20 DE NOVEMBRO DE 2017

Destaques da Voz do Brasil: Brasil registra maior número de geração de novas vagas, em todo o ano. 76 mil empregos com carteira assinada foram criados em outubro. Toma posse novo diretor da Polícia Federal. Sexta feira é dia de Black Friday e a Senacon faz o alerta para evitar ofertas enganadoras.

audio/mpeg 20-11-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 23539 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentador Luciano Seixas: Boa noite.

 

Nasi: Boa noite pra você que nos acompanha em todo o país.

 

Luciano: Segunda-feira, 20 de novembro de 2017.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Luciano: Setenta e seis mil empregos com carteira assinada em outubro.

 

Nasi: E Brasil registra o maior número de geração de novas vagas em todo o ano. José Luís Filho.

 

Repórter José Luís Filho: Os empregos com carteira assinada foram abertos, principalmente, pelos setores do comércio, indústria de transformação e serviços. Eu volto daqui a pouco com os detalhes dessa notícia.

 

Luciano: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Hoje é dia da Consciência Negra. Vamos conversar ao vivo com o secretário da Seppir.

 

Luciano: Novo diretor da Polícia Federal toma posse. Cleide Lopes.

 

Repórter Cleide Lopes: Fernando Segóvia disse que sua agenda prioritária à frente da Polícia Federal é combater a corrupção e o crime organizado no país.

 

Nasi: E sexta-feira é dia de Black Friday.

 

Luciano: E nós damos as dicas para que você não caia em ofertas enganadoras. Beatriz Albuquerque.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Os consumidores precisam estar atentos na hora de comprar, seja na internet ou em lojas físicas.

 

Nasi: Na apresentação, Luciano Seixas e Nasi Brum.

 

Luciano: E pra assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Nasi: Hoje se comemora do Dia da Consciência Negra no Brasil, dia de reforçar o combate ao preconceito.

 

Luciano: O dia 20 de novembro foi escolhido para lembrar a morte de Zumbi dos Palmares, uma das principais lideranças negras da história do país.

 

Nasi: O presidente Michel Temer usou as redes sociais para destacar a importância do respeito à diversidade. O presidente aproveitou a data para convocar todos os brasileiros para a construção de um Brasil harmônico, baseado no respeito à diversidade.

 

Luciano: E para conversar sobre o assunto, nós recebemos aqui no estúdio o secretário de Políticas da Promoção de Igualdade Racial do Ministério dos Direitos Humanos, Juvenal Araújo. Boa noite, secretário.

 

Secretário de Políticas da Promoção de Igualdade Racial - Juvenal Araújo: Boa noite, boa noite a todos os ouvintes, aos telespectadores, aqui é muito importante, para que nós possamos aqui, num dia tão especial, que é o Dia da Consciência Negra, estarmos aqui batendo um papo sobre a importância da política de promoção da igualdade racial.

 

Luciano: Prazer é nosso de recebê-lo aqui. Secretário, quando o assunto é igualdade e combate ao preconceito, é possível ver avanços no nosso país? Que ações o senhor destacaria por isso?

 

Secretário de Políticas da Promoção de Igualdade Racial - Juvenal Araújo: Sim, nós temos vários desafios, né, na população, e que nós temos a maioria da população brasileira, mas ainda nós temos uma minoria política, né? O racismo no Brasil, ele é estrutural, ele é institucional, mas sim, nós vemos avanços. Um deles é o sistema de cotas, né, ou reserva de vagas para negros, tanto no ensino superior quanto no serviço público. Nós temos também um dos avanços que é a obrigatoriedade do quesito raça/cor também no Sistema Único de Saúde, porque nós sabemos que nós temos doenças prevalentes específicas da população negra. Nós temos outras políticas como Juventude Viva, por exemplo, que trabalha a questão da vulnerabilidade juvenil, que foi retomado agora, após quatro anos. Também nós temos o programa Brasil Quilombola, que também estava parado há quatro anos e hoje atende mais de 3 mil comunidades remanescentes de quilombos. Temos desafios, mas nós temos avanços e continuamos lutando, não só o órgão governamental, que é a Seppir, mas também a sociedade civil, representada no que tange das políticas necessárias para promover a igualdade racial.

 

Nasi: Secretário, e onde ainda é preciso melhorar? Quais são os pontos mais sensíveis? O que a Secretaria vem fazendo nesse sentido?

 

Secretário de Políticas da Promoção de Igualdade Racial - Juvenal Araújo: Sim. Citei alguns casos, principalmente a questão da violência aos jovens negros no Brasil, que hoje nos assusta. Para você ter uma ideia, nós estamos hoje na Década Internacional dos Afrodescendentes, até 2024, e era um período em que a gente devia estar discutindo políticas públicas necessárias, implantando, e hoje vivemos uma vulnerabilidade, principalmente ligada à violência aos jovens negros. Nós, hoje, temos, somos atingidos através do racismo religioso, aos adeptos das religiões de matriz africana, ao qual hoje nós vemos na televisão os ataques a esses terreiros. Vivemos hoje, principalmente a violência ligada às mulheres, né, o feminicídio hoje, 70% das suas vítimas são mulheres negras. Nós temos hoje, os desafios são enormes, por causa da cor da pele no Brasil. Mas nós acreditamos que, enfrentando o racismo através de políticas públicas, nós vamos realmente avançar. Através de políticas públicas efetivas e políticas públicas permanentes.

 

Luciano: E quando falamos de combate ao preconceito, secretário, hoje a Secretaria tem um canal de denúncias, né? Até porque racismo é crime previsto no Código Penal, não é?

 

Secretário de Políticas da Promoção de Igualdade Racial - Juvenal Araújo: Sim. Hoje, no Ministério de Direitos Humanos, direcionado por nossa ministra Luislinda Valois, nós temos o Disque 100, que é um canal direto ligado para todas as denúncias de racismo no Brasil. E é muito importante nós afirmarmos que racismo é crime, ele tem que ser combatido, ele tem que ser denunciado e ele tem que ser punido. Então, você, que sofreu qualquer tipo de racismo, por favor, o nosso canal é o Disque 100. Ligue a qualquer hora do dia, é gratuito e nós estamos prontos pra realmente poder acionar os canais responsáveis para que o racismo jamais seja tolerado ou jamais seja aceito no Brasil.

 

Nasi: Então, nós conversamos aqui e agradecemos a presença do secretário de Políticas da Promoção de Igualdade Racial, do Ministério dos Direitos Humanos, Juvenal Araújo. Secretário, muito obrigado pela participação aqui na Voz do Brasil.

 

Secretário de Políticas da Promoção de Igualdade Racial - Juvenal Araújo: Eu que agradeço a todos os ouvintes, telespectadores e estamos à disposição para que nós continuemos lutando por um país ainda mais igual.

 

Luciano: O Brasil continua gerando novos empregos.

 

Nasi: Só no mês de outubro, foram 76 mil vagas de trabalho com carteira assinada.

 

Luciano: Para o Ministério do Trabalho, um sinal de que o país está no rumo certo e retomando o crescimento.

 

Nasi: O repórter José Luís Filho está ao vivo com a gente, vai dar os detalhes desses números que foram divulgados agora há pouco. Boa noite, José Luís.

 

Repórter José Luís Filho (ao vivo): Olá, boa noite, Nasi. Boa noite, Luciano. Olha, eu conversei esta tarde com a Arlete da Conceição Brito, que ficou desempregada por três anos e meio. Nesse período, ela viveu com dinheiro de trabalhos eventuais, entre eles o de babá dos próprios sobrinhos. Há dois meses, a ex-vendedora decidiu procurar um trabalho com carteira assinada. A experiência em cuidar de crianças a ajudou. Em outubro, Arlete foi chamada para ser auxiliar em uma creche, aí no Distrito Federal. A contratação veio antes do que ela imaginava.

 

Entrevistada - Arlete da Conceição Brito: Eu já tinha experiência com criança e eu coloquei o currículo e, logo depois, eu fui chamada, depois de duas semanas. Aí eu estou aqui desde outubro. Estou gostando.

 

Repórter José Luís Filho (ao vivo): E ela conta que, além dela, mais uma cuidadora foi contratada no mês passado. A Arlete e a nova colega de creche estão entre os 76.599 trabalhadores que conseguiram empregos com carteira assinada no mês de outubro em todo o Brasil. Outubro, aliás, foi o melhor mês de geração de empregos, não só em 2017, mas dos últimos três anos. Também foi o sétimo mês seguido e o oitavo mês do ano com saldo positivo na geração de postos de trabalho. No total, foram abertas neste ano até agora 302.189 vagas. Os números são do Caged, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho, e foram divulgados no fim da tarde pelo ministro Ronaldo Nogueira, em uma entrevista coletiva. Segundo o ministro, as contratações foram feitas, principalmente, pelo comércio, a indústria de transformação e o setor de serviços. Na opinião do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, o aumento de postos de trabalho consolida e potencializa as políticas adotadas pelo Governo Federal.

 

Ministro do Trabalho - Ronaldo Nogueira: Agora em 2017, o Brasil aí pode comemorar. Isto consolida e potencializa aquilo que nós já vínhamos anunciando, que todas as políticas adotadas pelo governo estavam corretas. Os resultados são efetivos, eficazes naquele propósito fundamental que é a geração de emprego.

 

Repórter José Luís Filho (ao vivo): Ainda de acordo com o ministro Ronaldo Nogueira, nos próximos meses o número de vagas abertas deve ser ainda maior, com a entrada em vigor da nova legislação trabalhista, agora dia 11, que regulamentou o teletrabalho ou home office, aquele que é feito em casa, a jornada parcial e o trabalho intermitente. A expectativa é de que milhões de vagas sejam abertas nos próximos dois anos.

 

Ministro do Trabalho - Ronaldo Nogueira: Temos a convicção que 2018 e 2019, só com a regulamentação desses contratos e essas pessoas que sairão da informalidade, nós teremos a oportunidade de gerar aí 2 milhões de empregos formais no Brasil.

 

Repórter José Luís Filho (ao vivo): E a geração de empregos com a nova legislação trabalhista é esperada, principalmente, nos setores de hotéis, bares e restaurantes, eventos e no de tecnologia da informação. De São Paulo, ao vivo, José Luís Filho.

 

Luciano: Através das redes sociais, o presidente Michel Temer comentou a geração de empregos em outubro.

 

Nasi: Segundo Temer, o Brasil está no caminho certo e o número de empregos criados só aumenta.

 

Luciano: O presidente destacou os dados do Caged como o melhor resultado do ano no mês de outubro e a geração de mais de 300 mil postos de trabalho desde janeiro.

 

Nasi: R$ 150 milhões vão ser investidos em Apaes de todo o Brasil.

 

Luciano: O dinheiro do Ministério da Saúde será repassado para ampliar o atendimento nesta, que é uma verdadeira rede de apoio à pessoa com deficiência pelo país.

 

Repórter Pablo Mundim: Tocar em uma banda, cantar no coral e dançar. Aos 32 anos, Tiago Calisto, morador de Natal, no Rio Grande do Norte, divide o tempo entre as atividades diárias, a família e os amigos. Dedicação que só é possível graças à atenção especializada da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, a Apae. Com síndrome de Down, Tiago conheceu a Apae aos seis anos. Sua irmã, Ana Lúcia dos Santos, conta como a Associação mudou a vida do garoto.

 

Entrevistada - Ana Lúcia dos Santos: Hoje é um rapaz de 32 anos, totalmente independente. A dependência que ele tem é que ele não anda só, mas faz todas as suas atividades. É superdesenvolvido o meu irmão, graças a Deus e à Apae.

 

Repórter Pablo Mundim: Uma evolução conquistada diariamente com médicos, professores, fonoaudiólogos, psicólogos e assistentes sociais. Mas todo esse trabalho precisa de ajuda financeira, e o Governo Federal anunciou que vai ampliar os recursos para as Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais. O ministro da Saúde, Ricardo Barros, explica a destinação do dinheiro que pode beneficiar mais de mil instituições que ofertam serviços pelo Sistema Único de Saúde, o SUS.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Serão R$ 100 milhões para um programa de reabilitação, de reestruturação, de ampliação da estrutura das Apaes, e, portanto, todas as 1.068 Apaes estarão habilitadas a participar deste programa; e mais R$ 50 milhões que se referem ao aumento de tabela para os cinco procedimentos que mais as Apaes praticam, pagos pelo SUS.

 

Repórter Pablo Mundim: O Brasil conta com mais de 2 mil Apaes e entidades filiadas, para atender cerca de 250 mil pessoas com deficiência intelectual e múltipla, diariamente, como a Apae de Natal. A diretora Sueli de Andrade comemora o anúncio do governo.

 

Diretora de Apae - Sueli de Andrade: Vai trazer a melhoria na ampliação dos nossos atendimentos, dos nossos equipamentos, e a gente vai ter condição de atender um maior número de pessoas com deficiência.

 

Repórter Pablo Mundim: Para ter acesso aos recursos, a instituição deve apresentar projetos de qualificação da assistência à pessoa com deficiência. A chamada pública será aberta ainda este mês. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Luciano: 19h12 em Brasília.

 

Nasi: Está esperando o Black Friday para comprar?

 

Luciano: Então é bom ficar atento pra não cair em ofertas enganadoras.

 

Nasi: Daqui a pouco, a Voz do Brasil dá as dicas para que você possa aproveitar as promoções.

 

Luciano: Atenção, contribuintes. Tem mudanças no preenchimento do imposto de renda da pessoa física para o ano que vem.

 

Nasi: É. Esse é o nosso assunto de hoje do quadro "Pra você, cidadão".

 

"Pra você, cidadão".

 

Repórter Daniela Almeida: A Receita Federal alterou a idade mínima dos dependentes que precisam indicar o CPF na declaração do imposto de renda da pessoa física. Essa idade agora é de oito anos e já será cobrada na declaração que deverá ser enviada em 2018. Neste ano, a idade mínima fixada pelo governo para a apresentação do documento já havia sido reduzida de 14 para 12 anos. E, a partir da declaração de 2019, ano-base 2018, vão estar obrigadas a apresentar o CPF todas as pessoas físicas que constem como dependentes na declaração, independentemente da idade. Em nota, a Receita informou que a redução tem como objetivo evitar que a declaração caia na malha fina, possibilitando maior rapidez na restituição do crédito tributário. Daniela Almeida para a Voz do Brasil.

 

Luciano: O combate à corrupção é uma prioridade da Polícia Federal.

 

Nasi: A declaração é do novo diretor-geral da instituição, Fernando Segóvia, que tomou posse hoje, numa cerimônia que reuniu ministros, o presidente Michel Temer e o delegado que deixou o cargo após quase sete anos, Leandro Daiello, que anunciou sua aposentadoria.

 

Luciano: Segóvia é advogado e está na Polícia Federal há 22 anos.

 

Repórter Cleide Lopes: Fernando Segóvia disse que sua agenda prioritária à frente da Polícia Federal é combater a corrupção e o crime organizado no país.

 

Diretor da Polícia Federal - Fernando Segóvia: Buscaremos o combate incansável à corrupção no Brasil, que continuará sendo a agenda prioritária da Polícia Federal, tendo como premissa a continuidade de operações especiais, tais como Lava Jato, Cui Bono, Sermão aos Peixes, Cadeia Velha, Lama Asfáltica e tantas outras em andamento nos inquéritos que tramitam no Supremo Tribunal Federal e nas varas da Justiça Federal do Brasil afora. Combateremos também com o mesmo vigor e vitalidade o crime organizado em suas diversas modalidades. Teremos um capítulo especial, em virtude das eleições de 2018, coibindo qualquer tipo de crime, independentemente de partidos políticos.

 

Repórter Cleide Lopes: O ministro da Justiça, Torquato Jardim, disse que o novo diretor tem o desafio de construir meios eficazes para cumprir ao máximo a Constituição Federal Brasileira.

 

Ministro da Justiça - Torquato Jardim: O prejuízo que causam as condutas desviadas do fim ético da lei agride a sociedade muito mais que o indivíduo, porque gera a dúvida coletiva na isenção da conduta de quem atua em nome do Estado. Não há outra perspectiva institucional que possa legitimar a Polícia Federal que não essa.

 

Repórter Cleide Lopes: O presidente Michel Temer agradeceu nas redes sociais ao ex-diretor da Polícia Federal Leandro Daiello, pelos serviços prestados à instituição durante sete anos, e parabenizou Fernando Segóvia, que assume o cargo, exaltando a sua capacidade de trabalho e preparo profissional. O presidente Temer finalizou dizendo que teremos uma Polícia Federal cada vez mais forte. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: O Brasil tem quase 7.500 quilômetros de litoral, todo ele banhado pelo Oceano Atlântico.

 

Luciano: São pelas águas do oceano que muitas pessoas vivem, seja da pesca ou até mesmo em função do turismo, com a beleza de nossas praias.

 

Nasi: Por isso, é muito importante saber se as mudanças climáticas estão afetando nosso litoral. E o Brasil vai fazer parte de um grupo de países que vai realizar estudos científicos sobre o Oceano Atlântico.

 

Luciano: Representantes desses países estão reunidos em Florianópolis, capital de Santa Catarina. A repórter Luana Karen está lá e tem os detalhes dessa parceria.

 

Repórter Luana Karen: Ocupando cerca de 20% do Planeta Terra, o Oceano Atlântico tem grande importância econômica e histórica para o Brasil e Portugal. É pelo Atlântico que vai e vem boa parte do que o Brasil vende e compra lá de fora. O oceano também garante ao país quase 7.500 quilômetros de praias, boa parte delas com fama internacional. Foi pelo Oceano Atlântico que Portugal se tornou uma potência na área da navegação, cerca de 500 anos atrás. Pelo oceano, os portugueses fizeram várias descobertas, inclusive a do Brasil. Agora, os dois países são parceiros justamente no estudo do Atlântico. Junto com outros nove países e a União Europeia, eles discutem a criação do Centro Internacional de Pesquisas Atlânticas, o Air Center. Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, fala da importância do centro.

 

Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal - Manuel Heitor: Portanto, das cidades, a agricultura, as pescas, precisamos de ter mais tecnologia e mais conhecimento, que criem mais empregos e que nos deem uma sociedade mais justa.

 

Repórter Luana Karen: O arquipélago de Açores, localizado a cerca de 1.500 quilômetros da costa de Portugal, vai servir de base para o Centro. Do lado brasileiro, o arquipélago de Fernando de Noronha e as ilhas de São Pedro e São Paulo vão dar suporte ao projeto. O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, afirma que o investimento em tecnologia pode nos levar a um futuro melhor.

 

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Gilberto Kassab: O conhecimento do oceano nos possibilitará controlar, ter informações de uma série de fenômenos em relação a maremotos, em relação ao comportamento do meio ambiente, os seus impactos no nosso país, ao longo de toda a costa.

 

Repórter Luana Karen: O Atlântico também pode ajudar a explicar problemas que afetam a vida de cada um de nós, como a escolha pelo que comer. Quem traz o exemplo é o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina, Sérgio Gargioni.

 

Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina - Sérgio Gargioni: Muitas comunidades ribeirinhas, como aqui em Santa Catarina, temos uma indústria pesqueira bastante relevante. E, recentemente, se falava que, numa das empresas, dizia assim: "Olha, tivemos que fechar, parar, porque não tem mais sardinha".

 

Repórter Luana Karen: Até o final de 2018, pesquisas já devem estar sendo realizadas pelo Air Center. Reportagem, Luana Karen.

 

Nasi: Nesta sexta-feira, dia 24, é dia de aproveitar promoções. É a Black Friday.

 

Luciano: O termo teve origem nos Estados Unidos. Durante todo o dia as lojas fazem descontos especiais aos clientes.

 

Nasi: E para proteger quem está à espera dessas promoções, a Secretaria Nacional do Consumidor faz o alerta para evitar as maquiagens de preços e ofertas enganadoras.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Ana Carolina Leal está ansiosa para receber as chaves do novo apartamento e, para a casa nova, eletrodomésticos novos. Ela está pesquisando na internet há dois meses o preço da geladeira dos seus sonhos. Ela conta que vai aproveitar o Black Friday para conseguir um preço melhor, mas sem descuidar de alguns pontos.

 

Entrevistada - Ana Carolina Leal: Fazer pesquisas pela internet, em fornecedores confiáveis, e tentando também sempre pesquisar por meio daqueles sites que fazem a comparação de preços entre várias lojas. Se o preço não estiver pelo menos 20% mais barato do que aquele valor médio ali, não compensa para mim.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: E é justamente para ajudar pessoas como a Ana Carolina, que querem fazer compras na Black Friday, que a Secretaria Nacional do Consumidor está fazendo uma operação inédita de fiscalização e monitoramento nas vendas pela internet. Aspectos como maquiagem de preço e propagandas enganosas são os mais combatidos pela ação. É o que explica Arthur Rollo, secretário nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça.

 

Secretário nacional do Consumidor - Arthur Rollo: A gente fez uma parceria inédita e pedimos que o Reclame Aqui, na identificação de qualquer irregularidade nas ofertas dos produtos, nos comunique, porque aí nós vamos mobilizar os diversos Procons aí pelo Brasil pra instaurar processos administrativos contra todas as empresas que praticarem irregularidades.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Os consumidores precisam estar atentos na hora de comprar, seja na internet ou em lojas físicas. Para o assessor jurídico do Procon do Distrito Federal, Felipe Mendes, a melhor maneira de não cair em golpes é pesquisar.

 

Assessor jurídico do Procon - Felipe Mendes: Primeiro, ele precisa fazer uma análise se ele precisa ou não daquele produto, evitar a compra por impulso. E um segundo ponto é que o consumidor, ele pesquise, pesquise, pesquise. Se você se mune de informações, a possibilidade de cair em golpes é muito pequena.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Seguindo essas orientações, a Black Friday pode ser, sim, uma maneira de garantir bons preços. E a Ana Carolina está confiante que vai fazer bons negócios.

 

Entrevistada - Ana Carolina Leal: Se tudo der certo, espero estar com minha geladeira nova na minha casa nova, se Deus quiser.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: E a Secretaria do Consumidor lembra que toda vez que você comprar pela internet, tem sete dias para se arrepender, contados da efetiva entrega do produto. Se após comprar você constatar que o preço não valeu a pena, pode se arrepender, comunicando o seu fornecedor. Nesse caso, nenhum valor poderá ser descontado daquilo que você pagou. Para denunciar ou fazer uma reclamação, você deve procurar o Procon mais próximo. Reportagem, Beatriz Albuquerque.

 

Nasi: 19h22 no horário brasileiro de verão.

 

Luciano: Mais de 80 doenças podem ser tratadas com transplante de células-tronco do cordão umbilical de recém-nascidos.

 

Nasi: Isso porque esse é um sangue rico em células-tronco especiais.

 

Luciano: E o Brasil já conta com 13 bancos públicos de sangue e armazena quase 24 mil unidades de cordão umbilical.

 

Nasi: O arquivo brasileiro é interligado com o de outros países, aumentando as chances de doação.

 

Repórter Gabriela Noronha: A administradora Alessandra Silva é mãe de Laura, Vitória e Guilherme, e não mede esforços para manter essa turminha, além de feliz, saudável. Há seis anos, ela e o marido tomaram uma decisão: guardar o sangue do cordão umbilical dos filhos em um banco de sangue.

 

Administradora - Alessandra Silva: O obstetra comentou de algumas doenças, principalmente o diabetes, que estava sendo pesquisada a partir da coleta do cordão umbilical, e como na família do meu esposo tem a questão genética da diabetes, então a gente optou em fazer a coleta para se um eventual problema tivesse como estar resolvendo, né, como estar se curando.

 

Repórter Gabriela Noronha: Rico em células-tronco, essenciais para o transplante de medula óssea, esse material valioso pode tratar mais de 80 doenças, como leucemias, linfomas e anemias graves. Hoje, o congelamento de sangue do cordão umbilical já pode ser feito em bancos públicos de sangue. A doação não custa nada para quem doa nem pra quem recebe. No Brasil, existem 13 bancos espalhados por todas as regiões do país. As amostras de sangue do cordão umbilical ficam congeladas e as informações genéticas registradas em um arquivo interligado a uma rede de bancos públicos mundial. Margarida Maria Pinheiro é supervisora do Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário de Brasília, e explica que uma doação pode servir para um paciente brasileiro ou de qualquer outro país.

 

Supervisora de banco de sangue - Margarida Maria Pinheiro: Esse sangue, ele vai ser usado para um paciente que necessita de um transplante de medula e que não tem um doador compatível nem na família ou não familiar. Pode ser um paciente que esteja em Manaus ou em São Paulo. Não importa. A partir do momento em que houve uma compatibilidade do cordão com o paciente, o banco é acionado.

 

Repórter Gabriela Noronha: De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, já foram preservadas quase 24 mil unidades de cordão umbilical nos bancos públicos do país. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Luciano: Atenção, estudantes. O prazo para renovação dos contratos do Fies foi prorrogado para o dia 30 de novembro.

 

Nasi: O novo prazo deve ser publicado no Diário Oficial da União de amanhã.

 

Luciano: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Luciano: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite

 

Luciano: Boa noite pra você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".