21 DE AGOSTO DE 2017

Destaques da Voz do Brasil: Mais um país se une ao Brasil no combate ao crime organizado. Segurança foi assunto em encontro do presidente Michel Temer com presidente do Paraguai. No Rio de Janeiro é realizada mais uma ação com apoio de forças federais. Mais um balanço do pente fino do INSS e 80% dos benefícios estavam irregulares. Acordo com o governo de São Paulo para o empréstimo de bombas vai acelerar chegada da água aos cearenses.

audio/mpeg 21-08-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 23369 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos ouve aí em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 21 de agosto de 2017.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Mais um país se une ao Brasil no combate ao crime organizado.

 

Nasi: Segurança foi assunto em encontro do Presidente Michel Temer com o presidente do Paraguai.

 

Presidente da República - Michel Temer: Quando nós pensamos em promover os interesses concretos de brasileiros e paraguaios, nós temos uma preocupação comum da segurança pública.

 

Gabriela: E no Rio de Janeiro é realizada mais uma ação com apoio de forças federais. Natália Melo.

 

Repórter Natália Melo: A operação foi realizada em sete comunidades do Rio de Janeiro, foram cumpridos mandados da prisão de suspeitos de tráfico com drogas, além de apreensão de entorpecentes.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Mais um balanço do pente-fino do INSS, 80% dos benefícios estavam irregulares.

 

Nasi: E vamos falar de mais um acordo com o governo de São Paulo para o empréstimo de bombas que levaram águas aos paulistanos do período da seca e agora vão acelerar a chegada da água aos cearenses.

 

Gabriela: Hoje na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Gabriela: O Presidente Michel Temer recebeu hoje a visita do presidente paraguaio Horacio Cartes.

 

Nasi: Os dois chefes de estado conversaram sobre a situação da Venezuela, parcerias comerciais e a cooperação entre os dois países na área de segurança.

 

Repórter Mara Kenupp: Os presidentes do Paraguai, Horacio Cartes, e o do Brasil, Michel Temer, fizeram uma avaliação das operações de combate ao crime organizado realizadas na região de fronteira. Temer discursou sobre a importância da parceria com o Paraguai em questões de segurança. No passado a Polícia Federal e a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai assinaram acordo que permite combate mais eficiente ao narcotráfico, ao tráfico de armas e pessoas, lavagem de dinheiro e contrabando.

 

Presidente da República - Michel Temer: Quando nós pensamos em promover os interesses concretos de brasileiros e paraguaios, nós temos uma preocupação comum da segurança pública, que é uma prioridade que nos ocupa diuturnamente. E tem sido nesse sentido, cada vez mais densa e mais bem-sucedida a nossa cooperação no combate ao crime organizado.

 

Repórter Mara Kenupp: Em 2016 o intercâmbio entre os dois países chegou a US$3 bilhões e US$400 milhões. Os dois presidentes decidiram intensificar as negociações de acordos nas áreas jurídica, de telecomunicações e para a construção de uma ponte rodoviária internacional sobre o Rio Apa, entre as cidades de Porto Murtinho, no Brasil, e San Lázaro, no Paraguai. A futura ponte vai viabilizar um corredor rodoviário bioceânico estratégico para a conexão entre o Centro-Oeste brasileiro, o Norte do Paraguai e portos do Chile.

 

Presidente da República - Michel Temer: Hoje, dezenas de empresas brasileiras encontram no país vizinho um ambiente de negócios extremamente favorável para seus investimentos. O aumento do comércio bilateral em 2017 não é fruto do acaso, é o resultado de correção de rumo, da dinamização de nossas economias. Num mundo marcado por tendências isolacionistas, nossa resposta é cada vez mais integração.

 

Repórter Mara Kenupp: Temer reafirmou ainda o compromisso dos países com o Mercosul para o fortalecimento da integração econômica, a consolidação da democracia e o respeito pelos direitos humanos. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Nasi: Além do Paraguai, o governo brasileiro já firmou parceria na área da segurança com o Peru, Bolívia e Colômbia. A ideia é integrar ações com esses países de fronteira para o combate ao tráfico de drogas e armas e ao crime organizado.

 

Gabriela: Medida que também pode ter impacto direto na operação em andamento no estado do Rio de Janeiro.

 

Nasi: Isso porque as fronteiras são porta de entrada de armas e drogas que tem como um dos destinos o Rio de Janeiro.

 

Gabriela: Em mais um capítulo no combate ao crime organizado na cidade 6 mil homens foram às ruas para prender 39 criminosos, além de apreender drogas e armas.

 

Repórter Natália Melo: A operação foi realizada em sete comunidades da zona norte do Rio de Janeiro. Foram cumpridos mandados de prisão de suspeitos de tráfico de drogas e roubos, além de apreensão de entorpecentes. Cerca de 6 mil homens das Forças Armadas, forças de segurança nacionais, além das polícias locais participaram das ações. O porta-voz do Comando Militar do Leste, coronel Roberto Itamar, falou sobre a operação.

 

Porta-voz do Comando Militar do Leste - coronel Roberto Itamar: Todos resultados estão sendo obtidos, inclusive, os índices divulgados pela Polícia Militar e pela Polícia Civil são de sucesso nas suas operações com a contribuição das Forças Armadas setembro.

 

Repórter Natália Melo: Entre os presos está um soldado do Exército acusado de vazar informações de operações anteriores para criminosos. O coronel Roberto Itamar falou da importância do trabalho integrado entre os agentes de segurança para que o elemento surpresa não seja comprometido.

 

Porta-voz do Comando Militar do Leste - coronel Roberto Itamar: E essas investigações acontecem e continuarão acontecendo para identificar pessoas ou procedimentos que possam comprometer o sigilo à obtenção do fator surpresa.

 

Repórter Natália Melo: O subsecretário de Comando e Controle, Rodrigo Alves, destacou a ajuda da população na prisão de criminosos por meio do Disque Denúncia. Para o subsecretário, os resultados da operação já fazem diferença na vida das pessoas.

 

Subsecretário de Comando e Controle - Rodrigo Alves: Para qualquer família que seu perdeu seu ente para um daqueles presos, talvez tenha sido a maior operação que eles já viram da polícia. Os resultados, eles não são imediatos, não se tem pretensão de fazer uma operação hoje e amanhã nós sentarmos aqui e dizermos que o crime organizado, ele acabou. Agora, é importante que a gente tire essas pessoas de circulação, pessoas que colocam em risco da sociedade, que tiram a paz social.

 

Repórter Natália Melo: A ideia é que as tropas continuem nas comunidades até que todos os mandados judiciais sejam cumpridos. Reportagem, Natália Melo.

 

Nasi: O balanço parcial das ações registrou ainda a apreensão de 25 motos, sete carros, sete armas e duas granadas.

 

Gabriela: E o ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou que as operações da inteligência vão continuar, e, quando necessário, os militares estarão nas ruas para apoiar as forças de segurança locais nas operações.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: Nós vamos até o fim. Nós não vamos recuar um milímetro, e, cada vez mais, nós estaremos fazendo operações mais abrangentes e com melhores resultados porque é isso o que nós queremos, golpear o crime organizado, reduzir a sua capacidade operacional, e, na busca disso, nós estamos dispostos aí até o último dia de 2018 e não recuaremos um milímetro dessa determinação, combater o crime e trazer de volta paz e segurança para a população do Rio de Janeiro.

 

Nasi: E as ações do Governo Federal no Rio de Janeiro vão além da segurança.

 

Gabriela: É, junto com a ação para combater o crime organizado, que tem a presença das Forças Armadas, a ideia é incentivar o turismo e a geração de emprego e renda no estado.

 

Nasi: Medidas que foram destacadas pelo ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Moreira Franco, em cerimônia de obras para melhorias no trânsito no Rio de Janeiro.

 

Gabriela: A repórter Natália Melo também acompanhou o evento que que ocorreu no final de semana.

 

Repórter Natália Melo: No Rio de Janeiro o fim de semana foi marcado pela inauguração e pelo anúncio de novas obras para melhorar o trânsito no estado. O ministro da Secretaria Geral na Presidência da República, Moreira Franco, esteve nos eventos e falou dos esforços do Governo Federal para combater a violência no estado, como a operação O Rio Quer Segurança E Paz, iniciada no mês passado. Moreira Franco ressaltou que os resultados da operação para combater o crime organizado no estado, que conta do apoio de tropas do Exército, Marinha, e Aeronáutica deve em vir a médio e longo prazo. O ministro destacou a geração de emprego e a retomada do turismo na região como saídas para a crise.

 

Ministro da Secretaria Geral na Presidência da República - Moreira Franco: Que nós passamos garantir o ambiente necessário para a retomada do fluxo turístico na cidade do Rio de Janeiro, e, com isso, gerar os empregos e a renda indispensáveis para que o crescimento no Rio de Janeiro volte a estar presente no nosso dia a dia.

 

Repórter Natália Melo: E as ações do Governo Federal no Rio de Janeiro vão além, como o início das obras para terceira faixa no trecho Niterói-Manilha, na BR-201, em parceria com a concessionária que administra a rodovia. Além de melhorar o trânsito na região, a ideia é oferecer também mais segurança a quem usa a estrada. Moreira Franco falou sobre o programa de concessões do Governo Federal, que envolve rodovias, ferrovias, portos e aeroportos.

 

Ministro da Secretaria Geral na Presidência da República - Moreira Franco: Para o semestre seguinte nós vamos ter um avanço substancial na modelagem da ferrovia norte-sul. A ferrovia é indispensável para a mobilidade da produção: produção agrícola, produção pecuária, produção industrial.

 

Repórter Natália Melo: E também tempero inauguração do Mergulhão da Praça Renascença, em Niterói. O aposentado Guilherme Figueiredo, que vive no município há 55 anos, aprova a nova passagem subterrânea.

 

Aposentado - Guilherme Figueiredo: Vai solucionar o problema que já vem há muito tempo atrasando o trânsito aqui. Então, vai ser em benefício da população, vai ser realmente uma solução extraordinária.

 

Repórter Natália Melo: Já, Airan Martins, também aposentado, acredita que as obras no trecho Niterói-Manilha devem trazer uma série de benefícios.

 

Aposentado - Airan Martins: Tranquilidade, progresso e segurança também, né? Porque evita os engarrafamentos, evita o arrastão, né?

 

Repórter Natália Melo: As obras no trecho Niterói-Manilha devem gerar 300 empregos diretos no Rio de Janeiro. Reportagem, Natália Melo.

 

Nasi: E tem mais anúncios sobre o Plano Nacional de Segurança Pública, o repórter Paulo La Salvia está no Palácio do Planalto e traz, ao vivo, mais informações. Boa noite, Paulo.

 

Repórter Paulo La Salvia (ao vivo): Boa noite, Nasi, Gabriela, ouvintes da Voz do Brasil. O governador do Acre, Tião Viana, afirmou depois de encontro do Presidente Michel Temer, na tarde desta segunda-feira, que o estado vai receber um dos cinco presídios federais que vão ser construídos a partir do Plano Nacional de Segurança Pública. A informação foi confirmada pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República. Não existe prazo, local, ou mesmo valor do presídio federal no Acre. O primeiro passo vai ser o envio ao estado de uma equipe formada por representante do Ministério da Justiça, Defesa e Gabinete de Segurança Institucional para o início das negociações. O Plano Nacional de Segurança Pública prevê a construção de cinco presídios federais no Brasil ao custo médio de R$45 milhões cada um. Antes do Acre, dois estados já haviam confirmado que vão receber os presídios federais: Rio Grande do Sul e Pernambuco. Ao vivo, Paulo La Salvia.

 

Gabriela: E saiu hoje mais um balanço do pente-fino nos benefícios de auxílio-doença pagos pelo INSS.

 

Nasi: Oitenta por cento das pessoas que passaram por uma revisão com nova perícia tiveram o benefício cessado.

 

Gabriela: E com o fim do pagamento a quem não tem direito, a economia aos cofres públicos ultrapassa os R$2 bilhões e R$700 milhões por ano.

 

Repórter Carolina Graziadei: Com 210 mil 649 perícias realizadas até agora, a economia anual estimada já chega a R$2 bilhões R$725 milhões. O dinheiro vai para o Fundo de Previdência Social e será usado para pagar benefício a quem realmente precisa. Na maior parte dos casos as avaliações médicas apontaram que os segurados já estavam aptos para voltar ao trabalho. O INSS está convocando todos os beneficiários do auxílio-doença que há mais de dois ao passam por perícia. Na sequência serão chamados os que recebem aposentaria por invalidez, têm menos de 60 anos e que estejam há dois anos sem avaliação médica. O secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, afirma que quem precisa do benefício continuará recebendo. O objetivo da revisão é identificar e excluir quem não nessa mais do pagamento.

 

Secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Aquelas pessoas que necessitam manter o auxílio-doença, manterão, aquelas que continuam com a incapacidade, continuam doente, não terão nenhum benefício cortado. Já aquelas que estão mantendo o benefício indevidamente, ou seja, já recuperaram a sua capacidade de trabalho, terão o benefício cancelado porque quem recebe indevidamente o benefício lesa duplamente a população dos trabalhadores.

 

Repórter Carolina Graziadei: Ao todo, 1 milhão 535 mil pessoas que estão sem passar por perícia há mais de dois serão convocadas. Reportagem, Carolina Graziadei.

 

Gabriela: 19h13 em Brasília.

 

Nasi: Acelerar a chegada da água aos cearenses que sofrem com a seca.

 

Gabriela: Daqui a pouco vamos detalhar o acordo com o governo paulistano para ao empréstimo de bombas que vão levar água do rio São Francisco ao estado nordestino.

 

Nasi: Quem tem filho na escola sabe, um bom livro didático ajuda muito no aprendizado dos filhos.

 

Gabriela: E todo ano essa escolha é feita com participação dos professores, diretores e coordenadores educacionais.

 

Nasi: Assim, a ideia é democratizar o processo e também usar materiais que sejam mais adequados a cada realidade do país.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Uma escola de Brasília recebeu mais de 200 livros do Programa Nacional do Livro Didático do Ministério da Educação. O material vai ser usado pela equipe de professoras na escolha as coleções que vão adotadas para cada disciplina. E no início do próximo ano os alunos vão receber o material completo para o estudo. Para o professor Pedro Calebe, o Programa do Livro Didático é uma política pública que amplia o acesso dos alunos a materiais didáticos de qualidade, o que diminui o abismo social entre alunos de escolas públicas e particulares.

 

Professor - Pedro Calebe: E é um insumo de qualidade, né, que a gente está no mesmo... a gente tem acesso nesse processo de escolha às mesmas coleções que a rede privada tem.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: O Programa Nacional do Livro Didático está completamente 80 anos esse ano. O Ministério da Educação adquire e distribui livros para alunos de todos os segmentos, anos iniciais e finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio. Só em 2017 foram distribuídos 150 milhões de livros para 40 milhões de estudantes. Wilson Troque, coordenador geral dos Programas do livro do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, acredita que a participação do professor é essencial na avaliação do material que vai ser usado.

 

Coordenador geral dos Programas do livro do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - Wilson Troque: O Programa do Livro do Brasil, sem dúvida, é um dos programas mais elogiados internacionalmente. É o maior programa onde existe a possibilidade de o professor encontrar o livro que é mais adequado à sua realidade.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: As escolas de Ensino Médio que receberam os livros do programa têm até o dia 4 de setembro para apresentar ao Ministério da Educação suas escolhas. O registro devo ser feito pelo diretor da escola no sistema PDDE Interativo. Reportagem, Beatriz Albuquerque.

 

Gabriela: Banco, tinto, rosé, cores e sabores diferenciados. O vinho é uma bebida apreciada em todo o mundo.

 

Nasi: E quando se fala em produção e exportação de vinho, o Brasil merece um brinde.

 

Gabriela: É, Nasi, só neste ano as vendas para outros países aumentaram quase 40%. Um mercado que está se especializando e qualificando novas indústrias.

 

Repórter Gabriela Noronha: Uma bebida conhecida e apreciada por muitas culturas. O vinho é apontado como a segunda bebida alcoólica mais consumida no planeta, perdendo apenas para a cerveja. Mas no Brasil o consumo ainda é tímido, enquanto na vizinha Argentina uma pessoa bebe 30 litros por ano, aqui a média é de dois litros. Para o brasiliense Antônio Cunha, especialista em vinhos, a bebida tem potencial para ser mais popular.

 

Especialista em vinhos - Antônio Cunha: As pessoas ainda não sabem que o Brasil tem feito bons vinhos e tem vinhos brasileiros aí muito premiados lá fora. O nosso espumante, por exemplo, hoje é considerado um dos melhores espumantes do mundo.

 

Repórter Gabriela Noronha: A qualidade dos nossos vinhos e espumantes vêm conquistando até mesmo mercados considerados bastante competitivos, como Estados Unidos, Europa e Ásia. Mais de 30 países já se renderam aos produtos brasileiros. O volume de exportações de vinhos brasileiros cresceu 37% em 2017. Só no primeiro semestre deste ano foram exportados mais de 1 milhão de litros de bebida. O gerente de exportações da Apex-Brasil, Cristiano Lima, diz que o setor está avançando.

 

Gerente de exportações da Apex-Brasil - Cristiano Lima: A gente melhorou o nosso processo de produção, ampliamos a nossa qualidade, mas, de outro lado, o trabalho da Apex ampliou a presença de empresas do mercado internacional a partir de ações de qualificação e de promoção comercial.

 

Repórter Gabriela Noronha: Elisa Walker, coordenadora de exportação de uma das principais vinícolas do país, diz que a empresa exporta 10% de sua produção, mas ela acredita que vai ganhar mais mercado.

 

Coordenadora de exportação - Elisa Walker: Nossa ideia é continuar assim investimento cada vez mais no mercado internacional e aprimorando aqui dentro também a qualificação dos nossos produtos.

 

Repórter Gabriela Noronha: Os novos qualificados para exportar vinho são de três diferentes estados: Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Nasi: Equipamentos que foram usados para amenizar a crise hídrica em São Paulo agora estão aliviando a situação da seca em estados do Nordeste.

 

Gabriela: O Ministério da Integração Nacional e o governo de São Paulo renovaram a parceria para o empréstimo dos equipamentos.

 

Nasi: As bombas que já estão ajudando a acelerar a transposição de águas do Rio São Francisco, na Paraíba, agora vão fazer o mesmo no Ceará.

 

Repórter José Luiz Filho: Os dias chuvosos em pleno inverno, estação normalmente seca na reportagem Sudeste, faz paulistanos, como a relações públicas, Laura Crepaldi, mal se lembrar da estiagem de três anos atrás, que levou a maior cidade do país ao racionamento de água.

 

Relações públicas - Laura Crepaldi: Crise hídrica você quer saber? Ih, mas a gente só lembra quando ao tem água mesmo.

 

Repórter José Luiz Filho: A saída encontrada pelo Governo do Estado para enfrentar a maior crise hídrica da história de São Paulo foi a captação de água do fundo das represas, o chamado volume morto. E R$80 milhões foram investidos na época para instalar tubulações e um conjunto com sete grandes bombas que garantiram água aos moradores da maior região metropolitana do país. O sistema de bombas flutuantes agora faz esse trabalho em estados do Nordeste, porque o governo paulista cede os equipamentos ao Ministério da Integração Nacional, como citou hoje do governador do Estado Geraldo Alckmin.

 

Governador do Estado - Geraldo Alckmin: Boias flutuantes que utilizamos no Cantareira para ajudar na transposição do Rio São Francisco, no canal leste e agora no canal norte, que é o que vai para o Ceará.

 

Repórter José Luiz Filho: São quatro conjuntos de motobombas com capacidades para 2 mil litros por segundo, que serão usados para acelerar a chegada da água do Rio São Francisco à região metropolitana de Fortaleza, explica o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho.

 

Ministro da Integração Nacional - Helder Barbalho: São 4,5 milhões de brasileiros que necessitam com a maior urgência possível da chegada das águas do São Francisco, e esta parceria permitirá que antecipemos o prazo em até quatro meses.

 

Repórter José Luiz Filho: Esta é a segunda parceria do tipo firmada entre o governo de São Paulo e o Ministério da Integração Nacional. Em dezembro do ano passado um acordo semelhante permitiu antecipar a chegada da água pelo eixo leste do projeto de integração do rio São Francisco à região de Campina Grande, na Paraíba. Os mesmos conjuntos de motobombas irão ajudar a levar ao longo de 260 quilômetros de canais e reservatórios do eixo norte do projeto para atender, além de moradores da capital cearense, parte da população dos estados de Pernambuco, Paraíba e do Rio Grande do Norte, num total de 7 milhões e 100 mil pessoas. Reportagem, José Luiz Filho.

 

Gabriela: 19h21 em Brasília.

 

Nasi: Tem edital aberto para agricultores familiares de dois estados que querem vender a produção pelo Programa de Aquisição de Alimentos, o PAA.

 

Gabriela: Então, produtores de Minas Gerais e Rio Grande de Sul que tiveram interesse, é preciso enviar proposta. O repórter Roberto Rodrigues tem os detalhes.

 

Repórter Roberto Rodrigues: É na zona rural do município de Três Forquilhas, no Rio Grande do Sul, que o jovem Bruno Hegel Justin, produz hortaliças, frutas e verduras. A notícia de que o Exército está comprando alimentos dos pequenos agricultores trouxe esperança de dias melhores. O 18º Batalhão de Infantaria Motorizado, localizado em Sapucaia do Sul, está chamada pública aberta para aquisição de itens produzidos pela agricultura familiar. O Bruno já enviou proposta e aguarda a resultado. Ele destaca que esse tipo de compra trouxe segurança, pois garante renda maior e estimula a organização dos agricultores em cooperativas.

 

Entrevistado - Bruno Hegel Justin: Já vamos discutir como a gente vai colocar, de acordo com a quantidade que a gente conseguiu vender por mês dessa chamada e os agricultores vão se organizar para plantar esses alimentos sabendo que vão ter garantida daquela venda e sabendo também o preço que eles já vão entregar.

 

Repórter Roberto Rodrigues: Todos os itens serão utilizados nas refeições servidas aos militares. O prazo para envio das propostas se encerra no dia 22 de agosto. Já em Minas Gerais, a oportunidade para os agricultores vem do 36 Batalhão de Infantaria Motorizado em Uberlândia. O prazo para envio das propostas vai até o dia 28 de agosto. O secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social, Caio Rocha, afirma que o volume de compras pelas Forças Armadas está aumentando e que isso é resultado de um processo de conscientização em benefício dos pequenos produtores.

 

Secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social - Caio Rocha: Eles têm um potencial de 2 bilhões 700 somente na agricultura familiar, onde nós temos mais de 3 mil produtos. Então, isto é um mercado que se abre para fortalecer a agricultura familiar brasileira.

 

Repórter Roberto Rodrigues: Todas as chamadas públicas abertas no país estão no portal: www.comprasagriculturafamiliar.gov.br. Reportagem, Roberto Rodrigues.

 

Nasi: Quinhentas mil vagas gratuitas em cursos de qualificação profissional pelo Pronatec.

 

Gabriela: As inscrições vão até amanhã. Os detalhes no nosso quadro de hoje Pra Você Cidadão.

 

"Pra Você Cidadão".

 

Repórter Mirna Ledo: As inscrições para o Pronatec, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, oferta voluntária, foram prorrogadas esta terça-feira, 22 de agosto. São mais de 500 mil vagas gratuitas presenciais e à distância para cursos de formação inicial e continuada e cursos técnicos. Existem opções em áreas administrativas e operacionais, como representante comercial, inspetor de qualidade e higienista de serviço de saúde, entre outros. As aulas começam no dia 28 de agosto. E qualquer cidadão brasileiro com mais de 15 anos de idade pode se inscrever. Se você tem interesse, acesse o site: portal.mec.gov.br/pronatec. Mirna Ledo para a Voz do Brasil.

 

Nasi: Até o final desta semana aldeias indígenas do Amazonas estão recebendo a visita de equipes de saúde para protegerem a população de doenças como meningite e pneumonia.

 

Gabriela: Ao todo, vão ser distribuídas quase 2 mil doses de vacinas do calendário anual para adultos e crianças da região em aldeias de quatro etnias diferentes.

 

Nasi: É a Operação Gota, coordenada pelos Ministérios da Defesa e da Saúde, com apoio da Força Aérea Brasileira, para ajudar as equipes a chegarem nas áreas de difícil acesso.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma Boa noite.

 

Gabriela: Boa noite para você e amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".