22 de junho de 2017

Presidente Michel Temer está na Noruega e reforça a empresários que Brasil vive agenda de reformas, queda da inflação e dos juros e crescimento da economia. Lei seca faz cair mortes no trânsito e pesquisa mostra que aumentou o número de brasileiros que vão pegar a estrada nas férias.

audio/mpeg 22-06-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 23363 KB




Transcrição

Apresentador Airton Medeiros: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gláucia Gomes: Olá. Boa noite.

 

Airton: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gláucia Gomes: Quinta, 22 de junho de 2017.

 

Airton: E vamos ao destaque do dia: Presidente Michel Temer está na Noruega.

 

Gláucia: E reforça a empresários que Brasil vive agenda de reformas, queda da inflação e dos juros e crescimento da economia.

 

Presidente da República - Michel Temer: Este é um recomeço e queremos que os investidores noruegueses façam parte deste momento muito saudável, muito próspero que estamos realizando no nosso país.

 

Airton: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gláucia: Lei Seca faz cair mortes no trânsito. Segundo o Ministério da Saúde, 5 mil mortes foram evitadas em 2015.

 

Airton: Boa notícia para quem está planejando viajar de carro. Pesquisa mostra que aumentou o número de brasileiros que vão pegar a estrada nas férias.

 

Gláucia: E vamos falar do INSS Digital. Você já pensou em pedir aposentaria sem sair de casa. Beatriz Amiden.

 

Repórter Beatriz Amiden: O cidadão vai poder pedir os benefícios pelo novo site do INSS, até novembro desse ano isso já vai ser realidade para muitas pessoas.

 

Airton: A Voz do Brasil de hoje na apresentação de Glaucia Gomes e Airton Medeiros.

 

Gláucia: E para assistir a gente ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Airton: Depois de uma viagem oficial à Rússia o Presidente Michel Temer chegou hoje à Noruega.

 

Gláucia: O país europeu já é o oitavo maior investidor no Brasil, com mais de 120 empresas operando por aqui, principalmente na área de petróleo e gás.

 

Airton: Um dos objetivos do governo brasileiro é ampliar e diversificar ainda mais os negócios com o país.

 

Gláucia: E foi para isso que o presidente Temer e ministros de estado se reuniram hoje com empresários noruegueses.

 

Repórter Paulo La Salvia: "Investir no Brasil é ganhar". Esta foi a mensagem do Presidente Michel Temer a empresários noruegueses no primeiro dia da visita oficial à Noruega.

 

Presidente da República - Michel Temer: Ao trilharmos, senhoras e senhores, este novo caminho, sobram razões para dizer que investir no Brasil é ganhar, afinal, antes de mais nada, o Brasil é um grande mercado consumidor. Nós temos hoje quase 206 milhões de habitantes e uma grande fonte de oportunidades. Nossa matriz energética é limpa, nossa agricultura é competitiva e sustentável e abrigamos um parque industrial extremamente diversificado.

 

Repórter Paulo La Salvia: O encontro reuniu os principais executivos noruegueses das áreas de petróleo, gás natural, energia, mineração e transporte marítimo. Para Luis Araújo, presidente mundial da Aker Solutions, empresa norueguesa, que desde o fim da década de 70 investe no setor de petróleo e gás natural no Brasil, os investimentos devem aumentar com o fim da obrigatoriedade da Petrobras de explorar os campos do pré-sal.

 

Presidente mundial da Aker Solutions - Luis Araújo: Foi uma medida muito importante, importantíssima para a indústria. O Brasil precisa de mais empresas, pluralidade maior e a Petrobras sozinha não conseguirá desenvolver todas as riquezas do pré-sal.

 

Repórter Paulo La Salvia: Esta também é a opinião do ministro da Indústria Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira.

 

Ministro da Indústria Comércio Exterior e Serviços - Marcos Pereira: Uma lei aprovada do congresso, sancionada pelo presidente Temer, que vai trazer oportunidade de grandes empresas... de empresas que têm um know-how reconhecido mundialmente na área de petróleo e gás, e a Noruega é refiro nisso, de investir do Brasil.

 

Repórter Paulo La Salvia: O Presidente Michel Temer também falou as mudanças que estão ocorrendo no Brasil, defendeu que as reformas propostas do pelo governo vão deixar a economia mais eficiente e produtiva, atraindo um número de maior de empresas para o país. O presidente ainda citou o Programa Crescer, que tem a meta de ceder à iniciativa privada diferentes setores da infraestrutura nacional.

 

Presidente da República - Michel Temer: O Brasil, digo sem medo de errar, está deixando para atrás uma severa crise de sua história. Temos levado adiante reformas que não se via no nosso país há muitos anos. É uma agenda que está trazendo de volta investimentos, que está recuperando o crescimento.

 

Repórter Paulo La Salvia: De acordo com o Banco Central, entre 2009 e 2014 o estoque de investimentos da Noruega do Brasil soma US$23 bilhões. Só no ano passado foram cerca de US$2 bilhões. De Oslo, na Noruega, Paulo La Salvia.

 

Airton: Encontrar um endereço ficou mais fácil depois do surgimento de programas que indicam o caminho que motiva deve seguir para chegar a um determinado lugar.

 

Gláucia: Essas ferramentas utilizam o sistema de monitoramento por satélites, o mais conhecido deles é o GPS.

 

Airton: Mas no Brasil também opera um sistema russo chamado Glonass, que foi citado ontem pelo Presidente Michel Temer, no encontro que teve com o presidente russo Vladimir Putin.

 

Gláucia: Temer disse que o governo brasileiro faz uma avaliação positiva dessa parceria com universidades brasileiras, e, por isso, quer ampliar a experiência.

 

Airton: A repórter Mara Kenupp foi conhecer uma dessas situações do Glonass aqui na Universidade de Brasília.

 

Repórter Mara Kenupp: Na tela do celular qualquer um pode ser acesso a informações, até para encontrar um endereço. O administrador José de Arimateia Mendes disse que sempre que precisa ir a algum lugar desconhecido utiliza um aplicativo.

 

Administrador - José de Arimateia Mendes: Direto o que eu uso é o Waze, né? A atualização dele é mais rápida. Então, com as ruas, as avenidas, quando tem modificação é bem mais rápido.

 

Repórter Mara Kenupp: Para indicar a localização de um endereço ou mostrar o caminho para chegar a algum lugar estes aplicativos utilizam os chamados Sistemas de Georreferenciamento por Satélite, um deles é bem conhecido, o GPS, que é o sistema americano, o outro é o Glonass, que chegou ao país há três por meio de parceria entre os governos de Brasil e Rússia. De acordo com o diretor de satélite da Agência Espacial Brasileira, Carlos Gurgel, o Brasil ganha com a utilização dos dois sistemas.

 

Diretor de satélite da Agência Espacial Brasileira, Carlos Gurgel: Quando a gente liga o que nós chamamos de GPS no nosso celular, esse sistema procura satélites para ele poder calcular a nossa localização. Esses sistemas modernos, tanto usam a constelação americana, quando a constelação russa. Esses dispositivos agora têm um maior número de satélites disponíveis para fazer o cálculo da nossa posição, e, portanto, aumenta a precisão dessa informação da nossa localização.

 

Repórter Mara Kenupp: O acordo com a Rússia permitiu a instalação de quatro estações de monitoramento do Glonass no Brasil, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, em Recife, Pernambuco, e duas na Universidade de Brasília, a UNB. Vários equipamentos vieram da Rússia e foram instalados aqui. Segundo o engenheiro elétrico da UNB, Francisco de Assis Lima, os dois sistemas servem ainda para desenvolver pesquisas nas universidades.

 

Engenheiro elétrico da UNB - Francisco de Assis Lima: Utilizamos as diversas informações, né, e a partir daí a gente tenta trabalhar na minimização dos erros que existem nos cálculos dos equipamentos que são disponibilizados no mercado, como celular, relógio, carro, enfim, todos esses equipamentos, né, eles normalmente têm um erro e gente está trabalhando para a gente conseguir uma precisão em cerca de centímetros.

 

Repórter Mara Kenupp: As estações de monitoramento do Glonass são operadas por profissionais de Agência Espacial Brasileira e da Agência da Rússia. Reportagem, Mara Kenupp.

 

"Trânsito: atenção motorista".

 

Gláucia: As mortes no trânsito caíram 11% em um ano, o que significou 5 mil mortes a menos no Brasil.

 

Airton: Os cuidados de dirigir poupam vidas, feridos e também diminuem os gastos públicos.

 

Gláucia: Foram mil internações a menos nos hospitais públicos.

 

Airton: A consciência de que o álcool e o volante não combinam ajudou na diminuição dos acidentes.

 

Gláucia: É, mas agora outra irresponsabilidade invadiu nossas ruas, é o uso do celular, que vem causando tragédias.

 

Repórter José Luiz Filho: O trânsito no Brasil foi menos violento, é o que indicam os números do SIM, Sistema de Informação de Mortes do Ministério da Saúde. O levantamento com dados de 2015, divulgado agora pelo Ministério, mostra que as mortes por acidentes de trânsito caíram mais de 11% em todo o país. Em 2015, 38 mil pessoas morreram no trânsito. No ano interior haviam sido 43 mil. Um dos motivos da redução é o combate ao consumo do álcool pelos motoristas, como explica o Ministério da Saúde Ricardo Barros.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Temos procurado fazer campanhas. "Se Dirigir Não Beba" está em todos os comerciais de publicidade de bebidas alcoólicas. Acontece que o celular entrou agora disputando com a bebida.

 

Repórter José Luiz Filho: Com 1.169 mortes a menos, São Paulo foi o estado em que a violência no trânsito mais desacelerou. Na opinião de Maxwell Vieira, presidente do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo, conscientização e fiscalização e foram fundamentais para redução de acidentes e vítimas.

 

Presidente do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo - Maxwell Vieira: A gente fez uma campanha que focou em quatro temas, que era você não misturar bebida e direção, utilizar o cinto de segurança, respeitar os limites de velocidade e não utilizar o telefone celular enquanto estiver ao volante, para que todos juntos a gente possa aí estar construindo um trânsito mais seguro e diminuindo esses acidentes e mortes no trânsito.

 

Repórter José Luiz Filho: A diminuição dos acidentes também fez cair as internações hospitalares. Em 2015 foram 1.108 internações a menos que no ano interior, mas é preciso atenção maior com dois grupos. Mais de 50% das internações de vítimas do trânsito foram motociclista e ciclistas. Reduzir os acidentes é importante também para a economia de recursos, como conta o Ministro da Saúde.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Nós tivemos um número menor de internações, mas nós queremos ampliar as campanhas educativas, especialmente no Nordeste. Acidentes de motocicleta são muito onerosos para o poder público e os municípios precisam melhorar sua fiscalização.

 

Repórter José Luiz Filho: Em 2015, as internações de vítimas do trânsito custaram R$242 milhões para o SUS. Reportagem, José Luiz Filho.

 

Airton: E no período de festa juninas o trânsito nas rodovias aumenta, especialmente do Nordeste.

 

Airton: E para reduzir o número de acidentes, o Ministério dos Transportes Portos e Aviação Civil preparou uma campanha que tem foco dos estados nordestinos.

 

Airton: A campanha chama a atenção dos motoristas para os perigos de excesso de velocidade, uso de celular ao volante e ultrapassagens proibidas.

 

Gláucia: Além disso, é preciso lembrar aos condutores que não é possível misturar álcool e direção.

 

Airton: A campanha será veiculada nos principais canais de TV do Nordeste até o dia 17 de julho.

 

Gláucia: E já que estamos falando aos motoristas, muitos deles vão pegar a estrada nas próximas férias.

 

Airton: É, gostam de aproveitar a paisagem com os amigos ou com a família, vão parando na estrada, sem pressa, conhecendo lugares pelo caminho.

 

Gláucia: Segundo o Ministério do Turismo, viajar de carro é a escolha de 28% dos brasileiros.

 

Repórter Nathália Koslyk: Seja com a família, seja com os amigos, José Marcos de Oliveira só viaja de carro, já teve vez que ele dirigiu cerca de 8 mil quilômetros. Para se ter uma ideia, essa distância é duas vezes o trajeto do Oiapoque ao Chuí, os dois extremos do Brasil, de Norte a Sul. É que para José, da cidade goiana de Cristalina, o caminho faz parte da viagem.

 

Entrevistado - José Marcos de Oliveira: Eu gosto de curtir a estrada, sabe? Estar no meio do trânsito, no meio da muvuca, do tumulto. É muito prazeroso andar no asfalto, na BR.

 

Repórter Nathália Koslyk: Tem muita gente querendo pegar carona com o José. Uma pesquisa do Ministério do Turismo, mostrou que apesar de avião ainda ser o transporte mais utilizado, o número de brasileiros que devem usar o carro nas próximas viagens foi o que mais aumentou, 45% a mais do que no ano passado. Flávio Caldas Mendes, de Maceió, já foi para muitas partes do Brasil sobre quatro rodas: Brasília, Piauí, Ceará, Recife, Bahia são alguns dos destinos.

 

Entrevistado - Flávio Caldas Mendes: Primeiro quando você chega no seu destino, você não fica dependendo de ninguém, né? Chega no seu carro, vai para onde quer, a hora que quer. E a estrada, você viajando, você vai conhecendo locais pelo caminho, para no posto, toma um café, conversa, segue viagem.

 

Repórter Nathália Koslyk: Para Gilsi Batistus, coordenadora da Diretoria de Estudos Econômicos e Pesquisas do Ministério do Turismo, o brasileiro é um viajante otimista e fiel.

 

Coordenadora da Diretoria de Estudos Econômicos e Pesquisas do Ministério do Turismo - Gilsi Batistus: Ele pode escolher algumas coisas diferentes, mas ele não deixa de viajar.

 

Repórter Nathália Koslyk: E já tem gente de malas prontas. Silvia Teles Carvalho, brasiliense de 39 anos, parte amanhã para Tocantins com a família. De acordo com ela, o melhor de viajar de carro é ir sem pressa.

 

Entrevistada - Silvia Teles Carvalho: Tranquila, se tiver algo banana no caminho a gente para.

 

Repórter Nathália Koslyk: A pesquisa também mostrou que mais de 20% dos entrevistados têm interesse em viajar nos próximos meses. Um aumento de 15%. A preferência é pelos destinos nacionais. Reportagem, Nathália Koslyk.

 

Airton: E se o brasileiro viaja mais, cresce também o faturamento no setor de turismo.

 

Gláucia: Um estudo do Ministério do Turismo mostra um aumento de 4,3% nesse faturamento de janeiro a março na comparação com o mesmo período do ano passado.

 

Airton: Esse crescimento foi registrado em operadoras de turismo, parques, agências de viagens e do transporte aéreo.

 

Gláucia: Para o ministro do Turismo, Marques, Beltrão, o setor está ajudando o país na retomada do crescimento e na geração de empregos.

 

Ministro do Turismo - Marques Beltrão: O objetivo nosso é mostrar a importância do turismo na economia brasileira, mesmo no período de crise como o Brasil está vivendo. Com esses dados nós mostramos para todo Brasil que o turismo é um grande negócio e que o turismo pode ser um dos principais propulsores da economia brasileira e da geração de emprego e renda.

 

Airton: E as expectativas para o próximo trimestre são favoráveis. Uma vez que 70% do setor manifesta a intenção de investir parte desse faturamento para atrair mais turistas.

 

Gláucia: 19h15 em Brasília.

 

Airton: Já pensou em pedir seus benefícios da previdência sem sair de casa?

 

Gláucia: Daqui vamos falar como isso deve acontecer. Já tem cidade fazendo a experiência do INSS Digital.

 

Airton: O presidente da Petrobras, Pedro Parente, anunciou agora há pouco que a BR Distribuidora deve ter ações colocadas à venda.

 

Gláucia: O processo ainda depende de aprovação do conselho da empresa.

 

Airton: O repórter José Luiz filho tem, ao vivo, de São Paulo, as informações.

 

Repórter José Luiz Filho (ao vivo): Olá. Boa noite, Airton. Boa noite, Glaucia e a todos os ouvintes na Voz do Brasil. O anúncio foi feito presidente da Petrobras, Pedro Parente, durante a palestra de encerramento de encontro de investidores e representantes do mercado de capitais aqui em São Paulo. A abertura de capital é a venda de ações de uma empresa, no caso, a BR Distribuidora. Pedro Parente disse que a abertura de capital da empresa vai trazer mais recursos para a companhia.

 

Presidente da Petrobras - Pedro Parente: Quero ver com que a alternativa poderia proporcionar mais valor para a empresa e nesse momento parece que realmente, dadas condições de mercado, que esta deve ser, sim, uma alternativa que venha a ser aprofundada.

 

Repórter José Luiz Filho: De acordo com o presidente da Petrobras, o conselho da empresa vai realizar estudos sobre esta abertura de capital para decidir qual o percentual de ações será colocado à venda. Em julho o conselho administrativo da companhia será uma decisão sobre o tema. Ao vivo, de São Paulo, José Luiz Filho.

 

"Momento social".

 

Gláucia: O cuidado com a saúde e educação das crianças que recebem o Bolsa Família são compromissos que os pais devem cumprir quando entram no programa.

 

Airton: A Nilzinha Gomes, de Fortaleza, no Ceará, quer saber melhor porque esse acompanhamento deve ser feito.

 

Gláucia: O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, explica.

 

Entrevistada - Nilzinha Gomes: Olá, ministro. Meu nome é Nilzinha, sou de Fortaleza. E eu gostaria de saber por que as crianças que recebem o Bolsa Família precisam fazer acompanhamento de saúde e educação.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: O Bolsa Família é um programa de transferência de renda, mas tem outro papel bem importante, que é reforçar o acesso das famílias à educação e à saúde por meio de alguns compromissos que são chamadas condicionalidades. Isto é, está condicionado a família continuar recebendo Bolsa Família se cumprir determinadas obrigações. Por exemplo, crianças e adolescentes entre seis e 17 anos devem estar matriculados na escola e cumprir a frequência escolar, que deve ser de pelo menos 85% das aulas para quem tem entre seis e 15 anos e de 75% para jovens de 16 a 17 anos todo o mês. Na área da saúde os responsáveis devem levar as crianças menores de sete anos para tomar as vacinas recomendadas, elas têm que ter o registro dessas vacinas, elas também devem ser pesadas, medidas e crescimento acompanhado. Já as gestantes precisam fazer bem-feito o pré-natal, aqueles exames antes de ganhar o bebê. As ações contribuem para o desenvolvimento salvo das crianças e para que os estudantes do Bolsa Família concluam a educação básica, tendo melhores condições para vencer a pobreza depois. Com o acompanhamento, o governo consegue identificar se as famílias realmente estão sendo acesso a esses serviços.

 

Airton: Se você também tem alguma pergunta sobre ações e programas sociais do governo, manda para a gente.

 

Gláucia: Pode ser par e-mail no endereço: voz@ebc.com.br. Tem também o nosso Facebook: facebook.com/bolsafamilia.

 

Airton: A sua pergunta vai ser respondida aqui na Voz do Brasil sempre na quinta-feira, participe.

 

Gláucia: Boa Vista, em Rondônia, é referência na atenção à primeira infância.

 

Airton: Tá certo. Boa Vista, lá em Roraima, é referência na atenção à primeira infância.

 

Gláucia: Pois é, e para ampliar ainda mais esses cuidados e apoiar outras cidades da região, a capital deve implantar agora o programa Criança Feliz, do Governo Federal.

 

Airton: O ministro do Desenvolvimento Social foi ao município discutir como isso deve acontecer.

 

Repórter Carolina Graziadei: O programa municipal Família Que Acolhe, lançado em 2013, integra ações nas áreas de saúde, educação, e assistência social e atua com foco no fortalecimento de vínculos e no estímulo durante os primeiros anos de vida. Segundo o ministro Osmar Terra, a parceria com Boa Vista servirá para aprimorar ações e será um exemplo para outras cidades.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Nós vamos ter aqui um excelente resultado. É uma cidade que está no sistema de avaliação do programa. Então, nós vamos comparar os resultados aqui, as crianças que estão no programa, as crianças que não têm e comparar, inclusive, com outros municípios também. E acho que nós vamos ter um resultado muito relevante para servir do modelo para o país.

 

Repórter Carolina Graziadei: A prefeita de Boa Vista, Teresa Surita, conta que é grande a expectativa do município pelo início das visitas do Criança Feliz. Hoje o programa local atende 7.720 beneficiários, principalmente em creches especializadas chamadas Casas Mães, mas não realiza visitas domiciliares. A prefeita afirma que a possibilidade de ir até as casas das famílias levando orientação e acompanhando fará toda a diferença para o futuro das crianças.

 

Prefeita de Boa Vista - Teresa Surita: Esse trabalho é fundamental para que a gente chegue no nível que eu acho que nós queremos em relação a realmente ter uma geração mais equilibrada, mais feliz.

 

Repórter Carolina Graziadei: Os beneficiários do Bolsa Família serão atendidos desde a gestação até os três anos. Para as crianças que recebem o benefício de prestação de continuada o atendimento será até os seis anos. Reportagem, Carolina Graziadei.

 

Gláucia: 19h21 em Brasília.

 

Airton: Tecnologia que vai facilitar a vida de quem precisa dos serviços de INSS.

 

Gláucia: Até o fim desde ano 30% das agências do instituto vão funcionar de forma digital.

 

Airton: E quem sai ganhando é o cidadão, que vai poder até dar entrada no pedido de aposentadoria sem sair de casa.

 

Repórter Beatriz Amiden: Já imaginou poder solicitar um benefício do INSS como licença-maternidade ou até mesmo a aposentadoria pela internet?

 

Entrevistada: Eu podendo resolver tudo pela internet, com certeza seria bem melhor.

 

Entrevistada: Vai facilitar bastante, né? Não ter que vir e ficar enfrentando fila, né?

 

Entrevistado: Eu operei da perna, não posso ficar muito tempo em pé. Eu gostaria bem mais.

 

Repórter Beatriz Amiden: Até novembro desse ano, isso já vai ser realidade para muitas pessoas, cerca de 370 mil requerimentos por mês vão poder ser solicitados e analisados de maneira totalmente digital. Isso vai diminuir o tempo de espera do cidadão e reduzir o custo operacional do INSS, como explicou Jobson Sales, diretor de atendimento do instituto.

 

Diretor de atendimento do instituto - Jobson Sales: O que interessa diretamente para o cidadão? Diminuição do tempo de espera. Primeiro, para acessar o serviço, segundo, para que o serviço, o processo, que ele dá entrada na INSS, seja despachado e resolvido. Um outro terceiro, adjacente, e não menos importante, é a economia no que diz respeito ao gasto eficiente, ao uso de papel, à economia em relação ao erário público na construção e no caso de desconstrução de arquivos para a guarda de documentação.

 

Repórter Beatriz Amiden: O cidadão vai poder pedir os benefícios pelo novo site do INSS. Só vai ser preciso ir à agência para levar os documentos para digitalização ou realizar a perícia médica em casos específicos. Todo o resto do processo vai ser feito de forma eletrônica. Em Mossoró, no Rio Grande do Norte, onde está sendo testado desde fevereiro, o INSS Digital já funciona em 13 das 17 agências da cidade. O sistema atende pedidos de aposentaria, benefícios e pensões. O gerente executivo do instituto em Mossoró, Francisco Ozimar, afirma que fechou 38 convênios com sindicatos de trabalhadores rurais beneficiando comunidades afastadas da cidade.

 

Gerente executivo do instituto em Mossoró - Francisco Ozimar: Isso está facilitando para as populações. Dando exemplo, é aqui o sindicato de Ipanema, que uma cidade a 60 quilômetros de Mossoró, a população do município não precisa mais vir a Mossoró para dar entrada no seu pedido de benefício.

 

Repórter Beatriz Amiden: Até novembro desse ano 345 das 1.600 agências do INSS já vão ser totalmente digitais, o que representa 30% de todo o atendimento do país. Reportagem, Beatriz Amiden.

 

Gláucia: E atenção caminhoneiros, o recadastramento de caminhões inscritos no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas deve ser feito até o final deste mês.

 

Airton: A partir de 1 de julho, quem circular sem o adesivo pode receber multa de até R$1.500,00.

 

Gláucia: O processo vai ajudar a coletar informações sobre a movimentação de cargas nas rodovias brasileiras e também a origem e o destino das viagens e o os fretes praticados.

 

Airton: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gláucia: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Airton: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gláucia: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite para você.

 

Airton: Boa noite e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".