21 de dezembro de 2018 - Poder Executivo

Destaques da Voz do Brasil: Mais desenvolvimento e integração entre Brasil e Paraguai. Novas pontes vão ser construídas entre os 2 países e presidente Michel Temer destaca aumento nas exportações. Vai pegar a estrada? Vamos falar da Operação Rodovida e dar dicas de como aproveitar a viagem sem problemas. E já estamos no verão. Calor, sol e chuva, muita chuva. E o governo está de olho para monitorar e alertar a população que mora em áreas de risco.

audio/mpeg 21-12-18-VOZ DO BRASIL.mp3 — 45795 KB




Transcrição

Apresentador Luciano Seixas: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Alessandra Bastos: Olá, boa noite.

 

Luciano: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

 

Alessandra: Sexta-feira, 21 de dezembro de 2018.

 

Luciano: E vamos ao destaque do dia. Mais desenvolvimento e integração entre Brasil e Paraguai.

 

Alessandra: Novas pontes vão ser construídas entre os dois países e o presidente Michel Temer destaca aumento nas exportações.

 

Presidente Michel Temer: Nessas pontes, eu tenho a absoluta convicção, terão enorme impacto em nosso comércio exterior.

 

Luciano: E você também vai ouvir na Voz do Brasil.

 

Alessandra: Vai pegar a estrada? Vamos falar da Operação Rodovida e dar dicas de como aproveitar a viagem sem problemas.

 

Luciano: E já estamos no verão.

 

Alessandra: Calor, sol e chuva, muita chuva.

 

Luciano: E o governo está de olho para monitorar e alertar a população que mora em áreas de risco.

 

Alessandra: E o verão também requer cuidados com a pele. Natália Koslyk.

 

Repórter Natália Koslyk: Exposição à luz solar sem proteção é a principal causa do câncer de pele, ele corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no país.

 

Luciano: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil: Alessandra Bastos e Luciano Seixas.

 

Alessandra: E para assistir a gente, ao vivo, pela internet, basta acessar: www.voz.gov.br .

 

Luciano: Já estamos no fim de semana antes do Natal.

 

Alessandra: Muita gente, Luciano, já está na estrada ou se preparando para viajar de carro para aproveitar as festas de fim de ano.

 

Luciano: E a Operação Rodovida, da Polícia Rodoviária Federal, está de olho nos motoristas que não respeitam as leis de trânsito.

 

Alessandra: A repórter Bruna Saniele está aqui no estúdio com mais informações sobre essa operação. Olá, Bruna, boa noite. Conta para a gente quais os cuidados que os motoristas devem ter ao pegar a estrada.

 

Repórter Bruna Saniele (ao vivo): Boa noite, Alessandra. Boa noite, Luciano e ouvintes da Voz do Brasil. Muita gente que está nos ouvindo agora já está viajando ou se preparando para encarar a estrada nesse feriado, por isso a Polícia Rodoviária Federal está com um reforço de policiamento nas estradas federais, principalmente nos trechos mais críticos, com um maior número de acidentes. Nós conversamos agora há pouco com o Diego Brandão, ele é porta-voz da PRF e falou que quase um terço das mortes nas rodovias ocorrem em batidas de frente. Esses acidentes estão ligados a quatro infrações dos motoristas. Vamos ouvir.

 

Porta-voz da PRF - Diego Brandão: Nós temos o excesso de velocidade, nós temos as ultrapassagens indevidas, que é bom lembrar que não é só ultrapassagens em local proibido, você pode fazer uma ultrapassagem em local permitido, mas que não tenha segurança, essa também é muito arriscada. Então, a embriaguez ao volante e a falta de itens de segurança, como cinto de segurança, capacete, cadeirinha para o transporte das crianças. Então, são focos específicos da fiscalização da PRF durante o feriado e durante também a Operação Rodovida.

 

Luciano: E, Bruna, quais são as dicas que a Polícia Rodoviária Federal dá para quem está viajando ou vai pegar a estrada?

 

Repórter Bruna Saniele (ao vivo): Vamos lá, a orientação é: antes de tudo, fique atento ao planejamento da viagem. Veja as distâncias que você vai percorrer, as condições do tempo, os pontos de parada e nada de esquecer a documentação pessoal e do veículo. Também é importante fazer uma revisão do carro, os faróis, pneus, olhar se todos os equipamentos obrigatórios estão lá no carro, como estepe, macaco, triângulo. Outra dica é fazer paradas a cada três horas. E claro, atenção redobrada às placas de sinalização. E para terminar, não se esqueça do cinto de segurança. Alessandra, Luciano.

 

Alessandra: Obrigada, Bruna Saniele, pelas informações, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

Luciano: E esse período de férias, viagens, é uma marca do começo do verão.

 

Alessandra: A estação mais quente do ano começa oficialmente hoje, com ela, temperaturas mais altas, dias mais longos e também chuvas, muitas pancadas de chuvas.

 

Luciano: E essas chuvas fortes também geram problemas. Pessoas que moram em regiões de risco, como encostas, precisam redobrar a atenção.

 

Alessandra: E é sobre isso que a gente conversa agora a repórter Graziela Mendonça que está ao vivo aqui no estúdio com a gente. Olá, Graziela, boa noite. Conta para gente qual a previsão dos meteorologistas para a estação.

 

Repórter Graziela Mendonça (ao vivo): Boa noite, Alessandra. Boa noite, Luciano e ouvintes da Voz do Brasil. Pois é, todo ano com a chegada do verão é assim, temperaturas altas, calorão, mas também muita chuva, e apesar de serem rápidas, elas costumam ser bem fortes, viu, Luciano? Eu conversei com o meteorologista Mamedes Luiz Melo, do Instituto Nacional de Meteorologia, e ele contou um pouquinho como deve ser esse período chuvoso.

 

Meteorologista - Mamedes Luiz Melo: O tipo de chuva que acontece no verão são essas chuvas rápidas, pontuais e fortes, vêm acompanhadas de rajada de vento, trovoadas, até mesmo queda de granizo, quando for o caso, quando tiver condições. Entre os meses de janeiro, fevereiro e março, estamos mantendo aí para grande parte central do país uma previsão que essas chuvas deverão ficar em torno na média, ligeiramente acima da média.

 

Repórter Graziela Mendonça (ao vivo): E essas chuvas podem causar problemas, principalmente para quem mora em regiões de encostas e morros. Infelizmente, a gente vê todo ano notícias de inundações, deslizamentos de terra, pessoas acabam até mesmo perdendo a vida. Para evitar que isso aconteça, o governo reforça a prevenção nessa época. No Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais, o Cemaden, os profissionais trabalham dia e noite monitorando a situação nas cidades mais críticas.

 

Secretário nacional de Proteção e Defesa Civil substituto do Ministério da Integração - Élcio Barbosa: Esse serviço, ele iniciou em 2017, ele cobre o país inteiro e ele é uma fonte de emissão de mensagens onde a população pode ter acesso a mensagens de alerta. Ele é totalmente gratuito e ele só precisa que a população se cadastre nesse serviço, enviando a mensagem 40199, enviando o CEP da localidade dele para o número 40199. Então, a partir desse cadastramento, ela estará apta a receber esse serviço de mensagens de alerta.

 

Luciano: Bom, a gente vai ouvir agora o coordenador-geral de Operações e Modelagens do Cemaden, Marcelo Seluchi, que conversou e contou como que é esse monitoramento que a Grazi falou agora há pouco.

 

Coordenador-geral de Operações e Modelagens do Cemaden - Marcelo Seluchi: Então, nós fazemos o monitoramento constante, 24 horas por dia, dos municípios que têm o maior número de pessoas expostas, observando condições de chuva passadas, futuras, porque, por exemplo, os deslizamentos dependem muito também de quanto choveu nos últimos dias, porque a umidade do solo que acaba deflagrando. E, então, nós precisamos saber quanto choveu e quanto poderá chover.

 

Luciano: E, Graziela, quem mora em áreas de risco, tem algum jeito de se prevenir de um desastre, sair antes de casa, por exemplo?

 

Repórter Graziela Mendonça (ao vivo): Tem, sim, Luciano. Para avisar a população sobre a situação do clima e possíveis chuvas mais perigosas, o governo possui um sistema de alertas por mensagem de texto, o SMS, que está disponível para todo o país. São alertas de tempestade, chuva forte, para que as pessoas possam se prevenir, basta se cadastrar para receber as mensagens, no número 40199. Vamos ouvir agora novamente o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil substituto do Ministério da Integração, Élcio Barbosa, ele fala mais sobre esse serviço, que é de graça.

 

Secretário nacional de Proteção e Defesa Civil substituto do Ministério da Integração - Élcio Barbosa: Esse serviço, ele iniciou em 2017, ele cobre o país inteiro e ele é uma fonte de emissão de mensagens onde a população pode ter acesso a mensagens de alerta. Ele é totalmente gratuito e ele só precisa que a população se cadastre nesse serviço, enviando a mensagem 40199, enviando o CEP da localidade dele para o número 40199. Então, a partir desse cadastramento, ela estará apta a receber esse serviço de mensagens de alerta.

 

Repórter Graziela Mendonça (ao vivo): Só lembrando que a orientação da Defesa Civil em casos de chuvas fortes é que as pessoas não tentem atravessar áreas alagadas, e, se preciso, até mesmo saiam de casa até a situação melhorar. É sempre bom também procurar saber se a região onde você mora é de risco e se tem algum plano de contingência para tempestades. Luciano, Alessandra.

 

Alessandra: Obrigada, Graziela Mendonça, pela participação ao vivo aqui no estúdio do Voz do Brasil.

 

Luciano: E as altas temperaturas do verão tempo exigem outros cuidados.

 

Alessandra: É que a exposição prolongada ao sol sem proteção aumenta o risco de câncer de pele.

 

Luciano: E esse é o tipo de câncer mais comum no Brasil, responsável por mais de 30% das ocorrências de tumores.

 

Alessandra: E para alertar a população para prevenção da doença, foi criada a campanha Dezembro Laranja.

 

Repórter Natália Koslyk: A carioca Patrícia de Oliveira brinca que tem 50 anos de sol. Criada em cidade de praia, é acostumada a longos períodos de exposição à luz solar, desde que era bebê, e agora sente literalmente na pele as consequências disso.

 

Entrevistada - Patrícia de Oliveira: Todo mundo tem um vício e o meu vício é sol. A pele hoje em dia já não aguenta mais os efeitos do sol, eu tenho muita sarda, eu tenho manchinhas que são consequências do que eu já fiz.

 

Repórter Natália Koslyk: Patrícia ainda não abre mão de tomar sol, mas agora está mais consciente, além de usar protetor solar e viseira, faz consulta regularmente com o dermatologista. É que a exposição à luz solar sem proteção é a principal causa do câncer de pele, o mais frequente no Brasil, ele corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no país, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer. A dermatologista Rosa Maria de Matos alerta para os sinais da doença.

 

Dermatologista - Rosa Maria de Matos: De repente, uma pinta nova que apareceu, uma mancha que já existia e que começou a crescer de uma maneira desorganizada, que a gente chamada assimétrica. Uma ferida que não cicatriza, está demorando mais para fechar, e quando você começa a ver que começou a fazer úlceras, úlceras são feridas grandes.

 

Repórter Natália Koslyk: A estimativa é de que em 2019 sejam diagnosticados 132 mil casos de câncer de pele no país, mas, se descoberta no início, a doença tem mais de 90% de chance de cura, por isso prevenção é a palavra de ordem, como explica o chefe da Seção de Dermatologia do Inca, Dolival Lobão.

 

Chefe da Seção de Dermatologia do Inca - Dolival Lobão: Fugir do sol, essa é a prevenção primária, e a prevenção secundária, o diagnóstico precoce e o tratamento também precoce. Com isso, a gente consegue curar quase que a totalidade dos cânceres de pele.

 

Repórter Natália Koslyk: Para conscientizar a população sobre a importância de curtir o sol do verão com moderação e responsabilidade, neste mês, acontece a campanha Dezembro Laranja. A recomendação é evitar exposição prolongada ao sol entre 10h e 16 horas, fazer uso de bonés ou chapéus de abas largas, óculos escuros, camisas de manga longa e calça comprida, se possível, com proteção, além do bom e velho protetor solar, desde o amanhecer, reaplicando o produto a cada quatro horas. Reportagem: Natália Koslyk.

 

Luciano: Brasil reduz em mais 12% o número de mortes violentas nos nove primeiros meses deste ano.

 

Alessandra: Daqui a pouco a gente traz detalhes das ações que fizeram diferença para chegar a este resultado.

 

Luciano: E como nós anunciamos esta semana aqui na Voz do Brasil, duas novas pontes vão ser construídas entre Brasil e Paraguai.

 

Alessandra: O presidente Michel Temer e o presidente paraguaio, Mário Benítez, assinaram hoje a declaração que autoriza as duas obras.

 

Luciano: A assinatura foi em Foz do Iguaçu, no Paraná.

 

Alessandra: E é lá que está a repórter Luana Karen, para onde nós vamos agora. Ela acompanhou o evento e nós vamos conversar com ela ao vivo para saber mais detalhes sobre as obras.

 

Luciano: Luana, boa noite. Uma das pontes vai ser construída aí mesmo em Foz do Iguaçu, né? Mas conta para gente o que vai mudar, porque já existe aí uma ponte que liga o Brasil ao Paraguai, não é mesmo?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): É isso mesmo, Luciano, boa noite. Boa noite, Alessandra e boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. Isso mesmo, existe aqui em Foz do Iguaçu a Ponte da Amizade, a nova ponte vai ligar Foz do Iguaçu a Presidente Franco, no Paraguai, ela ficar a cerca de 8 quilômetros da Ponte da Amizade, inaugurada há mais de 50 anos atrás, e hoje a principal ligação entre os dois países. Pela Ponte da Amizade, transitam cerca de 40 mil veículos por dia, entre carros, motos, caminhões e ônibus. Com a construção da nova ponte, a Ponte da Amizade vai ser usada apenas para veículos menores e ônibus turísticos, desafogando o trânsito na região.

 

Alessandra: Luana, você conversou com o pessoal que usa a Ponte da Amizade, o que as pessoas acham da ideia de construir uma nova ponte?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Conversei, sim, Alessandra, eu fui até a Ponte da Amizade e conversei, por exemplo, com o Laurindo Pelissário(F), que trabalha há 17 anos como mototaxista, levando passageiros de um lado para outro na Ponte da Amizade. O Laurindo comemorou o anúncio da nova ponte.

 

Mototaxista - Laurindo Pelissário(F): Não tendo caminhão ali em cima o movimento é bem mais tranquilo, mais seguro, com certeza.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Bem, a obra desta ponte vai custar R$ 300 milhões e vai ser construída ainda uma via de 15 quilômetros que vai fazer a ligação entre a BR-277, que é uma rodovia importante aqui na região, a ponte e a aduana da Argentina. Nessa obra, o investimento é de R$ 104 milhões.

 

Luciano: Luana, vai ser construído também uma outra ligação entre Brasil e Paraguai, sobre o Rio Paraguai, entre a cidade de Porto Murtinho, no Mato Grosso do Sul, e o município paraguaio de Carmelo Peralta.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Exatamente, Luciano. Essa outra ponte vai ter também uma importância econômica, ela vai abrir um novo caminho para as exportações brasileiras. A ponte vai fazer parte do corredor rodoviário oceânico, que vai ligar o Centro-Oeste do Brasil e o Paraguai aos portos do norte do Chile, criando uma saída do Brasil para o Oceano Pacífico.

 

Alessandra: E quem vai pagar pelas pontes, Luana?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Alessandra, as obras vão ser pagas pela usina Itaipu Binacional. A parte paraguaia da hidrelétrica vai financiar a ponte do Mato Grosso do Sul e a parte brasileira vai custear a ponte de Foz do Iguaçu. Eu conversei também com o diretor-geral da Itaipu Brasil, Marcos Stamm, e ele falou sobre a importância das obras.

 

Diretor-Geral da Itaipu Brasil - Marcos Stamm: Vai intensificar a presença dos organismos federais da região, controle de fronteira. Isso vai aumentar sensivelmente a nossa segurança. Vai promover desenvolvimento para a toda a região, e, naturalmente, a integração.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): O presidente Michel Temer lembrou o trabalho conjunto desenvolvido por Brasil e Paraguai em áreas como o combate ao crime organizado e a operação da usina de Itaipu. Segundo ele, as pontes vão facilitar o transporte da produção dos dois países de um lado para o outro da fronteira.

 

Presidente Michel Temer: Elas terão, nestas pontes, eu tenho a absoluta convicção, enorme impacto em nosso comércio exterior, não só Brasil/Paraguai, mas esta ponte, especialmente a segunda delas, vai para aquele esquema bioceânico, que vai atingir outros países da América Latina, de modo que nós estamos realizando este ato histórico.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): E olha, a previsão é que as obras estejam concluídas em três anos, mesmo a hidrelétrica sendo a responsável pelas obras, o custo delas não vai ser repassados aos consumidores, isto é, não vai ter impacto na conta de luz. Voltamos aí a Brasília aos estúdios do Voz do Brasil, com Luciano e Alessandra.

 

Luciano: Obrigado, Luana Karen, pela participação ao vivo aqui na Voz do Brasil.

 

Alessandra: E o presidente Michel Temer participou hoje da comemoração dos dez anos do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês em São Paulo.

 

Luciano: O hospital tem projetos em parceria com o SUS.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O Sírio-Libanês é referência na área médica no Brasil e na América Latina e é considerado instituição filantrópica pelo governo federal. Durante a cerimônia, o presidente Michel Temer destacou a excelência do centro de cardiologia. O hospital presta apoio ao Sistema Único de Saúde por meio de pesquisas e do ensino. O Projeto Lean Emergências promove melhoria no atendimento hospitalar de urgências e emergências no SUS, e o Projeto Regula+Brasil busca fortalecer o atendimento na atenção básica e reduzir as filas de espera por atendimento especializado. Entre as ações planejadas para comemorar os dez anos do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês, estão a ampliação do número de leitos e a abertura de um pronto-socorro exclusivo para atender pacientes com problemas do coração. Ricardo Ferraz para a Voz do Brasil.

 

"Primeiro de janeiro de 2019, dia de celebrar o Brasil, dia de celebrar a nossa democracia. Dia da posse do presidente eleito Jair Bolsonaro. A NBR e a Rede Nacional de Rádio vão mostrar todos os detalhes da cerimônia ao vivo, a partir das 10h da manhã. Não perca, acompanhe tudo no canal de TV da NBR, no satélite da Voz do Brasil, nos perfis da NBR no Youtube, Twitter e Facebook. E você ainda pode participar da transmissão mandando mensagens para o nosso WhatsApp. O número é: 61 9867 8787. Cerimônia de posse do presidente eleito Jair Bolsonaro, dia 1º de janeiro, a partir das 10h da manhã".

 

Alessandra: Terminou agora há pouco, às 6h da tarde, o prazo para profissionais de saúde com registro no Brasil se inscreverem no novo edital do Programa Mais Médicos.

 

Luciano: Foram abertas mais de 2.500 vagas nas cidades não ocupadas na primeira seleção.

 

Alessandra: Segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, até às 5h da tarde quase 1.700 profissionais tinham escolhido a cidade na qual vão trabalhar.

 

Luciano: Pelo cronograma dos Mais Médicos, na semana que vem, os médicos brasileiros formados no exterior e que já se inscreveram vão ter acesso ao sistema para escolherem as vagas em aberto.

 

Alessandra: O Brasil registrou uma queda de mais de 12% no número de mortes violentas nos nove primeiros meses deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado.

 

Luciano: Aqui entram os homicídios dolosos, aqueles com intenção de matar, os latrocínios, que são roubos seguidos de morte, e lesões corporais seguidas de morte.

 

Alessandra: Os números são do Fórum Brasileiro de Segurança Pública com Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo.

 

Luciano: De acordo com o governo, a redução é resultado de um trabalho de integração e coordenação das forças de segurança do país.

 

Repórter Cleide Lopes: O levantamento mostra que em 2017 foram registradas mais de 44.700 mortes violentas entre janeiro e setembro. Já nos nove primeiros meses de 2018 foram aproximadamente 39 mil. Houve uma queda em 25 das 27 unidades na Federação, com exceção de Tocantins e Roraima. O estado de Alagoas apresentou a maior taxa de redução nas mortes. Para o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, os números demonstram o acerto das políticas adotadas pelo governo, como o Sistema Único de Segurança Pública.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: É a maior redução de homicídios em escala nacional que se tem registro até hoje. Isso quer dizer que nós estamos no rumo certo, isso quer dizer que hoje, com o ministério e com o Susp, há uma integração crescente e real entre a União Federal, os estados e também os municípios.

 

Repórter Cleide Lopes: E para que essa integração continue cada vez maior na prática, o Ministério da Segurança Pública vem instalando centros de monitoramento em todo o país. Segundo o ministro Raul Jungmann, até o momento, dois de um total de cinco já estão funcionando e trabalhando de forma integrada no combate ao crime organizado.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Eles são fundamentais, porque a exemplo do centro internacional, que foi construído pela Polícia Federal, que tem permanentemente policiais de outros cinco países, também no caso nas regionais, eles estarão integrados permanentemente, trocando informação e 'startando', iniciando operações contra a bandidagem e o crime organizado.

 

Repórter Cleide Lopes: O ministro disse ainda que apesar de recente, o Sistema Único de Segurança Pública já realizou dezenas de operações, envolvendo milhares de policiais, três dessas ações são voltadas para o combate à pedofilia. Reportagem: Cleide Lopes.

 

Alessandra: A queda no preço dos combustíveis e a mudança da bandeira amarela para verde na conta de luz foram responsáveis para que o IPCA-15, que é uma prévia da inflação oficial do país, ficasse negativo em 0,16% em dezembro.

 

Luciano: A taxa acumulada no ano ficou em 3,86%, abaixo do centro da meta estabelecida pelo Banco Central, de 4,5%.

 

Alessandra: Um Natal de paz e luz é o que todo brasileiro deseja.

 

Luciano: Mas as luminárias e os tradicionais pisca-piscas, muito usados nas decorações nessa época do ano, podem comprometer a segurança da festa, se não forem utilizados de maneira correta.

 

Alessandra: Vamos ouvir algumas dicas do Inmetro para evitar acidentes com as luzes natalinas e garantir a beleza da festa.

 

 

Repórter Gabriela Noronha: Época de Natal e a maioria das casas já está decorada com os tradicionais enfeites, além do Papai Noel e das árvores, as luzes garantem um toque especial. Na casa da advogada Mirta Carvalho, em Brasília, elas estão por toda parte.

 

Advogada - Mirta Carvalho: Essas luzes, a decoração simboliza esse momento de estágio de um mundo fraternal, né? Porque Cristo é luz, então, a luz está presente [ininteligível] celebra o nascimento dele.

 

Repórter Gabriela Noronha: Na casa de Giovana Dalmoli, em Panambi, no Rio Grande do Sul, não é diferente, ela conta que começou a tradição de enfeitar a casa quando as filhas nasceram e não parou mais.

 

Entrevistada - Giovana Dalmoli: A maior tem 5 aninhos e a menor tem 3. Então, motivando elas no Natal a gente começou a fazer mais decorações, né? E colocando bastante luz, criando aquele cenário bem natalino mesmo.

 

Repórter Gabriela Noronha: Mas as luminárias e pisca-piscas, muito utilizados nas decorações de Natal, podem trazer alguns perigos, como a ocorrência de choque elétrico e incêndio. Por isso, são necessários alguns cuidados, desde a hora da compra até a instalação. Leonardo Rocha, diretor de avaliação de conformidade do Inmetro, dá dicas para um fim de ano luminoso e seguro.

 

Diretor de avaliação de conformidade de Inmetro - Leonardo Rocha: A orientação central é observar o tipo de uso da luminária, se para ambiente interno ou externo, é importante isso, adquirir esses produtos somente em estabelecimentos legalmente constituídos, evitar o mercado paralelo, evitar o acúmulo de várias luminárias natalinas dessa numa mesma tomada, porque isso pode causar um superaquecimento e um princípio de incêndio. Procura desligar as luminárias quando sair de casa e prestar atenção na tensão indicada para o produto.

 

Repórter Gabriela Noronha: Outra dica é evitar que crianças e animais entrem em contato direto com as luzes. No Brasil, as luminárias natalinas são regulamentadas pelas portarias do Inmetro, elas devem apresentar na embalagem, em português, informações como nome e marca. Além disso, todos os plugues das luminárias devem trazer o selo do Inmetro. Reportagem: Gabriela Noronha.

 

Luciano: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Alessandra: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite e um bom fim de semana.

 

Luciano: Boa noite para você e até segunda.

 

"Brasil, ordem e progresso".