17 DE DEZEMBRO DE 2018 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Internet rápida para escolas e maior segurança nas fronteiras… Inaugurado Centro de Operações Espaciais, que vai receber dados do primeiro satélite brasileiro no espaço. Para presidente Michel Temer, um exemplo de modernização do Brasil. Brasileiros vão fazer 75 milhões de viagens neste verão. E para quem vai curtir as férias de avião, Anac começa operação nos aeroportos. Pré-sal: leilões de exploração já renderam R$ 28 bi. E áreas exploradas vão gerar mais empregos e renda.

audio/mpeg 17.12.18.mp3 — 46840 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 17 de dezembro de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Internet rápida para escolas e maior segurança nas fronteiras.

 

Gabriela: Inaugurado o Centro de Operações Espaciais, que vai receber dados do primeiro satélite brasileiro no espaço.

 

Nasi: Para o presidente Michel Temer, um exemplo de modernização do Brasil.

 

Presidente Michel Temer: Em dois anos e meio, nós modernizamos em definitivo toda essa tecnologia extraordinária que foi utilizada por todos aqueles, os que trabalharam nas obras, aqueles que participaram ativamente deste momento extraordinário do nosso país.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Setenta e cinco milhões de brasileiros vão viajar neste verão.

 

Gabriela: E para quem vai curtir as férias de avião, a Anac começa a operação nos aeroportos. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: Serão cerca de 200 servidores monitorando a prestação do serviço de transporte aéreo e prestando informações sobre os direitos e deveres dos passageiros.

 

Nasi: Pré-sal. Leilões de exploração já renderam R$ 28 bilhões.

 

Gabriela: E áreas exploradas vão gerar mais empregos e renda.

 

Nasi: Na apresentação da Voz do Brasil de hoje, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Nasi: Uma ajudinha a mais para garantir a tranquilidade a quem vai viajar de avião para curtir as férias.

 

Gabriela: A Agência Nacional de Aviação Civil começou hoje, uma semana antes do Natal, a operação especial de fim de ano nos 13 principais aeroportos do país.

 

Repórter Gabriela Noronha: O fim do ano está chegando e, com ele, cresce a movimentação nos aeroportos. Brasileiros e estrangeiros aproveitam os feriados do Natal e do Ano Novo para viajar, gente como a Profa. Ana Maria de Jesus Souza, que vai curtir férias com a família no Rio Grande do Sul. Para ela, a maior preocupação é não perder o voo.

 

Professora - Ana Maria de Jesus Souza: Se antes a recomendação era chegar com uma hora de antecedência, eu pretendo chegar com duas horas de antecedência, para não correr nenhum risco de perder o voo, por exemplo.

 

Repórter Gabriela Noronha: A Agência Nacional de Aviação Civil, Anac, prevê um aumento este ano de 8% a 10% no número de passageiros em relação ao mesmo período do ano passado. Para ajudar esses passageiros, a Anac iniciou nesta segunda-feira uma operação especial e vai intensificar a fiscalização nos principais aeroportos do país. O superintendente de Ação Fiscal da Anac, Claudio Ianelli, explica que serão cerca de 200 servidores monitorando a prestação do serviço de transporte aéreo e prestando informações sobre os direitos e deveres dos passageiros. Para evitar problemas, Claudio Ianelli recomenda ainda que os passageiros busquem informações antes da viagem.

 

Superintendente de Ação Fiscal da Anac - Claudio Ianelli: Para eles, por exemplo, saberem todos os direitos e deveres deles, a Anac lançou em novembro deste ano o Portal Passageiro Digital, no site www.anac.gov.br/passageirodigital . Nesse site, inclusive que pode ser acessado pelos celulares, o passageiro pode verificar todos os seus direitos e seus deveres. Por exemplo, quanto às condições de bagagem, que é um item que tem muita dúvida, como transportar um menor, os documentos que é necessário para que o menor seja transportado, então nessa ferramenta trará todas essas informações.

 

Repórter Gabriela Noronha: A Profa. Ana diz que buscou informações sobre o voo e acha importante a fiscalização, para garantir que os clientes sejam bem-atendidos e as férias não virem dor de cabeça.

 

Professora - Ana Maria de Jesus Souza: Só assim as empresas aéreas vão realmente seguir o que eles têm por obrigação, que é atender bem ao cliente, em caso de cancelamentos de voos, dar todo o suporte aos clientes. Então, acho que a atuação da Anac é muito importante, sim.

 

Repórter Gabriela Noronha: A Anac orienta que, em caso de dúvidas ou problemas, o passageiro deve procurar o atendimento da empresa, que pode ser presencial, no aeroporto, ou eletrônico. Se o problema persistir, recomenda-se registrar a reclamação no canal www.consumidor.gov.br . Reportagem: Gabriela Noronha.

 

Nasi: E a estimativa é que entre dezembro e fevereiro sejam realizadas 75 milhões de viagens no país, seja de avião ou carro.

 

Gabriela: O número é 2% maior do que no ano passado.

 

Nasi: E as agências de viagens projetam um aumento de até 20% nas vendas.

 

Repórter Graziela Mendonça: Muita gente aproveita o verão para colocar as roupas de praia na mala e partir em busca de sol e mar. É o caso da família de Maria das Dores Souza, professora do Gama, no Distrito Federal. Eles já estão com tudo pronto para embarcar para Maceió, em Alagoas, já no início do próximo ano, em janeiro.

 

Professora - Maria das Dores Souza: A gente já organiza um ano antes para aonde a gente quer ir, o que a gente vai fazer. A gente já alugou carro, a gente já fez uma lista das praias que a gente quer visitar, restaurante que a gente quer conhecer. E nós estamos com uma expectativa muito boa.

 

Repórter Graziela Mendonça: Assim como Maria das Dores, milhares de brasileiros vão aproveitar o verão e as férias escolares para viajar pelo país. Segundo o Ministério do Turismo, de dezembro até fevereiro de 2019, serão mais de 75 milhões de viagens, um crescimento de 2% em relação ao ano passado. Os destinos de praia e sol, como Bahia, Pernambuco e Ceará, estão na preferência dos viajantes, é o que confirma o supervisor de um hotel em Salvador, capital baiana, Mateus Coelho. Ele conta que já estão com 80% de ocupação para o veraneio.

 

Supervisor de hotel - Mateus Coelho: Como a demanda na Bahia inteira é grande, nesse período de dezembro, janeiro e fevereiro, aqui no hotel não está diferente. A ocupação para o verão no hotel, nos três meses, está entre 75% a 80%.

 

Repórter Graziela Mendonça: Outros destinos que devem receber um número expressivo de turistas, de acordo com a projeção do Ministério do Turismo, são: Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Minas Gerais. E essa movimentação de viagens gera renda e emprego no país. Em uma agência de passeios do Rio de Janeiro, por exemplo, já foram feitas quatro novas contratações nesse fim de ano, para dar conta da demanda, como explica a supervisora Natália Lamothe.

 

Supervisora - Natália Lamothe: A gente já fez novas contratações, dois estagiários e dois funcionários. Dia 26 de dezembro é o dia que começa mesmo o movimento, que eu acho que já acabou as festas e as pessoas já estão mais dispostas para viajar. Janeiro é o mês mais movimentado do ano, né? Dia 2 de janeiro é o dia do ápice.

 

Repórter Graziela Mendonça: A Associação Brasileira de Agências de Viagens projeta um aumento de até 20% nas vendas para esse verão, em relação ao anterior, mais da metade para destinos nacionais. Reportagem: Graziela Mendonça.

 

Gabriela: Começa amanhã em Montevidéu, no Uruguai, a reunião de cúpula dos países do Mercosul.

 

Nasi: E hoje, ministros de relações exteriores dos países participantes do bloco já se reuniram para assinar um memorando para intensificar relações comerciais com a Rússia e outros países da Ásia.

 

Gabriela: E a repórter Danielle Popov acompanhou a reunião e tem ao vivo as informações. Boa noite, Danielle.

 

Repórter Danielle Popov (ao vivo): Boa noite, Gabriela, boa noite, Nasi, boa noite a todos. O acordo entre Mercosul e União Econômica Eurasiática, que reúne Rússia, Bielorrússia, Cazaquistão, Armênia e Quirguistão, vai permitir mais intercâmbio, diversificação de mercados e produtos de exportações. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, os dois blocos totalizam mais de 6,5% do PIB mundial. Também foi assinada uma declaração entre Brasil e Argentina na área de energia nuclear. Os dois países já têm, há 30 anos, um programa de cooperação nessa área. A ideia agora é desenvolver produtos, como isótopos, que são itens radioativos utilizados no diagnóstico e tratamento de doenças, como tireoide e distúrbios cardíacos. Os isótopos também têm aplicações na agricultura e na indústria, são usados, por exemplo, no desenvolvimento de adubos e fertilizantes. O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, explicou o acordo.

 

Ministro das Relações Exteriores - Aloysio Nunes Ferreira: O Brasil e a Argentina têm um programa de cooperação na área nuclear que é visto por todos como um programa exemplar, cooperação de pesquisa e desenvolvimento nuclear, para fins pacíficos. Tivemos já bons resultados e o nosso objetivo agora é continuar trabalhando juntos para desenvolver novos produtos, como isótopos para uso na medicina, como reatores nucleares.

 

Repórter Danielle Popov (ao vivo): Nessa terça-feira, se reúnem os chefes de Estado do Mercosul. A discussão principal deve ser sobre negociações já em andamento, como a possibilidade de acordos do bloco com União Europeia, Canadá e Coreia. O ministro Aloysio Nunes falou sobre o andamento dessas negociações.

 

Ministro das Relações Exteriores - Aloysio Nunes Ferreira: A União Europeia vem há muito tempo negociando com o Mercosul um acordo de associação econômica. Avançamos imensamente. O próximo governo e a próxima comissão europeia já terão um acervo de entendimentos, de discussões, de documentos, que permitirá o ano que vem que nós possamos firmar esse acordo. Enquanto negociarmos com a União Europeia, nós estamos negociando com outras frentes. Agora mesmo, encerramos uma rodada de negociação com o Canadá, que foi muito bem, estamos negociando com o Efta, os países do norte da Europa, iniciamos já com um mandato para chegarmos ao livre comércio e negociação com a Coreia do Sul e com Singapura também, alguma coisa em negociação.

 

Repórter Danielle Popov (ao vivo): O Mercosul, criado em 1991, é formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. A Venezuela está suspensa desde 2016 e não pode participar das reuniões do bloco. Juntas, essas nações somam um território de aproximadamente 12,8 milhões de quilômetros quadrados, cerca de três vezes a área da União Europeia. O Produto Interno Bruto dos países do Mercosul, que é a soma de todas as riquezas produzidas na região, passa de US$ 2,7 trilhões, o que torna o bloco a quinta maior economia do mundo. Ao vivo, de Montevidéu, no Uruguai, Danielle Popov.

 

Nasi: Internet rápida em áreas de difícil acesso, além de reforço para a segurança nacional.

 

Gabriela: Isso é possível com o satélite geoestacionário, em órbita desde o ano passado.

 

Nasi: Totalmente operado pelo Brasil, o satélite é controlado pelo Centro de Operações Espaciais, inaugurado hoje em Brasília.

 

Gabriela: É o centro que monitora e recebe todas as informações do satélite.

 

Repórter Cleide Lopes: O Centro de Operações Espaciais, inaugurado nesta segunda-feira, possui um conjunto de edificações com tecnologia moderna e sustentável, e servirá para operar e monitorar o satélite geoestacionário de defesa e comunicações estratégicas, colocado em órbita no ano passado. O presidente Michel Temer disse que, com esse centro, o Brasil dá um salto tecnológico.

 

Presidente Michel Temer: O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, o Ministério da Defesa, a Embratel, as Forças Armadas, a administração toda, nós acabamos trazendo o Brasil para o século 21. Em dois anos e meio, nós modernizamos em definitivo toda essa tecnologia extraordinária que foi utilizada por todos aqueles, os senhores, as senhoras, aqueles que trabalharam nas obras, aqueles que participaram ativamente deste momento extraordinário do nosso país.

 

Repórter Cleide Lopes: Com essa entrega, fica completa a infraestrutura do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas. O complexo é formado ainda pelo Centro de Operações Espaciais Secundário do Rio de Janeiro e por estações de acesso em Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e Bahia. Segundo o presidente da Telebras, Jarbas Valente, o complexo vai garantir mais segurança nas informações da administração pública.

 

Presidente da Telebras - Jarbas Valente: Inicia agora um período em que a administração pública federal passará a ter segurança nas informações, com os serviços prestados pela Telebras, e isso significa segurança para o povo brasileiro.

 

Repórter Cleide Lopes: O satélite brasileiro vai atuar no campo militar, monitorando as fronteiras, para garantir a segurança nacional, além de levar conectividade de banda larga, beneficiando milhares de escolas públicas, unidades de saúde, pontos de fronteiras, áreas indígenas e quilombolas, dentro do Programa Internet Para Todos, como explica o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.

 

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Gilberto Kassab: Esse projeto está nos permitindo, em alguns meses, levar banda larga de alta capacidade a qualquer escola pública do Brasil, qualquer que seja o seu local. No campo da defesa, o monitoramento das nossas fronteiras, a importância que terá no campo da segurança, enfim, tudo isso só foi possível por conta da excelência da engenharia brasileira, diversas gerações que têm trabalhado em projetos de comunicações no nosso Brasil.

 

Repórter Cleide Lopes: A conclusão da última etapa do projeto, que são as áreas administrativas, será em maio de 2019, mas não impede o início da operação do satélite. O centro atuará junto ao Centro de Operações Espaciais Secundário do Rio de Janeiro, que foi inaugurado no mês passado. Caso haja alguma falha na operação do satélite geoestacionário aqui da capital federal, a unidade carioca fica encarregada de operar e receber os dados do satélite. Reportagem: Cleide Lopes.

 

Nasi: E foram assinados hoje contratos com empresas da área de petróleo e gás que venceram duas rodadas de leilões do pré-sal realizadas este ano.

 

Gabriela: Com os sete contratos assinados, já são mais de 70 sob o novo regime de partilha de produção em dois anos.

 

Nasi: O presidente Michel Temer e outros representantes do governo fizeram um balanço das mudanças que foram feitas no setor nos últimos anos.

 

Repórter Pablo Mundim: Com a abertura do mercado de exploração de óleo e gás no país, o governo federal tem atraído a participação de empresas estrangeiras na exploração da camada do pré-sal. Hoje, o Brasil produz mais de 2,5 milhões de barris de petróleo/dia. Em dois anos, foram mais de 70 contratos assinados em regime de partilha de produção, modelo em que a empresa vencedora oferece ao Estado a maior parcela de excedente em óleo extraído. No mesmo período, foram arrecadados quase R$ 28 bilhões com leilões. Nesta segunda-feira, mais sete contratos foram assinados, são referentes à quarta e quinta rodadas para exploração do pré-sal realizadas este ano. Segundo o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, os investimentos vieram a partir de mudanças feitas pelo governo.

 

Ministro de Minas e Energia - Moreira Franco: Mudanças de governança, mudanças, mudanças regulatórias, a busca incansável de mais transparência, de mais concorrência, de mais competição, de formular regras que dessem segurança jurídica, que dessem previsibilidade, que permitissem que as pessoas que querem investir, que querem produzir, que querem trabalhar, pudessem organizar suas vidas, suas empresas, fazendo os cálculos adequados para participarem dos lances, que permitiram esses avanços todos.

 

Repórter Pablo Mundim: O presidente Michel Temer destacou que os avanços no setor são fruto de reformas que trouxeram o país do século 20 para o século 21. Uma delas foi a recuperação de estatais.

 

Presidente Michel Temer: Convenhamos, a própria Petrobras, há muito tempo atrás, ela começou, que sempre foi uma empresa prestigiada, começou, num certo período, a perder prestígio, por razões as mais variadas, mas nesses últimos tempos ganhou uma significação extraordinária no cenário nacional e no cenário internacional, especialmente agora pela ampla modernização do setor de petróleo e gás.

 

Repórter Pablo Mundim: O presidente Michel Temer também assinou autorização para a 16ª rodada de licitações de blocos sob o regime de concessão previstos para outubro do ano que vem. Ainda estão previstos leilões em 2020 e 2021. O presidente também assinou decreto que garante estudos e elaboração de propostas para manter o funcionamento adequado do setor de gás no Brasil. Reportagem: Pablo Mundim.

 

Gabriela: E o presidente Michel Temer reafirmou os avanços do seu governo, como as reformas trabalhista, do Ensino Médio, a implantação do teto de gastos no setor público e a regularização fundiária.

 

Nasi: Em uma solenidade, Temer recebeu o título de sócio honorário da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal, em reconhecimento por atos, como a criação da região metropolitana do Distrito Federal.

 

Gabriela: Em seu discurso, o presidente também destacou que o governo avançou na recuperação de empresas estatais.

 

Presidente Michel Temer: Nós recuperamos as estatais. A Petrobras, hoje, ganhou um fôlego extraordinário e é, na verdade, enaltecida. Há uns oito meses atrás eu recebi um telefonema do Caffarelli, presidente do Banco do Brasil, e ele me dizia: "Olha, presidente, quando nós chegamos aqui, a ação do Banco do Brasil valia R$ 15, agora vale R$ 45". Ou seja, o patrimônio do Banco do Brasil cresceu três vezes. Se era R$ 35 bilhões, passou a cento e tantos bilhões. Correios, só dava prejuízo, não é? Semestre a semestre. Agora nós estamos no segundo semestre, foi a primeira vez que deu balanço positivo nos Correios. Ou seja, recuperamos as estatais.

 

Nasi: E o presidente Michel Temer também foi homenageado com a Medalha Ordem do Mérito do Ministério da Justiça, Ordem Grã-Cruz.

 

Gabriela: A medalha é concedida a pessoas e instituições que contribuíram para o fortalecimento do Ministério.

 

Nasi: Este ano, a medalha foi entregue a mais de 40 pessoas.

 

Gabriela: Cerrado apresenta o menor desmatamento da História.

 

Nasi: Daqui a pouco a gente traz o que está sendo feito para preservar essa vegetação, que reúne cerca de 5% das espécies animais e vegetais do mundo.

 

Gabriela: O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, anunciou o nome da subprocuradora-geral da República, Maria Hilda Marsiaj, para a Secretaria Nacional de Justiça.

 

Nasi: Sérgio Moro explicou que a secretaria administrativa, setores importantes do Ministério da Justiça, e deu detalhes das funções da futura secretária.

 

Futuro ministro da Justiça - Sérgio Moro: A Secretaria Nacional de Justiça é extremamente importante, no âmbito da secretaria está lá órgãos como o DRCI, que é o Departamento de Recuperação de Ativos, está a área de imigrações do Ministério da Justiça, hoje esse é um tema importante, também o Departamento de Políticas do Judiciário, que orienta o presidente nas nomeações em Tribunais Federais e para os Tribunais Superiores, e, por outro lado, também ali foi transferida essa coordenação de registro sindical, a pedido do governo que foi eleito, com a expectativa de reduzir problemas de corrupção nessa área, que têm sido verificados nos últimos anos.

 

Gabriela: Segunda maior área de vegetação do país, atrás apenas da Amazônia, o cerrado apresentou melhora na taxa de desmatamento no último ano.

 

Nasi: A área devastada, de cerca de 6,5 mil quilômetros quadrados, é a menor da série histórica.

 

Gabriela: E nós vamos ouvir agora o que está sendo feito para preservar o cerrado, que reúne cerca de 5% das espécies animais e vegetais do mundo.

 

Repórter Natália Koslyk: A savana mais rica do mundo, onde crescem mais de 11,5 mil espécies de plantas nativas e que dão frutos como o pequi, buriti, mangaba e cagaita. Fauna diversa e abundante, onde vivem aproximadamente 320 mil espécies de animais, dentre eles a cascavel, o lobo-guará, o jacaré e a onça-pintada. Refúgio de borboletas, abelhas e cupins dos trópicos. Caixa d'água do Brasil, onde nascem as três maiores bacias hidrográficas da América do Sul: Amazônica, São Francisco e Prata. Tudo isso são riquezas do cerrado, que se estende ao longo de 25% do território nacional. E é do solo deste bioma que muitos brasileiros tiram seu sustento, como conta o biólogo Jonathan Novaes, diretor do Instituto Cerrado.

 

Diretor do Instituto Cerrado - Jonathan Novaes: Trabalham com buritis, como uma espécie especial do cerrado, o próprio pequi, o próprio baru. Então, todas essas plantas são beneficiadas em várias linhas de produção, desde farinha, pães, complementando um alimento, ou a um banco, ou a algum item de decoração em casa. Então, tem um valor muito grande para várias comunidades.

 

Repórter Natália Koslyk: É o caso da artesã Tânia Elou, que, há 18 anos, vive do cerrado. Ela e o marido transformam plantas e sementes características desse bioma em joias banhadas a ouro. E dessa técnica surgiu o nome da loja em Brasília: Filigrana do Cerrado. Mas, para a dona, o cerrado é muito mais do que uma matéria prima.

 

Artesã - Tânia Elou: E a gente vai criando amor, né? E durante essa trajetória, a gente foi conhecendo mais, pesquisando mais, a delicadeza, a sutileza do cerrado. É muito lindo, a diversidade, a cor, apesar de muita gente achar que é tudo numa cor só, mas quando chega a chuva é uma coisa espetacular.

 

Repórter Natália Koslyk: Mas o cerrado de tantas riquezas é um dos biomas mais ameaçados. Desde 2010, ano em que começou um plano de ação para a proteção do bioma, as áreas desmatadas diminuíram 33%. De acordo com o Inpe, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, entre agosto de 2017 e julho de 2018, foram desmatados pouco mais de 6,6 mil quilômetros quadrados, uma redução de 11% em relação ao período anterior, e um recorde na série histórica. O ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, fala de algumas ações que contribuíram para isso e que hoje são exemplo para o mundo.

 

Ministro do Meio Ambiente - Edson Duarte: São as nossas ações de identificação, prevenção e combate aos incêndios florestais. O outro aspecto é o trabalho de comando e controle, de fiscalização, com imagens de satélite, para ações mais eficientes, mais rápidas. E, por último, o trabalho na promoção de uma prática agrícola que aumente a produtividade para diminuir a necessidade de ampliação da fronteira agrícola avançando sobre a vegetação nativa.

 

Repórter Natália Koslyk: Apesar dos avanços, o ministro destaca que ainda há muito que ser feito para a preservação do cerrado, que contém 5% da biodiversidade mundial. Os estados que mais contribuíram para o desmatamento do cerrado em 2018 foram Tocantins, Maranhão, Mato Grosso e Goiás. Reportagem, Natália Koslyk.

 

Nasi: Mais de 10,2 mil profissionais brasileiros ou estrangeiros formados no exterior completaram a inscrição para participar do programa Mais Médicos.

 

Gabriela: As inscrições foram prorrogadas pelo Ministério da Saúde e terminaram no domingo.

 

Nasi: E o prazo para médicos com registro no Brasil se apresentarem aos municípios termina amanhã.

 

Gabriela: Até o final da manhã de hoje, dos 8,4 mil profissionais inscritos, quase 6 mil já tinham comparecido ou iniciado as atividades.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".