. E para incentivar ainda mais o interesse delas por essa área, a Agência Espacial Brasileira inaugurou um centro de estudos em Parnamirim, no Rio Grande do Norte.

 

Nasi: É, são laboratórios e espaços onde as crianças vão poder mexer em telescópios, foguetes e, quem sabe, seguirem a carreira no futuro.

 

Repórter Paulo La Salvia: O estudo do espaço, dos planetas e das estrelas vai ficar mais próximo dos alunos da rede pública de ensino de Parnamirim, no Rio Grande do Norte. O município fica na divisa com Natal e divide com a capital do estado o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno. No local foi inaugurado nesta semana o primeiro Centro Vocacional Tecnológico Espacial do Brasil, uma parceria entre o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e a Agência Espacial Brasileira. A secretária de Educação de Parnamirim, Francisca Alves da Silva, explica como vai funcionar o projeto.

 

Secretária de Educação de Parnamirim - Francisca Alves da Silva: É um projeto-piloto onde nós vamos trabalhar por um ano e meio. Os alunos do instituto federal vão ser treinados para serem os monitores que vão acompanhar os nossos alunos. Então, a Agência Espacial, ela vai lá com os alunos do instituto, e o instituto depois de capacitado vai atender aos alunos da nossa rede.

 

Repórter Paulo La Salvia: Os primeiros monitores já foram qualificados pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte. É o caso de Juliana Soares dos Anjos. Ela descreve o que os alunos vão conhecer e estudar no centro.

 

Monitora - Juliana Soares dos Anjos: Vai ter vários testes que a gente vai fazer lá, de várias modalidades, incluindo a parte de produção de foguetes, a gente tem o planetário que vai ensinar a mexer com telescópio. O plano essencial vai desenvolver diversas atividades, mas tudo voltadas para a temática espacial.

 

Repórter Paulo La Salvia: A meta é atender mil alunos do nono ano do ensino fundamental da rede pública de ensino de Parnamirim a partir de março do ano que vem. Depois, ampliar para o ensino médio e escolas particulares de Natal. A estudante Talita Yasmin Medeiros Oliveira, que tem 15 anos e estuda na Escola Pública Ivanira de Vasconcelos Paizinho, em Parnamirim, diz que está com muita expectativa.

 

Estudante - Talita Yasmin Medeiros Oliveira: Eu me interesso muito por essa parte do espaço, essa parte aérea. Eu me interesso muito e, assim, eu já fiz robótica aqui e é algo que nos encanta muito.

 

Repórter Paulo La Salvia: São laboratórios, drones, foguetes, além de apostilas e aulas práticas sobre robótica. É ciência pura, mas transmitida de uma forma descontraída, divertida, mostrando a importância do Programa Espacial Brasileiro, de acordo com José Raimundo Braga Coelho, presidente da Agência Espacial Brasileira.

 

Presidente da Agência Espacial Brasileira - José Raimundo Braga Coelho: A nossa preocupação é estender o conhecimento fora da escola. Dar a oportunidade, principalmente aos jovens, de ter essa extensão do conhecimento, que é o que os vai fazer aprender.

 

Repórter Paulo La Salvia: Pedro Cauê, também estudante da rede pública de ensino da Parnamirim, fala que, além da expectativa, está havendo uma possibilidade de ampliar os conhecimentos em ciência, área que pretende transformar em profissão no futuro.

 

Estudante - Pedro Cauê: Pode até me cativar mais, né, porque é uma coisa que eu vou saber mais sobre isso, né? E pode, sim, cativar mais ainda.

 

Repórter Paulo La Salvia: O investimento no primeiro Centro Vocacional Tecnológico Espacial do Brasil é de R$ 5 milhões. A previsão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e da Agência Espacial Brasileira é ampliar a iniciativa para outras regiões do país. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Alessandra: E, atenção, comunidades ribeirinhas da Amazônia.

 

Nasi: Voltamos a transmitir a Voz do Brasil através da Rádio Nacional da Amazônia.

 

Repórter Juliana Maia: As aldeias indígenas, comunidades quilombolas e populações ribeirinhas localizadas em áreas distantes da Região Amazônica voltam a ouvir a Voz do Brasil com o retorno das transmissões em ondas curtas da Rádio Nacional da Amazônia, emissora pública da Empresa Brasil de Comunicação. Desde março deste ano a emissora operava com o seu alcance reduzido, depois que um raio atingiu sua subestação de energia. Com o restabelecimento do sinal pela faixa de 25 metros, a população da região volta a ser assistida pela emissora com a prestação de serviços e informações de interesse dos cidadãos. A Rádio Nacional da Amazônia alcança mais da metade do território brasileiro e é o único meio de comunicação de milhões de pessoas que ocupam a região, inclusive em locais de difícil acesso. É por meio da emissora que essas comunidades se mantêm informadas sobre diversas ações, entre as quais de saúde e cidadania. Juliana Maia, para a Voz do Brasil.

 

Alessandra: Termina na próxima segunda-feira, dia 20 de novembro, o prazo para a renovação dos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil, o Fies.

 

Nasi: Mais de um milhão de alunos já haviam feito o aditamento até a tarde desta quinta-feira, pouco mais de 70% dos mais de 1,2 milhão de contratos previstos para o semestre.

 

Alessandra: A renovação é feita todo semestre. As universidades fazem o pedido inicial de aditamento e, em seguida, os estudantes confirmam todas as informações.

 

Nasi: Quer saber mais? Acesse sisfiesportal.mec.gov.br.

 

Alessandra: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Alessandra: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até segunda.

 

"Brasil, ordem e progresso".